INTRODUÇÃO

Justiça e Paz no Brasil - Hoje!

Juridicamente, a Justiça se faz quando se absolve ou se condena alguém por algo que essa pessoa tenha feito e que se considerou crime contra a sociedade ou ao semelhante. Em alguns casos, também se considera Justiça, decisões sobre crimes cometidos contra alguns animais irracionais.
No Brasil, hoje, vemos muitas vezes a injustiça ser considerada justiça, quando alguns condenados nem são presos e, por outro lado, outros são presos sem nem mesmo serem condenados. Crimes gravíssimos nem são punidos, ao passo que pequenos crimes são considerados gravíssimos. A balança pesa facetas. Pensando bem, justiceiros e justiçados, ou vice e versa, se encontram para decisões que favorecem a quem dá mais. Seja em que situação for.
A realidade é uma só. A Paz depende do que se faz com as decisões de pensamentos, adequados ou não, sobre alguma coisa que se considere, também, adequada ou não. Mas, dependemos apenas de atitudes para que uma paz interior seja o reflexo de um mundo melhor. Só nós mesmos somos responsáveis pelo andamento das coisas, para que os termos justiça e injustiça sejam devidamente colocados no dia a dia do Brasil e da Paz.
Hoje somos os caminhantes dessa jornada pela qual somos os únicos responsáveis. E nada mais apropriado para a ocasião que este pensamento:
“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina!” (Cora Coralina)

Paola Rhoden
Confreira de Brasília/DF






PARTICIPANTES

01  Akasha De Lioncourt  12
02  Carlos Reinaldo de Souza  05
03  Daniel Brasil  15
04  Deomídio Neves de Macêdo Neto  07
05  Eloísa Antunes Maciel  11
06  Elzio Luz Leal  16
07  Fátima Peixoto  18
08  Fernando Alberto Salinas Couto  06
09  Humberto Rodrigues Neto  20
10  Joyce Lima Krischke  13
11  Lourdes Ramos  10
12  Marcelo de Oliveira Souza  03
13  Odilon Machado de Lourenço  08 e 09
14  Paola Rhoden  04
15  Rosana Carneiro  19
16  Sidney Santos  01 e 02
17  Sílvia Araújo Motta  14
18  Vera Passos  17







PARTICIPAÇÕES

-01-
Justiça
Sidney Santos

Igualdade ao cidadão
Respeito ao pleno direito
Alarde, primeiro preceito
Em toda Constituição

Estátua de olhos vendados
Em prol da legalidade
Pensamento enquadrado
Em tela de Liberdade!

Pintada em tintas à óleo
Obra de distinção
Não admite monopólio
Com a espada na mão

Santos/SP



-02-
Mar
Sidney Santos

Amor, sol e mar
Instantes de alegria
Histórias pra contar
Em cantos e poesia
Importância de um olhar
O calor de um abraço
Sentido do verbo amar
No âmago e no traço
Sol que no mar reluz
História da minha gente
Alegria que o amor traduz
Em ondas de um repente
Balança, equivalência
Serenidade ao julgar
Patrimônio das inteligências
Para verdade aforar

Santos/SP



-03-
Adolequentes
Marcelo de Oliveira Souza

A nossa sociedade parece estar estagnada, será que estamos avançando com essa legislação caduca?
Muita gente não é a favor da pena de morte, mas a criminalidade vem aumentando assustadoramente, aqui em Salvador prenderam um tal de Cebola, um cara mal encarado que confessou ter matado vinte pessoas, da última vez foi na chacina às margens da BR 324, ele e sua gangue matou seis pessoas.
Eles agora estão criando muitos “cebolas” em seus crimes, tem alguns que são mais perigosos do que os adultos, desde criança carregando um revolver, este tipo de pessoa cria uma resistência a fazer o correto e engendra no meio da criminalidade.
São uns verdadeiros “Adolequentes” uns estão na escola, levantam o terror no meio escolar, roubando e agredindo colegas, professores e funcionários.
Muitas vezes a direção não toma providência, ou até encobre para que o seu colégio não fique no alvo da imprensa, como foi o caso de um colégio estadual em Itapuã.
Um rapaz já era acostumado a roubar os colegas, mas não dava em nada, ele completou a sua maior idade, conseguiu sair do colégio - não sabemos se concluiu alguma coisa –
e como agradecimento, arrumou dois comparsas e invadiram o estabelecimento de ensino para roubar os alunos e funcionário, cada um empunhando uma faca.
A nossa lei é caduca, o nosso Brasil caminha bem para os poderosos, contudo aqui embaixo é um salve-se quem puder, estamos sem saída, na rua somos assaltados, em casa também e agora até as escolas, que eram um meio de aprendizagem, agora é um lugar de medo dentro e depósito de lixeira e entulho por fora, onde atrás dessa montanha de degradação existe outra imensa quantidade de lixo embaixo de um imenso tapete.

Salvador/BA

-04-
A paz que esperamos
Paola Rhoden

Somos fortes nos embates da vida e não esperamos condenação pela luta. Por isso, é um erro pensarmos, hoje, que nossa história foi o resultado da injustiça cometida no passado pela chamada justiça de então, onde uma sociedade formada por pais que não deram a seus filhos, ainda crianças, a educação que se esperava. Por isso, nós, os descendentes daqueles, queremos a absolvição daquilo que consideramos em nosso íntimo um direito adquirido pela liberdade, a qual usufruímos na realidade de agora, com a esperança de nosso desejo mais puro, a Paz.

Brasília/DF

-05-
Carlos Reinaldo de Souza

Hoje, vou contar a vocês uma história em nada semelhante aos Contos da Carochinha.
A história que vou contar fala da injustiça, que insiste em cavalgar nosso planeta, como anunciou Sorokin.
Ela não fala da fome e da miséria, nem da guerra e da violência urbana, mas da decadência do Amor e da Justiça .
Ela fala da dissolução da família, onde pais e filhos não se entendem e crianças são abandonadas ao relento.
Não ao relento físico, atmosférico e temporal, mas ao relento psicológico, metafórico e atemporal.
O resultado é a desagregação da família e, portanto, da sociedade.
Estamos todos vulneráveis à condenação pelo Poder Superior que impera além dos horizontes humanos, muito acima dos satélites que orbitam a Terra, mais distante que todas as galáxias que compõem o infinito.
Mas, Ele não é o Senhor da absolvição? perguntarão os mais afoitos.
Ele não terá clemência e perdoará a Humanidade pelos crimes contra a natureza, a moral e a ética? perguntarão os céticos.
A resposta virá do Alto, sob acordes divinos, na dura voz do Senhor:
- O que fizeram da Educação que lhes dei, ao longo de suas vidas?
- Por que recusaram os conselhos e recomendações, ainda no Paraíso?
- Por que abandonaram os textos gravados no Gênesis, no alvorecer da vida terrena?
- Por que preferiram o erro e não cumpriram as determinações do Grande Arquiteto do Universo?
- Agora, sociedade insana, pagará o justo tributo pela violação voluntária às leis do Amor!
- Agora, sociedade insana, pagará o justo tributo pela violação voluntária aos preceitos da Justiça!

Conselheiro Lafaiete/MG

-06-
Justiça & paz no Brasil
Fernando Alberto Salinas Couto

Crianças descalças,
políticos corruptos
e poucas esperanças
de processos justos,
são reflexos banais
da falta de punição
que nos tribunais,
ainda, não se viu,
nesta órfã nação,
sem Justiça e sem Paz
que se chama Brasil.

Rio de Janeiro/RJ – 18/11/13

-07-
Balança Fiel!
Deomídio Macêdo

As palavras absortas fieis,
abrangem a justiça integra
da probidade do direito,
que harmoniza os seres
com a balança da honestidade e da Paz!
E nesse estudo,
percebo que é possível ser feliz!
Hoje, amanhã e sempre no Brasil.

Salvador/BA

-08-
Das crianças amadas por brisas
Odilon Machado de Lourenço

À cor desse sol de hoje caminham pelas esquinas
os filhos da solidão
São crianças sorridentes andando em caminhos vãos
Nem um erro cometeram, nem aprenderam a errar
São pequenos retratados num flash de claridão
Suas histórias são de fomes crescidas em luares vãos
Fome de amor, de benditas fatias do mesmo pão
São tantas que vão surgindo enleadas na cor do vão
Sem pais, sem rumo, sem nada, nem mesmo absolvição
Se por ventura encontram no caminho a educação
Vão cantando à sociedade as vozes sem ilusão
Na voz afinam sorrisos que não tem condenação
São puras, livres, pensantes fatias do mesmo pão.

Florianópolis/SC, 14-11-2013.

-09-
Olhos ocultos
Odilon Machado de Lourenço

Se fosse a História da margem escrita pela injustiça
Crianças teriam fome, os pés descalços, as roupas sujas...
Se fosse a sociedade conter os erros dos reis
Haveria condenados na clara forma da lei
Se fosse os filhos da rua buscar os pais que não têm
Quantos sonhos voltariam ao lugar que lhes convém
Se fosse buscada a forma para hoje termos paz
Mais livros às mãos teriam – mais pão e fome de amar
Se fosse erguida com força bem mais alta a educação
O templo do bem amar - vós teriam mais vontades,
mais firmezas, mais forças para lutar
Se fosse a luta diária buscada dentro de si, com o devido
respeito à clareza do querer
Quanto tempo vós teriam pra viver absolvidos da própria absolvição.

Florianópolis/SC, 16-11-2013.

-10-
Politicamente correto
Lourdes Ramos

Se prometer, vai ter de cumprir
A não ser que ninguém se importe
E jamais queira ludibriar e iludir
Visto que isto lhe trará má sorte

Prometa apenas o que for plausível
Promessa enganosa é imperdoável
Não há atitude mais incompatível
Ter que duvidar de gente confiável

Rio de Janeiro/RJ

-11-
Se...
(Justiça e Paz - no Brasil e no Mundo)...
Eloísa Antunes Maciel

Se uma pessoa séria não tem vez nem voz,
E sua família sofre rude indiferença,
E se a descrença fez-se seu hostil algoz...
Em que justiça inócua baseará sua crença?

E se o profissional - tão sério quão prudente-
Não é reconhecido ao longo da labuta,
Como exigir-lhe seja magnificente
Em termos de excelência, também de disputa?...

Se pais seus próprios filhos tanto discriminam,
Agindo injustamente no seu proceder,
Iniquidades sérias logo lhes ensinam
Impedem que a Justiça possam conhecer...

Se as autoridades de diversos planos,
Nas diferentes hostes, e também funções,
Promovem desacertos x desenganos,
Como acatar por certas suas resoluções?

Se desses atos todos de imoralidade
A nossa pátria tende vir a padecer,
O sentimento puro de brasilidade
De paz e de justiça está a carecer...

Enfim, se desejarmos a paz verdadeira,
Os nossos testemunhos, desde aqui e agora,
Terão de validar, em terra brasileira,
Os atos de justiça pelo mundo a fora!

São Martinho da Serra, 21/11/2013.

-12-
Justiça: só a de Deus!
Akasha De Lioncourt

Não acredito mais na justiça no Brasil. Ela não representa a vontade das pessoas de bem, que lutam no dia a dia por uma vida melhor. Temos uma legislação arcaica, feita por leigos que é branda demais com o infrator e pune o inocente, a vítima, que vê, na maioria das vezes, o crime ser tratado como mercadoria que se libera com uma fiança.
Somos reféns dentro de nossas casas, as família se blindam com alarmes, grades, circuitos de vídeo internos, na esperança de sentir um pouco de segurança mas a grande verdade é que somos prisioneiros da impunidade. Essa impunidade que assola famílias e nos tira a paz. Crianças que não podem mais andar sozinhas na calçada de casa sem risco de sequestro por seres abjetos que se alimentam da inocência da tenra idade.
Não acredito na justiça porque ela não me protege, e não acredito no Estado que não faz nada para mudar essa situação. Legisladores que não atuam, executivos que não dão alicerce aos agentes de segurança para trabalhar com mais eficácia, educação sucateada, saúde relegada a segundo plano. Esse é o Brasil que não quero defender.

-13-
Justiça e Paz no Brasil - Hoje!
Joyce Lima Krischke

Dúvida que hoje nos invade...
Brasileiros dão o melhor dos seus dias
Buscando a Justiça e a Paz- Realidade!?
Teia do “mensalão” e burocracias.

Leis e julgamentos – triste realidade!
Poderes em discordância... com teorias.
Onde está a aplicação da verdade?
Sim, até quando quimeras e fantasias...

Ah! Brasileiro - hoje- pergunta:
Sem carnaval – Mascarado se ajunta ?!
Congresso seus interesses decide.

Oh! Justiça e Paz - Hoje - cabide ?
Brasileiro segue seu caminho...
Mesmo que o seu - hoje- seja mesquinho.

Balneário Camboriú/SC

-14-
Paz exige verdade justiça amor liberdade
Sílvia Araújo Motta

P-“Pacem in Terris”, em latim)
A-A “Paz na Terra” traduzida,
Z-Zelada pelo Papa João XXIII

E-É uma CARTA ENCÍCLICA:
X-X da questão é difundir a Paz,
I-Independente da Nação, base
G-Garantida, de busca permanente
E-Entre os povos, para repartir

V-Valores das negociações,
E-Em “CONFIANÇA MÚTUA”
R-Resolvidas sem “armas”na mão;
D-Diante da “Verdade”, como fundamento,
A-A “Justiça”, como norma a seguir,
D-Diante do “Amor” como um “motor”
E-E a “Liberdade” como um “clima.”

J-Jamais será esquecido
U-Um Documento Pontifício;
S-Sua publicação tem sido
T-Tema de diálogos, comício
I-Importante, a partir da data
Ç-Consagrada: 11 de abril de 1963,
A-Após dois anos de construção do

A-Antigo...Muro de Berlim
M-Mas também divulgada
O-Orientando a “Crise dos Mísseis”
R-Revolucionários de Cuba.

L-Lendo com atenção o documento,
I-Imediatamente, vê-se o pensamento
B-Bem claro, do Concílio Vaticano II,
E-Em “Doutrina Social da Igreja”
R-Reconhecida no mundo, como uma
D-Das mais famosas do século XX,
A-A partir do direcionamento
D-Dedicado hoje, a “todas as pessoas
E-Esclarecidas e “de boa vontade.”

Belo Horizonte/MG

-15-
Daniel Brasil

Justiça; só JESUS,
Que é justo...
Ao homem é um caro custo,
Esta tal de justiça...
Pela ambição e cobiça,
O seu bolso mais robusto!

Paz, depende da circunstância,
Se não houver ganância,
A paz se ajusta,
O homem tem seu valor,
E sabe quanto custa...
Uma vida sem amor!

Paz e justiça:
Para os índios,
Negros, e demais,
Desde os ancestrais,
Paz e justiça,
Foram surrateadas,
Paz e justiça enfatizadas...
Tê-las, quero por DEMAIS!

Porto Alegre/RS

-16-
Escravidão
Elzio Luz Leal

Nas ruas dos subúrbios, nas vielas,
Onde estão concentradas as favelas,
Crianças perambulam, pés no chão...

Mal sabem que moram numa cidade,
Que pertencem a uma sociedade,
Que lhes nega justiça e educação.

A história, novamente se repete,
E ao século dezoito nos remete,
Quando ainda havia escravidão.

Hoje, com tanto tempo já passado,
O povo se sente escravizado,
Cumprindo pena, sem condenação.

Oh, país, em que filhos desgraçados,
Por erros alheios são condenados,
A viver em mísera podridão...

Oh, pais, que não defendem sua prole,
E elege pelo voto, e não escolhe,
Quem liberte, com absolvição!

Rio de Janeiro/RJ

-17-
Para sempre PAZ.
Vera Passos


Não sairia do trilho por nada na vida
Tenho metas definidas
Sonhos em trabalho
Objetivos na lida.
Não cabem em mim mais as guerras
Contendas, dúvidas, desesperanças...
Não sigo a maioria que se contenta
Em driblar verdades pela caça à felicidade.
Não tenho saudade do que não fiz
Preciso sim calar a maldade.
Nas adversidades, questiono a Luz
Há sabedoria na invisibilidade
Meu caminho à paz me conduz
Cansei-me das batalhas sem nexo
Das almas perdidas, dos atos dispersos.
Sonho a justiça dos deuses, a paz do infinito.

Salvador/BA

-18-
Matemática da Vida
Fátima Peixoto

Adicione amizade, amor,
solidariedade, fraternidade...
Multiplique conhecimento, bondade,
Justiça, esperança...
Divida amor, confiança, fé,
respeito, verdade...
Subtraia injustiça, mentira,
Raiva, tristeza ...
Encontrará paz!!!

Cabedelo/PB

-19-
Utopia
Rosana Carneiro

Hoje, a nossa história terá outro fim.

A injustiça não terá mais lugar no nosso meio.

A sociedade levou a educação a sério e tornou a justiça presente na vida dos nossos filhos.

Os pais não cometem mais o erro de deixar nas mãos dos professores, a educação das nossas crianças.

O passado que gerava a condenação dos professores, hoje faz com que seja escolhida a absolvição daqueles que apenas querem bem os pequenos e que tornou aliadas a família e a escola.

São Paulo/SP

-20-
Acorda, Brasil!
Humberto Rodrigues Neto

Fora! Fora! Fora neles!
Fora! Fora a uma só voz!
Os baderneiros são eles;
patriotas somos nós!

Quanto esse governo amola
com mutretas imorais;
mandam dinheiro pra Angola
e esquecem dos hospitais!

Cada estrada aqui está puba
com pistas esburacadas,
e o dinheiro vai pra Cuba
construir novas estradas!

Só haverá um povo feliz
se o grito das multidões
puder limpar o país
dessa corja de ladrões!

Fora! Fora! Fora neles!
Fora! Fora a uma só voz!
Os baderneiros são eles;
patriotas somos nós!

São Paulo/SP










SELO DE PARTICIPAÇÃO















|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||




Formatação Rosângela Coelho
Imagem do Top: Tela de Mírian Arceno Rocha
Foto de Joyce Lima Krischke
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados