5ª CIRANDA MENSAL CAPPAZ - PAZ NÃO TEM IDADE

 

 

 

Introdução

"Paz não tem Idade!"

A Paz é uma mão-bebê... Gorducha, leve, inocente...
A Paz é uma mão-vivida... Calosa, experiente, enrugada...
O Homem, desde que nasce, tem todas as Idades.
Essas Idades são as Fases de sua Vida... Assim, como tem a Lua suas Fases.
O Homem nasce, cresce, sobrevive e morre... na Carne.
Todavia, sua Alma é Imorredoura. Seu Espírito: Imortal!
Na verdade, então, o Homem não tem Idade.
Embora possa se revestir de todas Elas!
E por ser o Espírito Imortal, também a Paz não tem Idade
– embora, metaforicamente – tenha todas...
Paradoxalmente, então, e ao mesmo tempo: todas e nenhuma...
Na Eterna Ciranda de Chegadas e Partidas, o Homem é um Viajante, um Peregrino:
a Paz, no entanto, permanece... É o aqui e o Agora. O Ontem, o Anteontem e o Advir...
A Paz sou eu que escrevo. É quem me lê. Somos todos nós a Paz!
Basta, para isso, que sejamos – efetivamente! – Adeptos da Paz!!
Nesta 5ª Ciranda Cappaz, “A Paz não tem Idade”!
Aqui, a belíssima metáfora do engatinhar e da bengala...
Da Infância e da Velhice...
Do Aprendizado e do Saber...
Da Mão Gorducha e da Mão enrugada...
Enfim, que cada CAPPAZ faça suas próprias ilações metafóricas.
Teça suas próprias imagens...
Crie seu Imaginário próprio e... nele viaje!
Que esta seja mais uma Ciranda de Luz!
Seja a Luz enruivecida do Sol que, bochechudo, chega sorrindo das
bandas do Leste – numa Alvorada Sagrada de Fogo e Paz!
Seja a leitosa Luz da Lua que, diáfana e sensual, perambula pelas madrugadas
– com silenciosos passos de Mulher Etérea: e é Amor e Paz!
Sejamos, pois, o Sol e a Lua e as Estrelas... Sim, as Estrelas
- estes intermitentes Diamantes de Deus: Pirilampos com suas minúsculas e devotadas Lanternas...
Centelhas Vivas a iluminar os Caminhos da Paz
– esta Paz Universal com a qual Deus arquitetou Sua Obra-Prima
e o Sem-Fim indescritível do Universo!


J. J. Oliveira Gonçalves/JJotaPoet@
Presidente Nacional CAPPAZ
Porto Alegre, 27 de outubro/2008. 09h47min – HS
jjotapoeta@yahoo.com.br  – www.jjotapoeta.art.br

Agradecimentos


Agradecemos a todos que participam com a CAPPAZ nesta caminhada de Paz e Bem!
Na 5ª Ciranda CAPPAZ, sob o tema - Paz Não Tem Idade!- procuramos manifestar nossa concepção de Paz, através de diversas expressões literárias, artes plásticas e fotográficas de nossos confrades e confreiras.
Agradecemos aos poetas e escritores em geral, artistas, educadores, socióloga, bióloga e demais integrantes da CAPPAZ,
que colaboraram com seus textos-poemas e prosas líricas, fotografias e demais artes, sem os quais nossa Ciranda não teria alcançado o sucesso que alcançou: 34 participações .
Agradecemos aos Presidentes das Regionais CAPPAZ: Aníbal Albuquerqu-MG, Aparecida de Lourdes Micossi Perez-SP, Sílvia Benedetti-RS e Regina Coeli-RJ, que, comprometidamente, participaram e repassaram nosso Convite para as rodadas da Ciranda - nossa bandeira de Cultura de Paz!
Cada um dos participantes, de modo especial, expressou seu entendimento de PAZ...

Agradecemos, também, à Anna Paes Leme Jota que auxiliou, não só na elaboração da arte da ciranda, como também deu início à mesma, atendendo a meu pedido, quando estive sem computador.
Agradecemos a paciência dos membros da CAPPAZ ao receber os diversos repasses em suas telas.
Recebam os participantes da 5ª Ciranda CAPPAZ, como lembrança de nossa roda poética, o selo de participação com os agradecimentos da Diretiva Nacional CAPPAZ e dos Presidentes das Regionais e Seccionais.

Ainda, muito emocionada - com o sucesso
deste caminhar ao lado dos CAPPAZ (es) -
depositamos o nosso agradecimento em suas mãos,
envolto em muita Paz e Bem!

Joyce Lima Krischke
Presidente-Fundadora CAPPAZ-BR

Relação dos Participantes


01 - Sidney Santos - SP
02 - BRita BRazil - RJ
03 - Milton Pantaleão - RS
04 - Eloisa Antunes Maciel - RS
05 - Rosa Athanasio - RS
06 - Silvia Benedetti - RS
07 - Lenir Castro - RJ
08 - Ana Teresinha Drumond Machado - MG
09 - Regina Coeli - RJ
10 - Léon Lambert - FRANÇA
11 - Saturnino de La Torre - ESPANHA
12 - Cida Micossi - SP
13 - Marco A. Amado - RJ
14 - Gladis Rodrigues Moreno - RS
15 - Regina Sant'Anna - RJ
16 - José Maria de Jesus Raimundo Silva - MG
17 - Terezinha Ofélia Nascimento Rennó - MG
18 - Gloria Dávila Espinoza - PERÚ
19 - Marina Martinez - RS
20 - Judite K. Sebastiany - RS
21 - Carlos Reinaldo de Souza - MG
22 - Jonas K. Sebastiany - SC
23 - Daniel Brasil - RS
24 - Candice Salerno Gonçalves - RS
25 - Maria de Lourdes Maia Gonçalves - MG
26 - Therezinha de Jesus Lopes - MG
27 - Karina Salerno Gonçalves - RS
28 - Joyce L.Krischke - SC
29 - João José Oliveira Gonçalves - RS
30 - Anna Paes - DF
31 - Kedma O'liver - SP

PARTICIPAÇÕES

 

01.
PAZ POR INTEIRO
Sidney Santos

Paz é o acalanto no berço
Forte da mão amiga
O inteiro do terço
Um amor sem intriga
É o brilho dos olhos
Espelho do coração
Águas calmas nos abrolhos
Do recife proteção
Paz é firme caminho
Traçando felicidades
Arraial de largo carinho
Nos becos das grandes cidades
No berço, no amor, no mar.
Nos olhos, corações, cidades.
A paz não pode faltar
Paz em todas idades!

Santos/SP

02.
PAZ NÃO TEM IDADE

BRita BRazil

A paz não tem idade
quando se tem liberdade
de ser quem se é
Sendo homem ou mulher

Crianças nascem com ela
só choram por um peito
Mas quando vão crescendo
Não querem ficar só comendo

E querem isto e aquilo
Vontades e mais desejos
Anseios e frustrações
Acabam em confusões

Ser feliz é tão simples
Tá lá dentro do espírito
A paz tão almejada
Já nasce no ser cravejada!

Rio de Janeiro/RJ

03.
PÁS
Milton J. Pantaleão

De muitas pás precisaremos
para cavar profundos buracos
durante anos a fio
tentando encontrar
a Paz que Adão escondeu.

O Senhor,
através de Seu filho,
implorou para que no mundo,
entre todos os povos,
reinasse soberana a Paz.

Essa Paz não tem idade
sua face é desconhecida
pois jamais os Homens
a mantiveram entre nós,
um dia sequer.

Quem se habilita a cavar
em busca desse tesouro escondido?
nossa Cappaz está distribuindo
aos pacifistas, a mancheias,
milhares de pás.

Porto Alegre/RS

04.
A ETERNA PAZ...
Eloisa Antunes Maciel


Talvez, desde os primórdios da existência humana, Ela tenha se apresentado aos homens como mensageira da esperança, embora sob diferentes aspectos e simbolizações.
Poderia ter-se feito representar por uma promissora réstia de luz após dias tormentosos e cinzentos, anunciando novos dias, novo tempo, sugerindo a superação da animosidade e a conquista da solidariedade e do convívio fraterno...
Não seria Ela representada num lendário episódio em que um guerreiro e sua tribo, ao perseguir inimigos declarados, deparou-se com uma bela luminosidade após dias escuros e tempestuosos?...
Esse legendário guerreiro, fascinado pela sensação de leveza desse inusitado bem-estar, não mais viu os antigos inimigos como ameaçadores contumazes... Ele reconhecera nos ditos inimigos apenas irmãos, descendentes de mesmos ancestrais, que erroneamente não haviam sido reconhecidos como membros de uma grande nação...
Ou (quem sabe) Ela estivesse representada pela placidez da aurora refletida em lagoa serena, a inspirar sentimentos de concórdia, entendimento, compreensão mútua e convivência fraterna entre os humanos...
Recuando a épocas mais remotas, pode-se imaginar que Ela tivesse sido representada pela tosca chama de uma fogueira em noite muito escura, uma vez que em torno dessa fogueira estariam reunidos desafetos que, irmanados pela claridade que os reunia, protegendo-os de inimigos ocultos, tendiam a vencer animosidades e selar um pacto de convivência, em favor da própria sobrevivência. E assim os ressentimentos teriam cedido aos apelos da fraternidade -- e esta teria iniciado o seu longo ciclo (ainda incompleto), tendendo a reinar sobre povos e nações, sobre todos os continentes,
e abranger Humanidade como um todo.
E, ainda que atualmente Ela seja simbolizada por uma pomba ou uma bandeira branca, o seu verdadeiro sentido deve ser consolidado a partir das mais diversas vivências humanas, sejam estas peculiares a grupos, países, comunidades, ou de uma abrangência maior a estender-se estende sobre a grande Família Humana, ou sobre a totalidade dos habitantes do Orbe Terreno...
Essas vivências têm um foco que se converte em fulcro: a fraternidade sem fronteiras.
Falamos da Paz Universal, ou simplesmente da Eterna Paz (que não tem idade); falamos da Verdadeira Paz, condição indispensável à preservação da humanidade do ser humano.

Santa Maria/RS

05.
A PAZ NÃO TEM IDADE SE TIVER NÃO É PAZ
Rosa Athanasio

Que idade tem a paz?
Ela existe?
Ela pensa, se pensa, pensa mal.
Se for mal é ruim e não traz paz
O que é a paz?
Pergunta o ancião em seu leito de morto
Moto pelo amor que sentiu.
Morto por sonhos que não realizou
E não os realizou porque precisava do outro
E o seu outro dorme em seu leito de morto
Sem se preocupar, sem sentir o que ele sente
E sabe por que ele sente?
Por que ainda sonha
Sonha com um mundo melhor
E esse mundo só poderá ser assim se
Aqueles casais que quando novos se apaixonaram e
Tiveram TESÃO um pelo outro
E depois se esqueceram do quanto exercitar amor ( no sentido bíblico)
É bom, portanto o Bom existe e ele vem como uma paz após o orgasmo
A idade para se ter PAZ, bom humor, alegria e felicidade é a idade do fazer amor
ASSIM O MUNDO, A VIDA E AS EXISTÊNCIAS TERÃO PAZ, pouco importa sua idade

Porto Alegre/RS

06.
PAZ...
Silvia Benedetti

No rosto da criança,
na face cansada do ancião.
No vôo das aves...
nas águas do remanso.
Paz...
No sino do campanário
nos acordes da sonata,
num olhar pleno de amor,
na cantiga da cascata.
Paz...
Sentimento que alma invade
tem uma força tamanha,
de mostrar que a vida é bela...
Bastando seres CAPPAZ,
de saberes conquistá-la ...

Porto Alegre/RS

 07.
PAZ NÃO TEM IDADE
Lenir Castro

A paz nasce do coração dos bebês
Dos gritos dos animais
Do alvorecer das manhãs
E do crepúsculo
Das horas que precedem
As luzes que se acendem,belamente,
Nas cidades.
A paz nasce no recôndito do
Nosso ser,
No silêncio da nossa conexão
Mais profunda com o Eterno
Com o Deus de todo o Universo!
A paz é o guia essencial
Dos homens
Que tentam, por agora,
Selar a tranqüilidade,
Dormir na "modernidade"
Agitada,
Barulhenta, fugaz...
Só a paz é capaz
De nos suavizar as horas,
Saudar "os que vêm de fora"
E tornar humanos
Os "incapazes" dos "planos de paz".
Unamo-nos: eu, tu, ele, nós, vós, eles,
Pois só a paz é capaz
De tornar a todos iguais
Salve os poetas da paz,
Salve a todos que
Lutam pelas igualdades sociais,
Equalizadoras e fundadoras da
PAZ!

Niteroi/RJ

08.
A PAZ É MINHA COMPARTE
(A paz não tem idade)
Ana Teresinha Drumond Machado

A paz declinou sobre mim
no dia em que fui concebida.
A paz permaneceu comigo,
Nas sugadas dos seios maternos.
A paz, ternamente, cochilou comigo,
no cantarolar das canções de ninar.
A paz comboiou meus passos
nas bizarras descobertas da infância.

A paz participou comigo
dos anseios e das incertezas de adolescente.
A paz amparou-me as lágrimas
na confissão do primeiro amor.
A paz se abraçou a mim ,
para uma maternidade serena.
A paz fez silenciou comigo,
para escutar meus lamentos interiores.

A paz acoplou-se a mim,
Para levar-me, plácida,
até à vetustez da bengala.

Mas, essa paz não é minha.
Esta Paz é Superior!

Alvinópolis/MG

09.
PAZ NÃO TEM IDADE!
(Duas Águas)
Regina Coeli

Nos sonhos de um bebê feliz, dormindo,
Moravam águas que entoavam, rindo,
Sons de cantigas meigas, pra acalmar
Um mar revolto em tenso marulhar...

Criança, viu seu barco escapulindo
Em águas que partiam, mas, sorrindo,
Prometiam, quem sabe, regressar,
Pra serenar, um dia, aquele mar...

Passados muitos sóis e muitas luas,
As águas que ninaram suaves sonhos
Voltaram ao velho mar das ondas cruas...

E o mar abriu seus braços tão tristonhos
E deixou entrar águas que eram suas
Canções de Paz, seus cânticos risonhos!

Rio/RJ

10.
"PAIX POUR TOUS LES ÂGES"

Léon Lambert

"Léon vous présente sa famille le jour de Noël"

SERS/FR

11.
PABLO, PORTADOR DE PAZ
Saturnino de La Torre

Pablo, Pau Huelin de la Torre, portador de paz,
Aurora de amaneceres nuevos,
Blancos vuelos de mensajera halada,
La paz que nos trae tu sonrisa de viento
Ondea en tu nombre cada vez que te llaman.

Heraldo de valores, promesas y esperanzas,
Umbral de afectos, portal de encuentros;
Esto eres para quienes te contemplan:
Luz, latido, sinfonía, embeleso, ...lucero
Iluminando conciencias que buscan
Nuevos horizontes, caminos nuevos.

Doras en cada despertar la casa que
Estalla de luz con la alegría de Irene,
La felicidad de tus padres y abuelos
Al admirar la armonía en la que creces.

Todo cobra sentido diferente
Oyendo el latir de tu sonrisa,
Remando mar adentro en tu mirada,
Recibiendo la paz de tu armonía,
Estrella de noche y lucero de día.

Agosto 2006.
Tu abuelo Saturnino

Barcelona/ES

12.
PAZ NAS DIFERENTES IDADES!
Cida Micossi

Que a Paz reine em todas as idades!
Que todas as gerações se irmanem
num abraço incontido
buscando a essência da Vida
em cada momento vivido.
À Verdade, ao Amor, à Paz, enfim,
digamos sempre “sim”!

Não às discussões domésticas,
à intolerância, à discriminação
e não ao racismo e à vaidade.

Crianças sejam respeitadas;
a elas garanta-se direitos iguais
como reconhece a Constituição
nos Direitos Universais.
Adolescentes sejam orientados,
jovens tenham direito a se manifestarem,
adultos possam formar seus lares
e mantê-los com dignidade assegurada.
Que aos idosos se ame
como ícones de sabedoria e experiência
e como formadores de famílias,
que foram passando à sua descendência
caráter e honestidade em sua trilha.

Que se unam as faixas etárias
irmanando-se e confirmando
o desejo de Paz.

02/11/2008 - Santos/SP

13.
PAZ NÃO TEM IDADE!...
Marco Amado

Duas consoantes e uma simples vogal
Unidas formam uma palavra de enorme...
Força e grandeza!
A que todos procuram:
PAZ!
Não tem raça...
Credo ou Idade·todos a querem...
Desejam e a buscam...
A Natureza... os animais...
Jovens, maduros e anciões
Por ela clamam
E perguntam como obter esta graça
Do Grande Arquiteto do Universo?
Não existe receita
Nem magia
Ela deve nascer espontaneamente
Crescer e solidificar
Sem falsas promessas ou delírios.
Unam-se não apenas dando as mãos
Mas com suas almas e corações
Ensinem a arte de Amar.
Mostrem ao Universo
Que é possível a Paz
Ela não é imaginação.
Mas, sim, uma Verdade!
Prove que você é CAPPAZ
Pois a Paz não tem idade!...

(Ocram 02/11/08)
Ilha do Governador/RJ

14.
A PAZ EM TODAS AS IDADES
Gladis Rodrigues Moreno

Não nasci ontem,
Vim com a efervescência da vida,
Com o nascimento do homem.
Outras vezes, penso que ainda nem vivi,
Mas sei que posso chegar com a sabedoria dos que amam,
E caminhar de mãos dadas coma humildade.
Do meu tempo não sei,
Nem da idade que me representa.
Pode ser a do recém nascido que procura o seio materno,
Da criança que corre,
Do jovem que caminha apressado,
Do velho que anda com dificuldade, alquebrado.
Por muito desejo que encontrem,
Mas por pouco se afastam de mim.
E quando penso que alguém vai me encontrar,
Logo esse alguém se perde, sem paciência para me cultivar.
Todos dizem que me querem em suas vidas,
Mas poucos me tomam como preferida.
Como podes me encontrar?
Procura-me no teu interior,
Na solidariedade com o teu irmão,
No amor incondicional,
Ou no simples orvalho da flor.
Queres me descrever?
Não o faças por metáforas,
Nem com palavras complicadas,
Sou simples, real, e quero ser encontrada.
Certa vez o Verbo se fez Carne, e neste mundo habitou,
Veio pata trazer-me, cheio de esperança,
Tentou colocar-me entre os homens,
Mas não O entenderam, então Ele se sacrificou.
Foi cuspido, injustiçado.
Crucificado.
E assim continuo minha caminhada,
Procurando um lugar para ficar,
Talvez um dia eu encontre,
Para nele fazer morada.
Quem sou eu? Chamam-me de Paz.
Caso pertenças aos que me procuram,
Encontre-me se és um CAPPAZ.

www.gladismreno.com

15.
Regina Sant'Anna

Paz, para sempre e toda eterna/idade

Imemoráveis tempos da humanidade
De raças sem precisa idade
Desde quando aos poucos perece a paz

A paz, legado do berço humano
Morredoura a cada ato insano
Perdida nas mãos do poder voraz

Paz, desejada paz em qualquer realidade
Nas atitudes de base fugaz
No beijo, no toque que tanto apraz

Paz, desejada paz no sorriso de tenra idade
Nos tempos da despercebida feliz mocidade
Na calada noite do corpo em "outonidade"

Paz, desejada paz em virtual e real plano
Nos palácios, casas, casebres e casernas
Para todas as almas terrenas e eternas: Paz, em paz!

16.
A PAZ NÃO TEM IDADE
José Maria de Jesus Raimundo Silva

a paz perde-se nas noites do tempo.
Navega sobre impérios,
Paízes, ruinas...
Desertos...
Mares e florestas.
A paz...
é fruto do amor.
Gera vida e felicidade.
A paz não tem idade.
É eterna...
É um presente de Deus,
Para ser vivida e respeitada.

17.
A PAZ ESTEVE COMIGO
Terezinha Ofélia Nascimento Rennó

A Paz esteve comigo
Desde eu pequenininha.
No lar, nosso humilde abrigo,
Um irmão, uma irmãzinha.

A Paz esteve ao meu lado
Quando coroei a Mãe-Rainha,
No altar de céu estrelado,
Rezei a longa Ladainha.

Em Paz me formei, e, por Deus,
Um grande amor encontrei...
Casei-me e, graças aos Céus,
Jovem mãe eu me tornei.

Na Paz, meu filho nasceu:
-Que tesouro, que amor!
Quanta coisa aconteceu
Entre a alegria e a dor...

Para conter o cansaço,
Inerente ao ser humano,
Muita Paz em cada passo,
Puro amor de Franciscano

O tempo passou de pressa,
A mocidade foi embora...
A visão pregou-me peça,
Já não vejo a luz da aurora,

Mas a Paz está comigo!
Bendigo a longevidade!
Feliz, eu digo e repito:
Gente!...A Paz não tem idade.

Terezinha Ofélia Nascimento Rennó - CAPPAZ
Presidente Seccional - Itajubá/MG

 

18.
GUERRA POR LA PAZ…
Dedicada al Prof. Ernesto Kahan,
Premio NObel de la Paz 1985 PAZ 2005
Autora: Gloria Dávila Espinoza (Perú)

Tamira yawarnin
Con lluvia de sangre
Qanan shamunga
Ahora vendrá
Qanang yachan
Ahora lo sabe
Imanantaq say runa?
¿Qué le sucede a ese hombre?
Imatag munayqan?
¿Qué quiere?
Sopla el viento
Y cae a bruces
Es noche en trance
Es día en nocturno
Me hurtan el polvo de mis días
No hay más sombra en mis pies
Que la suma errática de la luna
Resto entonces tus pasos
Caminos a los del mundo que
A Ernesto hoy lo llama
Hermano de mis células
Y pululando en kantos de ishpingo
En ríos sonámbulos de tanto no poder discurrir
sopla lluvia y sólo gotas de lluvia.
Tamia jirqan
La lluvia del cerro
Illapa nishgan
El Dios del trueno, del relámpago dice
Yawarnintaq puclanqan
Juegan con la sangre
Nishgan, qanan isan
Dice, ahora sí
Notapis yaparcushay
Yo también, también yo agregaré
Agashnintag,
Hasta las visceras
say mishti huanunga
ese hombre poderoso morirá
say misthi mana huanunga
ese hombre poderoso no morirá
huaytanow.
Como la flor.
Sucumbe la flor al tallo
Sus espuelas de gallo orlan la campana
No hay más entuertos que el parto de la tierra
El grito de bombas anacoretas
Falanges sin manos
En estaño y roble.
Mana mana
No no
Rumiatag qanan yargun
La roca hoy sale
Intino pachag pilltami
Como el sol con cien trenzas de cabellos
Aumi taitay
Sí señor
Ernesto Kahan nishgan
Ernesto Kahan dijo
Paz… Guerratapis.
Paz…Guerra también.

Tingo María, 3 de junio 2008
© Gloria Dávila Espinoza (Perú)

 

19.
A IDADE DA PAZ
Marina Martinez

Afinal o que é paz? Qual sua idade?

Para mim, paz não tem idade, nem sexo,
religião, partido ou credo.
Também não é ausência de guerras.
Creio que é atemporal, imperceptível, passageira.
Aparece em quase tudo e em quase nada.
Como o amor, dura seu tempo de chama.
Para ser, não precisa de tempo ou nexo.
Para existir, não necessita de água ou terras.

Como a felicidade, paz é impermanente
Tratados são feitos para cumpri-la,
Guerras são tratadas para defendê-la.
Alguém já cantou a paz de criança dormindo;
muitos, a paz da morada derradeira.

Acredito que, tal qual a prosperidade,
Paz é um estado de alma, sem concretude
mas pleno de essência e cumplicidade.

Se penso tudo isto, na realidade,
por que não consigo escrever sobre ela?

O que ainda não foi dito, em prosa ou verso?
Serei apenas mais uma voz tecendo preces
pedindo que a paz interior de cada homem
se una e transmute o caos do universo.

20.
A PAZ NÃO TEM IDADE
Judite K. Sebastiany

A paz é frágil

É como um castelo de areia
Que estamos construindo
E o vento vem desmanchar...
Nós teimamos em reiniciar

Construção pessoal
Com a técnica e o material
Disponível ou disponibilizado
Nunca um projeto fechado

É como uma nuvem
Que se forma do vapor
Se enriquece, robustece
Sofre frio e calor

Nuvem clara... quase nada
Nuvem escura... energia e força
Nuvem de chuva... fertiliza

Desmancha-se e se recompõe
Nuvem nova, recomeçada.
Paz: castelo de areia
E nuvem rala ou cheia
Paz sempre sonhada!
A cada momento almejada

A paz nunca faz aniversário
A Paz não tem idade!
Só tem quebra e continuidade.

21.
PAZ NÃO TEM IDADE
Carlos Reinaldo de Souza

Uma criança que chora,
buscando o materno seio,
a paz encontra na hora,
saciada em seu anseio.

Um jovem, em busca da vida,
procura refúgio amigo.
Se encontra, então, a guarida
fica a salvo do perigo.

Um adulto, em duro embate,
busca vitórias e louros.
Na derrota não se abate
e assim conquista tesouros.

Já velho, missão cumprida,
descobre a felicidade,
chega ao ocaso da vida,
vê que a paz não tem idade !

Lafayette - MG - 22/11/2008

22.
PAZ NÃO TEM IDADE
Jonas K. Sebastiany

Paz não tem idade
Nem paternidade
Mas caridade...
Sem paternalismo!

Balneário Camboriú /SC -23/11/2008- 01:00

23.
PONTE
Daniel Brasil

A Paz, sim, não tem idade
E muito longe ela alcança
Atravessando o horizonte
Formando uma grande ponte
Entre o idoso e a criança.

São as leis do Universo
Que realmente nos governam
Ditadas pelo Criador
Só onde existe Amor
A Paz se torna eterna!

A gente semeando a Paz
A bom caminho conduz
Perseverança, sapiência,
Humildade e paciência:
Achamos a própria Luz!

A Paz é uma grande força
"Aos homens de boa vontade"
Chovesse Paz sobre a terra
Não haveria a maldita guerra
Nem ódio na Humanidade!

Porto Alegre, 24.11.2008.
12h15 - HS

24.
DISCURSAR SOBRE A PAZ...
Candice Salerno Gonçalves

“Discursar sobre a paz: tarefa muito fácil!
Difícil é praticá-la no dia-a-dia
Permitir que saiam da nossa boca apenas palavras de calma e luz
E, na dúvida, cultivar sempre e cada vez mais o silêncio...
Ao invés de semear palavras amargas e raivosas
Que alimentam a guerra, as intrigas e a depressão...
A paz, que cura mágoas e traz consigo o perdão,
Antes de estar em qualquer lugar
Está na nossa alma, sacramentada em nosso coração.
A paz não tem tempo, nem espaço, nem idade,
Mas se faz onipresente
Sempre envolta na pura luz
Daqueles que acreditam na justiça e na verdade.”

25/11/2008

25.
A PAZ ESTÁ AQUI
Maria de Lourdes Maia Gonçalves

Está aqui, dentro de nós, este sentimento de pleno bem-estar.
Não nos faz imposições, não ameaça. É sereno e livre!
Se guardado em nossas emoções, espera a vez de se manifestar.
Se o trouxermos à flor da pele, transcende-nos a alma...
Faz-nos sair pelo mundo a festejar, com o amigo e com o amigo do amigo,
A transbordar os corações agraciados com seu toque bendito.
A sensação tem efeito dominó: vai passando de um para o outro,
Numa seqüência contínua e construtiva, como são as coisas do bem,
Como são as coisas do amor!
Por que procurar a paz onde ela não está?
Será que não aprendemos, ainda, a nos preparar para esse encontro?
Ou será por que esquecemos que somos todos nós filhos do mesmo Criador?
Para ter, praticar e cultivar a paz, não é necessário muito esforço.
É preciso apenas olhar para o seu semelhante e acreditar!
Acreditar que, como você, ele quer ser feliz: de corpo, alma e mente.
Isento de mágoas e preconceitos de qualquer origem. Livremente!

Itajubá ( MG ) 20 de novembro de 2008

26.
MANANCIAIS DA ESPERANÇA
Therezinha de Jesus Lopes

No trilhar de nossa estrada,
Neste mundo tenebroso,
Onde a PAZ se faz ausente...
Sejamos, em nosso viver,
Mananciais de águas puras,
Límpidas, cristalinas,
Que possam levar alento
E mais ESPERANÇA
Aos irmãos sofredores..

Empenhemo-nos em saciar a sede
De afeto, de carinho,
Dos IDOSOS desprotegidos,
Das CRIANÇAS abandonadas,
Dos PAIS desalentados,
Com os FILHOS mergulhados
Nas drogas...

Que manaciais se unam
E se convertam em rios caudalosos,
Que irão irrigar corações sofridos,
Levando-lhes mais amor
E, sobretudo, mais solidariedade,
Formando mares de ESPERANÇA...
Visando às gerações futuras,
Num mundo bem melhor!

27.
A PAZ NÃO TEM IDADE
Karina Salerno Gonçalves

A paz é um atributo
Que cai bem a qualquer um,
Não discrimina a ninguém
E da humanidade pode ser o bem comum.

A paz não tem idade
E nunca é tarde para praticá-la.
Do pequenino ao idoso ela serve
E se você buscar, vai encontrá-la.

Dos pequenos gestos e de causas nobres,
O universo da paz é permeável.
Você não precisa ser grande
Mas seu espírito, nesta jornada, deve ser incansável.

A paz tem muitas faces
Mas jamais há de envelhecer
Assim como os sonhos puros e verdadeiros,
Que bem cultivados, nunca irão morrer.

Porto Alegre, novembro/2008.

28.
SOU CAPPAZ...
Joyce-Lu@zul
(Resposta ao poeta J.J. Oliveira Gonçalves)

Sou CAPPAZ... de estender a mão ao ferido
Esqueço quem faz mal ao amigo querido.
Sou CAPPAZ... de calar, se apontam inverdades
Deixo a Deus a decisão sobre suas maldades...

Sou CAPPAZ... leio e ouço falsidades...
E meu silêncio fala por mim as verdades.
Doei-me no Tribunal do Júri - sou advogada
Na defesa e na acusação, hoje, sou jubilada!

Sou CAPPAZ... talvez seja minha Utopia
É o caminho que tento seguir dia-a-dia!
Sou CAPPAZ ... com missão a cumprir
Mesmo que outrem de mim possa rir!

Sou CAPPAZ... a Paz é meu caminho
Embora veja contendas no meu ninho...
Sou CAPPAZ... faça sol ou faça vento
Ah, as adversidades, não mais lamento!

Sou CAPPAZ... trago n'alma a mocidade!
Tempo, não importa... A Paz não tem Idade!

Sou CAPPAZ...
busco "a capacidade de traduzir
em proposta aquilo que ilumina a nossa inteligência
e mobiliza nossos corações:
a construção de um novo mundo.”
(Betinho -Herbert de Souza -1993-(ícone da CAPPAZ)
21/11/2008- 13:00

29.
NÃO TEM IDADE O AMOR!
J.J. Oliveira Gonçalves

Não tem idade a Paz
Pois muito Velha ela é!
Sendo Criança nos traz
Lições de Amor e de Fé!

Nesta Babel de Ambição
Onde a Maldade campeia
Vejo a Paz na contra-mão
Da mão-gêmea que a Semeia!

A Paz é essa alva Avó
Que, assim, Sábia, é desprezada!
É essa Criança tão só
Bonita e abandonada!

Discurso eu ouço e teoria
Em prol da sonhada Paz!
Não há Paz sem parceria
Só na Igualdade se faz!

Paz eu canto em meu verso
E a pratico - com certeza!
Celebro ante o Universo:
Animais e Natureza!

Minha rima incompreendida
Não é dona da Verdade!
Mas da Paz é concebida:
Reflete minha hombridade!

Faço a Paz, não faço a Guerra
Que Franciscana é a Labuta!
Desfraldar a Paz descerra
Bandeira de árdua Luta!

Ninguém pode ser da Paz
Se não há Paz no coração!
Poeta muito me apraz
A Paz da fraterna mão!

Vamos, pois, a cirandar
Mãos dadas cheirando à flor!
Amorosos a Pazear:
Não tem idade o Amor!

Porto Alegre, 26 de novembro/2008. 15h - HS
jjotapoeta@yahoo.com.br  - www.jjotapoeta.art.br

30.
Arte da Ciranda -Paz não tem idade!
Anna Paes

31.

Participação Especial
PAZ NÃO TEM IDADE

Kedma O'liver

Seja moço ou velho
Criança ou adolescente
A paz é necessária
Para toda gente

Seja no Brasil
Ou no Afeganistão
A paz é preciso
Faz bem ao coração

Se nos unirmos
Em uma luta,sem temor
Veremos que é capaz
Semear o amor

Nós somos CAPAZes
De fazer a nossa parte
Divulgando carinho
Atravéz de nossa arte.

Sejamos todos unidos
Levemos fraternidade
A todas as pessoas
A toda sociedade.

SELO DE PARTICIPAÇÃO

Caros confrades e confreiras! A CAPPAZ entrega aos participantes da 5ª Ciranda Mensal - o selo comemorativo como lembrança de nossa roda poética. Clique com o botão direito e em salvar como, escolha a pasta e salve seu selo de participação na Ciranda.
 











|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||


CriArt ©Anna Paes
Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz