Utilize esse comando para parar
a música de fundo e os respectivos
comandos para ouvir as demais
músicas.







ENCERRAMENTO/AGRADECIMENTOS

A todos os confrades e confreiras participantes desta 43ª Ciranda Mensal, meu agradecimento. Com alegria sinto nessas 57 participações todas as nuances que o amor possui.
Com o título, "O AMOR NO COTIDIANO DE NOSSA VIDA", diversos foram os tipos de amor abordados. Cada palavra, cada verso, cada estrofe reflete o poder do amor em nossa vida cotidiana.
Cada qual demonstra seu sentimento em relação ao amor maternal, ao próximo, aos animais, à natureza. Enfim, a cada texto recebido, com palavras de enaltecimento ao amor, tecemos essa ciranda, tal qual uma colcha de retalhos, juntando cada pedacinho, cada ideia e ao final ficar maravilhado com o resultado obtido.
Brindemos a esses 39 confrades e confreiras que fizeram dessa ciranda mais um sucesso CAPPAZ, espalhando sua cultura de paz e bem através de suas palavras e ações.

Curitiba, 16 de junho de 2012 às 10:04hs.

Rosângela da Silveira Coelho

 





INTRODUÇÃO

O objetivo desta Ciranda Mensal – Amor no Cotidiano de Nossa Vida - é refletir o Amor, que nem sempre pode ser expresso em palavras, nem em números ou em imagens.
O Amor é misterioso, transcendente- divino!
O Amor eleva-nos à caridade, à generosidade e à fraternidade.
O Amor se manifesta desde a nossa concepção até a conclusão de nossa caminhada no planeta Terra.
Amor é Vida!
Alguns dizem que – hoje- existe pouco Amor. Não creio que seja essa a realidade.
Vivemos em tempos de tecnologias crescentes em larga escala.
Realmente, somos sabedores que a cada dia seremos levados a conhecer e manejar equipamentos sofisticados.
Entretanto, temos consciência que não poderemos ficar alienados de nós mesmos.
As relações interpessoais, independente do computador, do telefone celular e da televisão, etc., por si só, não atendem e não completam as carências humanas.
A poesia da vida nasce do coração do ser humano que ama e, cujo Amor neutraliza a frieza das relações construídas embasadas na tecnologia.
Convidamos a CAPPAZ, para refletir em prosa, em verso, nas artes plásticas e na fotografia o – Amor no Cotidiano de Nossa Vida.

Abraço CAPPAZ

Joyce Lima Krischke-Presidente Fundadora CAPPAZ
Junho- 2012





PARTICIPANTES

Akasha De Lioncourt
Alice Luconi Nassif
Antonio Carlos Francisco (Zíngaro)
Carlos Reinaldo de Souza
Daniel Brasil
Deomídio Neves de Macêdo Neto
Diná Fernandes
Eduardo Torto Meneghelli
Edvaldo Rosa
Eloísa Antunes Maciel
Estela Frutos Braud
Esther Gonçalves
EstherRogessi
Fátima Maria do Nascimento Peixoto
Fernando Alberto Salinas Couto
Flor de Esperança (Maria Beatriz Silva)
Isabell Sanches
João José Oliveira Gonçalves
José Otoniel da Costa
Joyce Lima Krischke
Letícia da Rocha Silva
Marcelo de Oliveira Souza
Maria Fernanda Reis Esteves
Marina Martinez
Odilon Machado de Lourenço
Paulo André Moraes (PAMPOETA)
Paulo Rodrigues
Pinho Sannasc
Roberto Bordin
Rosana Carneiro
Rosana Paulo
Roseleide Santana de Farias
Sandro Nicodemo
Sidney Santos
Sílvia Benedetti
Sônia Rêgo
Valéria Santos Lisita
Varenka de Fátima Araújo
Vera Lúcia Passos Souza





Os textos aqui apresentados são cópias fiéis dos conteúdos enviados por e-mail, ficando essa web designer e a CAPPAZ isentas de qualquer responsabilidade pela revisão dos mesmos.

PARTICIPAÇÕES

-01-
O Amor
J Otoniel Poeta

Em qualquer circunstância está presente
Disso devo estar o máximo consciente
O amor é peça essencial no plano natural
valioso que o mais precioso metal
Quando verdadeiro nasce no fundo do
Coração
Quando ao contrário é triste decepção
Em tudo torna-se sempre necessário
Sem ele a vida passa a ser um calvário

No lar, no ambiente de trabalho, em toda
Atividade
Ele é excelente e sublime necessidade
Com amor devo seguir bem em frente
Porque ele traz a felicidade a toda gente
Quem ama sabe o seu valor eliminando
Assim qualquer dor
Portanto devemos estar sempre amando
Pois o amor exala o aroma de uma flor

Seu perfume irradia os corações em todo
Ambiente
No jardim da vida é como uma rosa atraente
Suas cores em geral são diferentes: branca
Roxa , vermelha, amarela ou cor de rosa
Com ela toda saudade se estanca
A hora próxima a ela torna-se cheirosa
O amor tem várias formas de ser: oculto
Fingido, escondido, do qual mal se ver o
Vulto
Há outro bem expansivo com ar demonstrativo
Quem o tem não se envergonha e é decisivo

Feliz daquele que por ele é contemplado
Sabe amar alguém e desse se sente amado
Ele vem por natureza e vai também ao plano
Sobrenatural
Daí sobe ao ponto mais alto!... O espiritual!
Sente-se com ele o sabor do mel
Assemelha-se a quem chegou ao Céu!

Jandira/SP



-02-
Cotidiano do Esporte
Sidney Santos*

Maior Prêmio
Eu juntamente com dois amigos professores de Educação Física participando do projeto Educação Por Meio do Esporte ministrando aulas de Futsal para meninos e meninas em idade entre 11 e14 anos, alunos da Rede Municipal integrantes do Ensino Fundamental - Ciclo II, cujo objetivo é mostrar a importância da modalidade esportiva com os valores de competição e cooperação bem como um bom relacionamento de grupo, respeitando o desenvolvimento gradativo das crianças, procurando contribuir com o processo educativo, às vezes passamos por situações inusitadas, senão vejamos:
Determinados pais, e com a devida compreensão, querem assistir as aulas de seus filhos, porém além os deixar inibidos, se tornam literalmente “torcedores”.
Por esse fato acima deixamos recomendados às senhoras inspetoras de alunos que os pais não podem permanecer junto a seus filhos durante as aulas mesmo porque a quadra esportiva não comporta assistência de público. Salientamos também que qualquer pessoa que se dirija à quadra chame uns dos professores evitando assim algum incidente, como exemplo, boladas.
Os alunos não participantes do projeto também não podem frequentar o local por medida de segurança, mesmo porque as aulas começam após o horário normal (18:00 hs) e só os alunos com autorização dos pais ou responsável podem fazê-lo.
Eis que ao iniciarmos a aula de quarta feira um aluno de 7 anos, com a devida autorização da inspetora, subiu ao 4º andar, local da aula e falou:
- “Professor! Não vim jogar não; só quero ficar vendo um pouquinho porque minha mãe se atrasou e só vem me buscar daqui meia hora”.
Já providenciando um local seguro para o “Pequeno Polegar” expliquei que poderia ficar assistindo enquanto esperava a mãe salientando ser um caso excepcional e pedindo para que não se ausentasse do local antes de sua mãe chegar.
O menino, sentado na cadeira e protegido por uma rede, sorria participando com sua torcida e balançando a cabeça quando as jogadas não davam certo.
Logo sua mãe chegou e com o recado vindo do andar térreo ele foi autorizado a descer.
No dia seguinte eu estava fazendo minha caminhada na calçada da praia e escutei uma voz:
-“Oi Professor!
Não era voz dos meus alunos; era voz de criança menor. Olhei e vi a uns 10 metros o aluninho sentado no quiosque, juntamente com a mãe e comendo aquele sanduíche. Os dois sorriram.
Como de costume dei tchau com as duas mãos e segui meu caminho
Professor é isso: ensino, compreensão, carinho e honestidade de propósito.
No mundo atual de tanta correria não tem maior prêmio:
Um sorriso de criança.
Esta história de esportes, de ensino, de criança só está aqui para homenagear todas as mães na figura da mãe do Pequeno Polegar que após uma jornada de trabalho encontra tempo para comer um sanduíche e brincar com o filho na praia.

* Professor Educação Física

Santos/SP

-03-
Dia dos Namorados do século XXI
Marcelo de Oliveira Souza

A nossa sociedade se transformou muito em pouco tempo, acompanhando o advento da tecnologia, o ser humano modificou bastante o seu comportamento.
Os namorados de antigamente tinham ainda uma visão romântica do relacionamento, cartas de amor, o carinho de pegar na mão, o olhar de atenção e cumplicidade entre os casais; nem precisou demorar muito tempo, mas a barreira do século XXI parece que foi um divisor de águas.
Hoje em dia as coisas se transformaram, as cartas de amor sucumbiram para a rede social, o msn; as pessoas têm medo umas das outras, costumam confiar mais no mundo virtual; os crimes hediondos tem aumentado, muitos amantes abandonados agora passam a odiar e ameaçar o seu antigo amor.
Os adolescentes namoram cedo e experimentam a descoberta sexual mais cedo que o esperado, uns apoiados até pelos pais que oferecem a alcova...
O relacionamento humano anda muito conturbado, a família hoje quando desestruturada, passa tudo isso para o relacionamento amoroso dos filhos, quem nunca recebeu amor como vai poder dar amor? Quem nunca foi respeitado como respeitar o direito da namorada ou namorado?
O dia dos namorados do século XXI, agora vem de presente o Kit erótico, diária em motéis e tudo ainda cai na normalidade, pois quem estiver fora desse círculo, não é redondo, é bem quadrado, fora de moda, mas todos têm que perceber que o amor nunca irá cair de moda, o respeito pelo outro é o principal ingrediente para o verdadeiro amor.
Por isso, no dia dos namorados, não adianta jurar amores, muito menos arranjar namorado ou namorada de última hora para ganhar presente, o que importa mesmo é quando aquela semente do amor brota devagarinho com o primeiro olhar e vai amadurecendo no cotidiano e aos pouco vivermos a verdadeira plenitude de amar no dia dos namorados.

-04-
A Caridade e o Amor-Próprio
Akasha De Lioncourt

Sempre nos preocupamos em viver a vida de forma tão intensa sem nos lembrarmos de que ela é efêmera. Um tênue fio de prata que nos separa da transição da morte. Fino, delicado, nos mostra o quão somos frágeis diante do inevitável destino que é o de todos nós. E vivemos a vida com tantas preocupações que não paramos sequer para definir o que é realmente prioridade nessa nossa experiência evolutiva.

Procuramos praticar a caridade como princípio básico para o engrandecimento da alma e nos esquecemos das máximas “a caridade começa em casa” e “amai a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a ti mesmo”. Qual é a nossa primeira casa? Seria a casa de nossos pais? Não... a primeira casa que conhecemos é o corpo que habitamos... Sim, esse invólucro carnal que nos é dado em forma de empréstimo para que cuidemos dele e façamos bom uso de suas habilidades para que a essência possa evoluir. E como nos esquecemos de cuidar desse corpo!!! Nos entregamos aos vícios físicos e morais, como fumar, beber, comer em demasia, passar noites e noites sem dormir, vivendo de forma sedentária, mantendo-o distante de atividades físicas que tonificam e dão mais disposição para curtirmos nosso dia-a-dia. Passamos tempo demais dando importância a coisas menores e nos esquecemos de que nossa primeira obrigação é conosco mesmos. E talvez isso aconteça justamente porque deixamos de cultivar o amor próprio como ele deve ser cultivado. Passamos a vida inteira procurando o amor sem nos voltarmos para dentro de nós mesmos, cultivando-o internamente, sentindo-o em toda a sua plenitude pela pessoa que enxergamos todas as vezes em que nos olhamos no espelho. Essa prática é tão importante que se todos nós nos lembrássemos de que só podemos doar aquilo que nos é abundante, entenderíamos porque confundimos amor com carência, obsessão e possessividade.

Quando amamos a pessoinha que habita nosso corpo, sem restrições, sem qualquer dúvida, um amor incondicional que nada cobra a não ser que sejamos felizes e façamos dessa nossa existência a melhor possível para nós mesmos e para quem aprendermos a amar no decorrer da nossa vida, conseguimos nos esquivar dos males do século que assolam a grande maioria das pessoas: o stress, as cardiopatias, o câncer, a depressão, a síndrome do transtorno bipolar e tantos outros males que nos impedem de evoluirmos com sensatez e veracidade. Respeitar a si mesmo, com todas as limitações, imperfeições, falhas e ter a consciência de que é possível melhorar com disposição para tal é a mais bela caridade que praticamos no decorrer das nossas vidas pois somos o reflexo daquilo que fazemos com nossa primeira casa, que é justamente nosso corpo e nossa essência.

Não precisamos mudar o mundo, podemos começar com algo bem pequeno: nós mesmos! Quando começamos a refletir nossas mudanças e agimos de acordo com nossos princípios, consequentemente irradiamos ao nosso redor os bons fluidos desse amor incondicional e com isso levamos ao nosso próximo o melhor de cada um de nós. Experimente! Olhe-se no espelho agora mesmo e repita convictamente: “Eu amo você e quero te proporcionar o melhor de mim sempre. O que posso fazer para melhorar o seu dia?” Vai parecer loucura, você vai pensar que está sendo ridículo mas lá no fundinho, bem escondidinho, seu Eu vai te responder e as respostas serão mais claras a cada tentativa.

Algumas pessoas acham que vieram ao mundo com o “carma” de salvar outras pessoas e se esquecem que precisam de si mesmos para levar a termo seu intuito. Quando abrimos mão de nós mesmos em prol dos outros não estamos sendo caridosos, isso é um crime, é suicídio lento e o crime mais hediondo aos olhos de Deus. Ele, como todo Pai, não nos quer sofredores eternos e nos dá a chance de aprendermos o amor incondicional praticando primeiramente em nosso próprio benefício porque é muito mais fácil partilhar o conhecido do que algo que não temos a menor ideia do que seja. Ama a Deus sobre todas as coisas mas não se esqueça de que para amar o teu próximo é preciso amar a ti mesmo. E não precisamos nos auto-flagelar para vencermos nossas limitações, tudo que é feito baseado no amor verdadeiro é muito mais leve para se vivenciar. Daqui só levamos o aprendizado que conseguimos arraigar, o bem que verdadeiramente conseguimos praticar e as ações ou omissões que conscientemente deixamos de aplicar, pois será a nossa própria consciência quem irá nos perguntar o que fizemos com o conhecimento que nos foi permitido explorar. Pense nisso... E seja feliz!

São Paulo/SP, março de 2009

-05-
Quando Existe Amor
Akasha De Lioncourt

Quando você aprende a amar de verdade,
Descobre que é um sentimento muito mais profundo.
Nem sempre corresponde à nossa realidade,
E pode modificar até o destino do mundo.

Há quem renuncie ao amor pelo amor,
Mas não se conforma e não o deixa partir.
Não compreende que o amor incondicional,
É aquele que liberta o ser amado e o deixa ir.

Se amar é desejar que o ser amado seja feliz,
Então precisamos aceitar que talvez seja em separado.
Que ambos viveremos mais livres,
Do que se estivéssemos lado a lado.

A dor da separação pode ser muito sofrida,
Mas não necessita ser, obrigatoriamente, eterna.
Se tiver de ser, não há força nesta vida,
Que impeça o reencontro e a união fraterna.

Amar é saber o momento de libertar,
Sem mágoa, sem pesar, sem dissabores.
O amor sabe a hora de voltar,
E fazer renascer velhos amores.

São Paulo/SP, fevereiro/2008

-06-
A Cura por Si Mesmo
Akasha De Lioncourt

Todos nós temos uma estranha mania de achar que a cura para todos os nossos males está muito mais distante do que imaginamos. Esse é um pensamento comum e até mesmo eu costumo buscar sempre muito mais distante a solução para todos os meus males. O que não compreendemos é que toda cura depende principalmente da nossa postura em relação à vida, aos acontecimentos, às nossas escolhas e posturas. Já notou que você vive rouco? Será que não tem algo preso à garganta que precisa dizer e nunca o faz porque não tem coragem? Ou então, costuma dizer sem pensar nas consequências e acaba magoando quem não quer causando a si mesmo uma dor absurda por não conseguir conter seus impulsos do coração?

Cada uma de nossas atitudes pode acarretar em um mal físico que nos faz pensar sobre o que temos feito de nossas vidas. Cada vez que nosso corpo nos aponta que algo está errado, recebemos um sinal claro que chamamos de dor. Esse sinal é um bem que recebemos, pois através dele poderemos procurar descobrir a origem do mal e trata-lo. Mas, e quando o mal não nos afeta o físico em um primeiro momento, atacando nosso íntimo, nossa mente, causando estragos que jamais detectaremos rapidamente? Talvez o sinal venha um pouco tarde e é por isso que vemos pacientes morrendo a todo o momento de doenças incuráveis que seriam tratáveis se detectadas a tempo.

Esses casos são aqueles em que guardamos dentro de nós os sentimentos negativos, alimentamos mágoas, rancores, ressentimentos, deixamos de viver com mais leveza apenas para alimentar nossos vícios egoístas e fechar nossos olhos e ouvidos para nossos defeitos sem procurar modifica-los para o nosso próprio crescimento pessoal.

São esses sentimentos negativos que nos devoram o corpo físico lentamente, na surdina, vindo à tona somente quando não há mais recurso possível para recuperarmos plenamente, trazendo o óbito muito mais rápido e antes do previsto.

A cura está dentro de cada um de nós e ela tem de começar no nosso íntimo mais íntimo, transmutando os sentimentos, as crenças que possuímos em nós mesmos e nas pessoas que nos cercam, trazendo-nos vibrações positivas em substituição às palavras duras, rudes e repletas de maledicências. Quando nos permitimos vivenciar a experiência da mudança interior, nos tornamos mais leves e muito mais receptivos ao amor incondicional que só Deus é capaz de sentir por cada um de nós enquanto seus filhos imperfeitos ainda que criados à sua imagem e semelhança. O caminho não é fácil assim como não é fácil abrirmos mão de vícios e costumes que nos acompanham a essência há tanto tempo mas se começarmos a buscar o caminho da cura definitiva certamente alcançaremos boas colheitas pois são boas as sementes plantadas.

Quero acreditar que, um dia, todos nós estaremos em um mesmo nível de desenvolvimento e evolução, que todos caminhamos invariavelmente para esse desfecho e essa crença me faz lembrar uma frase de Fernando Sabino que diz: “No final, tudo dá certo; e se não deu certo é porque ainda não chegou ao final”. Acho que ele definiu perfeitamente com poucas palavras o destino de cada um de nós ao final da escalada rumo à evolução e ascensão à categoria de espíritos puros.

Portanto, abra-se para o que é bonito, encha sua alma de ar puro, respire bons sentimentos, expire seus vícios, suas energias negativas, faça um exercício mental todos os dias e pratique ser são de corpo e alma. Para o corpo exercícios físicos, até uma boa caminhada para começar e para a alma, o exercício de autoconhecimento e busca do equilíbrio perfeito das nossas forças dentro de cada um de nós.

A cura depende do tamanho da sua crença em você, em Deus e nas pessoas que te cercam e fazem parte da sua farmácia terapêutica para toda a vida.

E depois de tudo isso, abrace a vida com amor e confiança e viva-a, pois sabemos que a lei de ação e reação já é mais do que mera teoria há muito tempo, a física já a provou através de Isaac Newton e transformou-a em lei da ciência. A cada ação corresponde uma reação.

São Paulo/SP, maio de 2007

-07-
Almas Pequenas... (Não quero mais ser gente grande!)
Akasha De Lioncourt

Cada vez mais compreendo porque prefiro estar entre as crianças... A explicação é muito simples: por mais pequenas que pareçam, elas possuem uma grandeza de alma que a maioria dos adultos perde conforme cresce... Essa perda se dá porque nos deixamos influenciar por sentimentos negativos, como a inveja, a cólera, a raiva, e apequena cada dia mais as nossas almas... As crianças, em sua ingenuidade, a mantém intacta, pura, plena... E isso me faz amá-las cada dia mais, em detrimento desse meu estado adulto que não se conforma em ver as pessoas se devorarem feito lobos famintos... Aonde foi parar o sentido da palavra irmão? Perguntem às crianças!!! Quero voltar pro ventre da minha mãe e nascer de novo.. Será que o mundo se tornará melhor quando eu crescer?

São Paulo/SP, junho de 2006

-08-
Nosso Amanhecer
Akasha De Lioncourt

Já já mais um dia se inicia e com eles novos sonhos, novas esperanças...
Novas responsabilidades, principalmente a de sermos felizes e vivermos a vida em toda a sua plenitude... ao a acordarem, saúdem ao Sol. mesmo que o dia esteja nublado.. ele está lá, acima das nuvens, esperando pelo nosso Bom Dia... elevemos nosso pensamento ao Criador e agradeçamos por mais um dia, dia este em que exerceremos nosso aprendizado, ensinaremos um pouco e, desta maneira, daremos continuidade ao processo que chamamos de Vida!!!

Não se esqueçam jamais, Viver é privilégio de poucos, só daqueles que reconhecem na vida os atributos que nos permita usufruir tudo o que ela tem a nos oferecer!!!

Beijos nos corações, e que todos nós possamos viver com plenitude mais um dia!!!

"E eu fico, com a pureza da resposta das crianças: é a vida, é bonita e é bonita!!!" (Gonzaguinha - O que é, o que é)

São Paulo/SP, uma madrugada qualquer de agosto de 2006

-09-
O Sol da Sua Alma
Akasha De Lioncourt

Onde está o sol que te iluminou a alma e te fez enxergar as sombras que não são mais obscuras? Confesso que nem sempre conseguimos visualizá-lo mas certamente ele se encontra no mesmo lugar em que estava quando foi avistado pela primeira vez: dentro de você mesmo. A sua estrela mais poderosa é a sua emoção, sua capacidade de expressar os sentimentos e aprender através do raciocínio. Quem disse que a emoção não pode ser racional? Ela não só é extremamente vinculada à razão como deve ser usada em nosso benefício. Aonde você escondeu sua emoção inteligente? Não permita que ela seja jamais ofuscado pela sombra do seu medo irracional de aprender a ser feliz. O medo não é um monstro imbatível, ele é apenas sua criança assustada que se recusa a crescer emocionalmente e cria embustes para afastá-lo do seu real potencial para explorar o mais profundo do seu ser... o “EU” que conhecemos tão pouco, apesar de ser a nossa mais pura essência. Isso não significa que devamos nos livrar dessa criança! Não, devemos cultivá-la, aprender com ela a enxergar as coisas boas que nos acontecem e nem sempre temos compreensão suficiente para percebê-las. Essa criança, assim como o adulto aonde ela habita, também está evoluindo e possui muitas qualidades que perdemos quando a idade vai avançando. É preciso combinar o melhor dos dois lados, desses dois universos paralelos que habitam o mesmo corpo e a mesma alma. Ser feliz depende de treino, aprendizado e disciplina. Aprenda a ser feliz e sentirá que a vida será muito mais amena mesmo nos momentos em que a dificuldade for muito, muito grande. Augusto Jorge Cury disse que “a vida é uma grande universidade, mas pouco ensina a quem não sabe ser aluno”. Essa frase é muito profunda e merece ser analisada por cada um de nós, alunos rebeldes que renegamos nossa condição de seres em franca evolução e permitimos que nosso ego seja maior do que nossa necessidade de nos compreendermos. É aí que entra a necessidade de sermos humildes e aceitarmos nossa real condição, permitirmos que Deus nos toque com sua Luz Divina e nos permita a transformação que fará de cada um de nós seres perfeitos, emocional e racionalmente, visto que um não caminha sem o outro e precisamos de um equilíbrio para nos sentirmos realmente dignos de sermos felizes. Arrisque, invista em você e não tenha medo de tentar. É exatamente por isso que estamos aqui, para transformar nossas expectativas em experiências dignas de nos elevar e principalmente, nos educar para sermos mais completos. Esse é um bom começo para ser feliz.

São Paulo/SP, maio de 2009

-10-
Amar Até Pode Dar Certo... Mas Dói!!!
Akasha De Lioncourt

É, quem disse, um dia, que amar dói, disse a maior de todas as verdades.
Amar dói, machuca, e nos dá a sensação de estar sempre faltando um pedaço.

Não adianta saber que dói, pois o coração não segue os conselhos da razão. Ele é burro, teimoso, adora se meter em encrencas amar a pessoa errada e nos fazer sofrer. De que adianta amar tanto, se ao final disso tudo sobrarão lágrimas e pesadelos? Talvez seja melhor não amar.
Mas, como deter esse coração burro, bobo e teimoso, se ele teima em desobedecer as ordens da razão?

Ah, ingrato! Que faço contigo se não segues as minhas diretrizes, te apaixonas e me judias? Trancar-te-ei num calabouço imaginário e não poderás, em momento algum, sair de lá pois não tens condições de andares à solta, me colocas em fria sempre que fazes isso.

É, certíssimo quem afirmou que “amar dói”! Dói mesmo! Dói porque exige que o vivamos intensamente de corpo e alma. Exige que enxerguemos com os olhos do coração e este coração é míope, só vê o que lhe interessa. Dói crescer, dói amar dói mais ainda perder esse amor, descobrir que se amou sozinha, sem fluxo de volta e sem correspondência.

Amar pelos dois? Isso não existe! Amor tem que ser bilateral, fluxo e refluxo, ida e volta. Amar tem que ter sabor de goiabada com queijo, Romeu e Julieta (com final feliz, claro!). Nada de descobrir que não amava, ou que o amor era pouco e se acabou. Amar tem que valer a pena, sempre!

Mas, amor não vale a pena só porque acaba? Não! Não é esse o termômetro que indica se valeu ou não a pena. Mas, se foi um amor verdadeiro, recíproco, imortal enquanto durou, então valeu a pena!

Mas, se foi um amor em vão, enganado iludido ah esse amor só trouxe dores, como pode ter valido a pena? Mesmo que tenha havido momentos “felizes”, são momentos que a desilusão não conseguiu compensar.

Esse não é o amor contado nos romances exaltado pelos poetas, cantado pelos intérpretes. O amor pra valer a pena tem que ter sabor de “quero mais”. Até quem ama sozinho pode valer a pena, desde que ele saiba dessa condição, como amou Platão. Mas, se houver má fé no amor, não vale a pena! Amar não suporta sentimentos negativos, ele precisa de um “fermento” a mais.

Amar até pode dar certo, mas, precisa de cuidados, de carinho, dedicação... amar precisa de amor!!!

É amar dói, dói muito! Amar é um parto, tão doloroso quanto! Amar é parir um filho todos os dias. O amor, quando acaba, é uma gestação interrompida, um sentimento abortado.

Amar é como sentir saudade, dói, porque nos faz sentir uma necessidade constante e premente de sermos amados e lembranças nos levam a querer sermos lembrados.

Dói amar... dói crescer... dói sentir saudade! Ah, dói! Amor exige atenção, exige cuidados exige emoção, alegria, precisa cultivar a cada dia. Ah, amar!

Acho que nós, seres humanos, ainda não estamos preparados para vivermos um grande amor. Não estamos predispostos a rasgar o coração e nos entregarmos por inteiro. Para viver um grande amor, é preciso mais do que puro amor, mais do que propriamente amor.

É preciso saber renunciar em nome desse amor, vencer o egoísmo, a individualidade, aceitar unir dois em um. Estamos nós preparados pra isso? É amar realmente dói, fere nosso Ego nos torna grandes, mas pode causar danos. Amar até pode dar certo... Mas dói!!!

São Paulo/SP, agosto de 2004

-11-
Apenas pensando sobre qualidade de vida.
Akasha De Lioncourt

“Hay que endurecer-se pero sin perder la ternura jamás”
(Ernesto Che Guevara)

Eu gostaria de comentar não um livro, ou uma crônica, mas, apenas uma frase... singela, simples, que diz tanta coisa. Ela partiu de um guerrilheiro que morreu em nome de um ideal. Teria mesmo ele morrido em nome desse ideal? Não podemos saber o que se passava no íntimo desse homem, mas, o certo é que ele nos ensinou que, por mais dura que seja a situação, não se pode perder a ternura, não se pode endurecer o coração.

Somos livres para pensar, essa liberdade não pode ser tolhida nem castrada em hipótese alguma. O que nos pode ser castrado, e isso é algo que devemos defender em qualquer situação, é o nosso direito à expressão dos nossos pensamentos. Cada povo, a seu tempo, viveu seus “Anos de Chumbo”, quando a individualidade era punida com torturas e mesmo com a perda da vida. Diziam que isso era porque se combatia o mal que poderia destruir a todos.

Mas, que ‘mal’ é esse que combatemos??? Seria ele o responsável por todas as injustiças sociais que vivemos desde que o mundo é mundo?

Ora culpam a Igreja, ora o comunismo, ora o capitalismo... mas a grande verdade é essa: “O Homem é o lobo do próprio Homem” (Thomas Hobbes), e é por isso que tais injustiças e maldades existem.

Tudo o que vivemos até hoje é suficiente para dizer que somos um povo civilizado? Ah, não! Não pode ser chamado de civilizado quem mata por prazer, quem destrói indiscriminadamente um planeta maravilhoso e repleto de recursos naturais, quem compromete a fauna, a flora, e dispõe da Natureza a seu bel prazer.

Somos os únicos culpados por toda a maldade que existe em nosso planeta, por todas as desigualdades que condenam alguns a perecer de fome, sede, frio, com doenças que já deveriam ter sido erradicadas há muito tempo e só não o foram porque as pragas são um meio natural de controle de natalidade. O mesmo pode-se dizer das guerras, não é mesmo? Elas são um termômetro para controlar a superpopulação e também para alimentar o ego doentio de ‘grandes lideres’ de grandes potências, pois estas precisam, urgentemente, afirmar sua capacidade de dominar o mais frágil e manter sua hegemonia a qualquer preço. Essa tem sido a política humana desde que o homem descobriu o conceito de propriedade, foi essa palavrinha quem nos condenou à condição de escravos e senhores feudais. Sempre haverá explorado e explorador, pois que somos egoístas natos, e trazemos essa semente dentro do nosso âmago.

Não seria possível que os homens conseguissem conviver como irmãos? Que a corrupção, a busca incessante por poder, a necessidade de se alcançar o topo a qualquer preço, mesmo que seja passando por cima de milhares, fosse um dia extirpada tal qual um câncer que dilacera toda uma raça? Talvez sim, talvez não, mas, estaríamos nós preparados para isso?

Acho que, agora, eu entendo o significado da frase que diz “sem perder a ternura jamais”. Ela não é uma frase com intenção política, mas sim, humanitária. Não perder a ternura jamais seria um apelo para que não nos esquecêssemos de quem somos, e do que realmente precisamos para sermos completos. E, o que precisamos? Será que já pensamos a respeito de nossas necessidades mais prementes? Talvez fosse esse o momento para começarmos a nos preocupar em saber o que realmente necessitamos para termos qualidade de vida e sermos felizes. Acho que, ao final, descobriremos que precisamos de bem menos do que acumulamos durante a nossa vida toda.

Certa vez vi um arquivo formatado no PowerPoint, cujo nome não me recordo agora, mas que, em síntese, era mais ou menos assim: um homem, passeando por um vilarejo no México, depara-se com um senhor, deitado em uma rede, o sombreiro de lado, observando um belíssimo pôr de sol. E este lhe pergunta: como você sobrevive?

O homem lhe responde: mora naquela cabana, tenho o que preciso para viver, planto alguns vegetais para saborear e pesco quando estou com fome, por isso tenho meu barquinho.
O visitante lhe incita: você não tem vontade de pescar mais do que a sua necessidade para vender o que sobra?
E o camponês lhe pergunta: pra quê?
- Para comprar um barco maior
- Pra quê?
- Oras, para aumentar sua frota e comercializar peixes!
- Pra quê?
- Para criar sua empresa e quem sabe ser um milionário daqui há alguns anos e ter sua empresa de exportação de peixes.
- Pra quê?
- Para garantir que sua velhice seja tranquila, que você possa comprar uma cabana num paraíso e deitar-se na rede para ver o sol se pôr!
Então, o camponês mexicano olha para o forasteiro e lhe diz: - Você se refere ao que estou fazendo nesse exato momento?

Moral da história: precisamos de tanto assim para viver???

Pois é... eu queria poder ter todas as respostas, mas, já comecei pelas perguntas. Como não possuo o dom da verdade absoluta, e sou feliz por isso, me atrevo a começar expressando sobre o que penso e em maneiras de colocar em prática alguns conselhos para ser feliz, sem precisar pisotear quem vier pela frente para sentir-me plena e poderosa!

E, sinceramente, acho que uma das respostas está na frase que eu me levou a divagar sobre esse tema: não perder a ternura jamais!!

São Paulo/SP, março de 2006

-12-
Vim para amar
Varenka de Fátima Araújo

Indubitável noturno busco o amor
Mas sei que estou a deambular
Eu sei que o amor, será o começo
Nesta fenda que abre para o mundo

Se para vida é amor, sou amor
Viva só para o amor, quimera
Matizes de vermelho, rosas deslizam
Jorram ardentes chamas de viver

Sou um coração que pulsa com amor
Em rajadas lanço labaredas e sulcos de amor
Viemos para o amor, aprender amar, ser o amor
Mistério desvendado, vim para amar

Salvador/BA

-13-
Meu dia feliz
Varenka de Fátima Araújo

Fátima Não era um dia outonal
Não era um dia invernal
Não era um dia primaveral
Era um dia ensolarado de verão
A aurora timidamente desapareceu
Dei graças a Deus por este dia
Meu filho único adorado!
Depois de anos de angústia
Momentos de aflição e expectativa
Eis o dia desejado
Dia 05 de fevereiro de 2010
A felicidade torna-se presente
Diante da formatura de Vidmar
Tomei um banho de rejuvenescimento
Vesti o meu vestido vinho sedutor
Meu filho de terno impecável
Perante uma platéia repleta
Fez o juramento e recebe o diploma
Junto aos aplausos e abraços
Senti a vitória de uma mãe!

Salvador/BA

-14-
Amor
Vera Passos

O amor viaja além das estrelas, ela corações inóspitos
Fertiliza desertos, nômades, áridos, adormecidos...
Transpõe fronteiras do Himalaia, liga mundos desconhecidos
O amor é valsa interminável no espírito
Extingue preconceitos, anula distâncias incalculáveis
Percorre caminhos eternos, abraça almas antes desencontradas
O amor é translúcido, é transparente, é inoxidável
Materializa no aroma das rosas
Na inocência, no toque das mãos, no olhar...
Na espelhante luz dos astros, no inconfundível azul- mar
Como arco-íris pinta o espaço e transporta cores
O amor transforma a menina dos olhos, rejuvenesce
Traz inocência nos gestos, sensualidade no par
Voa espaço adentro nas asas dos jovens Ícaros
Ela inimigos na guerra, semeia paz na Terra
O amor sentimento divino nos faz irmãos
Conecta ao Criador, deslumbra na prece
Descarrila nas ondas sonoras na melodiosa canção.
O amor nos santifica, nos faz puros, nos faz levitar
Leva-nos ao Éden, ao paraíso, às nuvens, a mansuetude
Nos faz gente, de respeito, decente, capaz de amar

Salvador/BA



-15-
Amor, louco, amor
Vera Passos

Sonhei um amor menino
Amor amigo, amor divino
Amor sublime tão irreal
Uma fantasia, uma alegria, um ideal.
Não tinha nome, nem sobrenome
Amor bambino , amor franzino, angelical
Amor eterno, amor sereno, não é sexual
Amor pra sempre, imaterial
Ninguém é dono, ninguém agride
Ninguém governa, ninguém domina
Ninguém ensina, é autoral
Ninguém obriga a ser leal
Amor semente, não é carente
Não tem começo , não tem final
É sem cobrança que nem criança
É aliança, é confiança, é liberal
Amor fiel, é só um laço, é um abraço
Amor real, é tão banal, é casual
Amor de Deus, é especial
Amor de roça, amor campal
Gosto de fruta colhida fresca
Lá no quintal, é natural
Amor ternura, amor bucólico
Botou barriga é crucial, é pura intriga
É tanta briga pra curar o mau,
É juiz e padre, ou vai na raça o policial
Depois do acerto com o pai da moça
A festa come a noite inteira, no arraial.

Salvador/BA

-16-
O Amor Cotidiano de Nossa Vida
Sandro Nicodemo

São Paulo/SP

-17-
Seiva de Amor
Silvia Benedetti


Dentro de mim há seiva verdolenga
Amor desmesurado pelas flores,
Apego pelas selvas, pelos rios,
Por toda a natureza e suas cores...

Amo o cheiro do mato, quando a chuva,
Limpa o verde matizado das folhagens
E os pássaros cantando em tom festivo
Exibem o esplendor de suas plumagens.

Disseminado no meu sangue esta seiva,
A fervilhar sob o som das cachoeiras,
Marulhar cadenciado dos regatos..
Nas ondas que deslizam prazenteiras

Dentro de mim há seiva verdolenga,
Sedenta pelo bem da natureza,
Sofrendo a ver o homem destruindo,
O viço que há na Terra, sua beleza!

Porto Alegre/RS

-18-
Por amor
Vera Passos

Por amor eu mudaria meu Norte
Esvaziaria minhas gavetas, seguiria a rota do Sol
E leria a minha sorte
Descansaria num lindo arrebol
Por amor eu contaria as estrelas
Dormiria na praia deserta, atravessaria os Oceanos
Inverteria meus planos
Por amor passaria a noite vendo o tempo passar
Na madrugada não deixaria o galo cantar
Prá que ele não pudesse lhe acordar
Por amor eu guardaria todos os segredos
E jamais teria receio de mudar
Guardaria sem medo todos os beijos
Prá numa noite apenas poder me naufragar
Por amor inventaria uma estrada, um atalho...
Cavalgaria em disparada
E mesmo que as plantas se cobrissem de orvalho
E a temperatura ficasse abaixo de zero
Eu faria dos meus braços um agasalho
Eu desvendaria esse mistério
Por amor, e só por amor

Salvador/BA

-19-
Amor sem fim cabe em mim
Vanda Ferreira

Passarada,
sonhos benditos,
na alvorada de meus pensamentos;
Arco-íris,
cores, sabores,
no horizonte de guavirais;

Solicitude, água espargida
sol iluminando, noites poéticas;
Muitas árvores beijando o céu de nuvens azuis e tuiuiuis;
Chão de formigas,
serpentes,
outras vidas,
céu de cristais,
corações florais;
Amor sem fim cabe em mim.

Campo Grande/MS

-20-
Desejos Inconfessos...
Edvaldo Rosa

Coisa sem jeito... Essa de desejos inconfessos!
Vão se alojando em nosso peito,
Qual erva - daninha... Quanto mais se poda, mais aparece!
Como veneno de serpente,
Vai nos matando aos poucos,
Enquanto aos poucos nos entorpece!
Como não dizer que te desejo?
Como dizer-te que te quero?
Se foges de meus olhos, como um raio...
Furta-se de meus toques, como se sentisse asco!
Haveria outro em teu pensamento?
Fazendo morada do lado esquerdo de teu peito...
Como se o teu corpo inteiro, por outro agora vibrasse!
Como se tua boca, não fosse louca por meus beijos,
E não os desejasse!
Tira do peito as correntes, pesadas correntes, que aprisionam teus desejos,
Aproveita e lança fora a mordaça que lhe cala,
Sai do desconforto das penumbras solitárias...
Estou aqui, todo amor, puro desejo,
Loucamente á tua espera!

São Paulo/SP, 10/10/2011

-21-
Amor Cotidiano
Fernando Alberto Salinas Couto

A mídia enaltece a violência,
música de má qualidade,
política do mais baixo nível,
mas entre essa displicência,
ao amor, a nossa sociedade
ainda consegue ser sensível.

Esse tão nobre sentimento,
patente nas flores e animais,
jamais podemos ignorar
e, sendo arrastado, pelo vento,
às diferentes classes sociais,
leva pessoas e entidades a amar.

É o amor que acende centelhas
de paixões que geram vidas,
ou caridade que salva da morte.
Sentimento que leva as abelhas
ao pólen das flores escolhidas,
selando, de todas, a própria sorte.
Amor encontrado na professora
que, cedo, se conduz à escola,
para filhos de estranhos instruir.
É o amor manifestando-se, agora,
naquele que nunca nega esmola
ao indigente que venha lhe pedir.

Esse amor é prolífero, no cotidiano
de nossa vida, sempre atribulada
e acostumada a só ver corrupção,
pois na pequenez de ser humano,
toda nossa visão parece vedada
às atitudes de um bom coração.

São Paulo/SP, 04/06/12

-22-
O Amor no Nosso Cotidiano
Letícia da Rocha Silva

Sentimento que une e humaniza, o Amor em pleno século XXI, ainda é utópico, pois o egoísmo e as misérias morais sufocam esse sentimento que enobrece a alma. O Amor verdadeiro é esse “sol que reúne e condensa em seu ardente foco todas as aspirações e todas as revelações sobre humanas”. O Amor é o antídoto do ódio, ameniza as nossas angústias, aflições e dores. Quem ama não conhece as enfermidades do corpo e nem as mazelas da alma.

O Amor marcou presença nas ações e na vida de Jesus, no momento em que ele não condena a mulher adúltera, cura os leprosos, faz andar os paralíticos. Por sermos, ainda, irascíveis não sentimos a essência do amor, que pode se manifestar em diferentes faces: amor de mãe, de pai, de irmãos, de filhos, de marido, de mulher. No afago de uma mãe, vemos o amor a embalar no seio um filho de corpo alheio, na autoridade paternal, o amor assegura a confiança, entre irmãos, a fraternidade. Vemos o Eu te amo, muitas vezes, balbuciado pelos lábios entre os casais apaixonados fazendo bater o coração. E o Amor fraterno? Altruísta? Onde está? Na busca constante do amar o próximo, como a si mesmo? Onde está esse amor? Precisamos vivenciá-lo.

Diante de tanta poesia, vemos a música levar além das fronteiras o amor e a paz. “Não se pode amar a Deus sem amar o próximo, e não se pode amar o próximo sem amar a Deus.” Por isso é que em nosso cotidiano, o Amor ágape, fraterno deve se estender desde o amparo nas ruas, no consolo ao mendigo, atingindo o secar de lágrimas nas mansões, expresso nas ações fraternas, nas palavras dóceis, nos sentimentos de empatia, para atingirmos, assim, a consciência cósmica. Podemos oferecer aos animais, às plantas, às montanhas, à natureza, porque nos seus detalhes, há ali a presença de Deus, que é vida, que é amor. Amor incondicional vivenciado nas ações do filho Jesus.

Ame e seja feliz.

Guanambi/BA

-23-
Dilema de amor
Maria Fernanda Reis Esteves

Não encontro neste mundo
Nada além deste dilema
Da incerteza tamanha
De morrer com esta angústia
De não saber o futuro
Que te espera e me atormenta...

Enquanto choro escondida
Vertendo lágrimas de espera
Tu, meu filho, tão querido
És o tema mais sentido
A ode da minha pena

O teu sorriso que amo
Puro, na sua diferença
Deixo, assim, eternizado
Num coração esfrangalhado
No meu mais belo poema

Setúbal/Portugal

-24-
Não Esqueçamos
Valéria Lisita

No ventre...a semente, o amor
Somos frutos do bem Divino
Deus único...sua mão impor
Dos anjos...singelo hino

Pequena flor, os campos colore
Isto também é sinal de amor
O sol nasce sem que se implore
Amor de Deus...luz e calor

Se o irmão ao lado anda
Damos as mãos e nos aquecemos
Também é o amor que comanda
Para o próximo não esquecermos

Frescas águas do riacho desce
Mata a sede de plantas e animais
E se bicho-homem se esquece
Arco-íris lembra..."Deus vos amais"

O amor presente em tudo...
Não esqueçamos...é puro e profundo

Goiânia/GO

-25-
Quem é Você?
Esther Gonçalves

Que embala os meus sonhos de amor,
Me faz suspirar, fechar os olhos e sonhar,
Me embriaga com seus beijos e me faz
Sentir no peito todo o calor do amor ?

Quem é você que me seduz e me diz...
Que sou sua amada, seu conto de fada,
Sua menina, princesa, rainha encantada,
Sua musa, sua saudade e tudo condiz...

Com a beleza das suas palavras e faz...
Com que eu o ame cada vez mais e mais,
Muito mais do que o brilho do sol, da lua,

Das águas do mar, da Ilha do Amor e faz,
Com que eu siga contigo, e que jamais,
Deixa-me sozinha, no céu, no mar, na lua?

ao meu eterno namorado e esposo: Neto Castro.

São Luís/MA

-26-
Poema ao Amor...
Esther Gonçalves

O meu coração é um jardim recheado de amor,
Flores perfumadas, grama verdinha, passarinhos,
E borboletas a voar pelo céu azul, tanto carinho...
Eu trago o brilho do sol no olhar, sinto o calor...

Que explode feito luz em meu corpo de menina,
Contagiando a todos à minha volta, amo e amo,
Este amor que há em mim e por amor reclamo...
Fonte inesgotável de rara beleza, água cristalina;

Bendito amor que me faz feliz e traz a minha paz...
Está escrito em meu olhar, em cada palavra, ser,
Pequenos gestos, simples toques, um sussurrar,

Ao pé do ouvido, tal qual, doce melodia que faz,
Com que eu viva para amar muito mais e fazer...
Do presente, o momento certo, pronto para amar!

São Luís - MA

-27-
O que é Amar?
Esther Gonçalves

Amar é viver intensamente o momento presente,
Com responsabilidade, respeito, carinho, vida...
É saber o que está fazendo nesta vida colorida,
É cuidar da pessoa amada, de corpo, alma e mente.

É transbordar de emoção vivendo coisas do coração,
Amar é se dar por inteiro e deixar-se ser amado...
Com todas as forças e beleza do amor contemplado,
É acordar cedinho e ouvir a mais bonita canção...

Amar... Vai além das fronteiras, quebra barreiras,
Do tempo, do espaço, da distância, do passado...
É viver tudo no presente com o amor ao seu lado.

É compartilhar dia após dia, as alegrias e tristezas,
Poder andar de mãos dadas pelas ruas, abraçados,
Contemplar a noite e o dia, ser eternos namorados!

São Luís - MA

-28-
O Amor no Cotidiano de Nossa VIda
Deomídio Macêdo

Vinte quatro amores – Dia.
Amor dos amores amados.
Silencia o meu ser para que eu possa compreender você no âmago da alma.
Vestir amor veste!
Pensar amor pense!
Deslumbrar o amor deslumbre!
Vivenciar! Vivenciar! sempre...! sempre...!
Sempre...! sempre...!
Cotidianamente vinte e quatro amores – Dia.

Salvador/BA

-29-
O Amor
Flor de Esperança (Maria Beatriz Silva)

É preciso amar:
Deixar brotar a semente do amor no coração
Permitir que o vento leve-a para cada irmão
Pois assim a semente multiplicará
O coração será um infinito amor
E só de amor viverá

Viva com amor e para o amor
Olhe com os olhos do amor
Amor universal
Manifestação absoluta de Deus
Que ele nos presenteou
Para ser multiplicado
Incessantemente pelo nosso semelhante

Entre na “corrente da vida”
Ame com amor e por amor
Ame a todos, ame a vida, ame a natureza
Com toda sua beleza e cor

Seja capaz de demonstrar
O amor universal explicito
A todos que te cercam
A qualquer hora, lugar e circunstância
Pois assim sentirá a presença de Deus
Em cada demonstração de amor
De alegria, de felicidade, de vitória…

Reflita: Em cada amanhecer
Cultiva a caridade, a fraternidade, o perdão
Ama o próximo sem pensar em recompensa e distinção
Aceita as pessoas como elas são
Pois assim estará pronta para sentir
A força do amor no coração

É hora de acordar para a realidade de amar
Seja um ser humano completo
Encontre a luz interior
E viva uma vida de real amor

É hora de ser feliz
Segurar a mão do irmão
Voar pelo infinito
Encontrar o encanto de viver
Amar o nascer do sol
Adormecer sobre a luz do luar
Sonhar que a vida é um mar a estrelar
E comece a brilhar no infinito gesto de amar
Luz e amor no coração!

Laje do Muriaé/RJ

-30-
Ao Amor
Roseleide Santana de Farias

Já tão tarde... É noite ainda
E eu te aguardo...
No aguardado dos caminhos
Que se esvaem no tempo

A tua presença no meu “eu” constante
Me inquieta e me absorve,
Angustia, queima e me fascina,
Nesta ansiedade louca

Este amor tão grande
Deixa a minha alma ardente
Amorosa, alegre, iluminada,
Temerosa, fria, ao prever a dor

Ah... O amor
Luz de arco-íris e nuvens sombrias
Laços eternos e etéreos
Que nos prendem, envolvem, liberam
Nos encontros e desencontros da vida

Ah... O amor
Ânsias de almas que buscam
Algo mais no sobreviver latente
Em um mundo hostil, banal,
Violento, perigoso e venal

Ah... O amor
Eros, Filos, Ágape
Símbolos de incêndio na alma
Luxúria, poder, ambição, paixão
Calor, doçura, luz, ternura
Doção, partilha, gratidão
Misericórdia e perdão

Ah... O Amor e o Bem
Felicidades, paixões e dor
Têm reflexos, cores do arco-íris
No entrelaçar dos sentimentos,
Posturas, atos em caminhos floridos,
Pedregosos, distorcidos e sofridos
Através dos valores múltiplos
Guiados nas veredas das emoções

Cabedelo/PB

-31-
A pessoa certa...
Alice Luconi Nassif

Aquela pessoa que a encara
Bem nos seus olhos sorrindo
Encantada e hipnotizada
Diz que a ama demais
Gosta de como você é
Não precisa mudar nada

Seu pensar seu falar
Seu caminhar e seu gestual
Tudo em você ela adora
E faz você se sentir
Tão especial...

Se você (re) conhecer este ser
Não resista em se render
Ele deseja o seu querer

Não deixe este amor escapar
Porque é muito raro ocorrer
Neste mundo complicado
Um coração amoroso bater

E a pessoa certa aparecer...

Rio de Janeiro/RJ

-32-
Amor a Eterna Poesia da Nossa Vida!
Joyce Lima Krischke

Amor é vida!
O amor existe
Manifesta-se...

Amor pensado
Amor falado
Amor silenciado
Amor escrito
Amor vivido

Amor fraternidade
Amor generosidade
Amor poesia
Amor harmonia
Amor canção
Amor doação
Amor animal
Amor ideal
Amor aceitação
Amor perdão
...
Portanto:

Manifestemos o Amor
Cultivemos o Amor...
Flores, matas, pássaros
Mares, rios, nuvens,
Crianças...
São manifestações do Amor.

Façamos do Amor
A eterna poesia da nossa Vida!
Vivamos o amor...
No cotidiano da nossa Vida,
Para o alcance da Paz e do Bem!

Balneário Camboriú/SC 09/06/2012- 12h10min

-33-
Namoro
Letra e Música: Antonio Carlos Zíngaro



Nosso namoro é uma alegria
Não gostamos de bronca
Em nós o sol clareia agora
Porque o dia avança

Em sonhos eu sinto a sua mão
Namorada venha, vamos passear, vamos passear
O beijo que me deu, não posso esquecer
O telefone toca mais não é você

Meu pensamento é um só
Quero ficar contigo
Esta realidade não pode acabar
A sorte continua a nos procurar

A vida hoje é muito mais feliz
Quem nos uniu foi Deus
Ninguém vai separar
Meu coração e o teu agora é um só

Esta canção meu bem foi feita pra você
Que está comigo e sabe muito bem porque
Nosso amor é lindo vamos comemorar
Amor meu grande amor...Eu amo só você

Porto Alegre/RS

-34-
O Amor de todo Dia...
Rosana Carneiro

Felicidade que invade o peito
Que retira dor, mágoa e defeito
Ensolara a alma ainda pequena
Ganha força, cor e fica serena
Sorri contente, abre os braços
Abraça o mundo, ganha espaço
Torna-se imensa, sente-se plena
E sorri sem nenhum problema...
O amor cura feridas
Faz olhos cegos, enxergarem
Corpo paralisado, andar
Faz coração gelado, derreter
Faz o sol esquentar o peito
E faz chover estrelas
No céu da boca do amanhecer...

São Paulo/SP

-35-
O Amor
Fátima Peixoto

É posse?
É ser dono de um ser?
É fazer sofrer sem deixar viver?
Isso não é amor...
É só ilusão de uma grande paixão
Amor não sufoca
Não magoa o coração
Amor é suave como brisa de verão
Amor é sentir carinho
É gostar de ficar juntinho
É respeitar o jeitinho
Adivinhar os sonhos
Compartilhar desafios
É amar e ser amado
Sem ligar pra vida,
O amor pode transformar
Não há ninguém perfeito
Mas amando pode ser.

Cabedelo/PB

-36-
O Amor no Cotidiano de nossas Vidas
Isabell Sanches

Dentre o corre-corre diário, por ora deixamos às vezes de falarmos o que precisamos e o que sentimos “depois” ou de realizar algo no “depois” e assim o amor vai se transformando cada vez mais em algo sem importância, aos poucos para muitos ele vai se tornando consórcio, negócio...
Quando na verdade
O amor é um ato tão lindo, tão profundo que deveria ser visto com mais respeito e caráter, mas, infelizmente pela falta de diálogo ele acaba sendo confundido e até mesmo destruído também pelo modernismo; os casais vem cada vez mais perdendo o romantismo, e em toda as suas espécies resumindo:
O amor está ficando extinto.

Cachoeiro do Itapemirim/ES

-37-
Das horas que passam
Odilon Machado de Lourenço

Como reter esse tempo que passo contigo além da memória
De olhar suas mãos lavando uma fruta mastigada em sorrisos
De ver suas pernas torneadas de fogo caminhando a meu lado
E arrancar de seus dentes a luz da manhã para por em minha boca
Como esquecer os minutos que faltam ao chegar seus abraços
E depois abraçados render-se ao amor entranhado na alma.

Florianópolis/SC, 07-06-2012.

-38-
Colóquio Amoroso
Rosana Paulo

Lhes apresento o meu amor
Sem o qual não posso viver
Que me completa
Na quantidade certa:
Me preenche sem me encher
Oh! E como é imperfeito
O meu amorzinho
Nada tem de idealizado
Eu conheço os seus pecados
Do presente e do passado
Mergulho nas suas dúvidas
Bem fundo, mas não afundo
Encontro é a liberdade
E posso amar o mundo
Sem me prender a "verdade"
Meu amor tem
Corpo quente
Mente crepitante
Coração ardente
Emoções que fervilham
Como os caldeirões do inferno
Nada nos separa
Isso é que é amor eterno
Essa fêmea
Não precisa
De alma gêmea
Muito menos de conselho
É uma pena, que eu só possa
Ver seus olhos
No reflexo do espelho...

Salvador/BA

-39-
Ele tem Magnitude Universal...
Eloísa Antunes Maciel

Ele se fez presente no coração humano desde os primórdios da Humanidade, embora os humanos das cavernas não soubessem expressá-lo de forma adequada, pois seus
impulsos primitivos prevaleciam em suas manifestações.

Fez-se presente ao longo da História da Humanidade, inclusive (ou principalmente) em tempos conturbados, em que a dor, as atrocidades, as mais violentas catástrofes, além de cruentas guerras assolaram o planeta – sendo que, de alguma forma, esses confrontos ainda persistem... E, precisamente nesses tempos conturbados, ELE se fez consolo e acolhimento, amparo e letivo, incentivo à esperança de paz, além dos lares e das fronteiras...

E, desde sempre, estimulou ações e iniciativas destinadas a acolher, curar, confortar e confortar aflitos, desdobrando-se em sentimentos cujas denominações tendem a atingir um sem-número de designações, entre as quais a solidariedade e a fraternidade (e suas sub-denominações) se alinham como sentimentos de amplidão universal, motivando leigos e religiosos, crentes e ateus, a testemunhá-lo através de atos de benemerência ou da verdadeira caridade; fluiu continuamente do coração de pais e mães abnegadas, mulheres caridosas, jovens apaixonados, de casais que se amam verdadeiramente...

Inspirou (e inspira) poetas e cantores, músicos e outros artistas, em produções que o enaltecem e tendem a manter “viva” a sua presença em meio ao ceticismo e a desesperança de muitos descrentes... Sua versão denominada Saudade o rememora após o passamento de entes queridos, e assim reafirma a sua perenidade para todo o sempre.

Enfim, parafraseando um autor cujo nome não lembro:

ELE se faz presente na esperança do jovem que sonha e na lembrança do velho que recorda... E a mola – mestra que move o Universo...

Seu nome é universal... Ele se chama AMOR – sentimento que, sob diferenciadas manifestações, faz-se presente no cotidiano da Humanidade, embora sua presença nem sempre seja percebida à altura de sua excelsa magnitude!

São Martinho da Serra/RS

-40-
Feliz Dia dos Namorados
Diná Fernandes

Namorar é como andar em estrada florida
colhendo pequeninas rosas,
que nascem entre as pedras.
Você passa, e lá estão elas,
miudinhas como crianças,
alegrando a natureza,
colorindo a vida,
cheinhas de esperança...
Deixando um arco Iris
no canto do olho.

Cabedelo/PB

-41-
O que o tempo não consegue apagar
Diná Fernandes

O tempo soma as horas e os dias,
O que não foi importante
Dissolve-se no ar, espontaneamente...
Mas, o que marcou de verdade.
Permanece. Não há decepção,
Que esmoreça um sentimento verdadeiro.
Um amor imenso...
O coração que ama não embrutece.
Não esquece...
Embora, com um misto de tristeza.

Cabedelo/PB

-42-
Amor Cotidiano...
Daniel Brasil

Em cada dia que nasce
Recebo do Pai Soberano
O amor da natureza
Este é COTIDIANO...

Amor palavra universal
Uma das grandes credenciais
Ame o semelhante
Igualmente os animais...

Porto Alegre/RS

-43-
A palavra Amor
Roberto Bordin

Amor tem quatro letras
paixão, quantas tem?
seis mais um sinal
desejo também tem seis
amor, paixão, desejo
três palavras
três significados
mas as três querem
dizer uma coisa só:
o sentimento que tenho
guardado dentro de mim
espalhado por todos os cantos
cada cantinho, cada pedacinho
de meu ser tem um pouquinho
de amor, de paixão e de desejo
prontos para aflorarem
e se entregarem de bandeja
à aquela que chamo de amada: LIANA.

Gramado/RS

-44-
Coisas Gostosas e Quotidianas
Sônia Rêgo

Coisas gostosas de serem vividas...
Nos seus braços adormeço,
de mãos dadas, conversamos
na cama; aí você me ama...

Café com leite, beijos de bom dia,
assim começa nossa lida;
coisas gostosas de serem vividas.
Todas nos são preferidas...

Você sentado diante do computador.
Eu ao seu lado a escrever...
Cada um com seu afazer,
mas tem sempre uma troca de olhar.

Estas cenas que, agora, explano
são o amor no nosso quotidiano.

São Paulo/SP, 13/06/12

-45-
Quando a Velhice Chegar
EstherRogessi

Deito a espera do que não vem – o sono.
Recebo uma visita inesperada... entrego-me a ela.
Lembranças e pensamentos ganham voz, penso falando alto: amanhã irei jogar futebol, defenderei o time da firma. Ah! Como eu gostaria que não houvesse jogo... Um time de gordos, pesadões, cujo único interesse é a feijoada após a partida. Não se importam em ganhar ou perder, só em comer. Se ao menos houvesse o incentivo de a feijoada ser o prêmio proposto ao time vencedor... Haveria uma esperança!

Inquieto... levanto-me, desço e vou até a copa. Tomo água, ouço uma tosse insistente que vem do quarto ao lado do meu escritório. São os meus pais que estão morando conosco – a casa deles se encontra em reforma. São bastante idosos, para suportar os desgastes de uma construção. Vou até eles... Abro a porta de mansinho. Vejo-os agarrados um ao outro. Tão velhinhos. O tempo deformou suas feições. Um dia – lembro bem – foram tão belos! Como minha mãe era formosa: cabelos negros e viçosos. Vasta cabeleira lhe emoldurava o rosto; corpo esguio, cintura fina – quando pequeno, a acompanhava as compras, os homens a olhava... Eu ficava muito enciumado. A sua voz era daquelas que, procuro, hoje, e não encontro: doce, cheia de ternura – voz de criança – transmitia paz. O meu desejo era de ficar coladinho a ela... Meu pai - homem forte - gostava de correr, de se exercitar. Alto, moreno; louco de amor por minha mãe. Nunca os ouvi discutir. Estavam sempre juntos. Nós, os seus cinco filhos, sempre fomos unidos – mesmo brigando – hoje, os meus irmãos estão distantes, muito distantes... Só eu, moro próximo aos meus pais.

Em silêncio olhando para eles, vejo que o tempo desgastou seus corpos, suas feições, mas o amor que sempre os uniu permanece. Ficou mais forte. Penso: quando chegar a minha hora; quando o viço do meu corpo acabar; quando quem coloquei nos meus braços, precisar me amparar; quando meus cabelos se fizerem ralos e minhas pernas seguir um passo arrastado; minha voz emudecer, e os meus olhos turvarem e, a beleza da vida eu não mais poder ver.

Que pena!
Todas as experiências adquiridas ao longo dos anos, serão só minhas, aos jovens restará viver as suas próprias.

Puxei o lençol sobre eles, devagar. Beijei-os na testa. Quantas vezes fizeram isso por mim, durante a vida...? Era a minha primeira vez!

Voltei ao quarto, a visita indesejada que me acompanhou de início, foi embora. Amanheci melhor e amando mais os pesadões do time de futebol. Enfim,é preciso amar no cotidiano.

Recife/PE

-46-
Amor e Cotidiano
Marina Martinez

Confesso: para falar sobre o tema não encontro palavras. Acredito que tudo –ou quase tudo- já foi dito sobre o amor. Tenho apenas a visão de uma ampla teia, elos vivos, movimentos contínuos, permeados por algo não palpável, apenas sentido. A teia, nossas biografias, o cotidiano, vivências variadas; os elos, sempre em movimento, colam-se por essa vibração invisível, sentida nos mínimos gestos, não importando de quem para quem, a que horas, em que tempo. Amor e cotidiano, para mim, são amarrações indivisíveis que envolvem todas as peças de um jogo chamado vida.

Porto Alegre/RS

-47-
Amor que Vale
Paulo André Moraes
(PAMPOETA)

Amor que vale... entregue ao criador...
Cuidar dos velhos, crianças, jovens e flor...
Cuidar para que o dia seguinte seja belo...
Abraços de paz do sol amarelo...
Amor que vale... entregue ao criador...
Ser fiel no amor e companheiro na dor...
Ser esperança feito sorriso de criança...
Abrandar as águas, calar as mágoas...
Amor que vale... entregue ao criador...
Vento manso na janela e paz de sentinela...
Pássaro que canta, sensível ao coração encanta...
De mãos dadas forças redobradas...
Amor que vale... entregue ao criador...
Agradecer a vida ao nosso senhor...
O céu e o mar e toda a cor...
Olhos pra Deus e todo louvor...

Campinas/SP

-48-
Declaração de Amor
Paulo Rodrigues

Linda mulher, razão da minha felicidade!

Depois de tanto quebrar a cara
em relacionamentos frustrados
eu achava que o amor não era para mim,
que o amor só era verdadeiro em contos de fadas.

Mas um dia, do nada,
eu conheci você.
E conforme fomos nos conhecendo
fui ficando
cada dia mais encantado
por você.

Hoje eu não tenho mais nenhuma dúvida
eu estou apaixonado por você.

Não sei até onde tudo isso chegará,
mas eu estou cada dia mais feliz,
minha vida está cheia de Vida.

Eu Não vou te iludir com belas palavras
Nem com promessas infundáveis.
Mas prometo te tratar com respeito,
Carinho,
Dar toda atenção que for possível,
Cuidar bem de você na maneira do possível,
Demonstrando meus sentimentos
nas pequenas coisas,
e nos gestos diários.
Mas também,
vou dar uns puxões de orelha quando necessário.

Pode ter a certeza
que eu vou fazer o possível
para que todos
os seus dias sejam bem aproveitados
e que você se sinta a mulher mais feliz do mundo.

Sorocaba/SP



-49-
Amor ou Paixão
Paulo Rodrigues

Quando falamos de amor e paixão
muitos confundem esses sentimentos
pensando serem as mesmas coisas.
Mas não há semelhança entre eles.

O AMOR é totalmente oposto à PAIXÃO
Ele é como um grão
que lançado na terra,
com o tempo
cresce e se torna muito grande.

Quando se tem um amor verdadeiro
colocado por Deus
conforme o tempo vai passando
o Espírito Santo não permite
que o relacionamento caia na rotina
e se acabe.

Pelo contrário, aquele amor
que inicialmente
era tão pequeno e frágil
vai ao pouco crescendo
e amadurecendo
e se torna um grande amor.

O amor ver os defeitos,
mas tudo supera,
tudo suporta.

Muitos dizem que o amor é cego,
mas se enganam:
Não é o amor.
É certamente a PAIXÃO.
Que é um sentimento
que vem como o fogo.
As pessoas se comovem
admirando apenas a beleza física.
Ficam totalmente cegas!
Não conseguem enxergar
e cometem muitos erros
ao se entregar ao desejo da paixão.

Movidas por uma grande paixão
elas esquecem de tudo
e vão viver uma aventura.
Mas quando o fogo acaba
os defeitos aparecem
e tudo termina em dor
e decepção.

Sorocaba/SP

-50-
O Amor no Cotidiano da Vida
Carlos Reinaldo de Souza

O que é vida? pergunta inocente
uma criança, bem no alvorecer
de uma existência ainda incipiente
e, sem resposta, espera o entardecer.

O que é vida? pergunta ansioso,
o adolescente no verdor dos anos,
de combater as tramas temeroso
e, sem resposta, elabora seus planos.

O que é vida? pergunta perplexo,
entre pelejas e duros embates,
o homem maduro, no mundo complexo.

O que é vida? o idoso responde,
face marcada por muitos combates:
- Vida é o amor, que na alma se esconde!

Conselheiro Lafaiete/MG

-51-
Não é Você
Estela Frutos Braud

Ao lhe encontrar
Pensei amar
Não é você, não é você...
Tive esperança
Que não alcança
Não é você, não é você...
Prossigo a andança
E não minto
Não é você, não é você...
O amor não espera
Deixou passar
Não é você, não é você...
Foi passageira
Senti esfriar
Não é você, não é você...
Espero o momento
Vou-me embora
Não é você, não é você...
Eu sinto muito
Já estou fora
Não é você, não é você...

Balneário Camboriú/SC

-52-
Cotidiano de Amor
Akasha De Lioncourt

Acordar todos os dias e ter muito amor para distribuir o tempo todo. Amor em forma de sorriso, amor em forma de repreensão, amor em forma de educação, amor em forma de amor. Se cada atitude que tomarmos no nosso dia a dia for baseada em amor, estamos no caminho correto. Até os religiosos sabem que sem amor nós nada seríamos.

O que está acontecendo com a humanidade nos dias de hoje é que estamos cultivando o desamor constantemente. Valores estão sendo invertidos de maneira que nos afastamos do que realmente interessa e nos esquecemos do quanto precisamos amar para viver.

O primeiro amor que aprendemos (ou deveríamos aprender) é o amor-próprio. Esse amor por nós mesmos nos coloca numa posição privilegiada de sabermos que tipo de sentimento devemos direcionar para nossas ações e pensamentos para que possamos recebê-lo de volta.

Somos o que pensamos, agimos como pensamos e refletimos nas pessoas nossas ações e pensamentos. Não podemos mudar o mundo mas podemos começar a mudá-lo através de nós mesmos. Cada atitude que indique nossas mudanças reflete-se em quem está à nossa volta. É por isso que nosso cotidiano deve ser repleto de amor, para que não tenhamos que ver tanta tristeza, crueldade e falta de amor todos os dias.

Ainda que muitos de nós não acreditemos em Deus como o Criador de todas as coisas que conhecemos, ainda que tentemos explicar todas as coisas com pura lógica e empiricamente, há uma lei da física descoberta há muito tempo chamada ação e reação. Se a cada ação corresponde uma reação de igual intensidade, que ela seja repleta de amor porque aí teremos amor em dobro.

Acho que está faltando amor... e como dizia Victor Hugo em seu controverso “Desejo”... é preciso sempre que haja amor para recomeçar, seja de onde for.

São Paulo/SP – uma tarde fria de junho de 2012.

-53-
Mãe (Eugenia)
Eduardo Torto Meneghelli

Sonhar nos permite
fugir da realidade,
entrar numa real,
nada nos impede de sonhar.
Sou um sonhador
e uso ao máximo
a criatividade cerebral;
meus miolos fervem
de tanto eu meditar,
tentando encontrar
uma maneira de fazer
você entrar,
em meus
sonhos e vivê-los...
Para você perceber
o quanto a vida,
o mundo, as coisas,
são maravilhosas;
aproveitando
todos os instantes
que são favoráveis para:
criar, imaginar,
sonhar, fantasiar,
e saber transformá-los
em longas ilusões
extraordinárias.
Sonhar não é motivo
para você chorar,
não desperdice
suas lágrimas,
um dom tão puro,
com quem não as merece.
Você é uma pessoa forte,
e seu espírito
tem a chance de sofrer,
nesta existência aqui,
sobre a planície terrestre.
Não deixe os homens
influenciarem sua vida.
Eles não sabem imaginar,
nem sonhar ou fantasiar,
não sabem encarar
um fracasso,
como se fosse um sonho
impossível de realizar.
Não deixe eles entrarem
em sua espiritualidade,
que é sorrir, rir, sorrir...
Eu quero que você
aprenda a viver,
como me ensinou,
ignorando as dificuldades.
O que passo na Terra
tento ver como um sonho,
o medo, minhas dúvidas
são como sonhos inacabados.
Minhas contrariedades
e meus conflitos
são sonhos que esqueço,
logo após que acordo.
Minhas vitórias
e minha coragem
são sonhos cheios
de boas e fortes emoções.
Meu sorriso é um sonho
com muitas conquistas realizadas,
tudo que sou hoje
agradeço-lhe amanhã.
Obrigado por eu ser
um grande sonhador.
Viver ao seu lado
é um sonho... Mãe,
muito real e gostoso demais...
O real da realidade,
é que eu A ADORO, ADORO...

Livro: BORBULHOS MENTAIS - CONSULTA Dr. CÉREBRO.

Balneário Camboriú/SC


-54-
Amor
Eduardo Torto Meneghelli

Ele não está
sempre presente
ou vivo.
Ele não nasce,
aparece no acaso
quando duas pessoas
se encontram,
com ajuda
do destino.
Aí então,
ele é criado
e cultivado,
como um jardineiro
cuida com
o máximo carinho
e muita atenção
de uma plantinha...
Mas o "Amor,"
não tem o vigor,
o cheiro das flores.
Não tem cores,
não tem pétalas,
não possui
o caule verde
para inspirar
esperanças.
Mas... Há braços
a se acariciarem,
lábios a se tocarem,
mentes a pensar,
como adubar
este sentimento;
"o Amor."
Para nunca morrer
e não achar a porta
de fuga, escondida
entre os labirintos
que existem dentro
de cada ser humano!

Livro: BORBULHOS MENTAIS - CONSULTA Dr. CÉREBRO.

Balneário Camboriú/SC

-55-
Morrer de Amor?
J.J. Oliveira Gonçalves

Como será morrer-se, assim, de Amor
Se esse Amor ao próprio Amor se basta?
Se sendo Essência - em si - já se compraz
E qual Gema Preciosa não se gasta?

Mas nada sei de Amor... Só teoria
E ela descreve Afeto e igual Tormento!
É *Tábua de Esmeralda... É Enigma
Tão puro quão confuso Sentimento!

Não se morre de Amor disse o **Poeta
Romântico, indianista - consagrado
Embora o coração (de Amor!) quebrado!

Nas coisas do Amor sou reticente...
Pois aprendi que Amar magoa a gente
Se à Alma faz feliz... a traz inquieta!

Amor é, simplesmente, Amor... (Ou não?)
Morrer por ele: amargo-doce... (Em vão?)

Porto Alegre/RS

*Referência Místico/Alquímica a Hermes Trismegisto
**Referência ao Poeta maranhense Antônio Gonçalves Dias

-56-
Amo
Pinho Sannasc

Amo...
Teu sorriso
Teu olhar
Teu improviso
Teu falar
Amo tudo isso
Só por amar
Amo e preciso
Bramir e gritar
Que já sou feliz
Apenas por te amar

Salvador/BA

-57-
Caminhos do Amor
Joyce Lima Krischke

Balneário Camboriú/SC

 





SELO DE PARTICIPAÇÃO












|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||





Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Foto da gatinha por Rosângela Coelho, demais imagens retiradas da internet
Caso você seja o autor da foto ou sabe quem é o autor, nos comunique para
darmos os devidos créditos ou retirar do site.
Todos os direitos reservados