AGRADECIMENTOS

A todos os confrades e confreiras participantes desta 10ª Ciranda Mensal, os meus sinceros agradecimentos. É com sentimento de júbilo que sinto nessas 32 belas participações um preito de sincero e sublime amor à figura da "Mãe" e toda a importância que ela tem, dita em qualquer língua ou dialeto, na condição humana ou na de animal, como útero onde a Vida faz ninho para eclodir os ovos do seu perpetuar.
A partir de um só título, "MÃE, AMOR INCONDICIONAL", diversos foram os matizes que pintaram, com cores distintas e belas, o quadro desta Ciranda dedicada às mães, em que vemos contemplada não só a ideia
da maternidade envolvendo amor, mas também a doação de amor em gestos de maternidade independente do ato de parir.
Pintou-se um quadro moderno a várias mãos, intenso e arrebatador, qual fora um caleidoscópio de emoções, em forma de letras, espelhado na grandeza dos sentimentos e das lembranças que o nome "Mãe" despertou em cada um dos participantes.
Louvamos a sublimidade do sentir de um filho pela sua "Mãe"; o sentir, terno e não menos intenso, dos que interpretam o amor maternal nos seus mais diversos matizes; o canto às mães que parem e cuidam, e também as que não parem, mas adotam e amam.
E os exemplos de amor que o mundo animal não cansa de nos mostrar.
Louvamos, particularmente, aqueles que desviam os olhos da sua própria mãe para, com respeito e admiração, doar uma palavra de carinho às mães sofridas de filhos sofridos.
Penduremos, pois, este quadro tão sublime e significativo, feito por tantas mãos, no site da nossa CAPPAZ e na galeria de nós mesmos.

Regina Coeli Rebelo Rocha
Presidente Nacional da CAPPAZ

 

 

 

INTRODUÇÃO

Caros confrades e confreiras, eis que vem chegando o mês de maio, trazendo com ele um dia específico em que prestamos nossas homenagens a todas as mães, verdadeiros embriões de onde brota a vida em seu curso de renovação.

No seu propósito de reverenciar o ato de viver e as sublimes formas de manifestação da vida em seu pulsar, a nossa CAPPAZ pretende, em sua 10ª ciranda, louvar um ser, racional ou irracional, que é fundamental na manutenção da reprodução da espécie, atuando com o maravilhoso sentimento do Amor para que a vida se perpetue — a MÃE.

Convido-os a escreverem sobre a Mãe-Mulher, racional, e a Mãe-Animal, comumente chamada de "irracional", sublimes em desvelos de amor às suas crias e, muitíssimas vezes, àquelas que não são propriamente suas. Espero-os nesta 10ª Ciranda Mensal da CAPPAZ: "MÃE, AMOR INCONDICIONAL".

Regina Coeli Rebelo Rocha
Presidente Nacional da CAPPAZ

 

 

 

PARTICIPAÇÕES

1. J.J. Oliveira Gonçalves
2. Regina Coeli
3. Kedma O´liver
4. Sergio Martins Pandolfo
5. Marco A. Amado
6. Humberto Rodrigues Neto
7. Ilka Vieira
8. Lenir Castro
09. Regina Sant´Anna
10. Marcelo Roque
11. Sidney Santos
12. Pablo Silveira
13. Marli F. Tamani
14. Cida Micossi
15. Regina C. A. Azenha
16. Lourival Villas-Bôas
17. André Azenha
18. Maria de Lourdes Maia Gonçalves
19. Julio Carneiro
20. BRita BRazil
21. Ana Terezinha Drumond Machado
22. Odilon Machado de Lourenço
23. Mariângela Rodrigues Repolês
24. Eurydice Meimei de C. Corrêa
25. Karina Salerno Gonçalves
26. Terezinha Ofélia Nascimento Rennó
27. Gislaine Wächter
28. Judite Krischke Sebastiany
29. Carlos Reinaldo de Souza
30. Eloísa Antunes Maciel
31. Joyce Lima Krischke

 

 

 

PARTICIPAÇÕES

1. Mãe é Mãe
J.J. Oliveira Gonçalves

Mãe é mãe... Seja gente ou bichinho
Com inerente e Maternal Carinho!
Ao peito alimenta sua cria
Mãe que é mãe tem desvelo de Maria!

Mãe é mãe... Quanta vez da mãe ouvia
E ela em próprio Exemplo se fazia!
Passarinha, contente, em seu Ninho
O Acalanto a ninar o filhotinho!

Ah, a Mulher que tem pleno o coração
Do instinto maternal, ah, Mãe será
E com Deus seu Ser Mãe celebrará!

Saudades tenho eu da Mãe Querida
Que um dia, então, se foi – triste Partida
Por certo junto ao Pai me esperará!

Porto Alegre (RS), 25 de abril/2009. 09h

2. MÃE, AMOR INCONDICIONAL
Regina Coeli

Qualquer que seja a fêmea, existe Amor
Rompendo entranhas e parindo vida,
Sangrando a carne pela dor ferida,
Trazendo à luz o filho do que for...

Qualquer que seja a cor, é cor de Amor
Ninando vida em paz intumescida
Em longa espera, esforço na subida
Que beija, na descida, a sua flor...

Um bebezinho, gente ou animal
Parido ou adotado, é alma pura
A sugar leite em peito maternal...

E a MÃE, intenso brilho em noite escura,
É ela, entre o real e o irreal,
O alimento a uma vida mais segura!

Rio de Janeiro (RJ)

3. MÃE, AMOR INCONDICIONAL
Kedma O'liver

Mulher de fibra
Ama sem limites
Espera sem cobranças
Ampara quando preciso
Mima sempre
Organiza a vida
Respalda os problemas
Impar em perdoar
Nunca desiste
Companheira
Ousada em agir
Notória por seu zêlo
Despojada de seu eu
Inigualável em agir
Carismática
Inimitável em atenção
Ordeira em tudo
Não aceita derrotas
Ama para sempre
Lindo amor é o de mãe.

Santos (SP)

4. MAIO.
     MARIA.
      MULHER
Sérgio Martins Pandolfo

"Eu vi minha mãe rezando.
Aos pés da Virgem Maria
Era uma santa escutando
O que outra santa dizia"
(Trova de domínio público)

"Maio das noivas e das novenas / Maio dos lírios e dos missais / Maio das Virgens brancas e serenas / Maio dos sonhos que não vêm mais".
Assim principia a letra da belíssima canção "Mês de Maio", de 1942, do notável e multifário intelectual parauara, Edgar Proença, em parceria com o saudoso e conhecido músico carioca Custódio Mesquita.
Com efeito, o quinto mês dos calendários juliano e gregoriano é, por tradição e eventos que consagra, o mês da mulher. Primeiro porque - já é prática arraigada - é o escolhido pelas noivas para se tornarem esposas; depois porque é mundialmente comemorado, em seu segundo domingo, o Dia das Mães; acrescente-se ser maio, ainda, tempo de flores que marcam a primavera, de alegrias, de jovialidade, muito a condizer, assim, com a alacridade própria da alma feminina; finalmente, pelo ser esse o mês consagrado à mais santa e virtuosa das mulheres, a Virgem Maria, mãe de nosso Salvador.
Essas rememorações se me assomaram ao dar-me conta do papel que desempenham hoje as mulheres na sociedade: a esposa, a companheira; a mãe de nossos filhos e de nós próprios; a lutadora de todos os dias; a perpetuadora da espécie; a mulher, enfim, em todas as suas admiráveis nuanças, que pensa com o coração, age pela emoção e vence pelo amor, de quem já se disse "que hospeda no ventre outras almas, dá à luz e depois fica cega, diante da beleza dos filhos que gerou"; todas terão seus nomes e suas magias enlevados e exalçados por tantos de nós e reconhecida a distinção de obra máxima da divina criação.
Maria deixou para a humanidade o exemplo de mãe perfeita, ideal, abdicando mesmo dos prazeres da mundanidade para credenciar-se a ser a mãe de Jesus, concebida, fecundada, sem a interveniência carnal, sem o pecado original.
Sacrificou-se pelo seu Filho amado arrostando mil privações, vicissitudes e perigos, p.ex., aquando da fuga para o Egito. Depois, e provação maior, ao assistir o martírio, a flagelação, a crucificação do Mestre, que ela suportou com humildade e estoicismo, para, finalmente, glorificar-se e rejubilar-se no momento extraordinário da ressurreição e no triunfo da ascensão do Senhor, seu filho redivivo agora.
Todas as mães, de uma forma ou de outra, cumprem missão e desígnios mais ou menos semelhantes, daí porque são todas glorificadas. Haverá coisa mais sublime que o santo mistério da concepção da vida? E da garantia de continuidade dessa vida tenra nos primeiros tempos, com a amamentação? Todo homem, por mais poderoso e forte que seja, terá sempre provindo de um ventre de mulher, quanta vez fragilizado, doentio, a ponto de nem suportar o esforço supremo da maternidade e sucumbir. Eis o excelso sacrifício a lhe extinguir a vida.
Por isso que mãe é nome doce, suave, via de regra o primeiro a ser balbuciado pelo novo organismo em crescimento, exigente explorador de sua vitalidade, a solicitar-lhe os préstimos da seiva láctea.
O mais empedernido coração, o mais arrogante dos mortais, quase sempre se enternece frente à candura materna, obediente aos rogos e exortações dessa doce criatura. Aos olhos do filho a mãe tem alguma coisa que transcende a materialidade humana, alguma coisa sobrenatural, alguma coisa divinal.
"Doces saudades dos meus cismares / Num mês de maio que não volta mais", conclui a letra magistral da composição do "Velho" Proença e será, por certo, o que todos sentiremos no transcorrer deste auspicioso reencontro cirandeiro de poetas cappazes, alguns nos verdoengos anos da vida, outros já  encanecidos, maduros e experimentados, mas todos amigos e com objetivos comuns.

Belém (PA)

5. SER MÃE NÃO É FÁCIL!...
Marco A. Amado

Ser mãe não é fácil!...
Pode-se dizer que é vocação
Não existe sacrifício...
Por amor esquece até a razão!
Nasceu para este oficio;

São noites em claro,
Abrandando o nosso pranto,
Procurando afastar o medo
Que nos faz chorar
Como um anjo sempre alerta!

É nosso doce recanto...
Porto seguro na hora certa...
Conselheira a quem devemos ouvir
Nos momentos de indecisão
Exemplo a seguir...

Pois seu conselho é de coração...
Está sempre ao nosso lado...
Mesmo que às vezes.
Estejamos errados...
Às vezes sem hesitação.

Deixa de ser racional
Ao defender sua eterna criança
Guarda na alma a esperança...
Pois ser mãe
É amar de forma incondicional!

Ilha do Governador/Rio de Janeiro (RJ)
(OCRAM 25/04/09)

6. MÃES ESPECIAIS
Humberto Rodrigues Neto

Nos longos vãos dos corredores, ou nos bancos
lá da AACD, mães fatigadas, mas serenas,
ao peito arrimam, sejam claras ou morenas,
míseros filhos mutilados... tortos... mancos!

Precoces rugas pela face... Alguns fios brancos
entre os cabelos, não refletem mais que amenas
e leves provas, ante as mudas e árduas penas
de ver um filho se arrastando aos solavancos!

Mas em nenhuma, cujo filho é a inglória palma,
a gente nota um leve ar de oculto pranto,
mesmo um gemido a perturbar-lhe a altiva calma!

É que aos pequenos deficientes Deus quer tanto,
que os não confia a quem não traga dentro d'alma
o amor sem termo que há num mártir ou num santo!

São Paulo (SP)

7. A IMPORTÂNCIA DO DOM
Ilka vieira

Não importa de quem você seja mãe, mas sobretudo a responsabilidade,
o respeito e o afeto que lhe são doados para que você desempenhe e
extrema valia na vida de alguém.

Você que é...

mãe do seu próprio filho, recém nato, adolescente, maduro...
mãe do filho da vizinha trabalhadora, ocupada, sempre cansada...
mãe do filho adotado, suprido, amado...
mãe de um filho enfermo, indefeso, dependente...
mãe de um filho distante, roubado, perdido...
mãe de um filho condenado, foragido, perseguido...
mãe de um filho insone, preocupado, introspectivo...
mãe de um filho por acaso, pela vida, pelas conseqüências...
mãe na lembrança, nos objetos, na saudade...
mãe na dor, na alegria, todos os dias...
mãe de um bichinho querido, carente e grato,

sinta-se realizada e abençoada por Deus,
porque este dom, embora podendo ser adquirido, aperfeiçoado,
amadurecido, é o único que não reside fora do coração.

Feliz Dia das Mães!
Rio de Janeiro (RJ)

8. MÃE-FADA
Lenir Castro

Mãe de fala mansa
De olhos e mãos claras
De sorriso de esperança,
De fé, de perseverança...

Mãe da minha infância,
De muitos filhos...
Parindo meninos e
Abortando sonhos...

Mãe sozinha, pai ausente
E assim, também mãe de
Todos os meninos
Mãe herói, mãe triunfante!

Mãe dos meus sonhos
Sorriso/luz na eternidade
Mãe contente,
De missão cumprida...

Mãe da minha vida.
Se tiver mil vidas,
Quero-a de volta
Devotada e única...

Mãe guia, mãe estrela,
Mãe cadente, mãe valente
Onipresente, onisciente...

Mãe da minha vida,
Mãe da minha sorte,
Mãe, meu suporte...

Mãe, maestrina da esperança
Em gotas de sofrimento
Em gotas de felicidade...

Mãe-fada
Da minha vida
Luz e brilho dos seus filhos,
Seremos, assim, força e Luz
Por toda a eternidade...

Niterói (RJ)
26 de abril de 2009
10:51 A.M

09. Incondicionalmente: MÃE!
Regina Sant´Anna

Sente do coração o desejo fluindo
Em cada “rioneurônio” seguindo
Respondendo às menores sensações
Do corpo entregue às transformações

Concebido ser, antes imaginário
Nas brincadeiras de boneca
Alimentadas por comidinhas em caneca
Agora tão real num íntimo berçário

Sente na metamorfose do ser
Crescente e suave querer
Amor ainda sem forma, sem rosto
Enfrentando paladares de súbito gosto

Sente o desfilar de infinitas incertezas
Que gestam juntas as tantas naturezas
Que gestam juntas durante e além
Do momento em que os ditos anjos vêm

Neste ato inigualável de gestar
Nasce a mais pura forma de amar
Descobre que nesta vida, perca ou ganhe,
Sempre será incondicionalmente: MÃE!

Feliz Dia das Mães – Maio de 2009
Rio de Janeiro (RJ)

10. FLOR DO SERTÃO
Marcelo Roque

Trinta e três anos
Dez partos normais
Nove filhos
Dois netos
Onze bocas
Um quilo de farinha
Vinte quilos de fome

São Paulo (SP)

11. MADRE
Sidney Santos

Mãe em qualquer idioma
Nos olhos brotando amor
Rosa de suave aroma
A espera do beija-flor

No seu colo emoção
Embalando pequena criança
Sublime interação
Trazendo ao mundo esperança.

Freqüente preocupação
O rumo do filho na vida
Mostrando sempre a visão
Da missão a ser cumprida

Nos lábios canções de acalanto
Senhora rainha do ninho
Salve mulher-encanto
Traduzida na palavra carinho

São Paulo (SP)

12. Madre Nuestra
Pablo Silveira

Despierta el alba como pequeña nube,
se dispersa por el aire siempre con su pluma.
Liberta nuestra alma en el altar blanco
del soplo majestuoso de la inmensidad.

¡Sus ojos viven limpios trigos maternos!
No miramos con sencillos ojos de mundo
esos trigales teñidos con tinta tímida,
nuestro aroma de sentido sentimiento.

Al beso de una madre en su niño adormecido,
un espejo cae en nuestro pecho costumbre,
tan inocente como un respiro de rosal,
que borda los sueños ingeniosos de una esperanza.

El camino de la tierra: nuestro terciopelo verde,
único fruto de la misma madre matutina,
descierran las flores de su entraña esperada
del septiembre iluminado por el ópalo naciente.

Todo es brote en el vientre sensible!
Nuestra madre es casa corriente de amparo,
descanso del paisaje diario y humano,
sutil suspiro de la primera inspiración.

Bagé (RS)

13. MÃE BEM AMADA
Marly F.Tamani

Minha mãe bem amada
aqui vim para te dizer
...obrigada,
te dar meu carinho
que tantas vezes me deste,
vim sentir seu perfume
embalando meu sono
em seus braços repletos de amor,
vim sentir seu sorriso
tão puro e tão pleno
das bênçãos de Deus,
minha mãe tão querida
agradeço-te a concepção
que a luz de Jesus
consentida
a ti me gerou,
minha mãe,
filha de mãe Maria,
espelho de sua alma
refletida,
abençoada sejas
por minha vida.

São Paulo (SP)

14. Mãe
Cida Micossi

Mãe, que guarda no ventre o embrião
Mãe, que traz ao mundo o ser
Mãe, que cria o cidadão
Mãe, que tudo faz pra ele vencer

Mãe, que dá ao filho o alimento
Mãe, que perde tantas noites de sono
Mãe, que não o quer em abandono
Mãe, que sofre ao ver seu sofrimento
Seja ela negra, ou branca, pobre, ou rica

Culta ou analfabeta, não importa
É certo que essa mulher furiosa fica
Se algum mal ao seu filho alguém faz
Antes preferiria estar morta
Do que vê-lo sofrer - isso jamais!

Santos (SP), 02/05/2009

15. Simplesmente Mãe
Regina C.A.Azenha

Mulher que sonha...que luta
que vive sempre em busca do melhor,
e que mesmo cometendo desacertos
está sempre tentando agradar

Mulher que brinca, tal qual criança
que vive numa eterna ciranda,
que embala no aconchego dos seus braços
(muitas vezes tão cansado)
como se fosse um escudo
que pudesse proteger dos males do mundo,
o seu filho tão amado

Não importa se no próprio ventre foi gerado,
ou, se de coração foi concebido,
nutre um amor sem limites,
vai da ternura à loucura,
se sentir que sua cria está sendo ameaçada

Mulher prá quem o tempo não importa,
seja noite ou seja dia,
sempre encontra uma saída,
e pelos seus, tudo suporta

Mulher misto de amor,zelo, carinho
dor,tristeza, espinhos,
tem o coração maior que o mundo
e consegue perdoar num só segundo
todo mal que lhe possam ter causado

Mulher a quem tão simplesmente
chamamos de Mãe...

Santos (SP)

16. Às Mães
Lourival Villas-Bôas

Palavra franca, suave, querida
aos ouvidos, ao coração.
Ela, que nos deu a vida,
carícias, conselhos, emoção.

Qual Cristo, com tanto amor
na grande multiplicação dos pães,
com afeto, coragem, dor!

Tudo fazem pelo bem:
São as mães!

Porto Alegre/RS

17. Mãe é da hora
André Azenha

Mãe é mãe ontem, amanhã e agora
Mãe é mãe aqui dentro e lá fora
Mãe é mãe e não vai embora
Mãe é da hora
Mãe é mãe pra toda obra
Mãe é tudo ao mesmo tempo agora
Ontem, amanhã, dentro e lá fora
Mãe é da hora
Mãe ajuda, entende, não ignora
Mãe cobra, mas estende a mão na hora
Porque mãe é da hora?
Porque mãe é mãe, ora bolas
Incondicionalmente mãe
Triste ou contente, jamais vai embora
Percebe o porque, quando sua cria sorri e chora
Simplesmente, porque mãe é sempre da hora

Santos (SP)

18. Minha mãe, Deus lhe pague!
Maria de Lourdes Maia Gonçalves

Por dar-me a vida,
pelas horas insones que passou a velar o meu sono;
por me aconchegar em seu colo quando proteção eu queria,
por seu amor imensurável e bendito!
Deus lhe pague, minha mãe,
pelas sábias palavras que de seus lábios brotaram a me aconselhar.
Pelo seu silêncio acolhedor e pacífico;
por seu terno olhar, pelo seu sorriso!
Pelo seu carinho, doce como mel!
Minha mãe, Deus lhe pague,
por suas renúncias em meu favor,
por sua incansável jornada de amor e bondade,
por sua amizade e por ser minha mãe!
Deus lhe pague, minha mãe,
por ter vivido comigo e comigo sonhado,
por ter-me ensinado que a dignidade desde cedo se constrói,
juntamente com a fé, o amor e o perdão!
Minha mãe, Deus lhe pague,
por ter me ensinado que o sorriso sempre volta,
por receber a sua bênção que do céu me envia
e pela certeza de que sempre me amará!

Itajubá (MG)

19. Mãe Educadora
Júlio Carneiro

Todos nós sabemos da miscigenação de raças que é composto o meu querido estado de Santa Catarina. Além dos tradicionais idiomas alemão e italiano a comunicação é feita por vários dialetos.
Tudo aconteceu na década de trinta (1.930...).
O alto vale do Itajaí na região de Ibirama foi brindado pela primeira professora designada pelo Estado/SC.
Lá chegando esta professora no início de carreira com seus sonhos e objetivos se deparou com seu primeiro problema....
Ah, eu ia esquecendo o nome desta professora, que era educadora linda!
Seu nome era Alda.
O maior desafio no inicio de sua carreira foi dar aulas em uma comunidade alemã, onde 90% só falavam o idioma alemão. Antes de alfabetizar seus alunos, a professora Alda os ensinou a falar na língua Portuguesa.
Além disso, a época era de guerra mundial, onde em muitas localidades os alemães e foram perseguidos por grupos nacionalistas (eram torturados, inclusive eram obrigados a ingerir óleo de rícino).
Foi então que a professora Alda, mulher do bem, escondia os pais dos alunos de origem alemã na sua escolinha.
Por este motivo, misto incondicional de mãe, educadora e guerreira é reverenciada por este filho todas as horas, todos os dias e todos os momentos da vida.
Ai, que saudade sinto da professora Alda, da educadora Alda, da minha MÃE: Alda Fagundes de Morais Carneiro!

Balneário Camboriú (SC), 06 de maio de 2009.

20. SER MÃE
BRita BRazil

Ser mãe é deixar a Natureza
explodir dentro de você,
pra sair um ser.
E cuidá-lo pro mundo,
sem julgamento.
E estar por perto
a qualquer momento.

Rio de Janeiro (RJ)

21. Encontros
Ana Teresinha Drumond Machado

Ah! Mãe, hoje é seu dia!

Nasci para a maternidade
nada contrapõe essa simplicidade.
A gente não é da gente:
qual enchente
somos por natureza mariana,
graça da eternidade humana.

Somos dos filhos
para cantarolar,
para ninar
para chorar
para amar, amar.
Incondicionalmente amar.

Mãe é mais que orvalho...
É lágrima que ri
É abraço que abarca,
É carinho que toca,
É carvalho firme, forte.
Mãe é dó, ré,mi.

Mãe é prazer conflagrado
Ao ver o filho querido crescido,
amado, educado.
Realizado.

Mãe é esse embrião
que une, depois separa,
mas o laço é nó
que ata e não desata.
Mãe é laço de amor sem dó.

Alvinópolis/MG

22. Mãe
Odilon Machado de Lourenço

Foi ela que me disse que os seios das mulheres amolecem
Disse-me quando pequeno sugava seu leite
Quando me acariciava deitando seus beijos
Segurando meu corpo
Foi ela que me viu crescer entre as árvores e o campo
Curou-me as feridas
Zelou meu sono
Vestiu-me e disse
Vai ao mundo filho meu
Vai descobrir teus anseios
Amar tuas mulheres
Decolar no infinito céu que te guiará como um dia te guiei.

Porto Alegre (RS)

23. Esperançoso sorriso(Para minha mãe)
Mariângela Rodrigues Repolês

Em teu caminho arborizado a vida
reforma agrária em flores roubadas,
enche teu leito seco de riachuelo.

Pássaro sussurra sino azul mar
em olhos onde estrelas abrigam
persianas semi fechadas piscam.

Em céu turístico preguiçosas nuvens
criam em maneiras cabalísticas
mil travessuras a alegrar teus dias....

Nesse inverno de teus braços,
já não me esquentas em ternura,
teu silencio maternal não se madruga.

*******************

Esperanzada sonrisa( Para mi madre)
Mariângela Rodrigues Repolês

En tu camino arbolado la vida
reforma agraria en flores robadas
llena tu lecho seco de riachuelo..

Pájaro susurra campana azul mar
en ojos donde estrellas abrigan,
persianas semicerradas parpadean.

En cielo turístico perezosas nubes
crean en maneras cabalísticas
mil travesuras a alegrar tus días.

Y en invierno frío de tus brazos,
ya no me calientas en ternura
tu silencio maternal no se madruga.

Alvinópolis (MG)

24. Mãe
Meimei Corrêa

Mãe...
Moldura da vida que nos adorna...
Soluços abafados de preocupação
Quando longe o filho está
Em busca da vida-sedução...

Mãe...
Que nos olhos carrega a luz divina,
Para que nossos caminhos se iluminem...
Tantas vezes, seus sonhos se apagam
Para que os nossos se perpetuem...

Mãe...
Fonte inesgotável de doçura e zelo...
Sorriso que brilha diante do existir...
Calma que apascenta dos filhos as aflições,
Paz que protege, que não nos deixa desistir...

Mãe...
Vela o sono dos que mergulhados estão
Em horas de repouso, com ou sem luar...
Quando o dia, então, surge no horizonte
Aquieta-se em oração, prossegue o labutar...

Mãe...
Que espalha o perfume de todas as flores,
Colorindo nossa vida nos canteiros infinitos
Que a Graça de Deus criou por Seu Amor...
Sem ela, nada seria tão bonito!

Mãe...
A minha há muito se foi...
Bem mais perto de Deus foi morar.
Levou consigo o calor do Amor Maior
Para aos anjos meninos poder dar...

Mãe...
Neste teu dia (como se não fossem teus todos eles),
elevo minhas preces pedindo bênçãos
para que o amor e o carinho sempre reinem,
Nos lares alicerçados em compreensão...

Campos Gerais (MG)

25. Pedido de um Filho
Karina Salerno Gonçalves

Mãe, venho, por meio deste instrumento, formalizar minha humilde solicitação a você. Tendo em vista o transcorrer de muitos e muitos anos de dedicação integral e amor incondicional a mim, seu filho, gostaria que, a partir deste momento, você me permitisse minimamente retribuir toda a atenção e zelo por você dispensados.
Permita, querida mãe, que a partir de agora eu possa ser acordado no meio da madrugada para levar você a uma emergência porque sua febre não cedeu, ou porque sua dor nas costas não permitiu que seu merecido sono chegasse.
Possibilite que eu retire da mesa a louça da deliciosa refeição preparada por você e que, mesmo depois de um dia duro de trabalho, eu lave cada prato e cada talher com a mesma felicidade de quem está a admirar-se com um presente.
Por favor mamãe, autorize-me a ajudá-la a levantar-se do chão toda vez que você cair, porque suas pernas não estão fortes o suficientes para sustentar seu peso. E a enxugar suas lágrimas e limpar suas feridas e dizer: “Quando casar sara!”.
Não me negue a oportunidade de não comprar a calça do momento ou o tênis que namoro há meses na vitrine de uma loja para que, com este dinheiro, eu possa pagar suas próteses dentárias, seus óculos e sua medicação para o coração.
E por fim, peço-te, mãezinha querida, deixe que eu a carregue no colo quando você estiver muito cansada ou muito fraca para ir a qualquer lugar por si mesma. E que eu possa, nesta hora, niná-la e dizer: “Deixe-me fazer por você tudo o que você já fez por mim... quem dera todo mundo tivesse uma mãe assim como você!!”.
Atenciosamente, seu filho.

Karina Salerno Gonçalves,
Porto Alegre, 08 de maio, 2009.

26. Mamãe
Terezinha Ofélia Nascimento Rennó

Mamãe
hoje estou mais velha que você,
nesta terra mineira que lhe acolheu...

Mamãe,
4 anos mais velha que você
aqui nesta terra que me viu nascer!

Você se foi tão nova!
Porém, foi digna, fiel, bela...
Sábia de coração e de intuição...
Suas bênçãos, lições de vida, de fé, de amor, de respeito ao próximo
fizeram-me polida.

Mamãe,
em você me espelhei,
muitos filhos criei
e por você melhorei...
Hoje, estou mais velha que você, aqui na terra.
Mas sei que me espera aí no alto na mais alta esfera;
enquanto isso, eu a bendigo.
Vejo-a velando meu resto de vida
e as vidas dos nossos em seus começos
livrando-nos dos terrenos perigos.

Ai, mamãe,
Como amei você quando aqui convivemos!
Sua vida foi difícil e você se foi tão cedo!
Agora, mais envelhecida que você, aqui na terra,
meu coração em prece e em pranto reconhece:
Quão pequeno aquele grande amor!
Ó mamãe!

Itajubá (MG)

27. MÃE
Gislaine Wächter

Deus é poderoso...
juntou em três letras apenas
tanto significado,
uma fortaleza
de coragem e força
amor e bondade
carinho e lágrimas
realidade e atitude...
um M um A e um E
e penetramos
num mundo de amor incondicional
chamado mãe.

Balneário Camboriú (SC)

28. Mãe
Judite Krischke Sebastiany

Mãe aquela que gerou
Mãe aquela que pariu
Mãe aquela que sofreu
Mãe aquela que riu.

Abraçou seu filho,
Cuidou e alimentou
Enquanto se dividia
Entre tantos afazeres do dia.

Paciente ou ansiosa
Impaciente ou orgulhosa
Aflita e esperançosa
Provendo nova vida formosa.

Os filhos crescendo e mudando
Pensando e questionando
Muitos caminhos experimentando
Muitos problemas criando.

Encontros e desencontros
Descrenças e reencontros
Idas e vindas,
Sonhos e crises...

Mãe presença constante
Amor, a todo o instante!

Porto Alegre (RS), 09/05/2009

29. À memória de minha mãe
Carlos Reinaldo de Souza

Mãe, quanta saudade do nosso lar
guardo, no fundo d'alma, com carinho.
Vibrações de amor voltam a pulsar,
quando penso em ti, agora sozinho.

Neste momento, envio o meu cantar,
em homenagem ao antigo ninho
que construíste, em luta sem cessar,
seguindo, com papai, o seu caminho.

Ouve, mãe, este meu canto sofrido:
desde que tu partiste deste mundo,
sinto o quanto fui amado e querido.

Eu sei, também, o quanto fui ingrato:
enquanto doaste um amor profundo,
o meu amor foi pobre e insensato !

Conselheiro Lafaiete (MG)

30. IN MEMORIAM
(À memória das mães pretas que embalaram meus avós)
Eloísa Antunes Maciel

Vulto modesto, coração voltado
Aos filhos brancos-- que não eram teus,
Fizeste de tua vida apostolado,
Num testemunho de louvor a Deus...
Mãe preta, ouvi contar a tua história,
Louvei teus gestos de dedicação...
Teus netos enaltecem tua memória
E repudiam toda escravidão...

Mãe preta, que mistério tão profundo
Envolve as almas na maré da vida,
Num mar de tormentosa provação?...
Mãe preta, dos espinhos deste mundo
Teceste uma coroa revestida
Da luz sublime da Libertação!

Santa Maria (RS)

31. Mãe do Drogado... Amor Incondicional!
(Para Santa Zanina)
Joyce Lima Krischke

Mãe do drogado... sofrimento todo dia
Mãe do drogado... vida sem alegria!
Mãe do drogado... esperança se esvai
Feito folha no outono quando cai!

Mãe do drogado... ah, dinheiro perdido
Drogas... para atender ao filho querido...
Mãe do drogado... medo de ser morta
Receio de invasão pela porta...

Mãe do drogado... sem alimento: feijão?!
Mãe do drogado... ele vendeu seu fogão
E mais... até o botijão de gás!
Mãe do drogado... deseja PAZ!

Mãe do drogado... amor infinito
Muito de doçura... coração aflito!
Mãe espancada pelo veneno letal
Mãe do drogado... Amor Incondicional!

Balneário Camboriú (SC), 07/05/2009 – 23h15min

 

 

 

 

SELO DE PARTICIPAÇÃO

Pegue seu selo de participação na 10ª Ciranda Mensal CAPPAZ - "Mãe, Amor Incondicional", clicando com o botão direito do mouse e em salvar como.

 

 

 

 

 

 


|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

 


Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados