Utilize esse comando para parar
a música de fundo e os respectivos
comandos para ouvir as demais
músicas.


 

 

INTRODUÇÃO

Tomarei como fonte de luz a esta introdução três pilares etimológico-temáticos cujo objetivo é levarmos da reflexão à ação:

fraternidade s. f.
1. Parentesco de irmãos ou irmãs; 2. União fraternal; 3. fraternizar 4. Fazer demonstrações de fraternidade, de boa harmonia e amizade.5. Simpatizar 6.. Fazer causa comum. 7. Comungar nas mesmas ideias. 8. Unir como irmãos.

vida s. f.
1. O período de tempo que decorre desde o nascimento até à morte dos seres; 2. Modo de viver; 3. Comportamento; 4. Alimentação e necessidade da vida; 5. Ocupação, profissão, carreira; 6. Princípio de existência, de força, de entusiasmo, de atividades!atividade (diz-se das pessoas e das coisas); 7. Fundamento, essência; causa, origem; 8. Biografia.vida civil: os direitos civis. vida eterna: vida futura, a outra vida, a existência espiritual depois da morte. A bem-aventurança, a glória eterna.

planeta (ê)s. m.
1. Astro que gira à volta do Sol e se nos apresenta luminoso pela reflexão dos raios solares; 2. A Terra, este mundo; planetas inferiores ou interiores: os que giram entre a Terra e o Sol (Mercúrio e Vênus); os outros se chamam superiores ou exteriores.


Farei uma inversão para imprimir sentido no que desejo abordar: nosso planeta parece estar abandonado, ou melhor, subjugado às notórias imprudências de um povo que, embolsado da criação, por interesse próprio, ganância e menosprezo, deixou–o à revelia da destruição. Em conseqüência disso, o que era apocalíptico tornou-se veracidade pavorosa e assustadora. O impacto dos riscos geológicos nas nossas vidas e na economia é enorme e deixa de ser profecia para se posicionar bem perto de nós. Ele marca presença seja através de inundações com tsunamis, tempestades, incêndios, sismos, deslizamentos e abatimentos de terras e é responsável pela perda de milhares de vidas, incontáveis feridos e lares destruídos. Apaga esperança, consome a terra, extingue vidas.

É certo que a vida é o estandarte da criação. Para que ela não sucumba, não vire destroços, cinzas, fósseis, sertão ... urge que comunguemos um único pensamento: fraternizar para que a vida não fique desamparada, não seja assassinada por nós mesmos.

A grande casa da humanidade é o planeta terra e nesta casa vivem quase sete bilhões de pessoas. Precisamos de uma ação conjunta, fraterna – destes filhos de uma solícita Mãe-Terra que pede, implora, roga por cuidado, zelo e carinho. “A criação geme em dores de parto” Rm 8:23. A exemplo do Haiti e do Japão, no mundo e no Brasil, a desestabilização ecológica vem acontecendo e o pior, vêem sendo anunciados ainda muitos e muitos desastres naturais. Será, então, a natureza a vilã?

Muito se fala em desenvolvimento sustentável e controle do meio ambiente, todavia o ato de falar é pouco significativo e representativo.

O único caminho possível para que a harmonia do planeta seja recobrada é que nos abracemos, nos demos as mãos por esta causa mundial em que não há cogitação de poder e de raça; se Europa, Ásia ou África . Importa: fazermos. Importa refletirmos continuamente que: fraternidade e a vida no planeta devem ser a identidade de cada ser da criação.

Ana Teresinha Drumond Machado
Presidente Regional Minas Gerais/MG
Presidente Seccional Alvinópolis/MG

 

 

 

AGRADECIMENTO

Li a nossa ciranda "Fraternidade e Vida no Planeta", e aqui vai nosso agradecimento carinhoso a todos os 34 participantes, em forma de um poema em versos livres, composto de versos dos primeiros 10 participantes. Não incluí todos na poesia de agradecimento, porque ficaria muito longa:

Construindo um mundo novo, Rosângela,
nas asas da liberdade, Sidnei,
queremos ver o amor vencer, Leonardo,
lembrando-nos que Cristo, preso na cruz, inaugurava a nova realidade, Eloísa,
levando esperança aos semblantes surgidos de receio, angústia e desilusão, José Roberto,
tal como reflete a índia na calçada, Joyce,
mas fraternidade não é só com gente, é com todo ser vivente (como eu acrescentei)
e essa mudança só depende de nós, Adriana,
pois o amor é o nosso tudo, não é mesmo, José Augusto?
Quem sabe, nesse mundo novo, nossos sonhos se tornarão realidade, caros CAPPAZES?!

Tânia Maria de Souza
Balneário Camboriú/SC

 

 

 

PARTICIPANTES

01- Rosângela da Silveira Coelho
02- Sidney Santos
03- Leonardo André
04- Eloisa Antunes Maciel
05- Tânia Maria de Souza
06- José Roberto de Assumpção
07- Adriana Pontes Mendes
08- José Augusto Silvério (Zito)
09- José Antônio Gama de Souza - Balzac
10- Cleide Regina Scarmelotto
11- Lourdes Ramos
12- Marco A. Amado
13- Deomídio Macêdo
14- Flávio Martinez
15- Fernando Alberto Salinas Couto
16- Sônia Rêgo
17- Iraildo Dantas
18- Marina Martinez
19- Diná Fernandes
20- Fátima Peixoto
21- Léon Lambert
22- Pinho Sannasc
23- Paulo Rodrigues
24- Élio Cândido de Oliveira
25- Gislaine Wächter
26- Celso Corrêa de Freitas
27- Rosana Carneiro
28- Akasha De Lioncourt
29- Silvia Araújo Motta
30- João José Oliveira Gonçalves
31- Paola Rhoden
32- EstherRogessi
33- Kátia Pérola
34- Joyce Lima Krischke

 

 

 

PARTICIPAÇÕES

Os textos aqui apresentados são cópias fiéis dos conteúdos enviados por e-mail, ficando essa webdesigner e a CAPPAZ isentas de qualquer responsabilidade pela revisão dos mesmos.

-01-
Construindo um Novo Mundo
Rosângela Coelho

Clique na imagem para ampliar.

Curitiba/PR


-02-
Anjo Livre
Sidney Santos

"Para um mundo maior, uma melhor consciência"

Voei nas asas da liberdade
Anjo forte e capaz
Leva consigo a verdade
Sem nada deixar atrás.

Em umas das asas o direito,
No peito fraternidade,
A seu lado o respeito,
Na ponta honestidade.

Dentro do coração,
Livre arbítrio de expressão.
Na outra asa a cultura,
Vacina versus ditadura.

No final da aterrissagem,
Destino da preciosa bagagem.
Conhecimento às crianças
E o renascer de esperanças.

Santos/SP

-03-
Nosso Mundo
Leonardo André



Neste mundo em que vivo
já não sei mais quem eu sou
não sei por que existo
de onde vim, nem pra onde eu vou

Aqui só existem guerras,
morte, fome e desolação
crianças chorando
sem ter para onde ir
e a bomba atômica sem coração

Este mundo não me pertence
não é aqui que eu quero morar
eu quero um céu cheio de estrelas
aonde eu possa, ao menos,respirar

Quero ver meu vizinho alegre,
eu quero ver uma rosa nascer,
quero ver uma criança sorrindo
eu quero ver o amor vencer

São Paulo/SP

-04-
Fraternidade, um Imperativo Cristão...
Eloisa Antunes Maciel

“Que é de minha mãe?... Quem são os meus irmãos?...”
Jesus se perguntou, há mais de dois mil anos...
E a crença professada por alguns pagãos
Foi redimensionada pelo ser humano...

Segundo a velha crença, antes professada,
Prevalecia a lei da consanguinidade...
E essa crença, enfim, foi generalizada,
Negando os próprios elos de Fraternidade...

Ao reunir a plebe com seus seguidores,
O Cristo inaugurava a nova realidade:
Sem distinção de classe, pobres e doutores
Assim compartilhavam nova identidade...

E mesmo preso à cruz, o Cristo persistia
No seu clamor sereno, com fidelidade.
E chama pelo nome a sua Mãe – Maria,
E recomenda os “filhos da sua Irmandade”...

Com este gesto o Cristo então recomendava
A ampla permanência da fraternidade...
E a crença nesse escopo se consolidava
Como apelo de irmãos a toda a Humanidade...

São Martinho da Serra/RS

-05-
Fraternidade
Tânia Maria de Souza

Fraternidade não tem idade
não tem cor, não tem fronteira
não tem credo, não tem barreira
Tem, sim, coração aberto
desperto para a dor do outro
inconformado com a indiferença.

Fraternidade é ação
é sair do conforto próprio
e doar-se um pouco ao irmão.
Fraternidade não tem cidade
mas tem personalidade
É uma prece
que faz e acontece
e esquece o bem que fez.

Fraternidade não é só com gente
é com todo ser vivente
é com a terra, com os animais
afinal, essencialmente,
somos todos energia,
formados dos mesmos sais
e sofrendo dos mesmos "ais".

Balneário Camboriú/SC

-06-
Retirantes
José Roberto de Assumpção

Rastros de peregrinação
Em busca de outro sertão.
Trouxe memórias de dor
Reluzindo na imensidão
A marca da passada forte
Noite adentro de horror.
Temendo por vidas
Emanadas de semblantes
Surgidos de receio, angustia e desilusão...

Curitiba/PR

-07-
Atenção para o nosso Planeta
Adriana Pontes Mendes

O homem foi premiado
Com a bela criação.
Na aquarela do criador,
Há todas as cores, formas,
E paisagens para amarmos.
A natureza está à gritar...
Como que uma pessoa acuada.
Não dá mais, para aguentar.
Fenômenos naturais procurando seu lugar.
São gritos, gemidos, choros genuínos,
Que o mundo está à contemplar.
Chora o planeta!
Os homens se tornaram
Amantes de si mesmo.
Esquecendo a preservação ambiental- primordial
À nossa saúde e a do próximo.
Quando o ser humano deixar o egoísmo
e praticar mais o amor...
Veremos mais consciência,
fraternidade e bondade.
Conscientização dos homens para com a natureza.
Depende de nós!
Pois, essa mudança só pode
Acontecer de dentro para fora.
Sarar os corações para praticar
As boas ações.

Recife/PE, 21/03/2011

-08-
A Força que move a Vida.
José Augusto Silvério (Zito)

Amor...Uma coisa complicada,
Um tudo ou um nada.
Uma verdade, uma mentira.
Uma dor as vezes ocultada.
Outras vezes declarada.

Uma palavra não explicada.
Não é uma matemática exata.
As vezes vem de forma barata.
Mas quando sai nos mata.

Não tem uma forma definida.
Mexe muito com nossa vida.
Vem assim de forma colorida.
E aos poucos forma ferida.

As vezes nos torna um leão.
Outra nos da compaixão.
Faz sempre a sua morada,
Em nosso pobre coração.

E ali ele faz suas estripulias.
Planta a ordem a harmonia.
Ou então traz sem dó a agonia.
Ou nos enche de alegria.

Amor... É assim um fino manto.
Entra como uma nuvem encantada.
As vezes nos livra do pranto.
Ou nos dá uma dura cacetada.

Mas sem amor não somos nada.
Pois ele é o silencio ou o grito.
Ele é a nossa paz nosso alento.
Mas também o nosso conflito.

Assim o amor é o nosso tudo.
A semente da prosperidade.
É também a fera que se lida.
No fundo é ele que move a vida.

Santa Rita do Passa Quatro/SP

-09-
A Natureza do Homem
José Antônio Gama de Souza-Balzac

O homem cria um filho e o domina
Não lhe dá a atenção e nem lhe impõe limites
E o perde para o mundo
Por antes não conseguir dominar-se.
E flagela-se na autoculpa...

O homem vê outro homem e o domina
Não lhe mata a fome e nem lhe faz justiça
E o percebe contra si
Por antes não conseguir dominar-se.
E desespera-se na autopiedade...

O homem deseja uma mulher e a domina
Não lhe entende as razões e nem lhe dá amor
E a anula para a vida
Por antes não conseguir dominar-se.
E incomoda-se na auto-infelicidade...

O homem conquista a natureza e a domina
Não lhe ouve os clamores nem lhe admite sinais
E a arruína sem ciência
Por antes não conseguir dominar-se.
E suicida-se na autodestruição...

E por antes não conseguir dominar-se
Pois não aprendeu a harmonizar-se,
O homem perde-se
O homem agride-se
O homem anula-se
O homem arruína-se.

O homem, dominador e dominado
Não consegue ver o perigo...
É da natureza do homem?
É a natureza do homem?
É o homem da natureza?
É do homem a natureza?

Leopoldina/MG

-10-
A Face da Vida
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Vê a terra que me nega
Vê a face que me nega
Vê a terra que me negas
Vê a face que me negas

Nega a face que me beija
Nega a terra que me beija
Nega a face que me legas
Nega a terra que me legas

Face a face com o beijo
Face à terra que me legas
Face a face com a terra
Face à face que me legas

Vê a face que me beija
Vê a terra que me beija
Vê a face que me legas
Vê a terra que me legas

Vê a morte que me legas
Vê a sorte que me beija
Vê a morte que me beija
Vê a sorte que me legas

Beija a fome que me beija
Beija a sorte que me beija
Beija a face que me beija
Beija a morte que me beija

Beija a fome que me espreita
Beija a sorte que me espreita
Beija a face que me espreita
Beija a morte que me espreita

Vê a vida que me negas
Vê a vida que me beija
Vê a vida que me espreita
Vê a vida que me legas...

Leopoldina/MG

-11-
A Janela
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Em minha casa há uma janela
Da qual eu vejo o mundo.

A natureza
Que me encanta
A natureza
Que me espanta.

Vejo céu, vejo luar
Vejo nuvens e montanhas
- Daqui de Minas não dá pra ver o mar -
Ahhhhhhh
Mas dá pra imaginar...

Vejo a chuva cair
E também o sol raiar.

Vejo homens e mulheres
Felizes, tristes ou apáticos
Vejo crianças e velhos
Fortes, fracos, simpáticos...

Vejo casais apaixonados
Vejo semblantes apagados
Vejo coisa demais da conta
Natureza, gente e bicho.

Mas... o que vejo e mais me afronta
É homem comendo lixo!

E me dói.
E me corrói
E me destrói.

Mas... é o que vejo!

A vida que se vai
A vida que se esvai
A vida que se esprai...

Da minha janela,
No meu mundo.

Êta, sô!
É...
O meu mundo, uai!

Leopoldina/MG, 24 de janeiro de 2002.

-12-
Integração
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Eu estava ali sentado, à beira do rio, e de repente entrei em alfa...
Senti-me como se houvesse me desintegrado.
E depois reconstituído em outros corpos, pois já não era homem; e sim rio, árvore, espaço, som, pasto, passarinho, gado e atmosfera, numa perfeita integração.
Sim, eu por instantes virei elemento daquela natureza fantástica e simples e não era mais que uma modesta relva ou a areia no leito do caudaloso rio.
E a água que lavava meus pés, lavava também minha alma.
E assim como o rio que levava a água, a natureza levava o meu ser.
Então tive o princípio da noção do que é ser natural, puro e íntegro.
Senti-me naquele instante, estranhamente, inexplicavelmente e maravilhosamente feliz.
Entendi que aquele momento mágico me fora permitido não por merecimento, mas por necessidade, para meu aprendizado.

Leopoldina/MG, 09 de agosto de 2002.

-13-
Luto pela Natureza
Cleide Regina Scarmelotto.

Silêncio, escute a voz da canção dos ventos.
Ele diz: a natureza está morrendo.
Escute o chorar do espirito das matas.
A lamentar devastações de pessoas ingratas

Veja as lágrimas escuras dos rios a derramar o mau cheiro.
O desarranjar do clima e do tempo.
Quanta gente morrendo nas enchentes.
Silêncio, tente ouvir.
O que canta a lamentação dos ventos.

A implorar pela limpeza do ar.
Mas os piores surdos não querem escutar
Da natureza o querer.
E os piores cegos não querem ver.
Recicla não reclame.

Ouça a voz das águas a rolar.
Ou deixe a Terra ou a ame.
Porque se deixar, você também vai morrer.
De nada adianta protestar.
Esperando seu vizinho realizar o que você não quer fazer.

São Paulo/SP

-14-
Fraternidade e a Vida no Planeta
Lourdes Ramos

O aprofundamento de injustiças
E das desigualdades mundiais
Acentuadas com a globalização
São o mote da nossa civilização

Até o alarmismo do aquecimento
Visa somente travar o progresso
Dos países em desenvolvimento
E há manipulação nesse processo

O CO2 é o gás da vida, não é vilão
O efeito estufa não muda o clima
Embora o homem cause a erosão
Se os recursos naturais subestima

Nos tsunamis e terremotos do Japão
São placas tectônicas em adaptação
Nós não extinguimos os dinossauros
Nem caci-pererês, bruxas e centauros

E ainda o temido aquecimento global
Ocasionado pela estrela chamada sol
Também é um processo cíclico natural
Bem semelhante à rotação de um farol

Então, não vamos mais nos angustiar
Pois Deus tem o mundo sob controle
Amemos o irmão como a nós mesmos
E ao Nosso Criador, em primeiro lugar!

Rio de Janeiro/RJ

-15-
Fraternidade
Marco A. Amado

Vamos, saia do comodismo!
Seja mais participativo
Pois falar apenas em solidariedade
Ou fraternidade
É fácil

Mas a ação
Demanda mais participação
E força de vontade
Seja mais ativo
Tenha mais espírito
De cooperação
Demonstre que você é Cappaz
Podendo agir fraternalmente
Não só nos momentos
De aflição

Olhe a sua volta
Veja que o Mundo
Necessita de mais solidariedade
E fraternidade
Existe tanto sofrimento
Falta de carinho
E compreensão
Vamos ame não apenas seu semelhante
Também ame o Planeta
E tudo que nele existe
Seja mais coeso
Esqueça a ambição

Praticando e cultivando
A solidariedade e a fraternidade
São palavras mágicas
Entenda-as e pratique-as
Sinta neste momento
Que brota de seu peito a felicidade
Divida-a então
Com o resto humanidade
Criando uma grande união
Que irá lutar
Por uma sociedade
Equilibrada e mais justa

Ilha do Governador/RJ, Ocram 24/03/11

-16-
Meu olhar no teu olhar
Deomídio Macêdo

O olhar infantil deixa brotar um sorriso entristecido da boca que cospe gemidos de fome, suplicando da mãe, mulher emagrecida que sustenta sua criatura com o estômago colado nas tripas. E sem forças suga as tetas que despencam grudadas nos ossos daquela mãe heroína que vive a margem da sociedade.

Sociedade que deveria promover a fraternidade, e uma vida digna no planeta, que também, é bombardeado pelas destruições desenfreadas dessa mesma sociedade que permite pessoas morrer de fome, quando muitas alimentações são jogadas no lixo da incompreensão.

Parafraseando Giuseppe Tosi: LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE na construção dos Direitos Humanos.

Salvador/BA

-17-
O mar
Flávio Martinez

A costa marítima é parte do corpo do mar.
Ele empresta seus espaços,
até que os precise usar
O mar é um gigante invencível
Que requer respeito e temor.

Enfrentá-lo é tempo perdido
É busca de morte e de dor.
Melhor é não desafiá-lo
Conhecê-lo nos evita sofrer

A natureza é harmônica,
Ela segue seu ciclo normal
Sem que haja respeito mútuo,
O desafio é fatal

Sejamos mais racionais e prudentes
Conscientes do nosso querer.
Deixando o que não é nosso
Para quem o pertence viver

A natureza é oferta,
É doação e servir
Que uma vez respeitada
Quer-nos com ela unir.

Diadema/SP

-18-
Fraternidade
Fernando Alberto Salinas Couto

Tenho um lar, um abrigo,
profissão, amigos, alimentos...
é fácil esquecer os perigos,
a fome, o frio, os desalentos
e todos demais sofrimentos
que sofre parte da humanidade.

Logo poderá se fazer tarde
a hora de arregaçar as mangas
e estender as nossas mãos
àqueles que, por alguma sorte,
sofrem com guerras ou pragas,
desejando na vida só a morte
e, embora sendo nossos irmãos,
não conhecem a tal fraternidade.

Mas é por ela que nós lutamos
e por causa disso que vivemos.

São Paulo/SP, 26/03/11

-19-
Fraternidade
Sônia Maria Rêgo

Fraterno, somos quando cuidamos do nosso planeta
Raros amigos lembram que quem ama cuida
Amar é ser grato ao dom da vida
Ter fé num futuro melhor
Entender, que o nosso mundo
Roga pela paz e amor
No norte, sul, leste e oeste
Imploramos a tal fraternidade
Declamada, mas nunca praticada
Apenas por nós ansiada
Devemos esse amor rever
Entendendo melhor nosso modo de querer.

São Paulo/SP, 26/03/2011.

-20-
Guerra Civil
(Civil War)
Iraildo Dantas LUA

Que cessem as lágrimas
Que descem dos teus olhos
Molhando-te a face
Escondendo do mundo tua beleza!

Que possamos deslumbrar em teu ser
A magnitude das estrelas
Iluminando seus sonhos
De dias melhores!

Que acabem as exterminações,
Decapitações, as prostituições.
Que as esperanças sejam
Renovadas com o nascer de um novo dia!

Que as armas, granadas, lança-chamas,
Bombas e artilharia antiaérea
Sejam lançadas no esquecimento
Dos museus!

Que as arvores antes destruídas
Sejam replantadas novamente
Para que nossos filhos
Desfrutem de sua beleza!

Que o amor ao próximo encontre
Morada em nossos corações
E que a paz possa reinar em nossa união!

Salvador/BA

-21-
Natureza Perdida*
Marina Martinez

Fui falar com os animais. Não os achei.
Enfeitam paredes, empalhados,
ou estão no chão, pisoteados.

Fui falar com as flores. Não as achei.
Artificiais arremedos coloridos,
ornamentam vasos corroídos.

Fui falar com os mares. Não os achei.
Encharcam praias, poluídos;
estertoram nas pedras, com gemidos.

Fui falar com os homens. Não os achei.
Vagam nas guerras, perdidos,
buscando, aflitos, seus feridos.

Fui falar com os anjos. Não os achei.
Voam no espaço, abandonados;
peregrinam, nos ares, alucinados.

Fui rezar para Deus. Não O achei.
Chorava em um canto pelos seus.
Fui falar comigo. E também não me achei.
Alienada, havia perecido, sem saber, no animal, na flor,
no mar, no anjo, em cada lágrima de Deus.

Porto Alegre/RS

*Terceiro lugar – Concurso poesia do GLCA - tema natureza

-22-
Fraternidade e Igualdade
Diná Fernandes

Cresce a intolerância no seio familiar
evidenciando a ausência de Paz.
Tais demonstrações indicam
a banalização do amor fraterno
tão necessário à vida humana.

A Fraternidade fragilizada pelo egoísmo
onde nem mesmo irmãos se entendem,
não se respeitam e não se amam.

O que se pode esperar de uma vida
em sociedade, ignorando a humildade,
o espírito colaborativo, esquecendo-se de si,
da mansidão, da bondade e do perdão,
e de tudo que interfere na capacidade de amar?

A Igualdade encouraçada
pela roupagem da indiferença
ainda que largamente professada,
esbarra nos muros da contradição.

Cerrar os olhos e punhos
é comungar com o desamor,
quem assim procede, desconhece
os princípios divino que tem como
embasamento a Tríade referencial
Amor, Fraternidade e Igualdade.

Os animais matam para sobreviver,
o homem mata por prazer e ganância,
abdica da sua Liberdade desrespeitando
a sua própria vida, para viver
em condições subumanas.
A falta de Amor a Deus desencadeia tal prática.

Viver requer condições, não apenas
para o corpo físico, é preciso lavar as
as impurezas da alma,
e de uma mudança radical
dentro de cada ser humano.

Que nossos corações transbordem de amor,
que o homem reconheça seus erros e se encontre
que a FRATERNIDADE invada cada ser
Que se refaçam os laços da IGUALDADE.

Cabedelo/PB

-23-
Um mundo melhor
Fátima Peixoto

Um mundo melhor,
Cada um pensando no outro;
Doando um pouco de si,
Ofertando o seu amor,
Dividindo o que tem de melhor.

Um mundo melhor,
Sem egoísmo
Sem interesse individual,
Cada um pronto a ajudar,
Quem lhe procurar.

Um mundo melhor,
Que haja valorização,
Que a vida seja respeitada,
Que a bondade prevaleça,
Entre os irmãos.

Um mundo melhor
Que não nos faltem fraternidade, justiça e amor...
Cada um fazendo sua parte,
Respeitando todos,
Vamos construindo um mundo melhor.

Cabedelo/PB

-Texto produzido para ciranda da CAPPAZ.
-Publicado no Recanto das Letras em 29/03/2011
Código do texto: T2876629

-24-
Gabarres
Léon Lambert

França

-25-
Falta Fraternidade
Pinho Sannasc

Falta um abraço irmão
Falta um gesto de amor
Falta um aperto de mão
Falta quem plante a flor

Falta se aceitar o diverso
Sem buscar discriminantes
Falta um simples manifesto
De respeito ao semelhante

Falta cuidar da natureza
Falta verso e falta poesia
Falta se plantar a beleza
Para poder colher alegria

Falta no mundo a paz
Falta um pedaço de terra
E a falta que isso faz
Faz o mundo viver em guerra

É triste o que estou dizendo
Uma i lancinante realidade
Mas o mundo está morrendo
Por que nos falta fraternida

Salvador/BA

-26-
Acreditar no Amor
Paulo Rodrigues

Acreditar no Amor
é ter esperanças nos homens
mesmo quando os noticiários só falam de sombras.
É saber que sempre terá um novo amanhecer
após a noite triste.

Acreditar no Amor
é viver intensamente as emoções,
apreciar seu lindo sorriso desabrochar todo dia
atrás dos verdes montes
e findar no pôr-do-sol.
É amar as pessoas incondicionalmente
e acreditar em dias melhores
ao chorar a natureza em fúria
com nossa ganância,
nossa fome pelas moedas sem amor.

Acreditar no Amor
é cultivar a sinceridade de nossos sentimentos,
o respeito aos corações solitários
consciente das nossas atitudes
e de suas conseqüências na nossa vida
e da nossa Terra Mãe.

Acreditar no Amor
É deixar os sentimentos desabrocharem no olhar,
é deixar as emoções desabarem em lágrimas de felicidade
nos corações dos poetas apaixonados,
é deixar acontecer naturalmente na toca de inocentes olhares
entendendo os limites das nossas ações
no nosso progresso sustentável.

Acreditar no Amor
é enxergar a vida com olhos de poeta apaixonado,
é emanar vibração positiva
ciente da nossa efêmera passagem no tempo,
é aproveitar as oportunidades
oferecida pelas mãos da vida
ao ouvir nosso coração.

Acreditar no Amor
é acreditar na VIDA...

Sorocaba/SP

-27-
Fraternidade, Natureza e Ser Humano
Élio Cândido de Oliveira

Em mundo quase em consignação
A nós passageiros da pura ilusão.
Ao que se praticar a degeneração.
Ao pó tornar-se á decomposição.

Tentamos formar o pensamento real
Ser fraternidade em vez de maldade
Ao irmão da terra caridade.
A mãe natureza agressão de forma seqüencial.

Assistirmos atônitos da natureza as revoltas.
Sem saber na verdade quais são as respostas
Unirmos nas catástrofes como seres normais.
Por poucos momentos, mas por pura curiosidade

Criar a preservação ambiental.
Vislumbrar a consciência.
Não só falar fraternidade
A ela a pratica real e de verdade

Ibiá/MG

-28-
Receita de Vida
Gislaine Wächter

10 kg de fraternidade
10 kg de união e força
10 kg de educação
10 kg atitudes positivas
10 kg de sorrisos
10 kg de práticas do bem
10 kg da criança interior
Toneladas de amor
15 kg de responsabilidade
Zero de ganância
Muita humilde
20 kg de seriedade
Quanto baste de tolerância
Grandes quantidades de alto astral
Toneladas de persistência
Alegria, boa vontade e felicidade a gosto

Junte todos ingredientes
Com muito carinho e delicadeza
Aumentando a quantidade sempre que necessário
Tendo jogo de cintura e energia
Para recomeçar
Não ter desencanto com a indiferença
Não desanimar
Provar cada porção
Saborear com paixão
Distribuir para todos
Para abrir nossos corações
E ter a certeza de que pode dar certo
Olhar para o infinito e brindar a vida
Estendo as mãos
Para dar paz
Para sentir paz
Para ser A PAZ!

De salvar nosso planeta
E levar uma vida digna
De correr na chuva
De abraçar o mundo
De olhar para trás, para a frente...
E se encher de paz

Balneário Camboriú/SC

-29-
Bambu
Celso Côrrea de Freitas

Na composição de um Haicai, não se faz uso do "Titulo" , como é comum nas diversas formas de poemas. No entanto BAMBU é uma homenagem ao senhor brasileiro José de Alencar, com o devido respeito ao Zé, como se diz lá em Muriaé.

Tanzakus revelam
Lembranças eternas ficam
Bambu brasileiro


Nota: Tanzakus - Papéis de cores diversas com poemas e haicais que são atados, pendurados aos ramos de Bambu.
Sentimentos expostos a mercê dos ventos que rabiscam os a caminhos da vida, da nossa vida(CCF)!

O BAMBU - Tanto faz ser Chinês ou brasileiro
“Depois de plantada a semente deste incrível arbusto, não se vê nada por aproximadamente cinco anos, exceto um lento desabrochar de um diminuto broto a partir do bulbo”.

Durante cinco anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, mas... uma maciça e fibrosa estrutura de raiz que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída. Então, no final do 5º ano, o bambu até atingir a altura de 25 metros.

Algumas verdades extraidas do Bambu:

A primeira verdade: O bambu nos ensina, e a mais importante,"É preciso muita fibra para chegar às alturas e, ao mesmo tempo, muita flexibilidade para se curvar ao chão."
Segunda verdade: O bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração.
Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.
A quarta verdade: O bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.
A quinta verdade: O bambu é cheio de “nós” ( e não de eu’s ). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.
A sexta verdade: O bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.
Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá : ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto.

O nosso Ex-vice-presidente José Alencar, nos passou, tal qual um bambu, Muitas lições de vida.

Sua partida é de fato, uma grande perda, num País carente de grandes homens(CCF).

Praia Grande/SP

-30-
Rosana Carneio

A água jorra em abundância
Basta querer levá-la para o banho dos sedentos
O pão cresce e é farto
Basta querer levá-lo para o sustento dos injustiçados
O abrigo é viável
Basta querer amparar e abrigar
A chave do mistério
É o sentimento de querência
Que supre a carência
Da fome e da sede
Basta querer ser fraterno
Pra que a flor do amor se abra em teu coração
O mundo além da paz, precisa de união
Precisa da força das mãos
Precisa da luz do coração
Precisa da tempestade de bondade
Precisa do bem querer
Precisa da fraternidade...
E tem tudo aqui, basta querer se abrir...
Colocar o sorriso na cara
A luz do amor no peito
Esticar a mão
Ajudar ao irmão
Seja nas vestes ou alimento
Seja no abrigo ou na hora do lamento
O importante é doar
Ajudar, iluminar
Tirar dele o tormento...
A mão sedenta de pão se ergue
E o pão vem com a força do amor!
PAZ E BEM AO MUNDO...

-31-
Fraternidade para com a vida no planeta.
Akasha De Lioncourt

Ouvimos tanto falar em fraternidade e sempre associamos essa palavra com um comportamento que devemos manter para com nossos semelhantes, nossos irmãos. E nos esquecemos que esses irmãos não precisam ser, necessariamente, humanos.

Com isso, vemos tantos casos de maus tratos aos animais, seja com os pequenos que se encontram abandonados pelas ruas, seja em locais de visitação pública, como zoológicos e circos, seja dentro das casas, quando os próprios tutores abandonam seus animais de estimação por qualquer que seja o motivo.

Vemos ainda formas de maus tratos muito mais graves, com o Planeta, com a Natureza, com todas as formas de vida, tudo em nome de um progresso que só nos leva à degradação total de tudo o que foi criado.

Egoístas... Sim, é da natureza humana pensar que tudo foi criado para nos servir. É tão lindo ver os animais adestrados em circos, resorts, parques, zoológicos, mesmo sabendo que eles passam por sofrimentos horríveis para que seja obtido esse comportamento servil que não faz parte da natureza deles.

Há séculos e séculos esse pequeno planeta situado dentro do sistema solar tem servido de escravo para a vontade humana e mesmo seus sinais de reação, através das “catástrofes naturais”, têm sido inócuos para que compreendamos que tudo isso faz parte de uma lei conhecida por ação e reação. Não se trata sequer de religião mas de algo cientificamente comprovado e conhecido como sendo uma das Leis de Newton: “a cada ação corresponde uma reação de igual intensidade”.

Como estamos agredindo brutalmente a natureza com fins egoístas e com fins lucrativos, ela nos responde destruindo o bem maior que possuímos e para o qual não damos o devido valor: a vida.

Enquanto não tratarmos todas as formas de vida e nosso planeta como verdadeiros irmãos, respeitando os animais, a natureza e uns aos outros, não vejo um futuro muito promissor para o gênero humano. Nós mesmo estamos buscando o nosso fim, pelo menos dessa forma como nos conhecemos hoje. E isso não é obra de ninguém, apenas uma desconstrução do que recebemos de graça. A vida nos mostra milhões de milagres todos os dias, desde o amanhecer até o pôr do sol e não nos damos ao trabalho de admirar a obra o espetáculo da vida que se renova a cada dia. Perdemos a ternura... Isso não podia acontecer jamais e cada ação traz consigo a responsabilidade do ato. Vamos torcer para conseguirmos suportar todos eles.

São Paulo/SP

-32-
Natureza-Fraternidade-Vida-Planeta
Soneto-sáfico-heróico Nº 2051
Por Sílvia Araújo Motta

A natureza implora e pede paz;
dá seu exemplo claro, sofre... agora;
para o planeta TERRA grita e faz
sua defesa à água, fauna e flora.

Exploração terrestre do homem traz
efeito estufa que o universo cora;
aquecimento ao globo a dor refaz,
degradação do meio ambiente chora.

Desmatamento tem labor insano;
poluição do ar, produz tristeza.
É predador de si, o Ser humano:

Ainda resta a Fé e o Amor! Propostas
de AÇÃO serão bem-vindas, com certeza,
crer no poder Divino! Ter mãos postas!

Belo Horizonte/MG

-33-
Tarja Preta!
J.J. Oliveira Gonçalves

"Deus me mandou ter olhos solidários
E em minha Dor sentir a Dor alheia!" (JJ)

Deu-me olhos o Bom Deus de Encantamento
Pra olhar Mãe-Natureza e os animais!
Também olhos me deu de Sofrimento
Pra ver em seu olhar silentes ais!

Ó, Deus, que mundo cruel e calculista
É esta fria Babel de violência!
Bicho-homem arrogante e dinheirista
Ceifa, (sem dó!), as Flores da INOCÊNCIA!

Jamais pensei viver dias tão duros
Que Espíritos tão densos e obscuros
A escarnecer das Dores do Planeta!

Homem-comum e poeta eu me envergonho
Pesadelo, ai, se fez do que era Sonho
E o encantamento usa tarja preta!

Porto Alegre, 26 de março/2011. 09h55min
jjotapoeta@yahoo.com.br - jjotapoesia@gmail.com
http://transmutacoes.zip.net  - www.cappaz.com.br

-34-
A vida
Paola Rhoden

Pode ser o que parece
E o que fazemos dela também.
Só o ser humano é responsável
Por tudo que acontece,
Mais ninguém.
A maneira como o planeta é tratado,
mostra o resultado,
nos acontecimentos diários.
Acontecimentos vários.
No sorrir das pessoas,
E na ave que voa.
Somos responsáveis,
Por todos os duráveis,
E perecíveis, que somos nós.
Por isso e pela moral
Cabe a todos que vivem
A felicidade geral.

Brasilia/DF

-35-
Amor, bondade, alegria.. fraternidade!
EstherRogessi

Ao que amamos e/ou a quem amamos, cuidamos, zelamos.
O ser bondoso..serve com alegria, humildade, fraternidade.
Essa - a fraternidade -, é uma das nuanças do amor
... É o amor em ação!
Interligação de sentires existentes na essência do propenso ao bem.
Inconcebível é se esperar cuidados com o planeta, conservação da natureza,
de quem não si ama.. de quem faz de sua vida, de sua casa lama...
de quem opera atos contribuintes para um planeta menos bonito;
de quem suja rios e canais lançando-lhes detritos.

Recife/PE, 02/04/11 às 07:02min

-36-
Fraternidade e a Vida no Planeta
Kátia Pérola

A favor desta vida a se procriar.
Mil razões agora para tudo preservar.
Dos afetivos e compassivos braços.
Alcançar os irmãos com abraços.

Vidas a se diluir num passo de mágica
No choque de partes da natureza.
A mostra nossa real fraqueza
Bens materiais a se decompor, maneira trágica.

Tem que se pensar nas gerações.
O fruto maior da humanidade.
Doação e muita caridade
Suportar do fracasso as humilhações.

Ao longe podemos visualizar
A moeda existente para tudo comprar.
Mas o que se precisa jamais encontrar
Fome come-se na mesa continue a lutar.

Da mãe Natureza tudo a se tirar
Melhoras de viver a se inventar
Grandes invenções a se construir
Perigo iminente de tudo se destruir.

Ourinhos/SP

-37-
Predicado da Paz
Joyce L.Krischke

Fraternidade é predicado da Paz
Pressuposto é, ainda, de Ser CAPPAZ
A fraternidade não faz mal a ninguém...
Preocupa-se com o bem de outros, também!

Cultura de Paz - Escrever e vivenciar:
Água não poluir... Natureza respeitar!
Versejar para a poluição diminuir
Pela estrada da vida em Paz seguir...

Sim, não basta contar estrelas para o mundo
E nem senti-lo silenciar em um segundo
Para que nosso irmão possa respirar.

Quando a humanidade que, hoje, erra
Enraizar-se, enfim, no útero da Terra
Brotará a fraternidade a brilhar!

Balneário Camboriú- 27/03/2011- 04h07min

 

 

 

SELO DE PARTICIPAÇÃO

Pegue seu selo de participação na 29ª Ciranda Mensal CAPPAZ "Fraternidade e a Vida no Planeta", clicando com o botão direito do mouse sobre a imagem e em salvar destino como.

 

 

 

 





|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

 

 

Arte e Formatação Rosângela Coelho
Fotos: India na calçada por Joyce Lima Krischke
             Rio poluído por Judite Krischke Sebastiany
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Música de fundo: Hino da CF 2011 baixado do site: http://www.portalkairos.net
Todos os direitos reservados