ENCERRAMENTO E AGRADECIMENTOS

Caríssimos Confrades e Confreiras Cappazes, alcançamos a 56º Ciranda Mensal. Esta nominada – PAZ, HARMONIA E AMOR – aufere-nos aos pensares versados desses sentimentos que devemos manter arraigados como caudaloso magma pulsante em nossos dias.
Os textos aqui apresentados seguem nossos laços mais valiosos dentre o que há para brindar a vida, para mantermo-nos recitando as palavras das irmãs e irmãos da Confraria e mais uma vez soltando as sementes necessárias das vozes ao papiro, colhendo os frutos poéticos que nos oferta nossa lavra.
Por todas as palavras que compõem a Ciranda de setembro/outubro ficamos-lhes gratos.

Balneário Camboriú/SC, 05/10/2013
Odilon Machado de Lourenço







INTRODUÇÃO

CARÍSSIMOS CONFRADES E CONFREIRAS!

PAZ, HARMONIA E AMOR!

Estas três palavras evocam, de imediato, um sentimento maravilhoso: a Felicidade!
A Paz que o Homem busca incessantemente é o caminho, no pensar valioso de Gandhi.
A Harmonia, poderosa força interior, é o elo que nos conduz à PAZ!
E o Amor é a ponte que transporta o homem da condição humana à dimensão divina.
Que outras palavras seriam mais eloquentes para despertar a emoção e a inspiração dos(as) Cappazes?
Estão aqui, diante de vós, as três alavancas mágicas que vos conduzirão à Felicidade:
o caminho, a força interior e a ponte!
Eu vos convido, Confrades e Confreiras, a seguir o caminho indicado pelo Ícone Mahatma Gandhi, mobilizando vossas forças interiores e atravessando as pontes que vos levarão à Felicidade!
Portanto, que vossos pensamentos se materializem em prosas ou versos, inspirados pela trilogia da 56ª Ciranda CAPPAZ, seguindo os caminhos de Gandhi, movidos pelas poderosas forças interiores que habitam vossos mais íntimos recessos e atravessando as pontes que vos conduzirão ao vosso mais caro anseio: a FELICIDADE!

Carlos Reinaldo de Souza.
Regional de Minas Gerais.
Lafayette, 24 de setembro, primavera de 2013.





PARTICIPANTES

01  Akasha De Lioncourt  06 e 07
02  Carlos Reinaldo de Souza  33
03  Deomídio Macêdo  14
04  Élio Cândido de Oliveira  24
05  Eloísa Antunes Maciel  11
06  Elzio Luz Leal  20
07  Fátima Peixoto  21
08  Guacira Maciel  25
09  Humberto Rodrigues Neto  08
10  João José Oliveira Gonçalves  16
11  José Maria de Jesus Raimundo Silva  26
12  José Otoniel da Costa  19
13  Joyce Lima Krischke  30 e 31
14  Judite Krischke Sebastiany  29
15  Lina Macieira  17 e 18
16  Marcelo de Oliveira Souza  02
17  Maria das Neves Pereira Barbosa  22
18  Maria de Lourdes Maia Gonçalves  15
19  Marina Martinez  23
20  Odilon Machado de Lourenço  09 e 10
21  Paola Rhoden  05
22  Paulo André Morais (PAMPOETA)  03 e 04
23  Paulo Rodrigues  32
24  Rosana Carneiro Bado  27 e 28
25  Roseleide Santana de Farias  34
26  Sidney Santos  01
27  Vera Passos  12 e 13






PARTICIPAÇÕES

-01-
Pétalas
Sidney Santos

Percorro o caminho da paz
Sigo pelo mundo afora
Com o belo que a vida nos traz
Meu momento é sempre o agora

Cantando felicidade
Versos de coração
Lutando por igualdade
Nas linhas da oração

Voando nas asas do vento
Deixo versos, poesias
Para os amigos, alento
Pétalas de alegrias

Santos, outubro de 2013.
Poeta Dos Sonhos



-02-
O Sol e a Lua
Marcelo de Oliveira Souza

O sol nasce,
Uma expectativa de irradiar
Toda alegria durante o longo do dia.
Num crepúsculo doloroso
Para a estrela
Em um clarão de energia
Iluminando a vida por todos os lados.

A sua existência persiste
Sobressaltando os percalços
Até chegar o seu triste destino,
Para dar lugar à lua passar.
Involuntariamente cede sua vida
Num crepúsculo novamente doloroso e triste agora!
A lua vem imponente na sua hora
Apresentando várias facetas com sua imprevisível forma,
O destino solar é indiscutível!

A lua e o sol
Partes da vida que todos têm que enfrentar
Num fatalismo irreversível
De estrela e satélite
Devorando indiscutivelmente
A vida que brota, frutifica e esvai,
Como a natureza exige de todos nós
Que pensamos controlar tudo ao nosso redor
E não controlamos absolutamente nada!

Salvador/BA



-03-
Lágrimas em bancos de prisma
PAMPOETA

Peço para mim a lápide de sol de prata...
Lograrei entre o varal da luz de arrebol...
D' alma ouvirei ao Torneró em serenata...
Melodias de violinos de notas o rouxinol...

E estarei contigo sempre... sabes que sim...
Almas gêmeas... poesias ao lago das rosas...
Os meios foram recomeços e nunca o fim...
E lembra-te àquela !!! Choramos em prosas...

De repente... lágrimas em bancos de prisma...
O perfume de Floratta sua... crava-me a pele...
As íris reconhecer-te, amamos em outra vida...
Em Deus entre os álamos de arco-íris e revele...

E ainda não tens noção da dimensão do amor...
Novamente precisarás das falanges dos anjos...
Da rocha ex traiu-se pedra da pedra a bela flor...
Então chegarás em sonhos centenas de arcanjos...

Andas tão triste mulher ??? Leio-te e sinto dor...
E andamos nas avenidas... tardes, quase luando...
Mãos atadas e corações felizes, noites de calor...
E confesso-te também... sem rumo... vou andando...

Não poderemos partir sem atarmos um novamente...
Lembra-te da una semente ??? Obra da revelação !!!

Goiânia/GO



-04-
Moça no banco me beija
PAMPOETA

Vejo uma rosa molhada...
E ouço o sino da igreja...
Do mel doce orvalhada...
Moça no banco me beija...

E no santo de barro a fé...
São dezoito horas e até...
O pão de queijo e o café...
Casa branca com chaminé...

E ouço o sino da igreja...
E quando o padre rezar...
Silêncio e a vela acesa...
Moça no banco me beija...

Vejo uma rosa molhada...
E ouço o sino da igreja...

Goiânia/GO



-05-
Paz, Harmonia e Amor
Paola Rhoden

O ser humano se disfarça em canto
Toda vez que as flores surgem
Entre o verde a espalhar beleza

Somos fortes, às vezes nem tanto,
Em uma felicidade que urge
Ao ver o sol iluminar a natureza

Porque a paz que nós queremos
Depende da harmonia total
A qual devemos dar mais valor

Porém, para isso dependemos
Da cooperação geral
Ao som suave do Amor

Brasília/DF



-06-
Falar de Amor
Akasha De Lioncourt

Se eu puder falar de amor,
Falarei dos sonhos e das fantasias
Que eu alimentava, sem muita esperança.
De torná-los realidade um dia.

Se eu puder falar de amor
Vou falar das desilusões sofridas
Que me ajudaram a desacreditar
Da existência de um amor verdadeiro.

Mas, se eu puder falar de amor
Vou contar também que existe um Deus
Maravilhoso, Pai, Misericordioso
Que me trouxe à vida, renascida

E vou falar que Deus, esse Pai Amado
Aos meus ouvidos, sorrindo, sussurrou:
“Por que choras, se te reservo alegrias,
Olha adiante, tens um verdadeiro amor!

E, se eu puder falar de amor,
Com olhos rasos d’água, vou contar
Que tenho um grande amor, que me completa
E me faz feliz e é feliz comigo

Ah, se eu puder falar de amor!
Vou dizer que amo, e que sou amada...
E sou a mais venturosa das mulheres
Pois encontrei, de verdade, o meu verdadeiro amor.

São Paulo/SP



-07-
Quando Existe Amor
Akasha De Lioncourt

Quando você aprende a amar de verdade,
Descobre que é um sentimento muito mais profundo.
Nem sempre corresponde à nossa realidade,
E pode modificar até o destino do mundo.

Há quem renuncie ao amor pelo amor,
Mas não se conforma e não o deixa partir.
Não compreende que o amor incondicional,
É aquele que liberta o ser amado e o deixa ir.

Se amar é desejar que o ser amado seja feliz,
Então precisamos aceitar que talvez seja em separado.
Que ambos viveremos mais livres,
Do que se estivéssemos lado a lado.

A dor da separação pode ser muito sofrida,
Mas não necessita ser, obrigatoriamente, eterna.
Se tiver de ser, não há força nesta vida,
Que impeça o reencontro e a união fraterna.

Amar é saber o momento de libertar,
Sem mágoa, sem pesar, sem dissabores.
O amor sabe a hora de voltar,
E fazer renascer velhos amores.

São Paulo/SP



-08-
Isto é paz, harmonia e amor
Humberto Rodrigues Neto

Ah... quantas vezes, em visão risonha,
livre do mundo a nossa mente sonha
que voa leve nas azuis alturas...
E é nesse instante mágico e impreciso
que nos é dado ver, do paraíso,
o tão sonhado mundo de venturas!

Isso acontece porque as nossas almas
soltam-se em busca das paisagens calmas
da dimensão que um dia lhes deu origem...
Enquanto de fadiga adormecemos,
por mecanismos que já compreendemos,
aos seus primevos lares se dirigem.

Valem-se, pois, do lânguido abandono
das nossas horas de profundo sono
para rever suas celestiais guaridas...
Da terra fogem aos venais meandros,
pois só livres dos cárneos escafandros,
podem viver suas verdadeiras vidas!

São Paulo/SP



-09-
Pintura do Sol e da Terra
Odilon Machado de Lourenço

O Sol fez meia lua no horizonte
A Terra ia dançando, girando, girando...
Mais o Sol subia mais luz vinha
A Terra continuava sua dança, girando, girando...
Tudo Nela tinha cor e movimento
O Sol ia aquecendo e os orvalhos descendo
À Terra um alguém ia plantando e dançando
Ao Sol ia esquentando e o calor aumentando
À Terra um alguém ia capinando e dançando
Mais alto ainda o Sol ia clareando
Na Terra um alguém ia colhendo e dançando
Girando, girando, girando, girando.

Florianópolis/SC, 21-09-2013.



-10-
Das regências
Odilon Machado de Lourenço

A noite sublima os pássaros
Uns dormem empoleirados nos galhos mais altos
Outros dormem sobre os ninhos
Há os que buscam alimento à noite
A Natureza deu lugar e fomes diferentes aos pássaros
No meio ao silêncio a noite acorda ao cantar do Urutau
Os pássaros que acordam ouvem seu canto e voltam a dormir
Outros seguem acordados esperando o momento de ouvi-lo e
também cantam seus cantos de pássaros
A noite se torna canto e mais canto
Quando todos cantam as vozes da mata Urutau se
aninha ao seu mimetismo e ouve a alvorada
No auge da ópera a noite entrega ao sol a sinfonia do amor.

Florianópolis/SC, 21-09-2013.



-11-
Paz, harmonia e... Amor.
Eloísa Antunes Maciel

Se a PAZ é “o estado d´alma” em que a infinitude do Amor Universal se revela sob o prisma do amor humano, sobremaneira por seus testemunhos de solidariedade, fraternidade - e toda uma gama de sentimentos que convergem para o entendimento e para a construção de um mundo melhor, a HARMONIA, por sua função e finalidades tende a caracterizar-se como expressão dinâmica da PAZ na consolidação do AMOR UNIVERSAL pelas vias do amor humano, em testemunhos nos quais sua providencialidade se faz símbolo e sinal...

Símbolo em que se expressa a genuína mensagem de PAZ; sinal de que o advento de um “reinado de paz” não será uma mera utopia, mas uma realidade possível – e necessária...

Portanto, se a PAZ faz-se anunciar e tende a prevalecer através da HARMONIA, em função do AMOR UNIVERSAL – ou simplesmente do AMOR, no seu sentido pleno, toda ‘paz’ que não se expresse pela verdadeira harmonia não expressaria o AMOR que se faz objeto de sua destinação nos domínios da vivência humana...

Que a PAZ reine e se efetive nas “asas” da HARMONIA... E que o AMOR, na sua plenitude, venha a concretizá-la em todos os domínios da Humanidade!

-12
Vida
Vera Passos

Na derradeira etapa da derrocada viagem,
Esgueiro-me pela rua afora, para alinhavar...
Sacudirei o pó amargo da desilusão, da maldade.
Das pessoas que foram pedras na jornada
Das palavras que não passaram de convulsão
Deixaram marcas no coração.
Eu tenho coragem sim para dizer adeus, no silêncio
Aos que foram Pilatos mesmo podendo ser Cirineu
Dos que me julgaram sem saber quem sou eu
Eu levo meu universo no dorso e me desconheço
Carrego passado e presente, raiz do meu futuro
E tantas vezes me sinto insegura, sem sonhos, só dor
Transito por caminhos na luz, oásis e breu
Eu tentei fazer feliz, algumas almas obscuras
Desprovidas de amor, de carinho e ternura
O abraço delas me embriagou e me deixou no ar...
Aliviou minha alma e construiu meu céu.

Salvador/BA

-13-
Pelos caminhos
Vera Passos

Caminhos ainda inóspitos nesse País gigante nos conduzem lentamente nas descobertas do que nele existe e nos surpreendem. Aproveito meu ócio, tão raro nos meus dias, embrenho-me nas sendas da investigação e descubro coisas pequeníssimas que não sei o nome e nem sei se alguém tem conhecimento. Fito no meio de plantas rasteiras, cores variadas que, olhando à distância seria impossível descobrir a delicadeza. Rendo-me ao encanto da variação de cores e formas, tenho medo dos meus pés possam machucá-las. Agacho-me e num espaço tão pequeno, flores tão perfeitas e minúsculas enfeitam os caminhos que percorro, nesse momento. Parece-me impossível recortar com tanta primazia, destreza e elegância, pétala por pétala , uma após outra e tão resistentes que nada as destroem. Lembro-me das pessoas que à primeira observação não ostentam nenhuma beleza, não se destacam nos ambientes sociais e ao conhecermos percebemos o quanto possuem de generosidade e conhecimento a transferir para quem as cerca. Sigo a minha caminhada hipnotizada e curiosa, vislumbro mais adiante, bichinhos que andam enfileirados levando uma carga que imaginamos ser maior que seu próprio peso. A organização desses seres pequeninos me encabula. Uma sociedade perfeitamente organizada a qual causaria inveja a qualquer ser humano. Muito se fala das formigas e abelhas, porém só observando o trabalho que estes seres executam. Na caminhada outras coisas, estão sorrindo; claro tudo que se encontra na Natureza, tem sua missão a cumprir. Pássaros e pequenos répteis intercedem na mesma função de semear e polinizar algumas plantas, parece absurdo mas não é. Os pássaros sobrevoam as grandes altitudes levam nos bicos ou despejam suas fezes sementes que alcançam o alto das montanhas, haja reflorestar. Os pequenos répteis fazem o mesmo nos lugares mais baixos. Estes caminhos que percorro estão a poucos metros da minha casa, imaginem o quanto perdemos de conhecer nessa imensidão do Planeta e da Cidade onde vivemos. Parece estranho mas, à margem do Oceano Atlântico, das praias onde costumo ir, tem plantas idênticas as encontradas lá, na Caatinga. Pequenos cactos à beira mar e as multidões vão e voltam a este local e nem aí para o que encontram no caminho. Nesse poucos minutos de observação fico a refletir sobre o que deixamos de aprender durante a jornada da vida; de participar de momentos sublimes que a Natureza nos proporciona a cada minuto, como o nascer do sol, a chuva umedecendo o solo, a flor desabrochando no jardim, os pássaros da nossa janela, as formigas trabalhando sem reclamar, as árvores oferecendo frutos e proteção, o rio correndo estrada abaixo, o mar beijando a areia, uma mãe amamentando o filho, uma criança sorrindo... Perdemos tantas alegrias! E o pior perde-se tanto tempo com futilidades, com o desamor, com o consumo de drogas que antecedem a viagem ao PLANETA.

Salvador/BA

-14-
Estrelas cadentes.
Deomídio Macêdo

A humanidade perambulava inquieta e
ansiosa por uma âncora que pudesse ampará-la.
Quando Deus envia três estrelas cadentes:
A Paz, a Harmonia e o Amor, que brilharam intensamente
nos corações dos homens.
E a partir daquela data, todos que trilhavam os caminhos indicados pelas estrelas, venciam as tribulações, os espinhos e as dificuldades do caminho.
Sigam, pois, as estrelas cadentes e sejam felizes!

Salvador/BA

-15-
Música e cor, poesia e simplicidade
Maria de Lourdes Maia Gonçalves

Setembro é o mês dos tapetes de pétalas multicores. O equinócio de primavera anuncia a estação das flores no hemisfério austral e tudo se renova em sua jornada cíclica. O palco deste espetáculo é versátil e dinâmico: enquanto as flores movimentam-se banhadas de brisa, os pássaros traçam caminhos aéreos onde as notas de suas canções dançam a valsa e fazem bailar as borboletas, irmanadas às margaridas dos prados fecundos e ensolarados.
Tudo é música e cores, poesia e simplicidade. É hora do poeta encantar-se com a beleza que resurge no canto nupcial dos pássaros, inebriar-se com o aroma da estação, soltar sua poesia feito criança que lança e faz dançar seu papagaio de papel, simplesmente porque ama a liberdade.
Setembro é um mês mágico, não há quem possa negar. Transporta em suas asas preciosos átomos de alegria e de encanto e os espalha por todo o universo, com a cumplicidade das flores e das aves; da poesia que nasce livre e sem pressa de acabar... Das estrelas que salpicam o manto noturno com cristais cintilantes, filhos do Sol e da Lua. Daí a importância da simplicidade. Sem ela, não se alcança a plenitude da vida que vale a pena ser vivida. O máximo que se consegue, é ver de longe a fresta por onde passa a luz itinerante e benfazeja.
Ser simples é não complicar. É não pontuar o que não tem importância. É saber admirar a presença da primavera, toda bela em sua esplêndida singeleza e fulgor.
Observemos a natureza e ponderemos nossas conclusões. Como disse em outra oportunidade, simples e benéfico seria seguir os ciclos da vida, naturalmente...

Itajubá/MG

-16-
A Flor-da-Paz!
J.J. Oliveira Gonçalves

Se quem semeia flores colhe paz
Eu faço flor fragrante cada verso!
E ao Grande-Pai: Senhor do Universo
Eu louvo em cada rima que o Estro traz!

E na dorida e bela Semeadura
Desfraldo d’Alva Paz seu Estandarte
Buscando em cada irmão, em cada Arte
A Luz para alumiar a noite escura!

Triste noite do olhar empedernido
Do homem que sem Deus: sem coração
A Flor-da-Paz conduz à extinção!

Perdeu referenciais... Matou o sentido
Do próprio Caminhar... Conduz ao Nada:
A Terra que esqueceu - bela é Sagrada!

Porto Alegre/RS

-17-
Quem venceu esse jogo?
Lina Macieira


A guerra só é vencida na paz
O ódio só é vencido no amor
A vida vence a Morte
O homem não tem sorte
O homem tem Deus
Se o homem não tiver Deus morre.
O homem só é vencido pela mulher
A mulher só é vencida pelo filho
O filho só é vencido pela teimosia
Que inato a desobediência.
A fome vence o homem
que com fome morre ou mata
Mas, a fé alimenta a sua alma
e lhe traz a calma.
O dia vence a noite com a sua poesia
A poesia não vence ninguém, é vencida
pelas mãos que escreve e pela boca que declama
pelos ouvidos que ouvem a voz que exclama!
Nos corações a emoção que transcende a dor da saudade
a dor da partida , dor duida , a dor que não sente
que perdeu o jogo
E que foi vencida.

Salvador/BA



-18-
Alma
Lina Macieira

Oh! Alma intrépida
Entrega
Sua força
Para lutar por igualdade
Introduz no mundo
A razão
A sensibilidade
Oh! Alma ferida
Deixa
Inspirar
Amor
Insolúvel sentimento
Escasso nas almas que
Me cercam.

Salvador/BA

-19-
Paz, Harmonia e Amor
José Otoniel da Costa

Para vivermos em paz haveremos
De início darmos o primeiro passo
Em direção a mesma, buscando
No próximo, um nosso bom irmão
Nas dificuldades oferecermos a ele
A mão!
Ajudá-lo no sentido de reavermos
Dele o retorno, em retribuição
Mesmo isso não acontecendo convém
Selarmos a nossa amizade, gerando em
Nós, uma verdadeira harmonia aos nos
Unir sempre com cordialidade no dia a dia
E, se possivel, compormos até para ele
Uma amável poesia

Reavivaremos juntos um clima de paz
União harmoniosa, nascida no coração
Poderemos até, oferecermos a DEUS
Com bastante amor, uma fervorosa
Oração
Dando atenção e pondo em prática
O que nos ensinou JESUS CRISTO
Dizendo aos seus discípulos: " Amai-vos
Uns aos outros, assim como, vos amei!"
Unidos, fervorosos, humildes e harmoniosos
Viveremos, não só em palavras
Mas, em atos e gestos pacíficos
Compreensivos e cristãmente amorosos!

Jandira/SP

-20-
Paz , harmonia e amor
Elzio Luz Leal

Pacifica a sua mente,
Para poder viver contente,
Com paz, harmonia e amor.
A paz, Buda ensinou,
E Jesus também falou,
Elimina angústia e dor.

Com um mergulho na harmonia
O poeta,em divina sintonia,
Encontra a sua arte...
É quando surgem poemas,
Falando de todos os temas,
E ele faz a sua parte.

O amor, somente quem o sente,
Sabe que mexe com a gente,
Dispara o coração de quem ama
Então, quando se torna amante,
Na mente, se instala, num instante,
O brilho iluminado duma chama!

Rio de Janeiro/RJ

-21-
Paz, harmonia e amor
Fátima Peixoto

A vida é efêmera,
Não desperdice com angústia, mau humor, orgulho, inveja.
Valorize todas as fases da vida,
Procure ser feliz, leia, passei, brinque , dance...
Procure encontrar uma razão para acordar sorrindo,
Alegre-se por ter a oportunidade de viver mais um dia.
É um grande presente viver,
Viva em família, com os amigos,
Compartilhe o que aprendeu,
Procure a prender cada vez mais,
Viva em harmonia,
Confesse que precisa amar e ser amada,
Que o coração pede Paz.

Cabedelo/PB

-22-
Amor Andarilho
Neneca Barbosa

No percurso da caminhada compartilho
A luz que diviso bem além do horizonte
Trago no peito o amor tal qual um andarilho
Que sedento sacia sua sede n’água da fonte.

Passo a passo vou seguindo minha jornada
Cultivando flores, aparando os espinhos
Vem comigo! As setas indicam a estrada
Para juntos percorrermos nossos caminhos.

Veja os pássaros gravitando pelos ares
Esperam ouvir as nossas belas canções.
Vamos niná-los nas suaves ondas dos mares
Não deixemos que machuquem seus corações.

O cheiro do mato orvalhado na lembrança
O céu escuro anunciando uma tempestade
Remete-nos aos felizes tempos de criança
Que corríamos pelos campos em liberdade.

Vamos viver um mar de possibilidades
No palco da Vida que nos é apresentado
Sermos envolvidos por nossas realidades
Que fazem parte do nosso mundo encantado.

João Pessoa/PB, 05/09/2013

-23-
Paz, Harmonia, Amor
Marina Martinez

Antes de tudo, uma confissão: tenho relutância em escrever sobre esses temas. Por quê? Muitas palavras já foram –e outras mais serão- usadas para abordar tais assuntos. Talvez por estar vendo que os inversos aparecem mais. Mais guerras, mais desarmonias, mais ódio ou indiferença. Quem sabe hoje eu tenha acordado mais descrente do que nos outros dias, ou mais amarga, ou apenas tenha tirado as lentes cor de rosa e reparado que as nuanças mudaram. A pomba da PAZ deixou de ser branca e perdeu várias penas, esquivando-se de tiros perdidos. Mesmo que mude de país, sempre há um caçador à espreita, não importa o continente. O arco-íris simbolizava, para mim, a HARMONIA. Hoje, ao vê-lo, não sinto mais essa emoção: me parece esmaecido, sem brilho, cores emaranhadas e indefinidas. Essa descrição representa mais a da desarmonia, fazer o quê? Quem sabe a pomba da paz ande meio desnorteada por não mais poder se guiar pelo arco-íris? Conjecturas abstratas de quem acordou com dois pés esquerdos. Ainda querem que fale do AMOR? Confrades, agradeço sua paciência com minhas descrenças na humanidade. Amor! Dizer o quê? Acredito nele, sim. Não naquele amor incondicional, de contos de fada ou de gestos heroicos, ou o imposto pela sociedade ou religião. Acredito no amor “quebrado”, aquele que se apresenta aos pedacinhos, não de forma grandiosa ou ofuscante, mas o incluído em gestos aparentemente insignificantes: simples bom-dia, sorriso inesperado, mendigo dividindo um curto cobertor com seu fiel cachorro; gestos de apoio, sem julgamentos; palavras engolidas para não ferir e que serão ditas na hora certa. Amor não de propaganda de margarina, família feliz, alimentada, carro último modelo, mas amor de documentários sérios, onde todos podem morrer de fome, frio, guerra, mas não se separam. A não ser em casos extremos, quando a pomba da paz se esquiva de um tiro e a bala atinge uma criança, nos braços da mãe, ambas já condenadas à morte por inanição e ganância.
Ganância de notáveis césares que buscam harmonia, paz e amor.

Porto Alegre/RS

-24-
Harmonia, paz e amor.
Élio Cândido de Oliveira

Da divindade a se fazer, no bater de nosso peito
E como aqui estamos a tudo aprender, nesse efeito.
Constituirmos nosso caminho, a se providenciar.
Um belo espaço, que um dia aqui vamos deixar.

E, quantos e mais, já aqui estiveram já se foram...
Do alto, ou de onde se não se pode imaginar
Nesta grande obra pelo arquiteto veio lançar
Virtudes que herdamos, e o amor a nós uniram.

E dos mistérios que a nos são ocultados.
A certeza que os bens materiais, são emprestados.
Com certeza nada deles vamos assim levar
Na memória talvez cansada, lembramos do bem amar.

Paz é conquista, do dia, e de cada amanhecer
Ao levantar, o horizonte a beleza vem nos encantar
Entre quantas provas, e diversidade de reações.
O sorriso, a lagrima, o amor explosão de emoções.

Ibiá/MG

-25-
Mateus 18 ; 21 – 22.
Guacira Maciel

Perdoar...
a quem ?
a mim, a ti?
perdoar amplamente...
ao teu irmão que te trai,
subtrai, decepciona e te mente!
estas, são as interpretações
de simplórios pescadores,
inocentes seguidores,
Marcos, Mateus ou Joões.
Setenta vezes sete
ou sete vezes setenta?
ah, coração, te aguenta!
é muito perdoar,
são quatrocentos e noventa!...
trezentos e sessenta e cinco,
concedendo um cada dia;
e agora, que faço eu,
dos cento e vinte e cinco
que, afinal, sobrariam?

Salvador/BA

-26-
Paz
José Maria de Jesus Raimundo Silva

Paz, harmonia e amor.
São os desejos de todos que amam a Deus.
Não as guerras...
terrorismo...
assassinatos...
traições...
estupros...
orgulho...
racismos...
inveja...
ganância.
É preciso harmonia.
Para ter paz o mundo precisa incendiar-se de amor.

Varginha/MG

-27-
A Paz de Renascer
Rosana Carneiro Bado


Sob a luz da lua
Atravessou a noite escura
Auxiliada pelo brilho das estrelas
Seguindo os minutos reservados
Aos vivos e mortos
Aos inertes e absortos
Aos complacentes e adjacentes
Amanheceu o tempo
Carregando consigo o máximo das ranhuras
Até que o sonho mágico do anoitecer
Leve novamente consigo
A certeza que amanhã
Haverá um novo dia
Seja para os vivos ou para os mortos
Mas será um novo dia...

São Paulo/SP



-28-
Entre a Paz e a Guerra
Rosana Carneiro Bado

Cansada de procurar e não encontrar.
Esgotada ao tentar dar nó em pingo d'água.
Repleta de tentativas para encontrar soluções.
Inerte diante às expectativas em vão.
Preocupada com o caminhar neste chão.
Certeira como flecha
que invade o espaço,
desloca o ar e ocupa com a força,
fincando seu objetivo com força no alvo da vida,
sigo agora pisoteando tudo o que me atrapalha.
Fortalecendo cada centímetro dos meus desejos.
Negando ser manipulada.
Decidindo tirar leite de pedra.
Me redescubro na minha força interna.
Se precisar, guerreio para ter paz,
E eu juro que não haverá neste ou em qualquer outro mundo,
ilusão ou dúvida.
Estou armada até os dentes.
Hoje, a revolta e o desejo de viver em paz invadiu minha alma.
A alma serena tornou-se forte, decidida.
Alcançou uma luz tão intensa que ofusca qualquer dúvida sobre fé, esperança e objetivo.
Sem dúvida, estou decidida a ser egoísta e cuidar só de mim.

Faz parte da minha guerra.

São Paulo/SP

-29-
Quisera ser como Francisco
Judite k.sebastiany


Quisera ser como Francisco:
Determinada, apaziguada
Desapegada da matéria.
Determinada a cultivar a paz:
Em mim; e ao redor, no mundo.
Apaziguada, ser alegre, “do bem”.
Sorrindo, tocando, abraçando.
Sem roupas de seda nem joias,
Por isso, sem medo de ladrões.
Sem nenhuma vaidade,
Feliz mesmo sem aplausos.
Quisera ser como Francisco de Assis
Mesmo morando aqui no Brasil.
Mistura de portugueses e guaranis,
De espanhóis e outros mais.
Quisera ser como Francisco,
Irmã do sol e da lua, na rua.
Irmã dos animais pequenos e grandes.
Irmã sim, de coração e de sangue.
Aquele Francisco de Assis, distante
Hoje se faz presente bem perto
Em todos aqueles que amam de fato.
Que se doam por uma “causa”: a paz.

Porto Alegre/RS

-30-
Árvore da Paz e o Abraço
Joyce Lima Krischke

Balneário Camboriú/SC

-31-
Árvore da Paz, do Amor e da Harmonia
Joyce Lima Krischke

Primavera... Das estações a mais bela!
Muitos dias esperei por ela
Árvore da Paz com folhas vestida
Que no inverno restou despida

Árvore do Amor por mim plantada
Aguardo na Primavera sua florada
Caminho feliz por entre as arvores
Relembrando todos os meus amores...

Árvore da Harmonia- florida
Nela as alegrias que oferece a vida
Ser uma flor lilás eu quisera...
Uma flor na Árvore da Primavera!

Árvore com folhas e flores coloridas
Na Primavera renascem suas vidas
Sinto na alma também o renascer...
A Paz, o Amor e a Harmonia florescer!

Balneário Camboriú/SC

-32-
Paz, harmonia e amor
Paulo Rodrigues



A paz do seu meigo sorriso
acariciou minha face
e fez morada no meu coração.

A formosura da sua face serena
passeia, a todo instante,
em meus pensamentos.

E quando nos encontramos,
a doçura do seu beijo,
em harmonia perfeita
com nossos planos e sonhos,
eterniza nosso amor.

Sorocaba/SP

-33-
Paz, harmonia e amor
Carlos Reinaldo de Souza

Paz, em primeiro lugar,
Garante nossa união,
Assim podemos amar,
Com a força do coração.

Depois vem a harmonia,
Completar esta missão,
Em perfeita sintonia,
Causando muita emoção.

Estamos prontos agora,
Pra completar nosso amor:
Tu serás minha senhora,
Eu serei o teu senhor!

Conselheiro Lafaiete/MG

-34-
Paz e felicidade
Roseleide Santana de Farias

PAZ, palavra singela tão pequenina
As três letras docemente se fundem:
Zelo, assistência, serenidade, permuta

E essência das atividades no coração humano.

Fecunda em dedicação, ternura, amor e paixão
Entre os seres que habitam a Terra, o Universo,
Liberando as energias provenientes do Cosmos
Integram-se entre si a harmonia nos elementos
Com a plena sabedoria da divina Força Maior, o
Intenso poder e controle na sagrada motivação
Deixando a luminosidade do amor expandir-se
Ao planeta terrestre que requer esses cuidados
Desvelo, cuidados, prudências em preservação
Entre os homens, Terra, animais, nossos irmãos.

Cabedelo/PB, outubro de 2013






SELO DE PARTICIPAÇÃO













|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

 


Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados