Utilize esse comando para parar
a música de fundo e os respectivos
comandos para ouvir as demais
músicas.






DESPEDIDA/AGRADECIMENTO

Momentos de euforia, de romantismo, de paz, de preocupação e de extrema dificuldade passaram e marcaram a vida de todos os membros da CAPPAZ, mas o importante é que, cada um desses momentos, em 2.011, serviu para nos ensinar e unir mais.
Dividindo alegrias e dores, confrades, confreiras e seus familiares, mostrando ao mundo que o sonho é possível, cresceram, moral e espiritualmente. Então chegamos ao fim de mais uma batalha, curtindo o sabor da vitória, através de muitas realizações, graças aos responsáveis por cada regional e seccional, bem como, ao dom e talento de cada um, nesta luta que continua, para o bem de todo o mundo.
Assim, os responsáveis por cada setor da Confraria e, especialmente, sua presidente fundadora e seu presidente de honra, vem à vossa presença agradecer a participação de todos, inclusive nesta ciranda que comemora o nascimento de Nosso Mestre Jesus, desejando-lhes um feliz Natal e um 2.012 repleto de realizações, sempre unidos na busca da satisfação dos mais nobres ideais.
Abraços...

Fernando ALberto Salinas Couto

São Paulo/SP

 




INTRODUÇÃO

Então é Natal! Nesse espírito natalino refletimos sobre o ano que passou e renovamos nossos votos de amor, fraternidade, solidariedade, paz.
Queremos estar junto das pessoas que amamos para celebrarmos o principal motivo dessa festa cristã: o nascimento de Jesus Cristo. Esquecemos as nossas diferenças e festejamos a igualdade. Esquecemos as intrigas e festejamos a paz. E é com esse espírito de natal que convido a todos os Confrades e Confreiras da CAPPAZ a semear, através de suas palavras, o amor, a paz, a solidariedade e fraternidade, nessa Ciranda, com o tema: "A Fraternidade Ressurge nos Corações: É Natal!". Tema sugerido pelo confrade Carlos Reinaldo de Souza de Conselheiro Lafaiete/MG.

Rosângela da Silveira Coelho
Secretária Nacional
Presidente Regional Paraná

 




PARTICIPANTES

Akasha De Lioncourt
Alice Luconi
Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira
Ana Teresinha Drumond Machado
Andrade Jorge
Arthur Jaak Wilfrid Bosmans
Carlos Reinaldo de Souza
Celso Corrêa de Freitas
Cristiano Sousa
Deomídio Neves de Macêdo Neto
Diná Fernandes
Edécio Mergener
Élio Cândido de Oliveira
Eloísa Antunes Maciel
Estela Frutos Braud
Fátima Peixoto
Fernando ALberto Salinas Couto
João José Oliveira Gonçalves
José Antonio Gama de Souza - Balzac
J Otoniel Poeta
Joyce Lima Krischke
Judite Krischke Sebastiany
Leonardo André Oliveira Neto
Marcelo de Oliveira Souza
Marco A. Amado
Maria da Luz Alves
Maria das Neves Pereira Barbosa
Maria Fernanda Reis Esteves
Maria Júlia Guerra
Mariângela Repolês
Marina Martinez
Nádia Aparecida Foes
Odilon Machado de Lourenço
Pampoeta
Paola Rhoden
Paulo Rodrigues
Roberto Bordin
Rosana Carneiro
Rosângela da Silveira Coelho
Roseleide Santana de Farias
Sidney Santos
Sílvia Silva Benedetti
Sônia Rêgo
Valéria Lisita
Vanda Ferreira
Vera Lúcia Passos Souza




Os textos aqui apresentados são cópias fiéis dos conteúdos enviados por e-mail, ficando essa webdesigner e a CAPPAZ isentas de qualquer responsabilidade pela revisão dos mesmos.


PARTICIPAÇÕES

-01-
É Natal
Nádia Aparecida Foes

É Natal quando estamos tão longe e tão perto do coração.
É Natal quando ouvimos o cantar dos pássaros, o rom rom dos gatos, o latido de um cão.
É Natal quando abrimos as janelas pela manhã e o sol entra para aquecer nossos corações e a noite, quando ao fechar janelas, nos deparamos com o luar. Como é bom ver a lua cheia e falar com ela.
É Natal quando olhamos para as nossas crianças e nos assustamos com o crescimento acelerado e a energia delas.
É Natal nos dias em que não dá vontade de sair da cama porque estamos de lua e horas depois estamos serelepes por aí.
É Natal quando podemos olhar para o passado e sentirmos que ele está tão presente em nossas vidas e que fizemos a coisa certa.
É Natal quando os seres que amamos estão bem realizados.
É Natal quando compramos + aquele par de sapato + aquela bolsa de encher os olhos, para encher nossos armários e sentir até um fio na barriga. Deus mora nos detalhes.
É Natal quando temos a felicidade de fazer por alguns momentos nossos amigos ou vizinhos felizes, mesmo quando nosso coração está sangrando.
É Natal cada minuto de nossas vidas até os dias piores e que depois vão ficando melhores.
É Natal quando saímos por aí sem rumo, só por sair e bisbilhotar tudo como se fossemos turistas em nossa cidade.
É Natal quando a roseira floresce, a gardênia perfuma o nosso minúsculo jardim e a flor de Liz se mostra por algumas horas só para depois se esconder durante um ano depois reaparece toda exibida.
É Natal porque nossa família está crescendo e outro neto(a) chegando. É o milagre da perpetuação.
É Natal porque os filhos que estão longe logo estarão do nosso lado, mesmo por breves e intensos momentos.
É Natal porque tivemos a felicidade de um dia ter tido nossas sobrinhas em nosso regaço como se fossem nossas filhas e pudemos cuidar delas e amá-las
É Natal porque amamos muito vocês e vivemos todos esses momentos; valeu a pena!
Para todos um Feliz e Alegre Natal e um Ano Novo próspero com muita alegria e felicidade.


Florianópolis/SC



-02-
Desejo de Natal
Akasha De Lioncourt

Todo ano no Natal, ela se prepara para um balanço geral. Avaliar seu ano, seus atos, suas vitórias e os obstáculos vencidos. Aprende com cada erro para não repetí-lo. E faz tudo isso numa conversa franca com o aniversariante: Cristo. Na verdade, ela sempre faz isso. Deita na cama, apaga as luzes, fecha os olhos e de maneira singela e franca expõe suas dúvidas e medos numa conversa informal com o Pai. Seu costume sempre rende bons frutos e geralmente acorda pela manhã mais aliviada pois a inspiração para seu dia foi recebida durante o sono, ainda que ela não lembre o que sonhou, mas no Natal, ah, ela prefere reavaliar tudo e pensar no real sentido dessa festa em que se lembra da comida, da bebida, dos presentes e do Papai Noel mas nem sempre traz no seu contexto a devida homenagem ao filho do Pai que nasceu. E, para variar um pouquinho, justo ela que há muito não pede mas agradece todos os dias por estar viva e por todo o aprendizado que tem recebido nos anos que se sucedem, resolveu fazer um pedido especial de Natal este ano: Que as pessoas se preocupem menos com as pompas e o luxo das festas natalinas para se ocuparem de enriquecer sua alma, praticando o amor infinito e a caridade que Jesus nos ensinou durante todo o tempo em que por aqui esteve. Esse sim é o verdadeiro tesouro que levaremos conosco aonde quer que estejamos.

Que sua vida seja repleta de renascimento em Cristo, com muito Amor, respeito por si e por todas as pessoas, disciplina para manter-se no caminho correto e principalmente Fé, que é o sentimento que mais tem faltado nos corações humanos!

Feliz Natal, com muito carinho!

São Paulo/SP

-03-
Oración de Navidad
Mariângela Repolês

Clique aqui para assistir a linda apresentação em Power Point. Caso o arquivo abra no Microsoft Power Point, pressione a tecla F5 para iniciar a apresentação.

Alvinópolis/MG

-04-
Natal encantado
Rosângela Coelho

Quero um Natal diferente
Com menos ódio e mais amor,
mais solidariedade como presente,
menos sofrimento e dor.

Quero um Natal encantado
Com muitas luzes e muita alegria,
que um hino de amor seja cantado
Num uníssono de euforia.

Quero um Natal de Paz,
sem mágoas e arrependimentos
e que todos sejam capaz
de mostrar seus sentimentos.

Curitiba (PR), 14/12/2009 - 16h56m

-05-
O mesmo menino
Arthur Jaak Wilfrid Bosmans

Belo Horizonte/MG

-06-
Natal Paulistano
Paulo Rodrigues

As luzes de Natal
encheram de vida
o concreto e aço
da minha Paulicéia querida
e o Amor desabrochou
no Parque Ibirapuera
nos doces beijos dos namorados
ao doce luar.

Nos arranha-céus da Avenida Paulista
os negócios foram interrompidos
e executivos engravatados
distribuíram esperança e carinho
aos corações famintos de atenção.

Nas vitrines enfeitadas das lojas
dos Shoppings Center
Morumbi e Interlagos
a infância sorriu feliz
aos simpáticos idosos.

Na Marginal Tietê
peixinhos coloridos
brincaram de esconde-esconde
e pedestres,
motoristas
e motoqueiros
se confraternizaram
com salgadinhos,
refrigerantes
e pão com mortadela
do Mercado Municipal.

Na 25 de Março,
Lago 13,
Bom Retiro
e Brás-Bexiga
comerciantes anunciaram
a felicidade embrulhada
para presente
em caixinhas coloridas.

Na Praça da Sé
os sinos da Igreja Matriz
cantaram na doce madrugada
e corais de alegres crianças
entoaram belas canções natalinas
levando a esperança
de PAZ e o AMOR
aos corações aflitos.

Do Terminal Rodoviário do Tietê
avistei no Alto do Ipiranga
o Cristo Redentor
se converter paulistano
e com seus braços abertos
abençoar o Natal
na minha Paulicéia Maravilhosa.

Sorocaba/SP

-07-
Natal no País do Café
Paulo Rodrigues

Hoje é natal no país do café!
Sem neve cobrindo ruas e telhados
comemoramos o nascimento do crucificado
com sem regozijo nos lares.

Hoje é natal no país dos meninos MMDC!
Com o sol brilhando no céu
reunimos nossos famílias e amigos...
Cristãos unidos pela fé!

Hoje é natal no país do Estado Novo!
Com tanta desigualdade social e dor
temos alegres sorrisos na face
e comemoramos o nascimento do “Menino Amor”.

Hoje é natal no país dos Anos Dourados!
Sem esperança no presidente eleito
ainda sonhamos com um país mais justo
para os filhos desse gigante peito.

Hoje é natal no país da censura!
Muitos ignoram a beleza do natal
com apenas presentes e mesas fartas
e se perdem já pensando no enfeite do carnaval.

Hoje é natal no país dos descamisados!
Hoje é natal no país do Plano sem Real!
Hoje é natal no país da Esperança decepcionando no Poder!
Hoje é natal no país do Futebol Pentacampeão sem arroz e feijão.

Sorocaba/SP

-08-
Natal
Paulo Rodrigues

Inicio de Dezembro
Enfeitamento total.
Dia 24
Muitas mesas fartas.
Dia 25
Dor de barriga geral.

Sorocaba/SP

-09-
A lição do presépio de Natal
Marcelo de Oliveira Souza

Em todo final do ano os mesmos comportamentos se repetem, as pessoas felizes com a jornada concluída, as ruas enfeitadas, os mais diversos presépios, mas sempre nos esquecemos de lembrar a importância que representam esses símbolos religiosos.
O mais importante deles é o presépio, aquele que nos mostra a manjedoura, o local humilde onde Jesus Cristo nasceu, reunido por animais do estábulo e seus pais, um grande exemplo de humildade, o que realmente está faltando hoje em dia para as pessoas, muitas delas usam esse “clichê” mas o que de fato demonstram é que o Espírito Natalino, aquele que se renova a cada final de ano, sequer percorreu esses dias festivos, o que é sempre renovado é o vestuário e a ceia Natalina.
Outra lição que o nosso presépio nos passa é a união da família, que afundada em seus problemas diários, esquecem da maior lição de amor que Jesus Cristo nos deixou, união e solidariedade não somente para com os nossos consangüíneos, mas para com todos que nos cercam.
Nessa jornada de final de ano, vamos refletir sobre o que é união familiar, sobre o que é humildade e também sobre o que é ser humano e vamos aproveitar essa fronteira de mudança de ano e transformar um pouco a nossa família, sociedade, até o mundo, pois a partir de cada um de nós é que o mundo se transforma.

Salvador/BA

-10-
Ano novo de paz
Leonardo André Oliveira Neto



Mais um ano se passou
outro está para chegar
outras metas, novos planos
vêm pairando pelo ar.

As famílias reunidas
comemoram o Natal
querem Paz em suas vidas
e o amor que é sem igual.

Tocam sinos nas capelas
brilham luzes multicor
anunciando, assim tão belas,
que a festa é do amor.

Todos juntos, de mãos dadas,
o Ano Novo vai nascer
um futuro todo novo,
Paz na Terra há de vencer.

São Paulo/SP

-11-
Estrela única
Sidney Santos

Santos/SP

-12-
Onde está o meu Presente?
Maria da Luz

Hoje é o meu aniversário. Ouço milhões de parabéns!...
Não dirigidos a mim, pois me sinto esquecido.
E por mais referido que seja o meu nome,
Deveria eu estar feliz!... Por quê?
Se para vós sou menos que um objeto comercial!...
Ah! De nada vale o Natal sem o presente
Que a gente tanto quer!...

Não é isso que se diz por aí?

Quase tudo que se refere a mim é apenas fantasia.
Ninguém sabe nem mesmo a minha cor!...
Cabelos com esplendor. Olhos azuis...
Imaginam a pele bem rosada!...
Ah! Isso não é nada!... Eu posso ser lá da favela
A criança negrinha que não se revela jamais,
Nessa convenção de Natal!...

De que vale ouvir parabéns?

Quem mais me festeja nem mesmo conhece
O que mal pronuncia; porque a palavra
Chega e trava o seu coração!...
O que vale o amor para quem
Distribui só migalhas aos que vêm bater à porta?
Se o que lhes importa é vê-los bem longe
Para não os envergonhar!

Onde está o meu presente?

A quem o quiser me dar, eu posso até sugerir:
Ajudai quem não possui moradia,
Acolhei a criança vadia
Para que não se torne marginal.
Dai um basta às drogas. Denunciai o traficante.
Sede, a todo instante, amigos do menos favorecido.
Vede? Não me agrada luxúria!

Por que luzes? Festas? Louvores?

Eu sou o Senhor das Estrelas, da Terra, do Mar...
Eu sou Aquele que vê além das aparências!...
E vossas conveniências são torpes!
Como quereis me agradar?
Eu sou o Rei. E nada quero p’ra mim...
Mas se quiserdes me alegrar, olhai o vosso semelhante
Não permitas que se espalhe o mal.
Só assim, eu terei o meu presente!...

Ah! Jesus! O mundo festeja o teu nascimento!...
Mas, vejo tristeza na desigualdade
Que invade os filhos teus.
Quanto ao teu presente? Sei que não tem preço!...
Mas se mereço, Contigo aprenderemos a lutar;
E, de forma singular, um dia hás de receber
Amor dos nossos corações.

São Paulo/SP

-13-
Mensagem de Natal
Celso Corrêa de Freitas

Praia Grande/SP

-14-
Advento
Maria Fernanda Reis Esteves

Antecipo-me à morte anunciada
Num advento omisso de natais
É só o reflexo da minha fé cansada
De blasfémias de tantos carnavais

É farto o perú de tantos recheios
Na consoada rica e enfeitada
Lá fora uns olhos comem cheiros
que exalam da chaminé dos telhados

E há muita fome enquanto reza a missa
E o galo canta as 24 badaladas
O olhar triste da freira clarissa
A contrastar com a igreja engalanada

Não há menino num berço de palha
Mas há meus senhores...
Muita pobreza envergonhada!

Setúbal/Portugal

-15-
Prece de Natal...
Marco A. Amado

Senhor nosso Criador
Sublime força do Universo
Nesta data especial,
Em reflexão,
Peço nesta oração
Que em Vossa magnânima sapiência
Preencha as lacunas
No coração do ser humano
Apesar de toda às conturbações
Que o nosso planeta apresenta
Enormes catástrofes
Tempestades, Cheias,
Furacões, Tsunamis,
Degelo e erupções
Além da fome,
Miséria, guerra, doenças
Destruição da natureza
Colocando além de muitas espécies
Sua beleza
E também nossa provável extinção

Através do grande mal da civilização
Que é a corrupção
Clamo a Vossa clemência
Neste momento apocalíptico
Que ilumine a nossa alma
-Seres humanos!
Trazendo a reconciliação
Através da fraternidade
Onde verdadeiramente
Sem segundas intenções
Em nossos corações
Para que assim possamos
Curar o Planeta
E garantir nossa preservação
Senhor!Nosso Criador,
Ser Supremo
Em oração,
Peço-Vos que este Natal
Seja um verdadeiro
Momento de reflexão
Entre o Criador
E a criação...

Ilha do Governador/RJ-Ocram, 11/12/11

-16-
Pequena oração de Natal...
Marco A. Amado

Oh Grande Arquiteto do Universo,
Rogo a Vossa extrema sapiência
Que ilumine nossos pensamentos
Criando uma nova consciência
Unindo o mundo
Em única nação
Onde a Paz, Amor e Fraternidade
Ressuscite no coração
Do Ser Humano...
Nesta data especial,
Onde comemoramos
O Nascimento de Cristo
Amém...

Ilha do Governador/RJ-Ocram, 11/12/11

-17-
É Natal... Reviva-se a mensagem de Jesus...
Eloísa Antunes Maciel

A visita dos chamados Reis Magos ao estábulo onde Jesus - menino se encontrava já teria prenunciado o teor da maior mensagem do Cristo, quando esteve entre os humanos, no desempenho de sua excelsa missão na Terra: fraternidade. Esses célebres visitantes vieram de pátrias diferentes, ostentando trajes típicos de suas origens e portando presentes cujo significado estaria a indicar uma honraria máxima, em cada caso: ouro, incenso e mirra... Se o ouro de um deles era o metal mais precioso, o incenso e a mirra simbolizavam também “deferências máximas” ao Messias então recém-nascido para os terráqueos. E os três (Belchior, Gaspar e Baltazar) ali estavam, irmanados pelo laço que uniria, ao longo dos séculos, os verdadeiros cristãos: a fraternidade genuinamente cristã... E o Cristo vastamente exemplificou essas vivências, desde a escolha dos apóstolos (de condições diferentes), passando por escolhas como as de Maria Magdalena e Zacheu, até o momento extremo de seu Grande Testemunho na Terra, quando delegou à sua mãe, postada ao pé cruz, a “adoção” dos filhos do mundo; seu chamado “Uni-vos e multiplicai-vos”, certamente não se delimitava à união entre os seus seguidores de “primeira hora”, mas deveria abranger diferentes povos e nações...

E essa mensagem de Fraternidade permanece há mais de dois mil anos, tendendo a ressurgir quando a Humanidade comemora a data máxima da Cristandade, fazendo-se um apelo que tende a extrapolar a simples confraternização natalina para assumir seu verdadeiro significado, no sentido de prover a mais genuína das inclusões entre os humanos: a inclusão em Cristo, para o próximo e em favor do próximo, tendendo a abranger a Humanidade como um todo.

Que o ressurgimento da verdadeira fraternidade cristã se instale efetivamente em todos os corações, extrapolando todas as fronteiras e superando, para sempre, as simples comemorações ditas natalinas.

São Martinho da Serra/RS

-18-
"A Fraternidade Ressurge nos Corações: É Natal!".
J Otoniel Poeta

Tudo começou com a Anunciação
Do anjo Gabriel à Maria dizendo:
" O Senhor me enviou para avisar
a ti que irás ser mãe; o Messias,
prometido por Deus para redimir
a humanidade dos seus pecados
nascerá do teu ventre; e seu nome
será Jesus!"

Maria, virgem de Nazaré, casada com
José, um humilde carpinteiro de pronto
Pergunta como isso poderá acontecer?
O anjo disse-lhe: "Não te assustes, oh Maria
Foste escolhida pelo Pai e, o que vai ser
Ocorrerá por Obra e Graça do Divino
Espírito Santo"

Maria iluminada pela luz divina pronunciou:
"Eis me, oh meu Deus e Senhor, a tua escrava
Faça-se em mim a tua vontade! Aqui estou!"
Toda a Galiléia teve conhecimento do occorrido
Foi ela em seguida visitar Isabel sua prima
E seus parentes ao saber testemunharam o fato
Tendo-o como Bendito!

O NASCIMENTO!... César, imperador de Roma
Para aquela província decreta seja feito o recenseamento
A cumprir tal ordem, Maria já estando em ponto
De dar a luz seguiu com José à cidade de Belém
Lá chegando as estalagens estavam todas ocupadas
Chegada a noite se abrigaram numa manjedoura
E num rústico alojamento Maria dá a luz áquele
Menino-Deus

Rodeado de animais com seus pastores O adoravam
Os anjos hinos de louvor cantavam; a Estrela no Céu indicava
o lugar e numa faixa luminosa lia-se: "Glória a Deus nas alturas
e Paz na terra aos homens de boa vontade!"

Jandira/SP

-19-
Vou Pedir
Fátima Peixoto

Vou pedir a Papai Noel,
Que traga um presente,
Se encontrar por aí,
Não sei por que fugiu,
Desapareceu de mim?
Traga minha inspiração.
Não sei viver sem ti,
Preciso dos versos,
Preciso sonhar com jardim,
A realidade é nua e crua,
A poesia alivia a dor,
De viver em um mundo assim...

Cabedelo/PB

-20-
Fraternidade no Natal
Vera Passos

Somos todos irmãos, filhos da promissão
Mãos estendidas, mãos dão guarida
Mãos que acenam, mãos que abraçam
De dia, à noite, em qualquer ocasião

Mãos apontam a estrada da libertação
Afagam a criança, mostram o caminho
Acompanham o sozinho, oferecem o ninho
Acalmam o faminto, repartem o pão

Mãos que se estendem ao outro e o retiram do chão
Tocam uma música, embalam as crianças
Desenham as letras, ensinam a lição

Mãos que pintam um quadro, adornam a mesa
Alimentam a pureza do sonho infantil
Mãos que levam a cura sem qualquer restrição

Mãos que preparam o Natal e levam o perdão
Que anulam o mau, que fazem a exceção
Que escolhem o amor, para acolher o irmão.

Salvador/BA

-21-
Natal
Vera Passos

Ah! se eu pudesse seguir estrada afora...
Por um caminho ornado de flores
Sentir o cheiro da brisa,ver estrelas no alto do céu
A terra molhada, bichinhos na estrada
Sem nada temer, sem ter que fugir
Nas mãos, mochila de papel
Um pão, uma rosca, um doce de mel
Na estrada, a luz da fogueira
Anunciando o destino final
Crianças brincando no terreiro
Bandeiras de papai Noel
Alegria iluminando o quintal
Num canto, o velho presépio
Lembrando o eterno Natal
Bilhetes surpresas sob a árvore
Jesus pintado no papel
Vestido de chita, cabelos com fitas
Sandálias de couro, folia a granel.
Mais tarde, abraços apertados
Vizinhos trazendo o farnel
A Paz gravada na alma
A imagem refletida no painel.

Salvador/BA

-22-
Dezembro mês do Natal
J Otoniel Poeta

Mês de Festas, de presentes e de alegria
Todos sentem-se alegres e muito felizes
Tudo acontece num ambiente de harmonia
Todos procuram esquecer as horas difíceis
As crianças aguardam a chegada de Papai Noel
Que vem presentear as ciancinhas com os mais
Variados tipos de brinquedos
Todas recebem contentes e se divertem montadas
Nos cavalinhos dispostos no carrossel
Tudo acontece às nossas vistas sem segredos
Os adultos confraternizam-se com ânsia
De haver no mundo mais amor e esperança
Os sinos badalam ressoando melodiosos sons
Em comemoração
Do Nascimento de Jesus, uma criança
Que veio à terra trazer muita Fé, Paz e União!...
As noites da Véspera ao Dia do Natal
São lindas as casas, as ruas e praças em tons
De um verdadeiro espetáculo de enfeites e luz
Um festival!
A tradicional Árvore toda ilumidada é a grande
Atração
As mesas são repletas de comidas: O Peru, o Chester
E também o Pernil de Leitão
Um bom vinho ou outras bebidas; frutas e outras
"comeizinhas" completam a festiva alimentação
Os amigos (as) ali reunidos (as) aguardam o "Canto do Galo" que segundo a tradição
Simboliza de Jesus a sua apresentação
Aos que tem fé após tudo isso reunem-se em louvor
A Deus, em oração, rogando a Ele haja em todo o mundo
Mais e muito mais amor!

Jandira/SP

23-
Natal no condomínio
Cristiano Sousa

 “Botei meu sapatinho”...
Alegria, alegria! É natal na Bahia! As noites estão mais enfeitadas, as estrelas parecem ter um brilho diferente, as flores também, aparentam estar mais coloridas. A paz está no ar!... No brilho das coisas ao nosso redor, nas vitrines enfeitadas; os Papais Noel estão bombando com suas vestimentas vermelhas por toda cidade, efervescendo o comercio, as renas e trenós nem se fala; a árvore que é montada no meio da praça custa caro mas vale a pena, faz a alegria de baianos e turistas, e do bolso dos empresários. Por falar em árvore.
_ Esta tá legal, não é amor? Falou a mulher para o marido
_ Eu gostei também!
Que bom ver mais um casal, como este, feliz, por não deixar faltar em sua casa o enfeite de todos os anos. Esta cena aconteceu junto de mim, que estava observando a árvore que eles compraram, com o desejo de poder faze-lo também, mas já acostumei com o fato de estar perto e ao mesmo tempo longe, como foi o caso. Meu pai, quando eu era pequena, me disse pra acostumar, que no mundo em que vivemos é assim, as coisas estão próximas dos seus olhos, mas podem estar longe da sua capacidade financeira.
Observei tudo isso ao som da musica no início, que escutamos todos os anos. Ia andando pela Baixa dos Sapateiros e não precisava dar cinco passos para ouvi-la numa grande loja ou mesmo na banquinha dos ambulantes, se não fosse esta seria:
“Gingombel! gingombel!” ou “Bate o sino”... E outras mais que conhecemos, que acabam dando no mesmo.
Meu nome é Ana; como podem perceber, moro em Salvador, cidade turística e cheia de belezas naturais. Minha casa – literalmente. Esta é a época do ano que mais curto, vocês puderam observar por tudo que descrevi aqui (Quem não gosta do natal, diga-se de passagem).
A agitação está também nos lares, pois ninguém quer fazer feio na hora da ceia. Conheci uma pessoa, há anos, que no dia vinte e quatro convidava toda família pra comer o peru em seu recinto, na maior reverencia à data simbólica; terminado aquele momento sagrado, praia e muita cerveja pra todos. Até que era uma boa patroa, não me deixava de fora da festa, me dando um litro de vinho e um panetone pra que o meu natal não passasse em branco.
As pessoas costumam esperar dezembro para arrumar suas casas, já virou mania, na rua onde moro existem vários assim, como, por exemplo, meu vizinho de frente, que deixa o portão da dele todo azulzinho, fica brilhando. Uma vez, atravessou a avenida que separa nossas moradias, pra me perguntar:
_ Você não vai arrumar a sua também?
_ Pra quê? quando passar esse mês tudo volta a ficar como antes.
_ Mas os papelões tão precisando ser trocados! Estes são muito velhos!... (risos)
_ Os ‘papelão são importante’, mas o que protege mesmo é o viaduto que tá em cima da gente.
_ E a barriga?
_ O que tem a barriga?
_ Tá tudo bem? Você tá indo ao médico?
_ Vês ô outra...
_ Ói lá!... Tá com quantos meses?
_ Já tá perto de nascer.
_ Tome! É o seu presente de natal. (me deu dez reais, isso porque me conhecia, sabia que eu não ia empregar o dinheiro em besteira)
Por causa de gente como esta o natal me faz feliz, as pessoas se transformam, ficam boas, amolecem o coração. Vocês precisavam ver como um outro vizinho, desta vez, morador do mesmo condomínio que eu, me tratou só pela ocasião da festa.
_ Ana.
_ Que foi?
_ Tá com raiva de mim?
_ Devia estar!
_ Sabe... eu gosto de você, mas as vezes... sabe... eu tenho aqueles ataques e te ofendo sem querer.
_ Tá bom, ‘Seu’ Guto, mas não me irrite mais.
O homem calou por instantes.
_ Olhe! Eu tenho aqui alguns colchões novos que uma ricona me deu, se quiser...
_ Tô precisando mesmo! Respondi.
Passados mais alguns segundos.
_ Ana.
_ Que foi dessa vez?
_ Feliz natal!
_ Pra você também!
As musiquinhas natalinas não param, desta vez as ouvia no celular que comprei de Bebéu, um garoto do condomínio, que costuma passear pela Barroquinha e adjacências. Como sou pessoa honesta, quis saber a procedência do produto.
_ Onde você achou isso aqui, moleque?
_ Comprei!
_ Quem te deu dinheiro?
_ Aaaah!... Aí você quer saber demais!
_ Menino!... Não me bote ne rabo de foguete, viu? Eu sou preta mas sou honesta!
_ E quem aqui é desonesto? Alguma vez entrou roubo em nosso condomínio?
É verdade, os moradores do condomínio preferiam a fome que a desonestidade.
A quantidade exata de famílias eram oito:
A de ‘Seu’ Gustavo (Guto) - ele, a mulher e seis filhos;
A de ‘Seu’ Pedro - ele, a mulher e dois filhos;
A de ‘Seu’ André - ele, a mulher, uma filha e três vira latas;
A de Dona Cacau - ela e dois filhos;
A de Dona Estela - ela e uma filha;
A do meu vendedor, que ocupava um apartamento sozinho;
A de três irmãs, que também ocupavam um apartamento;
E a minha, que consistia apenas em Dragão, o meu amado e companheiro gatinho, e eu.
Todos vivendo na mais perfeita harmonia.
O natal contagiava a todos ali, e este final de ano foi especial porque resolvemos fazer algo diferente. A nossa ceia!
_ Que boa ideia! Exclamou ‘Seu’ André, o primeiro a apoiar minha iniciativa.
Claro! Como sindica eu tinha que inovar.
Então todos se mobilizaram. Os homens arranjaram madeira e as ferramentas necessárias para construir mesas, cadeiras e cobrir a parte do viaduto que ficávamos, para que, caso chovesse, não molhasse; as mulheres mostraram seus dotes, costurando remendos de panos, quando não eram cedidos pelas lojas próximas, e assim tínhamos o que vestir e cobrir as mesas; até os Jovens e crianças ajudaram, pedindo doações de alimentos nos supermercados (só pedindo) para termos o que comer com fartura. Assim, tudo saiu além do que imaginamos.
_ E aí pessoal? Perguntei.
_ Tá muito lindo, Ana! Respondeu por todos a Dona Cacau.
E assim fizemos a nossa ceia de natal, que aconteceu numa paz jamais vista por nós. Tudo era de todos. Rolou até amigo secreto, e com presentes bons!
Mas nem tudo foi comida e bebida, houve o momento da reflexão. Peguei minha velha bíblia que, mesmo caindo aos pedaços, serviu como ponto de partida.
_ Gente. Tenho certeza que essa vida não foi feita pra nenhum de nós, vamos nos analisar e ver se estamos no caminho certo...
No final, com muita dificuldade por causa do pouco estudo, consegui ler um versículo pra fechar com chave de ouro.
Bem, meus amigos, estou chegando ao final destas palavras radiante de alegria, pois o que foi dito naquela noite surtiu efeito, quem morava no condomínio porque gostava voltou para o seu verdadeiro lar, quem era viciado em drogas procurou ajuda; eu mesma, tive meu primeiro filho, pensei que nasceria na rua, mas Deus me abençoou com um lar digno, sem que esperasse; foi o meu vizinho, aquele do outro lado da avenida, que decidiu morar no interior e deixou a casa pra mim, com papel e tudo (era solteiro e não tinha filhos), então voltei a ter uma vida honrosa, trabalhando de novo e abandonando a prostituição. Enfim, tudo se transformou.
Sei que no início do ano as pessoas retornarão a sua mesmice, porque não houve o verdadeiro nascimento nelas, como houve com a turma do condomínio. Mas, para você que viveu realmente o prazer deste dom, sem a mascara da falsidade que costuma cobrir a face de muitos, um feliz natal e tudo de bom.

Salvador/BA

-24-
É Natal... meus irmãos.
Alice Luconi Nassif

Nesse período do Natal comemoram os cristãos,
Sua religião nasceu com o sacrifício do Salvador.
Sua crença é respeitada por milhões
Espalhados pelo planeta... nas nações.

O Natal representa o nascimento do Amor
Na figura do menino Jesus, menino Deus
Amado e adorado por tantos com ardor.
Neste dia há total renovação nos crentes,
Que acreditam que esta corajosa criança
Foi e sempre será o redentor
E tudo renasce nesta divina esperança...

Rio de Janeiro/RJ

-25-
Presente de Natal
Andrade Jorge

Pai Noel, eu quero um presente
bem bonitinho, que ande, corra e converse comigo,
Pai Noel, eu quero aquele que ta ausente,
O presente é o meu amigo.

Pai Noel, esse amigo ria, pulava,
contava estorinhas pra eu dormir,
sempre dizia que me amava,
e não me deixava o frio sentir.

Pai Noel, desse amigo nunca esqueço,
traz ele de volta, traz ... Vai!
Pai Noel! Ainda sou criança não mereço,
ficar longe do meu pai!

Diadema/SP

-26-
A caminho de Belém
Roberto Bordin

Véspera de Natal
Meia-noite. Um galo canta
Uma menina caminha solitária
O soldado israelense manda-a parar
Fogos de artifício espocam no ar
Os católicos da cidade comemoram
A menina: - Vim ver os fogos!
- Feliz Natal, soldado!
Ele sorri e se aproxima.
Coloca-a no colo
Para que ela veja melhor
Um vulto surge na noite
Estaca ao ver a cena
A menina avista o vulto
- Feliz Natal, moço!
Soldado e civil se encaram
Israelense e Palestino se medem
A saudação e uníssona:
Feliz Natal!
Abraçam-se à menina sorrindo
Lágrimas escorrem de seus olhos
Constroem um belo momento de Paz
Apenas alguns minutos
Que poderiam durar para sempre.

Gramado/RS

-27-
A força do Natal
Paola Rhoden

Cada Natal percebemos
em encontros e deleites
numa árvore com enfeites
luzes e sons tão fugazes
A verdadeira amizade
De um calor que nos invade
Por sermos sempre capazes
relizando o que queremos.

Brasília/DF

-28-
Natal
Judite Krischke Sebastiany

No Natal, luzes, festa alegria.
Desejo de presentear, de amar.
Fica muito mais fácil perdoar.
Coração macio: manjedoura.

Nasceu o Menino Jesus,
Com ele, renasce a esperança
De dias melhores: mais paz.
De vitória da justiça e do bem.

Porto Alegre/RS

-29-
Meu Mundo
Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira
(6 anos)

Meu mundo é assim:

As árvores cheias de frutos
Um mundo feliz
O lar, o mar e o sol
E até uma lua
Assim é o meu mundo feliz.

Sobradinho/RS, 28 de novembro de 2011.

-30-
Natal solidário
Neneca Barbosa

Uma grande estrela brilhou no céu
Anunciando a chegada de um menino
Trazendo a missão de rasgar o véu
Da ignorância das leis do divino.

Mas a humanidade não despertou
Com as lições preciosas da Boa Nova
Pois através de Jesus, Deus enviou
Para superar com fé cada prova.

Que o Natal seja de renovação
Com o esplendor de um belo alvorecer
Alimentando com fé o coração
Permitindo um novo homem renascer.

Hinos de glória caiam sobre o Planeta
Pra que haja paz e solidariedade
Ao longe ouvir o clarim da corneta
Conclamando para a fraternidade.

João Pessoa/PB, 11/12/2011

-31-
A fraternidade ressurge nos corações: é Natal!
Sílvia Benedetti

A Fraternidade ressurge nos corações:é NATAL. Na minha frente a tela onde leio o título da 37# Ciranda Mensal da nossa CAPPAZ. Começo a pensar e pensando escrevo sobre a veracidade do ressurgir da FRATERNIDADE na época natalina.Talvez a proximidade do aniversário DELE, fale indiretamente aos nossos sentimentos e assim nos induza a pensar um pouco mais no OUTRO, e olhar com mais carinho o nosso irmão. Tempo de NATAL... embora a força da comercialização nos contagie, é preciso ver neste tempo a oportunidade da confraternização, vivendo um período de reflexão sobre o como ESTAMOS e como deveríamos ESTAR em relação aos que nos cercam... Presentes, cartões, mensagens mil, não valem a palavra de carinho, o abraço sincero e o gesto de atenção. Estamos cada vez mais nos deixando influenciar pela propaganda e deixando de ser NÓS mesmos. Que o NAtal seja o tempo de vivenciar o AMOR, a PAZ e a FRATERNIDADE;tempo de externar afeto , gratidão e humildade; tempo de estender as mãos no ato do amparo, da ajuda e do perdão, em memória daquele que se deixou imolar na cruz para doar à Terra através de séculos e séculos uma lição de poucas palavras, que tudo diz: "AMAI-VOS UNA AOS OUTROS".
Aos meus queridos irmãos CAPPAZES, um NATAL verdadeiramente Cristão, para que o ANO NOVO seja prenúncio de uma FRATERNIDADE constante, para que a vida seja MELHOR.

Porto Alegre/RS

-32-
Natal
Marco A. Amado

Tentemos mudar o mundo
Implantando a verdadeira filosofia
Que nos ensina a Natureza
Através de sua beleza

Vamos reaprender
É possível reciclar
E restaurar
Um mundo digno

Onde os reis despidos
De seus trajes suntuosos

E com seus pés descalços
Caminhem por um novo caminho
Reescrevendo a história

Fazendo com que o verbo amar
Não apenas utilizado na poesia
Mas sim no dia a dia

Deixemos de lado
A retórica
Vamos reconstruir com nossas mãos
Uma nova nação

Sejamos capazes
De mostrar à verdadeira paz
A alegria e felicidade
E também à liberdade

Reproduzindo com fidelidade
As palavras do Criador
Senhor: Fazei de mim um instrumento de vossa Paz!
Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!
Ó Mestre,
fazei que eu procure mais.
Consolar, que ser consolado.
Compreender, que ser compreendido.
Amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
é morrendo, que se vive para a vida eterna!
Amém
De todo o meu coração meu grande mestre.

Feliz Natal!

Ilha do Governador/RJ-Ocram, 01/12/11

-33-
Espírito de Natal
Maju Guerra

Ecoa um canto natalino
Saudando Jesus menino
Na manjedoura deitado
Junto a Maria e a José.
Ecoa um canto natalino
Exaltando a vontade divina
De que o amor e a compaixão
Espalhem-se dentre os homens
Permaneçam em cada coração.
Eleva-se a Deus uma oração
Para que não esqueçamos
De sempre estender a mão
Aos que de nós necessitam,
Para que não esqueçamos
De dividir com um irmão
O pão e a graça recebida.

Salvador/BA

-34-
Natal.
Élio Cândido de Oliveira

Tem tudo para ser especial
Façamos tudo para a harmonia
Transmitamos a paz, e alegria
É o dia esperado! Natal

Vivê-lo como mais um dia legal.
Que nesta casa não haja discórdia
Assim seja no seio de cada família.
Se respeitem leve ao irmão abraço fraternal.

Onde se for, tenha a felicidade
Se espalhe a pura liberdade
Que todos se envolvam numa áurea de luz

Se espelhe entre nós a verdade
Dispa-nos de qualquer vaidade
Coragem para carregar nossa cruz.

Ibiá/MG

-35-
Unidas mãos
Valéria Lisita

Fale com a boca dos anjos...
Bondade não tem data marcada,
Meu irmão...o sempre será,
Mesmo que passem estações,
Fome e sede, criança sentirá
E idoso de pés calejados,
Caminhadas em pedras e espinhos,
Mãos dadas com a saudade...
Precisa de apoio e carinhos;
Bondade não tem data marcada,
Repensar todo dia que somos irmãos,
Felicidades e dores...unidas mãos!

Goiânia/GO

-36-
O verdadeiro Natal
Edécio Mergener

É Natal, é alegria, é reflexão
As luzes brilham em nossas casas
Os anjos batem as azas... Trazendo a boa nova
Tudo se renova em nosso pensamento
É o renascimento do Filho do Senhor
O grande semeador que vai chegar
Para nos mostrar o seu grande poder
A nos vem trazer, a esperança da salvação
Nesta união vamos comemorar
E a ele se juntar de mãos dadas na fé
Nesta data que é... O ponto maioral
Pois é Natal... O nascimento de Jesus
Aquele que na cruz levou da terra o pecado
Senhor, muito obrigado por tamanha bondade
Incomparável de verdade... É o dono do poder
Pode crer... Só ele pode salvar.

O homem inventou o título
Até a data nos que escolhemos
E ainda promovemos comercio em cima disso
Esquecemos o compromisso da verdadeira comemoração
Mas quem sabe em nossa Oração
De coração, ele possa nos perdoar
E possamos comemorar

Um FELIZ NATAL

São José dos Pinhais/PR

-37-
Adote esta canção
Pampoeta

Confraternização... amor no coração...
Solidariedade... amor sem vaidade...
Afeto... abraço amigo...
Sem limites, sem fronteiras...
Como é bom estar contigo !!!
E, poder te ajudar...
Somos todos filhos de Jesus...
Em tuas mãos, tudo conduz...
Ao pobre desprovido, doe-se amigo...
Adote esta canção, de paz e emoção...
Confraternizando, amando e respeitando...
A luz que aqui reluz, são sorrisos de Jesus...

Campinas/SP

-38-
O meu Natal
Vera Passos

O meu Natal é como brisa, passa simples
O meu Natal tem Sol brilhante
Tem Lua cheia, às vezes
Tem mar gigante, tem maresia
Tem dor, tem alegria
Meu Natal tem vazio no peito
Tem silêncio, tem oração
O meu Natal tem viagem
Tem lembranças, tem crianças
Tem presentes, tem exageros
O meu Natal tem gente alegre
Tem gente triste, tem faminto
O meu Natal é tão igual
Natal de adulto, tem saudades
Quantas saudades dos que se foram
Saudades dos que estão distantes
Tem amigos presentes, outros ausentes
Tem gente nova, família, problemas
O meu Natal, tem rua cheia de solidão
Praças lotadas de ilusão
O meu Natal é todo dia
É muito abraço, é trabalho
É amor cristão, é uma lição
É viver a vida, é gratidão
Natal tem que ser sempre

Salvador/BA

-39-
Natal e Fraternidade
Carlos Reinaldo de Souza

Ouço, ainda, os acordes natalinos
e o burburinho de gente na rua,
mãos carregadas, mimos cristalinos.
Quieto, triste, o pobre na cafua,
espera em vão um simples alimento,
algo capaz de mitigar a fome.
Ninguém percebe a dor e o sentimento
e o seu pãozinho murcho ele come.

Pai, onde estão o Amor e a Caridade,
ocultos nestes banquetes insanos,
nas trevas da omissão e falsidade?
Perdoa, ó Cristo, os seres humanos!
entre os homens, perdidos no deserto,
faça ressurgir a Fraternidade:
da indiferença seja o homem liberto,
seja o Amor o Farol da Humanidade!

Conselheiro Lafaiete/MG

-40-
Poema fraterno
Odilon Machado de Lourenço

Tenho de falar de paz nesse poema
Tenho de dizer de meus irmãos que moram longe
De meus irmãos que falam outras línguas e não os conheço
Tenho de falar que estou feliz por saber que existem
Que vivem angariando o pão, o sol, a liberdade...
Que vivem em meu coração que cabem todos
Tenho de falar que tenho esperanças para meus irmãos
Digo para meus irmãos e minhas irmãs que moram longe
Que se aventuram na mesma luta das minhas mãos
Que são o sangue do mesmo sonho fraternal
E sentam à mesa comigo nessa hora
Nessa hora dada para o amor.

Florianópolis/SC, 15-12-2011.

-41-
Um único amor
José Antônio Gama de Souza-Balzac

É necessário e urgente
que a heterogeneidade
da concepção de Deus
seja substituída
pela homogeneidade
da concepção do Amor
que Ele representa.

Leopoldina/MG

-42-
A fraternidade ressurge nos corações: é Natal.
Vanda Ferreira

Percebo, desde sempre, que no período comemorativo ao Natal uma natural intuição nos conduz para a interiorização, para a gema. Retorno ao útero, onde se gera o bem, onde se encontra a placenta, a seiva , os predicados, os antídotos, as vitaminas da vida.
O Natal aflora bons sentimentos. Propõe oportunidades para reflexões e abre verdades, clareia o coração, inunda a alma.
No mundo inteiro, falam a mesma linguagem de identidade cristã, liberdade afetiva, respeito e igualdade.
É Natal e redescobrimos que todos somos parentes.

Canpo Grande/MS

-43-
Chegando o Natal
Rosana Carneiro

Enfim...Dezembro chegou
A esperança renova-se
A inspiração nos ronda
... A solidariedade desponta
O coração do homem
Transforma-se e cresce
A bondade transborda
O desejo de ajudar
De ser bom
Desponta na humanidade
O egoismo vai embora
A crueldade dissipa-se
A maldade não aparece
É tudo novo, lindo, perfeito
E a vontade de ser assim
Vai pelo ano novo todinho
E nós agradecemos a Deus
Por Jesus ter nos ensinado tudo isso...

São Paulo/SP

-44-
Porque é Natal
Roseleide Santana de Farias

Porque é Natal, eu Te vislumbro ao longe, Senhora Nossa!..
Vejo-te, te sinto perto de mim, inspiro o teu doce perfume.
São incensos, mirras, jasmins, rosas, tantas delicadas flores
Os lírios, as angélicas que nascem e eis a lembrar-me de Ti!

Maria, tão jovem ainda, boa menina, meiga, casta, tão linda
Já a sentir as cruéis angústias do medo e as dores do parto.
Medo das terríveis discriminações, perseguições, solidão, o
Temor do abandono, o doloroso suplício e a terrível morte!

Maria pura, inocente, temente e obediente ao Senhor, sabias
Que só o amor constrói e é caminho da verdadeira felicidade.
Maria, bela estrela cadente, luzente, fulgente, bendita do céu
Oh minha Santa Mãe, és brisa que afaga e minha Estrela Guia!

Porque é Natal, te louvo! Amo-te, te adoro, te chamo, te sinto
Mas, não só por ser festa! Também se a tristeza me invade, se
Quer tomar a minha mente, o corpo, um perigoso e tênue véu.
E te busco entre as estrelas, rezando o mantra do meu terço!

Porque é Natal, corações felizes e fervorosos te aclamam, tão
Confiantes em teu sublime amor de mãe que nos faz florescer
Em esperança, oh bendita, oh compadecida e misericordiosa,
Que ilumina, nos ampara nos caminhos que precisemos trilhar.

Porque é Natal, Glória á Deus nas alturas! Louvemos á Jesus o
Salvador e filho de Maria, o anjo mulher. Jesus, Maria e José, á
Servir ao Pai Celeste, á cumprir profecias, nos trazer redenção.
Bendito o Fruto da Eterna Paz que a humanidade busca, requer

Cabedelo/PB, 19/12/2011

-45-
Renascimento
Ana Teresinha Drumond Machado

Em suave neblina,
o Natal principia!
Se veste de cores ,
dá vida ... ilumina .
A alegria se recria!
No dourado reluz
a nobreza singela
do Rei Jesus.

No vermelho renova-se
o fraternal amor
com calor desdobrado
no abraço... no entrelaço
e nos laços que faço.
Sob as luzes vespertinas,
Entre vitrinas citadinas.

O verde se encorpa
E no revigor da esperança
se refaz a aliança
pelo olor noz-moscada
e no doce verdor
do figo em calda.

O branco se tinge mais alvo
para rememorar
aos filhos do Divino
que a Paz é o alvo.
Que o cântico terno ...eterno
é capaz de acalmar... semear
o que Cristo visionou,
na Terra , assentar.
Ele aguarda a ceifa.
Renove tua árvore interior!

Há uma estrela no topo
que te conduz a Mim.
Siga a luz estrelar!
Venha! Se achegue!
Não tragas presente de cetim,
Nem mesmo incenso,
Nem mirra., nem jasmim,
Ouro - nem ver!
Quero , apenas , envolver-te!
Ofereça –te a Mim.
Abrace-Me... Sou teu amigo!
Ah! Feliz Natal,
meu filho amado!
Hoje meu nascimento
está renascido... celebrizado!
Tu lembraste de Mim!

Alvinópolis/MG

-46-
Natal
Diná Fernandes

Outra vez Natal
E o que mudou?
Que rumo tomou os desejos venturosos,
aquela vontade de ajudar ao próximo,
de ofertar carinho e dividir alegrias?
E que em ações verdadeiras
não foram transformadas?
Palavras vagas dormitando?
Não basta dizer que Cristo nasceu
e que dele provém toda luz,
Se os mesmos vícios e indiferenças
parecem negar a existência e a referência
que nos une em Cristo?
Seremos cristãos invisíveis
A não perceber os olhos tristes,
as bocas famintas e os corações desolados
por falta de afeto?
Que nossos corações recebam e transmitam Luz
Que nossos braços sejam o apoio dos que tropeçam
Que nossos pés levem o socorro aos menos favorecidos
Que nossas palavras sejam doces e afetuosas
Que o espírito do Natal seja eterno,
Que os homens de fé e boa vontade
Cultuem a Paz o Amor e a Prosperidade

Cabedelo/PB

-47-
O mundo Vive o natal
Diná Fernandes

Natal, Renascimento, tempo de reflexão
Tempo de presentear o aniversariante
Não um presente qualquer, e sim nosso coração
Pleno de amor, hoje e eternamente

Que o clima de ventura
Seja pleno e duradouro
Que os laços de ternura
Se fortaleçam no ano vindouro

Que reine a Paz e a Harmonia
No mundo nos lares e nos corações
Que as crianças tenham a alegria
De desfrutar dessas transformações

Que o homem tenha fé,
Consciência e discernimento
Que não use de má fé...
Para não ter descontentamento

Cabedelo/PB

-48-
A fraternidade ressurge nos corações: é Natal!
Deomídio Macêdo

O Meu coração,
O Seu coração,
Os Nossos corações
estão irmanados nesta data na qual comemoramos o nascimento de Jesus.
Sinta, absorva, emita, busque, entenda, aconchegue seu irmão, meu irmão,
nossos irmãos, num abraço fraternal.
Doe energia de amor para que a fraternidade ressurja nos corações, anunciando que
Chegou o Natal!
Vamos dar as mãos espiritualmente, e fazer uma corrente com
todos os seres da natureza,
e irradiar os ensinamentos que aprendemos com o menino Jesus, que nasceu
numa manjedoura, ecoando humildade.
Sejamos como estrelas, distribuindo constantemente, luzes de Paz e Amor
todos os dias de nossas vidas nos transformando em NOEL.


Salvador/BA

-49-
Não Doía...
J.J. Oliveira Gonçalves

Chega o Natal com Luzes e cantigas
Me refugio em cenas do Passado!
Lembranças coloridas - tão antigas
Num coração vazio e machucado!

Então, era meu Sonho ainda Dourado
(Num tempo adolescente que sorria
E em que da Vida eu era enamorado!)
Que a Vida era Esperança - e não doía!

Natal! Nasceu Jesus - o Salvador
E eu aqui ninando minha Dor...
Entre um suspiro e outro vou compondo

O verso a quatro mãos - com a Saudade!
Papai-Noel - que foi Felicidade
A lágrima em meus olhos vai secando!

Em cada rima, um ai geme baixinho
Natal... Mas já perdi meu sapatinho!

Porto Alegre/RS, 15 de dezembro/2011. 11h - HS
jjotapoeta@yahoo.com.br - jjotapoesia@gmail.com
http://transmutacoes.zip.net  - www.cappaz.com.br

-50-
Mais um (pequeno) conto de Natal
Marina Martinez

Véspera de Natal, família atarefada, esperando convidados, todos trocando de roupas, ansiosos por seus presentes. Bibiana separa o que quer vestir, com muito cuidado e entra no banheiro, no andar de cima. Os parentes e amigos vão chegando, a casa torna-se mais agitada. Pouco antes da meia-noite tocam a campainha e o pai vai atender. Não sabe quem é aquela pessoa, vestindo túnica longa e clara, barba, olhar manso. Pergunta o que ele deseja e se espanta com a resposta: “vim para a festa de aniversário”. “Deve ser engano, aqui, hoje, não tem festa de aniversário alguma, senhor.” Visitas se aproximam da porta, querendo saber o que se passa, algumas rindo da situação; outras, indiferentes.
O estranho reforça ter recebido um convite com o endereço daquela casa, para passar com a família a virada de 24 para 25. O pai se irrita e pede que ele se retire, pois nada do que falou podia ser verdade. Fechou a porta com força e retornou para a sala, contando sobre o maluco que queria participar, ou, melhor dizendo, “filar” a ceia. Bibiana ouve a parte final da história e senta-se num dos degraus da escada, chorando. Seu irmão mais velho a vê, chama o pai e a mãe, apreensivo. Querem saber por que chora tão desconsolada. A menina, entre soluços, explica: aquele homem era seu convidado e fazia aniversário no dia de Natal e ela pretendia dar-lhe um abraço no primeiro minuto do dia 25. Questionada como havia convidado o desconhecido, explicou que, na noite anterior, quando foi dormir, orou fervorosamente para que Ele fosse cear com ela e sua família, pois queria muito vê-lo e abraçá-Lo. O irmão, pálido, olhos marejado, saiu correndo até a rua, na esperança de encontrar o convidado da irmã. Olha para todos os lados, atravessa a avenida. Nada. Nenhum rastro. Apenas fragrâncias de flores no ar. Volta para casa, abraça a menina e diz em seu ouvido, confortando-a: “sei quem Ele era e sei que te ama muito”.
Na hora ceia, um clima diferente, desconfortável. À mesa, ao lado de Bibiana –rosto triste, inchado de tanto chorar-, uma cadeira e um prato. Vazios.

Porto Alegre/RS

-51-
Sorte
Estela Frutos Braud

É ter amigos, confiar.
Sentir saudade, querer mais
Logo após deixá-los,
Sabendo-os próximos
Qualquer seja a distância.
SORTE
É estando juntos
Rir de assuntos sérios,
E emocionar fundo
Com relatos banais:
Falar tudo, despreocupadamente.
SORTE
É não precisar de Papai Noel
Para receber e dar presentes.
É a alegria sentida de querer
Sempre mais um abraço apertado:
Amizade, o amor perfeito!

-52-
Espírito de Natal
Sônia Rêgo

Luzes coloridas
iluminam nossas vidas...
É Natal ! Lojas cheias,
mensagens,
cartões não param de chegar...
Muita preocupação com a ceia,
Num frenezi contagiante.
Mas e o aniversariante?
Onde está?
Que presente pra Ele doar?
Será que pensamos nisso?
É nosso dever primordial,
Selar a paz e o amor...
É o nosso compromisso
refletir sobre o espírito de Natal,
encontro de amigos e estranhos,
admirando a grande Luz
e vamos unir nossas mãos,
unir nossos sonhos,
realizar o desejo do
nosso irmão Jesus.
Essa é a nossa missão !

Bom Natal !

São Paulo/SP

-53-
Nunca sei
Fernando Alberto Salinas Couto

Eu nunca sei como fico
nessas datas importantes
como essa que é do Natal,
coisa que deve ser passada,
porque vejo um menino rico
ganhando muitos presentes,
enquanto um velho jornal,
cobre outro numa calçada.

Para enfrentar a realidade
e ter uma noite de paz,
preciso da fraternidade
que encontro na CAPPAZ !

Feliz Natal !

São Paulo/SP, 26/11/11

-54-
Feliz Natal e Muita Paz
Joyce Lima Krischke

Noite Feliz! Noite de Paz!
Noite de Luz! Noite de Cantos!
Também, Noite de Silêncio
E Noite de recolhimento

Olhos fechados... Surge o Anjo
Abrem-se os ouvidos do coração.

“Encontrareis um recém nascido
Deitado numa manjedoura.
Gloria a Deus nas alturas
E Paz na Terra aos homens...”


CANTEMOS JUNTOS:
Feliz Natal e Muita Paz...
Ações e palavras FRATERNAS
Nos 365 dias do ANO!

Balneário Camboriú/SC

 




SELO DE PARTICIPAÇÃO










|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||




Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados