BENNY FRANKLIN
[Benjamin da Costa Franklin]


Microempresário e formando em Tecnologia de Segurança no Trabalho.
Gosta de literatura beat, aurora boreal, coisas retrôs, e está sempre pesquisando, criando e inventando coisas cults para tornar esse mundo mais justo.

Acredita que o que escreve [de alguma forma] contribui para desenvolvimento sustentável do planeta. Põe fé que a poesia é um ato de resistir, um escudo infalível que protege as pessoas contra os feitos desumanos.

Atividades Culturais:

Entre os seus trabalhos, podemos destacar, em 2006, o “1° Prêmio AP de Literatura” em poesias, certame literário realizado pela Assembléia Paraense, Belém-PA, com a supervisão cultural da Academia Paraense de Letras, com a obra “EXAME DE CONSCIÊNCIA”. Em 2009, venceu pela segunda vez o “2° Prêmio AP de Literatura” em poesias, novamente com a supervisão cultural da Academia Paraense de Letras, com obra “FILAMENTOS DE UM POEMA EM PEDAÇOS”. Em nível nacional, em 2008, destaca-se, a classificação entre os autores selecionados dentre milhares de poetas do Brasil para o Projeto "Pão & Poesia", com apoio cultural da Secretaria de Cultura de Minas Gerais, com a obra Poética “POEMA VERDADEIRO”.

Membro de diversas associações poéticas e colaborador de inúmeros sítios de literatura, tais como:

-Membro da Associação Internacional "Poetas del Mundo". [Cônsul de Belém];
-Membro de “La Voz de la Palabra Escrita Internacional”;
-Membro de “La Unión de Escritores y Artistas del Caribe en la Región y en el Mundo”;
-Membro do “Conselho Geral da Nova Águia”: Blog da Lusofonia;
-Membro de “Planeta de Escritores”;
-Membro do “Clube Caiubi de Compositores”;
-Membro/Colaborador dos Sites de Cultura "Ver-O-Poema", "Poema Dia" e "Overmundo", este, patrocinado pelo Governo Federal;
-Membro/Organizador de “100 Mil Poetas & Músicos Por Mudanças” [ versão amazônica de “100 Thousand Poets For Change”] iniciativa provocada desde 2009 pelos poetas e ativistas americanos, Michel Rothenberg e Terri Carrion, onde poetas & músicos de todo o mundo, se reúnem para propor mudanças da forma de ser e ver a comunidade local e a global, ante a alienação generalizada em que mal conhecemos nossos vizinhos de rua e muito menos os aliados criativos, que tem angústias semelhantes, mesmo morando em outros locais e países, que padecem dos mesmos problemas: guerras, crimes ambientais, falta de assistência médica para todos, violência institucionalizada, omissão de autoridades e discriminações de toda ordem. O que torna necessária a solidariedade local e global. Os eventos anteriores, em mais de 800 eventos, realizados em 700 cidades de 115 países, já reuniram mais cinco milhões de pessoas. O evento global deste ano, e o da Amazônia, realizado em Belém, acontecerá no dia 28.

Confrade Efetivo.















Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho