ENCERRAMENTO E AGRADECIMENTO

A Ciranda comemorativa ao Dia das Mães- 2013, encerrou-se de forma brilhante. Integram a 53ª Ciranda Mensal 33 Confrades e Confreiras, com 39 participações, que expressam seu amor através de versos e imagens. No Evento artístico-literário: Mães Criaturas que Amam..., os autores e autoras enaltecem esse ser maravilhoso que ama incondicionalmente, a qual chamamos Mãe.

Agradecemos a todos Cappaz(es) que aceitaram nosso convite, participando de mais uma bela Ciranda CAPPAZ.

Rosângela Coelho
Secretária Nacional








INTRODUÇÃO

Caríssimos confrades e confreiras, saudações fraternais!

Nesta semana, recebi a honrosa incumbência de fazer a introdução de mais uma ciranda da nossa CAPPAZ, celebrando o dia das mães.
Na semana passada, recebi o e-mail de uma amiga, comunicando-me o nascimento de seu primeiro filho. Fiquei muito feliz com este convite e com esta auspiciosa notícia!
Imediatamente, enviei à minha amiga e ao seu esposo as mais efusivas congratulações, pois o nascimento de uma criança sempre traz alegria e felicidade não somente ao casal que a recebe, mas a todos os parentes e amigos.
Em seguida, aceitei de bom grado fazer a introdução desta ciranda porque este tema é algo divino.
Os filhos amados são dádivas que recebemos de deus e nos tornam imortais, não só através dos genes, mas especialmente através dos atos que se perpetuam nas gerações futuras.
As mães que amam são artífices de uma trilogia sublime: a concepção, a gestação e o parto. E estes três momentos sublimes de suas vidas se consolidam neste mistério que tanto admiramos e respeitamos - a maternidade!
Às mães, portanto, rendemos nossas homenagens nesta ciranda repleta de amor, carinho, êxtase, encantamento e, acima de tudo, gratidão.
Sim, gratidão, pois elas nos deram o bem maior - a vida!

Carlos Reinaldo de Souza – Lafayette, 26 de abril, outono de 2013.






PARTICIPANTES

01 Akasha De Lioncourt 36
02 Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira 14
03 Audelina de Jesus Macieira dos Santos 27
04 Carlos Reinaldo de Souza 37
05 Daniel Brasil da Silva 23
06 Deomídio Neves de Macêdo Neto 35
07 Edécio Mergener 25
08 Eloísa Antunes Maciel 13
09 Elzio Luz Leal 30
10 Fátima Maria do Nascimento Peixoto 24
11 Fernando Alberto Salinas Couto 18
12 Humberto Rodrigues Neto 22
13 Isabell Sanches 11 e 12
14 João José Oliveira Gonçalves 15
15 Joyce Lima Krischke 17
16 Judite Krischke Sebastiany 38
17 Lourdes Ramos 29
18 Luiz Menezes de Miranda 04 e 05
19 Marcelo de Oliveira Souza 06
20 Marco Amado 26
21 Maria Fernanda Reis Esteves 08
22 Marina Martinez 31
23 Odilon Machado de Lourenço 32 e 33
24 Paola Rhoden 02
25 Paulo Rodrigues 10 e 28
26 Pinho Sannasc 39
27 Rosana Carneiro 34
28 Rosângela da Silveira Coelho 01 e 09
29 Roseleide Santana de Farias 19 e 20
30 Sidney Santos 07
31 Sílvia Silva Benedetti 03
32 Sônia Maria de Araújo Rêgo 21
33 Weber José Vargas Müller 16






PARTICIPAÇÕES

-01-
Mamãe...
Rosângela da Silveira Coelho



Tutorial de Kniri no site http://waldgeist.co.uk
Tube sem menção de autoria

Curitiba/PR



-02-
Doces lembranças
Paola Rhoden

Por algum motivo as mães desenvolvem um senso maior de percepção. A minha era assim. Se ela dizia que ia chover, chovia mesmo. Leva casaco e guarda chuva - ordenava autoritária. E eu levava. Às vezes a contragosto, mas, levava.
Porque mãe é assim. Sabe das coisas como ninguém.
Toda vez que lembro de minha mãe ela está sorrindo, olhando de cima da sua grande sabedoria, adquirida e acumulada no correr dos anos de vivência sofrida na criação de seus sete filhos.
Lembrar de quando ela chamava com carinho: "vamos sair, filhinha?", é tão doce como era seu beijo de boa noite.
Hoje ela navega com as nuvens no espaço azul, até o momento em que eu possa tornar a encontrá-la para um chá, as duas sentadas nas estrelas contemplando as flores luminosas.
Lembranças. É o que me resta da doce figura de minha mãe. E sonhos.
Embora o tempo passe célere, a sua voz ainda ecoa pelas escadas: "Vem querida. Vamos passear no jardim". Porque isso está gravado no coração.

-03-
Mães - Criaturas que Amam...
Sílvia Benedetti

A palavra MÃE, por si mesma, lembra AMOR. Um amor incondicional. Embora tendo filhos, muitas mulheres deixam de ser MÃES! por isso, quando ouvimos e lemos certas notícias referentes a MÃES, podemos ver que há certa diferença entre a verdadeira MÃE e aquela outra, pois o SER MÃE não está restrito à gravidez e ao parto, mas sim na maneira de AMAR e de educar uma criança, sendo ela filha biológica ou não.

Existem "mães" titulares: embora dando a luz, delegam a maternidade à terceiros.
"mães" de vitrina: aquelas que se mascaram aparentando o que não são...
"mães" acomodadas: as que deixam os filhos crescerem desregrados, aguardando que a vida os ensine...
"mães" autoritárias: que dispensam todo e qualquer diálogo e assim se distanciam dos filhos.

Existem "MÃES" de verdade, que mesmo trabalhando fora, conseguem um espaço para estar com seus filhos.
"MÃES" corajosas, que enfrentam mil dificuldades , para dar o que de melhor possuem aos filhos.
"MÃES" pobres de recursos e ricas de qualidades outras, agregando o respeito dos filhos.
"MÃES" exemplares, que sabem dosar atitudes sem cobranças nem exageros, conquistando respeito.

Por certo, nos dias de hoje, muito difícil SER MÃE! Acompanhar a mudança de costumes e certos exageros...
Mesmo assim, o SER MÃE não dispensa o requisito maior, que é o AMOR INCONDICIONAL.
A MÃE, seja rica ou seja pobre, AMA!
seja culta ou inculta, AMA!
seja de qualquer raça ou credo, AMA!

Mãe é uma palavra doce,
É santa sem ter altar...
Mãe é amor como fosse...
Todo o universo estelar.

Porto Alegre/RS

-04-
As mãos de minha mãe
Luiz Menezes de Miranda

As mãos da minha mãe
Diante dos meus olhos
Mostram-me as cicatrizes
Que a vida esculpiu

As mãos da minha mãe
Hoje gastas pelo tempo
Pelo tempo, de ser mãe
Sendo escrava desse tempo

As mãos da minha mãe
Acalentou o meu sono
Amenizando o cansaço
De um dia de criança

As mãos da minha mãe
Afagaram a minha face
Amenizando a dor
Pelas quedas do destino

As mães da minha mãe
Tornaram-se grandes
Amparando os meus sonhos
Quando tentei no céu chegar

As mãos da minha mãe
Sovaram minhas nádegas
Para que eu ressentisse
O valor da obediência

As mãos da minha mãe
Juntaram os meus sonhos
Quando na queda da desilusão
Não conseguir sustentar a fé

As mãos da minha mãe
Só ficavam quietas
Em posição de oração
Quando agradecia a Deus

As mães da minha mãe
Tremeram de medo
Quando o destino lhe disse.
Ele agora é meu

As mãos da minha mãe
Já não sovam mais o pão
Já não lava mais o chão
Já não mexem mais panelas

As mãos da minha mãe
Vivem firmem em orações
E com gestos de carinho
Entrelaça o seu terço

As mães da minha mãe
Abandonaram o trabalho
Ociosas só lhe restam
O terço em oração.

As mães da minha mãe
Hoje recebem o meu carinho
Com beijos e afagos
De um filho agradecido

Salvador/BA

-05-
Meu Grande Amor
Luiz Menezes de Miranda

Está fixa em minha memória
Essa dor que mata a gente
Quando lembro o passado
Tentando rever o seu rosto original

Em tua face aprecio o desgaste
Que o tempo e a idade, aliados
Esculpem rugas lapidadas
Dando marcas ao seu passado

Relembro mãe,
O seu colo ainda quente
Seu avental a me abanar
Refazendo-me da queda

O seu beijo carinhoso
Sempre foi milagreiro
Que nenhum farmacêutico
Conseguiu a formula aviar

Várias vezes você foi o meu remédio
Nos tombos que a vida me causou
Tudo por pertinência do desejo imbuído
Quando tapei os meus ouvidos

Aos seus conselhos

Hoje diante de ti, mãe
De pés e mãos atados
Vejo forçosamente
Você voltando ao passado

Contenho as lágrimas
Por você não lembrar
Os seus olhos olham ao longe
E por mais graça que eu possa fazer
Insistem em não me reconhecer

Alzheimer, essa praga infernal
Essa doença brutal
Diluindo a sua memória
Destroçando sua gloria
Lhe fazendo muito mau

O tempo está passado
E não consigo me acostumar
Estou tentando fazer
Que as minhas lembranças
Sejam as suas lembranças
Para você não me esquecer

Sei que chagará o tempo
Em que você
Não vai saber quem eu sou
Mas sempre terei em mente
Que você mãe é o meu grande amor.

Salvador/BA

-06-
Dia das mães
Marcelo de Oliveira Souza

Como todos os anos, esse dia é muito marcante para toda a nossa sociedade e como toda grande comemoração importante, essa data serve como reflexão.
Em tempos de internet e redes sociais, a velocidade da informação é instantânea, muitas mães aproveitam isso para poder se aproximar dos rebentos, mas o excesso de liberdade à criança e principalmente a adolescentes, pode prejudicar a relação ao invés de ajudar; as mídias televisivas como novelas, muitas vezes mostram mães sendo agredidas verbalmente, achincalhadas e tudo que possa denegrir essa sublime função de ser a “maestra” do lar.
Ao chegar nesse único domingo do dia das mães, as homenagens começam desde cedo, acompanhada de inúmeras propagandas relacionadas à comemoração, tudo visando aquele velho consumismo, aquele velho almoço comemorativo e tudo que os filhos considerem comemorar a data festiva.
A maioria dos filhos esquece de olhar a sua genitora como um ser humano que tem aspirações, cujo maior ato de amor é cuidar do bem estar da família e maior sonho simplesmente é ver os seus entes progredindo nessa difícil arte de viver.

-07-
Madre
Sidney Santos

Mãe em qualquer idioma
Nos olhos brotando amor
Rosa de suave aroma
A espera do beija-flor

No seu colo emoção
Embalando pequena criança
Sublime interação
Trazendo ao mundo esperança.

Frequente preocupação
O rumo do filho na vida
Mostrando sempre a visão
Da missão a ser cumprida

Nos lábios canções de acalanto
Senhora rainha do ninho
Salve mulher-encanto
Traduzida na palavra carinho

Santos, maio de 2013.
Poeta dos Sonhos

-08-
Cacos de lua
Maria Fernanda Reis Esteves

Até aí, tudo era perfeito
Ouvias meus sonhos e davas-lhes asas
E eu tinha uma mãe, sentia-me plena
Nada me faltava

Mas quis o acaso
Talvez o destino, que a hora chegasse
E o chão me faltasse
Quando tu partiste…

Cresci em revolta
E quebrei minh´alma em cacos de lua
Senti tua falta e demorei muito
Para sorrir de novo

O tempo ajudou-me a sarar as feridas
As chagas da alma
Devolveu-me a paz, a serenidade
Superei a dor, agarrei-me à vida
E fi-lo por ti

Mãe!Segui meu caminho
E numa oração eternizo o amor
Mantendo-te viva no meu coração

Portugal

-09-
Mães Criaturas que Amam...
Rosângela Coelho

Tutorial de Colombe no site http://waldgeist.co.uk
Tube sem menção de autoria

Curitiba/PR

-10-
Mãe - Amor Incondicional
Minha homenagem aos filhos órfãos de mãe.
Paulo Rodrigues


Ah, minha querida mãe!
Para mim desabrochar nesse muno
você teve que parti.
Foi seu maior ato de amor por mim
antes mesmo de eu nascer.

Nesses anos todos
fiquei me martirizando,
matando minha sina pela sua escolha,
ao odiar minha face no espelho
que não refletia seu grande amor por mim.

Como sofri!
Ah, eu sofri tanto procurando
te encontrar nas mães de meus amigos!

Como sentir a sua falta,
seu carinho,
seus afetos
em cada dia que não tive seu doce abraço,
em cada dia que fui dormir
desenhando sua face nas nuvens dos meus sonhos!

Como eu sentir sua falta
ao ver as crianças sorrindo no parque no domingo!
Como eu sentir sua falta
nas reuniões do colégio!

Nas minhas brigas você nunca estive para me apoiar
nem para me censurar
e falar que eu não deveria ferir o próximo.

De você nunca levei um tapa,
mas também nunca sentir um abraço afetuoso!

De você nunca tive uma reprovação,
mas também nunca tive seu sorriso.

Momentos tristes nunca dividimos,
mas também nunca compartilhamos sorrisos.

Você nunca me viu errar,
mas também nunca me viu acertar
ou apenas me levantar depois de cada decepção!

Você nunca meu viu chorar,
mas também nunca me viu sorrir.

Nas minhas derrotas você nunca esteve.
Nas minhas conquistas também não.

E nunca estará...

Mas seu amor sempre estará comigo
aonde quer que eu vá
porque você deu sua vida
para me ver feliz nascer.

Por isso eu insisto!
Nunca desistir quando machuquei o dedo.

Quando tudo foi tempestade você
me trouxe um lindo arco-íris em seguida.

Você sempre me secou as lágrimas
quando elas caíram!
Você sempre me acalentou
quando eu desejei não ter nascido!

Em cada noite eu não tive seu "boa noite” ,
mas você estava me abraçando carinhosamente
na suave brisa que minha face tocava.

Ah, minha mãe querida!
Como eu senti e sinto sua falta!
Mas hoje eu entendo
e aceito sua partida!
Foi sua forma de me amar incondicionalmente!

Sorocaba/SP

-11-
Mãe
Isabell Sanches

Mãe, tu és como aquela estrelinha que está cintilando lá no azul do céu celestial, tua ternura maternal é esplêndida e magnífica por sinal...

Tu és fonte de tamanha doçura no teu colo te sinto o meu porto seguro onde com certeza posso jogar as âncoras da minha vida e me sentir em total protegida.

Mãe, "mãe" seu nome já diz tudo, és amor sem medidas algo inesquecível na vida que jamais poderia deixar de existir nesse mundo esse dia todo em especial e dedicado só a ti, obrigada por todo teu zê - lo desde o ventre materno até aqui enfim:

Obrigada mil e tantas vezes pelos teus sonos perdidos, pelas tuas lágrimas derramadas e simplesmente por você "existir" saiba que é grandioso o sentimento que por ti cultivo e que em meu coração você tem um lugar único e que é só teu.

Pra resumir:
mãe você é, e sempre será insubstituível "feliz dia das mães" eu amo você.

Cachoeiro de Itapemirim/ES

-12-
Mãe
Isabell Sanches

Até hoje não vi homenagem alguma citada as "mães do coração" ora, as mães que não são mães biológicas também merecem todo aplauso, pois elas velam o sono de seus filhos, choram por eles e se doam por inteiro tem terna proteção de mãe apesar do filho não ter saído de sua entranha ela não o estranha, ela o pega ao colo e o ama com um amor tamanho e incondicional.

Ser mãe não é simplesmente trazer ao mundo alguém e sim, acompanha-lo ao longo da vida e o assumir definitivamente seguindo seus passinhos e como um anjo jogar suas asas com carinho o cobrindo como um escudo especial e ter juras de um amor eterno isso sim é que é ser "mãe sendo assim;

Meus parabéns! A todas as mães que e deixaram brotar ao fundo de seu coração teu filho (a) saibam que são tão mães quanto qualquer outra e que também é digna a receber nesse dia todas as homenagens por seu gesto maternal e todo esse amor de mãe, a você que não é mãe biológica que é mãezinha do coração, saiba que hoje as homenagens são voltadas a ti também "feliz dia das mães".

Cachoeiro de Itapemirim/ES

-13-
Amor Materno... Sentimento Unívoco?
Eloísa Antunes Maciel

Muito tem-se escrito sobre o amor materno, conotando-o como necessariamente unívoco e, talvez, de indiscutível e necessária presença em todas as fêmeas do Universo (incluindo a própria mulher, obviamente). Sob essa ótica (que remonta ao auge da fase romântica, tanto na poesia quanto na prosa), o fato de ser mãe estaria a conferir às fêmeas da espécie humana, bem como às diferentes variedades daquelas que integram a fauna universal, um “dom” absoluto e inquestionável: a capacidade de amar infinitamente, e sob todas as condições adversas, com denodo, bravura e disposição ao próprio sacrifício na defesa e na salvaguarda de seus rebentos...

Todavia, se alguns espécimes da fauna eventualmente tendem a praticar o filicídio, ou abandonar a prole, lamentavelmente um apreciável percentual de mães humanas (!) tende a ultrajar a sua condição enquanto fiel depositária e guardiã da vida gerada em seu ventre – quando não a expulsa prematuramente pela via do aborto... Exceções à regra? Pode ser, embora essa comprovação se faça praticamente improvável... Talvez fatores de natureza exógena - ou situações anormalidade psíquica possam (entre tantas outras) explicar tais exceções. Esta é uma questão em aberto, embora deveras preocupante...

Contudo, os grandes e convincentes testemunhos de amor materno não podem ser desconhecidos como prevalentes e, portanto, animadores e capazes de manter eternamente viva a chama que já foi chamada de facho divino a iluminar os caminhos da Humanidade... E essa constatação se faz animadora, principalmente quando a própria Humanidade necessita desse notável apoio à superação de suas mazelas e sua relativa orfandade de Amor Universal. Portanto, louve-se a grandiosidade do verdadeiro amor materno!

São Martinho da Serra/RS

-14-
Mamãe Rainha
Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira

Sobradinho/RS

-15-
Amor Belo e Bendito!
J. J. Oliveira Gonçalves

Porto Alegre/RS

-16-
Mãe
Weber José Vargas Müller

De que me adiantam as ondas do mar
Se não tenho mais você para podê-las apreciar?
Tudo é estático e sombrio
Só sinto na face o vento frio...!
De que me adianta ter a beleza do céu para contemplar
Se não tenho mais você para, de azul ,minha vida pintar?

De que me adianta toda a beleza das fores
Se não tenho mais você para ofertá-las com meus amores?
Tudo é incolor e inodoro
Procuro semear o amor em meus versos, onde sempre me revigoro...!
De que me adianta o clarão do luar
Se não mais tenho você para me fazer sonhar?

De que me adianta o coração abrir
Se não tenho você para o meu amor sentir?
Ah...o amor!!! Sempre o amor...!
Somente ele para superar a dor...!
De que me adianta a brisa mansa
Se não mais tenho você para me encher de esperanças?

De que me adianta um monte de versos
Se não mais tenho você para provocar sentimentos reversos?
Refugio-me nas linhas poéticas
Numa tentativa de dominar a ausência hermética
De que me adiantam os raios de luzes
Se não mais tenho você para comigo partilhar as cruzes?

De que me adiantam os joelhos dobrados
Se não mais tenho você para interceder , livrando-me dos pecados?
Fiquei órfão, porém agradecido
Pelos momentos de dor e agonia não vividos...!
De que me adianta o brilho da luz
Se não mais tenho você para guiar-me em direção a Jesus?

Se não mais tenho você para amar...
De que me adianta lamuriar?
Se não mais tenho você para me acariciar...
De que me adianta coragem para caminhar?
Só sei que não mais tenho você em meu ninho
Adianta-me senti-la e amá-la para que eu nunca fique sozinho!

De que me adiantam as rosas formosas
Se não mais tenho você para senti-las cheirosas?
De que me adiantam as aves a cantar
Se não mais tenho você para vê-las livremente voar?
De que me adianta a arte da poesia
Se não mais tenho você para provocar inexplicável sinestesia?
De que me valem todas as riquezas
Se não mais tenho você para ser minha fortaleza?
Tornei-me fraco, frágil e vulnerável
A oração serviu-me de arma, mantendo com Deus um diálogo confiável
De que me adianta o perfume das flores
Se mais tenho você para aliviar minhas dores?

De que me adianta ter às mãos as estrelas
Se não mais tenho você para oferecê-las?
Tudo é deserto, vazio e inexplicável
Resta-me apenas cultivar um amor afável
Se não mais tenho você para recebê-las
De que me adianta ter às mãos todas as estrelas?

Guaçuí/ES

-17-
Mães... Criaturas que Amam !
(Para as mães confreiras da CAPPAZ)
Joyce Lima Krischke

Mães brancas, negras ou amarelas...
Mãe do ator, do poeta, do drogado!
Mãe que afaga seu filho amado
Sim, mães são melodias singelas!

Mães professoras ou varredoras,
Mães que perderam os filhos na vida!
Mãe sempre pronta para dar guarida
Mães donas-de-casa, mães doutoras!

Mães que, na realidade, são mães-pais
Ah! Mãe que a família sustenta...
Mãe que cuida de seu filho - atenta!
Mães que ouvem dos filhos os seus ais

Mães, sem cessar distribuem Amor e Paz
Mãe nem sempre por seu filho amada...
Mães... Mãe... mesmo recebendo: Nada!
Mães... Criaturas que amam! Mãe CAPPAZ...

Balneário Camboriú/SC -Maio-2013

-18-
Mães...Seres que Amam
Fernando Alberto Salinas Couto

Mães são seres que cintilam
nesse lindo universo infinito,
como as estrelas fascinantes.
Em nossa infância, nos falam
sobre tudo que é certo e bonito,
ensinando o que é importante.

Sorrindo suportam qualquer dor,
deixam de lado os seus desejos
e fazem tudo para nos proteger.
Entregam toda a vida por amor
dos filhos que enchem de beijos
revelando-lhes como melhor viver.

Elas são mães, seres iluminados
que, para nós, representam paz
e, até na tragédia, nos animam,
avisam que somos abençoados
e lembram que somos capazes,
pois elas são seres que amam !

São Paulo/SP

-19-
À Minha Veneranda Mãe
Roseleide Santana de Farias

FRANCISCA, eis o teu nome, minha veneranda mãe!
Reflete-se em minha mente o teu meigo, belo rosto.
Anima-me a doce esperança de encontrar-te um dia
Neste universo e na longínqua ou próxima paragem.
Cisma-me aquela bela, cintilante estrela distante, e
Introspectiva, fico a meditar nas emoções perdidas,
Sofrendo saudades que doem no peito, ausente do
Cálido coração que tanto alento me dava nesta vida.
Assim eras tu minha mãe, tão alegre e extrovertida!

Sempre transmitias esperanças, tão sábia e querida,
Animavas á todos e enérgica dizias “não” á covardia.
Nada te amedrontava, eras de fé, talvez escondesse
Temor, doenças, sofrimentos a acometer-te um dia!
Altaneira, corajosa, boa nordestina tal qual meu pai,
Nascidos na linda Alagoa Grande, o brejo da Paraíba,
A tua alma, coração, tuas lembranças, me confiavas.

Desalentos, cansaços, dores, também tuas saudades,
Envolvidos no tempo, na velhice que sutil te chegava.

Fugidios, amorosos, ternos, foram nossos momentos.
Assim unidas ficamos até o fim desta tua jornada, mãe.
Ríamos, cantávamos ao som dos acordes do teu violão
Inquieto, sonoro, a nos enternecer em tuas bondosas,
Amáveis mãos. Dizias agradecer porque Deus, o Nosso
Senhor, filhos teus não te levara. Isto seria grande dor
                                        (no teu CORAÇÃO DE MÃE!

Cabedelo/PB

-20-
Amor de Mãe
Roseleide Santana de Farias

Amo-lhes e reverencio-lhes muito, Senhoras:
Tu, minha linda e boa mãe terrena, FRANCISCA.
E MARIA, nossa mãe e de JESUS, símbolo celeste.
Sois essências sublimes de um amor santificado,
Que por TI, meu Deus, foi proclamado na Terra,
A carregar amorosamente, a cruz que nos deste.

A doce cruz do amor, da inquietação e da saudade,
Levas contigo pela vida, oh, minhas queridas MÃES!
Tens instintos e medos da dor atingir um filho teu,
Teus rebentos amados, gerados nas tuas entranhas,
Com sangue, coração palpitando em ternura tamanha,
Doçura, cuidados, encantamentos, o amor e desvelo!

As noites insones, cuidados, carícias, teus doces beijos,
Canções de ninar, eu escuto pela vida as vozes a cantar!
Os primeiros sorrisos, palavras, passos e braços abertos,
Teu doce orgulho, meiguice, prazer ao ver o filho nascer,
Acolher no teu colo este ser querido, tua bênção divina,
Cada um é um sonho de mãe, tesouros vindos dos céus!

Cresceram! A vida os chama e tu ficas triste ao vê-los partir
Por novas terras, caminhos por vezes tortuosos, estranhos.
Vida sofrida, onde os ventos do infortúnio pode abatê-los
E fazê-los sofrer, tão longe dos carinhos e dos cuidados teus.
Angústia, saudade machuca, a impotência te abate, choras!
Com o coração em prece, rogas a bondade do Pai Celeste, a
                                                  (vir proteger os filhos teus!

Cabedelo/PB, 07/05/2013

-21-
Mães
Sônia Rego

Todos os nossos dias são teus,
mães, musas dos versos meus
que amam e sem medidas,
seus filhos, por toda sua vida.

Nessa homenagem singela,
digo-lhes, mãe é sempre bela,
pois guarda no coração sofrido,
todo amor aos filhos queridos.

Rendo-me à tua imensa força
e rogo a Deus que nos ouça...
Mães que amam de verdade,
seus filhos, por toda eternidade

São Paulo/SP, 08/05/2013

-22-
Minha Pobre Mãe!
Humberto Rodrigues Neto

Não me perguntes a razão do pranto
que ao lenço enxugo no escorrer do rosto,
ao lembrar-me, em tristíssimo desgosto
do amor de minha mãe, tão puro e santo!

Era de ver-se, da rosa, o meigo encanto
que ela, na sala, em vaso havia deposto!
As toalhas alvas, o jantar disposto,
e o amor em tudo, generoso e tanto!

Ouvia-me as queixas, me infundia bondade,
a crença em Deus, no amor e na verdade,
num céu que se abre aos corações bondosos!

Eis por que eu choro: deu-me tudo, enfim,
pra sucumbir, depois, num vil festim
de cem bilhões de focos cancerosos!

São Paulo/SP

-23-
Mãe Palavra Sublime
Daniel Brasil

Mãe preta, amarela e branca;
Três cores que Deus criou...
Em amor as transformou,
Com sua perfeita sabedoria,
E a Santa Mãe Maria...
Que a Cristo amamentou!

Mãe, palavra tão benta,
E de imensurável valor
Nome tão acolhedor,
Que a gente venera...
Mãe, ao filho considera,
Com sublime AMOR!...

Três letras magníficas:
"M" de Maria,"A" de amor
"E" de esplendor,
E que assim seja,
Mãe, nos proteja,
Com bênção do Senhor!...

Porto Alegre/RS

-24-
Mãe, mamãe, Mainha...
Fátima Peixoto

Não importa como somos chamadas,
O importante é o carinho que recebemos.
Mainha é assim que me chamam.
Ser Mãe, Mamãe, Mainha...
Não é uma tarefa fácil,
É uma tarefa prazerosa
Ser geradora de vida,
Saber que alguém precisa do seu amor.
Não existe coisa mais sublime,
Cuidar de um ser indefeso,
Que depende do seu amor, carinho, atenção para sobreviver,
A maternidade é um presente do nosso PAI,
Que dá sentido na vida da mulher
Uma responsabilidade que acompanha a vida toda,
Por isso não é qualquer pessoa que pode ser mãe,
São as escolhidas por Deus,
Mãe, Mamãe, mainha...
A que fecunda, cria, cuida, dá amor.

Meu beijo para todas as mães, em especial as mães poetisas.

Cabedelo/PB

-25-
Foi Você Mãe
Edécio Mergener

São José dos Pinhais/PR

-26-
Frágil Ser...
Marco Amado

Obra divina da natureza
Inspiração do Criador
Mãe metáfora da criação
Útero sagrado
Singela beleza
Repleta de emoção

Mãe, mediadora da vida.
Às vezes incompreendida
Outras espezinhadas
Mas nunca sobrepujadas

Mãe, ventre sagrado,
Alma abnegada
Dedicada de coração
Esquecendo muitas vezes a razão
Em defesa de sua prole

Mãe, guerreira
Que ri,
Que chora,
Humana
Carinhosa,
Leoa,

Mãe, mistério do Universo
Nem a ciência e nenhum verso
Podem explicar
Tamanha grandeza
Em tão frágil ser

Ilha do Governador/RJ, Ocram 08/05/2013

27-
Minha Mãe?
Audelina Macieira

Quem é ela?

Esta mulher que pouco convivi
E muito me deu amor, me acolheu
Em seus braços eu me aqueci
Em seus seios me alimentei

Quem é esta mulher?

Que lutou como guerreira
Sonhou como criança
Beijou como mulher
E ainda vive em minha lembrança

Quem é essa heroína?

Que carregou oito filhos em seu ventre
Que trabalhou manhã, tarde e noite sem parar.
Que não dormiu, quando teve sono
Que comeu quando podia , talvez um pão por dia

Quem é ela?

Me digam!

Pois eu não posso definir
Esse amor
Essa benevolência
Essa natureza feliz

Me digam!

Oh! Homens da terra

Vocês que tudo sabem
Pesquisem, falem para mim
Vá até os magistrados de alta
Relevância e me respondam se puderem

Quem é ela?

Mulher de origem nobre
Inteligente
Forte
Digna
Sonhadora
Doutora
Princesa
Dona da casa
Rainha do lar

Quem sabe quem é ela?

Ninguém
Alguém
Todos
Nós
Filhos da herança
De um exemplo
De vida
Mulher e Maria
Bela no altar como santa feliz
Castigada como uma meretriz
Seu olhar de luz me iluminou
Quem sabe ela é madame
Ou feirante, professora, oradora
Bordadeira, uma boa enfermeira
Poetisa da vida que levou
Quem sabe ela é imortal
Seu corpo não existe mais
Mas seu olhar vive
E persiste, em me avisar
Estou aqui.

Quem é Maria?

Maria são todas as mulheres
Belas, fortes e sinceras
Maria é uma poesia dinâmica
Inclinada para o sol
Iluminando a terra
Que sem Maria
Não brilha

Quem é Maria Macieira?

Minha mãe
Minha guerreira
Minha referência
Minha professora
Minha amiga
Minha estrela

O dom do amor
A essência da flor mais bonita
Os braços que me acalentou
A voz que embalou meu sono

A marca da minha infância
E o encontrar da maturidade
A verdade em mim
E a segurança de saber de onde vim

A mulher chamada Maria
Nenhum homem podia defini lá
A Maria mãe
Nenhuma palavra
Podia definir ou
Exemplificar, o amor
Que vem da alma
Feminina da Maria
Minha mãe
Nem mesmo o tempo
Pode apagar o semblante
Dela em mim
Nem mesmo eu sei
Explicar este sentimento
Esta emoção
De ter sido filha
Da criação de Maria
Que honra foi a mim dada
E só Deus poderia me tira lá se
Assim o quisesse.
Mas na sua infinita bondade deu-me Maria como mãe

Quem pode entender o amor de Maria?

Deus!
Somente o altíssimo
Que criou a Eva
Sabendo que seria
A mãe de todas as criaturas
A mãe do Salvador
A Maria mãe
A mulher Maria
Remanescente
Filha e neta
Seguindo
Em formação e formando gerações
De homens, que sem elas
As Maria não existiriam

Minha Maria , minha Mãe!

Que embora mãe foi poesia
Que embora mulher foi professora
Que embora sofrendo
Sempre sorriu para dor
Sempre lutou contra opressão
Sempre dividiu a farinha e o pão
Maria é vida
Que se renova em cada amanhecer
Em cada choro de criança
Em cada voz que canta
Em cada pingo de chuva que cai
Do céu, assim é Maria
Abençoada e imaculada
Criação do Eterno
Assim são todas as mães
Assim são todas as mulheres.

-28-
Paulo Rodrigues

Sorocaba/SP

-29-
Linha Direta
Lourdes Ramos

Alô!
Oi, mãe!
Iluminada de Deus
Eu sei que está muito bem
Já criou todos os filhos
Já os fez crescer na vida
Já os ensinou também

Já curou suas feridas
Deu colo se foi preciso
Deu broncas, beijos e abraços
Já os carregou nos braços
E dentro de sua barriga...

Mas o tempo se passou
Seus passos ficaram lentos
Seus braços enfraquecidos
Porém sempre acessíveis
Com suas mãos estendidas
Prontos para abraçar

Com toda a sua ternura
Quem vai a sua procura
Precisando de carinho
Como pássaro sem ninho...
Eu voltei para seus braços

Volto às minhas raízes
Vou ficar bem pequenina
Para caber em seu colinho
Para refazer os laços
Para desatar os nós

Pois quem tem ou teve mãe
Tem com tudo e não está prosa
Nunca vai ficar sozinho...
E não venha me lembrar
Que seu tempo já se passou
Porque Deus já a chamou
Para com Ele viver...

Pois quem amou desse jeito
Nunca tirará do peito
O direito de ser mãe

Perdão, mãe por eu querer
Que fique sempre comigo
Eu ainda posso vê-la
Longe ou perto, é meu abrigo

Mesmo virando uma estrela
Ainda vela por mim...
Mãe, minha mãe
Vá com Deus...

Não, não, mãe...
Estou muito bem!
E...
Quem foi que disse, mãe...
...Que eu estava chorando?!
Mas...

Eu estou chorando, sim!

Rio de Janeiro/RJ

-30-
Do filho para a mãe.
Elzio Luz Leal

O encontro que eu tive,
Com a mulher que ainda vive,
E viverá no meu coração,
Foi ele que em mim marcou,
E essa marca sempre ficou...

O parto, o nascimento,
Marca de fato o momento,
Da ligação de duas vidas,
Que unidas, num só trilho,
Tornam-se a mãe e o filho.

Daquele dia em diante,
A vida mudou num instante,
Pra aquela jovem mulher,
Que se dedicou totalmente,
Em fazer feliz, contente,

Ao filho que dera à luz.
E quem concebe conduz,
Conduziu a minha vida...
Para que eu seja feliz,
Como ela sempre quis.

Rio de Janeiro/RJ

-31-
Resiliência e empatia
Marina Martinez

Cristina sacudiu os longos e tratados cabelos, afivelou a máscara de “tudo bem, vamos em frente, vai dar certo” e entrou no quarto da filha. Uma cuidadora estava com a menina, olhar terno observando aquele serzinho preso a fios, sondas, lutando pela vida. A mãe sentou-se ao lado da cama e ficou olhando, tentando demonstrar alguma coragem. A cuidadora contou-lhe que a menina lhe disse ter sonhado que jamais seria bonita como a mãe, nunca sacudiria os cabelos como ela. Cris fechou os olhos, passou as mãos naquela cabecinha nua e sentiu o peito apertado. Beijou-a. Pediu à cuidadora para permanecer mais um pouco no quarto. Levantou-se, pegou a bolsa, saiu. Pouco depois, voltou. As pessoas que a conheciam estranharam-na, mas seguiu sem olhar para os lados, até a enfermaria onde Betinha estava. Uma enfermeira a olhou, admirada, sacudindo a cabeça de forma positiva e sorriu. Entrou no quarto, ignorou o ar surpreso da cuidadora, sentou-se na cama da filha, agora acordada. A criança arregalou os olhos e apertou com força a mão da mãe. Cristina respirou fundo, baixou sua cabeça até a mão da criança e explicou que, por amá-la muito, fez a única coisa que poderia torná-la quase tão linda quanto a filha.

Porto Alegre/RS

-32-
Da natureza dos guepardos
Odilon Machado de Lourenço

Quando mamãe guepardo voltou da caçada
Trouxe uma presa à boca de fera
Os guepardinhos saciaram a fome
Lambiam-se e retorciam-se na relva ensolarada
Mamãe guepardo olhava a família feliz
Ela sabia do amor devido aos filhos
Sabia ser isso, mais nada.

Florianópolis/SC, 04-05-2013.

-33-
Tantas mães
Odilon Machado de Lourenço

Lembro da minha vó
Mãe de meu pai – vó Mariquinha
Tanto zelo tinha ela, muita vida e luz
Dos netos que são tantos
Me chamava de o mais novo
Gostava de estar por perto, junto ao fogo ou no jardim
Contava muito seus sonhos
Sonhava muito vovó
Meu pai ia vê-la e me levava consigo
Pedir benção à vovó e ouvir sua voz calma
Contava muito o que vira em cem anos de vivências
Um dia vovó mudou pra mais longe de meu pai
Ele sempre viajava pra beijá-la e pedir benção
E me falava em viajem
Cuide sempre de sua mãe.

Florianópolis/SC, 12-05-2013.

-34-
Mãe
Rosana Carneiro

Traz a paz que eu preciso
O sono que me restaura
A calma para minh’alma
O aconchego que mereço
O alimento que me fortalece
O calor que me aquece
É fortaleza e abrigo
É paz, amor e emoção
É carinho, segurança e paixão
A voz que me equilibra
A música que me tranquiliza
0 sonho que me realiza
Indispensável num dia de dor
E também na mais doce alegria
Mãe: o amor em forma de mulher...

São Paulo/SP

-35-
Um pedido materno!
Deomídio Macêdo

Filho, querido filho!
Ao sair com seu carro a transitar
pelas ruas engarrafadas do nosso país!
Ore e lembre-se de mim.
Quando alguém por descuido,
ou mesmo por ignorância te fechar
impedindo-o de passar , Acalme-se!
Ao encontrar a placa com o sinal de PARE! Obedeça!
Se por ventura o carro que estiver em sua frente, desligar o motor! Não buzine, espere!
Quando encontrar a faixa de pedestre, observe se alguém deseja passar. PARE sorrindo! “Pé na faixa, pé no freio”.
Se o sinal amarelo – ATENÇÃO – ascendeu PARE! Porque o sinal de perigo está próximo. Respeite!
Se uma bola atravessar em frente ao seu carro, ESPERE! Uma criança virá.
Defronte à escola toda atenção é redobrada, um estudante poderá surgir inesperadamente!
O seu buzinar constante, não vai fluir o trânsito, ao contrário, você conseguirá atormentar todos que estão na mesma condição.
Ao ouvir o soar da sirene do corpo de bombeiros, carros policiais e ambulâncias dê passagem.
Ao dirigir não atenda o celular e se beber não dirija.
Não pare em locais reservados para idosos ou para pessoas com deficiências.
Respeite sempre os sinais de trânsito, os pedestres, crianças, idosos, motociclistas, ciclistas. Você pode ser tudo isso no dia a dia e se atender o meu pedido será um idoso que precisará de atenção.
Em cada ser que encontrar no trânsito, lembre-se de mim que te ama muito filho querido.
Ao entrar no seu carro ORE!
E quando estiver na via pública, enxergue no outro ser humano: VOCÊ.

Salvador/BA

-36-
Mãe de Corpo e Alma
Akasha De Lioncourt

Sabiamente ela organiza,
Todo o seu dia-a-dia,
Dedica-se integralmente,
A dar-nos prazer e alegria.

Desde o café da manhã,
Ao ultimo lanche do dia,
Senta-se sempre por último,
E lhe cobramos a companhia.

Amor, dedicação e cuidados,
Sempre nos dá a mãezinha,
Com um sorriso nos lábios.

Hoje, no seu dia especial,
Quero dizer-lhe, mãezinha.
Amo-te, e é um amor sem igual!!!

São Paulo/SP, 13/05/2007

-37-
À Minha Mãe
Carlos Reinaldo de Souza

Mãe, quanta saudade do nosso lar
guardo no fundo d'alma, com carinho;
vibrações de amor voltam a pulsar,
quando penso em ti, agora sozinho.

Neste momento envio o meu cantar,
em homenagem ao antigo ninho,
que construíste, em luta sem cessar,
seguindo, com papai, nosso caminho.

Ouve, mãe, este meu canto sofrido:
desde que tu partiste deste mundo,
sinto o quanto fui amado e querido.

Eu sei, também, o quanto fui ingrato:
enquanto doaste um amor profundo,
o meu amor foi pobre e insensato.

Conselheiro Lafaiete/MG

-38-
Dia das Mães
Judite Krischke Sebastiany

O tempo passa,
tudo no mundo muda.
somente não passa,
somente nao muda

Nossa filiação origem,
primeira relação de afeto
relação mais intima
com o peso da montanha.

Eu-filha, muita gratidão,
reconhecimento, lição.
Eu-mãe, experiência única,
crescimento, maturidade.

Clamo ao mundo,
aos cientistas, aos governantes:
Mudem tudo, menos isso.
Não nos tirem as mães.

Salvem o Dia das Mães!
Salve o Dia das Mães!
Salvem as mães, a maternidade...
Salvem a filiação,, a relação.

Porto Alegre/RS

-39-
A Melhor Parte de Mim
Pinho Sannasc

Eu sou quase um ser completo
Salvo as imperfeições…
Sou derivado e concreto,
Feito a partir de frações…

Eu sou filho, eu sou neto,
Eu sou fruto de um ventre
Que, aliás, já foi um feto…
Regalo de uma parturiente

Generosa porção também
Sou quem sabe, uma obra de arte
Eu sou uma parte de alguém
Que também é minha parte

Sou pedaço de um todo
E sou todo feito em pedaços
Às vezes, pra ser o dobro,
Eu necessito de um abraço…

De colo, carinho e alento,
De afago, afeto e amor…
Eu sempre serei o rebento
De alguém que me gerou

Descrevo-me tão somente assim
E não tem nada ver com nobreza…
É porque a melhor parte de mim
Se chama mãe, com certeza!

Salvador/BA









SELO DE PARTICIPAÇÃO









MÚSICA DE FUNDO

Mamma

Mamma son tanto felice
Perche retorno da te
La mia canzone ti dice
Che il pui belgiorno per me
Mamma son tanto felice
Vivere lontano perche

Mamma solo per te
La mia canzone vola
Mamma sarai con me
Tu non sarai piu sola
Quanto ti voglio bene
Queste parole d'amore
Che ti sospira il mio cuore
Force non s'odono piu
Mamma ma la canzone mia, piu bella sei tu
Sei tu la vita e per la vita non ti lascio mai piu

Sento la mano tua stanca
Cerca i miei reccioli d'or
Sento e la voce ti manca
La ninna nanna d'allor
Oggi la testa tua bianca
Io voglio stringere al cuor
  Mamãe

Mamãe estou tão feliz
Porque retorno para ti
A minha canção te diz
Que é o dia mais bonito pra mim
Mamãe estou tão feliz
Viver longe por quê

Mamãe, só para ti
A minha canção voa
Mamãe, estarás comigo
Não estarás nunca sozinha
Quanto te quero bem
Estas palavras de amor
Que te suspira o meu coração
Talvez não se ouvem mais
Mamãe, a minha canção mais bonita és tu
Tu és a vida e pela vida não te deixo nunca mais

Eu sinto a tua mão cansada
Procurar os meus cachos de ouro
Ouço e te falta a voz
A canção de ninar de então
Hoje a tua cabeça branca
Quero abraçar ao meu coração














|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||





Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados