AGRADECIMENTO/ENCERRAMENTO

Benditas mulheres que doam seu corpo para o novo nascer, acompanham a jornada, guiam a estrada, oferecem do peito o alimento, mostram o caminho do bem e da verdade a seguir.
Benditas mulheres que não tiveram o direito de gerar, porém doam o amor, gratuitamente à semente que alguém deu luz e deixou para trás.
Benditas mulheres que abraçam a vida de qualquer maneira, na rua, na Oca, na toca, nas comunidades, nos guetos, nas grades, no tempo e mesmo sem nada pra dar, resolvem amar.
Benditas mulheres que dividem o pão na guerra das praças, que caçam suas crias no ermo das vias, se arrastam sedentas do rebento perdido até o derradeiro sussurro.
Benditas são todas mulheres que dividem amor e se enchem de dor, com as dores dos outros.
Mães que se desdobram em várias mulheres. Mães vaidosas. Mães que trabalham. Mães que agasalham a vida e o prazer sem nunca esquecerem de ensinarem a viver.
Parabéns!

Agradecimento a todos que contribuíram com sua atenção ao chamado da CAPPAZ, enviando mensagens de paz e harmonia às Mães.
Aos confrades e confreiras CAPPAZES , um feliz Dia das Mães!
Em especial o abraço de todos , a Joyce e a CAPPAZ ( Confraria de artistas e poetas pela paz) pela oportunidade de mostrar os nossos trabalhos.
Paz e solidariedade , sempre.

Vera Lúcia Passos Souza
Confreira Seccional Salvador/BA

 




INTRODUÇÃO

Mãe é Mãe!
(A Boa Mãe Dizia!)
J.J. Oliveira Gonçalves

Mãe é mãe... Seja gente ou bichinho
Com inerente e Maternal Carinho!
Ao peito alimentando sua cria
Mãe que é mãe tem desvelo de Maria!

Mãe é mãe... Quanta vez da Mãe ouvia
E ela - em próprio Exemplo - se fazia!
Zelosa passarinha - em seu Ninho
O Acalanto a ninar seu filhotinho!

A Mulher que tem pleno o coração
Do instinto maternal - com Emoção
Seu Ser Mãe, com Gabriel, celebrará!

Saudades tenho eu da Mãe Querida
Que um dia, então, se foi... triste Partida
Mas junto ao Pai - eu sei - me esperará!

Porto Alegre, 04 de maio/2012. 19h19min


"Dia das Mães" ficou uma data sem sentido para mim, devido ao vazio que ficou ocupando o seu lugar... Desde então, tenho que viver de Lembranças, Suspiros e Saudades... Assim, esse Domingo Especial é um domingo triste que, a cada ano, cobre meu coração de Luto - assim como os Santos da Igreja Católica são (ou eram) cobertos para lembrar a Crucificação e a Morte de Jesus. No entanto, normalmente, escrevo uns versos, umas rimas ou alguma crônica para lembrar - saudosamente - de minha mãe... Do seu jeito, de suas alegrias, de sua luta diária e otimista, enfim, de suas palavras, de seus conselhos, de seus maternos sacrifícios... Sobre as mães ela costumava me dizer, para ilustrar certas ocasiões: "mãe é mãe!" Eu entendia perfeitamente o significado daquela expressão tão simples e, ao mesmo tempo, de uma filosofia tão profunda e sábia. Aqui, escrevendo e pensando nessa expressão que minha mãe usava, me vem uma triste (e infeliz!) comparação: mães de ontem e mães de hoje... Para mim, esse pensamento é tão triste que prefiro não esmiuçá-lo. Todavia, para que o que escrevo não cause contrariedade ou desconforto em ninguém, somente ressalto o aspecto do Amor de Mãe... E, claro, estou apenas me referindo àquelas mães do (des)amor, do descaso, do abandono... Enfim, aquelas mães que - não me importam as circunstâncias ou as falácias de alguma justificativa - parindo seus filhotes, tratam de jogá-los num vaso sanitário, num rio ou, mesmo, no lixo... Que mães são essas? Ora, essas não são mães - coisa nenhuma! Em minha opinião, são mais criminosas, ainda, que as que abortam - impiedosamente! - suas crias! Tais mães - se não aceitam os exemplos de Amor incondicional e protetor que toda mãe deve ter, sigam, então o exemplo de muitas "mães animais" que vemos, por aí, tantas e "humanamente" acolhendo, protegendo e Amando, inclusive, crias que não são suas. Apesar de essas "mães-animais" serem chamadas de irracionais... As Lições de Deus não nos chegam, exclusivamente, de exemplos e gestos humanos. Com certeza, muito nos ensina sobre a Vida, a Morte, a Dor, o Sofrimento, a Alegria, enfim, sobre o "ser" Mãe, a bela e generosa Mãe-Natureza - que nos acolhe e nos alimenta, diuturnamente, o corpo e o Espírito! Convidado para escrever o texto introdutório da Ciranda CAPPAZ deste Mês de Maio e de Maria, cujo tema é "Mãe: Um Ser Privilegiado", deixo, aqui, estas palavras muito simples, mas ditadas pelo coração! E, para fazer o fechamento do texto, transcrevo estes versos que são cantados pela voz macia e afinada de Francisco Petrônio, num disco que dei para minha mãe faz muito, muito tempo, num ensolarado "Domingo das Mães"... Numa belíssima e sentimental declamação do saudoso Enzo de Almeida Passos, estes versos permanecem vivos na memória do meu coração de filho e de amigo:

"Mãe, o amor mais puro é o Amor do teu coração!"

Porto Alegre, 04 de maio/2012. 20h27min

J.J. Oliveira Gonçalves/JJotaPoet@!
Presidente de Honra/CAPPAZ



PARTICIPANTES

Akasha De Lioncourt
Alice Luconi Nassif
Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira
Carlos Reinaldo de Souza
Daniel Brasil
Deomídio Macedo
Diná Fernandes
Edécio Mergener
Edvaldo Rosa
Eliene Dantas de Miranda Taveira
Eloísa Antunes Maciel
Esther Gonçalves
Isabell Sanches
João José Oliveira Gonçalves
José Otoniel da Costa
Joyce Lima Krischke
Judite Krischke Sebastiany
Letícia da Rocha Silva
Marcelo de Oliveira Souza
Maria Beatriz Silva (Flor de Esperança)
Maria de Lourdes Maia Gonçalves
Maria Fernanda Reis Esteves
Odilon Machado de Lourenço
Paulo Rodrigues
Rosana Carneiro
Roseleide Santana de Farias
Sidney Santos
Sílvia Silva Benedetti
Vanda Ferreira
Varenka de Fátima Araújo
Vera Lúcia Passos




Os textos aqui apresentados são cópias fiéis dos conteúdos enviados por e-mail, ficando essa web designer e a CAPPAZ isentas de qualquer responsabilidade pela revisão dos mesmos.

PARTICIPAÇÕES

-01-
Maria Albanisa Araújo
Varenka de Fátima Araújo

Mamãe, mamãe, mamãe
Coragem devia ser o teu nome
Por saber lutar como uma guerreira
Por teu brilho como rainha do lar
És a melhor conselheira
Nos agasalhou por todo o tempo
Quando papai ficou impossibilitado de trabalhar
Para encobrir a tua beleza vestiste a simplicidade
Viajaste por este mundo com uma tabuleta de ouro
Para conseguir o sustento de toda família
Ah! mamãe que tempos difíceis...
Com a tua determinação conseguiu tua casa própria
Em nenhum momento deixaste teu esposo e filhos
Cumpriste tua meta de educar-nos, hoje todos formados.
Ah! mamãe, com certeza tu és uma mãe perfeita.
Os tempos mudaram e abandonaste a tabuleta
Ainda te chamam de Maria Bonita por tua beleza e valentia
Sim, tenho orgulho de ser tua filha, mamãe do coração.

Salvador/BA



-02-
Ser mãe: sonho realizado!
Judite k. Sebastiany

Meu coração acelerava,
A alegria me invadia.
Os olhares curiosos,
Vida que parece ociosa.

Esse convívio enriquecedor,
Momentos raros, concedidos.
Desejava eu expandir ...
Sonhava viver, assumir.

Rezava, pedia a Deus, a Maria.
A todos os santos pedia.
Com ardor e pouca esperança.
Sonhava gerar crianças.

Mais que isso: gerar, cuidar,
Do convívio usufruir,
De alegria me alimentar
pureza em mim renovar.

A maternidade um dia sonhada
Tornou-se enfim realizada.
Em dose dupla!
Mais encantadora!

Cada uma com seu jeitinho,
Pedindo e dando carinho.
Surpresas a todo instante.
Duas meninas... Alegria contagiante!

Cresceram ao meu redor.
Cresceram, e eu ao redor.

Em cada fase uma preocupação.
Saúde, doença, recuperação.
Limites ou libertação?
Liberdade ou prisão?

Briga, estresse, recuperação.
Noites mal dormidas,
Dor e reconciliação.
Perdão: conselho do irmão.

Fiquei deprimida e sem ação.
Nova fase: oposição.
Trabalho árduo: reconstrução.
Fazia parte do sonho?

Sim! Do sonho realizado.
Sonho em realidade transformado.

Porto Alegre/RS



-03-
Madre
Sidney Santos

Mãe em qualquer idioma
Nos olhos brotando amor
Rosa de suave aroma
A espera do beija-flor

No seu colo emoção
Embalando pequena criança
Sublime interação
Trazendo ao mundo esperança.

Frequente preocupação
O rumo do filho na vida
Mostrando sempre a visão
Da missão a ser cumprida

Nos lábios canções de acalanto
Senhora rainha do ninho
Salve mulher-encanto
Traduzida na palavra carinho

Poeta Dos Sonhos, Santos/SP



-04-
Mãe e Filho
Sidney Santos

Um olhar de ternura
Instante presente
Sorriso candura
Pro filho contente

Sublime magia
Retrato feliz
Doce alegria
De forte raiz

Proteção constante
Árvore eterna
Estrela brilhante
Alma materna

Poeta Dos Sonhos, Santos/SP



-05-
Hoje é o dia das mães!
Edvaldo Rosa

Por costume e tradição, hoje é o dia das mães!
Em verdade pergunto-me de coração:
Qual dia não é o dia das mães?
Em qual deles não pensastes em nós,
em qual não procuras-te dar-se de coração e alma?
Em qual não lutas-te como fera aguerrida,
para dar-nos vida e para em nós mantê-la?
Qual dia não enfrentas-te o sol e a chuva,
as distâncias, as longas horas de labuta,
para por em nossas bocas um pão ou uma fruta?
Quando já não possuías o leite em teus seios
que nossas bocas sugaram e sugaram esfomeadas!
Em qual dia não esfolavas as mãos nos tanques,
e limpavas roupas com a sua própria força?
Forças que ainda assim demonstravas
quando os teus braços cansados nos ninavam incansáveis...
E as mãos calejadas,
qual dia não foram caricias,
tantas e tantas vezes ofertadas!
Tantas e tantas vezes bem-vindas...
Mãos que enxugaram tantas lágrimas,
que curaram tantas feridas,
que empostadas eram preces então por nós
tão sentidas...
Hoje dizem ser o dia das mães...
Mas a minha mãe foi mãe todo dia,
a mãe de minha mãe é mãe até agora!
Hoje é o dia das mães receberem afeto,
um grande abraço,
um sorriso aberto... Sem medo, sem constrangimento!
Hoje é o momento de dizermos o quanto as amamos...
Pois nossas mães nunca tiveram dia e hora para amarnos...
E nos amam ainda hoje e ainda agora
esperando a hora em que lhe abramos o coração!

São Paulo/SP




-06-
Ser mãe é assim...
Alice Luconi Nassif

todos os filhos
um dia partem
não interessa
devem ir

a vida deve (pro)seguir...

a mãe,
ajoelha se
e... os observa
somente

são sua semente...

sabe que irão lutar
ganhar... perder
não pode mais
os proteger

pertencem ao mundo...

sorrindo,
acena o adeus
esconde a dor
só lhes mostra o amor

ser mãe é assim...

Rio de Janeiro/RJ



-07-
Privilégio de ser mulher
Maria Fernanda Reis Esteves

Sinto-me completa!
Em mim a dupla graça da maternidade
Privilégio de ser mulher...

Dei-vos a vida
No preciso momento
Em que se quebra o cordão
E o grito audível
Nada mais é que o aprender a respirar

Daqui pr'a frente
Há um caminho a percorrer
Uma autonomia a conquistar
Quero que sejam apenas dependentes
Do amor que sempre vos vou dar

Portugal




-08-
O ser Mãe
Vera Passos

Sobre o véu sublime do amor
Mistérios do Criador
Envolve-te na concepção
Despem a vida ao labor
Encantos modestos, tal flor
Brotando no seu botão
Embarca no Oceano do ser
A espera prepara o saber
Na orbe da escuridão
Traços , tez, pele, órgãos
Abrem-se os olhos pra ver,
E numa bela manhã
O ser vem florescer
As portas conduzem a vida
Janelas dos que sabem viver
À espera do bem-querer.
A mãe na sua agonia
Espera alma bendita
Seus braços reconhecer.
Estende as mãos ao regaço
Encosta o ente ao peito
Embala com o abraço
Beija o fruto sem jeito
Entrega-se ao seu viver.

Salvador/BA



-09-
Por vocês eu faço tudo, mães:
(Davina, Jovina, Eugênia, Rita e Cândida)
Vera Passos

Não posso omitir a tua missão
Não posso esquecer as tuas mãos
Nos primeiros passos do meu caminhar
As doces lembranças do conforto do lar
Do colo aberto ao aconchego e amor
Das mãos estendidas... a confiança
Dos sonhos velados, nas praças sem medo
Da terna criança guardada em segredo
Das manhãs em alerta para me socorrer.
Das noites perdidas, no embalo da rede,
A febre e a sede e o meu soluçar...
Dos beijos melados, abraços apertados
Das palavras benditas, como rosas a brotar
Vigiando os caminhos pra não tropeçar.
O tempo se foi nas asas do vento, no seu volitar
As estórias gravadas ficaram pra sempre
No arquivo da alma, pra jamais olvidar.

Salvador/BA



-10-
Faxinação
Vanda Ferreira

Minha mãe é visivelmente preocupada com limpeza. Limpeza da casa, da roupa, da comida. Mamãe fala de limpeza como se falasse de religião. Enaltece limpeza em diários discursos, empostando a voz e usando de expressão corporal para provocar, com excelência, sensibilização e convencimento aos seus entes familiares do dever e compromisso para com a adoção do costume quanto à higiene de um modo geral.
Mamãe é insistente com relação à limpeza porque a trata com uma importância vital. Porque em sua sabedoria trata de certo tipo de limpeza abrangente à belíssima condição de ser e estar.
A limpeza da qual mamãe prega é mais que uma limpeza de chão, de móveis, de utensílios e apetrechos. Ela ensina a importância de sermos limpos. Ela ensina a enxergar com olhos limpos. Ensina ter boca limpa, pensamento lavado. Ensina varrer o coração, escovar a carne e ventilar a alma.
Necessário faxinar os olhos, desfazer névoas que embusteiam a brancura do olhar, a transparência que favorece a leitura do bem, enxergar benevolências, declamar compaixão, declarar amor, proclamar preces de solidariedade.
Necessário despoluir, retirar o desprezível, reciclar certo lixo, poluição vista no dia a dia, para enxergar as mensagens ocultas em entrelinhas de paisagens, de jardins, de movimentos que desfilam inescrupulosamente nas vias da vida. É necessário desentulhar o tapa-olhos para exibir luminosidade interior e promover leitura constante do slogan “Olhe para trás e siga em frente”.
Higiene bucal é mais que escovação dentária e uso de produtos dentífricos. Mamãe nos mostra um especialíssimo processo que higieniza o mal por meio de utilização de imaginário fio dental para descolagem de palavras negativas, destrutivas, agressivas. Boca suja profere maldições, fala com diabo... Boca limpa usa vocabulário doce, meigo, amoroso, generoso. Boca limpa fala com Deus.
O coração, por exemplo, é um tipo de ambiente público. Um tipo de órgão público, semelhante à mão que exige a aplicação de severos cuidados com abundância d’agua em contínuas lavagens para a retirada de possíveis germes a fim de evitar prováveis contaminações. Limpar o coração é preveni-lo de males contagiosos, tipo malquereres, ódios, desvelos egoísticos, malvadezas, e até mesmo fulminâncias que assassinariam a generosidade, a compaixão, o bem-querer e sentimento fraternal.
O pensamento é um poço infinitamente profundo. Um globo de paredes rugosas, cheias de esconderijos. Um ambiente que exige esperteza para o devido asseio. Limpar o pensamento exige a parceria do coração limpo, dos olhos limpos; da boca limpa. Assepsia é, verdadeiramente, o segredo da integridade individual para promover o bem global.
Evitar danos à integridade pessoal, comunitária e global é garantido com sistemático processo de limpeza individual. Hoje sei que devo limpar-me, desfazer de estrumes de meu banco de memórias.
Dedicadamente devo repetir o ciclo da faxina em mim. Limpeza tem a ver com paz. Limpeza é um fator fundamental para se estabelecer a paz. De forma que limpeza é uma questão de paz.
Eu exercito faxinas sistemáticas em mim.

Campo Grande/MS

-11-
Mamãe...
Esther Gonçalves

Como é belo o seu semblante em meu olhar,
Ainda ouço a sua voz suave a me embalar,
O tempo e a distância só me fazem lembrar,
Dos momentos de criança sempre a cantar;

Mamãe, minha grande amiga e companheira,
Sempre pronta a me ajudar, mui verdadeira,
Eu venho dar-lhe o meu abraço, toda faceira,
Para ter seu carinho e lembrar a vida inteira.

Afagar os seus cabelos brancos e poder dizer,
O quanto é importante em minha vida lhe ter,
Mesmo com o peso da idade, me faz crescer...

Me faz acreditar em Deus e na família, enfim,
Você mamãe, sempre fez e faz tudo por mim,
Dedico a você todo o carinho que há em mim!

São Luís/MA

-12-
Mamãezinha... [In memorian].
Esther Gonçalves

Eu ainda lembro
Dos seus carinhos,
Abraços, beijos,
Das suas palavras,
Conselhos,
Puxões de orelha...
Mostrando-me
O caminho que devo seguir.
Ensinou-me valores fundamentais
Para viver bem nessa terra
De violência e dores,
Desemprego e fome,
Competição e desenganos.
Mostrou-me o que é sentir saudade,
No sentido mais amplo da palavra.
A respeitar o próximo,
Perdoar e pedir perdão,
Ajudar o irmão,
Falar sempre a verdade.
E principalmente...
Ter dignidade.
Hoje, a senhora...
Já não está mais aqui...
Não posso abraçá-la como antes,
Nem ouvir a sua voz,
Ou sentir os seus abraços,
Os seus beijos em minha face...
Porém, tenho certeza,
Que está em um lugar de luz,
No Reino de Deus,
Junto com Jesus!
Obrigada mamãe,
Por tudo o que me ensinou!!!
Sempre a levarei comigo,
Em todos os momentos,
Da minha vida!!!

São Luís/MA

-13-
Mãe Ser Privilegiado...
Joyce Lima Krischke

Sim, Mãe - ser Privilegiado por Deus
Noite e dia zela pelos filhos seus
Mãe que honra sua maternidade
No Céu, na Terra, na Eternidade...

Mãe - puro amor e paz a encantar
Sempre pronta para o filho amparar
Mãe - fonte de carícia da vida
Mãe - ser que ampara e dá guarida

Mãe - perfume suave... doce fragrância
Mãe - belas recordações da infância
Mãe - sempre à frente- serra fileira

Mãe - na retaguarda é enfermeira
Mãe - raio de luz no caminho- afável
Mãe - Ser Privilegiado- Incansável

Balneário Camboriu/SC, 08 de maio de 2012- 11:19

-14-
Dia das Mães 2012
Marcelo de Oliveira Souza

Como todos os anos, esse dia é muito marcante para toda a nossa sociedade e como toda grande comemoração importante, essa data serve como reflexão.
Em tempos de internet e redes sociais, a velocidade da informação é instantânea, muitas mães aproveitam isso para poder se aproximar dos rebentos, mas o excesso de liberdade à criança e principalmente a adolescentes, pode prejudicar a relação ao invés de ajudar; as mídias televisivas como novelas, muitas vezes mostram mães sendo agredidas verbalmente, achincalhadas e tudo que possa denegrir essa sublime função de ser a “maestra” do lar.
Ao chegar nesse único domingo do dia das mães, as homenagens começam desde cedo, acompanhada de inúmeras propagandas relacionadas à comemoração, tudo visando aquele velho consumismo, aquele velho almoço comemorativo e tudo que os filhos considerem comemorar a data festiva.
A maioria dos filhos esquece de olhar a sua genitora como um ser humano que tem aspirações, cujo maior ato de amor é cuidar do bem estar da família e maior sonho simplesmente é ver os seus entes progredindo nessa difícil arte de viver.

Salvador/BA

-15-
Mãe – Ser Privilegiado
Letícia da Rocha Silva

I

Mãe! Flor divina e esplendorosa;
Que cuida que zela que ilumina;
Com o seu jeito de menina
Vive sempre a embalar;
Com sua ternura, é o anjo
Que sempre está a acalentar.

II

Mãe! Quanta brandura! Quanta doçura!
Para nos tirar da amargura.
Tu és mãe! O amor da minha vida.
Sempre me deu e me dará guarida.
Nesse eterno caminhar.
És sempre mãe! Flor que vive a desabrochar.

III

Oh! Mãe! Ninho eterno de amor.
Que acolhe os filhos, sem nunca reclamar;
Se choras em silêncio, é um choro de compaixão;
Oh! Minha mãe, eu te amo de coração.

IV

Mãe! Sorriso que eleva a alma.
Tesouro que enriquece e acalma.
É a luz do meu olhar.
Diante da vida, quero tê-la sempre
Do meu lado, para me amar.

Guanambi/BA

-16-
Foi Você mãe...
Edécio Mergener

Foi você Mãe que me concebeu
Foi você Mãe que não deixou que me tirasse
Neste enlace, foi você que salvou a minha vida...
Mãe querida... Que gerou em seu ventre...
A semente que hoje se fez Homem
Em minha fome foi você que me alimentou
E ensinou a dar os primeiros passos
Os primeiros abraços foram com teu carinho
Não me deixou sozinho... Sempre esteve comigo
Deu-me abrigo... Chorava com meu chorar
Ensinou-me a orar e andar nos caminhos de Deus
Foram seus os primeiros sons que passei ouvir
Cantava pra dormir, uma canção de embalar...
Foi você Mãe que me ensinou amar
A respeitar nosso semelhante... Nosso irmão
Mãe... De coração...
Obrigado pelo que sou.

São José dos Pinhais/PR

-17-
Mãe, ser privilegiado...
Eloísa Antunes Maciel

Mãe – condição da mulher a quem Deus aprouve conceder o privilégio (nem sempre indolor) de abrigar, prover/nutrir e, sobretudo amar um ser semelhante, gerado em seu ventre ao longo de nove meses, e cujo nascimento é por vezes precedido de dúvidas e temores e, até mesmo (por que não dizer?) de alguma rejeição, ainda que esta não se encontre no nível consciente da mulher–mãe, considerada a responsabilidade que tende a colocá-la em patamar sobre - humano, dada a multiplicidade de exigências que lhes são postas desde a confirmação de uma gravidez por vezes problemática.

E dessa heroína, a mulher que se faz mãe, espera-se o máximo de virtudes, como a abnegação, a renúncia, sacrifícios inusitados, entre outras “qualidades” presumidas como inerentes a todas as mulheres cuja condição feminina deveria predispor a um modelo de mãe, sendo essa concepção fruto do imaginário legado por gerações precedentes, geralmente imposto por determinadas famílias, embora essa situação esteja mudando na atualidade.

No entanto, convém considerar-se que, ao “fugir” desse padrão pré-estabelecido, muitas mulheres tendem a optar por determinadas alternativas às ditas “qualidades” -- e que o próprio adágio Ser mãe é padecer no Paraíso não faz mais sentido no seu estrito sensu. E nem por isso os méritos da mulher privilegiada com a benção da maternidade podem ser questionados a priori, ou sob critérios rígidos e ultrapassados...

Considere-se, portanto, um conjunto de características de personalidade de mulher - mãe, seu devotamento ou dedicação autêntica, mas sem fixidez de modelos comportamentais. E sob uma avaliação realista e, sobretudo justa, saúde-se essa heroína de todos os tempos, capaz de desvelar - se através testemunhos extraordinários em favor dos filhos/prole ou filho único. E ao prestar-lhe essa justa e merecida homenagem, reconheça-se o seu relevante papel na evolução da humanidade, sem a pretensão de alçá-la à altura do Infinito, nem postá-la, à guisa de santa, num altar reservado somente a divindades...

Reconheça-se: a mulher - mãe é um ser humano e, como tal, deve ser reconhecido, aceito e respeitado. Reserve-se a ela também o direito de errar, colaborando para que supere seus erros e aprenda com eles.

Enfim, convenha com Pascal, quando esse notável sábio francês qualificou a condição do ser humano como simplesmente humana, rejeitando os rótulos de anjo ou demônio impingidos principalmente às mulheres da época...

Salve a mulher – mãe, um ser notavelmente humano!

São Martinho da Serra/RS

-18-
Deus lhe pague, minha mãe!
Maria de Lourdes Maia Gonçalves

Obrigada, minha mãe,
por dar-me a vida,
pelas horas insones
que passou a zelar o meu sono.
Pelas ternas canções de ninar
com que me embalava,
por seu amor imensurável e bendito!
Deus lhe pague, minha mãe,
pelas sábias palavras
que de seus lábios brotavam,
pelo silêncio acolhedor e pacífico,
por seu terno olhar, pelo seu sorriso!
Minha mãe, Deus lhe pague
por suas renúncias em meu favor.
Por sua incansável bondade,
por sua amizade e por ser minha mãe!
Deus lhe pague, minha mãe,
por viver comigo e comigo sonhar.
Por me ensinar através do exemplo
que a dignidade desde cedo se concebe,
por inspirar-me a fé, o amor e o perdão!
Minha mãe, Deus lhe pague,
por me mostrar
que o sorriso sempre volta,
por me acolher em seu colo
quando proteção eu buscava.
Por tudo que representa em minha vida,
Deus lhe pague, minha querida mãe!...

Itajubá/MG

-19-
"Mãe: ser privilegiado!"
J Otoniel Poeta

A mulher por Deus foi escolhida
Como singular e social privilégio
De ser a Mãe por todos glorificada
Merecendo assim todo elogio
Para em união com o seu varão
Dar continuidade à humana
Procriação

Ela cumpre a missão de dar vida
Ao seu pequenino filho por amor
Dedicando ao mesmo toda guarida
Ao seu rebento reconhecendo o valor
Criando e educando-o com total dedicação
Esperando venha ser ele um bom cidadão

No dia dedicado às mães do mundo inteiro
Prestemos as mesmas a nossa destacada
Homenagem!
Reconhecendo nelas habitar o amor
Verdadeiro
Compostos sejam numa rica mensagem
O reconhecimento de haver nelas de carinho
E amor, um precioso celeiro!

Jandira/SP

-20-
Doce Palavra
Daniel Brasil

Mãe é palavra tão pura
De sublime expressão
O seu amor verdadeiro
Que brota do coração
Sua palavra é consolo
Que derrete uma aflição
Seus carinhos são ternuras
Seus beijos são louvação

Mãe é a maior riqueza
Que exprime grande amor
Para todas mães do mundo
A Cristo eu peço louvor
Um mar com maré de paz
Com água cheirando a flor
E a proteção Divina
Do nosso Pai Criador.

Porto Alegre/RS

-21-
Mater
Sidney Santos

Mãe, palavra forte
Linha que sutura o corte
Face de doce sorriso
Instante de conselhos precisos
Calor e moral no ninho
Guia para o caminho
Página de alegria
Um verso, uma poesia

Santos, Maio de 2012.

-22-
Mãe: ser privilegiado!
Deomídio Macêdo

Ela chorava, chorava!
Seu semblante era de dor e esperança.
Suas mãos atracavam no lençol, e seus dentes lindos apertavam seus lábios avermelhados pelo batom que desmanchava pelo seu salivar.
Agoniava, agoniava esperançosa!
Sua carne abre com a força produzida pelo desejo de ser mãe, esperando meu grito ecoar no ambiente.
Por um instante, por uma mágica Divina transponho o portal da vida e lá está ela, minha rainha, minha amada, meu bem querer com os braços abertos, chorando, ao tempo que sorria, pegando-me nos teus braços a dizer: filho querido, meu amor!
E por instinto, procuro seu seio e sugo o alimento da vida e adormeço nos seus braços aconchegantes, confiante, porque ela é minha mãe: ser privilegiado!

Salvador/BA

-23-
Mamãe
Letra de Sílvia Silva Benedetti

Mãe, eu estou bem contente
Pois, hoje, estou junto a ti!
Minha canção, de repente,
Mostra o que sempre senti.

Mãe, és ternura e bondade
Maior riqueza que vi!
Mãe, teu amor, na verdade,
É o melhor que conheci.

CORO
Mamãe, só para ti meu coração transborda!
Mamãe, ao lado teu o mundo não importa,
Nos teus gestos, carinho! No teu olhar, bondade 
Luz a mostrar-me o caminho da verdade e do bem!
Tu és a poesia mais divina, Mamãe!
Rimas de vida, versos que canto a saudar-te, Mamãe!

Mãe, quando estive distante,
Quanta saudade senti!
No pensamento constante,
A tua imagem previ!

Mãe, hoje, a felicidade,
Traz-me tão doce emoção.
Mãe, meu tesouro em verdade:
Teu carinho e compreensão!

REPETIR O CORO

Esta letra escrevi há muitos anos, para ser cantada com a melodia de MAMMA. Para as mães, neste "NOSSO DIA". Sílvia

Porto Alegre/RS

-24-
À minha venerável mãe
Roseleide S. de Farias

FRANCISCA, esse é o seu nome, minha querida mãe
Refletem-se em minha mente tão meigo, belo rosto
Anima-me a doce esperança de encontrar-te um dia
Neste universo, na próxima ou longínqua paragem.
Cisma-me aquela bela, cintilante estrela distante; e
Introspectiva, fico a meditar nas perdidas emoções,
Sofrendo a saudade que me dói no peito, ausente o
Cálido coração que tanto alento me dava nesta vida
Assim, eras tu minha mãe, tão alegre e extrovertida.

Sempre transmitias esperanças, eras sábia, querida,
Animavas á todos, enérgica dizias “não” á covardia.
Nada te amedrontava, eras de fé, talvez escondesse
Temor, doenças, sofrimentos, a acometer-te um dia.
Altaneira, corajosa, boa nordestina tal qual meu pai,
Nascida na bela Alagoa Grande, no brejo da Paraíba.
A tua alma e o coração, as lembranças me confiavas.

Desalentos, cansaços, medos, também tuas saudades
Envolvidas no tempo e a velhice que sutil te chegava

Fugidios, amorosos, ternos, foram nossos momentos
Assim unidas, nós ficamos, até o fim da tua jornada.
Ríamos, cantávamos ao som e acordes do teu violão
Inquietos, sonoros, que nas nobres e amáveis mãos,
Agradeciam á Deus em oração, pois nenhum filho(a)
Seu lhe levara; e que isto seria a maior dor neste teu
                                                 CORAÇÃO DE MÃE.

Cabedelo/PB

-25-
Mamãe
Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira

-26-
Mãe: uma Prosinha Poética Cheia de Saudade...
J.J. Oliveira Gonçalves

Mãe,
porque não posso tocar-te a face
nestes 29 anos de Saudade
acaricio, então, tua Lembrança
de mulher trabalhadora
forte
otimista
de Mãe que foste
amiga
dedicada
atenta Mãe-Leoa!

E nesta imagem
(cândida e bela!)
lembro-me pequenino
entre teus braços - esses Cais
que me abrigaram
me criaram
me abraçaram
me ensinaram com a Vida
a ser honesto
a ser digno
a ser um homem
de Paz e Bem - e de coragem
para enfrentar as Dores
e as Derrotas
que - sorrateiramente -
batem à nossa porta...

Hoje,
no Ocaso que me pinta a Alma
olho o céu
o poente
o Infinito
e neles fico a procurar por ti...
O sabiá eu ouço - à Ave-Maria
e o seu canto tristonho
(qual meu verso)
faço em prece...
Contemplo as flores
singelas
belas
coloridas...
Sorvo as fragrâncias
e há tanto aroma - nelas - familiar
de outros tempos - ledos - que me assomam
lá dos rincões gentis do coração...

E - à noite - quando a Lua me acena
feito uma garça branca - ou açucena
à Lua (que me deste por Madrinha!)
pergunto, então, por ti
como estarás
aonde andarás, ó, Mãe, enfim...
A Lua - em silêncio - me sorri
intui meu coração
minh'Alma tange
e diz:
"Meu afilhado,
tua mãe está aqui...
Vê: é a Intermitência-Azul
desta luzidia Estrela
(ao meu lado)
que te sorri
te acena
te guia
(diuturnamente!)
o passo exausto
pondo Luz em teu Caminho!"

SAUDADE, Mãe...
do teu colo
do teu olhar
e do beijo que não mais te posso dar...

Porto Alegre, 12 de maio/2012. 10h50min
jjotapoesia@gmail.com - www.cappaz.com.br

-27-
Mãe
Isabell Sanches

Eu vejo o ser “mãe” como um grandioso anjo de asas bem abertas prontas sempre a busca de uma total proteção aos seus filhos
Mãe, nome singelo, doce...

Colo que acolhe mãos que direcionam luz que irradia toda a alegria
A estrela que brilha e nos afaga em nossos momentos angustiantes em cada instante de que o vazio se aproxima pra nos fazer chorar
Mãe, Palavra de acalento tu és força, sustento incapaz de ser substituída

Mãe, você é tudo!
Mãe tu és vida que gerastes vidas
És especial e querida

Receba para sempre toda homenagem um gigantesco e “eterno amor”
Do fundo do coração sinta-se profundamente amada.

Cachoeiro de Itapemirim/ES

-28-
Mães – seres privilegiados por Deus
Joyce Lima Krischke
(Para minhas filhas Jéssica, Judite, Joelma e Mariazinha)

-29
A mãe da gente
Rosana Carneiro

Na infância, ainda criança
A menina brinca de mamãe
E desperta para a vida inteira
A doçura da lembrança
Brincando de bonecas
É quando amadurece
Exibe no peito como em prece
O amor mais puro da espécie
Pode ela ser feminina
Masculina ou os dois
A mulher-Mãe nunca deixa
O seu amor para depois
Menina, moça e mulher
Aquela que Deus destinou
A doce forma de amar
Com cuidados a desdobrar
A luz surge no seu ventre
A maternidade sopra-lhe força
Exuberante segue em frente
A mulher, mãe da gente...

São Paulo/SP

-30-
Paulo Rodrigues

Feliz dia das Mães!
Não só por hoje!
Mas quem acompanha meu Face sempre ver a forma como falo e amo minha mãe, e mesmo sabendo que ela não irá ver este recado, quero deixar claro aqui a minha declaração de amor por essa mulher maravilhosa que me deu a vida e me criou praticamente sozinha! O homem que me tornei foi graças ao grande amor que ela me ofereceu em todos os momentos. A maior lição da vida eu aprendi com a minha mãe! Ela me ensinou a amar! E amarei minha mulher e filhos tão intensamente como me sinto amado por minha mãe!
Mãe, EU TE AMO!
Feliz dia das Mães! Beijos!

Sorocaba/SP

-31-
Dona Geny
Odilon Machado de Lourenço

Uma mãe que eu tive era silêncio
Me olhava em silêncio e esse dizia
Uma mãe que eu tive plantava coisas na terra
Tudo nascia, até na seca, ela molhava.
Uma mãe que eu tive era professora
Seus alunos passavam em meio as suas plantas
na lavoura – era o atalho.
Uma mãe que eu tive dizia para misturar as folhas amargas
com os outros de comer
Eu comia feliz
E quando chamava:
Odilon! O almoço tá pronto.
Eu corria logo para brincar de novo depois
Uma mãe que eu tive me levou através das sangas, do rio,
e além daquilo que era horizonte naquela coxilha da infância
Ela me levava para eu ver
Eu ia até ausentar-se do seu jeito silencioso de ser
E como deixou-me ir longe aprendi a amar distâncias,
horizontes, poeiras de estradas, pedras e neblinas
Uma mãe que eu tenho fica feliz quando volto
Sorri em silêncio e me chama para o almoço
Então eu digo: - Mãe, me fez um poeta.
Mãe, eu sou cheio dos seus silêncios.

Florianópolis/SC, 14-05-2012

-32-
Amor de mãe em trovas
Flor de Esperança

Em teu calor e aconchego,
por amor deste-me a luz,
unidos num doce enredo,
perfeito amor me conduz.

Deus proteja o caminhar,
cada romper dos teu dia,
para os filhos educar
no amor, na sabedoria.

Brilho de luz e ternura
mãos nascentes de carinhos,
MÃE do lar, terna estrutura
nos mostra novos caminhos.

MÃE querida, em seu cantar
nas noites tristes, sombrias
o teu beijo, a acalentar
é amparo em demasias.


Chegou assim... Graciosa...
Linda... Não posso conter,
MÃE em pétalas de rosa
faz o coração bater.

MAMÃE, és terna carícia
amor que nunca se cansa,
desvenda qualquer malícia,
com seu jeito de bonança.

-33-
Minha Mãe
Carlos Reinaldo de Souza

Mãe, quanta saudade do nosso lar
guardo no fundo d'alma, com carinho;
vibrações de amor voltam a pulsar,
quando penso em ti, agora sozinho.

Neste momento, envio o meu cantar,
em homenagem ao antigo ninho
que construíste, em luta sem cessar,
seguindo, com papai, nosso caminho.

Ouve, mãe, este meu canto sofrido:
desde que tu partiste deste mundo,
sinto o quanto fui amado e querido.

Eu sei, também, o quanto fui ingrato:
enquanto doaste um amor profundo,
o meu amor foi pobre e insensato.

Conselheiro Lafaiete/MG

-34-
Ser Mãe
Diná Fernandes

Deus concedeu a mulher, o poder de outra vida gerar
Cabendo ao homem o dever de por ela zelar

Toda mulher quer ser mãe, para uma família formar
E com suas habilidades, dos seus rebentos cuidar

É quando se torna mãe, que atinge seu maior grau de satisfação
Não há felicidade maior do que sentir a emoção

Do primeiro choro, de um filho, soando ao seu ouvido
E do primeiro beijo dado no seu recém nascido

A segunda emoção é o prazer de amamentar
É o elo mais forte de duas vidas a se integrar

De tão gratificada em ver o seu filho que mama com avidez
É nesse momento que esquece as dores do parto, e quer ser mãe outra vez

Uma nova rotina em sua vida, agora dividida com seu rebento
Terá múltiplas funções e tem que estar atenta a todo o momento

Ser mãe é ser polivalente, é ter jogo de cintura
É estar preparada com toda uma estrutura

Para seus filhos educar com carinho e dedicação
É uma tarefa árdua, mas uma grande realização

Parabéns a todas as mães!

Cabedelo/PB

-35-
Tautograma em M (Mae)
Diná Fernandes

Mãe, maternidade, manto materno,
Mulher multiplicadora...
Meiga,Mediadora, mensageira,
Magnífica, merecedora máxima...
Misteriosa, mitiga meus medos.
Musa, maviosa, manhosa, mulher moldada.
Meu melhor momento, minhas manhas.
Minha mãe, minha melhor mestra!
Mulher maravilhosa!

Cabedelo/PB

-36-
Minha mãe
Eliene Dantas de Miranda Taveira

Sua doçura entendi,
Quando um filho eu tive
Lembro-me a todo instante
De seu amor cativante

Grata por ter me parido
Pela educação que me deu
Pela fé que me ensinou.
Pelo amor que me dedicou.

Fé em Deus, sempre teve
Sofreu privação...solidão...
Dava um jeitinho pra tudo
Pros filhos não faltar o pão

Desamor, pra quem vou falar?
Já não estás ao meu lado
Imensa saudade sinto
Sofro e estou abandonada.

Meus parabéns mãe querida
Qualquer dia nos veremos
Saudade que está comigo
Levarei ao nosso jazigo

São Paulo/SP

-37-
Mãe
Akasha De Lioncourt

Palavra de três letrinhas,
Que contém toda a magia
Do incondicional e verdadeiro amor.
Mãe não precisa carregar no ventre,
E, às vezes, nem participou dos primeiros eventos,
Mas quando aceitou para si a preciosa missão,
Doou toda a sua vida pelo seu rebento.
Ser mãe é muito mais complexo e belo,
Do que qualquer pessoa pode imaginar.
É ter o filho dentro do peito,
E carrega-lo aonde quer que ela vá.
É participar da vida dele a todo momento,
Independentemente de onde ele possa estar.
Só uma mãe consegue tudo isso,
Porque essa atividade deve cansar.
Mas um coração de mãe sempre sabe.
E se mantém sempre pronto para recomeçar.
Mãe, que prepara os primeiros anos,
Para que seus filhos possam caminhar.
Do primeiro beijo até o último suspiro.
Nós sabemos que ela nunca irá nos abandonar.

São Paulo/SP, 15 de maio 2012.

-38-
Mãe
Akasha De Lioncourt
(Para a amiga-irmã, Simone Geraldes, mãe e poeta)

Sabes o que é ser mãe?
Ou pensas que basta conceber e dar à luz?
Enganas-te, pois há aquelas que não conceberam,
Mas, ainda assim, são as verdadeiras mães,
Ainda que seus filhos não lhes tenham saído do ventre...
Porque essas amam tanto ou mais seus rebentos,
Presentes dados por Deus e por Ele abençoados!

Mãe é aquela que ama incondicionalmente,
Que se torna amiga, conselheira, confidente,
Mostra os caminhos corretos, os bons princípios,
Mas permite aos filhos escolherem seu próprio caminho,

Não há como impedi-los de viver intensamente.
Cometer seus erros, aprendam com seus enganos,
E a mãe, sábia, amiga de todas as horas,
Também conhece o momento de deixa-los voar.

E os liberta, deixa-os serem do mundo,
Ficando sempre de braços abertos, coração feliz,
Ao ver que seu filho, saído ou não de seu ventre,
Mas, amado acima de tudo e de todos,
Alçou seu vôo e ruma ao infinito...

E este, seguirá, sem titubear,
Grato por ter quem lhe empurre para a vida,
Impulsionando a sua sede de voar...

Mãe, és venturosa e feliz,
Soubeste aos teus filhos educar, e jamais temas,
Porque, certamente, eles sabem para onde querem voar...

(Escrito em 03/10/2002, reeditada em 12/05/2006)

São Paulo/SP

 




SELO DE PARTICIPAÇÃO










|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||



Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Fundo musical: Mãe sua mão amiga do Confrade Leonardo André
Todos os direitos reservados