08 DE DEZEMBRO - DIA DA JUSTIÇA E
10 DE DEZEMBRO - DIA DOS DIREITOS HUMANOS


No link abaixo Palavras da Dra. Retijane Popelier no Dia da Justiça e Direitos Humanos - 2011-

http://www.4shared.com/mp3/YUVSsy50/DRARETI-DIREITOSHUMANOS-JUSTIA.html

- Mérito JUSTIÇA E PAZ - CAPPAZ 2012 DRA.RETIJANE POPELIER - Advogada, Presidente da 15ª Subseção OAB/BC-SC - Confreira Honorária CAPPAZ
- Seccional Balneário Camboriú/SC

- Mérito ARTE-CAPPAZ 2012 - MIRIAN ARCENO ROCHA - Artista Plática, Confreira Apoiadora CAPPAZ - Seccional Balneário Camboriú/SC-Título da obra-Justiça (exposição no local do Evento)







CIRANDA ESPECIAL

-JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS -

Encerramento

Dos cárceres*

Os erros, os crimes, as grades, a Rua do Desespero
Isso tudo são cárceres
Há jaulas para leões e lobos, homens e mulheres, pássaros e peixes
Há calabouços perdidos, portas cerradas, chaves esquecidas
E uma multidão se espreme nesses esquecimentos perdidos
Enferrujam metais e o tempo gasta-se tentando rebentar à liberdade
Dentro do homem e da mulher o cárcere cega e aponta-os - culpados!
A cela transborda espectros
Amontoam-se pedaços de gentes a falar ausências
E palavras ali desenham medo, loucura, fome e também liberdade
Nem todos estão presos no corpo retido
São cercas, farrapos, muros aos olhos da rua
Uns imaginam, outros sabem, outros sentem
Sentem e sabem sob o sol contado dos dias
Uniformes, comida azeda, sujeira, indignidade
Isso tudo são cárceres
Não ter pai, mãe, escola, nem mão estendida
Nem carinho, nem soluço que lhe caiba
Isso tudo são cárceres
Poderiam fechar-se todos os edifícios de amarrar, de encarcerar
E ainda assim veríamos os cárceres nos olhos dos homens e das mulheres
Nos olhos de quem não consegue mais um passo dar por prender-se à consciência encarcerada.


Odilon Machado de Lourenço
Florianópolis/SC - 23-11-2012.

* O poema escrito, especialmente, para declamação dia 07/12/2012 - 11:00h frente ao ex cadeião da rua Inglaterra, durante o Evento da OAB/BC/SC, em homenagem à sociadade civil



PARTICIPAÇÕES

01.
Sublime Iustitia

Maravilhosa Iustitia, deusa sublime.
Contemplo-a em meus sonhos,
Tão longe do tangível,
Mundo que vivo, a te esperar.
És igual a tudo
E diferente do nada.
Luz que irradia como ouro,
Valiosa és tu tesouro,
Perene és tu minh’água.

Com coragem e lucidez,
És forte, és espada.
Examinando a confiança
És igualdade na balança.

Teus cobertos olhos,
Ti aguçam a ouvir,
O futuro e o porvir.

Com o equilíbrio,
Firmes estão em tuas mãos,
O protótipo e a solidificação.

E no livre arbítrio eis-me a olhar,
Se foi Aristóteles ou Aquino,
Que te veneraram ou revelaram.

E como incenso,
A alma inspira,
Deusa, musa Iustitia,
Imprescindível, definida,
Por mim, por todos, tão querida!

(Celeste Farias Dias, 10/11/12)



02.
JUSTIÇA


Até parece uma quimera,
mas eu confio na balança,
garantindo a ética e a moral.
Meu coração ainda espera,
pleno de fé e esperança
que a Justiça supere o mal.

Dezembro de 2.012
Fernando Alberto Salinas Couto
Advogado-SP



03.
Será o FIM da justiça?

Todos nós sabemos como a educação nesse Brasil anda claudicando, tantos projetos e oportunidades, para no final o aluno sair ainda despreparado para a sua vida útil.
Depois do ensino médio as pessoas ingressam na faculdade, nos idos de antigamente quando o vestibular realmente selecionavam os candidatos, eles tinham que se preparar muito, obter uma bagagem para ingressar na faculdade, foi a época de ouro para os cursinhos de pré-vestibular, eles eram praticamente o primeiro portal para a universidade, muitos alunos, principalmente aqueles advindo de escola pública utilizavam esse meio para se equipararem ao ensino particular, onde muitos deles já forneciam terceiro ano do ensino médio com pré-vestibular.
Isso foi antigamente, nesse nosso início de século, as pessoas encontram em tese mais facilidades, é faculdade em tudo quanto é canto, tem faculdade que o vestibular é no final de semana, com inscrição feita paga por quilo de feijão, na segunda feira a pessoa está aprovada no curso de Direito; outra o vestibular é o ano inteiro; outra você se inscreve pela internet e marca a sua “seleção” para quando quiser; outra tem curso pela Internet; outras só Deus sabe qual mais facilidade seria...
Assim nossos profissionais vão se degenerando, professores sem qualificação, profissionais sem licenciatura, passam a ser professores; médicos que têm medo de receitar, muitos precisam de programas de computador para digitar os sintomas e o doutor CPU receita o remédio, imprime e só falta assinar pelo médico.
Agora resolveram “atacar” os advogados, ou melhor o exame de ordem da OAB, dizendo que pouca gente passa, ora, isso já acontece em diversas profissões, aboliram praticamente o vestibular, as faculdades se multiplicam mais que formigas, resultando numa queda na qualidade dos profissionais. O órgão representativo dos advogados, que tem esse controle há cerca de quarenta e cinco anos, enfrenta pressão para abolir o exame, já pensou como seria para ganhar aquele processo de anos que se arrasta pela justiça com um advogado formado nos porões da padaria?

Marcelo de Oliveira Souza

Salvador/BA



04.
Clamamos por Justiça


Clamamos por justiça...
gritos e apelos...
Sentimentos e dores... desesperos...
Ainda há esperanças ??? Esperanças ???
Sintam as derramadas lágrimas...
Sobre as faces das crianças...

Clamamos por justiça... gritos e apelos...
Queremos direitos e não conselhos...
As vidas, as casas e suas janelas...
Seriam todas belas... se cada sol...
Não fosse desigual... e aquecesse todo ser...

Clamamos por justiça... gritos e apelos...
Os que viajam estradas retas...
Não querem contra-mão...
Respeitamos sinais de alerta...
Passo s firmes nesse chão....

Clamamos por justiça... gritos e apelos...
Ainda acreditamos... que amor é pra quem ama...
Por isto o apelo... aos homens de coração...
Homens de respeito... exemplos aos cidadãos...
Queremos somente justiça... e paz para a nação...

PAMPOETA

Campinas/SP




05.
Justiça e Direitos Humanos

Como podemos falar de justiça
E ainda mais direitos humanos
Quando ainda encontramos
tanta descriminação!

Como fazer justiça
Se o povo luta contra a desnutrição
E a falta da educação!

Como falar em direitos humanos
Se muitos morrem simplesmente
Por serem pobres

Enquanto os nobres
Vivem de suntuosidade
Esquecendo que sua soberba
Provem da labuta árdua diária
Da maioria da população!

Não adianta Direitos Humanos
Se não houver sinceridade
O povo
Não necessita de caridade!

Mas que seja realmente
Tratado com dignidade
E igualdade
Educação, saúde e salário digno

E que a lei funcione realmente
Da mesma forma
Para o simples e sofrido cidadão
E para os que se declaram donos da nação

Vamos provocar a nova revolução
Transformar os Direitos humanos
Em algo real
Não uma mera embromação

Façamos com que as leis
Sejam realmente cumpridas
De forma igualitária
Sem hipocrisia

Vamos abolir
A famosa Lei de Gerson
Gosto de levar vantagem em tudo,
Leve vantagem você também

Marco A. Amado

Ilha do Governador/RJ



06.
"O Alibi dos Ilibados"

Processos chegando ao fim
na barra dos tribunais
E o povo só quer justiça,
ver punidos estes vermes
criminosos, marginais

Mas o grande poderio
nunca será condenado
Tem estratégias, alibis,
advogados do diabo
Sai airoso disto tudo,
bem mais rico e ilibado

São senhores influentes
que estão acima da lei
silenciam magistrados
que metem rabo entre pernas
engolem provas que têm

Quem paga é o cidadão
que trabalha honestamente
São corruptos, são pedófilos
uma raça anti-ser
a quem´inda é dado crédito
e estatuto de gente

E pelos danos causados
recebem indemnização
A justiça faz-se cega
é corrupta e manobrável
E o povo vai consentindo
que o País tome este rumo
da vergonha e do descrédito

O povo só quer verdade
doa ela a quem doer
Todos pr´o raio que os parta
Fora os lobbies!
Fora os tachos!
O terror e a opressão!
É pior do que o fascismo

Que a justiça seja célere
e aplique a equidade
Implacável, incorruptível,
não se deixe manobrar
Para podermos ter orgulho
da nossa pobre Nação
e alguma motivação
para poder acreditar

Maria Fernanda Reis Esteves
Setúbal
Confreira por Portugal



07.
“Justiça e Direitos Humanos“

Jaz constantemente neste meu intenso coração,
Um bater sonoro, ansioso, eficaz, terno, audaz.
Será apenas o reflexo físico para o meu sangue?
Tum, tum, tum, ele em compasso assim me faz,
Inquietando-me este “ser“, que em vão procura
Cedilhas, que só dentro das palavras se usam; e
Atenta, falar de Justiça e Direitos Humanos, Paz.

Entre os humanos, QI maior deste planeta Terra,

Defendo o que nosso Pai Celeste, amorosamente,
Intrinsecamente em cada Homem, ELE nos legou:
Representar, preservar o que Deus tem nos dado,
Evangelizar, construir, elaborar em todos nós seu
Intenso perfume, água viva resplandecendo luzes.
Todos irmanados, buscar um reino em si mesmo,
O livre arbítrio implantar na ética que nos conduz.
Sofrendo, sorrindo, amando, feliz a paz semeando:

Humanidade em espírito, as tarefas intensas de luz
Unificando raças, credos e classes, ter cooperações.
Misericórdia aos aflitos em abismos escuros caídos,
Amor, brandura e disciplina, ternura sem omissões.
Nos ciclos vitais da vida que nos chegam ao destino
O inesperado atordoa estejamos preparados ou não
Sede Luz, Verbo, Justiça, Direitos Humanos se faça;
(e assim, teremos uma abençoada Nação.

Roseleide Santana de Farias
15 de novembro de 2012
(data comemorativa da proclamação da república)


Cabedelo/PB



08.
O A B


Salve OAB - Farol da Justiça.
Advoga o integral direito
à plena democracia.

De mãos dadas, lidera
as boas causas.
Acolhe perseguidos - bandeira
dos Direitos Humanos.

Espírito e corpo da Lei,
bússola orientando a nau
do continente, apontando
ao porto da justa ordem.

Olhos atentos,
mão que atravessa o século
fortalecendo o país.

Haydée S. Hostin Lima
Santa Maria/RS



09.
Justiça e Direitos Humanos


Balança tradicional
Com Justiça e Direitos Humanos
Mesmo com som de fanfarra
É bastante sensacional
O povo esta bem desconfiado
Não suporta tanta bala perdida
Nem sangue jorrando dos filhos
Querem um julgamento com direitos
E uma melhor consciência humana

Varenka de Fátima Araújo

Salvador-BA



10.
Seja... Justiça


Seja... a mão estendida ao braço amputado
A luz que outrora deixaram de ver...
Também os pés que conduzem o aleijado
E a canção que o surdo, ouvir...deixou de crer

Seja...o grito calado do mudo inocente
O perfume que a flor já murcha, não tem
A terra que acolhe desiludida semente
E chuva que cai sobre a seca...amém

Seja...o sinal de que se pode nascer
Acenando otimismo à tantas crianças
Que chegam e temem o tal do morrer
Tão frágeis, tristonhas e sem esperanças

Seja...a confiança do exausto idoso
O leito do corpo doente em findos dias
A sombra que proteje do sol impiedoso
E o banquete do miserável que não teve iguarias

Sejas tu...JUSTIÇA...sem fim ou cansaço
Do lado direito do homem...seu braço

Valéria Lisita

Goiânia/GO



11.
O testemunho dos justos


Justiça será feita nos céus e na terra
Justiça será feita no tempo devido
Justiça será feita na terra e no mar
Justiça será feita aos bons e maus

Foi armado o tribunal celestial
Pois é tempo de julgar os povos
O acusador tomou o seu lugar
Mas o advogado tem grandes testemunhas

Disse ele em espírito:
Aquele que me confessar diante dos homens,
Eu o confessarei diante do meu pai, que está nos céus

Esse é o testemunho dos justos

O Senhor é a minha justiça
Essa é a canção que vou entoar
O Senhor é a minha justiça
Essa é a glória que vamos eternizar

Cristiano Souza

Salvador-BA



12.
Missão Angelical

Deus na sua infinita bondade envia para a terra um dos seus anjos mais ilustre que faz parte da sua equipe celestial, para que ele pudesse analisar de perto como funciona a Justiça e os Direitos Humanos no planeta.
A primeira visita foi nas penitenciarias, tendo em vista que elas foram construídas para recuperar as pessoas que partiram pelo o caminho do crime, e assim, devolvê-las para a sociedade como homens e mulheres de bem.
O anjo se decepciona e chora de tristeza ao observar que nas penitenciárias seus irmãos vivem de forma tão desumana!
O enviado de Deus volita, alçando os céus, saindo daqueles lugares superlotados, mas vazios de amor!
Ele resolve visitar os hospitais públicos, ali sim, iria encontrar a Justiça e os Direitos Humanos, porque eles foram construídos para atenderem as pessoas enfermas, principalmente aquelas de pacos recursos, porque os próprios governantes prometeram nas campanhas políticas.
O anjo se decepciona e chora mais uma vez de tristeza, ao assistir em alguns hospitais, seus irmãos viverem de forma tão desumana, desamparados, abandonados.
O anjo dos Céus parte para outra direção, agora está nas escolas públicas locais importantes para a educação das crianças de classe média baixa, e assim, transformá-las em cidadãos e cidadãs de bem.
O anjo se decepciona e chora de tristeza ao perceber que em muitas escolas públicas, as merendas são desviadas, materiais escolares de péssima qualidade, tendo em seus quadros profissionais trabalhadores não qualificados,isto acontece porque aqueles que deveriam administrar com amor a causa pública dão as costas e não aplicam as verbas necessárias para o aprendizado dessas crianças.
O anjo sai cabisbaixo, volitando baixinho, pensando como fazer o seu relatório para Deus, o Pai de todas as criaturas. Então, resolve a noitinha sentar numa praça que tinha um aspecto bom, iluminada, e começou a rabiscar os seus apontamentos, quando o seu olhar se depara mais adiante com meninos e meninas, ainda adolescentes dormindo na praça, fumando crack, e tantas outras drogas destrutíveis, dizimando seus corpinhos infantis. E ali, ao redor, prédios com seus apartamentos luxuosos, imponentes, varonil, demonstra sua altivez acolhendo famílias de classe social alta que dormem em seus colchões confortáveis, majestosos, esplêndidos.
O anjo ora fervorosamente a Deus e conclui seu relatório dizendo: Infelizmente em alguns locais do planeta Terra não encontrei a Justiça e os Direitos Humanos. É preciso enviar urgentemente exércitos do bem em missão, para implantar na Terra a balança do amor,recheada de direito a vida, direito a infância, a igualdade, a educação, trabalho, saúde e tantos outros. Que estes missionários possam ensinar aos terráqueos que realmente todos são irmãos. Dessa forma, não teremos mais assassinatos, assaltos, raptos, desonestidades, fome, pessoas sem tetos, drogas e todos compreenderão a Declaração Universal dos Direitos Humanos:
“Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação uma às outras com espírito de fraternidade”.
Ass. Anjo Caridade.

Deomídio Macêdo


Salvador/BA



13.
Justiça e Direitos Humanos


Como é difícil equacionar, ser justo.
Os direitos são muitos, de uns e de outros.
Direitos de uns prejudicam a outros.
Todos querem respeito a seus direitos.

Professores têm direito a licenças;
Alunos, o direito a ter todas as aulas.
Quem, então, dará essas aulas?
Quem fará o trabalho do que foi para a aula?

Direito a dizer sua palavra: livre expressão.
Direito a ser respeitado em sua situação.
A fala de um fere a outro, inibe a ação.
Como equacionar essa questão?

Aluno não pode contestar e reclamar.
Agindo assim, desrespeita o professor.
Professor pode gritar contra o diretor ?
Este não pode advertir aluno e professor?

Onde está a justiça, meu senhor?
Cada um busca somente seus interesses.
Todos têm direitos e razão; nenhum amor.
A justiça está no desapego, na verdade.

Salomão nos ensinou a colocar a questão:
Quem está disposto a sacrificar, renunciar
Para muito bem ao outro, ao mundo, gerar?
A justiça real se dá quando se faz essa opção.

Judite Krischke Sebastiany

Porto Alegre/RS



14.
Justiça e Direitos Humanos


Ora reclamamos que não há divulgação.
Ora reclamamos do escândalo, corrupção.
Quando chega ao judiciário, vai ao ar.
Todos tem idéias, todos querem opinar.

A justiça humana é falha, limitada.
Muitos interesses se cruzam.
Poucos se reconhecem inaptos.
Poucos se retiram para qualificá-la.

Justiça pedem o aluno e o professor,
Justiça pedem o pai e o promotor.
Justiça pede o advogado ao acusador.
Justiça pede o povo ao Tribunal Superior.

Questão antiga, desde o início do mundo.
Adão e Eva quiseram tomá-la para si;
Pensando fazê-la, Caim matou Abel;
Em seu nome, Esaú irou-se contra Jacó.

Quem estava com a razão?
Será que cabia essa punição?
Crimes pequenos e crimes grandes.
Infrações de consequências fatais.

Leis aprovadas que foram mal feitas,
Com vícios de origem: corrupção!
Recursos, revisões, debates, pleitos.
Onde está a justiça? Quem tem a razão!

Cada caso é um caso, cada dia é um dia,
Cada vida com sua história pessoal,
Cada réu, cada juiz, advogado e promotor.
Cada jurado com sua opinião. Justiça?
Talvez sim, talvez não!

Judite Krischke Sebastiany

Porto Alegre/RS




15.
Senhorita Justiça


Senhorita Justiça esteve em minha casa
Apresentou-se bela e justa como é pertinente à sua causa
Nos seus olhos não havia venda
Mas senhorita Justiça tendo olhos grandes e belos nada via
Precisou ser conduzida senhorita Justiça
Conduzi-a pelas escadas
Avisei-lhe das flores, falei-lhe seus nomes
Estiquei uma rede na varanda para que senhorita Justiça
pudesse descansar de sua faina
Senhorita Justiça sentou-se à mesa comigo
Saboreou, elogiou e disse-me: - Pena não ver a cor do amor de suas mãos
Conversamos justas horas e senhorita Justiça desejou ir embora
Despedimo-nos no portão da casa
Senhorita Justiça apesar de não ver sabia seu caminho
Fiquei observando senhorita Justiça indo
Parecia ver muito bem o caminho
Parecia até que não era cega a senhorita Justiça.
21-11-2012.

Odilon Machado de Lourenço

Florianópolis/SC



16.
Por justiça


Endurecida de injustiças segue a caricatura desenhada de violências
Quantos crimes cabem nesse desenho?
Por mais borrachas passadas
Por mais traços novos o desenho não muda
Renova-se a caricatura da guerra
Da força cruel da bomba
Do assassino que ontem foi notícia de sangue e hoje fala da paz
que virá talvez depois de amanhã
Depois de amanhã passou ontem e a paz não veio
A paz servia ontem como palavra
Hoje a paz está ausente de sentido
Perdeu a liberdade a paz
A paz foi privada de ser paz
Caluniam a paz, dizem coisas da paz
Quem nasceu anteontem não saberá o que é paz
Porque a paz foi vencida e ultrajada
Quem sabe mês que vem a paz ressurja debaixo dos escombros
Se houver mês que vem há esperanças
Uma pequena esperança de reconhecermos a paz
Que a esperança não mude o sentido de esperança
Que haja justiça na esperança da paz.

20-11-1012.
Odilon Machado de Lourenço

Florianópolis/SC



17.
Evidência


Tentar desabrochar ideias
Formalizar sonhos
São atos constantes de uma civilização.
(Oprimida população)

Desacreditada
A este mundo atual.

Formalizar Leis
São atos dignos aos responsáveis
Por uma nação.

E o que fica em evidência
Estampado ao manto
Verde e amarelo
São pontos de interrogação

Onde

Corrupções
Difamações
Discriminações
Mensalões
E outros tantos “ÕES”

Transcendem obstáculos
Dia após dia
Ganham espaço
Pela ineficácia das leis
...
Existem?!

Malú Ferreira

Salvador/BA



18.
Liberdade, Direito, Justiça

A liberdade é o bem supremo que a vida nos dá. (É o fundamento da vida.) O amor é a finalidade o objetivo da vida. Assim na vida, a verdadeira liberdade é a liberdade em direção ao amor isto é, a liberdade responsável, conquistada pela educação que dá importância, respeito e valor a pessoa humana, e respeito ao bem comum. A liberdade não machuca a pessoa do outro, porque respeita, também sua própria liberdade. “A liberdade consiste, pois, em que nossa vontade dirija sozinha as nossas ações, e seja detida quando ofender as bases das outras vidas, quetambém têm direito de dirigir suas próprias ações, pensamentos e aspirações.” “Na educação é que se encontra a medida a que se devem submeter as liberdades que devem conviver sem se destruir”. Então, a verdadeira liberdade é uma conquista da educação, que se alcança através de um contínuo amadurecimento. Do contrario a liberdade é uma ilusão podendo levar a abusos. Entretanto, é necessário que a sociedade crie regras que limitem a liberdade pessoal, quando esta não se harmonizar com os direitos de todos, e com a dignidade do ser humano.
“Direito quer dizer que se dê a cada um o que é seu.” “O seu é tudo aquilo que está ligado a alguém por uma relação de finalidade de modo a servir a seu uso exclusivo.”
“Justiça é reconhecer o seu de cada um; que é o que lhe pertence por merecimento, e não simplesmente porque tem direito; é uma relação pessoal de acordo com os fins da vida.” E o fim que se busca é o bem comum. Atingindo-se o bem comum, encontra-se a justiça.”
A finalidadede amar a outrem se baseia na capacidade de nos respeitarmos a nós próprios. Quem não tem amor para dar; quem não tem tolerância e quem se recente de uma educação adequada, dificilmente encontrará o caminho para uma liberdade consciente em busca do direito e, consequentemente, da justiça. A educação verdadeira começa em casa, bem ou mal, principalmente pelo exemplo, e a escola seria um complemento dessa educaçãojá existente, e, como já disse alguém: “ a educação é aquilo que fica do que se esqueceu”.

Narciso N. Sebastiany (Médico)


Sobradinho/RS

19.
Justiça


Igualdade ao cidadão
Respeito ao pleno direito
Alarde, primeiro preceito
Em toda Constituição

Estátua de olhos vendados
Em prol da legalidade
Pensamento enquadrado
Em tela de Liberdade

Pintada em tintas à óleo
Obra de distinção
Não admite monopólio
Coma a espada na mão

Balança, equivalência
Serenidade ao julgar
Patrimônio das inteligências
Para verdade aforar

Sidney Santos
Santos, novembro de 2012
Poeta Dos Sonhos



20.
Paz Afinal


Clamam aos céus
por todos os cantos,
em todos os credos,
por todos os séculos
em pedidos de Justiça.
O Planeta, em muitos tons,
mostra-se e pede socorro.
E dá o Justo, em Sua Sabedoria,
a depuração: só querer ver,
participar, estão aí os sinais.

Estela Frutos Braud

Balneário Camboriú/SC



21.
Data venia, Senhora Justiça!


Com licença poética, dirijo-me à Justiça
Cheia de protocolos, normas, leis e regulamentos
Ainda distante do povo, mera injustiça
Mas é a esperança de todos, almejada em meus pensamentos!

Data venia, Senhora Justiça
Igualdade, direitos humanos e imparcialidade
São os caminhos para que execremos a injustiça
Difundindo entre nós a livre expressão, prudente liberdade!

Justiça , direitos humanos e igualdade
Andam de braços dados na formação de cidadãos
Não podemos dissociá-los , o que seria tamanha deslealdade
Homens, mulheres, jovens e crianças sonham juntos, como irmãos!

Queremos uma justiça cega, surda e muda
Precursora dos direitos por igualdade, fraternidade e liberdade
Que sejamos libertos dos grilhões da injustiça miúda
Data venia, Senhora Justiça, reine soberanamente em nossa cidade.

Queremos um dia bradar: Justiça, fonte de Paz!
Unamo-nos em ideais, sonhos e lutas
Façamos que a Justiça impere e que a injustiça, aqui jaz!
Data venia, Senhora Justiça, continuaremos esperançosos e em constantes labutas!

Weber Müller

Marataizes/ES



22.
JUSTIÇA PARA TODOS


Falar de justiça é complicado, ainda mais pra mim que não tenho conhecimento em direitos, não sou especialista técnico no assunto, mas sei que se com a justiça que se aplica já existe injustiças então fico imaginando se não existisse a aplicação da lei como seria.
Mesmo assim acho que muitas leis deveriam ser mudadas.
Deveria existir mais aplicação dos parlamentares que criam elas analisarem melhor antes de votarem um projeto de lei para que a justiça fosse mais justa para todos.
Hoje vimos que a influencia do dinheiro ainda facilita para quem tem o maior poder aquisitivo e de barganha no meio judiciário, diminuindo a pena e proporcionando mordomias para quem tem um diploma ou imunidade, descriminando as pessoas de menor poder, deixando-as de fora da verdadeira justiça que deveria ser para todos de igual tamanho.
“Os direitos humanos” Não era preciso existir se existisse justiça de verdade. Isto mostra a fragilidade que de forma alguma e testemunho do poder de julgar com respeito e dignidade.
Que nos não precisássemos criar mais entidades de defesa dos direitos dos seres humanos, meio ambiente, animais etc.
A justiça deve ter seu poder soberano e justo sobre os homens.

Edecio Mergener


São José dos Pinhais/PR



23.
Justiça e Direitos Humanos


Espera-se que o Direito romano,
em luta eterna, com denodo seja
o guardião de todo ser humano,
um braço forte em qualquer peleja.

Mas o Direito não age sozinho,
ele precisa de ajuda eloquente,
de outro poder e com muito carinho,
é da Justiça, fada consciente.

E caminhando assim, buscando o Bem,
encontrarão a Paz, fada madrinha
de todo Amor e Verdade também.

Com os olhos cegos não recusam liça,
assim se tornam o rei e a rainha,
do ser humano que aspira JUSTIÇA!

Carlos Reinaldo de Souza

Conselheiro Lafaiete/MG



24.
Incandescente


Segue o rumo decente
Traz a certeza para perto
Conduz o correto
Desvenda o incerto
Joga fora os rumores
Decide só o bem
Nunca viola o certo
Sempre é plena
Irrevogável
Decidida
Nunca vulnerável
Forte
É cega
Porém cheia de luz
A JUSTIÇA

Rosana Carneiro

São Paulo/SP




25.
Justiça e Direitos Humanos


No ambiente que nasceste
recebeste dos pais a educação
amparado em farto lar...
Outros...Sem moradia e tudo a lhes faltar!
criados ao relento e servis à exploração...
faltando-lhes qualquer apoio; de nada sendo dono
ingressam na vida do crime, ou são jogados ao social abandono

Quantos são aqueles de especial talento, alcançando sucesso?
incentivados pela mídia sentem-se nobres!
vivem em luxuosas mansões
quando outros são simplesmente pobres
sem oportunidades de progresso
sobrevivendo da fé, sortes e dissimulações!...

Do menor sentimento de amor
do mais necessitado ao seu senhor
assim teríamos presentes em nosso meio
a prática dos ensinamentos de JESUS, Nosso Senhor
vendo-se assim teríamos a certeza; e não o receio

Veríamos no mais pequenino irmão
a pessoa de JESUS CRISTO ao darmos o pão
De DEUS sendo todos filhos seus
atos esses não seriam em vão!
não somente o pão darmos, podendo também o abrigarmos

Conferir com justiça e igualdade de direitos
a todos os seres sedentos do reconhecimento dos seus valores
sem preconceitos de religião, raça ou cor
aplicando-se a lei que segundo dos antigos romanos teve seu fundamento!
sagrados seriam assim a todos em geral os “Direitos Humanos”.

Otoniel – (J.O. Poeta)

Jandira/SP



26.
A Tristeza do Tião

Tião, no banco da praça lá da cidade onde mora, doente, pobre alquebrado, sua vida rememora. A escola, o clube, a igreja, no construir se fez presente!
Pregando, pintando, erguendo, trabalhando bem contente. O salário sempre escasso mas, a esperança de um dia ter um cantinho só seu, mantinha sua alegria.
A casa, não conseguiu... seu sonho grande utopia: agora,velho e doente nem mais vive a fantasia de que sendo aposentado, consiga ter condição de viver dignamente, sendo ele um cidadão, que deu "murro" a vida inteira nas obras, na construção, nas fábricas, nas madeireiras, e nos campos plantando o chão...
Tião encara as mãos pesadas! Retratam o que viveu; as suas faces marcadas, revelam o que sofreu. Tarefas com frio e chuva, sem almoço, sem café... perigo, insalubridade, e sempre mantendo a fé. Pensava que tudo um dia haveria de mudar... mais tarde, por certo a vida poderia melhorar.
Tião, no banco da praça sente as lágrimas rolando e, suas mãos calejadas devagar as vão secando.
De que valeu o trabalho com tanta dedicação se lhe apresenta o fracasso, a miséria e humilhação??????
Que fazem os que governam com seus rijos corações, explorando o suor dos pobres, sem lhes dar compensações? Cuidar do assalariado é JUSTA necessidade, pois ele com seu trabalho faz crescer a sociedade.
Bernardo, Paulo, Maria, Marcos, Claudete e Romão, todos eles, construtores do progresso da Nação. Pobre Tião... que Deus veja a tristeza do seu pranto o transforme em conquista, doce bênção de acalanto ao HOMEM que luta e sofre no labor que enobrece, lhe dando Justa JUSTIÇA, o que por certo MERECE!

Silvia Benedetti


Porto Alegre/RS



27.
Justiça


Desejos de todos:
Vida digna,
Alimentação,
Moradia,
Educação,
Trabalho,
Quando teremos uma sociedade mais igualitária?
Quando a justiça vai atender ricos,pobres , miseráveis?
Dar o que cada um tem direito como ser humano.
Justiça, seja justa com todos.

Fátima Peixoto

Cabedelo/PB

Texto elaborado para ciranda CAPPAZ



28
Justiça, ó Justiça!


Justiça, ó Justiça, tão desejada
Nas famílias e nos tribunais do mundo
Chamam-te em vão... Não és encontrada
O anseio da sociedade é profundo.

Vejo criminoso sem punição
Leio condenação de inocente!
Por que? Será falta de formação?
Ou, o saber é insuficiente?

Que a Justiça tarde, mas não falhe...
Na busca dos principios constituicionais
Para aplicacão das normas legais

Justiça distributiva não tolhe
A execução da Justiça em Paz
No alcance da Justiça eficaz!

Salve, ó Justiça! Serás vivenciada
Porque és Themis com visão vendada!

Joyce Lima Krischke

Balneário Camboriú/SC, novembro de 2012













|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

Arte e Formatação Joyce Lima Krischke
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados