Abertura - 77ª Ciranda Mensal CAPPAZ

Amigos da CAPPAZ!

Em nome da Presidente Fundadora, Joyce Lima Krischke e de Eliene Dantas de Miranda, Coordenadora das Cirandas tenho a honra de convidá-los para participação na Ciranda Mensal que tem como tema: LIBERDADE DE PENSAMENTO. Em nossa opinião o livre pensar começa com a palavra respeito, mas não é sinônimo de tolerância com ações que agridem as liberdades individuais. É manifesto na CAPPAZ o valor do ser humano em sua vivência de respeito ao próximo e à natureza, portanto, convido poetas e artistas Confrades e Confreiras para que envie seus trabalhos contribuindo com o brilho de nossa Ciranda. Sempre PAZ e BEM!

Sidney Poeta Dos Sonhos

Santos-SP, 18/07/2015




PARTICIPANTES

01- Akasha De Lioncourt (10)
02- Ângela Torino Paletti (45)
03- Audelina Macieira (31)
04- Carlos Reinaldo de Souza (43)
05- Daniel Brasil (23)
06- Deomídio Macêdo (28)
07- Eda Bridi (29)
08- Edvaldo Rosa (40)
09- Eliene Dantas de Miranda (34)
10- Eloisa Antunes Maciel (15)
11- Estela Frutos Braud (16)
12- Fátima Peixoto (26)
13- Fernando Alberto Salinas Couto (12)
14- Gerusa Guedes Marques (19
15- J.J.Oliveira Gonçalves (25)
16- Jacira Pereira da Silva (38)
17- José Maria de Jesus Raimundo Silva (30)
18- José Otoniel da Costa (27 e 44)
19- José Pereira da Silva (37)
20- Josue Ramiro Ramalho (03 e 04)
21- Joyce Lima Krischke (02 e 11)
22- Judite Krischke Sebastiany (36)
23- Kátia Pérola (39)
24- Luiz Menezes de Miranda (13 e 14)
25- Malú Ferreira (41 e 42)
26- Marcelo de Oliveira Souza 07
27- Maria Helena Sarti (Nena Sarti)(24)
28- Marina Martinez (21 e 22)
29- Neneca Barbosa (17)
30- Paola Rhoden (06)
31- Regina Kreft (32)
32- Roseleide Santana de Farias (20)
33- Sidney Santos (05)
34- Sônia Rêgo (35)
35- Soninha Poetisa (18)
36- Tânia Maria de Souza (01)
37- Vanda Ferreira (33)
38- Vera Passos (08 e 09)






PARTICIPAÇÕES

01.
Liberdade de escrever
Tânia Souza


O material do escritor é a palavra:
a palavra inspirada pelo pensamento
pelo livre pensamento que voa
nos recônditos da alma do que escreve
e que se traduz por signos, que o representam.

Imagine um escritor sem essa liberdade:
liberdade de expressar seu pensamento livre...
Seria como um pássaro que canta engaiolado
seu canto triste...

O artista da palavra precisa que ela viaje,
que perpasse o tempo e o espaço
e que atinja outras almas
O simples fato de registrar seus sentimentos
já alegra esse artista,
porém muito mais o gratifica
o poder tocar o âmago de outrem.

Inédito
Balneário Camboriú/SC



02.
Escritor e a Liberdade de pensamento
Joyce Lima Krischke


...”Existe um povo que a bandeira empresta
P'ra cobrir tanta infâmia e cobardia!...
E deixa-a transformar-se nessa festa
Em manto impuro de bacante fria!...
Meu Deus! Meu Deus! Mas que bandeira é esta,
Que impudente na gávea tripudia?”...
Castro Alves


A liberdade de expressar opinião e de pensar é algo anterior às leis.
O Escritor e a Liberdade de Pensamento são essenciais para o desenvolvimento pleno da vida e construção da sociedade.
É impossível, impor regras de conduta ao pensamento dos humanos!
O pensamento é essência dos humanos...
Mas, constata-se que a manifestação e a exteriorização do pensamento no decurso de séculos da existência humana foram sempre regidas por condições e regramentos sociais, religiosos e jurídicos formais e até sutis.
A Constituição Brasileira de 1988 em seu bojo pretende assegurar a liberdade de pensamento e de expressão. Em conseqüência protege, expressamente, a exteriorização de opinião e, em conseqüência, proíbe censura.
Oh! Quanto fingimento vemos e ouvimos, muitas vezes em silêncio...
Sim, já vi e ouvi pessoa culta e letrada, ser humilhada, ante seus pares, por manifestar pensamento diverso aos de alguns “ditos líderes”.
Vejo que muitos são, veladamente, proibidos com elegância de expor seus pensamentos, idéias e ideais...
É nesse foco que vejo a importância do escritor abrindo caminhos, os mais diversos através da manifestação dos seus pensamentos, em palavras escritas, que permanecerão através dos tempos.
As palavras escritas – manifestação de pensamentos - são elementos basilares da liberdade de expressão.
Desta forma, o que a Constituição faz ao consagrar a livre manifestação de pensamento é dar existência jurídica ao chamado direito de opinião ou direto de manifestação do pensamento, que tem no escritor elemento chave na expressão do pensamento e da verdade.
Infelizmente, ainda, constatamos no dia a dia conseqüências de mecanismos de controle dissimulados, que operam no sentido de dirigir e manejar o pensamento das pessoas e das massas para os objetivos visados por certas áreas da sociedade e ideologias.

Balneário Camboriú/SC, julho/2015.



03.
REPENSANDO MEU DIA
Josue Ramiro Ramalho


Outro dia
Acordei com o canto do galo
Que na madrugada
Ditava a noite em horas do tempo
O respingar de estrelas cadentes
Em lua crescente
Assediava a falange de seres dispersos
No amanhecer do dia
Que tanto ameaçava raiar
Gotículas de céu intumesciam folhagens
E o clarear da estrela maior
Difundia um balé de cores mórbidas
No meu soliloquiar
Vilipendiei minhas excrescências
Quando a imensidade universal
Atestou mais uma noite subtraída
O ribombar de ondas fortes
Em mares revoltos
Demonstrava a força de um ser gigantesco
Era o Deus em girassol
Assumindo o canto de um novo dia
Em energias dispersas
Para todo universo
E os seres que nele vagueiam
Meditei meu tempo sobremaneira
E percebi que em todos habita
Esta fonte incomensurável
De energias em ser
Que a tudo esculpiu
Sem hora a vagar
No início do todo
Então o dia esquivou-se
Para o meu repensar!

Inédito.
Salvador - BA



04.
É PRECISO
Josue Ramiro Ramalho


É preciso ouvir o silêncio!
Olhar para o infinito
Em sua plenitude
Absorver todos os raios de sol
Observar o desfraldar da lua
E sua magnífica beleza no espaço etéreo!
É preciso contar estrelas!
Acariciar a mãe natureza
Beijar os filhos das matas
Amar as vibrações da terra
E desbravar as ondas fortes do mar
É preciso sentir sua própria existência
Apreciar com amor suas reflexões
Nas noites onde o encanto te desencanta
Onde a dor for imensamente tua
Então...
Tenha sede de fraternidade
Pois a alegria que brotará de teus poros
Será filha única de tua inquietação
Argumento óbvio de toda essa...
Complexidade!

Inédito
Salvador - BA



05.
ADÁGIO
Sidney Santos - Poeta Dos Sonhos


Aos poetas jovens e poetas moças
Nos escritos à debruçar
Aos poemas lúcidos e poesias loucas
Salve o livre pensar
A dúvida, o mundo move
O tempo passará
Mas o dito permanece, pois à alma comove

Santos, JULHO de 2015



06.
Alma de Escritor
Paola Rhoden


Escrever é uma arte onde o pensamento voa pelos remansos de rios, lagos, mares, jardins, e todo e qualquer lugar onde a alma do poeta possa estar.
Enquanto as letras tecem histórias pelos meandros da vida, movidas céleres pelos dedos ágeis do escritor, as facetas são deixadas pelos cantos gritados aos ventos, como marcas que indelevelmente são gravadas pelos caminhos, andados ou não, pela complexa humanidade.
Enquanto o pensamento for livre, livre será a expressão de quem molda em prosa e verso os acontecimentos que formam a memória de um mundo onde, mesmo que não se queira, registra a vida como ela é.
Assim é aquele que toma em suas mãos a tarefa de colocar em palavras, o que lhe vai no coração.


Inédita
Brasília - DF



07.
A Força do Escritor
Marcelo de Oliveira Souza


Sem destino , perdido,
Pobre, desvalido.
Nunca olhado...
Muito menos, notado,
Preso em suas angústias
Em suas ideias...

Ele sonhava com tudo
Mas não possuía nada
Na força da palavra
Escrita,
Começou a se encontrar.

Escreveu, rimou
Cresceu, imaginou
Seu sonho sedimentou
Onde sua estrela começou brilhar.

Contou, uniu, se engajou
Casou com a rima
Rimou no casamento,
As palavras deram-lhe o pão.

Um sonho construído
Fez-se a emancipação
Agora , amado
Antes , armado
com a dor
Ganhou vida
Alegria e muito amor,
Tornando-se um verdadeiro
E s c r i t o r.

Salvador - Bahia



08.
O Escritor
Vera Passos


O escritor viaja nos trilhos da pauta
Perde-se nas paralelas,encontra-se nos textos
Viaja com Pégasus as estórias encantadas, dialoga nas fábulas
Desce ao caos do palavriado chulo dos becos escuros
Transporta-se no rio dos olhos e alcança o oceano
Faz o romance desaguar numa cascata de beijos, no teatro
Desmaia no espaço sideral na praça das estrelas
Arranca do ar a lua, faz banhar-se no mar
Vagueia nos desertos, sacia no Oásis
Escala montanhas, descobre segredos
Fotografa a vida alheia, inventa a ficção
Estende a mão no auto-ajuda
Disputa sensualidade mediando o sexo a três
Participa da libido exarcebada dos amantes
Brinca na inocência dos que desabrocham a vida
Dispensa solidariedade nas mensagens benfazejas
Nas crônicas revela as imagens perfeitas
Desvenda os segredos dos seres pré-históricos
Zumbis mitológicos em pura evidência
Haja ciência a desvendar, alça vôo para apaziguar guerras
O escritor é livre pensador,foge da gaiola do pensamento
Na excursão, via on line, alcança o GLOBO...a TERRA...

Salvador- BA



09.
O Escritor
Vera Passos


Vagueia nas folhas dos livros tua pena
Juntam-se pequenos símbolos de codinome fonemas
Milhares se acoplam e geram expressões
Deslizam do pensamento, da imaginação
Versando , compondo, contando estórias,
Romances das mais variadas cenas
Intrigas, policiais, fatos cotidianos do sistema
Enche estas páginas de belas expressões.

Salvador- BA



10.
Escrever ou não escrever???
Akasha De Lioncourt


O desafio de falar sobre a era virtual para quem escreve é grande.
Há muitos prós e contras para serem levados em conta e às vezes não é muito bom pensar nisso por essas perspectivas. Claro que pelo lado positivo temos o fato de que a internet trouxe muito maior acessibilidade a livros e obras literárias, principalmente com o advento dos e-books e dos sites de poesias e textos literários.
Por outro lado, vemos crescer dia após dia a quantidade de pseudo poetas que escrevem textos repletos de erros gramaticais, concordância, dizem que isso é permissividade poética e chamam seus textos de poesias ou prosas. Claro que não existe faculdade de poeta ou escritor mas é necessário que haja pelo menos bom senso no escrever.
Com isso, vemos aumentar também o plágio e a falta de preocupação em dar o devido crédito ao autor de um texto que vemos publicado ou divulgado via e-mail. Isso quando não dão o crédito equivocamente ou de forma mal intencionada mesmo. Jabor nunca escreveu tanto em sua vida textos dos quais nunca tomou conhecimento.
Távola teve uma crônica maravilhosa que por muitos anos foi creditada ao não menos fantástico Drummond.
Victor Hugo é questionado até hoje com seu Desejo mas ninguém conseguiu me provar irrefutavelmente que o poema não é dele.
Crônica de Amor do Freire até hoje é creditada ao Jabor e até mesmo à Martha Medeiros. E até textos de desconhecidos são creditados a autores famosos apenas para ganhar notoriedade na rede quando deveriam ser postados com o verdadeiro nome do autor.
Enfim, a era digital é controversa e problemática mas eu quero acreditar que ela popularizou a literatura e tornou tudo mais fácil.
Quero crer também que os contras são menores do que os prós (nem vou parar pra mensurar um e outro, vou deixar por conta da minha esperança e otimismo) e que um dia as pessoas terão mais amor pela língua que falamos, a ponto de se importarem em escrever corretamente, sem vícios de internet e que esse amor se estenda pelo país inteiro para que possamos ser um país muito melhor do que somos hoje. Tudo começa com amor, seja ele por nós mesmo ou pela pátria que nos acolheu, seja no nascimento, seja na tenra ou mesmo na meia idade. E esse amor deverá ser a mola propulsora para que escritores como nós, que colocamos a alma em nossos escritos (ouso chamar os meus de rabiscos) possamos levar o nosso amor a mais leitores através do mundo digital.

São Paulo- SP



11.
Escritor e a Liberdade de Pensar
Joyce Lima Krischke


“Sim, escrevo versos, e a pedra não escreve versos.
Sim, faço idéias sobre o mundo, e a planta nenhumas.
Mas é que as pedras não são poetas, são pedras;
E as plantas são plantas só, e não pensadores.
Tanto posso dizer que sou superior a elas por isto”.
Fernando Pessoa


Saio na rua a cantar... pensamento no ar
Pra todos meu pensar, sigo a declamar
Paz e bem - sou escritora no mundo virtual
Cantar alto o que penso... muito legal!

E, assim vou trilhando minha vida
Declamando a poesia escrita e vivida
Semeando pensamentos... sigo além
Sou escritora liberta na Paz e no Bem

Sim, meu pensamento exteriorizo
Mesmo quando vejo certo sorriso...
Ah! Sorriso “a meia boca” pode magoar!

Palavras de Paz e Bem escrevo e liberto
Sim, com consciência que agirei certo
Penso e repenso antes de escrever e falar.

Balneário Camboriú/SC- 19/07/2015- 20h22min



12.
PENSAMENTO LIVRE
Fernando Alberto Salinas Couto


Diferente de outros seres,
é inegável que o humano
sofra muitos desenganos
por causa de seus poderes
que, como ser pensante,
tornam sua vida periclitante.

Eis que ele pode controlar
quase tudo neste mundo,
desde os caminhos a trilhar,
até o sofrimento profundo.
Até a morte pode prever
e deter os bons momentos,
mas nunca poderá deter
seus próprios pensamentos.

Inédito
RJ – 21/07/15



13.
BRIGA NO ALFABETO
Luiz Menezes de Miranda


Em uma briga alfabética
Para compor as estrofes
De uma obra literária
Letras se espalharam ao chão.
Como a vírgula estava no meio
Certos versos perderam o sentido
Acentos, alheios a tudo
Apenas observavam a discórdia
A oração de mãos juntas
Dizia para a poesia
Só nos resta rezar
Eis que de repente
Surge o travessão
E na sua interlocução
Em discurso direto
Em pose de substituição
Dos parênteses, vírgulas e dois-pontos.
Determina.
Ponto final
Componha-se o Poema.

Salvador- BA



14.
LIVRO
Luiz Menezes de Miranda


Não quero conselho, não quero virtude, não quero privacidade.
Não matem minha fome, não grifem o meu nome, ensinem-me a viver.
Não apelidem meu eu, não apaguem meus sonhos, não culpem meus pais, eles não são produto do meio.
Não atem minhas mãos, não me privem a caneta, não calem o grito que ecoam meus dedos.
Não se apossem de mim, não firam meu ego, eu tenho uma arma, eu posso lutar.
É fácil iludir, concordo, é fácil mentir, contesto, o tempo passa, ele fica, difícil é ceder.
Eu quero a liberdade de ter uma livro nas mãos e viajar na leitura sem que nada me impeça.
É a arma que tenho, é bem poderosa, não mata, educa.
Encarcerem-me, até permito.
Ficando meus livros, nada eu perdi.


Salvador- BA



15.
PENSO, LOGO EXISTO... MAS COMO EXISTO?
Eloisa Antunes Maciel


Se “penso, logo existo”, como existo?
Mas o próprio Descarte se omitiu...
Com seu simples pensar – não mais que isso -
Ao “como escrevo” não se referiu...

Se penso sob um molde pré- existente,
Em simples adesão ao superado,
Talvez eu seja mero conivente
Com ideal há muito ultrapassado...

E ao expressar – me através de escritos,
Poema ou prosa, poderei pecar
Pela defesa de ideais prescritos,
Tendendo o superado propagar...

Mas em meus textos tenho o compromisso
De revelar meu livre pensamento,
Embora eu deva “responder por isso”,
Ao desvelar meu posicionamento...

E nesse jogo em que os contendores
Pensam e existem em interação,
Não há vencidos e nem há vencedores...
Mas precursores da superação...

São Martinho da Serra/RS



16.
LIBERDADE DE EXPRESSÃO
Estela Frutos Braud


Vêm livres nossos pensamentos
Atropelando-nos muitas vezes...
E também nos fogem ou ficam lentos,
Difíceis de capturar, passam fugazes...
A grande vantagem está em expressá-los,
Sem amarras e sem censuras,
Nada de cortes a tolhe-los.
Correm, embaraçam-se em nossa imaginação,
Desrespeitam-se na compostura:
Livres, soltos buscam apenas inspiração.

Inédito
Balneário Camboriú-SC



17.
O OLEIRO DA POESIA
Neneca Barbosa


O poeta é como um hábil oleiro
Usa as mãos para seus versos compor
É de sua verve seu próprio obreiro
Cada poema modela com primor.

Oferece ao leitor com primazia
Como se fosse uma bela canção
Precisa ser regado a cada dia
Não o deixe murchar no coração.

A poesia é para o poeta fogo ardente
Que aquece com amor a alma extasiada
Ao ouvir cada manhã o som dolente
Trazido pelo gorjear da passarada.

O poeta é dos sonhos o construtor
Seus versos retratam a realidade
Que existe no mundo do observador
É só olhar com sua sensibilidade.

A natureza é arte do Criador
Não é pelo avanço da tecnologia
Que vai transformar a essência da flor
O oleiro da poesia cria todo dia.

João Pessoa - PB



18.
O Escritor e a Liberdade de Imprensa
Soninha Poetisa


Com liberdade, a verdade vem à tona.
Pra que tanta falsidade se tudo desmorona.
A liberdade de Imprensa é tudo que conquistamos,
Com a tal da Democracia, somos todos mais humanos.
Só não podemos desrespeitar, para não perder o que ganhamos.
A sociedade de hoje, luta contra os desumanos.
E os poderosos de Brasília,
Envergonham o Brasil, e o povo varonil.

28/07/2015-12:24
Campo Grande/MS



19.
MANIA DE ESCRITORA!
Gerusa Guedes Marques


Tenho uma mania de escritora
Escrevo quando estou feliz,
Quando estou triste,
Quando a emoção existe.

Eu escrevo pra lavar a alma,
Pra deixar fluir o pensamento
Dentro dessa cachola invisível
Tem o possível e impossível...

Caminho sem sair do lugar,
Voo apenas com o olhar,
Me apaixono sem parceiro,
Viajo o mundo inteiro.

Eita que cabeça louca
É essa cabeça de escritora
Que mania de voar sem asas,
Navegar sem águas...

Cabedelo-PB



20.
25 de Julho é o DIA DO ESCRITOR
Roseleide Santana de Farias


O que seria do nosso mundo
Se não houvesse uma alma poética e triste,
Alegre, idealista, sensível, amante,
Que apaixonado transcreve ao papel
A sua mente livre e pensante,
Pleno de fervorosos sentimentos
Sem temer em nenhum momento
As consequências que isso lhe traz.

O escritor fala de amores Philos, Eros, Ágape,
Escreve sobre a Natureza e a nossa relação,
Tão rica, pródiga, farta em beleza,
Mas que está morrendo pelas ações horrendas
Que o ser humano maluco lhe faz.
Também abraça utopias, saúde, cultura, educação.
Enxerga bem, provoca mudanças, vai mais além
Nos seus sonhos, que nem sempre é uma fantasia.

O escritor é poeta, abraça as dores do próximo
Se vítima das horríveis artimanhas
Que os poderes vis, tacanhos, nos traz.
Gestões ambiciosas, egoístas, ardilosas,
Ferindo os sentimentos de respeito,
Sufocando a Liberdade e Fraternidade,
A nos provocar dores tamanhas
Roubando Assim a nossa Paz.

Inédito
P/ o Dia do Escritor e a 77ª Ciranda CAPPAZ
Cabedelo- PB



21.
O escritor e a liberdade de pensamento
Marina Martinez


Liberdade e pensamento: duas palavras intensas.
Qualquer humano pensa, dentro da sua capacidade.
Ele possui liberdade de raciocinar, é intrínseco.
Nenhum escritor escapa a essa regra.
A questão, creio, esbarra noutra realidade.
Pensar, escrever, publicar é consequente.
Dependendo da circunstância, torna-se questão ética.
Sou livre para discorrer sobre racismo, ódio, crenças,
porém, moralmente, devo publicar?
Meu livre-arbítrio deve analisar pensamento e liberdade.
Não o consentimento de pensar, mas o de converter reflexões em armas,
tão poderosas quanto as de qualquer arsenal bélico.
Disparos podem trucidar corpos, palavras podem massacrar almas.

Inédito
Porto Alegre- RS



22.
Cinquenta tons de cinza
Marina Martinez


Cinquenta tons de cinza.
O livro? Não, o tempo.
Prédios transvestem-se de friúra
e a pluralidade da cor é melancólica.
Cinza chumbo, cinza leve se vigiam,
querendo evidenciar seus alinhamentos nos ares.
Algumas nuvens tentam invadir
mas são enxotadas para outros cantos.
Caso tivesse serenidade,
catalogava esse tons gritantes, sombrios, medianos.
Mas não quero ser envolvida por eles.
Reservarei a paciência para o camuflado,
quando me excitarei observando
folhas abandonadas de plátanos desaparecendo aos poucos,
cedendo lugar ao entretom da primavera,
chegando flor por flor, folha a folha,
fragmentando o cinza enregelante do inverno.

Inédito
Porto Alegre- RS



23.
Improviso
Daniel Brasil


Saúdo os escritores
Que são livres para explanar
Sua forma de pensar
Pensando são escultores
Grandes sonhadores
De seus nobres Argumentos
Como se fosse todos os ventos
Ecoando fazendo prece
O Escritor enobrece
Um mundo de pensamentos.

Inédito
Porto Alegre/RS



24.
VASÃO DOS SENTIDOS
Maria Helena Sarti (Nena Sarti)


O poeta quer sempre contar,
Contar contos, coisas falar,
Falar falácias, encantos do amar,
amar paisagens, imagens colher do ar,
do ar mesclar e enfatizar palavras,
palavras em cores, mostrar suas dores,
dores cativas, cobertas de máscaras,
máscaras que escondem, esculpidas no andar,
no andar desse homem a procura do "ser",
ser esse que está no viver, no morrer...
morrer nos sentidos do não compreender.

2015.
Campo Grande – MS



25.
A Palavra!
J.J. Oliveira Gonçalves


A Palavra é Liberdade
Não tem preço – tem sabor!
Deve ter Fraternidade
Paz e Bem – Justiça e Amor!

A Palavra é Dualidade
Se é Espada é ainda Cruz!
Se lembra Amor é Saudade
Entre as Trevas: Nívea Luz!

Vive o verso na cesura
Na canção do trovador!
Mas a Idéia – sem censura
Desabrocha feito flor!

Deus criou a Criatura
Minerva a Filosofia!
E ao Poeta – na clausura
Orpheu lhe deu a Poesia!

Nestas rimas que componho
Com Etérea Inspiração
Utopias teço... E Sonho
Ter no outro igual irmão!

Seja em prosa, seja em verso
De Alegria ou de Dor:
A Palavra é o Universo
Do Poeta e do Escritor!

*Inédito.
Porto Alegre, 02 de agosto/2015. 10h1hmin



26.
Parar de escrever
Fátima Peixoto


É parar de registrar os sonhos,
Corremos em busca de nossas realizações,
Os obstáculos são muitos,
Coragem, determinação não podem faltar.

Na busca angustiante,
Nos distanciamos, do romantismo, dos voos ...
Passamos a viver o real,
Sem espaço para beleza do imaginário.

Beleza que nos deixa mais sorridente,
Mais feliz, mais humano...
Ficamos presos a realidade que angustia, deixa triste,
Mas pra viver, temos que sofrer?

Sofrer com uma realidade que não aceitamos,
Sofrer com o descaso
Sofrer por não poder mudar um país tão desigual,
Aí, gritamos, lutamos...

Na percepção desta realidade as palavras fogem,
Registrar angustia, momento não prazeroso...
Prefiro dividir flores, os espinhos, tento eliminá-los.
Escrever é uma necessidade de registrar os sonhos.

Sonhos que se tornarão reais,
Sonhos que queremos concretizá-los,
Parar de escrever ,
É parar de sonhar,

Quando não sonhamos, paramos de viver.

Cabedelo- PB



27.
EXISTIR
José Otoniel da Costa (Poeta Otoniel)


Existir é sentir o coração fortemente
Palpitar os nossos sentimentos
É ter como meta um ideal, um sonho em mente
Deixar fluir as emoções que nos invadem
É buscar no decorrer da vida lutar
Contra obstáculos que com certeza surgem
E se apresentam quando temos algo a alcançar!...
É ter confiança plena na vida com ação
Coragem fortaleza e muita sabedoria
Elementos esses necessários à realização
De toda qualquer atividade e melhoria
Exercer o corpo a alma e o coração
Em função de assumir o papel ativo
Em meio a sociedade como fim e motivo
Colocar o nosso Deus no plano mais alto
De nossas intenções que em nome Dele
Ao ponto mais elevado dê seguro salto
Em busca da verdadeira felicidade
Com amor lealdade e ânimo de vencer
Sabendo adquirir as virtudes com caridade
Ter bons hábitos como exemplos de bom ser
Jamais esquecer as regras do bem viver
Com trabalho, estudo e exemplar conduta
Saber almejar boas posições morais em ter
O plantio das sementes do bem com cultura
Fazendo-as florir, produzindo “frutos”
Eficazes à existência de um mundo melhor
E que a paz seja em tudo a conquista maior!

Jandira/SP



28.
O ESCRITOR E A LIBERDADE DE PENSAMENTO
Deomídio Macêdo


Pensa...
Pensamento!
Impregna o papel.
Liberta o escritor e conduza a escrita,
pontuando o enredo que te leva a voar nas asas da libertação.
Pensa...
Pensamento!
Vai sem demora.
E liberte também,
outros pensamentos, que viajam no portal da leitura.
Pensa...
Pensamento
Indubitavelmente!

Salvador – Bahia



29.
O Escritor e a Liberdade de Pensamento
Eda Bridi


Deus em sua infinita sabedoria criou o homem
à sua imagem e semelhança,
logo,
criou o homem livre para pensar e agir.
Livre
Como o pássaro que voa sobre colinas
e montanhas, nas ondas do vento,
batendo asas para tomar altura,
e voar mais alto e mais alto no infinito,
o escritor dá asas ao seu pensamento,
que toma forma na palavra escrita,
e, nas ondas da literatura,
não tem caminho finito.
Todo leitor é um destinatário
das produções do livre pensamento.
Como o pássaro, que curva as asas
para empreender a descida
e pousar firme no solo,
o escritor recolhe-se no seu íntimo,
e atento aos princípios éticos, com firmeza,
expressa suas ideias e sentimentos.
O céu não tem placas de endereço.
Saber o pensamento do pássaro, impossível.
Em seu voo, admira as belezas
da natureza? As construções dos humanos?
Mas todos entendem sua mensagem.
O homem pode expressar seu pensamento
sobre tudo o que há no universo
e por que e para que tudo nele existe...
E suas mensagens tem endereço certo,
nas mentes e corações abertos,
que respeitam a liberdade de pensamento.

Inédito
Sobradinho- RS



30.
Além do Tempo
José Maria de Jesus Raimundo Silva


Penso...
No passado , presente e futuro.
Falo...
De política, religião, esportes, pescaria e natureza.
Escrevo...
Sobre o amor, vida e emoções.
Desenho versos para a mulher amada,
Sobre a terra onde nasci Campos Gerais, Estado de Minas Gerais,
Das viagens no Brasil, celeiro do mundo, país rico e exuberante,
Berço de grandes escritores, juristas, cientistas, artistas e cantores,
Compositores e artesões.
Detentor de florestas, bosques, rios,praias, fauna e flora encantadoras.
Aos poucos degradadas.
Europa, África e Oriente Médio, Continentes maravilhosos que marcaram minha vida.
Além do tempo...
Exponho minhas idéias.
Não discuto, ouço opiniões e sigo meus caminhos.
Sou amante da verdade,
Defendo a natureza, e tudo que nela contém.
Sou livre nos meus atos, tenho prazer e viver.

inédito
Varginha- MG



31.
Minha liberdade de escrever
Audelina Macieira


Na minha vida escrever é uma emoção, é um dom de Deus que a mim concedeu esta linda missão. Quando escrevo , escrevo com minhas mãos, mas é minha alma que fala ao coração. Escrever é um ato físico que envolve o poder de integrar espirito , alma e corpo, além de explanar o seu interior em razões exteriores que lhe dá a razão e a intuição no mesmo sentido. Ao escrever o escritor deixa de ser ele sendo ele mesmo as suas vivências vão fluir de maneira lenta e expressiva e ao terminar sua escrita ele vai marcar vidas e deixar a sua esquecida. Em contra partida escrever dá ao escritor uma liberdade que o leva a lugares inexplicáveis, em outras épocas ou em outros momentos históricos ou não, uma realidade ou uma fantasia, um túnel do tempo que leva e trás e te faz crer que no momento da escrita você venceu o tempo e o dominou como se fosse o escritor um pequeno deus atrevido e insolente, que vai prender de repente um leitor. Enfim a liberdade é curta ao escritor que fala e ouve a sua voz na voz de muitos leitores, que vai onde o povo está, mas que as vezes leva anos para entender sua importância no mundo e fica perdido em seus livros como se fosse ele uma biblioteca inativa onde os livros são a última pedida de uma mente que quer se divertir ou se informar, quem sabe? O leitor nada sabe do escritor que está por trás da escrita ou talvez saiba um pouco da sua vida , mas jamais vai saber de fato o que o escritor sentiu ao se dedicar e se doar na escrita , pois nem mesmo o próprio que escreve sabe se definir tamanha é sua visão aguçada sobre a vida e seu movimento, e o escritor apenas é um instrumento quando escreve.

Salvador - BA



32.
Comemorando!
Regina Kreft


Na alma saudosa que busca a fantasia
No sonho viajante, no brilho que nos fascina
Na relva que o soluço se descortina;
Nas escarpas sem travas voamos na alegria!
No sol escaldante, na beleza de um coração!
No sussurro da brisa, e na luz solar
No vagalume colorido, na folha sem lar,
Os sonhos encantam no silêncio da pura emoção!
Viaja no seu descanso, vive te chamando,
Tudo reaviva! E na noite calada
Nessa sintonia, até o silêncio fala!
Flutuando nos céus, na felicidade sentida,
Essa melodia suave, é tua mensagem,
De alma para alma, comemorando a vida!

Inédito
Joinville- SC



33.
Pensando no leitor
Vanda Ferreira


Realizar leitura é um empreendimento que exige parceria dos demais sentidos além da visão
Quando olhamos agregando o coração e o cérebro, realizamos leituras sublimes, interpretamos entrelinhas, navegamos na respiração da virgula, criamos parênteses, extirpamos pontos finais.
Ler requer nossa bagagem de riqueza de vida, de preciosidades que compõem nosso particular baú de experiência. Ler requer contemplação, imaginação, viagens silenciosas e solitárias.

Campo Grande- MS



34.
Por que escrevo?
Eliene Dantas de Miranda


Escrevo... escrevo... muitas vezes sem saber.
Algumas vezes para desabafar, desafogar as mágoas,
comunicar ou repassar algo às pessoas e ao mundo.
Muitas vezes escrevo lorotas, e depois me ponho a
apagar, rabiscar, rasgar o papel e deletar tudo.
Sinto-me incapaz, mas ao rever o que registrei,
concluo que escrever é uma arte de difícil execução.
Requer raciocínio pleno, grande conhecimento das letras
para expressar com esmero algo que seja belo, prazeroso, claro,
e de conteúdo lógico e inteligível.
Não é fácil! É algo penoso, mas vale a pena exercer essa proeza.

São Paulo 05/08/2015.



35.
VOA LIVRE PENSAMENTO
Sônia Rêgo


Voa, voa bem alto.
Voa, vai lá longe...
Bem longe...e me diz...
O poder do pensamento
Que viaja, a todo momento
Pra onde quiser,
Leva-me a lugares lindos,
Momentos passados, presentes...
Futuros sonhos...
O porvir é incerto,
Longínquo ou bem perto.
Mas está aqui, no meu pensamento.

“ INÉDITO
Rio de Janeiro – RJ 05/08/15



36.
Escritor CAPPAZ
Judite Krischke Sebastiany


Escritor
Pensador
Ser Humano
Cidadão
Educador
Fornecedor de opinião
Livre
Para pensar
Para criar
Escolher
Palavras
Tons e cores
Cuidadoso
Responsável
Ao se expressar
Cidadão Educador

Construindo
Um mundo melhor
Onde
Ética e Paz
Prevaleçam
ESCRITOR CAPPAZ

Porto Alegre/RS



37.
Ao Escritor
José Pereira da Silva


Pai, me dê inspiração
Competência e sabedoria
Para em versos descrever
A importância desse dia.

Deus Pai, o Criador,
É dono da vida e do Ser,
Refúgio da Humanidade
A quem faz por merecer.

Sensibilidade e ternura,
Dedicação, fé e amor,
Para fazer parte da arte,
Ser poeta escritor.

Lembrei-me do poeta, meu pai,
E das histórias do meu avô,
Nesse dia especial,
Que lembra o Escritor.

Homem dotado de inteligência,
Abençoado pelo Senhor,
Inspirado pela Natureza,
Para ser na vida Escritor.

Quem trabalha tem na vida
Frutos do trabalho e louvor.
Desejo Paz, Saúde e Alegria
No Dia do Escritor!

Inédito
Cabedelo/PB



38.
ESCREVO O QUE PENSO
Jacira Pereira da Silva


Escrevo tudo o que penso
Com liberdade e prazer.
Falo de tudo o que é bom,
Para alguns pode não ser,
Mas tenho a liberdade
E posso assim escrever!

Meus pensamentos são livres
Minhas vontades também,
Eu faço tudo com bondade,
Não prejudico á ninguém.
Se alguém me prejudica,
Desejo pra ele o Bem!

Seja livre como eu,
Escreva e deseje a paz
Com liberdade na mente,
Nunca diga tanto faz,
Para aqueles que precisam
De carinho e muito mais.

Escritor tem liberdade
De falar e de pensar.
O seu mundo é mais bonito,
Podem em mim, acreditar.
Quando se sentem tristonhos,
Viajam pro mundo dos sonhos
E voltam para sonhar.

Inédito
Cabedelo- PB



39.
OS ESCRITORES E LIBERDADE DE PENSAMENTO
Kátia Claudino Caetano Pereira Pseudônimo( Kátia Pérola)


Os escritores são pessoas possuidoras do talento
De escrever sobre tudo aquilo que se refere ao presente momento
Assim como, sobre acontecimentos e teses que permeiam
Também o passado e futuro
A estes é ou deve ser conferido o direito sagrado de expressar
Com conhecimento e consciência o seu Pensamento
Ter o escritor a Liberdade de dizer o que mais útil poderá ser
Em matéria de comportamento e aspirações de um povo ou duma Sociedade Livre ou não...
Desde que não venha isso contrariar os princípios fundamentais deste ou desta
Porém, cabe a ele transmitir as demais pessoas o que ao seu
Modo de ver, seja para grandeza de espírito e desenvolvimento
Intelectual dos povos, sociedades e oxalá até de nações.

Ourinhos- SP



40.
Não somos todos escritores?
Edvaldo Rosa


Somos todos envolvidos com os acontecimentos cotidianos, que produz marcas distintas em cada um de nós, sendo que alguns procuram fazer o registro do que lhes acontece, dos pensamentos que a vida desperta em suas consciências, dos sentimentos que dai aflora, e estes cronistas são escritores em ponto de germinação.
Assim, todos tem o potencial para serem chamados de escritores.
Já aqueles em que depois de aflorada as verves da escrita dedicam-se em aprimorá-la serão ao fim de sua existência, possivelmente aclamados como escritores fundamentais á cultura.
Ser escritor é dar testemunho de si, perante outros, perante o tempo!
E escrever é um entrelaçamento de muitos elementos, que trarão á urdidura do texto as suas cores, suas formas, tanto objetivas quanto subjetivas...
É um fotografar, pintar, esculpir, através da palavra, que escolhida dentre tantas de uma língua tragam em si mesmas o reflexo do que foi intuído, sentido, pensando...
E elas, as palavras, com sua carga histórica, com sua vocação a significar, são pedras fundamentais á escrita, e por isso não podem ser usadas de qualquer maneira ou forma...
As palavras são a fôrma em que serão formadas as várias representações do que foi escrito!
E como um espelho, se bem limpo, propiciarão um nítido reflexo do que querem representar, e significar... Ao contrário, serão veiculo de dúvidas, discórdias, malversações...
Escrever é acima de tudo, comunicar... E fazer-se entender é de suma importância, assim, a clareza, a coesão, é imprescindível...
Só que a arte da escrita, nos dias que correm, esbarra no encontro de uma plateia apta a decodifica-la, e através de uma leitura ativa recodifica-la, tirando dela novos significados, ou usando-a como ponte para outros pontos de vista possíveis, ou inimagináveis...
É por isso, que escrever é um dom!
Mas, avento que qualquer dom, dada a sua potencialidade, tem que ser constantemente incentivado, motivado, experimentado, trabalhado e retrabalhado, num fazer-se a si mesmo incessante.
Escrever, além de ser um entretenimento, é também um labor de pesquisa, de elaboração de conceitos, que podem vir a fundamentar a vida em comunidade, fazendo com que a sociedade passe para outra fase de seu longo e árduo amadurecimento. Este pensamento tem como base a ideia de que já ultrapassamos a fase em que os conhecimentos eram transmitidos pela oralidade.
Escrever é registar.
Que registremos em folhas ainda pálidas, carentes de um por vir, o que de melhor tivermos dentro de nós para comunicar... Se não, o que tivermos de mais honesto! - Pois, nós escritores temos nas mãos a possibilidade de aplacar as trevas, na mesma medida em que podemos alimentar a escuridão!
Sabendo que a única realidade que temos para viver, é a em que vivemos, façamos o nosso melhor, pois, juízos de valor, só o serão, após o escrutínio de muitos e tantos que deitem seus olhos sobre os nossos escritos.
Somos nós os escritores de hoje, não só os responsáveis pelo que o futuro falará de nós, mas pelo que intuirá, imaginara... Mas cabe a todos os membros de nossa comunidade, sociedade, propiciar a nós escritores o material para nossos registros...
Na falta de bons assuntos, de material instrutivo, esclarecedor, emancipador, teremos escritores possivelmente mais empobrecidos, e sem fortuna em seus escritos...
E obras sem virtudes!
Afinal de contas não podemos ficar á espera que o acaso produza algum gênio nas letras quando bem lhe convier! – Será que podemos nos dar a este luxo?


São Paulo - SP 25/07/2015



41.
REFLEXÃO (Liberdade de Expressão)
Malú Ferreira


Os pensamentos
São responsáveis para construirmos o mundo
As inspIrações
Fazem com que nossos sonhos tornem realidade.
Muitas vezes
Através das entre linhas...
Todos nós temos esta capacidade
Todos nós temos um pouco de poesia.
Poesia é o que somos
É o que vivemos.
Diversas são as mensagens.
Diversas são as direções.
Diversos... São os que lêem
Poucos os que interpretam

Salvador- Bahia



42.
Sonhos
Malú Ferreira


Quando criança tinha sonhos.
Sonhos de comprar sonhos
“Sonhos de padaria”
Horas realizava esses sonhos.
Por vezes, o tal desejado sonho falia.
Os cruzeiros não vinham?!
Hoje já é mais fácil sonhar.
Um real, não tarda muito a chegar.
Para os pequenos sonhos...
Que eu ficava a desejar.
Meu “Sonhar” agora é outro.
Peguei gosto à literatura.
Chego a sonhar traçando linhas de poesias.
Por horas, desenho poesias em sonhos.
Não penso viver com recursos da literatura.
Que pretensão!
Quero apenas continuar a comprar sonhos
“Sonhos de padaria”
E deixar alguns dos meus sonhos registrados
Nas livrarias da vida.
E assim cumprir na terra a minha missão
E quem sabe um dia...
O mundo descubra o meu verdadeiro...
Sonhar

04/03/13
Salvador- BA



43.
O escritor e a liberdade
Carlos Reinaldo de Souza


Escrever não é moleza,
nestes tempos de labor,
prá falar com mais clareza,
é preciso muito amor.

A questão essencial,
é se ter a liberdade,
de escrever o natural,
sem perder veracidade.

Ao pensar qualquer ideia,
e escrever o que se pensa,
evitar a panaceia,
e também qualquer ofensa.

Meus amigos eu vos digo,
que é melhor ficar calado,
e por isso eu bendigo,
o escritor mais ponderado.

Conselheiro Lafaete- MG



44.
Os Escritores e Liberdade de Pensamento
José Otoniel da Costa - Poeta Otoniel (JOtDellaCosta.)


Os escritores são pessoas
instruídas intelectualmente
Dotadas do talento de escrever
Aquilo que pensa e deseja ser
Por outros indivíduos captado
E quem sabe até seguido
Em matéria de comportamento
E exercícios...

Devem os escritores gozarem
Plenamente
Da Liberdade e do Direito
De Pensamento
Ao escreverem aquilo que considera
Ao seu ver, útil e benéfico à Sociedade
Ao Povo ou mesmo, como um todo
A uma Nação

Jandira, 05 de agosto de 2015.
Jandira/SP



45.
Liberdade
Angela Torino Paletti


Ouça!
Nada tenho a oferecer
Sou o que sou...
Vivo onde vivo...
Na luz da manhã, sigo
Nasci onde nasci...
Como folha ao vento, vivi.

Num ofício pungente
na isca de um sonho
na noite secreta
tentei ser poeta.

Brinquei de pássaros
Plantei estrelas
Amei a lua.
Ouvi músicas nas vitrolas
E senti o perfume das nove-horas.

Nem vi o tempo
que passou lá fora
Nem mesmo vi quando foste embora.

Sou isca de peixe
Sou pétala ao vento
Sou o infinito
No meu pensamento.

Sou filha da vida
da eternidade
Música doce de um realejo
Sou correnteza infinita.
Sou liberdade!

Itamonte - Minas Gerais




SELO DE PARTICIPAÇÃO













|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

Arte e Formatação Joyce Lima Krischke
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados