AGRADECIMENTOS/ENCERRAMENTO

É uma honra e prazer, eu poder também me fazer presente nesta 38ª Ciranda mensal da CAPPAZ, mês de janeiro de 2012, com o tema tão relevante, “ALEGRIAS DE VERÃO”.
Abençoada por Deus, seja sempre esta nobre instituição que nos inspira, ilumina, estimula, apoia, através de temas ricos e tão relevantes em um mundo que às vezes se nos apresenta hostil, violento, tenebroso!
Alegrias de Verão chega quais os outros temas maravilhosos, que nos chama à percepção e iniciativas a vôos mais altos e sublimes, inspirações mais apuradas ao belo, ao amor, ao sagrado, a ternura, as encantadoras e contagiantes “Alegrias de Verão”!
Quero agradecer a oportunidade que nos foi dada em participar desta Ciranda, parabenizar aos organizadores e aos poetas que dela fizeram parte, desejando mil felicidades e Bênçãos maravilhosas a todos os integrantes deste brilhante projeto cultural.

Carinhoso abraço
Confreira Roseleide Santana de Farias
Cabedelo/PB




INTRODUÇÃO

Alegrias de Verão

Abram as janelas, dias lindos virão.
O Sol acorda cedo nesta Estação
Energiza a vida, as flores ficam mais coloridas
O perfume das frutas nos chama a atenção
comam manga, jabuticaba, caju, abacaxi, melão...
Abram as portas para a luz entrar
Respirem fundo, o amor está no ar
Abracem os amigos, como ternos irmãos
Acordem cedinho, caminhem na praia
Molhem seus corpos nas águas do mar
Ouçam o rio entre as pedras numa doce canção
Joguem bola, pulem corda, brinquem...animação
Sorriam, cantem, vivam as alegrias do Verão.

Vera Passos
Confreira Seccional Salvador/BA



PARTICIPANTES

Akasha De Lioncourt
Alice Luconi Nassif
Antonio Andrade Jorge
Carlos Reinaldo de Souza
Diná Fernandes
Edécio Mergener
Élio Cândido de Oliveira
Eloísa Antunes Maciel
Estela Frutos Braud
Esther Gonçalves
Fátima Peixoto
Fernando Alberto Salinas Couto
Gislaine Wächter
Haydée S. Hostin Lima
Isabell Sanches
José Antônio Gama de Souza -Balzac
José Otoniel da Costa
Joyce Lima Krischke
Judite Krischke Sebastiany
Kátia Pérola
Malú Ferreira
Marcelo de Oliveira Souza
Marco A. Amado
Maria Fernanda Reis Esteves
Maria Helena Sarti
Marina Martinez
Neneca Barbosa
Odilon Machado de Lourenço
Paola Rhoden
Paulo Rodrigues
Roberto Bordin
Rosana Carneiro
Rosana Paulo
Rosângela da Silveira Coelho
Roseleide Santana de Farias
Sandro Nicodemo
Sebastiana Corrêa
Sidney Santos
Sílvia Araújo Motta
Sônia Dias Freitas
Sônia Maria de Araújo Rêgo
Tânia Maria de Souza
Vanda Ferreira
Varenka de Fátima Araújo
Vera Lúcia Passos Souza



Os textos aqui apresentados são cópias fiéis dos conteúdos enviados por e-mail, ficando essa web designer e a CAPPAZ isentas de qualquer responsabilidade pela revisão dos mesmos.



PARTICIPAÇÕES

-01-
Férias
Vera Passos

Que bom chegou dezembro
Faz tanto tempo, mas eu me lembro
Da vovó, contando estórias
Dias felizes, encontros bons
Brincar na rua de esconde- esconde
Dormir na rede,balanço, perna-de-pau.
Lá no sítio,subir nas árvores
Correr, pular, banho de rio
Fazer casinha no quintal
Tinha panelinha, tinha cosido.
Missa do galo, Papai Noel
Ganhar presente de Natal
Papai do céu, amigo oculto
Tanta inocência e alegria
Em fevereiro, carnaval
Festa no clube, fantasia
Baiana, havaiana, pierrô e colombina
Careta, confete e serpentina
Depois das cinzas, volta pra casa
Final de férias, volta às aulas.
Surpresas,novidades e euforia
Amigos novos, amigos velhos
Corre-corre... energia

Salvador/BA



-02-
Alegrias de verão
Soninha Poetisa

Chegou à nova estação,
Cheinha de sedução.
Trazendo novos amores,
Alegrias de verão.

Amores sem promessas,
Acabam bem depressa.
Chegam e vão,
Alegrias de verão.

Praia, sol, lua encantada,
Um beijo roubado,
E uma nova namorada.
Alegrias de verão.

Os jardins estão floridos,
O sol está ardido.
Coração não protegido,
Acaba o verão,
Coração fica ferido.

Dourados/MS



-03-
Terra querida!
Marcelo de Oliveira Souza

Desembarcando com alegria
Chegamos ao Rio
Um grande calafrio...
Começamos nossa jornada
Gritos de alegrias da meninada
O Rio abre seus braços.

Com alegria o sol aponta
A turma apronta
Respirando uma só felicidade
Copacabana ao Leme
Cristo Redentor ao Corcovado
Ninguém fica cansado?

A turma se agita
Mais que o mar
Quarenta graus não chegou,
Até um frio ensaiou
Mas o que mais me fascinou
É o chamado pela vida
Gritado por essa terra querida!

Salvador/BA



-04-
Noites de verão
Neneca Barbosa

Deitada sozinha na areia macia
Ouvindo atenta o balanço do mar
Com seus acordes sonoros pelo ar
Envolvendo-me em sutil energia

Observei o céu com sua doce beleza
As estrelas piscando para mim
Brilhavam como colcha de cetim
Cobrindo meu corpo com sutileza.

Ao sentir na pele roçar o vento
Lembrei seu forte abraço com saudade
Beijando meus lábios com suavidade
Num mágico e doce encantamento.

Quão belas são as noites de verão!
Quando a lua desponta no horizonte
Refletindo a imagem na água da fonte
Reavivando no meu peito a paixão.

Nas noites quentes também flui a poesia
Com maior intensidade a inspiração
Transbordando d’alma suave emoção
Colhendo as pétalas com alegria.

João Pessoa/PB



-05-
Chuva de verão
Estela Frutos Braud

Como encanta a chuva,
Que no verão me pega na rua:
Entro nela, deixo que envolva,
Banho-me inteira, como nua...

Ergo o rosto, abro a boca,
Entrego-me às suas gotas:
Chuva cura o que machuca,
Prazer de infância, reviravoltas...

Para recebê-la ergo os braços,
Chuva que vem abençoada:
Fluem pensamentos reversos,
Deixando também a alma lavada...

Balneário Camboriú/SC



-06-
Resposta Caiçara
Sidney Santos



Santos/SP



-07-
Fim de tarde
Sidney Santos

Vida em escrever poesia
Adorando versos fazer
Letras de alegria
O sol ao entardecer

Balanço das palmeiras ao vento
Em dia de intenso calor
Sombra de copas em alento
Devaneios de muito amor

Som da cigarra estridente
Em tarde de candente verão
Um palpitar contente
Enamorado coração

Um coração atleta
Pulsando pra sua amada
Corrida de um poeta
Pros braços da namorada

Santos/SP



-08-
Verão
Haydée S. Hostin Lima

As tardes de verão não têm mistérios
têm janeiros demais as tardes de verão.
E não verão jamais os que passam distraídos
as nostalgias de outonos já passados.

Nas tardes de verão há um clamor de mocidade
que aos velhos encabula e aos novos desorienta.

Há uma revoada de esperas nas tardes de verão.

Há um esplendor de praças um equilíbrio de esquinas
conversas e travessuras alamedas no portão.

Há um fogo em início nas tardes de verão.

E não verão jamais os distraídos o verão
que há entre os perdidos que nas janelas
das casas de aluguel sufocam nas marés
de seus desejos as tardes sem mistérios que virão.
As tardes de verão.

Santa Maria/RS



-09-
Conto de Verão
Paulo Rodrigues

Frias lágrimas rosto abaixo:
escrituras da dor.

(Amor de praia não sobe a serra.)

Não subiu, mas...
chorou
sofreu,
amofinou-se...
depois do adeus.

Partiu ao pôr-do-sol
de uma tarde morena...
Partiu com as frias ondas azuis
rumo a um horizonte sem luar.

Em plena tempestade,
gaivotas tentam alçar vôo...
Perdem as asas
num último vôo sem aurora.

As labaredas ardentes
também se foram
levadas pela brisa leve
da solidão.

Mas, por certo,
se reacenderão
na próxima
troca de olhares

Sorocaba/SP



-10-
Verão
Paulo Rodrigues

Janeiro é verão, praia lotada.
É tempo de balada e curtição.
Conhecer um alguém interessante
e trocar caricia ao pôr-do-sol.

Os olhos brilham, faíscam, fulminam
ao passar dos corpos bronzeados.
A paquera rola solta
durante os dias quentes no litoral.

As bocas não se largam nem por um segundo
e ignorantes se tornam cultos
depois de conhecer muitas línguas.

Mas esses quentes dias se acabam
e cada um volta para seu interior
Solitário como partiu.

Sorocaba/SP



-11-
Prazeres de Verão... Fonte de duradouras alegrias
Eloísa Antunes Maciel

O Verão, estação do calor (por vezes intenso e mormacento) tem suas peculiaridades e, a estas associadas, prazeres típicos e nem sempre podem ser caracterizados como simples amenidades, uma vez que tendem a constituir-se em fonte de alegrias verdadeiramente perenes e gratificantes.

Esses prazeres merecem ser desfrutados de modo a propiciar positivas lembranças nas estações subsequentes, de um modo especial nas longas noites de estação hibernal; prazeres que, muitas vezes, encontram - se em nosso próprio local de moradia ou não muito distante desse local (não necessariamente em uma praia longínqua). Podem ser desfrutados em nosso clube campestre preferido, em nosso quintal ou em algum pequeno sítio de nossa preferência. No entanto, esses prazeres tendem a assumir especial significação quando propiciados em clima de confraternização familiar ou vicinal, seja à sombra de alguma modesta árvore junto a casa, num salão de condomínio ou, ainda, em colóquios noturnos, em área adjacente à nossa própria moradia. E o prazer proporcionado por esses encontros residiria em colóquios informais (e descompromissados), tendendo a gerar a gratificação da convivência fraterna /amiga a ser relembrada com carinho e, destarte, realimentar o prazer da convivência a ser preservada como fonte de duradouras alegrias.

Outra fonte de prazer (além dos propiciados por jogos ao ar livre, entre outros), pode consistir do ato de “por em dia” leituras preferidas, tirar uma “soneca” à sombra da própria casa, criar algo divertido no próprio quintal, ou no ato de saborear deliciosos frutos típicos do verão, principalmente se esse prazer for vivenciado de modo a adicionar ao sabor dos frutos a incomparável alegria decorrente dos atos verdadeiramente compartilhados, tendendo a multiplicar essa alegria através de lembranças que deverão permanecer muito além de um prazeroso verão.

São Martinho da Serra/RS

-12-
Alegrias de Verão
Roseleide Santana de Farias

O sol primaveril está brilhando, suavemente chegando
Em seu esplendoroso e diáfano véu! No seu eflúvio de
Cores nos traz alegrias, vida, flores; aliviando nossas
Dores, são bálsamos vindos da infinitude dos Céus!...

O sol que brilha aquece a alma, nos traz amor, alegria,
Vida, perene sustentabilidade, abençoada renovação.
Seres alados singram os ares em suave magia que nos
Transmite Paz, Serenidade, Poesia,Ternura, Inspiração

O céu límpido tão bonito nos promete um branco luar,
Noites estreladas e poesias, uma voz singela a cantar
Os sentimentos de amor, abandono, tristezas, anseios
Dor, a sublime gratidão na vocação para amar, sonhar!

Dias de sol e jangadas ao mar na suave brisa a soprar.
Lá vou eu por sobre as águas, os cabelos a esvoaçar,
Tão leves soltos ao vento, meu barco singrando o mar,
No balanço das verdes ondas, brancas velas a tremular

Lá vai a minha jangada azul, veloz nas mariolas do mar!
Vai cortando as fortes ondas, enfrenta o vento a soprar
Vai buscar boa aventura junto com as belas gaivotas, e
Vamos o peixe pescar! No coco e pimenta, vou degustar!

As gaivotas e andorinhas, os beija-flores, os bem-te-vis,
As pequeninas rolinhas, tão alegres os mimosos colibris,
Com as chuvas de verão, o janeiro que chega e me traz
A paz, calor, fantasias, sensualidade e canções de amor.

O sexo, a vida, a procriação, as chuvas, o verde e o sol
Vêm enfeitar a galharia para os doces frutos do verão!
O céu resplandece azul anil, nos traz mistérios sem fim.
Dissipa cansaço e melancolia escondidos dentro de mim

Os resquício das saudades dos amores que se vão. Este
Sofrer imprevisível que invade os meus dias e deixa tão
Triste o meu coração! O rei sol nos mostra o verde, céu
Azul, luz multicor, exalta a beleza da flor, a pujança das
Águas arremetidas no frio do aconchegante inverno!...

Mares, rios, fontes, cascatas, cachoeiras deslumbrantes
Em forças e belezas mil. A rica fauna, a bela flora, me faz
Amar sempre mais as férteis terras, lindas praias, deste
Meu amado, exuberante, querido e tão cobiçado Brasil!

Os raios de sol " brilham nas vidraças da minha janela "
Diz assim a bela canção. Derrama sobre mim, sobre você
Os seus raios multicores, afastando as nossas dores, as
Lágrimas indolentes da minh´alma que busca iluminação.

O rei sol fala de esquecimento, esperança e cooperação
Nos estimula a praticar caridade, misericórdia e perdão!
Sol radioso, tu que me traz vida, a vivificação; és magia
Do arco-íris que invade o meu Ser, aquece a minha Fé e
Me fala de carinho, mudanças, amores, paz, comunhão!

As flores lindas que eu vejo me chamam até meu jardim
Me dão beleza e perfume, as rosas, as lírios, os jasmins.
As belas açucenas, mirras, cajueiros, maturis, frondosas
Mangueiras e coqueirais, sussurrram e acenam prá mim!

A linda passarinhada canta, voa com uma intensa alegria
E algazarra inquieta. Hora alegres e hora tristes, cantam
Fazendo festas. Eu os sinto amedrontados, sei que estão
Saudosos das verdes matas, o cheiro das flores e frutos,
As folhas macias existentes nas belas e densas florestas!

Meus queridos passarinhos a se entrelaçarem nos ares, se
Bicam, se abraçam e se beijam, a chorar a falta das fontes,
Belos córregos límpidos, cantantes, a correntezas dos rios
A deslizar sobre os vales e a serpentear entre os montes...

Um belo entardecer se anuncia nas solitárias praias vazias.
E os jacarés abrem as bocas entre, mares, rios e serranias.
O "Bolero de Ravel" se expande, o sol vermelho se esconde.
Forte Velho, Ilha Bela, Stuart também é uma ilha. A Senhora
Do Brasil, a Senhora da Guia; além dos igarapés e as belas e
Verdes restingas, se encontra um povo numa linda Vila!...

Todos os seres viventes buscam à uma só direção. Um bom
Recanto, proteção, para no silêncio da noite poderem assim
Enfrentar seus medos. Os dragões, feios monstros e ilusões,
Sonhos desfeitos; e ali revigorar-se no calor do aconchego!

As lindas aves ansiosas, numa balbúrdia danada, voam para
Os galhos do esplendoroso arvoredo. Elas vêm procurar por
Seus ninhos para acolher os pequenos corpos, suas mentes
Tão ativas, suas alminhas em vôos constantes. E alí guardar
Os singelos sonhos e esconde os seus mais íntimos segredos
E ali fortalecer-se, energizar-se, com as "Alegrias de Verão"

Cabedelo/PB

-13-
Verão
Vanda Ferreira

Em céu iluminado, escancaradamente abre-se o olho planetário. Meus olhos, teus olhos, nossos olhos verão fulgorosos tons escandalosamente amarelos, doces moldados em polpas de frutas, fartura frugal em mesas de cores transbordadas de cruas gamelas.
Verão mulheres vestidas de flores, permanentes sorrisos nas praças. Ciranda de passarinhos, crianças, bolas, cachorros. Verão espetáculo do ensaio da terra seca e molhada, explosão madura no palco comunitário, socialmente correto.
Verão sinônimo de alegria, versão de liberdade. Igualdade é promovida da riqueza da simplicidade. Floração do bem, todos verão. Inevitável ver alegria no Verão.

Campo Grande/MS

-14-
Luz do Sol...
Esther Gonçalves

A madrugada se fora ao amanhecer do dia,
Começo a ver os primeiros reflexos do sol,
Surgindo no céu azul, e o formoso girassol...
Ao se abrir e procurar a luz que cobre o dia.

Manto sagrado que clareia as almas da Terra,
Fonte bendita, que aquece o corpo e a alma,
A fauna e a flora também, luz que mui acalma
O meu peito de criança, brilho que se encerra.

Quão grande é o seu brilho, percorre o Mundo,
Fonte de energia... Transforma o meu amor,
Em algo profundo e intenso, com o seu calor!

Brilho que traz-me vida, intenso e profundo...
Envolve todo o meu ser sem nenhum pudor,
Sol que espalha luz e calor, seja onde for!!!

Coroatá/MA

-15-
É chegado o verão...
Esther Gonçalves

Depois das chuvas
Eis que surge o verão
Trazendo de volta
A luz do sol...
Para aquecer a Terra.
A fauna e a flora festejam,
Os seres humanos também...
É chegado o momento
Para se viver intensamente
As Alegrias de Verão!

Seja CAPPAZ de aproveitar
Cada estação do ano
Que DEUS nos dá.

Seja CAPPAZ de valorizar a vida,
O Planeta Terra,
A água do mar, dos rios...
As florestas...
As plantas, os animais...

Seja CAPPAZ enfim
De fazer a diferença,
Fazendo o melhor
A todos aqueles que encontrar
No caminho da vossa vida!

É chegado o verão!

Coroatá/MA

-16-
Este meu mar
Maria Fernanda Reis Esteves

Nasci num qualquer Fevereiro
num Domingo gordo
de um Carnaval de outros tempos

Trago a face rosada das papoilas
a fragrância a rosmaninho nos cabelos
na alma que esvoaça nestes campos

Não me vejo camponesa...
sou uma gaivota livre, em céu aberto
Sinto-me um pouco deste mar,
Sou parte deste povo e destas gentes

Há um céu de fogo
nas salinas do meu Sado
Um pôr do sol alaranjado

Mas, há um rio que me afaga
E me devolve a paz à alma
Sempre que o sinto, aqui, tão perto

Não me fascinam luares desbotados
nem neblinas com a marca de outros céus
em mim adentra a coragem destas águas
são meus os ventos e o curso das marés

Teço sonhos na esteira dos verões
e entranho-me no sal da tua pele
é longe da agrura dos invernos
que me renovo a cada nova primavera
Guardo um outono na gaveta das quimeras

Já sufraguei a poesia em cada verso
Por onde passo...
há sempre um mar de liberdade
uma história feita de amor e caravelas

Setúbal/Portugal

-17-
Alegrias de verão
J Otoniel Poeta

As alegrias de verão tem como motivação
O sol astro rei considerado sua maior razão
Aquece o planeta terra trazendo ao corpo melhor aclimatação
Reclama lugares próprios à saudável refrescação
Entre tantos o mar com sua praias e macia areia
Fazendo os seus frequentadores sonharem até com a sereia
As mulheres como se fossem uma delas com o desejo
De amar tornam-se em seus anseios meios "Peixe- meio mulher"
Os homens desprendidos dos rotineiros compromissos
Sentem-se ansiosos e pensam consigo próprios: "É assim
que a gente as quer..."
Bem servidos nos melhores bares e restaurantes
Saciam suas ânsias da boa bebida e exóticas comidas
A essa altura suas amigas ou mesmo já namorada
Presentes curtem alegres ficando até elegantes
E aos poucos vão se liberando desinibidas
Após tamanha liberação aguardam-nos adequados alojamentos
E finalmente dos sonhos consideram-se a pessoa amada
Outros (as) soltam-se a se divertir com outras modalidades
Visitam parques de diversão
Exercendo outras esportivas e proveitosas atividades
Ciclismo, caminhadas a pé , treinam o futebol
e também mantém boa conversação
Curtem atualizadas ou tradicionais e clássicas apresentações musicais
Entre tantas outras opções a mais
Posso afirmar com franqueza do meu coração:
Essas são " As alegrias de Verão "

-18-
Verão na Ilha
Odilon Machado de Lourenço

Há um grande acontecimento no trópico
Chamem às nações amigas, a Ilha é grande o bastante
Ninguém gaste forças à toa
Não pensem em outra coisa
Venham depressa
O caminho é limpo, é suave, é doce...
Temos sombras, sóis, chuvas de cascatas...
Temos o que você quer!
Venham rápido!
Não se preocupem com nada que não seja vir
Acordemos agora!
Firmemos o contrato das palavras
Se quiserem tragam seus veleiros, o mar é grande
Temos balões, parapentes, voamos com vocês para qualquer galáxia
Temos nossas próprias pesquisas interestelares
Somos um mundo novo e te amamos
Venham rápido!

Florianópolis/SC

-19-
Verão: Alegrias... e tristezas
José Antônio Gama de Souza-Balzac

Escorrem prateados pelas escuras rochas milenares
Restos de um quase dilúvio.
Os raios de sol refletidos na água que mansamente desliza
Em contraste com o breu das pedras do morro do Cruzeiro
O verde iluminado e em algumas partes levemente sombreado
O céu azul, surpreendentemente azul
As nuvens brancas, tranqüilizantemente brancas,
Lindamente brancas, esparsas, leves, alegres...
Decoram o límpido horizonte e inspiram esperança.
Arte divina expressada numa tela,
Deslumbrante e natural aquarela!
Que beleza! Parou de chover.
Que seja; uma trégua...
Penso haver por toda parte um suspiro aliviado
De todos os prejudicados pela rudeza do tempo
Eu estou emocionado!
Vejo incrustadas no seio da verde serra
As casinhas da Pedra Pinguda
É poético!
Uma poesia triste...
Mas talvez por isto esteja assim tão bela
Triste por ser bela e bela por ser triste!
Talvez em outra situação não fora este panorama
Assim tão belo e tão triste.
Que hoje mais não chova!
Que pelo menos anoiteça sem chover!
Para que, quem pode,
Saia para tomar um sorvete
Fazer compras no supermercado
Fazer suas rotineiras caminhadas
Ou simplesmente encontrar-se com os amigos
Para conversar, que seja, sobre o caos.
E para que, quem não pode,
Limpe sua casa, tire o barro, junte os cacos
Chore as perdas, agradeça por sobreviver
E que pelo menos extraia desta energia
Que ora contemplo extasiado,
Forças para recomeçar e vencer!

Leopoldina/MG, janeiro de 2012.

-20-
Um certo verão
Paola Rhoden

Entrei no aeroporto correndo. Precisava fazer o check-in rapidinho, o avião sairia dali a pouco. A mala enorme cheia de tantas necessidades imprescindíveis pesava uma tonelada. Enquanto corria pelo saguão atopetado de gente, tropecei na bengala de um cego, passei por cima de um saco de dormir amarrado em uma mochila, e pedindo desculpas à direita e à esquerda cheguei esbaforida ao guichê. É lógico que a mala excedeu o peso. Trâmites cumpridos corri para o embarque.

No corredor que leva ao túnel de acesso à aeronave, bati na bolsa de uma senhora idosa, que mesmo tendo pedido mil desculpas, me disse poucas e boas, como por exemplo ‘essas pessoas sem educação e sem respeito deviam morrer. ’

Claro que mereci cada um dos impropérios, porque, afinal, já estava prestes a embarcar, qual seria o motivo de tanta afobação? Culpa do subconsciente que guardou lá no fundo a noção do atraso que poderia ter acontecido.

Chegando ao destino, já acalmada pela viagem tranquila, desci com o coração feliz. Estava em férias e planejava aproveitar tudinho delas. Era verão, e o verão passa rápido.

Quando cheguei ao hotel reservado por mim, através de uma agência de viagens, olhei para a fachada e pensei estar enganada de endereço. Não era exatamente um hotel, e sim um arremedo de pousada, com uma placa caindo nos gonzos onde dizia: “Hotel da Praia”.

Com a imensa mala rodando pela calçada, procurei a porta de entrada. A recepção era um pequeno balcão de madeira com a pintura descascada, alguns livros velhos de anotações espalhados na superfície. Um senhor calvo com uma camisa que em algum tempo remoto deveria ter sido branca, cumprimentou-me sorrindo e disse com um sotaque, que para uma sulista como eu, foi quase incompreensível:

− Seja bem vinda! Tem reserva?

− Sim! – respondi pensando comigo mesma, que naquela espelunca não teria tanta gente assim, afinal.

− Seu nome? – ele perguntou.

Passei meu documento de identidade e esperei que ele me desse a chave do quarto.

− Acompanho você até seu quarto. – disse ele solícito.

Ao chegar e ver os ‘aposentos’ verifiquei que a porta não tinha chaves, apenas uma tranca por dentro, dessas que se põe em currais de cavalos. Mais ou menos isso. Inquiri o senhor sobre a chave, e ele disse que não havia problemas, que até hoje ninguém havia reclamado sobre isso. Eu seria a primeira. Fiquei horrorizada, mas como já havia pago a metade do pacote adiantado, e a outra metade entraria em meu cartão daí a uns dias, pensei: vai melhorar.

Fechei a porta com a tranca e fui fiscalizar a higiene. Até que estava razoavelmente limpo. Como sempre carrego comigo lençóis e alguns apetrechos de limpeza, antes de sair para o primeiro passeio deixei o aposento mais ou menos habitável. Afinal seriam somente dez dias. Meu Deus!!!! Dez dias!!!

Após um banho demorado, vesti um biquíni, uma canga colorida, passei um poderoso filtro solar e fui procurar a praia. Pedi informações e me disseram que a praia estaria a mais ou menos três quilômetros dali. Bem, andar três quilômetros a beiramar é agradável, mas por entre prédios velhos em ruelas que parecem mal assombradas, fica difícil!

Voltei. Troquei de roupa, coloquei o biquíni em uma sacola e fui andar os tais três quilômetros. Engraçado que a direção que me deram parecia ir ao norte, e não para o leste onde deveria estar o mar. Mas, o senhor do hotel não iria mentir. Segui em frente. Após ter calculado mais ou menos os três quilômetros andados, perguntei a um menino que passava:

− O mar está perto?

− Tá sim sinhora. É logo ali dispois da esquina.

Pensei que pelo menos estava indo na direção certa. Passei pela ‘esquina’ que o garoto falou e vi o mar. Só que não era praia, era um amontoado de pedras, latas velhas, barcos abandonados, e um mundo de coisas que eu nunca vira assim em um lugar só. Um cheiro forte de peixe frito e água suja veio até minhas narinas.

Minha paciência estourou. Dali mesmo liguei para o número da agência de viagens que me vendeu o pacote e perguntei se eles estavam brincando comigo.

Após muita conversa e esclarecimentos, fui informada que provavelmente o motorista de taxi que me trouxe do aeroporto, enganou-se no endereço e me deixou na espelunca onde estava. Orientaram-me de como devia proceder, e finalmente fui parar no lugar certo.

Aí, sentada na espreguiçadeira da piscina do hotel verdadeiro, para onde deveria ter ido desde o início, escrevi este texto, para guardar e lembrar-me sempre que o lesse, de tomar um calmante ao sair atrasada para pegar um vôo, e principalmente de nunca confiar em motoristas de taxis embriagados.

-21-
Eu sei que é verão
Sebastiana Corrêa

Eu sei que é verão,
quando vejo coloridos girassóis sobre corpos dourados
espalhados a navegar num mar de areia,
mar de areia de marinheiros escultores de castelos,
castelos belos, vultosos, ditosos,
purificados com gotas do sabores variados
das frutas congeladas
servidas em magnificentes apetrechos de madeira in natura,
que servirão de mastros majestosos aos veleiros
que levam nossos pensamentos mar adentro.

Eu sei que é verão,
quando o azul do céu e do mar
preenchem o meu e o teu espaço no nosso dourado paço
até então cinza pelas nuvens do passado
que foi inverno,
e tornou-se primavera para abrir as portas ao verão.

Mas nosso paço nunca foi vazio,
mesmo com suas paredes pintadas de cinzas
por nuvens, dor, sono ou fogo que apagou,
pois o verão sempre volta, e o verão sempre vem.
E eu sei que é verão quando vejo coloridos girassóis ...

Florianópolis/SC

-22-
Alegrias de verão
Nena Sarti

Pássaros que nos acordam as 5 horas da manhã
e ainda sorrimos.
Sol que aponta mansinho enrolando a noite
e beijando o dia.
A mascote de estimação pulando em
nosso vestido limpo - isso é lindo!
O calor fervente das 10 horas.
O cheiro costumeiro do feijão.
A soneca na rede após o almoço.
As nuvens preparando a chuva pontual.
Morisocas em volta da lâmpada.
Mais chuva.
Brisa após.
Noite enluarada. Olhos sonolentos.
Lençóis perfumados.
PAZ, muita paz!

Campo Grande/MS

-23-
Alegrias de verão
Judite Krischke Sebastiany

Porque é verão, novo padrão:
É preciso beber muito e rir.
Não pensar, não sofrer, seguir.
Apenas rir e distrair-se é a lei.
No grupo, só a alegria é permitida,
Pura palhaçada, mesmo que forçada.
Mas quando todos se vão ...
Mal-estar, solidão, vazio, dor.
Passar dos limites, fazer o inusitado.
Arriscar-se, pagar pra ver, viver...
Invadir espaços do outro... Pode sim!
O verão, a bebida e o descompromisso.
Inconsequente, imprudente, à toa...
E as crianças presenciando, ...
Quem poderá repreendê-las amanhã?
Quem irá educá-las, reeducá-las???
Palhaços de verão nas estradas
Causando acidentes e mortes.
Outros nos bares e praias, poluindo.
E há aqueles que geram novas vidas!
Pare agora. Pense bem: no bem.
Alegria, amizade e felicidade
Não precisam de bebidas e porres.
É possível rir e brincar, sim.
É e sempre foi natural a alegria.
A graça e o riso na harmonia
Dos relacionamentos verdadeiros.
Sem videocassetadas. Alegria pura.
Alegria de verão, amor no coração.

Porto Alegre/RS, Janeiro/2012

-24-
Alegria de verão
Fátima Peixoto

Alegria de verão é...
Caminhar descalça na praia,
Ficar observando o horizonte,
Agradecer tanta beleza,
Sentir o Sol aquecer seu coração,
Transformar a frieza que te rodeia,
Em energia positiva,
Capaz de esquentar corpo e alma.
Para que a alegria reine em qualquer estação.

Cabedelo/PB

-25-
Alegrias de Verão
Isabell Sanches

Bate a fresta do sol na janela do meu quarto e isso já é o primeiro convite do dia a me por de pé e ir correndo de encontro a maré
e curtir cada segundo de alegrias de verão ao que eu puder!
as vezes caminhando lentamente sobre a areia da praia o meu olhar se fixa incansável ao azul infinito que é contido sobre águas extensivas e tão cristalinas...
Como é bom poder admirar tamanha beleza, obra rica da natureza criada pelas mãos divinas, as do nosso criador "Deus" que nos rege e protege, que nos acompanha e nunca "jamais" nos deixa só.
verão é só alegriaaaaaaa
variadas opção
escolha a sua e vá vivê - la
esqueça! não vale tristeza...
lembre- se as alegrias de verão são momentos inesquecíveis, e que se eternizam aos nossos corações.
vá resgatar o teu ainda há tempo o sol está radiante lá fora!
eu?
eu vou nessa ondaaa
que a felicidade venha de encontro a mim
alegrias de verão, eis me aqui.


Cachoeiro do Itapemirim/ES

-26-
Alegrias de Verão
Fernando Alberto Salinas Couto

Acordar ao som dos passarinhos,
abrindo, totalmente, a janela,
numa manhã mais gostosa,
recebendo, da natureza, carinhos.
Na despedida da ultima estrela,
chega o Sol, de forma calorosa.

Observar, pelo jardim, borboletas
entre flores realizando um festim,
para encantar poetisas e poetas,
com aquele perfume de jasmim.

A bela música que vem do mar,
com ondas que, trazem encanto,
tentando até beijar a areia,
enquanto soltam melodia no ar,
embelezando qualquer recanto,
onde a raiz do amor veraneia.

Que linda metamorfose poética
vem a ser essa adorada estação,
nos trazendo fantasias bucólicas
que são só as alegrias de verão...

São Paulo/SP, 20/01/12

-27-
Verão
Marina Martinez

Verão que há flores,
sol, riso.
Verão que há cores,
luz, calor.
Verão que há fruto.
Verão também chuvas,
luto e fome.
Verão que há dor e cortes,
corpos sem nome.
Verão ameaças do céu.
Verão morrer até os fortes,
terror, peste, degradação.

Verão do verão algumas faces:
as banhadas pelo sol, acolhedor,
festejando a vida, sem dores,
e as terrificadas, em perene sobreaviso,
inseguras, arremessadas ao leu,
respirando migalhas, desesperança, prostração.

Porto Alegre/RS

-28-
Chegou o verão
Varenka de Fátima Araújo

Nesta soledade
Solene vem estrela maior
Lá vem o sol excelso
Vibrante luz ,vida

Enlaça-me no calor
Adentra lado masculino
Deusa sou ,Deus do fogo
Neste estação chega suave
Preferencial na matinal
Preciosidade na derme
Em serigrafia no meu corpo
Uma pressão perfeita
Fico remansosa, amo-te.
Sou a outra parte, fogo.
labaredas ardentes
Neste verão.

Salvador/BA

-29-
Gravidez
Sandro Nicodemo

São Paulo/SP

-30-
Viver a Estação Verão
Diná Fernandes

Ao despertar, sinto o abraço do sol
e o chamado do mar azul,
esqueço o sestear na rede da varanda
pra ver e viver a estação verão.

O sol, majestoso rei abre seus braços e abraça o mar
Num alegre encontro transformando o cenário da praia.
O leque dos coqueirais balouça a mercê do vento
A brisa suave bafeja calor tropical,
Há uma liberdade solta no ar!

Banhistas com suas vestes de mil cores
dão à praia um ar de aquarela,
flui aquela sensação de rejuvenescimento!
O sol é energia, o mar é vida, verão é alegria.
Crianças eufóricas constroem castelos na areia,
A família reunida desopila da rotina.

Fim de tarde, o sol vai descansar,
A noite assume o seu lugar, vem à lua prateada
A ferver os corações apaixonados
E por fim, o dia e a noite se transformam em poesia
Nasce um poema meio sol, meio lua!

Cabedelo/PB

-31-
Alegrias nas Noites de Verão.
Élio Cândido de Oliveira

Há todo ambiente ao extravasar emoção e trazes
calor ao coração.
Um espaço de amor, à fascinação que se perde
nas noites de verão.
E caminhando num eterno momento de sonhar
poetar e tudo imaginar.

De mente a se procurar, em desvairada forma
e até sensação.
Saltitantes sim, e num olhar de horizontes
à pura imaginação.
Mentes maliciosas no anseio de tudo alcançar
Da união de seres amor a gotejar.

Fecham-se os olhos á imagens violentas.
Caçadoras feras, a qualquer custo quer alimentar.
De agressivas a se cultuar como seduzir as
belas cenas a apresentar.
São atrativos, são plenas a busca de carinhos
e num simples amar.

São noites, é amplitude de aqui viver nessa imensidão.
Claras, turvas e situantes noites de puro verão.
De puros eternos e grandes amantes,
Expressivos convites um tão estimulantes.
Silencia tudo! Desejos e estímulos sufocantes.

Alucinadas da lua nas ternas idas e voltas
Quantos são humanos em grandes revoltas.
A canção vem de longe retrata a saudade
Segredos que não revelados se vão à eternidade
Lagrimam derramadas, tentando elas esconder
Naquele momento de grande prazer

Ibiá/MG

-32-
Estação da Paixão
Marco A. Amado

Curtas manhãs
Longas tardes
Encontro da lua e do sol
Nova estação
É verão
Sinta o acelerar da pulsação
Parece um samba enredo
Empolgando a avenida
Sorriso no rosto estampado
Pele amorenada
Suor em profusão
Dá outro sentido à vida
Haja emoção
Os dias mais alegres
Cores mais vivas
Animais em profusão
Mais acentuada é a beleza
Que provém da natureza
No verão
Estação da paixão.

Ilha do Governador/RJ, Ocram - 24/01/2012

-33-
Alegrias das Tardes de Verão
Joyce Lima Krischke

Balneário Camboriú/SC

-34-
Alegrias de Verão
Rosângela da Silveira Coelho

Tag: Alegrias de Verão
Misteds by Daisy and Roxanne of Studio Creation Goodies
Tutorial: Ellie's Treasures

Curitiba/PR

-35-
A magia do afortunado Verão...
Alice Luconi Nassif

Uma estação sublime quente
Que parece atordoar momentos
Chega o Verão ... de repente
Com Sol, alegrias e sentimentos

Olha-se o céu, que beleza!
Vive-se o perfume das flores
Tudo se mescla na Natureza
Emitindo um élan de odores.

Os pássaros bem cantantes
Coloridos e bem criados,
Paralisam os instantes
Com seus sons e tons variados.

À noite, é dia na estrada,
Com a lua cheia brilhante
Iluminando a jornada
Do misterioso caminhante.

Depois vem o esclarecimento
Desta maravilhosa sensação,
Tudo aconteceu num momento
De pura e clara percepção.

[ é a magia do afortunado Verão]

Rio de Janeiro/RJ

-36-
Alegrias de Verão
Sônia Rêgo

Verão estação quente,
que alegria na vida,
tempo de férias e festas,
todos ficam mais contentes.

Mergulhos nas praias,
piscinas cheias,
caminhadas ecológicas,
pernas de fora, poucas saias.

No verão tem Natal,
tem Ano Novo.
Tempo de grande renovação
na maioria dos povos.
Felicidade no coração.
As estações tem sua importância.
Inverno, Outono e Primavera.
De 22 de dezembro a
19 de março,
Nossa estação é a mais bela.

São Paulo/SP, 25/01/12

-37-
Meninas Sapecas
Rosana Paulo

A moça me sujou
De areia na praia
O sorriso cativante
Desarmou meu mau humor
Ela pegou a água do mar
E delicadamente me lavou
Mas depois o diabrete
Sorrindo maliciosa
Mais areia me jogou
Fiquei furiosa!
Retribui a ofensa
E joguei sem pena
Um punhado de areia
Nas costas da pequena
E logo estavamos as duas
"Guerreando" animadas
Aí esqueci a hora
E eu que já sou uma senhora
Parecia ao final
Uma "banana real"
Depois nos banhamos alegremente
Nas agua frias do mar
E continuamos a brincar
Eramos, então, apenas
Duas meninas felizes

Salvador/BA

-38-
Alegria de verão, de inverno, de...
Roberto Bordin

O que é a Alegria
Como defini-la?
Não sou filósofo
Nem filólogo
Muito menos poeta
Aliás, nem sei o que
Estou fazendo aqui...
O que sou afinal?
Apenas e simplesmente
Um homem apaixonado
E desta paixão é que
Nasce a minha alegria
A alegria de poder tocá-la
Depositar flores aos seus pés
Cobri-la de beijos amorosos
Dar-lhe a mão e sair pelo mundo
Falar-lhe o que ela me representa
Dizer-lhe no que me transformei
Nas mudanças que me provocou
Ando pelas ruas cantando
Sorrio com o menor dos motivos
Rio das piadas mais sem graça
Não olho o mundo com rancor
E o que é melhor, estou alegre
Alegre de escrever essa poesia
Foi um desafio? Que nada!
Foi com prazer, um prazer delícia.
Uma alegria maravilhosa
Que faz meu coração bater forte
Meus olhos marejarem de leve
Com lágrimas de felicidade.
De pura alegria...
Alegria de amar
No verão, no inverno
Na primavera, no outono...

Gramado/RS

-39-
Alegrias das Tardes de Verão!
Joyce L. Krischke

Tardes de verão com brilhos de alegria
Com risos, sol, mar, amor, paz e poesia
Momentos que envolvem o coração
Céu azul anil inspira nossa canção

Sim, canções com perfume de flores
Trazem alegrias e embalam amores
O mar, gigante a afastar as mágoas
Com suas sonoras cantigas das águas

Castelos de areia que a onda traz
Tardes de verão- alegria que refaz
Nas mãos das crianças moldando...

Ah, sol de verão iluminando...
Tardes de verão plenas de encanto
Exterminam mágoas, dor e pranto!

Cidreira/RS, 22 de janeiro de 2012.- (domingo-19 h)
• *Considerada a praia de veraneio mais antiga do RS.
• *Distante 128 km de Porto Alegre

-40-
Quem verá verão
Gislaine Wächter

Chegou o verão
Ah! O verão...
Praias lotadas,
Colorido de guarda-sóis,
Crianças correndo,
Pais correndo atrás das crianças,
Vendedores,
Ah! Os vendedores...
"Olha o picoléééé"
"Cerveja, água e cocaaaaa"
"Sanduiche natural, salada de frutaaaaas"
"Água de côco"
Lá vem o "Zé do chapéu"
"Olha a mega acumuladaaaaaa"
"Cangas, vestidinhos"
"Aceita-se cartão de crédito"
Ah! Modernidade...
Areia, castelos,
Isopor e farofa,
Paqueras,romance relâmpago,
Beijos, muitos beijos
E o céu,
Ah! O céu...
Alheio a tudo,
Num azul perfeito
Reflete suas nuances no mar
Ah! O mar...
Que em outras estações é tão meu
Agora divide suas ondas com toda essa gente...
Num ir e vir espumante
E o sol?
Ah! O sol...
Tão soberano,tão brilhante
Se delicia todo dia
De um lado para o outro,
Devagar no seu reinado,
De estação VERÃO!

Balneário Camboriú/SC

-41-
Verão é alegria
Edécio Mergener

Sol, chuva e calor
É o resplendor do Rei do universo
Até meus versos se inspira no verão
Uma explosão de luzes irradiantes
Cintilante arco-íris aparece
E prevalece o verde em rápido crescimento
Com talento as andorinhas em revoadas
Dedicadas em suas coreografias
Belos dias... Verão é alegria
Que contagia com folhagens e folhas viçosas
Orgulhosas... Em regalo nos encanta
E nos espanta com variadas cores e formas
E transforma a paisagem no verão
A sedução da natureza nos conquista
E como artista redesenha a imensidão.

São José dos Pinhais/PR

-42-
Alegre manhã de verão
Kátia Pérola

O sol rompe a aurora, desperta sorrindo
Descortinando no céu anil
Beleza sem igual
Mesclando emoções
Preenchendo todo o espaço
Esparramando pelo chão
Seu brilho magistral.
Sol, vida que renova nossas energias
E alegra os dias de verão
Viçosas e coloridas flores exalam seu aroma
Crianças enfeitam o céu
Com suas gaivotas de papel
Há diversidade de cores por toda parte
Há um novo despertar nos corações
É a estação do amor febril
Aos poucos a vida toma-se em cores.
Enfim! Verão é festival de emoções!
É a Utopia dos meus sonhos!

Ourinhos/SP

-43-
Alegria de verão
Kátia Pérola

Ao despertar do dia
o astro rei desabrocha no horizonte
bonito, ardente e luminoso.

Flutua no ar o doce aroma
da suave brisa
desenhando na doce aurora
a alegria de verão.

Na areia da praia crianças
constroem sonhos em formas de castelos.
Belas mulheres se banham nas ondas azuis do mar
ao olhar atento dos moços sorridentes.
Casais caminham de mãos dadas
e desenham o amor
nos beijos apaixonados.

Idosos de faces coradas abrem belos sorrisos
na alegria de viver
sem preocupação
mesmo que sejam por poucos dias.

A tardinha o sol estridente
se perde no horizonte.
Numa bela harmonia sai pintando
com seus raios de gota de luz
as ondas azuis do mar
e transforma em poesia
meus dias felizes no verão paulistano.

Ourinhos/SP

-44-
Alegrias de Verão
Tânia Maria de Souza

Obra: Catamarãs ao Entardecer II
Técnica: Óleo sobre tela
Artista: Tânia Maria de Souza

Balneário Camboriú/SC

-45-
Sonho de Verão
Andrade Jorge

Sonho de verão,
lua de papel,
estrela de vidro,
noite irreal,
e eu no meio
dessa chuva!

O rio se fez
e desceu
seguiu aquele caminho,
abriu seu leito
fez sua marca;

Noite de verão,
fez sua marca,
abriu seu leito
seguiu aquele caminho,
e desceu,
o rio se fez
dessa chuva,
e eu no meio!

Noite irreal
estrela de vidro
lua de papel
sonho de verão...

Diadema/SP

-46-
Verão!
Élio Cândido de Oliveira

É sol escaldante, a clareza e o brilho de olhar
Com olhos a se dourar, a se perturbar e emocionar
Gente e corpos a se mostrar se ilustrar
Deslumbra-se é pura miragem querendo se despistar

Nas peles marcadas o respaldo do calor
Da estrela maior um toque incandescente
Vem, traz o contraste e sorrisos de amante
Detalhes simples de inicio de grande amor.

Uma magia a partir dessa estação
Implode e bela tarde de nosso verão
Radiante e terna da mente a visão.
Olhos e belezas dessa nossa dimensão.

Verão! A forma de assistir
A natureza quer nos persuadir
De felizes aqui viver
Possível sempre e com prazer.

Ibiá/MG

-47-
Alegrias de Verão
Rosana Carneiro

Quando o sol aparece
Nesta nova estação
A felicidade invade o peito
Retira dor, mágoa e defeito
Ensolara a alma ainda pequena
Ganha força, cor e fica serena
Sorri contente, abre os braços
Abraça o mundo, ganha espaço
Torna-se imensa, sente-se plena
E sorri sem nenhum problema...

São Paulo/SP

-48-


Verão: Estação repleta de vida.
Akasha De Lioncourt

O verão desperta em nós uma sensação de vida. O calor traz conforto, vestimos roupas mais leves e nos sentimos mais livres.

Gostaria de aproveitar esse momento mágico e, ao invés de abordar o fator poético da estação, trazer para todos a questão dos efeitos do verão em quem não é tão afortunado quanto a maioria de nós.

Neste verão, deixe o sol aquecer seu coração a ponto de torna-lo mais amigo daqueles que não têm outra voz que fale por eles a não ser a nossa: os animais abandonados.

Por acontecer nas férias, a incidência de abandono de animais domésticos aumenta muito no período do verão, aumentando ainda mais a fila desses pequenos e fiéis amigos que ficam perambulando pelas ruas.

O verão é bom mas aumenta a nossa necessidade de líquidos para evitarmos a desidratação. O mesmo acontece com eles, que são maltratados, espezinhados e muitas vezes mortos por seres desumanos que não dão valor às suas vidas por acharem que são inferiores a nós.

Então, aproveitando o ensejo que esse tema trouxe, o verão com sua capacidade de iluminar nossas vidas, fica o meu apelo e o de muitas outras pessoas que valorizam a vida desses pequenos seres que, como nós, são criação do mesmo Deus em que cremos:

Se vir um pequeno animal doméstico abandonado, faminto, sedento, ao menos mate-lhe a sede, procure alguém que possa tirá-lo das ruas onde são ferozmente atacados por feras humanas que não possuem o mínimo escrúpulo.

Só quem tem um ser como esses em sua vida sabe o quanto eles são preciosos, repletos de amor e de fidelidade. O cão que apanha do seu tutor é o mesmo que, alguns minutos depois lhe busca o afeto e retribui feliz. As maiores vítimas desses maus tratos são os cães e os gatos, sendo que os últimos ainda sofrem preconceitos que já deveriam ter sido extintos há muito tempo.

Devemos ser caridosos e condolentes com os seres humanos mas isso não nos impede de fazer o mesmo por quem não tem voz para nos falar.

São Paulo/SP

-49-
Amanheceu
Malú Ferreira

O cheiro da terra úmida invade minhas manhãs
As rosas do meu jardim não sofreram a tempestade
parecem adormecidas, intactas.
Lindas!
Sob o sol timido da primavera.

Salvador/BA

-50-
Alegrias de Verão
Carlos Reinaldo de Souza

Brisas, ventos e calor,
o verão está chegando,
flores, frutos e amor,
no céu os anjos cantando!

Conselheiro Lafaiete/MG

-51-
Alegrias de Verão
Acróstico nº 4245
Sílvia Araújo Motta

 
A-Alegrias chegam fartas no verão,
L-Levam as tristezas nas ventanias!
E-Em dias tão longos, as férias virão,
G-Garantindo tempo quente da estação,
R-Recebendo chuvas que lavam almas,
I-Indicando a qualidade do ar natural,
A-Aceitando a transformação da natureza,
S-Sentinela do solstício e do equinócio.

D-Do Hemisfério Norte é o Verão boreal
E-E no Hemisfério Sul, o verão é austral.

V-Verão traz nas praias, a frequência
E-E no balanço do mar, gestos e emoções,
R-Recordações felizes da existência,
Ã-Afinadas à cultura e tradições:
O-O Poder do Criador e Redentor.

Belo Horizonte/MG



SELO DE PARTICIPAÇÃO












|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||


Arte Joyce Lima Krischke
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados