AGRADECIMENTOS/ENCERRAMENTO

Rosas, Simplesmente...
J.J. Oliveira Gonçalves


Pois, o Outono é a Estação que sempre ganhou de mim um olhar especial sobre seu corpo sazonal, nostálgico. E o Inverno veio assim como completar meu Encantamento de homem-comum e de poeta. E Abril - desde que me lembro - me fascinou com suas nuanças outonais, suas calmarias, suas flores, seus amores... Creio, mesmo, com a gostosa e lírica sonoridade do próprio nome: Abril... Quem sabe, com a beleza, a textura e a fragrância das "rosas de abril"... Influência, quem sabe, dos românticos roseirais... Quem sabe, ainda, "Das Rosas" do gutural e melodioso Caymmi... Quem sabe...

Lá, em Bagé, por exemplo, onde vivi a fase mais bela de minha vida - a adolescência - ficaram fragmentos de mim, de minha Família, da namoradinha, dos tantos e bucólicos "abriles" que guardei, carinhosa e inesquecivelmente, nos escaninhos d'Alma, nos doces e ternos "recuerdos" do coração... (Esses "abriles" são romântica reminiscência do saudoso "Percal", na voz inconfundível e metálica "del bigode cantante" - Bienvenido Granda... Que me conquistou a Alma e me romanceou a adolescência, (cheirando à Primavera), com seu bucólico e fragrante "Perfume de Gardênia" - em especial.)

Abril, enfim, é um mês especial. Já veio, sei, predestinado. Assim, há quase 5 anos, esse mês de poética Beleza Outonal, sonoro e claro, vem nos lembrar que Abril - em seu nono dia - ofereceu sua Outonal Luminosidade para o nascimento da "Confraria Artistas e Poetas pela Paz/CAPPAZ."
Nesta Ciranda, onde o tema são as rosas, achei de bom alvitre e de lídima lembrança, juntar as rosas à CAPPAZ. Ou, dizendo de outra fora, jogar aveludadas, coloridas e perfumadas pétalas de rosas sobre a CAPPAZ, derramá-las em seu Caminho... Um Caminho de quase 5 anos e que nunca, nunca, foi fácil... O que prova que a Jornada - neste Planeta Azul - nunca será um "Mar de Rosas"... Ah, "a Vida é um Mar de Rosas"... Desvairada Utopia de Sonhadores e Poetas...
Pois bem, já que não podemos navegar num "Mar de Rosas" - e já que "navegar é preciso" - segundo alguns - façamos das rosas a Grande Metáfora dos Sonhos, das Ilusões, da Beleza, da Paz e do Bem franciscano... A Metáfora da Alegria e , igualmente, da Dor... A Metáfora, mesmo, da Resignação e do Amor Incondicional que deve perfumar, acalmar, pastorear e fortalecer o Espírito...
Muito já escrevi sobre as rosas. Criança, ainda, as conheci no belo e imenso jardim de minha avó materna - lá, em Bagé - minha Terra Natal. E é daqueles tempos ledos e generosos este meu convívio com essas mulheres que, apesar de sua abundante diversidade, são todas chamadas de "Rosas"... E foi lá que o coração de um curumim foi semeado de flores, de rosas, de perfumes, de cores, de frutos, de passarinhos...
Em meu pequenino e aleatório jardim, inspirado em minha pequena e nívea "Branquinha" - uma gatinha que a Alma me inspirou e, pouco tempo depois, passou para o "Outro Lado da Vida" - entre as tantas flores, belas e delicadas, está a rosa... Ou, melhor: estão muitas rosas... Versáteis em suas cores, em seus tons... Todavia, parece-me que em todas aspiro a mesma fragrância... sinto a mesma prazerosa e cálida textura... O mesmo toque apaixonado do Amor...
Aqui, vou colocando um ponto para fechar meu texto. Tendo esta compulsão por escrever - embora hoje eu esteja visivelmente melancólico - posso me alongar demais. Então, meu convite a que continuemos a falar de rosas, a escrever sobre elas, a tentar descrevê-las... Tantas que são... Cândidas que são... Mulheres que são... as Rosas... Simplesmente...

Porto Alegre, 28 de março/2013. 17h47min






INTRODUÇÃO

A Introdução da 51ª Ciranda Mensal CAPPAZ é uma homenagem que prestamos aos confrades: co-fundadores e Decanos da CAPPAZ- Lourival Leite Villas-Bôas/RS e Leon Lambert/FR. No próximo dia 17 de agosto, Lourival completará 90 anos de idade.
O poema que introduz nossa 51ª Ciranda Mensal – Rosa - está editado na Antologia CAPPAZ- Interfaces de Amor e Paz-Volume 3- 2013- página 95.
Registramos, também, que a arte desta Ciranda foi criada com as fotografias feitas pelo confrade Decano da CAPPAZ- Leon Lambert/FR. Leon aderiu a CAPPAZ logo após a sua fundação, podendo ser considerado co-fundador.
Nosso caríssimo Léon está internado numa clinica na França e não mais poderá fotografar as belas rosas que hoje enfeitam nossa 51ª Ciranda Mensal.
Sigamos nossos Decanos pelos caminhos da poesia e suas imagens, aspirando o perfume de rosas. Relembrando que : “Todos os seres são iguais, pela sua origem,seus direitos naturais e divinos e seu objetivo final.” (Francisco de Assis).

Chuvas de pétalas de rosas caiam sobre nossos caminhos de Paz e Bem...

Balneário Camboriú, 19 de março de 2013.
Joyce Lima Krischke-Presidente-Fundadora - CAPPAZ

Rosa

Poetas dizem que a rosa
É a rainha das flores
Perfumada e formosa
Inspiradora de amores.

Muitas outras flores
Não podem ser esquecidas
Também inspiram amores
Ao longo de nossas vidas.

Beleza, perfumes, lembranças,
Inspiram-nos outras flores
Sabemos, desde crianças,
Que todas inspiram amores.

Companheiras desde o início da vida...
Até após nossa partida!

Lourival Leite Villas-Bôas
Porto Alegre-RS




PARTICIPANTES

Akasha De Lioncourt (36)
Antonio Carlos de Paula (45)
Audelina Macieira (51)
Carlos Reinaldo de Souza (47)
Celeste Farias Dias (49)
Daniel Brasil (13)
Eliene Dantas de Miranda (35)
Eloísa Antunes Maciel (17)
Elzio luz Leal (34)
Esther Gonçalves (14, 15 e 16)
Estherrogessi (27)
Fátima Peixoto (42)
Fernando Alberto Salinas Couto(18)
Fernando Macedo (38 e 39)
Haydée S. Hostin Lima(11)
Humberto Rodrigues Neto (37 e 52)
João José Oliveira Gonçalves (07)
Joyce Lima Krischke (04 e 53)
Judite Krischke Sebastiany (21)
Lourdes Ramos (40)
Luiz Menezes de Miranda (26)
Malú Ferreira (31 e 32)
Marcelo de Oliveira Souza (09)
Marco A. Amado (42 e 44)
Maria de Lourdes Maia Gonçalves(10)
Maria Fernanda Reis Esteves (25)
Matina Martinez (48)
Odilon Machado de Lourenço (29)
Paola Rhoden (19)
Paulo Rodrigues (50)
Renata Rimet (01)
Rosana Carneiro Bado (41)
Rosângela da Silveira Coelho (06)
Roseleide Santana de Farias (02)
Sérgio, Beija-Flor Poeta (20)
Sidney Santos (05 e 24)
Sílvia Araújo Motta (08 e 12)
Sílvia Silva Benedetti (03)
Sônia Maria de Araújo Rêgo (22)
Tânia Maria de Souza (28)
Valéria Lisita (33)
Vanda Ferreira (46)
Vera Lúcia Passos Souza (30)
Weber Müller (23)





PARTICIPAÇÕES

-01-
Citando Flores
Renata Rimet

Rosa flor
Botão ainda menina
Enfeitiça, adorna e gera cobiça...
Rosa menina
Formosa
Seu perfume aflora
Olhares lhe podam sorrisos
Outros a tornam mulher...
Rosa que enfim desabrocha
Transforma em jardim sua porta
Fortalece os ramos
Que brotam em sorrisos
Meninos e meninas
Flores do campo
Protegidos pela Rosa
Que não perde seu encanto
Doa-se
Agora adorna o leito
Em que descansa feliz
Nasceu como um botão
Floresceu
Ofereceu o seu perfume
Cortou seus espinhos
Em sua defesa, apenas sorriu...

Salvador/BA



-02-
As Rosas
Roseleide Santana de Farias
As rosas exalam perfumes, beleza, estimulam ao amor
Seus espinhos, defesas, proezas, defendem-se da dor.

Rosa, dizem ter em meu nome, assim fico feliz, vaidosa
Orvalho da madrugada me banha, eu fico tão poderosa
Sereno da noite entorpece, fecho as pétalas, adormeço
Acordo, sinto o cheiro, maresia, tu ó mar, me encantas
Sinto a carícia da brisa, meu corpo em ardentes chamas

CAPPAZ - Março/2013

Cabedelo/PB



-03-
As Rosas
Silvia Benedetti

Frágeis, levemente perfumadas
Belas, sensíveis, primores de flores,
As rosas, sempre, sempre delicadas
Todos agradam, independe as cores.

São majestades seu reino, os jardins
Destacadas nas folhas das ramadas
Ou nos buquês, amarelas, carmins,
Quando ofertadas para as namoradas.

Rosas vermelhas, eu ganhei um dia...
Um feliz momento de plena emoção
Nos ditosos tempos __ sonho alegria,

Quando a mocidade era uma canção
Cujas notas de amor e sintonia
Vibram compassos na recordação.

Porto Alegre/RS



-04-
Rosas de Abril
Joyce Lima Krischke



Balneário Camboriú/SC



-05-
Às rosas, que conseguem perfumar o mundo, apesar dos espinhos!

Contentamento
Sidney Santos

Uma estrela, um caminho
Busca de valor
Encontro de carinho
Recanto de calor

Perene como as palmas
Bonito como as fontes
Momento que acalma
Um fio de horizonte

Forte tal qual o mar
Mas tem meiguice das rosas
O verde do teu olhar
Deixa o poeta prosa!

Sidney Poeta dos Sonhos
Santos, março de 2013



-06-
Rosas Para Você
Rosângela Coelho



Imagem de fundo Thomas Kinkade
Tube de Rosas de KBL
Tube menina Ruth Morehead
Tutorial de Inge-Lore

Curitiba/PR



-07-
Ode às Rosas!
J.J. Oliveira Gonçalves

As rosas deste jardim
Que a Branquinha me deixou
São Mimos a um Curumim
Que dentro de mim ficou!

São rosas multicolores
Humildes e olorosas
Amantes - os beija-flores
São os poetas dessas rosas!

A natureza das flores
Compreendi que é feminina
Na Lira dos trovadores
Cada flor: mulher-menina!

Dizem que a rosa é rainha
De aveludada textura
No canto da carochinha
De ciranda é a Partitura!

As Rosas são do Rosário
De Tereza de Jesus!
E do meu próprio Calvário
Doces Pétalas na Cruz!

No jardim da avó materna
Quantas rosas conheci!
Fez-se a avó Saudade Eterna
No velho peito-guri!

Cada rosa é para mim
Perfumada namorada!
A inspiração não tem fim
Ao cantar a Bem-Amada!

Ó, rosa, dos meus Amores
Cantiga de minha estrofe
Pastoreias fundas Dores
Da muda Alma que sofre!

Deixo às rosas o meu verso
E minha rima também!
Meu Franciscano Universo
Onde planto Paz e Bem!

Porto Alegre, 20 de março - Início do Outono/2013. 14h44min
jjotapoesia@gmail.com - www.cappaz.com.br



-08-
Trovas
Sílvia Araújo Motta

*Rosa branca* é angelical,
*rosa amarela* é traição,
*rosa vermelha* é sinal
do fogo do coração.

* Rosa branca * ó flor divina,
és símbolo da pureza,
da virtude peregrina
do bom Deus - a realeza.

* Rosa amarela * suspeita
traição e infidelidade,
ciúme que não respeita,
faltando sinceridade.

Belo Horizonte/MG



-09-
Rosa
Marcelo de Oliveira Souza

Rosa
Rica em beleza
Uma grande sutileza.
Princesa do jardim
Cheira mais que o alecrim.
Alegre e singela
Sabe ser amada.
Quando maltratada
Esquartejada...
Seus espinhos ensinam
A lição.
Linda e frágil
Mas o espinho
Prende na mão!

Salvador/BA



-10-
Lembranças
Maria de Lourdes Maia Gonçalves

A flor desperta junto com o sol
a saudar a manhã que se inicia.
Talvez não viva naquele arrebol
tão bela flor que a brisa acaricia.

É uma rosa branca e bem cuidada,
irmã de muitas rosas de outras cores.
Reflete a luz da lua prateada
a inspirar poetas sonhadores.

Eis que a rosa foi com o vento embora
sem dar adeus ao beija-flor safira
que, pelas plagas até hoje chora.

De tanto sofrer, esqueceu a ira...
Em seu lugar, as lembranças de outrora
da terna rosa que um dia partira.

Itajubá/MG



-11-
Uma Rosa Estuda Física
Haydée S. Hostin Lima

Uma rosa dilatada de orvalhos
vê pela ótica do arco-íris:
o magnetismo
entre a cerca e o jardim...
eletricidade frente
à tênue aurora
e o resto do dia...

A rosa empina sua pandorga
de sonhos
– os raios
captados são de ilusão
poeira cósmica
quantum em fuga
fórmula exata
inquestionável do amor.

Santa Maria/RS



-12-
Rosas não devem ser colhidas do jardim
Soneto-clássico-sáfico-heróico nº 4.996
Rimando nos versos abab-abab-cdc-ede
Clássico na 4ª, 6ª, 8ª e 10ª sílabas fortes.
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

Gosto de ver a Rosa cor-de-rosa,
por isso, vim contar-lhe meu segredo:
-Sendo regada fica mais airosa...
Atenção para não tocar com dedo!

Rosa Amarela mostra mais cheirosa
se receber nos pés, só água cedo...
Quando plantada fica mais dengosa,
apaixonada prova ter enredo.

A Rosa Branca perde seu encanto
a cada dia, sofre, por descasos...
se for colhida, murcha esconde o pranto!

Jardim é belo, quando bem cuidado!
Não quero mais ver flor morrer nos vasos...
Rosa Vermelha lembra meu passado.

Belo Horizonte/MG



-13-
Rosas
Daniel Brasil

São rosas de tantas cores,
Vermelhas, azuis, lilás...
Vermelha é o amor!
A branca vem ser a paz
Azul é a ternura...
Do universo tenaz!

Rosa amarela existe,
Simbolizando riqueza,
São cores, ou matizes...
Formando esta grandeza
Todas as rosas enfeitam
A nossa mãe Natureza!...

Porto Alegre/RS



-14-
Um banho de rosas
Esther Gonçalves

Dou-te um banho de rosas...
As mais belas do meu jardim,
Flores, orquídeas e jasmins,
Perfumadas, macias, formosas.

Para que... O teu corpo lindo,
Fique limpo e muito cheiroso,
Menino belo, homem formoso,
Em ti eu derramo este carinho.

Sinta todas as pétalas caindo...
Respire o aroma suave da rosa,
É um banho de carinho, gostoso.

Cubro-te com beijos e vá saindo,
Deste gostoso banho de rosas,
Menino belo, homem formoso!!!

São Luís/MA



-15-
Esther Gonçalves

No jardim da vida,
Eu sou a tua rosa preferida!
Nos teus braços...
Viro pétalas da mais bela flor...
A do amor!

São Luís/MA



-16-
A Rosa Cor-de-rosa...
Esther Gonçalves

Bem sabeis vós, oh, amado meu,
O quanto amo a rosa cor de rosa,
Orvalhada, perfumada, formosa,
Que invade o pensamento meu,

Agradeço-vos carinhosamente...
O presente que recebi com amor,
Bem sei que me amais com ardor,
Com a beleza da rosa feito semente.

Plantada no jardim do coração,
Do mais puro e nobre sentimento,
Que envolve-me por inteiro...

De corpo e alma, com a emoção,
De viver intensamente o momento,
Deste nosso amor verdadeiro!

São Luís/MA



-17-
Rosas & Rosa...
Eloísa Antunes Maciel

“Rosa de maio”,
“rosa do prado”,
“rosa amarela”...
São variedades
da mesma rosa
que por formosa
inspira versos
e aquarelas...

“Rosa dos ventos”
aponta rumos
ao caminhante,
ao navegante
e aventureiros...
E a rosa banca,
em sua modéstia
evoca a paz...
A paz sonhada,
mas desdenhada
pelos guerreiros...

Rosa vermelha
que simboliza
o amor ardente,
indiferente
às convenções...
Rosas miúdas
que, em nobres cachos,
parecem fachos
nos seus pendões...

Detendo charme,
por ser rainha,
a rosa-rosa
reina orgulhosa
de sua cor...
“Príncipe Negro”
sugere mito:
fora encantado
e transformado
em bela flor...

Mas “rosa é rosa”,
disse o poeta
sem hesitar...
Se rosa é rosa,
em toda rosa
há um só perfume
num mesmo ar....

Mas muita gente,
indiferente,
não pensa assim...
Se “rosa é rosa”,
plante uma rosa
no seu jardim...

São Martinho da Serra/RS



-18-
Cravo & Rosa
Fernando Alberto Salinas Couto

As rosas e os sonetos,
inseparáveis amantes,
são belos poemas, que escritos,
hão de ser sempre fascinantes.

Desde que se mostrem difíceis
perante os preconceitos
e superstições possíveis
pra tornar todos sonhos desfeitos.

Desfeitos dum jeito estranho,
sem deixar, sequer, a nostalgia.
Saudade de tenro carinho.

Vestígios de cravo infeliz
que chora, em forma de poesia,
aquela rosa que sempre quis.

SP – 14/02/13



-19-
Rosas
Paola Rhoden

As rosas
Nas mãos de alguém,
São formosas
Mas, elas também
Tem espinhos
Que nos caminhos
Sem perceber
Podem fazer
Alguém chorar

Brasília/DF



-20-
Rosa vivaldis
Sérgio, Beija-flor Poeta

Pétalas melódicas quando Vivaldi,
em noites de primavera a vida ecoa
São belos os ramos alimentando
cada rosa, cada espinho, cada si bemol.

Alemanha



-21-
Onde estão as roseiras?
Judite Krischke Sebastiany

Aroma, cores, beleza sem igual.

Na infância conheci roseiras solitárias.
Destaque no jardim para sua beleza e odor.
Romance no ar, inspirando musicas, poemas.

Na adolescência conheci roseiras/grupos.
Lindos galhos entrelaçados habilmente.
Rosa miúdas, em cachopas, perfumando o ar.

Passados alguns anos, destaque para as cores.
Rosas brancas, rosadas, alaranjadas e vermelhas.
Rosas como pinturas divinas, com matizes...

Vida adulta, trabalho, responsabilidades,
rosas com espinhos e rosas sem espinhos.
Espinhos, defesa. Limites, amor e dor.

Hoje, rosas nos mercados: produto caro.
Vendedores nas ruas: leve uma, leve duas.
Na cidade, poucos são os jardins, só vasos!

Porto Alegre/RS



-22-
As Rosas Falam
Sônia Rêgo

Quem disse que as rosas não falam?
Saiba que elas falam sim...
Usando só a linguagem da flor,
Muitas coisas dizem para mim.
Olhe as amarelas que de tão singelas,
nos falam do amor calmo, sem dor.

Observe as brancas, parecem falar Paz.
Recebem quem chega, saldam quem jaz.
Elas enfeitam a vida e trazem a Paz,
como são lindas, quanta alegria nos traz.

Notem bem as vermelhas...
Que são, somente, pura paixão,
enfeitam a vida e a morte,
acendem muitas centelhas,
alegram até mesmo a solidão.

Rosas são flores que falam de nós.
Que são cantadas, faladas matizadas,
no rio da vida, desde a foz...
Que quanto mais coloridas,
mais alegram a nossa vida.

SP – 26/10/12



-23-
Rosas
Weber Müller

Rosas...
Sempre formosas
Demonstram-se dengosas
Perfumam as almas majestosas
Representam as mulheres charmosas!

Rosas...
Em tons multicores
Traduzem amores
Revelam esplendores
São as mais belas flores!

Rosas...
Provocam fantasias
Doces alegrias
Eternas magias
Felizes harmonias!

Rosas...
Fontes de inspirações
Verdadeiras seduções
Acalento das paixões
Brandura dos corações!

Rosas...
Lembranças de tempos passados
Amores eternizados
Canteiros n’alma cultivados
Futuros idealizados!

Rosas...
Quimeras e promessa
Conquistas, sem pressa
Beleza à beça
Machismo... sem essa!

Rosas...
Brancas, vermelhas ou amarelas
São sempre rosas e belas
Essências singelas
Presentes pra elas!

Rosas...
Brotam na alegria e na dor
Exprimem o mais sublime amor
Conquistam-nos pelo odor
Enfeitam a vida, numa indefectível cor!

Rosas...
Caídas ao vento
Aguçam sentimentos
Remetem-nos a pensamentos
Simbolizam indeléveis momentos!

Rosas...
Da PAZ, tradutoras
De cumplicidade, portadoras
De batalhas, vencedoras
De Deus, intercessoras!

Professor Weber Müller
Imortal das Letras e das Artes.

Guaçuí/ES



-24-
Mágico Momento
Sidney Santos

Me chamam poeta
Não sei por merecer
Mais uma coisa é certa
Sina em descrever
A beleza que tem o amor
Rosas só com espinhos
O sorriso depois da dor
Suavidade de um carinho
A mãe que ternura canta
Com seu filho no ninho
Abraços de calor e manta
Ao corpo pequenino
As ondas verdes do mar
A brisa que trás alento
Uma noite pra te mar
Parar o mundo num momento

Sidney Poeta Dos Sonhos - Santos/SP



-25-
São rosas, Senhor!
Maria Fernanda Reis Esteves

A Santa rainha
de nome: Isabel
distribuia pão
pl´o povo d´el rei

D. Dinis, seu esposo
perguntou-lhe um dia,
o que em seu regaço
ela tanto escondia...

"São rosas, Senhor!"
E o milagre deu-se...
O pão que trazia
e ao povo oferecia,
num gesto de amor,
transformou-se em flores
de todas as cores,
as rosas mais belas,
lindas e singelas.

Nasce, assim, a lenda
da nobre Senhora,
que é rainha e santa
de nome: Isabel

Confreira por Portugal



-26-
ROSA
Luiz Menezes de Miranda

De toda a mais formosa
De rara beleza
De nobreza incrustada
De pétalas cintilantes

Que guarda segredos
Que exala inspiração
Que manda recado
Que vale desculpa
Para quem tem culpa
Ou quem ganhar coração

É TU ROSA

Que em mutação em cores
Vermelha, amarela
Cinza, lilás, branca
Tu sabes do que és capaz

Beleza constante
Que inspira o poeta
Que dá brilho à lua
Que ampara nas pétalas
As lágrimas do orvalho
Que em noites frias
Insiste em chorar

Rosa de singela beleza
Musa de versos musica e tristeza
Que embala os sonhos
Alegre ou tristonho
De olhos sofridos
Que insistem embelecidos
A ti, bela olhar.

Quem dera eu poder
Ter a sorte um dia
Mesmo sendo espinho
Nesse seu jardim
Aonde tu és a rainha
Eu poder repousar.
Rosa

Salvador/BA



-27-
O Vendedor de Rosas

Ouça o áudio, clicando no endereço abaixo
http://www.recantodasletras.com.br/audios/prosapoetica/40317 

Rosas carmesins...
Linda cesta adornada com obras primas da natureza - rosas carmesins.
Na cesta, um pedaço de jardim.
Rosas...! Rosas...!Olha as rosas... Quem quer rosas?
Rosas...!Olha as rosas...
Quer rosas senhorita?
- Ó... que lindas! Dê-me a mais bonita.
- Esteja à vontade moça.., escolha.
-Rosas...! Rosas! Olha as rosas...
E, assim... Seguiu. Distribuindo beleza, alegria, perfume e cor. Ninguém percebeu, que ao distribuí-las
... Sobrou-lhe as furadas dos espinhos.

EstherRogessi, Publicado em 01/ 05/11



-28-
Cerca das Rosas Vermelhas
Tânia Maria de Souza



Técnica óleo sobre tela, pintada a duas mãos, com o artista Julio Couxil.

Balneário Camboriú/SC



-29-
Rosa
Odilon Machado de Lourenço



No botão uma gota de orvalho deixado da noite
Vai crescendo o desenho de rosa no sol da manhã
O dia se alonga nas frestas da flor
Beija-flor vem olhá-la e não beija
Só olha, voa em torno do mundo da flor
Suas pétalas dão coisas da luz e do amor
Beija-flor é que sabe das cores da flor
E a rosa, só ela, é que entende do amor.

Florianópolis/SC, 26-03-2013.



-30-
Rosas de presente
Vera Passos

Se rosas brancas eu tivesse, seriam das crianças,
Seriam sempre transparentes, delicadas, singelas...
Prenúncio da inocência, semente de pureza...
Abriria todas as janelas do Universo, para tê-las.

Aos amantes, rosas vermelhas, carregadas de carmim
Seria paixão, lábios sedentos, corpos calientes
Libidos, abraços, toques, tangos, sem fim...

Se rosas amarelas eu tivesse,
Coloridas como o Sol, despontando nas manhãs,
Ofertariam aos amigos, companheiros, solidários...
Aos que me amam como irmã, com sabores de maçã.

Rosas multicores, aos ricos de esperança...
São sinais da delicadeza; Divina Criação.
Nos envolvem, nos estimulam, nos encantam...
Perfumam e embelezam, o coração.

Se pudessem nos tocar, seu aroma de alegria
Seria o presente perfeito, encheriam mãos vazias.
Se elas pudessem falar...teriam palavras de amor pra dar.

Salvador/BA



-31-
Rosas
Malú Ferreira



Tentadoras,
Afrodisíacas,
Essências.
Pétalas que bailam.
Num eterno levitar.
Em molduras
Representam “Paz”.
Ofertadas, “Elo”.
Enigmáticas,
Aveludadas,
Libertas da crueldade.
Adornam...
Canteiros, trilhas
Como um revoar
De pássaros sem destino.
Sem horas marcadas
Do ir e do voltar.
Transmitem sentimentos.
Olhe!
Um arco-íris
Aromas!
Pássaros!
Neblinas...
Olhos Lagrimejam
Ao vê-las desabrocharem...
Tão belas!
Tão rojas!
Tão minhas!

Salvador/BA, 26/03/2013 _ 23h35min PM.



-32-
Malú Ferreira



Salvador/BA



-33-
Silêncio das Rosas
Valéria Lisita

Já me disseram que rosas não falam
Mas sei o que elas vivem e sentem
Nascem por entre espinhos, se calam
São botões e fechadas se prendem

Têm beleza e seu perfume exalam
São pureza e nos campos se perdem
Já me disseram que rosas não falam
Mas sei o que elas vivem e sentem

De botões em pétalas desabrocham
Aos olhos sensíveis talvez encantem
Não sabem do mundo que as esperam
Assim despetalam e silenciosas morrem
Já me disseram que rosas não falam

Goiânia/GO



-34-
Diálogo entre rosas
Elzio Luz Leal

Uma rosa perguntou,
Pra outra, toda inocente,
Afinal, porque eu sou,
De você tão diferente?

- Todas nós somos tão belas,
Em mim pode acreditar...
Rosas brancas, amarelas,
São lindas pra se olhar...

Somos todas perfumadas,
Brilhantes, acetinadas,
Feitas pra se admirar...

- Mas me diga, por favor,
Existe a rosa do amor?
- Não... A rosa é pra se amar!

Rio de Janeiro/RJ



-35-
Uma Rosa
Eliene Dantas de Miranda

Quisera te dar uma rosa branca
Azul, salmon ou carmim
Cravada de amor e carinho
Para que não esqueças de mim.

Quisera te ofertar uma rosa em botão
Desabrochando, ou mesmo despetalada
Mas, que ao tocá-la, exale perfume
Carícia, lembranças desejadas.

Quisera te dar junto com a flor
Um pouco do que senti por ti
Quem sabe, compreenderás
O quão presente estou ali.

Quisera te dizer que esta flor
É a mais singela demonstração
Que um dia significastes
Tudo, de tudo, para mim.

São Paulo/SP



-36-
A Rosa
Akasha De Lioncurt

Com suave perfume,
E cor impecável,
A rosa sobrevive,
Em pleno asfalto.
Ninguém compreende,
Esse pequeno milagre,
Sem água ou adubo,
No meio das pedras,
A rosa continua
Encantando sua plebe,
Rainha absoluta,
Reinando sobre o caos,
A rosa mais linda,
Envia-nos um sinal.
Seja aonde for,
Estejamos aonde estivermos,
Se for a vontade do Criador,
Toda a mágica acontece.
A rosa é testemunha,
Do poder da nossa prece.
Da fé que nada abala,
Do amor que nos enobrece.
Essa é a pequena mensagem
Da rosa do impossível,
Que sobrevive e permanece,
Aonde ninguém a plantou.

São Paulo/SP



-37-
A Rosa e o Lírio
Humberto Rodrigues Neto

No meu jardim rubra rosa nasceu,
viçosa e altiva, mas pra seu martírio,
juntinho dela se abriu, floresceu,
belo, garboso e perfumado lírio.

Talvez cativa a naturais desejos,
a rosa se alteou por sobre uns goivos,
e pareceu-me que trocavam beijos
como se fossem dois perdidos noivos.

Não crendo que ela o amasse realmente,
propus-me, então, do amante separá-la;
cortei o lírio e pu-lo, suavemente,
num vaso multicor da minha sala.

Pela manhã fui ver a mais formosa
das minhas flores... E ao fitar-lhe o galho
vi molhadas as pétalas da rosa
por pequeninas lágrimas de orvalho!

São Paulo/SP



-38-
Planeta Rosa
Fernando Macedo

Rosa do amor, rosa da flor, rosa da cor, rosa da dor, rosa dos espinhos, rosa do carinho, rosa vermelha e rosa rosa. O mundo pode até não ser rosa, mas está cheio de rosas.

Salvador/BA



-39-
Para sempre rosa
Fernando Macedo

Eu já vi traição, e já vi redenção, já fiz iniciação, já fui pro caixão, já fui amor e já fui perdão, já fui na igreja, já fui no terreiro.

Fui ironia, eu fui harmonia, fui trabalho e fui retalho, simbolizei paz, simbolizei ódio, já fui unida e desunida, já furei e fui furada.

Já cortei e fui cortada, amei e fui amada, já fui para água e pro fogo, já fui nos castelo e fui no esgoto.

Já fui música, já fui prosa, já fui vida e já fui morte, já fui pro azar e pra sorte. Já fui pro sul e pro norte.

Já fiz filme e fiz novela, já estive no cemitério e na capela, branca, amarela e vermelha pomposa, mas para sempre serei rosa.

Salvador/BA



-40-
Triolé das Rosas
Lourdes Ramos

Das rosas que ofereci
Só fiquei com os espinhos
Mas com beijos os cobri
Das rosas que ofereci
Perfumadas de carinhos
Encarnadas como os vinhos
Das rosas que ofereci
Só fiquei com os espinhos

Rio de Janeiro/RJ



-41-
A Rosa Solitária
Rosana Carneiro Bado

''Estava num jardim quando acordei.

Era manhã linda de outubro.

Meus espinhos eram poucos, mas a força da minha raiz superou todas as tempestades.

Ervas daninhas ainda tentam impedir meu crescimento, mas aguardo um jardineiro que cuidará de mim, pois sou frágil, delicada, perfumada e de uma beleza que só alguns conseguem enxergar.

Aguardo com minhas pétalas abertas este mágico momento onde o afago acontecerá pelas mãos do cuidador, que com delicadeza saberá cuidar de uma flor como se cuida de um amor.''

E assim, a rosa solitária, no jardim da vida, terá força pra exalar o mais doce perfume, que chamará todas as belezas da natureza.

Acontecerá a recompensa de um lindo arco íris, revoada de pássaros, cantos e encantos da aurora, que farão do jardim da vida, um grandioso mundo encantado de amor e paz.

Este é o mundo que a Rosa solitária sonhou...

São Paulo/SP



-42-
Recebi flores...
Fátima Peixoto

Que embelezam a vida,
Que encantam o coração,
Que demonstram amor,
Que representam felicidade,
Que confirmam uma grande amizade.

Minha vida já é um jardim,
Sou feliz com as flores que tenho,
Mas agradeço o ramalhete,
Que hoje recebi de presente.

Cabedelo/PB



-43-
Rosa e Amor...
Marco A. Amado

Vejo o desabrochar da rosa
Como o florescer
Do amor

Lentamente uma floresce no tempo
O outro dentro do peito
São suaves e belos

Encantam o sentido
Sem fazer sentido
Somente florescem

E crescem
Sem medo
Ou receio

Pode parecer mera ilusão
Iludindo os sentidos
E driblando a razão

Pois não existem rosas sem espinhos
E nem amor sem dor

Ilha do Governador/RJ, (Ocram 02/04/2013)



-44-
Rosas e Espinhos...
Marco A. Amado

Como falar das rosas
Sem citar seus espinhos
Ou relatar sua suavidade e beleza
Sem narrar sua natureza

Antes da rosa florescer
São os espinhos
Que protege seu botão
De uma agressão

Só assim a rosa
Alcança sua plenitude
Exibindo sua grandeza
Abrandando alma e coração

Rosas e espinhos
Parceria sem precedência
Onde a beleza de um
Sobrepõe às mazelas do outro

Rosas e espinhos
Exemplo de que o bem e o mal
Caminham juntos
Demonstrando que a vida

Tem seus desafios e vitórias
Tem o asco e a formosura
A dor e a doçura
A ira e o amor

A tristeza e a alegria
O feio e o belo
A fraqueza e a força
A guerra e a paz

Rosa e espinhos
Ensinamento de vida

Ilha do Governador/RJ, (Ocram 02/04/2013)



-45-
Rosa Encantada
(AC de Paula)

havia uma rosa
que não tinha espinho,
tinha um caminho
em que não havia pedra,
melhor com a saudade
do que andar vazio,
pois é na solidão
que a tristeza medra!

havia um poeta
que perdera a rima,
o verso, o poema,
o sonho, a ilusão,
o azar por sorte,
desilusão por sina,
não havia problema
e nem solução!

mistério profundo,
loucura tamanha,
quem perde o juízo
a lide não ganha,
não vence a partida,
não vence a batalha!

e na roda viva,
no final da tarde,
quando o sol desmaia,
tão só, sem alarde,
e o vento ensaia
mais uma canção,
o poeta se arranha,
no espinho que escolta,
a rosa encantada
de uma solidão!

São Paulo/SP



-46-
Rosa-dos-ventos
Vanda Ferreira

Universalidade converge
Depura rosa-dos-ventos
Rumina amor em poesia

Olhos marejam versos d'água
invisível chuva noturna
prova a grama na alvorada
O pranto da lua

Choro de alegria
fervilha vida no escuro
cantaria, danças
afinadas orquestras.

Silêncio é grado ao sol
guarda ofuscante
miscelânea do confuso
encrustação do calor
que guarda arco-íris.

Campo Grande/MS



-47-
Monólogo da Rosa diante de Júpiter
Carlos Reinaldo de Souza

Olhei pela vidraça do meu quarto: chovia e ventava. A chuva se fazia acompanhar pelo vento como se quisesse reunir poderes para destruir. O vento balançava bruscamente as flores do jardim, principalmente aquelas cuja tibieza do caule não oferecia resistência à impetuosidade da natureza enfurecida.

As flores se curvavam diante do poderio dos elementos, perdiam as pétalas e lutavam debalde. Até as árvores mais resistentes se inclinavam na direção do vento e os galhos, curvados, perdiam as folhas.

Protegida pelo muro que circundava o jardim, havia uma roseira que não sofria tanto os golpes da natureza em fúria, mas padecia ao ver a luta desigual que se travava diante dela. O vento balançava levemente a rainha das flores, enquanto castigava cruelmente seus súditos. A rosa parecia chorar pois as gotas da chuva, deslizando sobre suas pétalas, pareciam lágrimas de dor, medo ou revolta, não sei bem.

Então, ouvi a rosa lamentar-se da impotência de seu reino diante do poderio da natureza. Com voz débil, sem energia, a rosa lançou a Júpiter seu clamor:

- Por que, ó Pai dos Deuses, sofremos tanta violência, quase sem forças para resistir? Por que és inclemente com as flores que enfeitam a vida?

E ela mesma concluiu:

- Talvez porque a inveja corrói teu divino coração, pois representamos a beleza que se sobrepõe à força; talvez porque ainda estás irritado com Phaetonte, mas eu te imploro:

- Tendes compaixão das flores e das folhas a que subjugas e indulgência com os mais fracos!

Imediatamente o temporal cessou!

No outro dia, fui visitar meu jardim. Lá estava a rosa, ainda úmida, imponente e perfumada.

Olhei demoradamente para suas pétalas de veludo, quis falar mas apenas sorri.

Um sorriso de respeito e admiração pela rosa que, por um minuto, falou com Júpiter e assim conseguiu abrandar a fúria da natureza.

Conselheiro Lafaiete/MG

-48-
Réquiem para uma rosa
Marina Martinez

“Uma rosa quero te ofertar.
Por favor, aceita, é tua.
É branca e doce como a lua.
Queres vermelha? Não! É impura:
a ofereci a um outro amor, desregrado,
mas quero volver a ti, minha loucura.
Por favor, aceita, te peço, te imploro,
não rejeites do meu gesto o recado.
Não arremesses na rua o meu presente,
perdoa minhas loucuras do passado.
Vais embora, pisando a flor, na calçada”?
Desvairado, a recolho, agoniado,
e testemunho expirar cada pétala desgrenhada.
Guardo o que restou num bolso.
Paradoxal réquiem branco de antigo pecado.

Porto Alegre/RS

-49-
Rosas em versos
Celeste Farias Dias

Encontro as rosas
Nos versos de amores,
A te presentear,
A te enfeitar,
A te perfumar,
Minha candura, minha paixão.

Se penso em você,
Vem as rosas a florescer
Este lindo pensar,
Teus delicados gestos,
Teu lindo olhar,
Teu jeito meigo de falar.

Se ouço falar em rosas,
Fico cheio de emoção,
Salto, grito e alegro-me,
Cantarolando a nossa canção.

Na nostálgica sensação,
De não mas ver uma rosa,
Entristeço-me e choro,
Pois se as rosas deixarem de existir,
Você, eu e o amor chegaremos ao fim.

Belo Horizonte/MG, 04/04/13

-50-
Rosas vermelhas
Paulo Rodrigues

Palavras vazias.
Lágrimas frias.
Corações em pedaços.
Adeus sem abraço.

Orgulho ferido.
Telefone emudecido.
Poemas rasgados.
Sonhos dilacerados.

Na lixeira
as rosas vermelhas
e a viagem de lua de mel
sonhada em suaves prestações.

Sorocaba/SP, 05/04/2013

-51-
A Rosa
Audelina Macieira

Quero beijar-te rosa feminina, motivo de alegria
Da alma minha que levemente sente seu perfume
Nas lanternas vermelhas vejo sua beleza brejeira
Rosa te quero mais que o ar, te quero só minha.

A Rosa que sonhei és tu mulher
De vestido estampado azul claro
Flores estão a enfeitar seu vestido
A enfeitar seu bailar, envolvente

A Rosa não é minha, mas é formosa
Andando nas assas do céu do amor
Suas pernas são um caule trepido
Que não Pará mais o balançar.

A Rosa és infinita sedução vermelha
Cor da paixão que brotou em mim
Descompasso de ilusão, pois a rosa
Sorriu para o cravo, e eu chorei.

A Rosa não é minha rosa
Ela é uma rainha cintilante
Que brota do coração da terra
E desabrocha no meu coração de homem.

Salvador/BA

-52-
Rosas de uma rosa
Humberto Rodrigues Neto
(De um dueto dedicado a Regina Coeli)

Das coisas boas da vida,
uma das mais preciosas
é ter, da mulher querida,
tão linda penca de rosas!

Brancas, róseas, áureas, rubras,
vivas, suaves e olorosas,
não creio que um dia descubras
a paixão com que amo as rosas!

Regina, por me supores
merecedor das tuas rosas,
imagina eu ter tais flores
de mãozinhas tão mimosas!

Perdoa-me a comparação
ao ver flores tão viçosas:
teu precioso coração
é mais formoso que as rosas!

São Paulo/SP

-53-
Buquê de Rosas Vermelhas
Joyce Lima Krischke

Buquê de rosas vermelhas, com teu coração,
Deste-me um dia. Guardo três secas pra recordar.
As outras despetaladas caíram sobre o chão.
Mesmo as secas, representam nosso amar.

Rosas em cinzas serão transformadas,
Subindo ao céu azul com a ventania.
Então verás ao pôr-do-sol nuvens azuladas,
(Re)Lembrando o amor que vivíamos naquele dia.

E... ao relembrares teu cinqüentenário
Sentirás o perfume das rosas, em tua mão,
Que me ofertastes no teu aniversário.

Recordo o beijo que te dei na ocasião,
Quando nossas almas estavam em sintonia
E nossas vidas entoavam a mesma canção.

Balneário Camboriú/SC






SELO DE PARTICIPAÇÃO







As Rosas Não Falam
Autor: Cartola
Voz: Beth Carvalho

Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão enfim

Volto ao jardim
Com a certeza que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar para mim

Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti, ai...

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhavas  meus sonhos
por fim











|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||



Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Fotos das Rosas do Top de Leon Lambert e Joyce Lima Krischke
Todos os direitos reservados