Utilize esse comando para parar
a música de fundo e os comandos
respectivospara ouvir as demais
músicas.


11ª CIRANDA MENSAL CAPPAZ

NAMORAR... ENAMORAR-SE... TRAZ PAZ

 

PALAVRAS DE AGRADECIMENTO


Um tema de grande inspiração e de irisados matizes – eis que cada coração é um coração... Cada Emoção é uma Emoção... Sentires plurais pulsando diferentemente no enunciado do verso, da palavra... Afinal, cada qual é feito de uma intensidade... De uma corrente elétrica que pode chamuscar a hipersensível pele da Alma... Que pode enfartar o coração mais bobo e emotivo – ao ver-se presa dos riscos de uma Paixão!

Quem sabe, de repente, eu esteja dizendo alguma bobagem. Ou, até, sendo um tanto piegas... (Embora não me sinta!) Todavia, é assim que escrevo. Pois é assim que sinto. É assim que meus Sentimentos afloram. É assim que meu coração trabalha e minh’Alma tece as manifestações mais recônditas, mais escondidas dentro de mim mesmo!

Ah, eu sou de um tempo da Amada, à janela... Das mãos dadas – entrelaçadas, pelas ruas... Como a alardear: eis a minha Amada! De um tempo de um J.G. de Araújo Jorge carregado para lá e para cá – lido a quatro mãos, a duas bocas, a dois corações batendo em uníssono, lado a lado... sentido na lírica Comunhão de Almas amorosamente enamoradas... Sim: do tempo em que o flerte era quase que possuir o olhar do outro dentro do seu... E degustá-lo, assim, como se fosse possível degustá-lo – nessa navegação feita de Luz, de Silêncio, de Poesia...

Reminiscências... eu sei! Todavia, proíbam-me as reminiscências e murcharei... Assim como murcham os roseirais que dão seus versos em flor... e suas rimas tangidas de perfume! E, então, (a ruminar reminiscências, como costumo dizer e escrever): como eu gostava de ver a namorada – seu jeito e seu corpo adolescente – com o uniforme da escola! Mais: como eu amava ver a namorada vestida de mulher! Ah, seu corpo fragrante e feminino sob um vestido que lhe acentuava as formas virginais e as curvas sensuais e delicadas... (E enquanto escrevo, movido a inebriante Nostalgia, chego a ouvir: Você menina-moça/Mais menina que mulher/Confissões não ouça/Abra os olhos se puder... E por aí vai tanta Lembrança e tanta Saudade nesta divagação tecida de metáforas e melodia...)

Hoje, ao trocar-se o namorar pelo ficar, infelizmente, quebrou-se o Encantamento das coisas Amorosas do coração... Baniram-se as nuanças amorosas... Acabaram-se os Mistérios femininos... Derrubaram-se as Catedrais das Ilusões. Os Sinos calaram sua alegria. Quebraram-se as Alianças... Foi-se a ternura... Fez-se um novo tempo ao qual jamais me adaptarei, pois, com as franquezas escancaradas e o verbo transar sendo a ordem do dia, a Alma, (se não morreu!), passa por dolentes Agonias – eis que o dito racional age irracionalmente, também no capítulo das Searas Amorosas! E perambulando entre poder, dinheiro, droga e sexo, o dito ser humano se perde de si mesmo, pois que extinguiu a admiração pelo Belo e o respeito pelo Amor – este, em todos os seus matizes! Então, esse homem-sem-tempo, esse homem-do-imediato, não tem tempo sequer para se deliciar com os Mistérios e os Segredos do Amor... Pois que Mistérios e Segredos só são tecidos com os Fios Dourados do Lirismo e do Romantismo... E isso não sendo mais possível, e em nome da banalidade cotidiana dos Sentimentos, até que, enfim, o sapos não virarão mais príncipes... Visto que os príncipes morreram – já que eram muitos feios! – e o sapo se eternizou como paradigma de Beleza e Sonho, na “ótica” dos amores contemporâneos!

Em que pese tudo isso, continuarei Romântico – enquanto homem-comum e lírico, enquanto poeta. Diga-se, a bem da verdade: eu não poderia, mesmo, ser de outro jeito.

E é deste meu jeito tímido e sonhador, nas coisas do Amor, que agradeço pelas marcantes e preciosas presenças de Confreiras e Confrades que abrilhantaram – de maneira ímpar! – nossa 11ª Ciranda CAPPAZ. Aperto, carinhosa e fraternalmente, cada mão que veio cirandar em nome do Amor e da Paz: dois Valores Espirituais, onde, tenho certeza, Deus canta – Amorosamente! – de Mãos dadas conosco!

Um Feliz e Belo Dia dos Namorados!! Pois, na filosofia amorosa deste poeta, namorar é bom demais... Traz leveza à Alma e doçura ao Coração...

Com franciscano abraço,
J.J. Oliveira Gonçalves
Presidente de Honra/CAPPAZ
Porto Alegre, 10 de junho/2009.
19h13min

 

 

 

INTRODUÇÃO

Confrades e Confreiras, o mês de junho nos traz as festas juninas e, notadamente, o sentido de alegria e confraternização que elas proporcionam ao nosso povo. São inquestionavelmente belos e ricos eventos. Mas optamos por trazer à nossa 11ª Ciranda um tema de maior apelo e intrínseco às nossas vidas — o ato de namorar e o enamorar-se de alguém ou de algo.

O enamorar-se não necessariamente envolve uma segunda pessoa. Podemos nos enamorar de parceiros, sim. Mas também de uma música executada com maestria, celebrando o preciosismo das notas e dos acordes. Podemos nos enamorar de uma cidade, de um poema cheio de poesia, de uma delicada flor, de uma causa e, mais abrangentemente, da vida em todas as suas belas manifestações.

Namorar ou enamorar-se é deixar a paixão percorrer os caminhos da emoção muitas vezes adormecida no interior de alguém. As emoções são como respingos de chuva numa planta ressequida; são borrifos de perfume nos minutos que ornam dias cinzentos, levando-os a resplandescerem e se tornarem mais prazerosos de ser vividos.

Namorar e enamorar-se é sentir prazer e alegria. É sentir o coração pulsar mais forte e os lábios se abrirem em meigos sorrisos, sem que se busquem explicações. Namorar é sentir; enamorar-se é encantar-se. É todo um fascínio ou fascinação caindo como gotas de orvalho sobre a folha, revitalizando-a e fazendo-a mais bela e mais folha.

O namoro está presente, vividamente, entre os animais. Na corte que é feita pelo macho à fêmea, na dança do acasalamento e num sem número de manifestações do querer. Em nós, humanos, o namorar e o enamorar-se atravessam a porta que o coração se autoriza a abrir, relaxadas as algemas da razão; libera-se, então, o desejo de sentir e de gostar. O interior vence a intimidade do dia-a-dia e acende o farol ao reluzir dos anseios, sem reservas ou senões.

Namorar é acender o pavio da chama e se deixar queimar. Enamorar-se é transcender o corpo e amar muito mais com a alma. É se deixar conduzir pelas aleias invisíveis da sensação de prazer, muitas vezes solitária e até certo ponto egoísta, uma vez que o processo de encantamento se deixa navegar por águas plácidas de bem-aventurança e de um desfrute que sublima o bem-estar e o celebra num encontro com o que pode não ser humano.

Tanto o namorar como o se enamorar produzem sensações de plenitude, leveza e de saciedade, responsáveis por auras de Paz e de Bem-Estar. Não é preciso ser especialista ou estudioso do comportamento humano para saber que a Paz é o oásis a nos refrigerar das vicissitudes da caminhada e a nos revigorar para a continuidade dos passos. É preciso que a cultivemos dentro de nós.

Se o namorar e o enamorar-se nos levam a essa sensação de calmaria e serenidade, namoremos e movimentemos nossas células para o regozijo; enamoremo-nos do maravilhoso desta vida, para que, como janelas abertas, descortinemos o que os nossos cansados olhos negligenciam, deixando jazer, inerte, a emoção no fundo de nós mesmos. Alteremos, pois, o nosso perfil bioquímico; sejamos amor, e não dor.

Namoremos. E nos enamoremos do que a vida nos dá de graça, neutralizando o que é feio e ruim pelo que há de belo e pulsante dentro de nós.

Convido-os, pois, a trazerem suas percepções de Paz a respeito de Namorar... Enamorar-se... Traz Paz...

E já lhes agradeço por isso.

Regina Coeli Rebelo Rocha
Presidente Nacional

 

 

 

PARTICIPANTES

1. J.J. Oliveira Gonçalves
2. Marco A. Amado
3. Celso Corrêa de Freitas
4. Sidney Santos
5. Humberto Rodrigues Neto
6. Sílvia Araújo Motta
7. Edson Lopes
8. Osmar Ricardo Lazarini (Sonekka)
9. Kedma D´Oliver
10. Meimei Corrêa
11. Anthero Sady Machado Neto (Sady Mac)
12. Paulo Rodrigues
13. José Antônio Gama de Souza-Balzac
14. Lenir Castro
15. Ana da Cruz
16. Ana Terezinha Drumond Machado
17. Gladis Moreno
18. Marly Tamani
19. Fernando Alberto Salinas Couto
20. Augusto Pitta
21. Joyce Krischke
22. Marcelo Roque
23. Dido Oliveira
24. Cida Micossi
25. Verney Naves
26. Ilka Vieira
27. Ângela Torino Paletti
28. Rosângela Coelho
29. Terezinha Ofélia Nascimento Rennó
30. Pablo Silveira
31. Joaquim Saturnino da Silva
32. Odilon Machado
33. Saturnino de La Torre
34. Gislaine Wächter
35. Jonas Krischke Sebastiany
36. Maria de Lourdes Maia Gonçalves
37. Léon Lambert
38. Regina Azenha
39. Eloisa Antunes Maciel
40. Regina Coeli
41. Jucélia Bastos Armos
42. Mariângela Rodrigues Repolês

 

 

 

PARTICIPAÇÕES

1. Namorar Contigo...
J.J. Oliveira Gonçalves

Ah, namorar contigo... de mãos dadas
Sorrir em teu sorriso de criança!
Fazer em Comunhão nossas Estradas
Em passos coreográficos de dança!

Ah, namorar contigo... Bela-Amada
Fazer, ai, como fazem passarinhos:
Na alcova de seu Ninho - nacarada
Bebericar Amor - ledos Carinhos!

Ouvir teu coração dizer ao meu
Poeta: com certeza, que sou teu!
E responder-te o meu: Minha Poesia!

E, se acaso, uma lágrima correr
De teu cândido olhar... Hei de a beber
E fazer sorrir-te a Alma - de alegria!

Porto Alegre, 11 de maio/2009. 10h18min

2. VAMOS A VIDA NAMORAR...
Marco A. Amado

Ousei rascunhar
Utilizando o verbo namorar...
Existem tantos tipos de namoro,
Difícil demonstrar...
Namoro de mãe...
Este não tem como negar!
Namoro de carnaval...
Quatro dias de folia
Vestidos de alegria...
Namoro de verão,
Três meses de excitação...
Namoro de criança,
Algo puro que encanta...
Namoro de adolescente,
Este dá saudade na gente...
Namoro Libidinoso,
Em que o beijo é mais audacioso...
Namoro virtual,
Sobre esse não ouso comentar...
Namoro Cara-Metade,
Em que existem diferenças,
Mais quem vence é a afinidade...
Tem também
O namoro de outono,
Ah!... Gostoso e ameno...
Ih!... Acabei de me lembrar,
Estamos chegando ao inverno;
Nossa que arrepio,
Este friozinho
Que nos faz sonhar
Com as festas juninas
E seus folguedos
Quando a alegria
Faz-se presente... Batata-doce e brinquedos...
Paçoca, vinho quente e quentão...
Doces, canjica e bolo..
Fogueira... Mas não solte balão!
Correio do amor...
Beijo roubado...
Olha ai, quem sabe,
Novo namoro,
Com Santo Antonio a apadrinhar...
Olha, ia esquecendo a primavera,
Cujas cores
Enfeitam a atmosfera...
Ah!... Vamos agora...
Namorar a vida
É algo que devemos procurar...
Namorar a natureza,
Inspiração ao poeta,
Pois nos contempla com sua beleza,
Inspirando nossa criação...
Namoro pela paz...
Por este devemos nos esforçar,
Sem medo de ousar!

Ocram, Rio de Janeiro (RJ), 24/05/09

3. O ADEUS DE SADAN
Celso Corrêa de Freitas

A aflição dele contagiava todos ao redor. O seu esforço para despedir-se da pessoa que estava naquele momento, entrando no ônibus, que tinha como destino São Paulo, era aos olhos de quem assistia, uma demonstração clara de um amor muito grande por quem agora, estava a procurar no interior do ônibus, a sua poltrona.
Como ele não conseguia vê-la direito daquele lado da plataforma, ele correu para a lateral direita do coletivo. Já acomodada na sua poltrona e com a janela à sua disposição, a passageira chamou-o e rapidamente, atropelando alguns que por ali passavam, voltou .
Tentava alcançar a janela. Pulava, pulava...mas seu esforço para alcançar a mão que aquela pessoa lhe estendia era inútil. Restou-lhe então ficar a observar, cumprida as normas de liberação , a lenta saída do ônibus da plataforma 5. Como ele não estava ali, naquele momento de despedida, só! Quem estava com ele, acenou pela ultima vez para a viajante e carinhosamente falou para o companheiro em cujo olhar perdido num ponto fixo à sua frente, calado aguardava:
- Vamos, Sadan!
O Basset Hound, com seu corpo de salchicha e suas pernas curtas, começou a caminhar ao lado daquele que lhe dera a ordem de retirada do local.
Aquele, não devia ser o seu dono. Pela forma como mantinha a cabeça baixa, a inércia do seu rabo e a vagarosidade dos seus passos, o seu verdadeiro dono, estava no ônibus que acabara de partir.
"PARTIR, É LEVAR DE ALGUÉM, A LEMBRANÇA! FICAR...É ESPERAR DE QUEM PARTE, A VOLTA! Todos nós, estamos sempre aguardando a volta de alguém.
Principalmente, daqueles que amamos.

Praia Grande (SP)

4. AMOR
Sidney Santos

Amor é o peito rasgado
Descrito em rito sagrado
Por suave perfume de flor
Em tela de brilho e cor

É o todo do tanto
Uma lágrima correndo
Também o estancar de um pranto
E o sorriso renascendo

Amor é forte pegada
Algo que está distante
É a Lua enamorada
Fazendo do Sol seu amante

São Paulo (SP)

5. MOMENTOS DA VIDA
Humberto Rodrigues Neto

É tão lindo, meu bem, o vão momento
de não te amar somente em pensamento,
mas ter da tua presença o corpo em flor!
É aquele instante em que me cala fundo
a ternura de um gesto tão profundo
em que as janelas fechas para o mundo
e escancaras-me os braços para o amor!

São Paulo (SP)

6. Acróstico/C.A.P.P.A.Z/ Nº 2399
Por Sílvia Araújo Motta

E-Especialmente no mês de junho, embora,
N-No ano inteiro, o AMOR cresce a cada dia,
A-Alerta ao mundo CAPPAZ, fazemos agora:
M-Mostre-nos teu perfil bioquímico da alegria,
O-Ostente entre os homens,paz e solidariedade,
R-Revigore as forças na corrente de mãos dadas;
A-Abramos portas e janelas para entrar liberdade
R-Responsável, pelo bem-estar nas caminhadas.

S-Sejamos “CAPPAZES” de semear a serenidade,
E-Em qualquer parte, no trabalho à igualdade.

T-Tomemos as rédeas da razão para o perdão,
R-Retomemos o farol da manifestação do querer,
A-A felicidade enamorada chegará ... e então
Z-Zelaremos para que ela fique em nosso poder.

P-Pedido pessoal e universal;-Sei que és CAPPAZ,
A-Atenda tua mente, pés, mãos, braços, coração...
Z-Zelosamente, porque ENAMORAR-SE traz PAZ.

Belo Horizonte (MG), 30 de maio de 2009.

7. Seu Sorriso
Edson Lopes
(Canta: Oséas)



Seu sorriso é o céu, nunca vi tanta estrela
Seu sorriso, morena
Gosto tanto de olhar
Pra olhar seu sorriso, meu amor eu tô indo
Vou olhar nos seus olhos
E depois te abraçar

Seu sorriso é o sol, nunca vi tanto brilho
Seu sorriso é tranqüilo
Gosto tanto de olhar
Pra olhar seu sorriso, meu amor eu tô indo
Vou beber do seu beijo
Até me embriagar

Seu sorriso é luar de uma noite serena
Fogo que incendeia meu coração
Seu sorriso às vezes é malicioso
Mas também tão gostoso
Gosto tanto de olhar

Seu sorriso é o encanto de uma poesia
Seu sorriso é meu dia, meu carnaval
Seu sorriso às vezes é malicioso
Mas também tão gostoso
Gosto tanto de olhar

Seu sorriso é o céu, nunca vi tanta estrela
Seu sorriso, morena
Gosto tanto de olhar
Pra olhar seu sorriso, meu amor eu tô indo
Vou deitar no seu colo
Antes de a amar

Guarulhos (SP)

8. MALA SEM ALÇA
(Sonekka/Leo Nogueira)



Eu gasto a sola do sapato,
Mas não perco o chão
Eu rasgo até o seu retrato,
Mas dinheiro, não

Até quando eu troco seu nome
Sei quem você é
De vez em quando perco a fome,
Mas jamais a fé

B (REFRÃO)

A multidão é o melhor lugar
Pra se esconder
A solidão com vista pro mar
Também dá prazer

Ah, Eu, quando você tá por perto,
Sou decoração
Se é pra dormir de olho aberto
Melhor com o ladrão

Melhor viver de paixão falsa
Que de meio amor
Carrego até mala sem alça
Mas não seu andor

Melhor sofrer sem dar bandeira
Do que chorar de brincadeira
Melhor errar a vida inteira
Do que fingir ser verdadeira
(Melhor beijar a geladeira)

Santos (SP)

09. TEMA: NAMORAR...ENAMORAR-SE TRAZ PAZ (2)
Acróstico/C.A.P.P.A.Z/ Nº 2400
Sílvia Araújo Motta


E-Enamoremo-nos com elos fortes
N-Na mente, da corrente universal
A-Atuante, que transcende a morte...
M-Marcada pelo valor imortalizado,
O-O veículo próprio da coletividade,
R-Responsável pelo melhor ideal,
E-Expresso na PAZ, solidariedade,
M-Muito amor, fé, esperança, união,
O-Objetivando a preservação vital.

N-Na trajetória, em particular,
O-O elo forte da paz deve atar
S-Sabedoria e paciência, ao atuar.

C-Com propósitos humanitários,
O-Observados na Confraria CAPPAZ,
M-Movimentos são extraordinários...

E-Enamoremo-nos no mundo virtual,
L-Liguemos nossos passos largos,
O-Organizando o planejamento real,
S-Sonhando e realizando sonhos.

D-Da execução prioritária, o perdão
E-É fundamental, corporal e mental.

P-Perfeição traz busca infinita! Companheiros,
A-Aceitemos nosso papel nessa construção...
Z-Zelosos,sejamos garimpeiros da Paz e Bem.

C-Ciranda décima primeira da Confraria
A-Artistas pela Paz- Sede:Rio Grande do Sul,
P-Preserva a vida, com harmonia e alegria...
P- Planeta Terra que nos faz, pensar e agir...
A-A cada dia, com certeza, amar e perdoar,
Z-Zelar pelo homem e respeitar a natureza.

Belo Horizonte (MG), terça-feira, 2 de junho de 2009.

10. "NAMORAR...ENAMORAR-SE...TRAZ PAZ!"
Kedma D´Oliver

Em meio a tantos problemas
que trazem preocupação
e também muita dor
Namorar é uma bênção
que nos dá o Criador.
Conhecer uma pessoa,
voltar, novamente, a sonhar
ficar juntos, trocar palavras,
outra vez enamorar...
Planejar um futuro juntos,
ver do que o outro é CAPPAZ.
Isso traz muita alegria
e traz também muita paz.

Santos (SP)

11. Além dos nossos olhos
(Namorar... Enamorar-se... Traz Paz!)
Meimei Corrêa

Abre-se uma janela para o sonho
E me aconchego no ombro da saudade...
Esqueço-me nos versos que componho
Pra te ver onde mora a eternidade!

Abre-se uma janela para a vida
Que brilha além de mim... Além de nós...
Além dos nossos olhos... ressurgida
A paz tão doce... calo a minha voz

Para ouvir a canção que vem do espaço...
Lá reina a lua e imperam as estrelas
Que em meu sonhar, aos poucos posso tê-las.

Além dessa janela, em meus abraços,
Aconchego-te nesse coração...
Além dessa janela... Que emoção!...

Campos Gerais (MG)

12. Minha Namorada
Sady Mac

Eu te amei ali, amor meu, como te amei!
Quando nossos olhos se cruzaram
Encantados, brilhantes, parados ficaram
Um dentro do outro, não querendo mais sair...

Tuas mãozinhas pequeninas, delicadas
As minhas tocaram, um choque
Meu coração acelerou descompassado
O amor num repente aconteceu...

Namorada minha, minha enamorada
Um ano, quase um ano de amor, de caricias
De entrega total, do teu sorriso lindo
Que me contagia e me faz tão feliz...

Como te adoro, pequenina, dona dos meus desejos
Da minha saudade louca quando não te vejo
Deste meu rabiscar no papel, te desenho, te componho
Em versos amantes, deste poeta amante teu...

O céu, a lua, o sol, o mar, minhas inspirações mais belas
Rendem-se a tanta beleza que trazes em ti
Quando te acolho em meus braços, tão manhosa
O mundo para em nós, nada mais existe
Só eu e você...

Guaíba (RS), 2/06/2009 às 9:40 h.
 

13. Namoro à Monalisa
Paulo Rodrigues

A noite está enamorada!
Linda e doce.
Brandas estrelas,
bela lua cheia
pintam um céu singular.

Nem precisava...

Você é linda, meu amor!

Seus cachinhos da cor da noite
Tocam meu pescoço
qual suaves brisas de verão
a assoviar juras
de amor eterno.

Seus cristais morenos
sorriem alegremente
para mim.

Seus lábios carnudos
me convidam para um beijo...
... de mel
e nesse mel me embriago:
minha razão de viver.

Nossos corações
Volteiam pelo salão;
dançam,
valsam,
deslizam,
namoram no enamorar da PAZ...

Sorocaba (SP)

14. ENAMORADO!
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Nesta noite passada saí
para, no meu quintal,
namorar a lua...
Majestosa lua!
E namorei a lua...
Esplendorosa lua!
E namorei a luz...
Mágica luz!
E namorei o céu...
E namorei as nuvens...
E namorei as plantas,
as flores, a grama,
as árvores e o tempo.
Namorei toda a natureza
Sob o brilho selênico.
Sob tal encantamento,
eu até me namorei.
Extasiei-me com o luar
iluminando meu corpo,
como se fora um holofote divino
a destacar-me como um ator
naquele maravilhoso palco da vida.
Fiquei tão encantado,
que abracei-me ao amor;
em paz...
Enamorado!

Leopoldina (MG), 03 de abril de 2007.

15. NAMORAR AO LUAR...
Humberto Rodrigues Neto

A minha emoção é intensa
ao ver os suaves refolhos
de prata, da lua imensa,
refletidos nos teus olhos!

A tua pureza eu queria
que fosse como a da lua,
que para o sol se atavia
sem pudores de andar nua!

No olhar que a noite esquadrinha,
eu procuro a imagem tua
e te encontro sentadinha
na foice prata da lua!

É nos becos da tua rua
que eu quero te namorar,
pra que só o olhar da lua
se atreva a nos espiar!

São Paulo (SP)

16. E Quando se Fechavam as Portas
Lenir Castro

E quando se fechavam as portas
Quando não restava mais nada: só eu e você:
Meu coração se alegrava, pois era a nossa hora
De ocultar dos outros, um amor de subterfúgios, de refúgio, de paz,
De profundo sentimento também...
Nossos olhos se encontravam e num prenúncio de adeus de afã, mais
E mais se procuravam: e não precisávamos de palavras
Pois o toque e as bocas desenhavam para nós
Todas as coisas necessitadas.

Ah, mas quando as portas se fechavam
Tudo o que não restava era a dor,
Mas somente os nossos sentimentos não ditos,
Somente o tilintar
Dos corpos feito o cristal:
Filigranas de uma entrega louca...
Então, exaustos, não se entregavam,
E sim lutavam para permanecerem
Atentos, atados e em comunhão.

Ah, mas quando se fechavam as portas
Eram somente eu e você.... e um sentimento
De pertencimento vivo e fugaz.
Em minha imaginação permanece até hoje:
Sem dor, mas doce e sereno.... quanta paz!

Niterói (RJ)

"E para que vive um poeta, senão para tocar as almas?"
(Lenir Castro)

17. ROMANESCO SATÉLITE
Ana da Cruz

Vejo a lua no céu...
Ele se encobre
com nuvens espessas
porque tem ciúme
de tanta beleza.
Tão vasto o infinito!
Mas, um ponto reluzente,
usurpando luz emprestada,
chama mais atenção.
O céu se angustia,
se esforça,
mas não consegue
tamanha beleza.
Tenta se igualar,
mas acaba se frustrando
diante da insistência
dos olhares que se encontram,
num ponto comum,
todas as vezes
que o sol se esconde
e a lua aparece.
Meu amor é como a lua...
Ao vivenciar sua beleza,
extasiada, encontro a quietude.

(Do livro. Ao Meu Amor, 1997)

Belo Horizonte (MG)

18. NAMORO DE VERÃO
Paulo Rodrigues

Frias lágrimas rosto abaixo:
escrituras da dor.

(Amor de praia não sobe a serra.)

Não subiu, mas...
chorou
sofreu,
amofinou-se...
depois do adeus.

Partiu ao pôr-do-sol
de uma tarde morena...
Partiu com as frias ondas azuis
rumo a um horizonte sem luar.

Em plena tempestade,
gaivotas tentam alçar vôo...
Perdem as asas
num último vôo sem aurora.

As labaredas ardentes
também se foram
levadas pela brisa leve
da solidão.

Mas, por certo,
se reacenderão
na próxima
troca de olhares.

Sorocaba (SP)

19. UMA TARDE
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Quisera eu uma tarde, que fora linda afinal
Chupando jabuticabas do pé, aquele do meu quintal...
Meteria os pés na areia do leito daquele riacho
Me deitaria nas águas, sentindo-as correrem por baixo...

Comeria então um cacho daquela bananinha-ouro
Pisaria no estrume, correria daquele touro
Quisera eu nesta tarde, sentado sob a goiabeira
Pensar em mim e na vida; como é tão passageira!

Quisera eu numa tarde, ficar assim bem à toa
Tomando um café coado, comendo um pedaço de broa
Lançaria pedrinhas no espaço, nadaria totalmente nu
Me jogaria por debaixo daquela bica de bambu...

Comeria torresmo com angu; tomaria um gole de pinga
Cantaria moda de viola, beberia água de moringa
Quisera eu nesta tarde, à sombra de uma laranjeira
Pensar em tudo e na vida; como é tão passageira!

Quisera eu numa tarde, ficar em paz, bem ao léu
Imaginando das nuvens figuras lúdicas no céu
Enamorado e no colo do meu amor, sem demora
Beijar-lhe-ia os lábios e ficaria assim... sem hora!

Comeria manga e amora, me sujaria com prazer
Rolaria pela grama, aguardando o anoitecer
Quisera eu nesta tarde, sentir-me sem eira nem beira
Pensar em nada, e nem na vida; pois que é tão passageira!

Leopoldina (MG), 20 de janeiro de 1998.

20. Ipê Florente
Ana Teresinha Drumond Machado

Como Ipê a adolescência floresce
com esplendor e alegria - sem cor .
Nela - ah! - a doce fantasia cresce:
estágio do enamorar-se – sem dor

Sacar da memória imagens lunáticas
Volver recordações, versar palavras
ouvir música com os olhos nos olhos,
estágio do enamorar-se . Desfolhos

d’alquimia do amor. Raios de paixão,
pulsar o coração e dar juras de amor,
dão mimo, ombro, calor. É atração

fervente e em beijos calientes sentir-se
liberado(a) de emoções em turbilhão:
Ah! Puro exercício do enamorar-se.

Alvinópolis (MG)

21. ENAMORADOS
Gladis Rodrigues Moreno

Pensativa e olhar distante,
Sensibilidade à flor da pele,
Com ansiedade inconstante,
A jovem contempla o horizonte,
O coração batendo acelerado.
É o comportamento dos apaixonados.

Seu ser está frágil,
É pura emoção e sentimento,
Volta-se e olha à sua volta, reage,
A seu favor, tem todo o tempo,
Precisa refazer seus pensamentos,
Vencer incertezas e descontentamentos.

A história não é só sua,
Existe alguém do outro lado,
O motivo de tanta sensibilidade,
Um outro coração apaixonado.
E quando os dois se encontrarem,
Triunfará o amor, haverá paz e alegrias,
Ao realizarem seus sonhos e fantasias.

Enamorar-se, estar enamorado,
É desejo constante de toda a humanidade,
Satisfazer-se, encantar-se com a vida,
Encontrar beleza com realidade,
Saber viver um grande amor sem medo,
Sem dúvidas, com serenidade.

Enamoremo-nos, vivamos o amor em plenitude,
Amor dos amantes, ao próximo, à natureza,
Amor maduro, amor de juventude,
Amor materno, fraterno, amor filial...
Só o amor pode transpor barreiras,
Tornar a humanidade como igual.

Pelotas (RS), 02/06/2009

22. SONETO DE GRATIDÃO
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Louvo aquelas mulheres que me amaram
Aquelas mestras das quais nunca esqueci
Que de formas diferentes me ensinaram
Que tive apenas o amor que mereci...

As mesmas mãos que um dia me afagaram
Deram o adeus que tristonho recebi
Com sutileza e justiça me mostraram
Que tive sempre o amor que ofereci...

Com as lições devidamente aprendidas
Sigo na vida procurando outras guaridas
Na esperança de florir os dias meus...

Pois o amor de uma mulher apaixonada
Encanta o homem que a torna enamorada
Tanto e tanto que o faz sentir-se um deus!

Leopoldina (MG), 03 de setembro de 2006.

23. ENAMORADA... DA VIDA
Marly F. Tamani

Ah! se eu pudesse ser um rouxinol!
namorar a vida
trinar cantigas
brilhar nos olhos
a luz do sol!

Ah! se eu pudesse ser um beija-flor!
namorar o vento
sentir cansaço
dormir ao relento
sentir eterno amor!

Ah! Se eu pudesse ser um canarinho
namorar a lua
beijar estrelas
ser somente sua
viver o seu carinho.

Ah! se eu pudesse ser uma andorinha!
namorar a brisa
beber na fonte
voar livremente
alcançar enfim meu horizonte!

São Paulo (SP)

24. ACREDITANDO
Fernando Alberto Salinas Couto

Que saudade do romantismo,
quando namorar era gostoso,
havia a dama e o cavalheiro
e naquele belo cavalheirismo
ele era muito mais generoso,
com ela sempre em primeiro.

Todos eram mais honestos,
sabiam o que era respeitar
e se namorava, só por amor.
Eles, buscando ser discretos,
para suas amadas conquistar,
lhes ofereciam alguma flor.

As melodias compassadas
levavam de forma lúdica
a dançar de rostos colados.
Hoje, nessas tais baladas,
ao som da música eletrônica,
todos se agitam separados.

Mas, enquanto eu respirar,
serei mais alegria que dor,
mesmo a vida sendo fugaz
sempre estarei a acreditar.
Acreditarei mais no amor,
assim como acredito na paz.

São Paulo (SP), 04/06/2009

25. MUSA MÚSICA
Augusto Pitta
(Composição: Augusto Pitta)



Quando penso em você, meu carinho...
No seu cheiro de flor...
Sinto forte, não sinto sozinho...
Só respiro amor...

E as aves que passam no céu...
Derramando seu vôo de mel...
Senta aqui, meu anjinho...
Fica perto de mim...

Quando beijo sua boca molhada...
Sinto tanta emoção...
Sua ânima anima a jornada...
Dentro do coração...

E as nuvens tão brancas lá em cima...
Que paisagem de paz pra se ver...
O meu corpo reanima...
É hora de te ter!

Salvador (BA)

26. Namorar... Sempre em Paz!
Joyce Lima Krischke

Sim, namorar... Sempre em Paz!
Não importa que tempo faz...
Faça chuva ou faça sol
Com pássaros no arrebol!

Namoro, ilha... beleza!
Mar, céu... plena natureza.
Na noite enluarada...
Sinto-me feliz, amada!

Carícias... beijos ao luar...
Há idade pra namorar?
Deixar o coração sonhar?

Namorar, no dia-a-dia,
Traz Paz, Saúde... Alegria!
Namorar... Viver poesia!

(Ah, como é bom namorar...)

Balneário Camboriú (SC), 04 de junho de 2009 - 23:36 h.

27. De Frente Para o Mar
Marcelo Roque

Você conseguiu me fazer acreditar que,
abrindo a janela do meu quarto,
que fica bem ao lado de uma fábrica abandonada,
eu posso ver e ouvir o Mar
Me ensinou a ler frases inteiras,
que ficam escondidas
nos espaços existentes entre as palavras
Me deu ferramentas para quebrar a ordem do tempo
onde pude dar a cada segundo,
a força e a intensidade de horas
E ainda, ajudou a aprimorar minha caligrafia
de tanto lhe escrever cartas de amor ...
E é por tudo isso, que eu, um convicto ateu,
passei a rezar por você
todas as noites ...

São Paulo (SP)

28. Agradar você
(Mar de Luz)
Dido Oliveira



Azul da cor do mar seus olhos
O ouro do seu cabelo
A sua voz de mel
Seu jeito de menina me fascina

E eu sou todo seu
E quando você vem comigo
Te dou o meu sorriso
Te dou o meu prazer
Até invento o que não sei
Quero agradar você

Invento o que não sei
Quero agradar você...

É manhã de sol
Tudo é bem melhor
Dia lindo de se ver
De sentir prazer
De se apaixonar
Deitar e rolar na areia
Pra ver minha sereia
E poder navegar
Nesse mar de luz
Em seu olhar

Rio de Janeiro (RJ)

29. Namorar... Enamorar-se... Traz PAZ...
Cida Micossi

Moro a três quadras do mar, esse mar que quando pra cá me mudei, me permitia vê-lo pelos espaços entre os edifícios.

O capitalismo, todos sabemos, não perdoa: faz virem ao chão construções onde antes havia quintais arborizados, para erguer insensíveis espigões à minha volta, a cada dia me roubando um pouquinho da vista, um pouco do sol que, teimoso, insiste em flertar com os tímidos cômodos do apartamento onde vivo. Ele chega, dá uma piscadinha e logo é expulso pelas ciumentas sombras das altas paredes vizinhas. A luminosidade, principalmente no outono, é deslumbrante e me permite vislumbrar o intenso azul do céu. Ouço também o canto dos pássaros que se recusam a deixar o quadrilátero já coalhado de concreto e que, sem cerimônia, vêm cantar à minha janela. Sinto-me, então, enamorada: pela vida, pela natureza, pelo próximo que nem sempre se faz próximo e muito menos “enamorável”; vizinhos em sua grande maioria arredios, mal nos dizem “Bom dia!”.

Prossigo com a minha vida. Sinto na pele a brisa, ora o frio ora o calor, não raramente o coração se faz gelado. Então, seja dia, noite ou madrugada, sempre que posso saio à janela da sala para me energizar. E me surpreende constatar que, contrariando essa frieza, ultimamente tem feito parte do meu cenário um casal de pombos apaixonados, postado no alto da caixa d’água de um prédio fronteiriço arrulhando em PAZ num ato de AMOR sem censura.


Santos (SP), 07/06/2009

30. Ela e a Lua
Verney Ferreira Naves

Ela vem toda noite em dias incertos
Quando displicente deixo a janela aberta
E com seus meigos afagos desperto
Na calma tranquila da rua deserta.

Em transes oníricos minha vida anda
Por caminhos que obumbram a realidade
Nesse doce enlevo quando em volta desanda
Vidas, amores, conquistas, mentiras e verdades!

Sinto sua maciez felina, o seu ronrom
Quando o perfume do seu hálito tresvariado
Em delírios hedonistas me mostra o lado bom.

Não sei distinguir meu amor e a lua
Quando confusa num frenesi alucinado
Se esparrama em minha cama toda nua!

Campos Gerais (MG)

31. Enamorar-se
Ilka Vieira

Ah, pudesse o tempo não descolorir
As belezas da alma enamorada,
Poesia que faz o sorriso emergir
Do coração de uma flor bem regada.

Ah, capazes fôssemos todos nós,
Amar sem querer transformar...
A natureza parece-nos um retrós
Mas é transparente como o ar.

Ah, se o coração fosse mesmo cego,
Não reclamaria das imperfeições,
Mas escondido ao peito, usa o ego
E nos faz "donos de todas as razões".

Aprendamos que o amor não se desfaz,
Apenas desaloja-se da austeridade...
Para acolher o amor, é preciso paz,
Não deixar falir a sensibilidade.

Rio de Janeiro (RJ)

32. O amor é lindo?
Cida Micossi

Se tu me falas do amor de pai e mãe
Eu te asseguro, nobre amigo, igual não há.
Do mesmo modo sinto eu o amor fraterno
O amor sincero à natureza e aos animais.

Mas crê, quando falo aqui de amor recíproco
O que acontece entre o homem e a mulher
É certo que o sentimento leva a um equívoco
Porque esse amor é bem difícil acontecer.

O amor é lindo, tu afirmas - e eu questiono
Pois tenho estado em intrínseco abandono
Não é tão fácil ter alguém para se amar.

O amor doído que muito nos faz chorar
Amor que nos presenteia com a solidão
Nesse amor, meu caro, não acredito, não!

Santos (SP), 06/06/2009

33. " DOCE AMOR "
Ângela Torino Paletti

Como a neve que cai
E lentamente se esvai...
Deslizando suave pelos prados e colinas
A emoção que me provocas
É assim...
Como a neve que cai...
Como um fogo que atrai
Numa incandescente paixão!...

Tu me provocas... Me enlouqueces...
Só em pensar no amor!

Desperta-me!...
Aperta-me dentro de ti...
Para que, como a neve que cai
E lentamente se esvai...
Tu sejas neve dentro de mim.

E que caias...
Docemente no meu coração...

Itamonte (MG)

34. Estou Enamorada
Rosângela Coelho

Estou enamorada...
Enamorada da lua,
Do sol e do mar
Enamorada da vida.

Estou enamorada
Do olhar amigo
Da beleza da flor
E em seus braços me abrigo
Transbordando amor.

Encantos do infinito
Me aquecem o coração
E assim me transportam
Para um mundo de emoção.

Estar enamorada traz paz
Traz alegria e contentamento
Nos une na magia do amor
E num só pensamento!

(Webmaster da CAPPAZ) - Curitiba (PR)

35. TEMA: NAMORAR...ENAMORAR-SE TRAZ PAZ (3)
Acróstico Nº 2403 para CAPPAZ
Sílvia Araújo Motta

R-Realizemos nossos sonhos
E-Esperados no louvor do amor!
A-A pedra achada nos caminhos
L-Logo, identificará seu valor...
I-Importa é o grau da disposição:
Z-Zelo que abre a porta à lição!
E-Enfrentemos todos os obstáculos
M-Marcados pelo farol constante...
O-O importante é saber levantar,
S-Sempre perdoar, seguir em frente.

N-Na vida é preciso enamorar-se...
O-O silêncio é de ouro, mas amar,
S-Sempre faz brotar o novo sorrir.
S-Sua PAZ só poderá aumentar
O-O espaço do coração e emoções
S-Solidárias, capazes de unir nações.

S-Só ELOS FORTES podem Amar a Paz;
O-Os versos perfumados e inspirados,
N-Na compreensão do outro ser CAPPAZ...
H-Homens fracos precisam ser perdoados!
O-Os sonhos, somente serão realizados
S-Se o ATO coletivo atender à razão.

Belo Horizonte (MG), 9 de junho de 2009.

36. NAMORAR... ENAMORAR-SE... TRAZ PAZ
Terezinha Ofélia Nascimento Rennó

Namorar?... Já não sei mais!
Fora-se o tempo da disposição,
da espera, do preparo, e nem sei o que mais...
Foram-se as ilusões e os sonhos vãos;
migraram as intenções, os beijos e que tais...

Namorar? Já não sei mais...
Mas aprendi a enamorar-me...
Enamorar-me... Traz-me Paz!

Encanto-me com Bolero de Ravel,
com as crônicas do Jabor.
E se a noite é de luar, olho a lua a pratear
o cortejo erradio dos pirilampos...

Encanta-me o momento de fé, de prece ao Supremo;
a boa conversa num café,
a prosa inteligente, a poesia da gente...

Enfeitiça-me o mirar estrela cadente,
o ouro do sol caindo no poente,
o orvalho no campo florido...

Apaixona-me estar sozinha, meditando:
- Quanta beleza se perde se, namorando,
o outro se lastimando
nos bares da vida, prefere a loura bebida...

Ah! Como é bom enamorar-me:
dos casais passeando na praça,
da chuva molhando a vidraça,
da borboleta azul, voando dentro de casa...

Assim, enamorada do mundo,
encontro o prazer mais profundo
“Cappaz” de sentir-me feliz, saudável e em Paz.

Itajubá (MG)

37. Apaixonado
Pablo Silveira

De boca em boca, de palavra em palavra
O destino entrelaça coração e alma.
A febre é o cego prazer da paixão,
Que transpira o desejo em transtorno
E aperta a garganta em silêncio angustiado.

Não há paisagem porque não há remanso;
Não há remanso porque não há teus braços.
Perdê-los e encontrá-los nunca será desespero.
Tê-los e deixá-los será matiz de sangue
No alvorecer de um romântico apaixonado.

Bagé (RS)

38. Amar e ser.
Joaquim Saturnino da Silva

Amar é mais que uma simples palavra, um verbo. Amor é mais que um “substantivo abstrato”. Aliás, ambos vão além da língua e do próprio pensamento. Por isso, escapam de qualquer qualificação.
Amar – conhecer o amor - é deixar que a mente e coração se compreendam, se entrelacem, transformando o ser. Então, se torna possível, realmente, conhecer o outro, sem prisão, sem dependências. Será possível amar a terra, a árvore e toda manifestação de vida, enfim.
Amar pode ser um gesto ou a imobilidade silenciosa de quem sabe ouvir. Um sorriso ou um olhar, dedicados sem expectativas.
Amar é ser e é só. Por isso é tudo!

São Carlos (SP)

39. Motivos
Odilon Machado

Acontece que teus lábios me interessam
Que teus cabelos me endeusam
Acontece que teu olhar me ama sempre e me entorpece teu hálito
Acontece que teus pés caminham comigo e tuas mãos são finas
taças de bronze ofertando o vinho
Acontece que teus braços me aprazem no abraço
Que em tuas pernas ondulam sereias nadando em meu mar
Acontece que contigo procuro em mim palavras livres.

Porto Alegre (RS)

40. MIS BESOS
Saturnino de La Torre

Como rocío matutino
en las briznas de tu pelo,
como perlas de crital
que brillan en tu cuello,
como luceros encendidos
que rutilan en el cielo
de tus ojos ...
Como brisa de mar
que humedece los labios,
como aroma de azahar
que estimula el recuerdo,
como aletear de abejas
cuando liban la flor,
como espada de fuego
que quema por dentro,
como volcán activado
que irrumpe en el cráter,
como torrente de lava
que busca su cauce
y fija su lecho
en quietud relajada,...
son mis besos en tu boca.

Barcelona (Espanha)

41. VEM AMOR
Gislaine Wächter

amor
estou te esperando
enquanto isso
vou me encantando....

com dia lindo de sol
com noite de lua cheia
com sorriso de criança
e onda beijando a areia

com casais enamorados
com ternura jovial
com chuva na vidraça
malabarista no sinal

com música na vitrola
com a imensidão do mar
com a dança das borboletas
e flor a desabrochar

amor estou te esperando
enquanto isso vou me encantando
pra quando você chegar
toda essa paz te entregar

Balneário Camboriú (SC)

42. TOCAR
Jonas Krischke Sebastiany

Concedidamente
Sem sentido na mente
Sem nexo no coração
Que não pulsa...
Em vão.

Brusque (SC)

43. Encanto-me
Maria de Lourdes Maia Gonçalves

Encanto-me por coisas simples. Por minúsculas flores do campo que se embalam ao vento, por filhotinhos de pássaros piando no ninho, por formiguinhas carregando o seu sustento. Regozijo-me com o canário-da-terra, enamorado, a preparar o seu ninho na copa da paineira.
Enamoro-me pelos penhascos das serras de todos os lugares, pelo pisca-pisca inquieto das estrelas de uma noite de primavera, por aquela florzinha que brota no cantinho do jardim, tímida e bela!
Saboreio o sorriso amigo, aquele que surge das entranhas de seu dono, contagia e causa um bem-estar inenarrável. Delicio-me com a boa prosa. Sem pressa, mansa e aconchegante. Arrebato-me de alegria ao ver uma criança feliz porque se sente amada, um ancião com os olhos brilhantes porque se sente útil simplesmente porque alguém teve tempo para ouvi-lo. Conforto-me quando vejo um doente ter o tratamento que merece (e não sucumbe na fila de espera, nenhum ser vivente merece tamanha humilhação).
Transporto-me em êxtase quando ouço uma palavra de carinho de quem amo (e este carinho pode vir de uma canção ou mesmo da terna brisa). Sorvo este amor com a paixão dos que amam simplesmente porque amam... Amam as pessoas, as estrelas, a lua; as tardes chuvosas e frias, as manhãs ensolaradas; amam todos os bichos. Os cãezinhos, as águias, as borboletas... O rio que não deveria estar agonizando, as matas que não poderiam ser devastadas.
Amo com o amor daquele que ama todo o universo por saber que dele é parte integrante e indispensável, qualquer que seja a dimensão em que viva, pois o amor é isto: encantar-se com o belo. E o belo é suficientemente simples como o brilho das estrelas, como as bênçãos de paz!

Itajubá (MG)

44.

Sers (França)

45. 12 de Junho
Verney Ferreira Naves

Neste nosso dia gostaria de te dar flores
Mas, elas teriam a duração efêmera de uma manhã
E não sendo perenes como meus amores
Penderiam ao solo como uma prece vã

Gostaria de pintar em aquarela
Com as cores rubras deste amanhecer
Este teu corpo e tua face bela
E neste lindo dia te oferecer

Deste meu gesto não me redimiriam
Porque a policromia da aurora e do luar
Ainda que juntas não bastariam
Para pintar as cores deste teu olhar

Ser o sol que desvirgina esta madrugada
E resplandece neste sorriso
Que ilumina a boca de minha amada
Entrevendo-nos o paraíso

Mas de tudo isto, o que mais queria
É que não houvesse distâncias entre nós, porque
Minhas mágoas em teus braços esqueceria
Que bom se existissem só eu e você!

Campos Gerais (MG)

46. ENAMOREI-ME DE TI
Regina Azenha

Enamorei-me dos teus olhos...
sensual mistério eles guardam
e não consigo desvendar...

Enamorei-me dos teus lábios
sensual doçura
que parecem me chamar...

Enamorei-me do teu jeito
às vezes meio sem jeito,
mas que parece procurar...

Alguém que desvende teus mistérios
alguém que te cale com beijos
alguém que possa te amar...

Enamorei-me do teu jeito de menino
que transmite alegria
e me envolve na paz...

Santos (SP)

47. DA ESPERANÇA À SAUDADE...
Eloisa Antunes Maciel

Ele era jovem, belo e arrojado...
E ela uma donzela - ele dizia...
Ele se declarava enamorado,
Mas ela em sua “reserva” persistia...

E um terno namorico se esboçava,
Como promessa, mas com precaução...
Se às vezes no seu carro ela embarcava,
Passeava apenas pelo quarteirão...

Mas ele em seu arrojo persistia:
Corridas pelas pistas apostava...
Até que um acidente ele sofria,
Esse acidente a vida lhe roubava...

E ela em, sua reserva, deplorava
O passamento da pessoa amada...
Se uma esperança então alimentava,
Essa esperança fora sepultada...

Se uma esperança já não mais restava,
Um longo tempo fez-se eternidade...
E nesse tempo ela se enamorava
De uma lembrança que se fez saudade...

Santa Maria (RS)

48. Enamorada da Vida
Regina Coeli

Toma-me pela mão, meu mar infindo,
E vamos, juntos, encontrar meu bem,
Que inda não veio, mas eu sei que vem
Ouvir-te o marulhar macio e lindo...

Brilha, minha alva lua... estás sorrindo!
Pro meu amor tu sorrirás, também,
E a tua luz nos mostrará além
Do que nos mostra o sol, que já vem vindo...

Que desabrochem flores na alegria
De perfumar o ar e as estrelas,
E os passarinhos a fazer folia...

Que eu me inebrie, sempre... só... em vê-las,
Joias da Vida, um ópio que vicia,
E traz-me a Paz e o êxtase de tê-las!

Rio de Janeiro (RJ)

49. Enamorar
Ju Armos

Tudo arriscar pelo único anelo,
Ignorar asfalto, andar em nuvens...
Sabor do beijo e cheiro amado
Permeando mente, pele, coração...
Eis que andam assim enamorados
Buscando paz na vida e ilusão.
Ignorar o tempo, ontem inimigo,
Que afasta e se ri dos desenganos.
Cortejar o mesmo tempo, hoje aliado,
Que atrai em promessas de emoção.
Desafiar preconceitos, arrostar perigos...
Ternamente deixar escorrer das mãos
Os melhores e produtivos anos
Apaziguando delírios apaixonados.
Enamorar... tentar esquecer do outro
E perceber que já não és capaz.
Porque o outro também és tu
E que somente unidos terão paz!

Porto Alegre (RS)

50. Te quero
Mariângela Rodrigues Repolês

Espalhei gotas de suave fragrância
de vinho rose docemente gelado
em taças silenciosas espumantes
de lábios vermelhos embriagados.
Senti teu cheiro de macho torturante
em zigzag em meus pequenos seios,
desmedido desejo em ventre, virilha
doce azeite de mirra, de perfumaria.
Meu corpo ao teu febril, excitado,
tua língua à minha juntas, abraçadas
percorremos segredo, toques perfeitos,
desnudo aconchego gratuito de beijos.


Quero-te
Mariângela Rodrigues Repolês

Esparcí gotas de suave fragancia
de vino rosé dulcemente helado
en copas silenciosas espumantes
de tus labios rojos embriagados.

Sentí tu olor de macho torturante
en zigzag en mis pequeños senos
desmedido deseo en vientre, ingle
dulce aceite de mirra, de perfumería.

Mi cuerpo a lo tuyo febril, excitado
tu lengua a la mía juntas, abrazadas
recurrimos secretos, toques perfectos
desnudo agasajar gratuito de besos.

Alvinópolis (MG).

51. Ciranda de Junho
Meimei Corrêa

Encerra-se a Ciranda “Namorar...
Enamorar-se... Traz Paz “... Com certeza...
Desejamos que o amor possa brilhar
Em cada coração com sutileza.

As participações para nós são
Como estrelas que brilham lá no céu,
Abençoando a CAPPAZ, nossa estação
De versos e esperanças. Fino véu

De inspirações se estende no caminho
Dos homens com seus sonhos e desejos.
Vamos aproveitar, então, o ensejo:

Tornar este recanto o nosso ninho
De nobres sentimentos e união
Pela paz, pelo amor, com emoção!

Campos Gerais (MG)

 

 

 

SELO DE PARTICIPAÇÃO

Pegue seu selo de participação na 11ª Ciranda Mensal CAPPAZ - "Namorar... Enamorar-se... Traz Paz...", clicando com o botão direito do mouse e em salvar como.

 

 

 

 


|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

 

Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados