Introdução

Ao ensejo do término da organização da Antologia CAPPAZ - Vol. 6 – 2015 – Interfaces de Amor e Paz, desejo pedir licença aos participantes da Ciranda para aproveitar este precioso veículo, agradecendo aos membros da CAPPAZ que aceitaram nosso convite.
Quarenta e três escritores, reunidos em 152 páginas, estão presentes no livro,
Comemorativo ao Jubileu de Lã – 7 anos da fundação da CAPPAZ,
que será lançado no próximo dia 30 de outubro, na cidade de Cabedelo/PB.
O tema desta Ciranda será de livre escolha dos participantes. Ocorre que muitos nos solicitam uma sugestão de tema para ser abordado. Por este motivo sugerimos, também, o tema: “Flores, Magia e Alegria”, pois, durante o rodar da Ciranda, entraremos na Estação das Flores – A Primavera.
Vislumbro que, nesta Ciranda, ao abordarmos algum tema de livre escolha ou a sugestão que estamos oferecendo: “Flores, Magia e Alegria”, conseguiremos transmitir os nossos sonhos, devaneios, e até nossas experiências e desejos de Paz e Bem e de amor ao próximo. Também de amor à natureza e aos animais. Especialmente, Amor à Vida e às coisas maravilhosas que podemos usufruir da mesma.
Admiramos e cremos na poesia e no sucesso dos poetas e poetisas da CAPPAZ que divulgam a Cultura da Paz, através das Cirandas Mensais e – não trazem suas liras sensuais ou eróticas para a Ciranda, levando-as para outros locais próprios, sem criar problemas para quem não as publica.
Quem ingressa na CAPPAZ exerce, livremente, seu direito de escolha da vertente literária da Confraria, editada no site www.cappaz.com.br.
Os ícones da CAPPAZ relacionados no site são as fontes inspiradoras das ações e da obra literária e artística da Confraria.
Saibam que teremos o máximo prazer em lermos suas belas criações literárias e artísticas, divulgando-as no site CAPPAZ, visando atingir ao maior número possível de leitores.
Sejam todos muito bem-vindos à 79º Ciranda Mensal!

Paz e bem...

Balneário Camboriú, 13 de setembro de 2015 – 02h10min

Joyce Lima Krischke
Presidente Fundadora CAPPAZ





Participantes

01- Akasha De Lioncourt (18)
02- Ângela Torino Paletti (30)
03- Audelina Macieira (12)
04- Carlos Reinaldo de Souza (16)
05- Daniel Brasil (34)
06- David de Carvalho (11)
07- Deomídio Macêdo (23)
08- Eda Thereza Piccinin Bridi (36)
09- Edvaldo Nunes (15 e 17)
10- Eliene Dantas de Miranda (10, 35 e 40)
11- Eloísa Antunes Maciel (01 e 08)
12- Estela Braud (38)
13- Fernando Alberto Salinas Couto (33)
14- J. J. Oliveira Gonçalves (41)
15- José Otoniel da Costa (05 e 37)
16- José Pereira da Silva (13 e 39)
17- Josue Ramiro Ramalho (06 e 07)
18- Joyce Lima Krischke (31 e 32)
19- Marcelo de Oliveira Souza (09)
20- Marina Martinez (28 e 29)
21- Neneca Barbosa (19)
22- Paola Rhoden (03)
23- Paulo Rodrigues (20 e 21)
24- Regina Kreft (27)
25- Roseleide Santana de Farias (14, 39 e 40)
26- Sonia Dias de Freitas (Soninha Poetisa (22)
27- Tânia Maria de Souza (24, 25 e 26)
28- Vera Passos (02 e 04)





Participações



01-
A PRIMAVERA E SUA REAL MAGIA...
Eloisa Antunes Maciel


Ela ressurge- bela e luzidia..
Pela Esperança é reintroduzida.
Em seu cenário de real magia,
A sua mensagem de louvor à vida...
Em seu cortejo vêm os sentimentos
De paz e de belezas- sem igual...
Alimentados pelos pensamentos
Em prol do entendimento universal...
E assim a Primavera dadivosa
Em atos de harmonia se desvela:
Radiosa, benfazeja, luzidia...
Em toda sua jornada esplendorosa,
A fada Primavera assim revela
Todo esplendor de sua real MAGIA...

São Martinho da Serra, setembro de 2015.



02-
As correntezas do Rio
Vera Passos


Lá no quintal da minha alma, um rio passa no silêncio da noite.
Outras tardes, vieram correntezas, enchentes como serpentes
Lá bem distante onde a mão não consegue tocar, há um arco íris
O colorido alumia o meu caminho para tanger o mar
Da cerca de varas finas, uma menina de tranças, espia e se encanta
Doces lembranças do velho Jiquiriçá, soberbamente lúdico
Ainda hoje a água fria respinga nos meus cabelos e me traz à luz
Nas noites de inverno, o frio nos debatia por sobre a colcha de retalhos
Cada estampa era uma fantasia contada e recontada, enquanto o sono não vinha.
Pijamas de florzinhas, meias de algodão, próprias da Estação, nos acarinhavam.
E o apito choroso do trem que sempre lembrava minha tia Rita.
No Verão, lá estávamos todos juntos, no umbuzeiro da Sapucaia
Eram tardes felizes com a Família Alves, rescaldos do meu avô.
De novo o rio deitava à nossa frente e nos convidava a molhar os pés.
No rés do chão, os pezinhos treinavam cair de vez, nas águas calmas do Jiquiriçá
Num grito, acordávamos do sonho e voltávamos à sombra do oitizeiro.
Lá no quintal da memória, repousam meus antepassados, uns recentes,
Outros de mares distantes, de velhos rincões, brancos e negros...
Escravistas e escravizados, dormem no mesmo reino, sem casa branca e sem senzala
Na correnteza do rio, tem índios mongóis, de onde brotou minha avó paterna.
Dessa águas venho eu, como seixo-rolado, trazida pelos meandros do Jiquiriçá
Para o meu estuário, o mar.

Salvador – BA



03-



Sei também,
Que uma flor mostra a beleza
Na incerteza
De sua efêmera vida.
No entanto,
Todo o encanto
Por alguns não é percebido.
Pois sensibilidade,
Na verdade,
É algo que nem todos têm.

Paola Rhoden

Brasília



04-
Dorme Neném
Vera Passos


Descansa em paz neném,
Teu corpo dorme às margens do oceano,
Serve de espelho ao maldito ser humano
Teu rosto colado na areia merece outro céu.
O homem no seu desvario afundou teu plano.
São loucos neném, são almas de escarcéu.
Voa anjo bendito desse inferno perdido
O Paraíso é o teu lar, esquece a guerra do fel
Covardia é a velha mania dos insanos.
Segues a luz das estrelas e alumia o breu
A nós, pobres mortais, nos resta gemer.

Salvador- BA



05-
METAMORFOSE AO INVERSO
José Otoniel da Costa da Costa (Poeta de Jandira)


Vou trabalhar com minha mente:
Fazer de minhas dúvidas, incertezas e
Insegurança
O meio de tornar-me mais capaz
E consciente
De que de tudo isso renasça em mim
A esperança
De que voltarei em espírito um novo
Jovem
Daqueles que tem a capacidade
De reviver
Para a vida com força e muita coragem
E de novas aventuras conseguir com fé
Obter

Transformar toda e qualquer fraqueza
Numa colossal fonte de superação
Modificando o que há de negativo
Numa incomensurável forma de
Grandeza
Avançando ainda no tempo com destemor
E determinação
De alcançar o que foi dado por perdido
Como meta de lutar em busca daquilo
Que me faça um vencedor e não um
Vencido
Meus pensamentos subam até ao infinito
Chegar entre outras aventuras atingir
Até as nuvens
E nelas possa eu construir um imaginário
Castelo
E lá, no alto dos céus eu viva
Num novo e imaginário paraíso
Onde desfrute eu, de muitos bens
Da maçã a frutos e frutas
Juntando-os ao mel na forma de
Caramelos
Ou em nome do amor
Cálices de saboroso licor! ...

Jandira-SP, 13 de setembro de 2015.



06-
PRIMAVERA
Josue Ramiro Ramalho


Nesse horizonte, suave, brilhante
Onde turvos raios de sol
Esquentam o nosso amanhecer
Campos e jardins
Ficam tão iluminados
E todo esse lume nostálgico
Também atinge você

Plantas e árvores a se envaidecer
No desabrochar de tão belas flores
Enquanto sonho querendo você
Encantadora e cheia de amores
Sentindo amor pela vida mais bela
Na estação das flores, essa tal primavera!

Salvador - BA



07-
MEU JARDIM
Josue Ramiro Ramalho


Ontem vi brotar flores em meu jardim
Botões de rosas, margaridas, jasmim
Tertúlias se abriam quase sorrindo
Num simples instante me vi no paraíso

Girassóis em pétalas bem amarelas
Belíssimos lírios também encantavam
Sorrisos brancos entre muitas camélias
Lindas orquídeas que ornamentavam

Meu coração batucava feliz
Naquele jardim cujo espaço abri
Que até provocava certo gozo em mim

Angélicas florindo, encanto feliz
Tulipas brotando bem no meu nariz
Um êxtase vibrava em todo jardim.

Salvador - BA



08-
Eterna PAZ
ELOISA ANTUNES MACIEL


Talvez, desde os primórdios da existência humana, Ela tenha se apresentado aos homens como mensageira da esperança, embora sob diferentes aspectos e simbolizações. Poderia ter-se feito representar por uma promissora réstia de luz após dias tormentosos e cinzentos, anunciando novos dias e um novo tempo, como a sugerir a superação da animosidade e estimulando a conquista da solidariedade e do convívio fraterno... Ou essa PAZ estaria representada em lendário episódio no qual um antigo guerreiro, ao perseguir inimigos declarados, deparou-se com uma bela luminosidade após dias escuros e tempestuosos?... Esse legendário guerreiro, fascinado pela sensação de leveza desse inusitado bem estar, não mais viu os antigos inimigos como ameaçadores contumazes... Ele os reconhecia como irmãos, descendentes de mesmos ancestrais, que erroneamente não haviam sido reconhecidos como membros de uma mesma nação... Ou (quem sabe...) essa PAZ tenha sido representada pela placidez da aurora refletida em lagoa serena, a inspirar sentimentos de concórdia, entendimento e com vivência fraterna? Recuando a épocas mais remotas, pode-se imaginar que tivesse sido representada pela tosca chama de uma fogueira em noite muito escura, quando em torno dessa fogueira estivessem reunidos antigos desafetos que, irmanados pela claridade que os protegia de inimigos ocultos, tendiam a vencer animosidades e a selar um pacto de convivência, em favor da própria sobrevivência. E nessa e, em muitas outras situações, os ressentimentos teriam cedido aos apelos da vivência fraternal que teria iniciado o seu longo ciclo (ainda incompleto), que tenderá a reinar sobre povos e nações, e em todos os continentes, e, enfim, abranger a Humanidade como um todo. Ainda que atualmente a PAZ seja simbolizada por uma pomba ou uma bandeira branca, o seu verdadeiro sentido deve ser consolidado a partir das mais diversas vivências humanas, sejam estas peculiares a grupos, países, comunidades, tendendo a reinar sobre totalidade dos habitantes do Orbe Terreno... Essas vivências têm um foco que se converte em fulcro: a fraternidade sem fronteiras. Falamos da Paz Universal, ou simplesmente da Eterna Paz; da Verdadeira Paz, condição indispensável à preservação da própria humanidade do ser humano.


São Martinho da Serra- RS



9-
Harmonia
Marcelo ESCRITOR de Oliveira Souza


No mundo natural
Tudo é sensacional
Longe de pedras
E construção descomunal.

O verde, nostalgia
As cores das flores
que a gente enxerga
É alegria desigual.

Na floresta perfeita
Harmonia...
Sem gritos sem correria
É benção de Deus
Dando bom dia!

Salvador - BA



10-
Nostalgia?
Eliene Dantas de Miranda


Versos com cheiro de mato,
Canto de pássaros coloridos
Berro de boi na cocheira
Barulho de cachoeira.

Bandeira branca da paz,
Azul do céu, brilho da lua
Verde da relva, amarelo do sol
Infância minha e sua.

Berrante conduzindo boiada
Pouco automóvel, sem rua asfaltada
Footing nas praças e calçadas.

Saudades do céu e do puro ar
Brincadeiras de roda na escuridão
Reluzentes estrelas na imensidão.

São Paulo, 23/3/2010



11-
A Flor da Pele
David de Carvalho


Criança sonha tudo ser, não ser nada, apenas criança, e assim tudo é o todo sonhado. É o rio, o mar, um pedaço de chão, um quinhão do céu, uma nuvem passante branca que levitava e quando negra derrama.

Sonha ser o ser que passa equidistante, o cão que ladra na madrugada, o gato sob o telhado. Faz-se ser pai, pode ser mãe, transmuta-se em irmão. Onde tudo cabe. Nada falta, torna-se integro e multipartido na totalidade.

Mas o tempo, ele se impõe, o ser precisa tornar-se só, ilusoriamente único ser, triste e andarilho na estrada da existência. Um espelho quebrado que na estrada deixa rastros de vidro estilhaçado.

Os pés, a partir de então, pisaram o chão com firmeza, com a aparente certeza que só os inseguros podem demostrar e esconder. O corpo fica trêmulo frente ao desconhecido em atos contidos e aparentes. E em muitos instantes desfalece a esperança.

Pode em momentos oportunos ausentar-se de tudo e de todos. Mas o tempo, este não ensina a ausentar-se de si mesmo. Onde quer que vá arrasta consigo as dores dos sonhos a muito esquecidos, o amor abafado e uma criança com o grito e o choro contido.

Tudo sempre tão a flor da pele...

Tudo tão aparente, tudo tão contido...

E num instante de dor pensa ser criança, e erguendo-se por entre as durezas dos passos cata seus pedaços. Enfrenta os tremores do corpo travando a luta hercúlea contra o ser endurecido do tempo.

Arrancando do peito todas as certezas, as joga fora. Para nada mais parecem servir! Em desespero abandona o que pensava ser sem nunca realmente ter sido, derruba as defesas, coloca-se nu. Desfaz-se deste ser que nunca foi e alucina ser.

Mais ainda assim atreve-se a desejar. O desejo do ser despedaçado e solitário. Tenta pular seus muros, que já

enfraquecidos oscilam pelo duro golpe do sonho de sua infância.

Deseja mais uma vez ter a efêmera posse de tudo que embriaga e sempre se desfazem no ar. Tenta ir, ter e ver as flores, todas, desde a aurora dos tempos, para tê-las e reter na memória.

Mas a criança com a arma do sorriso em breve instante de devaneio sonha ser o poeta Pessoa, sobre si e sobre outra pessoa:

- Melhor talvez nesta vida, seja não tê-las vivido, pois na posse e na memória só se retêm as partes, que o tempo esvai pelo ar. E de Pessoa para outra pessoa. Quem sabe melhor seja não vê-las e poder sonhar em tê-las, que as ter e não ter mais o que sonhar’.

E assim o eu outro do sonho segue, metaforizando-se criança, colhendo e plantando as flores eternas do seu jardim dos sonhos. Posto que o sonho seja a fala do real, o verdadeiro ser da vida.


Salvador- BA



12-
Caminhos
Audelina Macieira


Em muitos caminhos terei a chance de ir ou ficara
mas, certamente decidirei em seguir ainda que só
ficarei mais a vontade em partir
No caminho ficará meu andar
e ao firmar meus pés no chão
irei caminhar.
terei tempo de sorrir ou de chorar
aprenderei a ter paciência
a ser mais eu e dividir
o meu ser nos passos
apagados na poeira
de cada vento que soprar no alvorecer.

Salvador- BA



13-
Flores, Magia e Alegria.
José Pereira da Silva


Na primavera da minha vida,
No jardim do nosso lar,
Tem borboletas mimosas,
A angélica bela flor.
Tem onze horas dobradas
E os beijos do meu amor.

Tem pólen para as minhas abelhas,
Tem néctar para os meus beija flores,
Tem os singelos carinhos de mãe,
Tem rosas para os meus amores.

De manhã quando eu me levanto
Na magia do amanhecer
Vou sentir o perfume das flores
E colher rosas para você.

Vejo de perto o beija-flor
Escuto cantar pra mim
O Bem te vi e o Sabiá
Ouço e vejo o meu gavião
Na mangueira a me observar.

Tenho alegria e emoção
Amor, carinho e prazer.
É uma eterna primavera,
Viver essa vida com você!

Cabedelo-Paraíba, 23/09/2015



14-
FLORES, MAGIA E ALEGRIA
Roseleide Santana de Farias


Flores, Magia e Alegria.
Leves elas nos embriagam a vida,
Onde as dores se anestesiam
Retidas pelas doces emoções.
Extasiada recebo as dádivas em minha lida,
Sinto as suas influências em minhas ações!

Mágicos são os meus momentos
Ao contemplar a vastidão deste universo,
Grandeza sem par do nosso Deus Criador,
Iluminando á todos com a sua Luz estelar,
Animando a todos os seres objetos do Seu amor.

E assim, seguindo o meu e o seu destino, eis que

Alegremos as nossas almas nas bênçãos do Arquiteto
Lhe glorifiquemos e O exaltemos por sua compaixão!
E amando também á vida plena que nos foi ofertada,
Gratos sejamos por tanta beleza, perfumes e paixão!
Rir, amar, cantar, servir, sonhar, seja a nossa missão,
A cada amanhecer, sentir o Amor, a Luz, a Perfeição!


Cabedelo-PB, 22/09/2015.



15-
ASSIM SOU EU
(um Deus que me guarda)
Edvaldo Nunes


Quanto mais motivo tenho para chorar, nas cenas do meu dia-a-dia,
mais eu canto e canto alegre.

Imagens que não vejo, mas que existem e que me incitam
a enxergar límpido, de maneira profunda,
para que o visível presente, facilmente perceptível, em sua essência,
não se misture com o que não se pode perceber.

Vozes que não escuto, mas que igualmente existem e que me incitam
a ser feliz, a fazer felicidade,
como se estar feliz fosse tão necessário quanto respirar.
Serão anjos? Eles que se desprendem e vêm isso transmitir.

Algumas emoções sentidas, às vezes até estranhas,
poderiam explicar essa maneira de ser,
também nunca quis explicação, só sei que sou assim.

Como não se mexe, quando se vence,
prefiro neste lema continuar e sigo minha vida cantando,
cantando as tempestades, cantando as injúrias, cantando as desavenças.

Levando tudo, tudo, como se fosse um teste,
um teste Divino, e canto alegre.

João Pessoa/PB



16-
As flores e meu amor
Carlos Reinaldo de Souza


Das lindas flores tens o leve aroma,
incenso que perfuma as noites belas;
no jardim florido, causas inveja
às flores perfumadas mais singelas!

Mais belos que a pérola, teus olhos!
Mais linda que tu, nem uma flor!
Mais suave que uma pluma, teu nome!
Mais sublime que tu, só o amor!

Conselheiro Lafaiete/MG



17-
O MESMO SOM
Edvaldo Nunes


Às vezes, inconscientemente,
é possível escutar o gemido dolorido das pobres criaturas que,
malditas, se envolvem em emaranhadas ciladas.
É o mundo que se constrói.
Não sabem ou esquecem que a palavra de Deus
é como música que adentra a alma e lubrifica
os mecanismos que movimentam a vida.
Está disponível para todos.
É uma pena o fato de que nem todos a ouvem.

(Na vida)

Não há dúvidas de que há uma música,
Suave aos ouvidos
Num ambiente de pessoas alegres
Que se afinam na busca do ritmo
E sussurram, negociando o que de prazer existe.

É tão necessária a música, a dança,
O ritmo, o prazer, o sussurro,
Que pessoas se lavam por inteiro
E vêm ainda cansadas, descansarem nesse encontro.
Mas quem sou eu nesses atos?

O meu papel de dançarino
Se felicita com meus ideais imediatos
E caio suado em braços perfumados
Que me enlaçam e me sentem
E que não me deixam quando pára a música.

(No erro)

Mas enquanto vai a música,
Não há duvidas de que há pessoas
Que nem a escutam.
São criaturas investidas de flagelos
Que lhes silenciam a vida.

Assim surdos é que passam pela vida
Em medíocres lampejos em vão,
Quando, ao invés, em nome do bem,
Deveriam cantar ao ouvir a música.

(Na missão)

Se recebo subitamente outro papel,
Convido essas criaturas a tentarem ouvir
A música suave aos ouvidos,
E pergunto a mim mesmo e a elas
O que lhes falta para isso,
Por que também não cantam?

João Pessoa/PB



18-
A arte de Deus
Akasha De Lioncourt


Assim como uma tela vazia,
Era o Universo, repleto de energia.
Deus, o maior de todos os artistas.
Resolveu preenchê-lo com sua fantasia.
Criou cada um dos planetas,
Em muitas, bilhares de galáxias.
O sol, nossa estrela-anã,
Deu origem ao nosso sistema.
Quando chegou ao planeta Terra,
Começou a devanear.
Inventou milhares de cores,
E texturas para nos agradar.
Começou pelos oceanos,
Que preenchem quase todo o planeta.
Dois pólos gelados.
Para equilibrar todo o ecossistema.
Resolveu criar animais,
Criaturas maravilhosas.
E deu a elas a capacidade,
De com o tempo evoluir e melhorar.
A vegetação, tão rica,
Jamais seria criação humana.
Florestas maravilhosas,
Desertos encantadores.
Água doce ou salgada,
São os seus grandes amores.
Fonte de toda a vida,
A água pode salvar ou matar.
Mas não podemos questionar,
O quão maravilhoso é seu poder de se transmutar.
Monet, Da Vinci, Caravaggio, Michelângelo e outros,
Não precisaram nada criar.
Para dar vida às suas obras primas
Bastou tudo na Natureza buscar.
Cores, nuances, sons e movimentos.
Só ela, através de Deus, pode recriar.

Guarulhos- SP



19-
Setembro Primaveril
Neneca Barbosa


Chega a nova estação com ar primaveril
Flores formam caramanchões sobre as sacadas
Momentos que exalam um aroma sutil
Espalhando a essência da nova florada.

Borboletas fazem festa por sobre as flores
Agradecem a Natureza por se doar
São seres alados tão belos em suas cores
Beijam as pétalas e continuam a voar.

No calor da ternura reverencio a primavera
Numa busca constante, sou sonho, sou poesia
Entoo com alegria, canções de uma bela era
Ouvindo os pássaros na alvorada de cada dia.

Nas asas da esperança sigo meu caminho
Os meus olhos vislumbram brancas margaridas
Que saúdam as manhãs de setembro com carinho
Bate em mim a saudade das lembranças vividas.

João Pessoa- PB, 20/09/2015



20-
Presente para você
Paulo Rodrigues


Ontem eu caminhava
pela doce madrugada
contemplando a bela lua,
o amor sorriu no brilho das estrelas
e eu guardei com todo carinho para você.

Amanheceu o dia no sereno
do orvalho da aurora,
O sol surgiu glorioso
atrás dos verdes montes
pintando de alegria
o céu do meu coração
e eu guardei com todo carinho para você.

Borboletas multi-cores sorriram para mim,
beija-flores levaram o néctar
da vida de flor em flor,
pássaros cantores entoaram
doces poesias
aos corações apaixonados
e eu guardei com todo carinho para você.

As flores vermelhas e amarelas desabrocharam nos jardins,
uma pequena amoreira acordou sonhando deliciosos sabores
e eu guardei com todo carinho para você.

As águas cristalinas de um jovem rio
brincaram de esconde-esconde
sorrindo aos passarinhos coloridos
que se banharam felizes
e eu guardei com todo carinho para você.
Caminhei para o coreto da praça
da pequena cidadezinha do interior,
onde contemplei crianças brincando
felizes de amarelinha,
sonhando nas historinhas de aventuras.

Ah, eu vi, lindos gatinhos listrados
tomando sol,
pequenos esquilos roendo nozes
e um cãozinho cor de mel acenar feliz
e eu guardei com todo carinho para você.

Sorocaba-SP.



21-
Hai-Kai
Paulo Rodrigues


Do seu olhar
desabrochou felicidade
e o jardim floriu

Sorocaba/SP.



22-
JESUS, PRIMAVERA, MAGIA E ALEGRIA
Sonia Dias Freitas (Soninha Poetisa)


Conheço uma canção, que é do Fundo do quintal,
Que diz assim, Primavera não é só flor,
E nem a vida é só de amor.
Para mim, primavera é sempre bem vinda.
Ela chega com Alegria, acompanhada de magia e harmonia.
Surgem inspirações, como as orações,
E também as canções, acompanhadas de muitas poesias.
Não precisa ser romântica, tampouco engraçada.
Só quero que tenha sentido, para se parecer comigo.
A poesia nasce, quando olho para o horizonte,
Logo me vem à imagem de Jesus no monte,
Fico muito feliz em revê-lo,
Porque a minha alma te espera.
Quimera chegar à noite,
Porque a lua me influencia, na paz do Senhor eu vivo,
Mas um motivo para a poesia.
Assim recebo a Primavera,
Que estivera afastada.
Agora com a estação das flores,
Mesmo que dizem, que nem tudo são flores,
Fica aqui o meu pedido, para a nova estação,
Vamos viver a vida, cedida por Jesus,
Não lamentar das dores e com muito fulgor.
E não esquecer os princípios, maneirar com os anseios.
Para um novo enredo surgir, para a poesia nascer,
Com a Gloria do Senhor.

Campo Grande – MS



23-
Flores, Magia e alegria
Deomídio Macêdo


Compartilhar flores
é meu desejo real.
Perfumando caminhos,
embelezando retinas que adentram meu jardim.
Compartilhar flores,
é compartilhar a vida.
É sentir Deus em cada pétala,
que se abre a desabrochar.
Compartilhar flores é amar a natureza.
É enxergar Deus em sua essência e pureza.
Compartilhar flores é presentear
ao próximo um tesouro lapidado.
Flores devem ser compartilhadas.

Salvador-Bahia



24-
Rosas Hermosas
Tânia Maria Souza




Óleo sobre tela- 0,70X0,40



25-
Rosas da Ilha Taquile - Peru
Tânia Maria Souza




Óleo sobre tela- 0,50X0,50- 2015



26-
Ah, as flores! (inédito)
Tânia Maria de Souza


O que seria do mundo sem as flores?
Sem suas cores?
Sem seu etéreo perfume
penetrando nosso ser?

Doces flores de veludo,
multicores e multiformes
enchem a vida de alegria
alimentam as abelhas
refletem o Criador
em todo seu esplendor

Se desaparecessem...
O que seria da Terra?
O que seria de mim?
E do beija-flor?

Balneário Camboriú- SC



27-
Primavera
Regina Kreft


Cálida, plácida, ela foi chegando
depositando sonhos delicados de esperança!
Sopros incontidos de pura leveza!
Afago esmerado, um carinho bordado
através de jardins de cores e olores
mesclando-se com todas as flores.
Enfeitando nossos corações,
oferecendo um mágico tapete.
Caminhar e embriagar-se neste
jardim de paz, luz, cores, que Deus
criou para sentirmos este eterno palpitar!
"A Primavera".

(Inédito)
Joinville SC



28-
De borboletas e vidas
Marina Martinez


O segredo é não correr atrás das borboletas...
É cuidar do jardim
para que elas venham até você.
Mario Quintana


Quieta e serena, te faz jardim.
Floresce, abre folhas, flores, aceita sol, lua, chuva, ventos.
Se muito correres, desperdiçarás, das rosas, as pétalas,
perderás fragrâncias de cravo, alfazema e jasmim.
Calma e mansa te faz jardim e verás vidas chegando,
rastros sutis repousarão em teu regaço.
Se não te deixam parar, aquieta tais momentos.
Busca menos, espera mais; descansa, sem medo.
Ao te tornares plantio colorido, acredita em mim,
com pássaros e borboletas em teu abraço,
terás descoberto, da vida, o segredo.

Porto Alegre- RS



29-
AÇÃO E REAÇÃO
Marina Martinez


“Os teus pecados te encontrarão,
não importa o tempo nem o lugar.”
Li esta frase num livro e me desesperei:
se meus pecados me encontrarem,
o que fazer não saberei.

Como desfazer meu rancor
pela tua ausência?
Ou anular meu pesar
pela tua omissão?
Como dissolver minha mágoa
pelo tempo que te dei?
De que modo romper minha raiva
por te dar tanto amor?
Ou serenar minha ira,
se de ti tenho carência?

Se não importa o tempo nem o lugar,
de que adianta fugir de ti,
meu maior pecado?

Sempre me encontrarás.

Porto Alegre- RS



30-
"P R I M A V E R A"
Ângela Torino Paletti


A
primavera é bela!
imagine você sem ela...

A
margarida que andava
esquecida ... floriu
e quando ela se abriu
coloquei-a na lapela

Porque...
A primavera é bela
imagine você sem ela...

Itamonte- MG



31-
Amahã- sol...
Joyce Lima Krischke


Ah! Passam dias de chuva intermitente...
Eu aqui dentro... vejo filmes na mente
O passado revive... sol brilhante!
Concluo: Sou da vida uma amante...

Som da chuva no telhado- beleza!
Dádiva, presente da natureza...
Embora sinta saudade do sol
Vejo desabrochar o girassol!

Sim, a chuva em breve cessará
Semana ensolarada voltará
Ouço o som de pingos esparsos a cair.

A noite está surgindo... escurece.
Penso: o ciclo da vida que acontece
Amanhã – o sol das nuvens irá sair!!

Balneário Camboriú/SC- Setembro (chuvoso)-2015



32-
Parabéns Idosos-Hoje e Sempre!
Joyce Lima Krischke






33-
FLORES
Fernando Alberto Salinas Couto


Da vida fazem parte,
exortando algo divino,
magia da criação,
reais em todo momento
da vida ou da morte,
cumprindo seu destino
de revelar toda emoção
e todo sentimento
que traduz a essência
desta nossa existência.

Marcam sua presença
nos bailes das debutantes,
casamentos e funerais.
Fazem toda diferença,
lindas e deslumbrantes,
constantes, em nossos ais.

Nada será mais sublime
que o perfume tão sutil
das mais lindas flores.
Beleza que nos exprime
aquele clima primaveril
para os grandes amores.

INÉDITO
Rio de Janeiro -RJ – 17/09/15



34-
PORQUE VIVO ENFEITIÇADO
Daniel Brasil


São três Flores que eu colho
São três rosas do momento
Sendo vermelha do amor
Rosa do sentimento
E a branca é a noiva
No dia do casamento.

A vermelha que é amor
Traz-me grande alegria
A rosa com meiguice
Tem a sua Magia
O branco da esperança
Do noivado que principia.

Flores alegria e magia
Que me deixam inspirado
Com estas três naturezas
Sempre dá bom resultado
É por causa destas
Que vivo enfeitiçado!

(De improviso)
Porto Alegre – RS



35-
Desejo
Eliene Dantas de Miranda


Desejo ser livre novamente
Convencer-me que nada temo
Não pensar se estás bem ou mal
Voltar a sorrir, tristeza por termo

Almejo amar e também ser amada
Se assim não for, que não venha
Pois esse amor por mim desejado
Não passa de ilusão e mais nada

Possuir amigos fieis que sem rancor
Ofereçam ombro para eu chorar
Junto comigo diminua a minha dor
Nas difíceis horas, não me abandonar

Viver sem ranzinzas nem implicância
Envelhecer com amor e tolerância
Mesmo senil e cansada, sempre sonhar
Ver o sol nascer e o brilho do luar

Espero viver em paz...Ter serenidade
Semear o amor e honestidade
Para quando me for desta vida
Lembrando de mim, sintam saudade.

Suplico não rasguem meus versos
Rezem missa de sétimo e trigésimo dia
No meu aniversário sorriam, não chorem
Declamem um texto de minha autoria.

São Paulo, 08/07/2010



36-
Concretizando sonhos na primavera da vida.
Eda Thereza Piccinin Bridi


O inverno esqueceu o frio e as chuvas.
Eu vi florescer a laranjeira no meu quintal
e nas calçadas brotar lindas extremosas.
Um cenário primaveril, sem vendaval.

O inverno fez a sua grande despedida.
Entre trovoadas, jogou baldes de granizo
e cobriu de geada as plantações.
Eu vi as flores da minha laranjeira feridas.

A primavera, qual menina-moça, faceira,
delicada, formosa, chegou trazendo alegria.
Distribuiu sorrisos em cada flor refletidos
e perfume nas rosas, cravos ... Que magia!

Ao amanhecer, nas árvores do meu quintal,
pássaros se orquestram em bela sinfonia.
Como fiéis mensageiros de paz e harmonia,
trazem luz para a alma e poesia para o coração.

É preciso regar as flores com a essência do amor,
as primorosas flores-crianças e flores-jovens,
para que concretizem seus mais lindos sonhos
e encantem a natureza na primavera da vida.

Sobradinho- RS



37-
SEU RETRATO
José Otoniel da Costa da Costa
(Poeta de Jandira)


Como disse a Canção no passado, o Seresteiro:
"Hoje, beijei o teu retrato!"...
Ao ver o teu, apaixonado, o beijei, também!
E, como ninguém me explica porque o fiz assim...
Senti no âmago do meu sensível coração
Pulsar!
E abalado fiquei sem saber o que fazer enfim
Senão, te procurar e dizer-te da emoção
Que me invadiu neste gracioso momento
Fixando-se na minha mente o pensamento
De jamais te esquecer!
Concluí ser o teu beijo tão cheio de magia
E para sempre a mim ser uma forte atração
Que até agora deixou-me preso ao teu encanto
Me conquistando como conquista-me a poesia
Indo direto às veias do meu frágil coração
Daí, então, declino-me aos teus pés
Sentindo o perfume do teu encantado manto
Convencendo-me ser tu o que bem és:
A mulher que me atrai igual fosse uma fascinação
Bela, atraente e sedutora como da rosa vermelha
A paixão!

Jandira- SP



38-
CARTAS E SITES DE RELACIONAMENTOS
Estela Braud


Com carinho manuseadas,
Beijadas, lidas e relidas,
Guardadas em laços atadas,
Eram as cartas esperadas.
Falavam de amor e saudade,
Tinham perfume, sinceridade,
Esperança e certeza de continuidade,
Palavras de um ser a outro que entende.

Nesta época instantânea, o que se espera?
Muito rápido, incerto, fantasiosa cara,
Num perfil perfeito servindo de moldura,
Quantos enganos na busca de ternura...
Sentindo o vazio no meio da multidão,
Acontece corrida ágil e medrosa de simulação,
Manto alegre disfarçando o destino solidão...
Como sangra e dói ainda assim o coração.

Balneário Camboriú - SC



39-
Ao amor e a primavera em nossos corações.
Roseleide Farias


Encantos de sol e mar,
Na tarde eu sinto a maresia,
Canto o amor, a fantasia,
Anseios de te encontrar.
No embalo da brisa adormeço.
Te amo e te quero, te mereço.
O tranquilo poente se vai; e no
Sereno da noite, teus braços me satisfaz.


Interação poética entre Roseleide Farias e José Pereira)
José Pereira

Encantos também eu tenho
De um jeito diferente.
Quando estou longe é distante,
Quando estou perto é presente.
À noite quando te abraço,
É gostoso, é diferente.

Cabedelo – PB



40-
Vamos Falar de Flores?


GRAVAÇÃO DO POEMA DA ROSELEIDE NA VOZ DE ELIENE DANTAS DE MIRANDA

http://www.4shared.com/mp3/Nl6kdmoe/Sorriso_Maroto_Part__Jorge_e_M.html



41-
Primaveril... a Rima!
J.J. Oliveira Gonçalves


Primavera de cores e de olores
Do Vento a dançar pelos caminhos!
Do balê magistral dos beija-flores
Do Amor reproduzindo-se em seus ninhos!

Primavera debruada de sabores
Trazendo às minhas rimas sons marinhos!
A Alma adoçar seus dissabores
No alegre cantar dos passarinhos!

Ah, Estação das Flores, que Saudade
Da cálida e bucólica Cidade
De um beijo confeitado de batom!
Primavera em teu peito florescia

E neste peito meu – que te queria
Primaveril – a rima dava o tom!
Os cabelos me enluarou a Lua
Mas a rima ainda é jovem e ainda é tua!

Porto Alegre, 02 de outubro/2015.
jjotapoesia@gmail.com – www.cappaz.com.br






Agradecimentos e Encerramento

Hoje, 03 de outubro de 2015, estamos encerrando a 79ª Ciranda Mensal da CAPPAZ, na qual o belo tema “Flores, Magia e Alegria”, serviu de ótima fonte de inspiração aos belos textos que aqui foram expostos.
Torna-se mais sublimada a alma humana quando a sua sensibilidade é estimulada a deixar extravasar na escrita poética ou em outras artes o seu dom, as suas boas ações, a essência de suas emoções, o sentimento amoroso na percepção do belo e a alegria ou a tristeza nas suas dores e amargas desilusões!
Mas, a primavera que chega traz com a sua beleza o grande exemplo de mudanças, transformação, vida, esperanças de renovação.

Designada que fui para realizar a tarefa de encerramento desta Ciranda, quero em nome da CAPPAZ fazer os agradecimentos à todos que dela participaram e, em nome de todos nós, agradecer as mãos e mente(s) abençoada(s), brilhantes, que estrutura(m) a Ciranda Mensal CAPPAZ e democraticamente deixa(m) a abertura para os temas livres!

Fraternais abraços,

Roseleide Farias- Cabedelo/PB.





Selo de Participação












|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||



Arte e Formatação Joyce Lima Krischke
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados