Utilize esse comando para parar
a música de fundo e os respectivos
comandos para ouvir as demais
músicas.

 

 

ENCERRAMENTO/AGRADECIMENTOS

Queridos Confrades e Confreiras!

É com extrema alegria, que venho atender o chamado da nossa presidente nacional, Vera Passos, para compor o texto de fechamento da 65ª Ciranda Mensal CAPPAZ, cujo tema é: "Vamos falar de amor?"!

          Primeiramente, agradeço a todos que parou por um instante, abriu seu coração e permitiu que o amor emanasse em borbotões de inspiração poética. Assim, desabrochou belos textos que em prosa e versos traduziram a doçura que habita na essência de cada um dos poetas da CAPPAZ.

         Os singelos textos dos nossos poetas demonstraram que o amor é muito diferente do que a maioria das pessoas o define. O amor é mais do que amar um (a) companheiro (a), sua família, amigos, animais de estimação, coisas favoritas, etc. Pois, o amor é mais que um sentimento. O amor é uma força positiva. O amor não é fraco, tênue ou suave. O amor é a força positiva da vida! O amor é a causa de tudo que é bom e positivo!
          Assim como a força eletromagnética da gravidade, a força do amor é invisível para nós, mas seus efeitos são deleitosos aos nossos olhos e sua ausência causa um dano irreparável. Se as forças do amor cessassem nos corações dos homens nasceriam as guerras e a ganância desenfreada que destrói a natureza, concebe as mazelas do mundo e as dores do desamor.
         Sem o amor o mundo não seria possível porque não haveria a vida humana, animal, vegetal e mineral que é o fruto do amor.
        Sem amor não haveria os benefícios e conforto das grandes invenções e descobertas das Ciências e Tecnologias porque pelo amor dos cientistas, inventores e descobridores temos a eletricidade, os televisores, os telefones, os computadores, e tantos outros aparelhos tecnológicos que facilitam a nossa vida e nos ajudam na execução das tarefas do quotidiano, além de encurtar a distância entre nossos entes queridos.
          Sem amor não haveria casas, prédios, pontes, viadutos, medicamentos, médicos, engenheiros, cientistas, ou qualquer tipo de equipamentos eletrônicos, digitais, etc. Porque todas as invenções e descobertas humanas vieram do amor no coração humano.
        Sem amor não haveria livros, pinturas, canções para embalar nossa vida porque não haveria escolas, professores para a Educação.
        Sem amor não haveria, simplesmente, nada porque tudo em nossa volta é fruto do amor.
        Sem amor não haveria a vida porque é o amor que concebe a graça da vida e move o mundo. Move as pessoas a ser, fazer ou ter qualquer coisa que seja, desde impulsionar-se para levantar-se da cama de manhã para trabalhar, brincar, dançar, falar, ouvir uma canção, aprender a usar um computador para conversar com os familiares distantes, unir pessoas de diferentes crenças e culturas para fazer o bem e divulgar mensagens de Paz e Amor, etc.
       É a força do amor que cria e ou transforma os elementos da natureza que possibilitam os homens a criar, aperfeiçoar ou mudar qualquer coisa já existente para alcançar melhorias na saúde, nas condições de trabalho, etc., e principalmente, conforto para suas vidas.

        Então, escolha o amor como sua fonte de vida e faça do amor a motivação de sua existência.
        Doe amor nos seus sentimentos, nas suas palavras, mas principalmente, nas suas ações porque quanto mais doamos amor mais ele volta para nossas vidas em formas de coisas boas.
       Doe amor porque só o amor desabrocha a esperança nos corações sedentos de alegria.
        Doe amor porque só o amor acende uma luz onde tudo se tornou dor e escuridão.
       Doe amor porque só o amor concebe mais amor e inunda de Paz e Bem tudo em sua volta!

       Desejo muito amor em seu coração, pois, com amor temos esperança em dias melhores se eles estiverem chuvosos e tristes.
        Com amor temos força para lutar por nossas crenças e valores.
       Com amor fazemos as pessoas se sentirem melhor e felizes ao nosso lado e sempre teremos bons amigos.
        Tendo bons amigos temos saúde no sorrir e no falar.
       Com uma vida saudável temos as condições necessárias para o trabalho e com muito trabalho conquistamos nossos ideais e sonhos.


Atenciosamente

Paulo Rodrigues
Vice-presidente CAPPAZ - Regional São Paulo

Sorocaba, 02 de julho de 2014.

 

 



INTRODUÇÃO

Queridos Confrades e Confreiras,

Quero convidá-los a abrirem seus corações para dar voz ao amor, participando da 65º Ciranda Mensal CAPPAZ, cujo tema é: "Vamos falar de amor?". Escrevam em verso ou prosa sobre o mais belo e importante dos sentimentos, pois todos os outros giram em torno dele: O sol dos sentimentos, que aquece nosso corpo e ilumina nossa alma. Se deixe invadir e preencher plenamente por ele e abra a mente. Quem ama sente diferente e quer sempre o bem do outro. Amar é liberdade, jamais prisão. Ah, o amor: próprio, fraternal, platônico,romântico, erótico, maternal, ágape, de gente para gente, não importa o tipo, basta ser amor.Oh, e não tema ser ridículo ao escrever sobre ele, "pois todas as cartas de amor são ridículas",como assim definiu o poeta Fernando Pessoa. Amando sempre nos tornamos pessoas melhores, pois para isso é preciso ter a coragem e a pureza das crianças, além de enxergar com estes olhos infantis. Sim, porque o Amor,ao contrário do que dizem por aí, não é cego. Ele é encantado! Vamos viver o amor!

Rosana Paulo
Confreira Efetiva Seccional Salvador/BA


 



PARTICIPANTES

01 Akasha De Lioncourt 31 e 32
02 Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira 26 e 27
03 Antonio Carlos de Paula 50 e 51
04 Antonio Carlos Francisco (Zíngaro) 43
05 Branca Tirollo 47 e 48
06 Deomídio Neves de Macêdo Neto 44
07 Diná Fernandes 29 e 30
08 Eda Thereza Piccinin Bridi 38
09 Eliene Dantas de Miranda Taveira 25
10 Eloísa Antunes Maciel 05
11 Estela Frutos Braud 40 e 41
12 Esther Gonçalves 06 e 07
13 Fátima Peixoto 54
14 Fernando Alberto Salinas Couto 21
15 Gislaine Wächter 39
16 Humberto Rodrigues Neto 13 e 14
17 Jeferson Alves Bandeira 11
18 João José Oliveira Gonçalves 20 e 28
19 José Augusto Silvério (ZITO) 49
20 Josué Ramiro Ramalho 01
21 Joyce Lima Krischke 02 e 10
22 Luiz Menezes de Miranda 22 e 23
23 Marcelo de Oliveira Souza 04
24 Maria Helena Sarti 24
25 Maria Julia Geurra 16
26 Michelle Zanin 12
27 Odilon Machado de Lourenço 45 e 46
28 Paola Rhoden 08 e 09
29 Paulo Antonio Fonseca (Paulo Bugrão) 42
30 Paulo Rodrigues 17 e 55
31 Renata Rimet 18
32 Rosana Carneiro 33
33 Roseleide Santana de Farias 53
34 Sérgio Gonçalves dos Santos 34 e 35
35 Sílvia Silva Benedetti 36 e 37
36 Sônia Maria de Araújo Rêgo 52
37 Valter Bitencourt Júnior 19
38 Vera Lúcia Passos Souza 15
39 Vera Trindade 03

 



PARTICIPAÇÕES

-01-
AMOR FUGAZ
Josué Ramiro Ramalho

Vem de mim
Esta irrefreável
Vontade louca de te amar
E sei que sou assim
Assim
Tão cheio de amor
E incapaz de me fazer controlar
Arranca de tua imaginação
O poderio de me fazer sofrer
Vem
Traz consigo uma canção
E me envolve
E me entrega todo o teu
AMOR FUGAZ
E nunca... Jamais
Me farei te esquecer!

-02-
Se Estivesses...
Joyce Lima Krischke

-03-
A hora prometida
Vera Verá


Amor ou paixão, seja o que for...
Tu cairás neste laço do destino
Não importa se homem ou menino
Serás, um dia, cativo ou desertor

E hás de chorar sozinho a grande dor
De um retumbante e solitário doer fino
Capaz de afinar qualquer violino
Com toda exceção que cabe ao amor

E eu me juntarei a ti na hora triste
Quando teu pranto for enxovalhado
Assim que o teu começo for teu fim

Pois o céu não te será mais estrelado
Nem tu partirás de onde já saíste
Carregando outros lábios de carmim

-04-
Se você não olhasse para trás?
Marcelo de Oliveira Souza

Sonho nesse mundo
Amores vagabundos
Tudo era mentira
Um beijo que atira.

Uma ilusão
Pensando ser paixão,
Um disse me disse
Que não se diz nada.

Num grito divino
Encontrei o meu destino
Minh’alma em desatino,
Perdido como menino.

Vi aquela miragem
Seria uma viagem?
Você desfilou
Ou aterrissou
no meu caminho.

Vislumbrando todo
O futuro
Parei num pulo
Esperei e sonhei...

O Raio de sol...
A Flor do Sertão...
Tudo no meu coração...
Vindo numa só oração.
Um sonho de verdade...

O paraíso que virou
Meu ser.
Mas num susto
Pergunto-me :
- Se você não olhasse para trás?
O que seria de mim?
Certamente...
Eu não iria aguentar
Não seria feliz
Nunca mais...

-05-
ELE TEM MAGNITUDE UNIVERSAL...
ELOISA ANTUNES MACIEL

Ele se fez presente no coração humano desde os primórdios da Humanidade, embora os humanos das cavernas não soubessem expressá-lo de forma elaborada,
uma vez que seus impulsos primitivos prevaleciam em suas manifestações.

Fez-se presente ao longo da História da Humanidade, inclusive (ou principalmente) em tempos conturbados, em que a dor, as atrocidades, as mais violentas catástrofes, além de cruentas guerras assolaram o planeta – sendo que, apesar de sua sublime mediação, esses confrontos ainda persistem... E, precisamente nesses tempos conturbados, ELE se fez consolo e acolhimento, amparo e lenitivo, incentivo à esperança de paz, além dos lares e das fronteiras...

E, desde sempre, estimulou ações e iniciativas destinadas a acolher, curar, confortar e consolar aflitos, desdobrando-se em sentimentos cujas denominações tendem a atingir um sem-número de designações, entre as quais a solidariedade e a fraternidade (e suas sub-denominações) se alinham como sentimentos de amplidão universal, motivando leigos e religiosos, crentes e ateus, a testemunhá-lo através de atos de benemerência ou da verdadeira caridade; flui continuamente do coração de pais e mães abnegadas, mulheres caridosas, jovens apaixonados, de casais que se amam verdadeiramente...

Inspirou (e inspira) poetas e cantores, músicos e outros artistas, em produções que o enaltecem e tendem a manter “viva” a sua presença em meio ao ceticismo e a desesperança de muitos descrentes... Sua versão denominada Saudade o rememora após o passamento de entes queridos, e assim reafirma a sua perenidade para todo o sempre.

Enfim, parafraseando um autor cujo nome não lembro:

ELE se faz presente na esperança do jovem que sonha e na lembrança do velho que recorda... E a mola – mestra que move o Universo...

Seu nome é universal... Ele se chama AMOR -- sentimento que, sob diferenciadas manifestações, faz-se presente no cotidiano da Humanidade, embora sua presença nem sempre seja percebida à altura de sua excelsa magnitude!

-06-
ANDO DEVAGAR...
Esther Gonçalves

Na areia da praia, deixo minhas marcas,
Do nascer do sol, ao poente... Devagar,
Ando, para que percebas no meu andar...
O reflexo que brilha longe a te procurar.

Cada passo que eu dou, eu penso em ti,
Em nossos momentos de infinito amor,
Em teus braços eu sinto todo o teu calor,
Me transformas em tua estrela e por ti...

Atravesso o oceano, navego pelos mares,
Deixando sempre minha marca na areia...
Para que saibas o quanto eu te amo e és,

O homem mais importante dos meus ares,
Está escrito nas estrelas, no mar, na teia,
Que tece a vida e me domina até os pés.



-07-
O ABRAÇO
Esther Gonçalves

Que abraço gostoso,
Meu corpo recebeu,
De ti oh menino formoso!
Amor da minha vida, amor meu!

Foi o presente mais desejado,
Que a vida me deu.
Veio de longe, esperado...
Toma em teus braços o que é teu!!

Que leves de mim
Boas lembranças...
Para que nosso amor não tenha fim,
E nos encha de esperanças...

De mais uma vez nos encontrar,
Dando-nos a chance de viver,
Saciar nossa fome de amar...
Formando um só ser!!!

-08-
Quero estar
Paola Rhoden

Na hora das lágrimas
Sou seu lenço
Na alegria, seu sorriso
Quando sofre e fica triste
Por causa de alguma dor
Sou seu remédio, e penso
Que então preciso
De algo que ainda existe
Muito forte: o amor.



-09-
Esperança
Paola Rhoden

A lua aparece
O sol entristece
O vento cochila
No som que vacila
Beleza da cor
Brilhando a folha
No céu que acolhe
A gota que escorre
A flor que socorre
O tempo que oscila
E a vida fenece
Num canto de dor
Sou sempre na espera
De algo que encerra
Um grande amor

-10-
Tive um namorado...
Joyce Lima Krischke

Eu tive um namorado virtual
Que se tornou namorado real
Apaixonado... Muito amado
Um sonho... Meu príncipe encantado
Que me dava beijinhos e beijões
E muitos carinhos em cartões...

Que oferecia rosas e botões
Escrevia poemas em mensagens
Amor revelado nas imagens
Passeávamos de mãos dadas
Na praia e nas calçadas..
Parque, shopping e avenida...

Dizia-me ser sua querida
Abraçados nas noites enluaradas
Dançando valsas, sambas e baladas
Poetávamos juntos na calada
Nos seus poemas fui decantada
Não só no Dia dos Namorados

Mas em todos os momentos passados
Plenos de afetos e de encantamentos
Sim, rimas até em pensamentos
Namoro com esperas: idas e vindas...
Esperas... Embaladas em canções
Despedidas... Com muitas emoções

Juras de amor eterno... infinito
Ah! Amor-poesia, o Amor mais bonito...
Sim, o Amor pleno, no inverno ameno
Também, Amor no anoitecer sereno
E o Amor na melhor primavera!
Amor, na passagem para outra era!

Amor registrado: Poema de doçura.
Código de barras na literatura
Materializado no papel com calor
Levando o título: Tempo de Amor
Nota musical... da minha partitura
Tive um namorado... Quanta ternura!

Balneário Camboriú, 11 de junho de 2005-
Releitura em 12/06/2014

-11-
Amar é uma dor impaciente
Jeferson Alves Bandeira

Não acuse o desmando do desejo.

A flor se abre em beijo.

O sol, enciumado com o ensejo,
manda chuva a espantar o pássaro.

Amar é uma dor impaciente,
seja da falta, medo da perda.

Quando se cai na teia do amor,
o alimento é como o próprio definhar.

Quanto mais se prende, mais se encerra.

Quem aprendeu a amar prendeu-se à guerra.

-12-
Amor Espetacular
Michelle Zanin

Amor de cinema
Amor de novela
Um espetáculo a parte
Quente como o teatro
Pronto para ser vivido
Brota no peito de forma discreta
Como quem não quer nada
De repente toma conta de tudo
Só depende de mim e de ti para ser protagonizado
Sempre sonhei com este momento
Sempre quis saber o que significa afeição
Só sei que te amo
Sei que te zelo
Quero vivenciar este momento
Vamos nos despir
Deixar o amor fluir
Fazer um belo espetáculo com o intuito de ser aplaudido
Estamos escrevendo nosso destino
Vivendo uma paixão de despertar inveja na pobre Julieta
Nosso amor é intenso
Domina tudo ao redor
Ao nos beijarmos conseguimos tocar a alma um do outro
Somos uma obra á parte
Um dia iremos despertar a libido na doce menina
Vivemos intensamente
Enamorados, pois somos namorados
Queremos um amor sem consequências
Que nos ensine a superar
Vivemos um amor de juventude que mostra o quanto crescemos
Ardente como o fogo
Com o passar dos anos vai apagando sua chama, esfriando
Se tornando calmo, maduro
Já não somos mais duas crianças
Queremos companheirismo
Uma prova de que nos amamos
Não nos resta outra escolha
De forma adulta damos as mãos e decretamos o fim do primeiro ato
Mas este não é o nosso fim, somente o intervalo
Porque o espetáculo deve continuar.

-13-
MOMENTO
Humberto Rodrigues Neto


Velado por teus zelos de pudor,
seria lindo, meu bem, o vão momento
de não te amar somente em pensamento
mas ter da tua presença o corpo em flor!

À meia luz o teu constrangimento
seria um atrativo a mais do amor
naquele doce instante de esplendor
de cujo encanto vivo e me sustento!

Ah... Como seria lindo o vão rubor
que eu visse em ti num célere segundo,
tornando o teu rostinho encantador!

Depois... O instante de um suspiro fundo...
em que as janelas fecharias ao mundo
e me abririas os braços para o amor!



-14-
MIGALHAS
Humberto Rodrigues Neto

Que mais desejas, afinal, que eu faça
pra ter por meu o que de ti não tenho,
se já cansado estou de tanto empenho
de haurir de ti a mais suprema graça?

A quanto tempo mendigando eu venho
um pouco mais que esta ventura escassa!
Do amor apenas pingos pões-me à taça
que eu sorvo ao jugo de pesado lenho!

Somente a um outro, nas liriais toalhas
da mesa de Eros serves tua paixão,
mesa em que, pródiga, teus bens espalhas!

E ali enjeitado, a farejar o chão,
o meu amor vive a lamber migalhas
que tu lhe atiras qual se fora a um cão!

-15-
Vamos falar de AMOR?
Vera Passos

Falar do amor fraternal que inibe a guerra,
Do amor infantil que não discrimina nem erra
Do sentimento sublime que não mata, nem segrega
Do amor sem medida da adolescência, que gruda, que pega
Do amor pelos bichos sem raça, sem graça, sem códigos
Falar do amor à NATUREZA que nos doa a vida e nos integra
Do amor incondicional, independente, irracional, maternal...
Do primeiro sorriso, do encontro preciso, do elo de almas
Do amor dos amantes, de todos instantes, do amor sensual...
Do amor dos amigos, saudável, indefinido, inexplicável...
Dos amores mais belos, mais ternos, sem toques, que unem distâncias...
Da família humana, que liga o Universo, ao campo de luz
Que os seres humanos trazem a raiz e que a vida conduz
Falar do amor à sabedoria que só o tempo seduz,
Do amor que os homens carecem entender, prá vida não perecer.
Vamos FALAR DE AMOR?

-16-
Do amor
Maju Guerra

Hoje, com semblante e alma tristonhas,
Me peguei pensando em voz baixa
Sobre o que se ouve vida afora,
Começa na infância,
Palavras e histórias sobre o amor.
Não entendi do amor, hoje percebo,
Não sei bem se soube amar como deve ser.
Descobri que ele se afasta de quem o teme,
O amor não tolera desconfianças.
Amor é sentimento misterioso, caprichoso,
Alça voos e voos em torno de nós,
Desafiador e inconsequente,
Conhece bem o seu poder.
O amor não nos mostra suas mil faces,
Rindo ou sofrendo, quem quiser que as descubra,
Ele costuma nos dar apenas duas escolhas,
Não lhe agradam os meios-termos.
Vi e revivi cenas coloridas e desbotadas da minha vida.
Apesar de tudo, teimosa que sou,
Pretensiosa, até pode ser,
Ainda espero conhecer e desfrutar do amor,
Felicidade é coisa que não se deve abrir mão tão fácil.
Espero e observo, quem sabe o amor me encontre,
Goste de mim e se desnude à minha frente?
Quem sabe eu faça a escolha que lhe baste,
E livre dos medos, prefira a renúncia sem olhar pra trás?
Véus de inúmeras cores se abrindo
A me mostrar que tudo ainda pode ser.

Licença: Creative Commons

-17-
O amor
Paulo Rodrigues

O amor
tem seu cheiro
e seu sabor.

O amor
tem seu suave aroma,
a doçura do seu ardente beijo
e o calor do seu formoso corpo
tomado de desejo.

O amor
tem a ternura do seu belo olhar,
o carinho do seu meigo sorriso,
a graciosidade da sua mocidade
a contemplar o brilho das estrelas

-18-
Vamos falar de Amor?
Renata Rimet

Ah, o Amor!
Sentimento presente nos versos e canções, até nos filmes de televisão.
Lindo, solene e arrebatador.
Mas quando a música não toca, os versos não rimam e o filme acaba, o amor ainda resiste?
Não estaríamos renegando o nosso sentir, as nossas vontades para se agarrar a um modelo pré-estabelecido, desenhado em moldes a nos encaixar hermeticamente?
E se o amor, sentimento nobre for realmente cego?
Séria um bom ouvinte?
Guiaria nossos destinos ou quem sabe nos diria...
- Feche os olhos, esqueça o que passou, respire fundo e busque no seu íntimo a resposta que preenche o vazio... Se a emoção lhe tocar, se desejar dançar, ainda que canção nenhuma exista, se os olhos brilharem e a sensação for de completude, esteja certo, existe amor no seu peito...
A fonte a ser mergulhada para extração do mais puro néctar é interior, o amor precisa ser próprio, forte, estabelecido, para então ser colhido e semeado.
Ah! O Amor!

-19-
À procura
Valter Bitencourt Júnior

Procuro algo em mim
Entre duas pedras
Dentro de um vulcão voraz.
Procuro meu ser poeta,
Que só o meu destino
Pode encontrar!
Onde não sei…
Vejo tudo em neblinas.

-20-
Cartão Postal
J. J. Oliveira Gonçalves

-21-
FALANDO DE AMOR
Fernando Alberto Salinas Couto

Toda semente que tu plantas
prolifera frutos, abundante,
espalhados pelo mundo...
Sejamos poetisas ou poetas,
tornemos sempre reluzente
nosso sentimento profundo.

Semeando pelo mundo inteiro,
o que nascer nós iremos colher,
seja sonho, medo ou até dor.
Se houver flores no espinheiro,
por quê não plantar o prazer
de só propagar e falar de amor?

Em cada ato e verso que se faz,
pode-se plantar e colher paz.

RJ – 17/06/14

-22-
FALANDO DE AMOR
Luiz Menezes de Miranda

Eu gosto de falar de amor
Não um amor sublimado
Não aquele amor eloquente
Mas um amor apaixonado

Eu falo do amor concreto
Que sempre esteja carente
Para que sempre se renove
Mesmo que seja com brigas

Eu gosto de falar de amor
De amor que nos tira do sério
Que nos causa desespero
Quando diz que já se vai

Gosto sim, e como gosto
Do amor sem ter idade
Do amor com maldade
Para sustentar o ciúme

Gosto do amor vida
Com destino imprevisto
Com razões e com tormentos
Sempre alerto ao sofrimento

Gosto do amor gostoso
Das caricias assoberbadas
Dos cochichos nos ouvidos
E de pelos arrepiados

Gosto e como é gostoso o amor
Nem maldigo o meu destino
Sei que sofro no amor
Sei que o amor é dom divino.



-23-
TE ACHEI
Luiz Menezes de Miranda

Na vida há coisas simples
Simples como eu
Importantes como você

Busquei no horizonte
Uma maneira de ser feliz
Mas, nada encontrei.

Busquei no verde
A esperança
Mas era outono
Com árvores desnudas

Busquei no mar
Mas a ressaca
Nada trouxe
Apenas levou

Busquei na noite
Um sonho lindo
Mas, não adormeci.
Vivi insônia

Busquei então
Onde a razão
Não pode alcançar

E fui dentro de mim,
Bem fundo do meu eu
E, quase sem querer
Te descobri

Por entre letras mágicas
E risos escondidos
Paz de espírito
Te achei, amor.

-24
Falar de amor
Nena Sarti

Falar de amor após Camões,
Seria um tanto quanto arriscado.
Amar o amor amado,
Difícil tarefa ante diversas versões.

Qual a essência real
De um amor carcomido,
De um coração dolorido,
Do amor maternal?

Falar de amor exige ações,
Renúncias, sofrimentos, amarguras.
é amar enquanto a vida dura,
é elevar-se além das admoestações.

Falar de amor, hoje? O melhor é calar!

-25-
Amor
Eliene Dantas de Miranda



Amor doce palavra, simples,
pequena, mas comovente.
Quando presente, a vida é bela.
Quando se vai, deixa o coração doente

Quando o amor acontece
Chega como uma magia
Acalma o coração da gente
Na tristeza e na alegria.

O amor se instala de mansinho
Surge com um simples beijo
Finda: quando não há mais desejo.

O que era euforia e contentamento
Transforma-se em momentos de dor
Lágrimas, desesperança e sofrimento

-26-
Os tempos
Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira

Nos tempos de nascer
Temos muita emoção
Nesses tempos...
Começa a bater nosso coração

Nos tempos de criança
Que aventura nós vivíamos
Nesse tempo
Muitos filmes assistíamos

Nos tempos de mocinha
Tinha muitas amizades
Nesse tempo
Nesses tempos
Tinha muitas felicidades

Nos tempos de adolescente
Eu era muito arteira
Nesse tempo
Botava o meu diário na minha cabeceira

Nos tempos de adulta
É uma fase de ser
Tem que ser madura
Para poder vencer

Nos tempos de velhinha
Adora tricotar
A vovó faz doces
Para se deliciar

Nos tempos de falecer
Vou ressuscitar
Não importa mais nada
Por que eu vou voltar

Nos tempos de contar histórias
De cada minuta da vida
Vou decorar
Para contar para a minha família

-27-
A nossa amizade
Ana Beatriz Sebastiany de Oliveira

A amizade é o grande sentimento que todos podem ter.
Ela nos dá alegria todos os dias.
Com a amizade podemos ser muito felizes.
A amizade é o poder do amor, do carinho, da atenção, de tudo que nos traz o melhor.
Como diz o ditado da amizade:
A amizade verdadeira desce abaixo das raízes e se eleva acima das estrelas.

-28-
Último Sonho!
J.J.Oliveira Gonçalves

És - e serás - o meu Poema Mudo
E ainda o riso alegre e florescido!
Ah, o sumarento Fruto Proibido
O azul do céu vestido de veludo!

Serás o Poema meu - o mais concreto
De Carne-e-Osso o verso e a doce rima!
Fragrante e escultural... A Obra-Prima
Num Pacto de Amor sutil - discreto!

Jamais revelarei o nome teu
Ó, Musa, do grisalho verso meu
Da Hermética estrofe que componho!

Silêncio no olhar... No coração:
Rumores retumbantes da Emoção
Onde - de Amor - embalo o Último Sonho!

Porto Alegre, 17 de junho/2014. 17h
jjotapoesia@gmail.com – www.cappaz.com.br

-29-
Amor à primeira vista
Diná Fernandes

Foi pelo teu porte elegante,
Que meus olhos se encheram de viço.
Foi no meu coração carente
Que o teu amor fez reboliço.

Foi pelos teus olhos negros
Que enlouqueci de paixão.
Pelo teu jeito cativante e íntegro
Que a ti, entreguei meu coração.

Foi sim, amor à primeira vista,
Um arrebatamento sem igual,
Foi a mais bela das conquistas.
Foi uma atração mais que fatal .

Chegou com o alvorecer, invadiu meu coração
Como o mar ressacado em dia de maré cheia,
Esbanjou seus galanteios, e, de emoção,
Por mais que eu quisesse chorar, eu sorria.

E entre tantos arroubos e carinhos,
O amor acontece, e vamos construindo
Nosso castelo de sonhos, um ninho
De amor, do acaso advindo...


-30-
Amor (Experiemental Enlaces Disticus)

O amor nada teme tudo suporta,
E a forma de amar não importa.
O amor acomoda todas as inquietudes,
E a sensação de amar, é de completude.
Quando a gente ama tudo se renova,·.
Quem verdadeiramente ama nada reprova.·.
Não há amargura que o amor não acabe.
E até as dores das recidivas, lhe cabe.
Não lhe abate as inevitáveis desilusões,
E não reluta às novas e loucas emoções.

O amor quando num coração aporta,
A’ lma triste logo se reconforta...

Diná Fernandes
dinapoetisadapaz

-31-
Quando Existe Amor
Akasha De Lioncourt

Quando você aprende a amar de verdade,
Descobre que é um sentimento muito mais profundo.
Nem sempre corresponde à nossa realidade,
E pode modificar até o destino do mundo.

Há quem renuncie ao amor pelo amor,
Mas não se conforma e não o deixa partir.
Não compreende que o amor incondicional,
É aquele que liberta o ser amado e o deixa ir.

Se amar é desejar que o ser amado seja feliz,
Então precisamos aceitar que talvez seja em separado.
Que ambos viveremos mais livres,
Do que se estivéssemos lado a lado.

A dor da separação pode ser muito sofrida,
Mas não necessita ser, obrigatoriamente, eterna.
Se tiver de ser, não há força nesta vida,
Que impeça o reencontro e a união fraterna.

Amar é saber o momento de libertar,
Sem mágoa, sem pesar, sem dissabores.
O amor sabe a hora de voltar,
E fazer renascer velhos amores.

-32-
Amor de Salvação
Akasha De Lioncourt

Vem! Dá-me o frescor do teu beijo,
A proteção do teu abraço,
Deixa-me deitar no teu peito
E no teu colo me aninhar.

Ah! Faz-me tua para sempre,
E me sacias do teu ser,
Toma meu corpo, minh'alma
Alegras para sempre o meu viver!

Só teu amor pode dar-me a Paz,
A serenidade e a vontade de crescer
Quero teus sonhos povoar eternamente,
Viver intensamente esse amor de salvação...

Ah, sim, amor de salvação,
Que nos dá nova vida e esperanças,
Éramos náufragos perdidos no oceano,
Das nossas dores e dos nossos desencantos!

O nosso amor foi um novo sopro de vida
A nossa chance de viver e despertar

Vem! Vamos viver esse momento de magia,
Em que a Vida quer se fazer valer!
E nós merecemos, ah, sim, merecemos,
E havemos de ser felizes outra vez...

-33-
O MEU AMOR
Rosana Carneiro - SP

Quando suas asas fizeram o vento tocar meu rosto
Quando seus conselhos fizeram a minha vida bem melhor
Quando suas orações por mim, alcançaram o céu
Fizeram eu acreditar que
O milagre da vida não está só nas nossas escolhas
Mas também nas escolhas que fizeram de nós
E assim, descobri em você
Aquele anjo que tanto esperei
Só que desta vez não foi uma utopia
Era você, o amor que eu queria...

-34-
O junco da lagoa
Sérgio, beija-flor-poeta

Eu nasci na lagoa
nela me criei
alimentei-me dos peixes
que em noites de pescarias
no cair da lua cheia
junto com os amigos pesquei

O clima fui mudando
o sol torrente de todos os dias
bebia a água da lagoa
e, para onde ia, ninguém via
talvez engolida pelo bicho homem

E eu, eu bati asas e me fui
adeus minha lagoa
teu solo rachado
sem uma gota de lágrimas
sob a sobra dos galhos secos
do jenipapo sem folhas

Eu bato asas e vou embora
chegou a hora de alem mar.

-35-
O porre
Sérgio, beija-flor-poeta

Eu, caído ao chão
corpo enrolado entre os pés da mesa
e as garrafas secas de cerveja e cachaça
sempre me pergunto
o que estou a fazer
em noites de calor
em plenas margens do Atlântico

Engoli o medo e continuei deitado
no chão duro do bar
risadas passando pela porta entreaberta
e sumindo no tempo.

no dia seguinte
ressuscito numa cela
encontro-me ainda
preso entre as pernas
da mesa de um bar

-36-
A Droga
Silvia Benedetti

Droga?
Fuja dela
Traiçoeira
Possessiva e fatal.

Na falsa ilusão
Da “viagem alegre”
Deleta tua caminhada...

O “mergulho”
a curto prazo
Propicia o naufrágio.

És exilado
Da família, dos amigos...
Da sociedade

Droga?
Fuja dela
Escravagista
Venenosa e cruel.
Se preço?
TUA VIDA.



-37-
Asas soltas
Silvia Benedetti

Liberdade!
Ter asas soltas ao vento
Sem amarras, sem grilhões

Voar alto, muito alto!
Ir bem longe, muito longe!

Viver, ser igual borboleta,
Crisálida que mudou...

Ser essência, o perfume,
De cujo frasco... Vazou!

-38-
Meu Tesouro
Eda Thereza Piccinin Bridi

CRISTINA
C
arinhosa e delicada menina
Razão primeira de me tornar avó
Inteligente, estudiosa e determinada
Sabe onde quer chegar
Talento não lhe falta
Intuição também não
Na universidade vai se formar e
Alçar altos voos, num grande patamar

EDUARDO
Estudioso menino gosta de História
Disserta também sobre filosofia
Um crítico da política e da economia
Argumenta tudo com convicção e
Retórica
Do futebol faz sua diversão
O segundo é dos netos na “hierarquia”

LETÍCIA
Letícia, sinônimo de alegria
Estrela a brilhar
Tecla de piano a tocar
Inteligente, graciosa menininha
Corre em busca de seus sonhos
Ideais quer concretizar
Ama a vida! Assim é minha netinha

CRISTINA E LETÍCIA
Filhas da primogênita Regina e Márcio
EDUARDO
Filho do caçula Paulo e Elisângela
Nossos filhos, nossos netos
Um tesouro
Um presente do céu
Em nossas Bodas de Ouro
Com amor e paz no coração
Contemplamos Jacy e eu
A felicidade de nossa união

“Vossos filhos não são vossos filhos”
Diz Khalil Gibran
Educamos para o mundo
Com a nossa bênção
E amor profundo
Como gaivotas a voar
Sobre vales e montanhas
Vão conquistando seu espaço
Para seus sonhos realizar
E no curso da vida
De geração em geração
Seja sempre transmitida
A mensagem de paz, bem e luz!

Nos caminhos de minha doce vida
Encontro muitos anjos...
Anjos artistas, anjos poetas
Anjos do amor, anjos da paz
Entre um “milhão” de anjos amigos
Encontrei os anjos amigos da CAPPAZ

-39-
Você é Música
Gislaine Wächter

Por que sempre toca essa música?
Não sei o nome, nem quem canta
Mas ela me toca demais...
Me leva a tempos passados
Doces recordações
Saborosas lembranças...
Queria dançar essa melodia
Com alguém especial
Num lugar especial
Com cheiro de felicidade
Harmonia e simplicidade...
Como num momento ímpar,
Único e inesquecível...
Um dia, ela irá tocar
Tocar em especial
No fundo de dois corações...
E vamos curtir juntos
A alegria de viver
Sorrir e amar...
Ela irá insistir
Tocar de vez em quando
Até permanecer para sempre
Em nossas mentes...
Deliciosamente,
Maliciosamente...
Essa melodia foi feita
Só para nós
Para eu ser a pessoa mais feliz do mundo
E passar toda essa magia
Para um ser especial...

-40-
Semente
Estela Frutos Braud


Toda semente me fascina,
Quase invisível, pequena
Ou grandes, volumosas,
São elas poderosas.

Aquela penugem que se solta,
E ao vento confia sua rota.
Polpa da fruta nutre o passarinho,
Semente voa, cai na terra, o ninho.

Outra depende do esquecimento,
Do animal que a reservou como alimento.
Umas agarram-se ao ser que passa,
Espalhando longe, quando coça ou roça.

Existem as sementes bicho,
Plantadas com muito capricho,
Sua semente, continuidade,
Esperança de genes para eternidade.

E nos corações e mentes,
Brotam sentimentos, sementes,
Capazes de mudar o mundo
Para o bem maior ou mal profundo.

No Espaço fluídos se misturam,
Na Terra humanos capturam
Fantásticas sementes diversificadas,
Do meio dependem em suas jornadas.

Semente sublime, potencial de vida,
Expectativa no coração plantada,
De Luz, Amor, Harmonia e Paz,
Que traz consigo o Milagre da Energia
SEMENTE CAPPAZ!



-41-
PAZ
Estela Frutos Braud

Será a paz realmente almejada
Meta dos poderosos a ser alcançada
Ou as guerras constantemente planejadas
Qualquer justificativa é razão motivada
Em pretextos vis construídas
Conquistas, interesses, rixas incentivadas
A prepotência almejando pela força ousada
Armas tendo estimuladas as vendas
Noticiário fazendo enganosas propagandas
Distorcendo pagas a favor de ajudas
Fazendo da PAZ palavra vilipendiada
Pois em nome dela nações são armadas
Os povos pobres em carniça viradas
E quanto mais potentes essas desalmadas
Mais lhe apetecem intrigas, valem moedas
Aos bilhões, trilhões que se fossem esparramadas
Em forma de chuva do bem doadas
Os sem-teto teriam suas moradas
Os doentes suas feridas curadas
Os famintos a fome saciada
PAZ NA TERRA enfim encontrada

-42-
Prece a Santo Antonio
Paulo Antonio Fonseca (Paulo Bugrão)

Santo Antonio eu abro a gaita é pra rezar
Sua prece pra “chinoca” querer bem
Ao índio xucro que nasceu pra lhe amar
E esperar o veredicto de um amém.

Felicidade só terei com esta rainha
Que” adonou-se” do meu pobre coração
De emoção ficarei rico se for minha
Tudo se alinha ao fazer esta oração.

Santo Antonio pobreza não é defeito
Não sou aceito no meio sofisticado
Está tudo errado com o maldito preconceito
Sem ser direito a roubarei no meu ”tostado”

Eu a amo, ela me ama... Dai-me calma
Pra ser a palma sobre a luz do meu ranchinho
Santo Antoninho se o milagre me espalma
Terei a alma embriagada de carinho.

-43-
Homem do Mar
Antonio Carlos Francisco (Zíngaro)

Seus cabelos negros de reflexos prateados
O amargo desencanto em seu sorriso
Atitude destruída indiferente distante.

Um belo coração
Sem nem uma preocupação de elegância
Tornou-se tão sombrio.

Depois que viu a morte de perto
Razão de sobra para se sentir feliz.

Os homens em geral
Se tornam ávido de prazeres e gozos
Mas ele não está neste caso
Jamais teve pavor do perigo.

É audaz não tenho dúvidas
Capaz de amar fielmente
Como envolvente relâmpago
Um raio fatal lá vai o homem pro mar.

-44-
QUEM AMA VIVE MELHOR!
Deomídio Macêdo

Um sentimento puro, sentido
dentro do coração, desfila confortavelmente,
e uma voz suave na consciência do ser,
eleva a alma da criatura que volita nas asas do amor:
Do amor Fraternal, familiar;
Narcisístico, egoico;
Platônico, amor paixão;
Eros, ágape.
Amor aos animais,
as plantas, aos objetos.
Amor ao ser humano,
amor a vida,
amor a Deus.
E quem consegue amar sabe realmente viver.
E vive MELHOR.

-45-
Biodanza
Odilon Machado de Lourenço

Ao grupo que dança comigo um sonho de amor.

Essa dança vem do meio da vida
Pega as mãos e leva à ponta dos dedos um sonho de amor
Um impulso avança nas pernas
Leva os pés a pisarem mais firmes, mais livres!
Essa dança brota na alma vagante de sóis seculares
No peito em chamas flui forte!
Um rio entra mar adentro com suas águas doces
O mar recebe, assimila...
Aceita a força a espalhar-se em sua força
Segue a dança nas ondas
Sulca a terra, as pedras, a vida...
Espalha mais e mais o desejo do sonho
De um horizonte a outro horizonte a dança vai indo
Maleável, desinquieta, imbatível segue para além...
Vai girando com a terra e os astros
Eleva-se no ar como polens e versos
Vai à lua envolvida de prata
Dança nas areias da lua
Segue, levita além-estrelas...
Conhece outros sóis, outras luas...
Ao fio do infinito expande a dança
Vai indo, aumenta para além...
No tempo se espalha para sempre...



-46-
Olhares dos anjos
Odilon Machado de Lourenço

PARA ARLETE.

Anjos olham através da alma
Anjos veem cores de sóis renascerem
Olham para dentro das luzes os anjos
No ritmo do fogo ondulam suas mãos
Das cores das chamas nutrem seus olhares
Alma nova vai tomando luares de anjos
Os anjos são assim – iluminam vidas
Vidas cheias de esperanças sonhadas...
A iluminar os caminhos vão os anjos
Brilham com o fogo da alma nos olhos
Levam nas luzes desenhos de amor
Protegendo as almas na dança cantante
da força dos anjos
Assim como o fogo ama as lenhas queimando
São os raios brotados nos olhos dos anjos.

-47-
SAUDADE TUA
Parceria: Branca Tirollo e Luciane Casaretto

Vou sair por ai
Sufocar minha dor, noite adentro.
Arrancar esta dor que consome
Ah! Se Avisar sem demora
Cortando o abismo da minha alma
Que cala por amor, Esta dor tão amarga.

Vou voar com a voz
Alcançar o infinito
Deixar recados, através dos meus gritos.
Sonhar feito anjo
Fazer as promessas que fiz
Colorir nosso leito
Rimar meus versos
Na saudade tua

Vou sair por ai
Sufocar minha dor, noite adentro.
Arrancar esta dor que consome
Ah! Se Avisar sem demora
Cortando o abismo da minha alma
Que cala por amor, esta dor tão amarga.

Vem brincar comigo
Neste sonho de grandes amantes
Transformar meus medos
Em desejos tão louco por ti
Mover o infinito
O eco das vozes, meu corpo.
Acordar um poema
Dos versos em dor
Da saudade tua
Da saudade tua
Da saudade tua

-48-
QUE AMOR É ESTE?
Branca Tirollo

Que amor é este que se deseja antes de tomá-lo nos braços
e se envolve entre abraços ao partir?
Que amor é este que não deixa escolha profere e revoga,
e açoitando o destino faz chorar e sorrir?
Que amor é este que com todos os defeitos se faz perfeito na
dor, e extravasando no olhar leva, além da vida, o perdão?
Que amor é este que dorme para esperar a morte
e não desfalece o seu esplendor?
Que amor é este, cuja essência não foge ao vento,
e faz tempestade no silêncio da noite?
Que amor é este que acalenta faz dormir e sonhar
invadindo o corpo, a alma e o pensar?
Que amor é este que ronda o infinito inquietando céus
e no coração vem sereno repousar?

-49-
SUCATEIRO DO AMOR.
José Augusto Silvério

Tornei-me um indigente.
Um catador de sucata.
Fui catar carinho e amor.
Diziam que não valia nada,
Que isto era coisa barata.

Mexendo em um monte de bagulho.
Com cuidado e muito jeitinho.
Encontrei num canto um embrulho,
Cheio mesmo de amor e carinho.

Vendo aquele pacote.
Deu-me muita dó.
Como se joga carinho?
Com tanta gente só.

Do outro lado do lixão.
Encontrei uma lata de sorriso.
Velha, amassada, jogada,
Como se sorrir não fosse mais preciso.

No meio de tanto entulho,
Ouvi um choro muito sofrido.
Parei um pouco o barulho,
E encontrei um coração ferido.

Achei também espalhado,
Um punhado de amor,
Saído de um peito rasgado,
Cujo vazio se encheu de dor.

Recolhi tudo com carinho,
Aquilo me deu muita coragem.
Pensando encontrei um caminho.
Levar aquilo para reciclagem.

Coloquei tudo num carrinho,
E sai carregando pela rua.
Fui caminhando sozinho,
E espalhei tudo na lua.

Que recebeu assim sorridente.
Dei à ela apenas um recado:
-Lua padroeira dos namorados,
Distribuía este amor ardente,
Para todos os apaixonados.

-50-
HOJE EU VOU FALAR DE AMOR!
Antonio Carlos de Paula

hoje eu vou falar de amor,
de olhos tristes, marejados,
corações acelerados,
de uma paixão sem freios!

da emoção que me impele,
do tesão à flor da pele,
de flores e beija-flores!

de brisa e pára-brisas,
de céu, de terra, de fogo,
do ar, que me tira o fôlego,
do louco jogo da vida,
de uma saudade incontida,
que aflora, e desabrocha,
feito rosa em botão !

eu sei que perdi o jeito,
de falar do doce encanto,
da solidão e do pranto,
da tristeza e desencanto,
que a alma da gente invade!

mas, hoje eu vou falar de amor,
amanhã pode ser tarde!



-51-
DEIXA ACONTECER!
Antonio Carlos de Paula


seja um amor tão ardente,
tresloucado, inconsequente,
que dói feito dor de dente
que não se pode conter,
seja ilusão passageira
daquelas bem corriqueiras,
como quiser que me queiras
sempre será um querer!

seja amor, paixão, loucura,
feito mal que não tem cura,
que a gente tenta, procura,
mas não consegue esquecer,
então, enfim, que assim seja,
tão certo como a incerteza,
vem manter a chama acesa,
deixa tudo acontecer!

-52-
FALAR EM AMOR
Sônia Rêgo

E por falar em amor...
Por onde é que ele anda?
Se esconde nas emoções endurecidas?
Ou se esparrama nas mãos caridosas?

Vamos desse amor falar,
gritar aos quatro ventos
para todo mundo ouvir
e, quem sabe? praticar...

Que se aflore esse amor
todos os dias em nossa mente.
Esse sentimento tão nobre
que atravessa continentes.

Vai de norte a sul desse mundo
num olhar, num gesto, num afago.
Vai levando caridade em fim,
Sustentando as amizades.

Estamos falando do amor
mais profundo que se sente.
Aquele que todos buscam,
mas esquecem de doar

Aplaudam, agora e pra sempre,
esse generoso gesto da CAPPAZ,
incentivando a nós todos
para sobre esse amor falar.

RJ – 24/06/14

-53-
Tema da 65ª Ciranda Poética Mensal da CAPPAZ
Roseleide Santana de Farias

VAMOS FALAR DE AMOR...
Ainda que seja difícil amar,
Menos ainda ações realizar
Os humanos a fragilizarem
Sentimento, amor, piedade.

Falar do amor, confiança, fé,
Assim seja a sublime missão,
Lenitivo no mundo corrupto
Aos valores, sistemas falidos,
Retalhados na atroz ambição.

Desespero, almas angustiadas
Envolvidas pelas necessidades.

Aves de rapina, injustiças sociais
Movimentam-se nas asas da dor
Ondas de violências nas cidades
Réquiens à loucura do vil poder
         (quero Paz, Amor, Fraternidade!

29/06/2014

-54-
Amor
Fátima Peixoto

Sentimento de cuidado,
Proteção,
Admiração,
Desejo.
Sentimento que nos faz vivo,
Feliz,
Encantado.
O amor é sentimento capaz de embalar os mais belos sonhos,
Sonhos que guardamos a vida toda,
Quietinhos dentro do coração,
Sonhos que alimentam nossos dias na esperança de realizá-los.

-55-
O Amor
Paulo Rodrigues

Assim como o sol
que brilha após os dias de chuvas,
Assim como a alegria
que volta depois das lágrimas,
O amor está na minha mente.

O amor é para todos,
do norte, do sul,
do oriente, do ocidente,
não importa de onde você é.
Amor ultrapassa todas as barreiras.

O amor é o sentimento de todas as estações,
primavera, verão, outono, inverno.

O amor é minha memória,
meu motivo de sorri,
minha a razão de viver.

 

 

 



SELO DE PARTICIPAÇÃO




 










|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||


Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados