CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
 

 

À GUISA DE INTRODUÇÃO E AGRADECIMENTOS

Amados confrades e confreiras, ao longo dos séculos muitas musas encantam-nos, comove-nos e, nos conduz ao êxtase das paixões arrebatadoras ou a multiplicidade dos sentires; fazem-nos – a nós os poetas, artistas plásticos, músicos – delirar em versos e /ou prosas, em formas melodiosas e ritmadas ou... simplesmente em versos brancos. Quer em forma lírica ou contundente, encanto e sedução, surrealismo, concretismo, e, tantos outros ‘ismos’ avassaladores que, ao final são traduzidos como que, ‘simples...’ dom, inspiração.
Porém, há uma ‘musa’ perene que, nos acolhe; que provem o nosso sustento, o oxigênio para a nossa vida. Supre-nos sem restrição. Nada nos cobra além do nosso zelo por sua preservação, imprescindível para a nossa continuidade e bem-estar; e nos dá o último abraço, e funde-se conosco nesse abraçar – a terra, da qual, é formado o nosso planeta.
Nesta 19ª Ciranda Mensal, restrinjamo-nos a temática: “O DIA MUNDIAL DO NOSSO PLANETA TERRA!”

À todos quantos, colaboraram quer direta ou indiretamente, com mais essa 19ª CIRANDA CAPPAZ Em Homenagem ao “Dia mundial do nosso planeta terra” os meus, os nossos agradecimentos e apreço; à Joyce Lima Krischke Presidente-Fundadora - CAPPAZ e ao Presidente de Honra J.Jota Oliveira Gonçalves, a nossa gratidão pela diretiva CAPPAZ .

Recife/PE, 12/04/2010.

EstherRogessi
Coordenadora da 19ª Ciranda Mensal - CAPPAZ
Presidente Seccional CAPPAZ/PE;
2ª Vice-Presidente Nacional CAPPAZ.

 

PARTICIPANTES

01- Esther Rogessi
02- Celso Corrêa de Freitas
03- Glória Dávila Espinoza
04- Sandra Almeida
05- Akasha De Lioncourt
06- Pablo Silveira
07- Humberto Rodrigues Neto
08- Leonardo André Oliveira Neto
09- Stella Vives
10- Aparecida de Lourdes Micossi Perez
11- José Antônio Gama de Souza - Balzac
12- Joyce Lima Krischke
13- Marly Feliciano Tamani
14- Adriana Pontes Mendes
15- Daniel Brasil
16- Judite Krischke Sebastiany
17- Marco A. Amado
18- Fernando Alberto Salinas Couto
19- João José Oliveira Gonçalves
20- Júlio Carneiro
21- Gislaine Wächter
22- Jonas Krischke Sebastiany
23- Léon Lambert
24- Ana Teresinha Drumond Machado
25- Eurydice Meimei de C. Corrêa
26- Tânia Maria de Souza
27- Kedma O'liver
28- Sílvia Araújo Motta

 

 

 

PARTICIPAÇÕES

-01-
O NOSSO PLANETA TERRA
EstherRogessi

Contemplo a amplidão do céu, mar, terra e ar...
Riquezas inarráveis, beleza infinita...
No céu voo alçado por um pássaro afugentado, pelo tiro disparado,
De um caçador irado, que nele não vê beleza...
Predador, contraventor, da bela natureza!
O nosso planeta terra se encontra ameaçado...
Caçadores, pescadores, e os tais incendiários,
que devastam nossos campos, tacam fogo no plantio, da cana-de-açúcar ouço o assovio;
de um pássaro o triste canto!
Bem-te-vi, bem-te-vi... Bem que vi o bem-te-vi, dizer ao homem desalmado num falar codificado: Bem-te-vi! Bem-te-vi...
Nas matas descer o machado;
bem-te-vi... Troncos seculares tombados.
O planeta está irado... Os mares revoltados, os morros e às encostas, invadidas, logo mostram estarem sendo incomodados...
Quero voltar ao passado!

Recife (PE)

-02-
MÃOS UNIDAS PELO PLANETA
Celso Corrêa de Freitas


Somos tão frágeis quando confrontados com as reações da natureza desse Planeta que habitamos e mesmo assim, insistimos no nosso dia-a-dia em nos alimentarmos de atitudes que não nos dignificam como seres humanos. E o que é ainda pior, nos distanciam dos nossos próximos.
Amanhã, numa tragédia como essa que hoje assola o Haiti e que nos assusta, a mão estendida a tirar você do perigo poderá ser a de um desconhecido, mas poderá ser também a mão daquela pessoa que hoje na sua rotina diária, você quando não ignora, trata com desdém.
Talvez seja essa a grande mensagem, oculta nesses atuais acontecimentos catastróficos. Através de imagens tão fortes, temos a oportunidade de vermos que o que de fato precisamos para enfrentar adversidades é ser, um só SER.
E um só SER, representa a salvação da humanidade. Isso por que um SER só, sequer conseguirá salvar a si próprio.
Portanto o caminho é fazer das suas ações a mão que salva e não a mão que se omite ou que agride.
Devemos enfrentar irmanados, os infortúnios, pois aqui nascemos para viver e sermos felizes.
O que existe de melhor nesse Planeta, será sempre... Eu, Você e os outros!
E a vida nele só depende de nós.

Praia Grande (SP), 14/01/2010 – 23h00min

-03-
FUEGO DEL CADALSO A OJOS VACUOS DE AMBURANA CEARENSIS (KANTOS DE ISHPINGO)
Gloria Dávila Espinoza

Soy...
moud,
muud,
hammaca...
hamaaaaaaaaaaaaaaca…
…amburana cearensis
hija y madre,
padre y abuelo
de
loros machacos
pumas,
águilas,
jaguares
y caimanes
deslizándose dócilmente
en anatomías de cuerpos
tupidos de pigmento en arco iris
de aire puro
en simbiosis.
Soy
fuego
y sombra
si tú lo quieres
hamaca,
cruz,
cadalso
o portal de luz
bebida de
calma
de guerra
y látigo de
fuego
hielo
tibio
y candente.

Soy...
esencia
de tu vida
de tu muerte,
de tus ojos
que hoy son
gruesas
gotas de ríos
en raudas caídas
de plata
o diamantes ocultos
en tupidas selvas vírgenes,
y tú vienes
mezquino
y resumes
mi cuerpo
a páginas antiguas
de alcobas
de alelí
orquídeas
o
nauseabundos olores
repleto de alcoholes
en tanto
oigo el canto
de mis tristes aves
que a mi puerto arriban
dibujando sonrisas
hecho sólo ecos
que a tu razón
le son
nada o poco;
indiferentes.
Soy la Madre Diosa del Mundo,
soy...
esfinge elemental
ritual de imágenes
Iaooooo,
iaaaaaoooooo…
alma primordial,
soy del viento la cumbre
y de la mar sus profundas aguas.

Hoy...
te miro desde aquí,
desde mi elaborada sabia
en súmmun de raíces
fundidas en tierras profundas
entre ronsocos,
jabalíes,
shapajas
setas rojas
añujes,
manatíes
que en danza triunfal
pipean
el humo del toé
pero,
eso soy si lo quieres
y
acaso no…
tus manos
tus garras
pezuñas
tu cuerpo
y mente
tu magma
y etérica esencia
pero,
no olvides…
que mientras
en tu altar
Sueñas
espejos mágicos
no habrá mañanas.
Soy tu esencia
tu alimento
tu pútrido vientre
o tu límpido fin
hecho sonajas,
tu génesis,
tu alfa y omega
Tu averno o ciénagas.

Soy…
eso soy
y mucho más
un árbol (sombra)
hecho cenizas
de perdidas semillas
que arrastran cadenas
desde ayer
hoy
y
siempre.
¡Eso soy…, si tu lo quieres, sólo sombras y muerte!

Lima - Perú


Del LIbro "Kantos de Ishpingo", Manoalzada Editores, Lima-Perú, 2007

-04-
CHORO DO RIO
Sandra Almeida

Chegaram várias pessoas,
diziam-se inteligentes!
Queriam modernizar,
modificar a natureza.

Momento oportuno,
mudar a vida do rio.
Ganância e sorrisos,
mediram e partiram...

Sequer viram a lágrima,
solitário tentou um verso.
Era um pedido firme!

Tentou e chorou muito,
mas hoje restou o luto.
Espere... quem viu o rio?

Esqueçam... ele sumiu,
o mundo dormiu, ele sumiu.
Abraçado a si, ele ainda chora!

Cacoal (RO)

-05-
NATUREZA: MÃE
Akasha De Lioncourt

Mãe que prepara o berço,
E nos dá o alimento,
O fruto mais doce,
A água mais pura.
Mãe que dá o remédio,
Da árvore mais frondosa,
Da folha mais verde,
Da flor mais perfumada.
Mãe, que nos pede socorro,
Por todas as queimadas,
Por toda a destruição,
Que causamos em suas matas.
Mãe que nos implora piedade,
E nos mostra as cicatrizes,
Por todas as atrocidades,
Que o homem já realizou.
Mãe que finalmente se cansa,
De ter tanta esperança,
Que um dia tudo modifique.
E, finalmente, ela nos castiga,
Com enchentes, nevascas,
Entre outras tantas calamidades,
Como uma forma de mostrar,
Que apesar de ser Mãe,
Ela também pode se zangar.

Bauru (SP)

-06-
A FOLHA E O MUNDO
Pablo Silveira

Nesta folha pura,
transcrevo encardido olhar
de mundo:
turvo está o céu;
turva está a terra;
turvo está o oceano:
turvo tudo está.
Só não deixa de estar
a insanidade do colóquio
dos homens,
posta nas folhas
pragmáticas
de metálicas catedrais,
assinadas durante o sono
da consciência
imberbe dos contingentes
humanos
escondidos por detrás
da frondosa obsessão
de ter-se
o céu,
a terra,
o oceano.

Bagé (RS)

-07-
REVERTÉRIO
Humberto Rodrigues Neto

Todos nós nos sentimos apreensivos
com as catástrofes da natureza,
que até parecem atos punitivos
a encher o globo todo de tristeza!

No brasileiro sul, farto de encantos,
cai um dilúvio que jamais termina;
São Paulo, Rio e Santa Catarina
mesclam às chuvas seus doridos prantos!

Na América Central, ferros retortos...
entranhas de edifícios nuas, ao léu...
É o caos do Haiti a suplicar ao céu
crença e coragem pra enterrar seus mortos!

Nem bem refeitos de sorte tão rasteira,
eis que o mar cospe, desde o limbo interno,
todas as ondas que guardava o inferno
sobre a indefesa e tão gentil Madeira!

Em sequência ao diabólico desfile
dessa tragédia que no globo explode,
eis que o solo convulso se sacode
e espalha a morte e o luto pelo Chile!

E do tempo a fatídica ampulheta
lança o Brasil nos mais cruciais assombros
a jogar chuva, morte, sangue e escombros
na mais bela cidade do planeta!

De olho no lucro que lhe estufe o cofre,
o homem lança nos céus toda impureza,
depois reclama contra a natureza
por devolver-lhe as agressões que sofre!

São Paulo (SP)

-08-
NOSSO MUNDO
Leonardo André

(coral)

Neste mundo em que vivo
já não sei mais quem eu sou
não sei por que existo
de onde vim, nem pra onde eu vou
aqui só existem guerras,
morte, fome e desolação
crianças chorando
sem ter para onde ir
e a bomba atômica sem coração (BIS)

Este mundo não me pertence
não é aqui que eu quero morar
eu quero um céu cheio de estrelas
aonde eu possa, ao menos, respirar

quero ver meu vizinho alegre,
eu quero ver uma rosa nascer,
quero ver uma criança sorrindo
eu quero ver o amor vencer

Bis

São Paulo (SP)

-09-
TERRA MULHER
Stella Vives

Em teus seios,
rios alimentam ,
fartam a sede dos homens ,
das plantas e dos animais...
Em teus vales, florescem
as mais lindas flores,
os mais lindos pinheirais...
Em teu ventre,
guardas as sementes das raças,
de toda a humanidade...
Em teus braços,
seguras o homem,
como a mãe ao filho,
guiando seus passos.
Em teu coração,
carregas a sabedoria milenar,
mas também as dores
do sofrimento das guerras,
da crueldade de quem não sabe amar...

És tão bela,
Terra Mulher,
que muitos dos teus filhos,
aqueles que te amam,
guarnecem teu corpo
como quem vela por um tesouro..
És a mais perfeita das mulheres...
Vales muito , muito mais que o ouro
e os diamantes preciosos
que guardas em tuas entranhas...

Tua magnitude está presente
em cada célula dos nossos corpos,
teu corpo é nosso deleite,
nosso descanso, nossa vida!

Tua atmosfera ,
o ar que respiramos,
é o sopro da vida ,
que nos presenteias ,
todos os dias,
quando os olhos abrimos.

E um dia,
Terra Mulher,
ao teu ventre voltaremos...
E nessa terra floresceremos,
como almas que passeiam
sobre a mulher eterna que és!

Porto Alegre (RS),02/03/09


-10-
MÃE TERRA
Cida Micossi

Compacto planeta
De mais denso corpo
No espaço sideral
Grande parte coberta
Por um lençol d’água.
É o único local
No imenso Universo
Onde a Vida existe.

Este “Pálido Ponto Azul”*
Do espaço foi visto
Desde o Norte até o Sul

Deusa da fertilidade
Mãe que dá e tira,
Sustenta e possibilita
A ordem no mundo.

Nutre, mas devora
Os seus próprios filhos
Quando eles perecem.

Filhos esses hoje
Que sem consciência
Dela tudo tiram
Sujam-na e aviltam
Perfuram, alteram
Toda a sua essência

Suas placas tectônicas
Remexem-se atônitas
Mandando o recado
Através de sinais
Por muitos ignorados.

Mas ao seu poder
Nada se compara
Quando a ira irrompe:

Pela força d’água...
Por febris tremores...
Por lágrimas de fogo...
Bradando por Amor!

Santos (SP), 20/04/2010

*Sagan, Carl. Pale Blue Dot: A Vision of the Human Future in Space. 1st edition.ed. New York: ISBN 0-679-43841-6

-11-
TENHO QUE AGRADECER
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Senhor:

Pelo sabiá que canta melodia divina
Nos galhos de minha jabuticabeira
Acordando-me toda manhã
Tenho que agradecer

Pela terra onde está a jabuticabeira
E a casa onde está o meu lar
E o lar onde está minha família
Tenho que agradecer

Pelo meu despertar saudável e feliz
Com meu corpo perfeito e apto
Para a vivência diária
Tenho que agradecer

Pela bebida que tomo, pelos amigos e o lazer
Pela comida que como e pelo prazer
Pelo conforto que desfruto
Tenho que agradecer

Senhor:

Só não agradeço pelo sangue que estupidamente corre
Pela História, pela Irlanda, pelo Oriente...
Nas cidades, florestas e desertos, em Teu nome
Mas... não é o Teu sangue!

Só não agradeço pela desgraça da ganância
Que gera fome, doença, violência e miséria
Em todos os cantos do mundo
Mas... não é o Teu amor!

Só não agradeço pela depredação, destruição
E envenenamento do planeta
E por suas catastróficas conseqüências
Mas... não é o Teu desejo!

Portanto, eu tenho que agradecer pelo que és
E pedir perdão pelo que não és...

Pela culpa de nossos humanos atos
Por não entendermos também
Que nosso destino é o Bem
A cooperação entre os seres
A harmonia da Vida e a Paz,
Na Terra,
Amém!

Leopoldina (MG)

-12-
A GOTA...
Joyce L. Krischke

Ah! A gota caindo da folha...
Sim, numa aurora orvalhada
O dia amanhece com sol. Olha!
Hoje, o que nós fazemos? Nada.

Mãos inertes, braços cruzados...
Esperando milagres naturais.
Ar poluído, matos queimados.
Mãe-Terra ouvindo nossos ais.

É chegada a hora da razão:
Usemos nosso meio de ação
Por favor, façamos nossa parte

com versos, com música, com Arte!
Sejamos a gota d’água “CAPPAZ”
De agasalhar a Terra em Paz!

Porto Alegre, 20/04/2010- 01h30min

Vamos todos cirandar
E a Mãe-Terra cantar?

-13-
A FACE DA VIDA
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Vê a Terra que me nega
Vê a face que me nega
Vê a Terra que me negas
Vê a face que me negas

Nega a face que me beija
Nega a Terra que me beija
Nega a face que me legas
Nega a Terra que me legas

Face a face com o beijo
Face à Terra que me legas
Face a face com a Terra
Face à face que me legas

Vê a face que me beija
Vê a Terra que me beija
Vê a face que me legas
Vê a Terra que me legas

Vê a morte que me legas
Vê a sorte que me beija
Vê a morte que me beija
Vê a sorte que me legas

Beija a fome que me beija
Beija a sorte que me beija
Beija a face que me beija
Beija a morte que me beija

Beija a fome que me espreita
Beija a sorte que me espreita
Beija a face que me espreita
Beija a morte que me espreita

Vê a vida que me negas
Vê a vida que me beija
Vê a vida que me espreita
Vê a vida que me legas...

Leopoldina (MG)

-14-
MAJESTADE MÃE TERRA
Marly Feliciano Tamani

O sol a pino no céu límpido e majestoso.
Aqui, acolá, formando ramalhete frondoso
e atravessando campos de flores coloridas
vou colhendo perfumes e matizando a vida

suaviza o ar da manhã em gotículas de orvalho,
saltitantes e atrevidos, de galho em galho
clamam o canto dos pássaros, minha atenção,
anunciam o amor à esse apaixonado coração

contemplo extasiada o esplendor da mãe natureza,
da águia alçando o vôo em magistral beleza,
magnífico quadro pintado pelo autor da vida,
gerando nos recônditos de sua essência sobrevida.

pendem frutos das árvores altivas e frondosas,
que mesmo ulceradas pelas pedras dolorosas
oferece ao predador seu alimento, sem medida
e a sombra amiga, muitas vezes imerecida.

a primavera faz sonhar em magnífico fadário,
conspira e trama para eu poetizar esse cenário,
curva meu espírito perante tamanha dádiva radiante
nesse encontro de paz e harmonia exuberante.

a cada novo dia possa eu me deliciar à contemplação
que deixo, muitas vezes, por falta de tempo e atenção.
Mãe natureza, criação abençoada do Pai Universal,
presente magnânimo em seu banquete espiritual!

São Paulo (SP), 08/11/2009

-15-
OS AIS DO NOSSO PLANETA
Adriana Pontes Mendes

Qual mãe se doando, moída em meio aos ais
Sigo alimentando aos filhos que tristeza me traz...
Matas devastando a golpes de machados, ais!
Os rios contaminando, os peixes matando, ais!

Sou-lhes vida e vigor, fortaleza, remédio pra sua dor.
Em troca, morte, devastação, guerras muitos ais!
Qual mãe se doando, moída em meio aos ais
Sigo alimentando aos filhos que tristeza me traz...

A ganância dos meus filhos que a serra elétrica traz.
O meu azul se obscurece, às geleiras se derretem...
Tsunamis, tempestades, furacões... terremotos, aflições!
Tantos golpes desferidos a linda árvore no solo jaz!
Sigo alimentando aos filhos que tristeza me traz...

Recife (PE), 24/04/10 às 11h18min.

-16-
A RESPOSTA DA NATUREZA
Daniel Brasil

O homem não respeita
O nosso lindo ambiente
Por isso a natureza
Não está nada contente
Em alguns lugares secas
Tudo isto acontece
Porque o homem desobedece
As leis do Onipotente
Desta agressão do homem
A natureza não gosta
Por estar prejudicada
Ela está dando a resposta

Estão derrubando árvores
Também fazendo queimadas
As forças da natureza
Ficando prejudicadas
E nesta desorganização
Vêm as grandes chuvaradas
Torrencialmente alagando
A terra se deslizando
E pessoas soterradas
Este homem animal
Que destrói a natureza
Não percebe que a mesma
É nossa grande defesa
Por ganância do dinheiro
Ele não tem gentileza
E segue ignorando
Acaba se matando
Com espírito de pobreza

São gritos de socorro
Por causa da crueldade
Resposta da natureza
Devido tanta maldade
Tudo isso que acontece
Reflete na sociedade
E a vida vai assim...
Pressinto um triste fim
Desta tal humanidade

Porto Alegre (RS)

-17-
DIA MUNDIAL DO PLANETA TERRA
Judite krischke Sebastiany

Algo maravilhoso está acontecendo,
Não sei se a tempo ou tarde demais.
Quero crer que ainda há tempo.

Depois de muitos anos dominados
pelo desejo de explorar e dominar,
brilha uma luz, rompem-se as correntes.

Depois de muitos anos calada, submetida,
A voz da verdade, da sensibilidade, tem vez.
Muitos hoje falam, apelam gritam: - Vida!

Alguém se dedicou a observar a terra.
Alguém se preocupou com sua destruição.
Alguém argumentou, buscou aliados...

Alguém, mais outro alguém...
Muitos se uniram e persistiram.
Ainda não cansaram, e não cansarão.

Porto Alegre (RS)

-18-
TERRA, NÃO ME CALAREI!
Judite Krischke Sebastiany

Terra não é apenas um componente do sistema solar
Terra não é apenas um aglomerado de minerais.
Terra é o nosso planeta, o nosso lar.

Quem haverá de deixar desabar sua própria casa,
Seu abrigo, seu lar, seu aconchego e provisão?
Quem poderá ser assim tão teimoso e cego?

Não serei eu, não será você, nem nosso vizinho.
Não será nosso irmão, sócio ou amiguinho.
Não será quem tem coração e carinho.

-19-
MÃE TERRA...
Marco A. Amado

Fui prá lá...
Vim prá cá...
Rascunhei e rasurei...
Mas não encontrei
Uma forma alegre
De a Mãe Terra homenagear
Pois como me alegrar,
Se nós animais,
Que nos intitulamos racionais,
Agredimos e destruímos
Aquela que nos dá abrigo,
Fornece alimento e vida,
Mata nossa sede,
Lava nosso corpo e alma
Com suas águas puras e límpidas!
Acalenta nosso ser,
Através da natureza,
Com uma esplendorosa beleza?

Meus olhos marejados...
Observam que mesmo maltratada e açoitada
Ela mantém seu viço!
Mas até quando esta grande Mãe
Suportará tamanha agressão
E desmazelo?

Torço para que nós animais (irracionais)...
Sejamos capazes de reverter esta situação
Dando a está bondosa Mãe...
Oportunidade de recuperação.
Para que nossos filhos e netos
Vivam num mundo melhor...
Com uma natureza exuberante
Ar e águas limpos
Florestas multicoloridas
Rios e mares límpidos e repletos de vida
Aves em revoada
Uma verdadeira festa!
Onde o amor e paz
Misturam-se a esta nova ordem
Transformando tudo e todos...
Que habitam nesta Mãe de grande coração...

Ilha do Governador (RJ), 25/04/10

-20-
COMO SERÁ TEU DIA TERRA ?
Fernando Alberto Salinas Couto

São projetos, leis e decretos
com que seres de sangue frio,
pela ganância e impunidade
mudam florestas em espectros,
desviam até os leitos dos rios,
conduzem ao fim a humanidade.

Ó Senhor! Quem hoje enterra
seu filho morto por inanição,
ergue ao céu seu triste olhar,
esperando a salvação da terra.
Acredita e com toda devoção
que tudo ainda pode mudar.

Ó Senhor! Ele não sabe rezar.
Seu algoz não sabe o que faz.
Então ouça quem sabe poetar
E atenda quem clama pela paz.

São Paulo (SP), 26/04/2010

-21-
PEQUENA PRECE FRANCISCANA...
J.J. Oliveira Gonçalves

Grande-Pai!
Que o bicho-homem enxergue a Luz Divina e Sagrada do Criador sobre sua cabeça.
Que o bicho-homem cultive o Amor e a Paz.
Pratique o Bem e a Igualdade.
Respeite a Mãe-Natureza e os irmãos-animais!
Que reconheça o Ventre da Terra - seu Primeiro e Derradeiro Útero. Que se dê conta de que a Mãe-Terra não lhe pertence - como afirmou, há muito, o Grande-Chefe Seattle. Que, portanto, o homem pertence à Terra - e não o contrário.
Que esse bicho-homem, tão perverso, covarde, arrogante e ambicioso, olhe nos olhos dos animais e não somente veja, mas Sinta que nesses olhos também resplandece uma Fagulha dos próprios Teus - Deus e Criador!
AMÉM!

Porto Alegre (RS), Outono/2010.

-22-
VISITANTE DOS VELHINHOS
Júlio Carneiro

Balneário Camboriú (SC)

-23-
DIA INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA
Gislaine Wächter

Balneário Camboriú (SC)

-24-
AMANHECE NA MATA ATLÂNTICA
Jonas Krischke Sebastiany

Brusque (SC)

-25-
AUTOMNE
Léon Lambert

França

-26-
SÚPLICA
Ana Teresinha Drumond Machado

Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor
para os nossos filhos e, esquece-se da urgência de deixarmos
filhos melhores para o nosso planeta.
(Autor desconhecido)

Choro a seco, minhas lágrimas
estão emurchecendo
gota
a
gota.

Já estou quase deserto.
Tua súplica! Ela é cara-seca.
Não mais me comove
tua queixa.

Sinto-me carente de zelo...
As águas são cachoeiras
desregradas nas torneiras...
A poluição me sufoca...
Sinto-me sem ar... debelado
O calor está vulcânico.
O frio congela minh’alma.
Vejo próximo o meu fenecer.

Lamento minha revelação:
Não irei só. Tu irás comigo!
Não sejas surdo! Rogo-te!

Alvinópolis (MG)

-27-
HOMENAGEM AO DIA MUNDIAL DO PLANETA TERRA
Meimei Corrêa

Meus filhos estão sempre preocupados
Em proteger nosso Planeta Terra;
Agem com respeito e zelo dobrados
Para que a Paz possa vencer a guerra.

Guerra que se trava no dia a dia
Por poder, inveja e por ambição.
O amor vira escravo da hipocrisia...
Sofre a natureza tanta agressão!

Eles pedem sempre que Deus perdoe
Os homens por suas más atitudes
E que nos proteja, nos abençoe,

Ilumine sempre o nosso caminho,
Para que sejamos leais às virtudes
Doando ao Planeta amor e carinho!

Campos Gerais (MG)

-28-
IPÊ AMARELO
Tânia Maria de Souza

Balneário Camboriú (SC)

-29-
MEIO AMBIENTE
Kedma O'liver

Sol, lua, estrela,
terra, céu, mar,
Barcos à vela
Em doce bailar

Em casas de pau a pique
ou em mansões, isoladas,
pessoas felizes
em suas moradas

Peixe na rede
lago, rio ou mar.
Animais bem cuidados
em seu “habitat”.

Ruas bem limpas
para o povo passar.
Lixos separados
para não contaminar.

Pessoas conscientes
do que se precisa fazer
em prol do planeta terra
para ele não morrer.

Esse é um sonho
que podemos ajudar,
cuidando do meio ambiente
como do nosso lar.

Santos (SP)

-30-
DIA MUNDIAL DO PLANETA TERRA: 22 DE ABRIL
Sílvia Araújo Motta

P-Pode-se demonstrar no viver-
L-Linha sociofilosófica humana-
A-A incompatibilidade que existe
N-Nas idéias e comportamentos
E-Em relação à REALIDADE do Ser,
T-Tão simples às vezes, e na sociedade
A-Apresentam grande complexidade.

T-Tudo depende do relacionamento!
E-Envolvimento do MEIO e pensamento.
R-Revela um caminho de felicidade.
R-Resta à HUMANIDADE interagir
A-A Consciência com o AMBIENTE.

P-Pode a humanidade-autoridade na Terra,
L-Lutar pela ÁGUA, FAUNA e FLORA?
A-Acabar com a escalada CRIMINOSA,
N-Nascente e crescente que a vida encerra?
E-Enérgica proibição à QUEIMADA
T-Traz fiscalização poderosa, mas não
A-Atende à Floresta que ainda chora!

T-Terra fértil, agradável, maravilhosa!
E-É indescritível o ato de COVARDIA
R-Relacionado à consequência assombrosa...
R-Riquezas que esgotam toda a sua valia,
A-Agora, a natureza implora o SOCORRO!

P-Providências nacionais urgentes,
L-Leis e Ações com prioridade vital...
A-Autoridades, internacionais agora,
N-Na real necessidade moral mundial
E-Estão alertas e pesquisam conscientes!
T-Totalmente abandonada, sinalizam:
A-AMAZÔNIA implora clemência!

T-Terra soberana de raríssima beleza,
E-Elegante-vestida de esperanças-
R-Responde a gritar, com certeza,
R-Reage por AMAR jovens, crianças,
A-Adultos que são partes da natureza.

P-Plantas com excesso de clorofila,
L-Levemente balançadas pelo vento,
A-Apresentam gratuitamente, alento
N-Nas flores perfumadas. A Flora
E-E a Fauna, de mãos dadas ao relento.
T-Todo o céu azul, SEM NIMBOS...
A-A humanidade, com seus talentos...

T-Tudo é PAZ E AMOR, sem a guerra!
E-Exercício de FRATERNIDADE universal
R-Resgata a liberdade total na terra,
R-Razões de sobra, no valor transcendental,
A-Ao mar, apenas a calmaria encerra.


Belo Horizonte (MG), 22 de abril de 2010.

 

 

 

SELO DE PARTICIPAÇÃO

Pegue seu selo de participação na 19ª Ciranda mensal CAPPAZ, clicando com o botão direito do mouse na figura e em salvar imagem como.

 

 

 





|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

 

Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Fundo Musical Nosso Mundo de autoria do Confrade Leonardo André
Todos os direitos reservados