INTRODUÇÃO

Amamentação - Um ato de amor entre mãe e filho.

Sinto-me honrada em fazer a abertura da 78ª Ciranda da Confraria de Artistas e Poetas pela Paz – CAPPAZ, sensibilizada por este importante tema: “Amamentação - Um ato de amor entre mãe e filho”.
Agradeço á Deus e aos caríssimos dirigentes desta importante confraria que busca unir, integrar e estimular poetas e escritores a desenvolverem os seus talentos, divulgando-os, sensibilizando e instruindo a alma humana com o perfume da Paz e Harmonia intrínseca na poesia que paira sobre a criação.
A amamentação além de estimular e prover a vida, sublima o contato entre mães e filhos ao aconchego do seu corpo e alma, e assim também enobrece as ações de outros seres que amamentam aquele que não é o seu filho.
A amamentação é um maravilhoso e magnífico ato de amor materno que ocorre entre todos os seres, as fêmeas, mesmo entre espécies diferentes. Pois após o processo de maternidade e parto, os corpos das mães entram em processo de transformação física e biológica para a produção do leite e o ato instintivo, emocional, força motriz em que as Leis Naturais buscam para a preservação da vida.
Gostaria de falar e exaltar os seres mamíferos, humanos e fauna, que ao perderem os seus filhos, seja pela morte ou afastadas abruptamente por “n” motivos, se tornam “amas de leite” e continuam a participar do processo de preservação da vida para com aquele filho não biológico! Temos exemplos das mães que por motivos de trabalho e stress, mal conseguem amamentar os seus filhos por seis meses, período mínimo necessário. Não poderíamos esquecer a dedicação e a dor das mães escravas que, em época não muito remota, sofriam ao afastarem de si os seus rebentos para que o seu leite servisse apenas ao filho recém-nascido do seu senhor! Também citar os magníficos exemplos de seres que adotam e amamentam crias órfãs da mesma espécie ou diferentes, nos dando o maior exemplo de amor e dedicação incondicional!
De onde viria esta luz, esta força, este amor? Simplesmente da efervescência hormonal?
“Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas. O Arquiteto mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a força para que Suas flechas se projetem, rápidas e para longe. Que vosso encurvamento na mão do Arqueiro seja a vossa alegria: Pois assim como Êle ama a flecha que voa, também ama o arco que permanece estável.” Gibran.
À todos os participantes desejamos ótimas inspirações e belos textos.
Fraternais abraços,

Roseleide Santana de Farias
Presidente Regional da Paraíba






PARTICIPANTES

01- Carlos Reinaldo de Souza (25)
02- Daniel Brasil (13)
03- Deomídio Macêdo (20)
04- Edvaldo Rosa (03)
05- Eliene Dantas de Miranda (09)
06- Eloisa Antunes Maciel (02)
07- Fernando Alberto Salinas Couto (07)
08- J.J. Oliveira Gonçalves (24)
09- José Maria de Jesus Raimundo Silva (19)
10- José Otoniel da Costa (11)
11- José Pereira da Silva (16)
12- Joyce Lima Krischcke( 01 e 26)
13- Kátia Claudino Caetano Pereira (21)
14- Marcelo de Oliveira Souza (04)
15- Nádia Cerqueira (22)
16- Nena Sarti (Maria Helena Sarti) (08)
17- Neneca Barbosa (12)
18- Paola Rhoden (14)
19- Paulo Rodrigues (17)
20- Regina Kreft (05 e 06)
21- Rosana Carneiro (23)
22- Roseleide Santana de Farias (15)
23- Sônia Rêgo (10)
24- Vera Passos (18)






PARTICIPAÇÕES

01-
Mãe que amamenta
Joyce Lima Krischke




Balneário Camboriú/SC



02-
AMAMENTAÇÃO
– ATO MÚLTIPLO FUNDADO NO ELO AFETIVO MÃE-FILHO...
Eloisa Antunes Maciel


Embora amplamente conhecida – e divulgada – a amamentação não raro tende a ser conceituada como um ato uni-facetado- ou um mero elo afetivo entre a mãe nutriz (aquela que ao amamentar nutre, simplesmente) e o seu rebento, reduzindo o amplo ato da amamentação à esteira nutricional afetiva, tão somente – embora o fator afetivo seja fundamental e decisivo para a disposição e manutenção desse ato múltiplo e fundamentalmente relevante sob diversos aspectos.
Com efeito, se não houver uma aceitação afetiva básica a que a amamentação se efetive, ou seja, se a nutriz não se dispuser afetivamente a esse gesto de doação, vários efeitos adversos poderão advir- e entre esses uma “estranha reação” do neonato (ou do bebê) que, aparentando um gesto automático, poderá recusar-se a mamar...
No entanto, embora a base afetiva seja fundamental, a amamentação (como ato múltiplo, por multidimensional), esse importante ato comporta também múltiplas facetas, incluindo-se entre estas a regularidade de horários, a aceitação do “jeito” do bebê mamar, a observância do tempo próprio, bem como a sua curva de saciação – embora esta tenda a modificar-se com o avanço da idade “mamante”, entre outros fatores dignos de especial atenção, a fim de que o importante ato da amamentação cumpra a sua presumida eficácia – haja vista uma ampla gama de estudos disponíveis no âmbito da medicina, da nutrição, da psicologia do desenvolvimento multidimensional, entre outros cujos parâmetros se integram em padrões específicos - como os adotados pela psicanálise revisitada à luz de pesquisas atualizadas, não cabendo, portanto, reduzir esse ato múltiplo simplesmente à dimensão afetiva – em que pese a sua fundamental importância no estabelecimento da própria relação dual positiva mãe filho...
Assim sendo, cabe reconhecer-se a multiplicidade e a efetividade da amamentação para o desenvolvimento saudável do ser humano, reconhecendo-se, fundamentalmente, que esse importante ato múltiplo se embasa numa positiva relação dual (mãe – bebê) e se efetiva pela observância de requisitos científicos que estão a requerer conhecimentos e disposição da mulher- mãe no sentido de levar a bom termo os notáveis efeitos de um processo de amamentação bem sucedido – o qual, sem dúvida, decorre de uma disposição afetiva favorável da mãe e se consolida pelo estabelecimento de padrões biopsicossociais que se embasam na importante relação dual mãe-filho.


São Martinho – RS



03-
SEIOS FARTOS...
Edvaldo Rosa


Atrás de seios fartos,
Mora um amor sem limites!
Vive o que de melhor existe,
Carinhos em doses generosas,
Desmedida preocupação...
Atrás de seios magros,
Mora um amor sem limites,
Vive o que de mais caro existe,
Consideração...
Pois mães são dádivas divinas,
Que definham a si mesmas por outras vidas,
Vindas de suas entranhas ou não!
Pois uma mãe é uma mulher que ama,
Que guarda em si toda chama,
Que nos guiará noites e dias,
E que nos acalora por toda a nossa vida,
Mesmo que nossas mães queridas,
Não passem apenas de recordação!

São Paulo/SP



04-
Amamentação
Marcelo de Oliveira Souza


Uma grande lição
De amor
E consideração
Um elo eterno
De união.
A saúde
Em forma de refeição.

O grito pueril
De fome ...
Um gesto de carinho
Com o peito na mão.

Também um ato
De solidariedade
Mãe de leite
Lembrada para sempre,
Uma grande consideração.

Tudo isso
É de graça !
O líquido do âmago
Do ser
Surgindo ...
Amamentação

Salvador- BA



05-
Amamentação!
Regina Kreft


Tempo devolveu-me infinitas lembranças!
Os teus olhinhos azuis feito estrelas piscando
Cabelinhos de anjinho barroco, te enfeitando!
Linda, tua pele de seda, tuas mãozinhas delicadas,
Buscando o carinho, podia sentir a tua boquinha
Sugando o alimento sagrado da vida, te fortalecendo!
Neste instante só nosso, a vida jorrava paz e um amor completo!
Amamentar-te foi o início de uma vida edificada no afeto!

(Inédito)
Joinville/SC



06-
O Milagre da Amamentação!
Regina Kreft


Mundo pequenino, ali um pequenino
protegido pelo afago da mamãe, com certeza!
Na palidez do luar...Há uma voz de grande beleza!
Nada há de mais terno entre os sonhos,
Do que a fala da mamãe com seu bebê querido!
Momentos únicos...Milagres da vida se repetindo!
Instantes abençoados, mãe e filho energia pura!
Leite milagroso, alimentando corpo e alma!

(Inédito)
Joinville/SC



07-
AMAMENTAR
Fernando Alberto Salinas Couto


Dar o seio para amamentar
é o maior gesto de amor
da mulher para com sua cria.
Muito mais do que alimentar
é um movimento encantador,
mais fascinante que a poesia.

Poesia de dois seres unidos,
por um sentimento sublime,
inexplicável e transcendental...
Espíritos que foram cingidos,
eternamente, por um vime
de consistência eterna e vital.

INÉDITA
RJ – 01/09/15


08-
QUANDO MEU FILHO DORME
Nena Sarti (Maria Helena Sarti)


Ah! Quando te vejo assim,
Adormecido, lindo,
Loiro, singelo,
Minha alma se inunda,
Transborda e cai
como cascatas aveludadas
Em toneladas de amor.
Queria ser a lira
Que possuem os anjos,
Pois de mim tu ouvirias
Suaves cantigas de ninar.
Queria em teus sonhos,
Ser teu brinquedo preferido
Para poder passar
O tempo que quisesses,
Por mais que fosse infindo
Ser acariciada por ti.
Ah! Quando te vejo assim,
Adormecido, lindo,
Queria poder parar
Este mundo louco,
Esquecer tudo que de ruim existe,
Com a calma dos deuses
Aconchegar-me em teu lado,
Com a mesmo paz
Que te contemplo agora,
Sorrir da vida
E adormecer contigo.

Campo Grande - MS



09-
O Doce Leite do Amor
Eliene Dantas de Miranda


O doce leite do amor
É o mais completo alimento.
A criança sente carinho e aconchego
Quando a mãe oferece-lhe o peito.

Dar o peito ao seu filho
Para que usufrua do néctar
Entrosa as duas criaturas
Fazendo a criança pensar
Que no ventre ainda está.

São Paulo- SP



10-
UM ATO DE AMOR
Sônia Rêgo


O leite materno é doce alimento,
muito importante para o crescimento,
também para imunidade.
Bem pequenino, na tenra idade,
já com fome de leão,
mama muito o bebezinho,
esse leite fresquinho
que a mamãe dá de coração.

Depois, já grande e forte,
lembrará dos braços que
o amparavam, de forma fraterna
na hora mais importante
da alimentação materna.

RJ – 02/09/15



11-
“AMAMENTAÇÃO- UM ATO DE AMOR.”...
José Otoniel da Costa - (O Poeta de Jandira)


A amamentação não só é um ato de amor
Como também é a primeira entre tantas
A iniciativa maior no sentido de dar vigor
A mãe ao seu dileto filho por meio
Do alimento inicial
Ao desenvolvimento e sustento natural
Para no futuro ter ele a energia tão necessária...

Com esta atitude está a mãe com o sentimento
De ser a primeira a contribuir essencialmente
Naquilo que é básico ingrediente de sua dileção
Materna no sentido de vir seu rebento ser ciente
Forte, e disposto a contribuir com todo desenvolvimento
De sua própria e individual grandeza e de toda Nação
Vindo no futuro formar-se destacado cidadão (ã)
Pronto a colaborar com seus compatriotas
Para se ter cada vez mais todas as portas
Abertas à fraternidade, paz e harmoniosa união
Contribuindo à formação de uma justa sociedade
De civilismo, respeito e de honra composta

Jandira, 03 de setembro de 2015.



12-
CUMPLICIDADE
Neneca Barbosa


A mãe amamenta seu rebento
Com o leite que sai naturalmente
Essência da intimidade materna
Com amor doa tão rico alimento
Que jorra tal qual o rio na nascente.
Aconchego com cumplicidade
Olho no olho com doce ternura
Da entrega do carinho e do amor
Ah, não existe maior felicidade
Que ter nos braços um Ser de candura.

Inédito
João Pessoa, 03/09/2015



13-
LEITE MATERNO
Daniel Brasil


Eis o líquido da vida
Este leite materno
Agradeço ao Pai Eterno
Pela minha mãe querida
Mamãe és a minha preferida
Esta jóia sem preço
A ti te agradeço
Nesta hora tão sentida...
É o leite materno
Em nossa amamentação
Ele é a melhor alimentação
Deste amor fraterno
E quando me governo
Devo sempre exaltar
Este primeiro alimentar
Seja ultrapassado ou moderno...
Mãe com seu louvor
E com sua sapiência
Nos conforta com paciência
E com seu esplendor
ternura e louvor
Tem sua consciência
Alimenta-nos
Com sublime amor

Porto Alegre- RS



14-
Sublime Ensinamento
Paola Rhoden


Amamentar seu filho,
sublime acalentar,
ver nos olhinhos o brilho,
da felicidade que isso causa,
no futuro caminhar.
Qual mãe não fica feliz,
vendo o doce sorriso,
e esse sorriso lhe diz,
no momento dessa pausa,
mamãe, me ensinou a amar.

Brasília- DF



15-
Amamentação - Um ato de amor entre mãe e filho”
Roseleide Santana de Farias


Alento entre a mãe e filho após as agonias do parto,
Magnífico néctar se sobressai destes seios materno.
Amai ao pequeno “ser” que sobressaiu do teu corpo,
Mamilos feridos, amor, dor, assim é tua função vital!
Entre dores e esperanças, teu filho chega ao mundo,
Nada deve lhe faltar, ele é dos seres o mais carente;
Tamanho é o cuidado á recebe-lo, ó filho do homem!
Ao engatinhar, corpo e o espírito traz a eterna busca,
Cantai, sorri e chorai entre as dores, alegria, sonhos.
Aos carinhos, desvelo e disciplinas, realizai o anseio,
Ondas de energia sublime te ampara na hora da dor!

Uma Luz no fim do túnel, a junção, laços, mãe, filho,
Magnífico plano divino, esperança no materno amor.

Atentai a vis barreiras dos sentimentos mesquinhos,
Tentações, abismos, que o mundo profano nos traz.
O genuíno amor não discrimina raças, sangue e cor

Deixai o teu coração impregnar-se na doce ternura,
Em sentir a pequena criança nos protetores braços.

Amor, O Mestre Jesus muito bem aqui exemplificou,
Mensagem viva de Esperança, Vida, Fé, Redenção.
Onde na Cruz nos mostrou o seu Caminho Perfeito,
Rei entre os céus e a terra, é no amor nosso irmão!

Entre os corpos os espíritos vêm e aqui se enlaçam
Nos compromissos fraternos, felizes eles se acham.
Tensões, tristes contendas, muitas vezes aparecem,
Riscos, quedas, abismos, avanços, atrasos, vitórias,
Entre experiências atrozes, dolorosas de nossa vida.

Mãe, se tu carregas o teu filho no ventre e nos seios,
Ausculta vossos corações além da intensa pulsação,
Entre laços sanguíneos ou não, sentirás um mistério,

E tão difícil é saber, lembrar, o que na vida já passou.

Fios e teias, um rio a correr, assim é este nosso viver,
Intenso, calmo, agitado, alegre, triste, é teu caminhar.
Linha do Tempo, Véu de Maia, deixam leve teu fardo,
Histórias do passado, compromissos que você firmou,
O filho amado nos braços, coração generoso de amor!


“Almas que ascendem à Luz, o Bem, o Amor e a Paz!”.

Cabedelo- PB 03/09/2015



16-
Amamentação – Um ato de amor entre mãe e filho
José Pereira da Silva


Ser mulher, um destino divino.
Ser mãe, uma missão maravilhosa.
Escolhida pra germinar,
Dar carinho e amar
Como a flor e a rosa!
Mãe da paciência,
Mãe do amor,
Mãe do carinho,
Mãe que amamenta!
A germinação,
O nascimento,
A amamentação,
O processo que transforma
O ser!
Mãe que educa,
Mãe que protege,
Mãe que corrige
Ao erro cometido!

Cabedelo- PB, 03/09/2015



17-
Amamentação - Um ato de amor entre mãe e filho.
Paulo Rodrigues


Amamentar,
amor que sustenta a vida
e conecta corações
pelos laços maternos.
Amamentar,
amor que aconchega vidas
na ausência do progenitor.
Amamentar,
amor que germina
ao desabrochar uma mãe.

Sorocaba/SP.



18-
Amamentar, um ato de amor
Vera Passos


Entregar-se ao doce encanto da maternidade
Cuidar, proteger, doar-se por inteira
Semear no novo ser, paz e felicidade
Desenhar o caminho sem tirar-lhe a liberdade
Guardar o ninho e enchê-lo com calor,
Chorar o pranto quando necessário for
Sonhar os primeiros passos, guardar nos braços,
Oferecer o soro, que é remédio e ameniza a dor.
Doar o néctar que alimenta o fruto por amor

Salvador- BA



19-
AMAMENTAÇÃO
José Maria de Jesus Raimundo Silva


Amamentar é um ato de amor,
É uma bênção do céu.
É louvar a Deus,
É alimentar o fruto do amor.
É um gesto maravilhoso,
Que engrandece a mulher.
Transmitindo ao ser gerado,
Energia...
Carinho...
Satisfação.
Mãe, forte, bela, aconchegante,
Irradiando felicidade,
Amparada pelos anjos.

Inédito
Varginha/MG



20-
Amamentar
Deomídio Macedo


Olhar enternecido
mãos pequenas
Boca a salivar.
O bebê sorrir
sugando o leite que brota do seio
que jorra energia salutar.
A mãe se emociona, oferecendo para o filho
o elixir da vida:
Leite Materno

Salvador - BA



21-
AMAMENTAR
Kátia Claudino Caetano Pereira (Kátia Pérola)


Havemos de considerar ser
Este Ato
Após da Criança o nascimento
Como essencial fundamento
Doando o sagrado ingrediente farto
E necessário
A sua feliz e resistente existência
De enfrentar na vida toda e qualquer
Indiferença
Para atingir sua prosperidade indispensável
A ser pessoa culta e de desenvolvimento
Louvável
Sentimentalmente a Mãe se embeleza
Ao sentir estar dando de si ao seu filho
O que a ele pertence por natureza
Com a fé de que na sociedade
Ver-se-á o seu brilho e capacidade
De ser útil a todos seus contemporâneos
No campo, vilas ou mesmo na cidade
De exemplar conduta em todos os ângulos

É nobre ser mãe; é dádiva de DEUS
É servir ao Senhor da Criação
É trazer no seu ventre mais um
Dos queridos filhos ou filhas seus
Doando ao mundo uma importante
Parcela divina de sua vida

Ourinhos-SP, 03 de setembro de 2015



22-
Amamentar
Nádia Cerqueira


É mais que um ato de amor
É transmissão de energia
É estar conectado com Deus, mesmo
Aquela mãe que aparentemente nada
Tem, além do leite que brota do seu seio
E por isso, que os meus filhos
Transformaram minha vida triste
Em uma bela paisagem
Que igual não existe
Um filho pode até esquecer
O sabor do leite materno,
Mas jamais esquecerá da fonte
Que o amamentou
Viro uma fera para protegê-los
Luto com garra, amor e zelo
Paixão verdadeira de todos os dias
Amor inocente e sem egoísmo
É o maior, com grande brilho
O amor de meus filhos.

Salvador- BA



23-
AMAMENTA-AÇÃO
Rosana Carneiro




São Paulo/SP



24-
Amamentar – Sinônimo de Amar!
J.J. Oliveira Gonçalves




Amamentar é ato substantivo de Amor.
Amamentar o filho. Ou o filho de outra mãe. Ou filho órfão.
E esse ato não se estende somente ao filhote humano,
digamos assim. Mas, ao filhote de outra raça. A um
animalzinho, ao léu – sem mãe, sem rumo, sem sua família.
Faz algum tempo, encontrei na net a fotografia de uma índia
amazonense com seu filhinho, ao colo, e amamentando um
filhotinho animal. Mais do que impressionado, fiquei emocionado.
Comovido, até. Essa mãe indígena – em sua singularidade e
em sua generosidade – é mãe multiplicada, mãe plural.
Eis que divide o calor materno de seu peito com um filhote
que não é o seu. Nem de seu sangue. Nem de sua raça.
O leite materno é Seiva. É Amor. E Amor é Afago, é Carinho.
Por isso, em minha crença de simples ser da Natureza,
essa Ternura Maternal não alimenta apenas o corpo,
no bater vivaz dos corações de mãe e filho. Não.
Alimenta, também e ainda, a Alma. Através de uma
Linguagem intimamente sensível – muda e cúmplice:
de gestos, de toques, de aconchegos!
Afinal, a mãe – quando amamenta – oferece, ao bebê,
o regozijo do coração e a Luz da Alma!

Porto Alegre, 03 de setembro/2015.
jjotapoesia@gmail.com – www.cappaz.com.br



25-
Amamentação, um gesto de amor
Carlos Reinaldo de Souza


Bendita seja a mãe que amamenta,
o filho antes dos primeiros passos,
neste sublime ato ela o alimenta,
e assim evita perdas e fracassos.

O amor que a mãe ao seu filho dedica,
é algo tão sublime e valioso,
tão importante que a dignifica,
e torna o filho forte e valoroso.

Alimentar seu filho em cada seio,
é gesto que enobrece e valoriza,
é algo que suplanta o devaneio.

A doação da mãe não tem fronteiras,
supera a dor, acalma e simboliza,
conquistas e vitórias altaneiras!

Conselheiro Lafaete- MG, 03/09/15.



26.
Recordações de Uma Mãe de Leite...
Joyce Lima Krischke


Sim tive nove filhos:
Sete filhos nascidos do meu corpo,
Fruto de muito amor!
Uma nascida do coração...
Também, muito amada!
E um que sobreviveu do leite que lhe dei...

Oito dos meus filhos, nascidos
De mãe e pai de cor branca
E um, que pouco convivi,
Nascido de pais de cor negra.

Sim – Momento sentido, diferente
MOMENTO ADORMECIDO...
QUE AGORA VOLTA... EM CASCATA...
EMOCIONANTE!
Fato que ocorreu nos meus,
Já distantes, 28 anos apenas...

Oferecer meus seios para amamentar
Um ser minúsculo- um pequenino,
Gerado em outro ventre materno...
Com aparência física diferente dos filhos
Que havia até então amamentado!

Sim, a mãe do pequeno ser
estava no hospital, passando muito mal,
Sofria hemorragia, quase mortal!
Não tinha o precioso líquido
Para amamentar seu filho.
O pequeno recém nascido
Precisando amamentação...

Eu, com leite escorrendo... sobrando...
Meu filho recém nascido- prematuro
Não conseguia sugar o leite que deveria
Não tinha forças pra se alimentar...
Leite em mim sobrava!!

Foi quando um médico adentrou meu leito de hospital
Dizendo: Trouxe outro filho para você alimentar!
Que susto levei! Quanta emoção!
Nos meus 28 anos apenas...

Bela criança... bem pretinha,
Recordava-me um bebê de louça
Que eu tivera em criança...
Sim, o bebe, agora de carne e osso
Voltava pra mim....!!

Foi quando o médico
(que ainda está vivo para recordar- Dr. Narciso Sebastiany)
Colocou sobre o meu colo a criança.
Filho de outra mãe, para eu amamentar
O pequeno ser, também, não sabia mamar.
Mas aprendeu rápido a sugar...
E muito..., em mim mamou,
Até que sua mãe da saúde melhorou,
Para o leite materno lhe dar.

O pequeno "filho de leite" tinha “muito sapinho”
Doença que ao mamar nos meus seios
Tramsmitiu para meu filho- Laurinho,
Que por alguns dias,
Para voltar a mamar o médico medicou
Mas valeu!

Passaram-se anos...
Certo dia quando abri a porta
Ouvi uma Senhora dizer:

"Esta é tua mãe branca de leite- meu filho"

Naquele momento, revi meu filho de leite!
Que voltou pra me abraçar e agradecer...
Agradeceu e nunca mais apareceu...

Esta é uma verdadeira história
Que esta mãe de leite,
Tem para recordar aos 81 anos de idade...

Dizendo-lhes: -A Vida é Bela...
Valeu amamentar um " Filho- apenas de Leite"!!!


Balneário Camboriú/SC- 03/09/2015





ENCERRAMENTO

A emocionante experiência de amamentar, no início da vida, alguém que se formou, no próprio ventre, durante meses, é algo que só a inspiração de artistas e poetas consegue descrever. Eu, que já recebi essa dádiva de Deus, fiquei honrada com a minha designação para o encerramento desta Ciranda Mensal da CAPPAZ. Assim, levo o meu, o nosso agradecimento às confreiras e confrades que participaram, de forma brilhante deste evento poético, colaborando com suas inspirações divinamente lapidadas. Aproveitando o ensejo, envio a gratidão e o reconhecimento aos responsáveis, regionais e nacionais, desta confraria que é um marco, na luta pelo bem e pela paz do mundo.

Sônia Rêgo






SELO DE PARTICIPAÇÃO













|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||


Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados