Educação

Tenho saudades de quando eu era criança e a escola era um local aprazível; havia respeito entre os mestres, direção, funcionários, alunos e pais.
Infelizmente como professora, só no começo da carreira consegui passar o que aprendi e o resultado foi excelente. Naquela época os pais ainda cobravam dos filhos os resultados.
A EDUCAÇÃO SÓ SERÁ IGUAL QUANDO O GOVERNO COBRAR DOS PAIS SUA RESPONSABILIDADE EM DAR LIMITES E PRINCIPALMENTE RESPEITO AOS FILHOS. Os professores têm competência para passar instrução.
A escola que conheço é democrática demais, por que não dizer anárquica, na pior das faces: aluno faz o que quer, a família abandona os filhos, entrega a educação à rua e aos estranhos, quando não à polícia.
Não há respeito, nem disciplina; há ameaça, baixa frequência e falta de estudo. As famílias na sua maioria, não assistem e muito menos são exemplo. E não venham me dizer, que é por que trabalham fora, pois conheço dezenas de trabalhadores cujos filhos são exemplos. O que é pior, alunos que querem progredir são prejudicados pela turma que não quer nada. A escola piorou quando resolveram colocar o fundamental no mesmo local que o nível médio. É um verdadeiro disparate.
Quem pode falar de EDUCAÇÃO sem falar da responsabilidade dos pais? Qual professor poderia alcançar êxito com salas lotadas de alunos bagunceiros? Quem seria o herói que traria para sala, alunos que têm outros objetivos de vida, e não o estudo. Como alcançar o progresso o aluno que não assiste aula e só aparece no final do ano exigindo recuperação? Quem diria para um desconhecido: você não tem direito à recuperação? Os tempos mudaram sim, mas ou se prepara o indivíduo para viver em grupo ou a sociedade criará pessoas egoístas incapazes de se adaptarem à vida. Estão criando verdadeiros monstros, frios e calculistas. Sem regras de boa convivência o ser humano ficará à mercê da brutalidade e do desregramento, é a implantação do caos.
Somado a tudo isso professor recebe um salário indecente e ainda tem que conviver com a droga e suas consequências. Qual profissional está preparado para isso?

Vera Passos
Presidente Seccional Salvador/BA

 




VINTE DE FEVEREIRO: "DIA MUNDIAL DA JUSTIÇA SOCIAL”
                               REFLETINDO A EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

Há muitos anos atrás a preocupação era com o número de vagas – com o acesso à educação escolar. O que era difícil de conseguir era bastante valorizado!
Depois o acesso à escola tornou-se direito constitucional das crianças e jovens; e dever do governo; dos pais e de toda a sociedade. E o cenário foi mudando... Todos na escola. Muitas escolas. Muitos professores. Muitos alunos. Salas cheias. Poucos recursos governamentais. Greves do magistério. Reivindicações. A mídia tratou muito da questão da precariedade das escolas e da falta de recursos para os professores trabalharem. Surge o Programa do livro didático: livros para todos de graça! Surge o Bolsa família; o vale transporte para estudantes; o Programa Mais Educação/Educação Integral. A cada mandato presidencial – a cada nova equipe no governo, surgem projetos e investimentos no setor educação. Muito mais por pressão do sistema produtivo e dos organismos internacionais que por intenção consciente de nossos governantes e legisladores. Algumas vezes por pressão dos cidadãos os quais muitas vezes priorizam lutar pelo básico – a sobrevivência.
Hoje em dia no Rio Grande do Sul temos o necessário para o trabalho nas escolas; algumas escolas melhor atendidas em infraestrutura e recursos humanos e materiais do que outras. O governo está investindo em formação e atualização dos professores e prometendo melhorias salariais para esse profissional. Entretanto, está faltando algo que não depende de recursos financeiros: a valorização verdadeira; o interesse real e a busca íntima dos ideais de educação para a justiça social - para o bem da comunidade -; o ideal que pulsa nos corações e move para ações e dão sentido ao que se faz.
A qualidade da educação existe onde há real dedicação e um ideal que produz a persistência e se revela a quem vê como VALORIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO E DE SEUS PROFISSIONAIS; como VALORIZAÇÃO DE CADA SER HUMANO/CIDADÃO que merece condições iniciais de igualdade para inserção social; para construir sua vida e seu futuro com dignidade; para construir um mundo fraterno, um mundo onde se viva em PAZ.

Porto Alegre, 14 de fevereiro de 2014
Judite Krischke Sebastiany – Confreira CAPPAZ -RS


 




01  Akasha De Lioncourt  33
02  Alina Tolotti  22
03  Antonio Carlos de Paula  29 e 30
04  Carlos Reinaldo de Souza  31
05  Celeste Farias  27 e 28
06  Daniel Brasil  04
07  Deomídio Macêdo  19
08  Diná Fernandes  13
09  Eloísa Antunes Maciel  14
10  Fernando Alberto Salinas Couto  06
11  Humberto Rodrigues Neto  02
12  José Otoniel da Costa  26
13  Joyce Lima Krischke  15
14  Judite Krischke Sebastiany  07
15  Leandro Flores  25
16  Lourdes Ramos  17
17  Luiz Menezes de Miranda  18
18  Marcelo de Oliveira Souza  03
19  Maria Fernanda Reis Esteves  05
20  Marina Martinez  32
21  Nena Sarti  21
22  Odilon Machado de Lourenço  11 e 12
23  Paulo Rodrigues  16
24  Rosana Carneiro  23 e 24
25  Roseleide Santana de Farias  20
26  Sidney Santos  01
27  Sílvia Araújo Motta  10
28  Vera Lúcia Passos Souza  08 e 09


 





-01-

Não adianta câmeras de vigilância nem armamentos. A solução é Educação e Justiça Social.

Igualdade ao cidadão
Respeito ao pleno direito
Alarde, primeiro preceito
Em toda Constituição

Sidney Poeta Dos Sonhos



-02-
APRENDIZADO
Humberto Rodrigues Neto

Se é bem verdade que esta Terra seja
um planeta de provas e expiações,
se engana quem supõe que nela esteja
Só pra amargar injustas aflições.

Pagamos, sim, por atos infelizes
de outras vidas, nem tanto pra saldá-los,
mas pra que a dor nos faça de aprendizes
sobre os modos de nunca mais bisá-los.

De cada mau momento é que aprendemos
a equacionar plausíveis soluções;
só desse eterno aprendizado havemos
de eliminar nossas imperfeições.

Sempre aprender! Jamais sofrer! São estas
as leis que um Deus moderno hoje nos dá,
e não as que, raivosas e funestas,
se ouviam do antigo e gasto Jeová!



-03-
Lição de Hoje: Tragédia no Rio de Janeiro

A tragédia do Rio de Janeiro serve como aviso para as diversas instituições educacionais brasileiras, quanto à violência nas escolas, bulling e outros tipos de agressões que muitas vezes chegam perto de terminar com esse desfecho trágico e ninguém sequer tem conhecimento.
Uma das grandes dificuldades que o sistema educacional encontra é aglutinar diversos tipos de estudantes em um só local, ninguém sabe de onde ele vem, a sua formação familiar e o mais importante, se ele já teve entrada em delegacias ou instituições similares.
Essas pessoas juntas em sala de aula, o ano inteiro, são uma verdadeira caixa de surpresas, positivas ou negativas, principalmente quando a violência está crescendo nas grandes cidades, particularmente em Salvador.
A Escola ainda está desprotegida, quem tem a incumbência de fiscalizar a entrada, na maioria das vezes está despreparado, uns têm até medo de impedir a entrada de pessoas estranhas, que entram em unidades educacionais quando desejarem.
Esse é mais um triste aviso de como é gritante a insegurança nas escolas públicas, de como reina a violência e agressões físicas e morais nos nossos ambientes educacionais.
A nossa sociedade está cada vez mais violenta, por diversos motivos, contudo o principal motivo é a família desestruturada, pois não existirá nenhum governo que possa ensinar respeito, amor e consideração entre as pessoas e isso nunca é tarde para ensinar e procurar disseminar entre os nossos filhos, porque se cada um fizer a sua parte, todos lucrarão no futuro e a Escola não será mais um ambiente de medo, desavenças, brigas etc, será o que ela sempre foi: um ambiente de união pela aprendizagem, que hoje infelizmente não está sendo.

Marcelo de Oliveira Souza

-04-
JUSTIÇA
Daniel Brasil

Justiça só existe,
Quando há igualdade,
Ficando só em palavras,
Não passa confiabilidade,
Estes direitos "humanos",
É uma farsa na realidade!

Não quero ser injusto,
Nem sempre sou direito...
Mas procuro me corrigir,
Com justiça e respeito;
É difícil falar em justiça,
Enquanto existir PRECONCEITO!

-05-
"O Amor existe"

Nos meus dias imperfeitos, o tempo nunca chega para abraçar o mundo.
Pela mão do destino, ou vontade de Deus, sou privilegiada por poder conciliar trabalho e a minha entrega a uma causa que amo e na qual acredito.
Não será exagero, nem pretensão minha, dizer que a APPACDM de Setúbal (ONG ligada à deficiência mental) é uma parte importante da minha vida e um veículo de enriquecimento interior.

A cada dia, somos surpreendidos com a pureza e a autenticidade desses seres diferentes e maravilhosos.Com cada um deles se estabelece uma relação diferente, plena de luz e cumplicidade.

Mas, hoje, eu trago o peito embargado pela comoção e os meus olhos não conseguiram conter uma lágrima de esperança.Eu estava a almoçar no refeitório da Associação com as minhas colegas administrativas e em frente à nossa mesa estava um professor de uma escola do 1º ciclo a almoçar com crianças deficientes profundas e uma delas estava ao seu colo, enquanto ele ia distribuindo colheres de comida, ao mesmo tempo que ternura e carinho.

Este professor almoça voluntariamente na Instituição com as crianças a quem vem dar apoio sensorial e motor na Sala de Snoezelen da APPACDM e não deixa por mãos alheias o gesto carinhoso de dar a refeição aos seus alunos que, por serem diferentes, precisam muito mais dos seus cuidados, para além do espaço físico da sala de aula a que estas crianças estão agora confinadas, durante o horário escolar, porque é este o entendimento do Ministério da Educação.

Afinal, o meu dia foi perfeito, eu vi o AMOR acontecer!

A minha homenagem aos professores que têm entre os seus alunos crianças especiais como estas.

Maria Fernanda Reis Esteves
Confreira por Portugal

-06-
JUSTIÇA SOCIAL
Fernando Alberto Salinas Couto

Como falar em Justiça Social,
se uma minoria só consome,
sem qualquer comedimento,
enquanto se expande o mal,
com muitos morrendo de fome,
no mesmo mundo e momento?

Como falar em paz e igualdade,
se ainda aceitamos a guerra,
cuja centelha é a cruel ambição
que gela os seres com maldade,
espalhando por toda esta Terra,
só ódio, racismo e discriminação?

Ah, só quando motivos tão banais
deixarem de sujar nossas mãos,
num grande movimento fraternal
que torne todos humanos iguais,
poderemos nos ver como irmãos
e, talvez, falar em Justiça Social.

RJ – 15/02/14

-07-
EDUCAÇÃO DE QUALIDADE
Judite K. Sebastiany

OUVE-SE GRITOS: REIVINDICAÇÕES.
POR UMA EDUCAÇÃO MELHOR.
MUITO DISCURSO; POUCAS AÇÕES.
LIVROS. TESES. CANSEI DE LER.

EDUCADOR/EDUCAÇÃO DE QUALIDADE
NÃO É TESE. É ALGO PARA SER E FAZER.
HOJE. AGORA. ASSUMIR NESTA HORA.
POSTURA PESSOAL SEM COR OU IDADE.

SEI BEM O QUE FIZ NESSES 30 ANOS.
DEI O MELHOR DE MIM. POR ELES.
PARA QUE ELES POSSAM IR ALÉM.
RECONHECER SEU VALOR E DESEJAR.

SONHAR. DESEJAR. LUTAR. UNIR.
ESTUDAR. TRABAHAR E CONSEGUIR.
MANTER ACESA A CHAMA. VIDA NOVA.
JUSTIÇA SOCIAL É ISSO: FRATERNIDADE.

CADA UM TIRE O CISCO DO SEU OLHO.
SE AVALIE E REFAÇA; RECOMECE.
OLHE COM AMOR E FAÇA O BEM.
SEM RANCOR E MESQUINHARIA.

Porto Alegre, 14 de fevereiro de 2014

-08-
A escola é um palco
Vera Passos

Os jovens se entregam à escola
Nas mãos descoordenadas lápis e papel
Nas horas de relax corre a bola
Os lúdicos cavalgam na leitura, no corcel
Devagar viajam nos sons, nas letras...
Como o Sol, o Mundo se abre vazado
Como Ícaro, sonham com astros
Alargam os espaços, somam as fronteiras
Buscam nos livros os sonhos forjados
Os mestres são guias na estrada
Mostram caminhos, não pode escolher
No palco da vida, a meta é crescer.
Captar a Ciência que é luz do saber
A palavra que rola, traz sapiência
Os que sabem ouvir, devem aprender
Vigiam as células... caçam as marés...
Encontram a história que deve viver

-09-
Perguntem a vida
Vera Passos

Se tu queres saber quem eu sou
Perguntes ao tempo onde deixei meus sinais
Perguntes ao rio as flores que ofertei
Perguntes ao vento do que sou capaz

Se tu queres saber onde andei
Perguntes aos caminhos que um dia passei
Perguntes aos passarinhos por onde voei
Perguntes aos mares por onde pelejei

Se tu queres saber onde vivo
Perguntes as letras agrupadas nos livros
Perguntes às sílabas que no vento juntei
Perguntes às palavras que às ondas levei

Se tu queres saber o que faço
Perguntes aos amigos que estenderam seus braços
Perguntes aos sonhos que me velaram o cansaço
Perguntes as veredas que testemunharam meus passos

Ainda queres saber quem eu sou
Perguntes às crianças que pelas vilas levei
Que ensinei o valor de viver
Os rabiscos sem jeito, eu fingia entender
E pedia que o autor fosse ler

Perguntes a ti mesmo,
Se não foi amor que um dia te dei
Eu era mestre, o amigo perfeito
E um dia tu tiveste respeito
Hoje, restam apenas lembranças
Arquivadas bem dentro no peito.

-10-
JUSTIÇA SOCIAL EM ACRÓSTICOS
Silvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

J-Justiça é a síntese de valores éticos,
U-Uma prática do bem nas relações sociais:
S-Semente do justo na convivência do homem,
T-Tantos estudiosos mostram suas definições!
I-Inteiramente SUBJETIVA tem medidas variáveis,
Ç-Considerada por Kelsen, uma utopia:
A-A justiça ABSOLUTA, sonho da humanidade.

J-Justiça sofre variação, na evolução cultural,
U-Uma atribuição em cada sistema político.
S-Sabe-se que o capitalismo e o socialismo não
T-Têm acordo quanto às medidas de repartição que
I-Indicam bens materiais na SOCIEDADE.
Ç-Comporta diferentes conteúdos além do Direito:
A-A moral, a religião e algumas regras de trato social.

J-JUSTIÇA DISTRIBUTIVA tem o Estado como
U-Um agente, a quem compete a repartição dos
S-Seus bens e dos encargos aos membros da sociedade:
T-Tem a competência de ministrar ensino gratuito,
I-Indiscutível assistência médico-hospitalar,
Ç-Com IGUALDADE PROPORCIONAL
A-Aplicada aos diferentes graus de necessidade.

J-Justiça CONVENCIONAL é a que aplica a lei,
U-Uma convenção social é seu fruto, sem fundamento,
S-Simples aplicação das NORMAS JURÍDICAS, no sentido
T-Totalmente verdadeiro. Para esta categoria é
I-Irrelevante se a lei é intrinsecamente, boa ou não,
Ç-Consagre ou não os valores positivos do Direito,
A-Admitida como conotação de justiça, pelos positivistas.

-11-
Caminhos do amor
À Escola Marçal Carvalho da Rocha, que encurtava os caminhos distantes.
Odilon Machado de Lourenço

Havia uma escola naquele lugar de campos distantes
A comunidade eram caminhos e casas distantes
Quando havia aula os caminhos se enchiam de passos
Os passos chegavam à escola naquele lugar distante
Uns traziam as geadas nos pés arroxeados de invernos
Outros diziam da sanga que encheu com a chuva da noite
Do cavalo que escapou e as pernas atrasaram a chegada
Vinham de todas as casas distantes àquela escola
Inclusive a professora que encurtava um pouco as distâncias
Iam uns juntando letras amanhecidas de espanto e descoberta
Viam nos mapas o tamanho de um mundo menos distante
Alguns escreviam as imagens dos seus primeiros textos
Estes eram lavras de terras, matas e campos do pampa
Quando as famílias eram chamadas vinham de suas distâncias
A escola era encontro fraterno de alegrias sem distância
As famílias olhavam seus filhos brincarem, avaliavam seus ritmos
Sabiam num fundo não tão distante que aquilo era amor.

19-02-2014.

-12-
Educação pelo milho
À memória de Paulo Freire, educador brasileiro.
Odilon Machado de Lourenço

Ser educado nesses tempos onde as vozes deseducam
Partilhar caminhos em que conheceres se atentam à vazios
Ser educado – não pela força primitiva da régua
Nem pela dor das sementes do milho na lousa dos joelhos
O milho deve descer pelas gargantas educando o estômago
Ser a semente plantada nos lares das famílias que amam
Das escolas que elevam ao pensar da liberdade e da alegria
Da sociedade olhando seus filhos além da cidadania.

19-02-2014.

-13-
Educar para Crescer
Diná Fernandes

Um poeta cantou o sábado, e foi lindo!
Cantemos todos por educação de qualidade.
Quem sabe um “Exercício de Amor”[ Educar!]
Algo que esteja distante do Universo
do público alvo ( infantil e jovem )
e de todos que amargam a desigualdade social.
É preciso, antes de tudo, pensar em Cultura,
em saber/crescimento .
Sem tais ferramentas , só involução/alienação,
realidade que amargamos nos dias atuais.

dinapoetisdapaz

-14-
EDUCAÇÃO DE QUALIDADE
– VIA DE ACESSO AO PLENO DESENVOLVIMENTO HUMANO.
Eloísa Antunes Maciel

   Ainda que fatores e condições básicas devam constituir-se em pressupostos a uma educação de qualidade (alinhando-se, entre estes a oferta de oportunidades justas e consistentes, democraticamente disponíveis), o foco na qualidade, uma vez contemplado desde o planejamento de “bases”, permeando ementas/currículos e processos cujos vetores apontem para o educando e sua realidade, tende a promover o alcance de uma finalidade que demanda não apenas o esforço conjugado de seleção, avaliação e revisão permanentes,mas, sobretudo a realimentação e redimensionamentos permanentes sem desconsiderar os chamados antecedentes (formais e informais) de que o educando se faça sujeito.

   Nesse sentido, uma permanente consideração do “ontem – hoje” seria fonte de subsídios aos redimensionamentos requeridos, tanto quanto sinalizador de possíveis tomadas de decisão referentes à curva de redimensionamento exigida por indicadores confiáveis.

   Uma vez definidos, esses subsídios estariam a indicar elementos que qualificariam o processo educativo como condizente com as necessidades apontadas, indicando, ainda, necessidades a serem satisfeitas na pauta em que a qualidade da educação se impõe como definidora da verdadeira cidadania e da própria qualidade de vida do sujeito da educação, tomado este termo na sua acepção mais abrangente, extrapolando a conotação superficial em que tem sido vulgarmente conotado.

   Portanto, resumindo (sem chance a exemplificações):

   Educação de qualidade pode ser conceituada como sendo aquela que se revela capaz de responder às demandas de uma Nova Era de Paz e realizações universais...Contudo, sua concretização se faz urgente e imprescindível em nosso “aqui e agora”. Mãos à obra!

-15-
Justiça Social
Joyce Lima Krischke

-16-
No caminho para o trabalho
Paulo Rodrigues

No meu caminho para o trabalho,
vi mulheres, em idade de sonhar,
mas com seus sonhos rasgados,
estupradas pelo progresso,
vendendo prazer a desconhecidos.

Vi meninos sujos,
puros de alma,
mas de sonhos perdidos.
E eles quiseram limpar meu para-brisa
em troca de pequenas moedas
que jamais comprarão sua infância de volta.

Eu...eu não pude fazer nada.

Paulo Rodrigues - Sorocaba/SP

-17-
RESGATE
Lourdes Ramos

Menino traquina
Escute o que digo
Não corra da vida
Não corra perigo

Não mate não morra

Não use e abuse
Não use Internet
Nem computador
Nem o celular
Nem o videogame
Nem videocassete

Não seja “laranja”

Você é criança
Precisa brincar

Brinque no campinho
Jogando um bolão
Empinando pipa
Jogando pião
Brincando de pique
Ou de pega-pega

Não de mata-rata

Não se entregue à cola

Lembra do recreio?
Venha sem receio
Volte para a escola

É lá que te quero
Que te quero bem
Seu lugar vazio
Deixa um calafrio
Em meu coração

Sua vida breve
Segue como um rio
Está por um fio
Futuro sem glória
Sua mãe que é pai
Irmãos sem história

Menino sem rumo
E sem sobrenome
Dê-me um sorriso
Que só você tem
E que é tão preciso

E não peça esmola
No sinal de trânsito
Com seus malabares
Porque há saída
Porque Deus é pai

Volte a ser criança
Mude seu caminho
Trace seu destino
Aceite um carinho
De alguém que te espera
De alguém que se importa

Brincar é preciso
Brinque de carrinho
E de jogar bola

Não caia no mundo
Não caia do muro
Existe uma porta
Passando por ela
Há uma esperança
Lá no fim do túnel
Existe uma luz
Menino criança
Volte à sua Escola!

-18-
O ENSINO DE ANTIGAMENTE.
Luiz Menezes de Miranda

Venho de uma época que não se falava em drogas, cigarro e bebidas, não tinha esse tipo de televisão, que ensina coisa errada e mostra gente sofrida. Lembro que a maioria das escolas era pública, o ensino era o Governo que fazia as escolas privadas, eram poucos, pois monetariamente o ensino não rendia, Lembro que geralmente o professor era um só, falava que se cansava,
gritava e dava castigo e às vezes até cantava. Esse professor geralmente era mulher, pois os homens não botavam na profissão muita fé. Coisa de homem naquela época era fazer serviço pesado ou então não fazer nada.
Lembro que se brincava de carrinho de lata e também de cavalinho, feito de sabugo de milho ou de pau, a gente jogava pião, rodando na mão com ponteira, tinha bola de gude que se comprava na feira. A noite se sentava a luz do candeeiro ouvindo estória de assombração de cemitério e coveiro.
Lembro que no verão, tinha um ventinho gostoso que era imponente e nobre, levava bem para o alto, as nossas arraias ou paliteiros e o nosso papagaio bem colorido e ligeiro. Nesses dias atuais o que se encontra nas avenidas, são crianças mal vestidas, perambulando nas calçadas, cheirando cola e fumando cigarro até de maconha, Esse é o retrato vivo do Brasil e da vergonha. Mesmo vendo às escolas cheias de alunos e professores escrevendo e fazendo contas, vejo as crianças dispersas, pois com fome quase não se aprende, merenda é o que querem, pois é isto que entendem. Não têm livros ou canetas ou lápis para escrever, as bancas sempre quebradas são coisas feias de ver. Os livros só têm figuras para o aluno riscar, já não tem dever de casa para a mamãe ensinar, e digo sem nenhum engano, faça certo ou mesmo errado, ele vai passar de ano. Mesmo sendo um País que não liga para suas crianças tenho a certeza que um dia acabará com toda essa descrença cruel,
de criança sem infância bebendo a taça de fel. Este Brasil brasileiro que conquista o universo, com a vontade do povo vai liquidar o perverso, e assim suas crianças que não tinham nem um lar, terão enfim alegria e uma história pra contar.

-19-
REFLETINDO EDUCAÇAO.
(Deomidio Macêdo)

Abrimos o leque do conhecimento humano, e lá encontramos cientistas, engenheiros, pedagogos, escritores poetas, atores, dramaturgos, dentre outros ramos, que abrangem as áreas do saber humano.
Todos eles passaram pelos degraus escolares, desde o jardim infantil até o apogeu da evolução de cada um.
Educação escolar é base na formação acadêmica.
Ser professor é missão benfazeja na vida humana.
Estudar, é mergulhar no mar do conhecimento.
A escola burila o homem para o ideal na busca do saber.
Refletir educação, é entender que todos os profissionais passaram pelas fileiras das escolas, faculdades, universidades.
Assim, somos nós caminheiros em busca do saber,
nessa metaformose que transforma a criança em ser humano proseando sobre conhecimentos que fazem o cara pensar, filosofando: Educação, justiça social para todos.

-20-
Liberté, Igualité, Fraternité
Roseleide Santana de Farias

LIVRES, sonho de todo ser vivente!...
Impregnados pela ânsia de tal liberdade,
Viver sem a prisão do medo e a angústia,
Reprimindo os seus sonhos de felicidade,
Estar com seus amores, os laços sagrados,
Seguindo a mãe natureza, potencialidade.

Iguais somos nós perante a Divindade!...
Guiando os seres viventes com sabedoria,
Unificando, harmonizando e iluminando;
Aplaudo o tempo que rege com maestria!
Limitações humanas, elas se aprimoram,
Destruindo o egoísmo e seus falsos valores.
Ascende a ética humana e os seus códigos,
Definem Leis, ensino aprendizagem, o BEM,
Essência boa pra mim, será para alguém?...

Fraternidade, um sentimento sublimado,
Redenção das almas que se sacrificam, faz,
Ações que redime criaturas, animais, feras;
Tenhamos no peito a mola mestra da paz!
E se a dor, guerras, fome, injustiça, grassem,
Regridem ao tentar destruir o belo mundo;
Néctar das flores irá incensar a nossa dor,
Incensos, lírios, alecrins, eu inalo profundo!
Das mãos abençoadas e corações fraternos,
Amores que serão o bálsamo da esperança,
Dar-nos-ão alívio, fé, nos dias de construção,
E saciaremos a sede da fonte, Eterna Aliança!

autoria: Roseleide Santana de Farias
                                 -26/04/2014-.

-21-
INÓQUOS
Nena Sarti

Conflitos
Razões

Corações aflitos

Raquíticos

Emoções

A natureza fecha
Aborrece
Endoidece

Do menino de rua ...................................esquece.

Este a mendigar no grito:

ME AQUECE!

-22-
ESCOLA É UM DIREITO DE TODOS!!
Alina Tolotti

POR CERTO QUE DEVERÍAMOS TER ESCOLAS PÚBLICAS ,EM TODOS
OS BAIRROS, COM FÁCIL ACESSO AS CRIANÇAS FILHOS DE MÃES
QUE TRABALHAM FORA E NÃO PODEM ASSISTI-LOS O TEMPO TODO.
ESCOLAS QUE ATENDESSEM,CRIANÇAS,ADOLESCENTES E ADULTOS,

QUE POR VENTURA TENHAM TIDO SEUS ESTUDOS INTERROMPIDOS,
ESCOLAS QUE ORIENTEM AS CRIANÇAS.QUE AS ALIMENTEM NO PERÍUDO
QUE ELAS LÁ ESTIVEREM,POIS NÃO SENTIR FOME TAMBÉM É UM DIREITO DA CRIANÇA!!
NUNCA ESQUECENDO QUE EDUCAÇÃO APRENDE-SE EM CASA!!
EM MEIO A NOSSA FAMÍLIA COMEÇAMOS A TER DICIPLINA,A DIVIDIR BRINQUEDOS,APRENDEMOS A ORAR E AGRADECER O PÃO DE CADA DIA, QUE É SUADO E MUITAS VEZES DORMIDO(NADA SE PERDE,TUDO SE TRANSFORMA).
MAMÃE ESQUENTAVA NA FRIGIDEIRA O PÃOZINHO DE SETE FILHOS E SERVIA-NOS UM CAFÉ GOSTOSO E LÁ ÍAMOS PARA A ESCOLA,FELIZES, APRENDER O B,A,BA!!
HOJE EM DIA TUDO MUDOU, A POPULAÇÃO CRESCEU MUITO, O"PROGRESSO"
CHEGOU,TECNOLOGIA PARA TODO O LADO,PROFESSORES GANHANDO MUITO MAL E POLÍTICOS ROUBANDO MUITO,QUEM PERDE COM ISSO?
O POVO, NOSSAS CRIANÇAS QUE NÃO TEM ONDE ESTUDAR, ESCOLAS MUITO LONGE, TRANSFORMAM SONHOS EM RISCO DE VIDA PELO TRAJETO DIFÍCIL E ATÉ MESMO PENOSO ,POR ESTE BRASIL DE MEU DEUS!!
QUANDO ISSO VAI MUDAR? SOU UM GRÃO DE AREIA LEVADO PELO VENTO MAS QUERO FAZER MINHA PARTE!
POR ISSO TENTO ESCREVER,E SER MAIS UMA CIDADÃ À LUTAR PELO DIREITO DE ESCOLA PARA TODOS!

-23-
A solução para a sociedade
​Rosana Carneiro - SP

Hoje vemos o desenvolvimento chegando a um patamar, onde tudo e todos se encontram num clicar de dedos via internet, porém se procurarmos ao vivo, este desenvolvimento, deparamos com uma situação caótica.
Não preciso exemplificar o caos do Brasil nos serviços sociais. Todos os dias, nos meios de comunicação, vemos isso.
A maioria das leis do nosso país são ótimas e estão prontas para serem usadas, porém não há interesse que sejam cumpridas, assim a sociedade estaria bem melhor estruturada.
Como resolver estes problemas?
Começamos a dignificar a família.
A família é a célula edificante da sociedade, onde o pai e a mãe devem estar presentes aos filhos, oferecendo amor e dedicação, acompanhando seu crescimento, dando-lhes suporte para que cresçam com estruturas reforçadas e que possuam bagagem suficiente para suportar algum problema e nunca transferir esta estrutura para a escola.
É na escola que a criança desenvolve o que aprendeu em casa, com a orientação dos pais; é quando acrescentam nesta bagagem, o ensino aprendido na escola, para aprimorar o próprio potencial.
Na escola é que se consegue criar asas e não ficar preso, engaiolados como reféns de uma sociedade hipócrita, que cobra de uma criança, algo que ela não tem.
Como desenvolver o potencial, sem estrutura familiar onde não há comida na mesa, onde não há família presente, onde a casa e a cama não é um local digno para o descanso, onde os exemplos são sempre negativos, onde não se tem o direito de consumir aquilo que a propaganda da TV mostra a todo instante.
A família só será estruturada, oferecendo o principal, aos futuros integrantes da sociedade, se houver escola, transporte público, saúde e moradia digna.
A justiça social sendo feita, seremos uma sociedade feliz e realizada.

-24-
O Papel do Professor na Sociedade
Rosana Carneiro

Todos nós sabemos que antigamente o trabalho de PROFESSOR era muito digno, atingindo grandes salários e com grande respeito por parte de toda sociedade.
Hoje, o professor, é visto como mais um, sem grande destaque na sociedade, e mesmo sabendo dos baixos salários,
apesar da grande falta de incentivo, muitos professores exercem sua profissão com imensa dedicação.
Fazem questão de dar o seu melhor para os seus alunos.
Tentam atingir cada ser humano, fazendo despertar nele a curiosidade de investigação, para que este ser se interesse por aquilo que tentamos repassar.
Ser professor, é antes de tudo, dar asas para que o aluno voe alto, que ele cresça, que ele evolua e assim, atinja o objetivo maior que é a curiosidade de aprender.
Engaiolar, exigir, pressionar o aluno com atividades desestimuladoras, só faz com que seja gerado um aluno sem vontade de permanecer atento.
Um professor precisa despertar no aluno o desejo investigativo e assim formar um ser humano melhor para a nossa sociedade.
Tenho muito orgulho de ter um papel definido na sociedade, mesmo que esta não reconheça este papel como o principal.
O professor é um dos principais prestadores de serviço na sociedade, fazendo muitas vezes o papel de mediador, interventor, formador de opinião.
Parabéns aos edificadores de caráter - o professor, que consegue transformar a sociedade, com seu trabalho.

-25-
Por que o professor é tão discriminado no Brasil?
Leandro Flores

De todas as profissões, talvez, a mais significativa é a do professor. Todos nós de alguma maneira dependemos de orientação para montarmos a base necessária de produção de nossas ideias. E isso se faz a partir da infância até a velhice. Não existe uma idade de autossuficiência em que se descarta a necessidade de ter um professor como orientador. Por mais que o mundo evolua, e as informações se disseminem com mais facilidade, por mais que a ciência se multiplique e a tecnologia cada vez mais se reestruture nada substitui o ato de ensinar. O professor é o verdadeiro senhor de seu tempo. Queira ou não queira ele é um provedor de opinião. É um vendedor de sonhos e o principal arquiteto das personificações humanas. O destino de qualquer aluno se molda na escola com o seu professor. Ninguém constrói nada sem antes passar por uma orientação de um profissional como o de um professor. Então por que essa classe tão importante para qualquer sociedade não é vista com bons olhos no Brasil? Ser professor quase nunca estar em prioridade para nenhum estudante. Alguns até reconhecem a sua importância, mas raramente almejam seguir carreira ou coisa assim. Outros simplesmente hostilizam essa profissão, mesmo dependendo diretamente dela. Os motivos das rejeições são os mais variados possíveis: baixos salários, subordinações por diferentes partes, falta de autonomia em salas de aulas, violência, humilhação, medo, impotência diante de um sistema educacional ultrapassado e sem qualquer possibilidade de autorrenovação, perseguição política, etc. Será que esses jovens têm razão em não quererem para si esses tipos de problemas? Do jeito que se encontra nosso sistema público educacional brasileiro, com certeza. Ninguém merece passar a vida toda dentro de uma sala de aula quase sem prestigio e ainda por cima, tendo que se curvar diante de um sistema caótico, sendo a principal vítima desse sistema e não poder fazer nada para mudar a sua realidade. Hoje em dia, o professor vive em um estado de apreensão, encurralado sem ter a quem recorrer. Os governos não tomam atitudes, a sociedade, especificamente, os pais dos alunos que utilizam o sistema público de ensino, geralmente costumam comparar a educação de seus filhos com a que teve no passado, e por isso a aceitação por conta das facilidades e a expansão do ensino como todo. E eles, os professores, acostumaram com esse tipo de processo que a maioria acha normal. Eu penso que já passou da hora dessa classe se restabelecer nesse país como uma profissão de referência. O governo, a sociedade e toda classe de educadores precisam estar em harmonia. Os olhos têm que estar voltados única e exclusivamente para uma só palavra: educação. E educação de qualidade, onde professor e aluno estejam satisfeitos para produzirem bons resultados. Chegou a hora também de se pensar em novo sistema educacional mais adequado para nossos tempos. O professor precisa estar preparado para que possamos fazer desse país uma nação civilizada, onde a educação, a arte, a cultura sejam o centro crucial desse novo processo. Valorizem os professores, esse é o nosso grito!

Leandro Flores - Belo Horizonte

-26-
JUSTIÇA SOCIAL
José Otoniel da Costa

Expressão de alto significado
E cabível a todo país civilizado
Fundamentada na Educação
Que deve ser concedida
A todo habitante de uma
Nação
A consciência do Dever e
Do direito do cidadão
Inicia-se pelo grau
De ensinamento
Que é transmitido
À criança, ao jovem
E ao adulto
Independente da idade
Importando aos que
Governam
Com responsabilidade
Ao garantir aos habitantes
O conhecimento e a razão
De sua existência como
Pessoa
Útil e necessária à grandeza
Da sua Terra, Pátria e Rincão!

Otoniel Poeta Cappaz

-27-
No Divã da Consciência
Você e a Educação: Por onde anda as oportunidades?
Celeste Farias

Hoje, eu resolvi sentar no divã da minha consciência para refletir acerca da educação no Brasil. Inicialmente, fiquei estremecida com os desafios que eu encontrei, nas lembranças do presente. Fui buscar uma borracha para apagar essas tais lembranças, porém não consegui, elas fazem parte do nosso cotidiano educacional.

Na medida em que eu ia dialogando com a minha consciência, me sentia mais prisioneira de mim mesma do que do sistema. Acredito que tenha sido por causa do meu silêncio diante das problemáticas que eu não solucionei quando tive as oportunidades nas mãos. Como lá nas urnas, na sala de aula, quando não exerci de uma melhor forma o meu papel de multiplicadora do saber, ou então quando dei as costas para as mudanças em meu diário acadêmico.

Sempre que tenho esta conversa com “ela”, fico com a vontade de não mais ser o que sou, penso em ser alguém melhor, com um DNA mais apurado, com um senso mais crítico, com uma mente mais treinada, com uma dose maior de fé, com uma opinião mais sábia...

No entanto, sempre permanece o pedido que não suma em mim, a alma de poeta, o coração de educadora e a esperança da transformação em cada indivíduo governante, que tem o poder de mudar triste história e o rumo da nossa nação, não só em termos educacionais, mas em todos os aspectos sociais. Para que assim, tenhamos uma vida igualitária e um povo desenvolvido humanamente, e com os braços dados com as oportunidades, que hoje são conhecidas e apreciadas apenas pela minoria.

A conversa está bem interessante. Embora o assunto seja entristecedor, fica em nós a expectativa de um amanhã mais brilhante e um futuro promissor.

Será que a mais importante solução é mudar as configurações do ensino no estabelecimento escolar ou colocar as pessoas para pensar? Eis a questão.

A consulta terminou, já chegou a hora de levantar do divã, caminhar, ir ao encontro das soluções visíveis e das oportunidades plausíveis, para que assim, possamos viver neste caos chamado: educação no Brasil.

E você, tem visitado a sua doutora consciência?

Quais são as oportunidades que tem vivenciado?

Celeste Farias, Belo Horizonte, 28/02/14

-28-
Que País é esse?
Celeste Farias

Onde sonhos valem sangue,
Onde alegrias valem lutas,
Onde jovens são destroçados pelas mazelas do destino.

Onde o pão já não é de cada dia,
Na mesa falta café, no povo a fé,
Vivem sem saúde, a educa-ação é o que é.

A realidade vira uma mera ilusão,
A vida não é mais a Questão,
Cabeças ocas, livros só na estante.

Onde os patriotas, são idiotas,
A demo-cracia é apenas uma prosa,
Nessa outra questão.

País em que a corrupção virou moda,
A moral uma nova,
A ética já nem presta.

Desenvolvimento não acontece
Debates, embates por PEC’s,
Até a “cura gay” virou parte.

Mas que País é esse,
Que não faz parte do nosso Brasil?

Em nosso País não há doentes,
O povo é forte, decente,
O cidadão está no centro, dentro.

Surgem jovens sadios, inteligentes,
Gente de uma nova era, em redes,
Compartilhando emoções.

Sementes, semelhantes, emergentes,
Cabeças pensantes, de sonhos constantes,
Que com força e coragem acordam um Gigante.

Grandes Patriotas, que doam a sua vida,
Mudam a trajetória,
Desenhando outra história.

Brasil da Maria, do João, do José, do Douglas,
Brasil da Aurora, do Progresso, da Flora,
Onde Caras pintadas, de Bandeiras abraçadas,
Vão às ruas e dizem: - Tudo isso basta!

Este sim é o nosso País, que está sendo confundido com os outros brasis.

(Celeste Farias – BH, 27/06/2013)

-29-
QUEM ACORDOU O GIGANTE?
Antonio Carlos de Paula

no país de verdes matas,
maracutaias, mamatas,
e outras coisas que tais,
não muda a regra do jogo,
não importa que a mula manque,
o circo já pega fogo e
políticos armam palanques!

enquanto isso a justiça,
que é injusta demais,
deita e rola nas benesses,
passes, orações e preces,
não aplacam ou diminuem
o tal vício contumaz!

ministro vendeu sentença
mas vai pagar pelo ato,
é inusitado o fato,
e a punição exemplar
é bem pior do que pensas,
pois a pena vexatória,
será aplicada com afinco,
na aposentadoria compulsória
o salário é só vinte e cinco!

melhor futebol do mundo,
foi-se o tempo, virou lenda,
hoje o colírio do povo,
virou spray de pimenta!

promessas vãs e comícios,
de repente, o que foi isso,
o que é que se passou?

a juventude pensante
fez um barulho gigante,
e o gigante acordou!

tem gente que já não dorme
pensando no amanhã,
quem mandou brincar com o povo,
agora, segura o tcham!

-30-
VILAREJO ESTRANHO !!
Antonio Carlos de Paula

Diz a lenda:

Era uma vez um vilarejo lá pras bandas dos trópicos de um tal Planeta Azul, onde o povo tentou acordar o gigante que esperneou, esbravejou, mas, porém, todavia, no entanto, o grão vizir (ou seria grã vizireta?), fingia que não entendia nada e continuava a tentar passar maquiagem na já tão conhecida maracutaísse desenfreada que assolava o tal lugar.
E descobriu-se que na realidade, quem vencia as eleições era quem tivesse mais grana, mais poder, e o melhor fazedor de reclames.
Mais importante e essencial do que qualquer bom programa de governo, era o tal profissional, conhecido por marketeiro.
A propaganda era realmente a alma do negócio, e governar, seja lá o que for, era sem dúvida um grande negócio, e portanto proliferavam as negociatas.
Mas a culpa, com certeza, era dazelites!!

Vilarejo estranho!!!!

-31-
EDUCAÇÃO E JUSTIÇA SOCIAL
Carlos Reinaldo de Souza


Educação, pilar da sociedade;
educador és fonte natural,
do bem maior que aspira a humanidade:
o Saber que aniquila todo mal.

Mestre, farol divino, ilumina
as mentes ávidas pelo Saber;
a tua missão é como luz divina,
que nos conduz ao Bem e ao Dever.

Então o homem será conquistador
e alcançará o prêmio valioso
da Liberdade, seu maior valor.

Quanto a Justiça, este grande bem,
o tornará mais forte e grandioso,
garantirá a Paz e o Amor também!

-32-
JUSTIÇA SOCIAL
Marina Martinez

     Em 20 de fevereiro comemora-se o Dia Mundial da Justiça Social. Diante de tudo que ocorre, hoje, nos mais diversos países, incluindo o Brasil, não sei bem o que dizer. Existem Leis internacionais e nacionais sobre o tema: todos são iguais perante a Lei; adolescentes e idosos possuem estatutos próprios, bem específicos; mulheres não devem sofrer violência; crianças necessitam frequentar escolas; todos precisam ter acesso à saúde; a privacidade deve ser respeitada e tantas outras situações diversas.

    Entendo ser um dia para conscientização. Ao mesmo tempo, observo: consciência é algo que, aos poucos, está se tornando inconsistente, esmaecida, com contornos indefinidos. Considero justa a esperança de que, um dia, mulheres deixarão de serem mortas apenas porque...são mulheres! Crianças de qualquer raça, cor, credo parem de morrer de fome e sede, perecerem nas guerras espalhadas pelo mundo, de crescerem –quando conseguem sobreviver- como guerrilheiros. Perdoem-me os colegas, mas essa data, para mim, é mais uma das que não posso comemorar: o social tornou-se particular, direito de poucos, igualitário apenas na vontade de quem quer acertar, mas desigual no dia a dia. Justiça? Perdeu-se entre guerras de poder, nos campos de refugiados, na terra seca, árida, escondida e envergonhada entre corpos, esquálidos uns, despedaçados, outros.

    Ainda bem que existem pessoas bem menos pessimistas do que eu, CAPPAZES de crer num futuro melhor, mais digno, com justiça social. A esses, meu respeito.

-33-
Justiça: nem social, nem real
Akasha De Lioncourt

Não consigo falar em justiça social,
Quando tantas pessoas são esquecidas.
Quando o dinheiro fala mais alto,
Juntamente com o status e ostentação.
Não somos um país solidário,
Não defendemos nossos pobres irmãos,
Fazemos caridade para os de fora,
Apenas para aparentar o que não somos.
Um Estado que prevê em sua lei maior,
Igualdade para todos,
Educação, saúde, lazer, segurança,
Mas não consegue cumprir sua determinação,
Porque não recebe apoio da população.
Aqui, funciona a “Lei Gerson”,
Vamos levar vantagem em tudo.
Vamos escravizar, explorar, superfaturar,
Às custas da grande maioria manipulada.
No dia em que cada brasileiro,
Perceber o poder que possui nas mãos,
Através de um clique de botão,
Deixando de eleger um ladrão.
Exigindo que as leis sejam cumpridas,
Que eles façam por merecer o cargo,
Que trabalhem em prol de cada brasileiro,
E falem menos, agindo mais.
Mas, talvez a corrupção seja endêmica,
Parta do povo até o governante,
Afinal, quantos vendem o seu voto,
Por um pequeno favor ou até um cargo.
Justiça social é muito linda,
Na sua vasta legislação, na teoria.
Infelizmente para a prática é utópica,
Porque quem faz jus a ela não a exige.
E sequer sabe que ela realmente existe.




 








 





Imagine
Letra, música e voz: John Lennon

Letra   Tradução
     
Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

You may say
I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day
You'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world

You may say
I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day
You'll join us
And the world will live as one
  Imagine que não há paraíso
É fácil se você tentar
Nenhum inferno abaixo de nós
Acima de nós apenas o céu
Imagine todas as pessoas
Vivendo para o hoje

Imagine não existir países
Não é difícil de fazer
Nada pelo que matar ou morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz

Você pode dizer
Que sou um sonhador
Mas não sou o único
Tenho a esperança de que um dia
Você se juntará a nós
E o mundo será como um só

Imagine não existir posses
Me pergunto se você consegue
Sem necessidade de ganância ou fome
Uma irmandade do Homem
Imagine todas as pessoas
Compartilhando todo o mundo

Você pode dizer
Que sou um sonhador
Mas não sou o único
Tenho a esperança de que um dia
Você se juntará a nós
E o mundo viverá como um só


 









|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||


Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados