INTRODUÇÃO

    A 83ª Ciranda Mensal CAPPAZ, parece ter conseguido o grande feito de aglutinar todas as Cirandas anteriores em sua essência; com um tema que nos remete aos primórdios da criação e ao mesmo tempo tão moderno quanto o desejo da paz, a necessidade do perdão e o desafio da gratidão. O modus vivendi da nossa sociedade nem de longe é o ideal tão defendido por Mohandas Karamchand Gandhi, um dos maiores defensores da paz, do perdão e do espírito de gratidão como fonte de amor entre nossos semelhantes.

    O orgulho, senso de autoridade e o desejo de ser sempre superior aos outros, são características mais que abomináveis da nossa sociedade capitalista, hipócrita e sem amor. Olha aí o nome amor novamente! Não é possível construir o amor sem trabalhar os pilares básicos de sua base: a paz, a gratidão e o perdão. Para compreendermos este conceito, é preciso entendermos um teorema básico: sem amor, é impossível perdoar; se não perdoamos, a alegria deixa de dançar em nosso interior, gerando assim a ausência de paz. A falta de paz afasta de nós o espírito de gratidão que dá lugar à ausência de amor. Este teorema faz-nos compreender a fragilidade interior de uma sociedade e nos mostra a esclerose e a impotência de uma geração que não soube se adaptar à evolução de sua própria espécie.

    Nesta temática, a CAPPAZ traz neste espaço um grande desafio, o de refletir sobre nossas ações e o que podemos absorver do exemplo deixado por grandes homens, heróis do seu tempo. Daqueles que fizeram aquilo que precisava ser feito, mesmo conhecendo as consequências.

    A reflexão pela qual somos convidados a fazer através desta 83ª Ciranda Literária, pode revelar nossas debilidades espirituais, mas certamente, também nos motivará a refletir no recôndito do nosso silêncio interior, sobre os temas aqui abordados. Nos fará pensar quantas vezes deixamos de perdoar por mera arrogância. Quantas vezes deixamos de agradecer por orgulho e quanto tempo ficamos sem paz por não termos dado lugar a gestos tão simples, porém tão essenciais. O encontro do êxtase, é o abraço com a paz. É o beijo da gratidão, o namoro da alegria. Como já dizia Gandhi, “não existe um caminho para a Paz. A Paz é o caminho”, então, que sejamos “CAPPAZES”.


Wellington Costa
Cabedelo – PB
Janeiro - 2016


LISTA DE PARTICIPANTES

01- Ana Terezinha D. Machado (02)
02- Carlos Reinaldo de Souza (07)
03- Daniel Brasil (24)
04- Deomidio Macedo (09)
05- DinaPoetisadaPaz (03 e 16)
06- Edvaldo Nunes (21
07- Eliene Dantas de Miranda (25)
08- Eloisa Antunes Maciel (20)
09- Fatima Peixoto (19)
10- Fernando Alberto Salinas Couto (15 e 30)
11- Gerusa Guedes (13)
12- J. J. Oliveira Gonçalves (28 e 29)
13- Jacira Pereira da Silva (14)
14- José Otoniel da Costa (31)
15- José Pereira da Silva (12)
16- Leticia da Rocha Silva (18)
17- Marina Martinez (17)
18- Marcelo de Oliveira Souza (06)
19- Nena Sarti (08)
20- Neneca Barbosa (27)
21- Paola Rhoden (01)
22- Paulo Rodrigues (22)
23- Regina Kreft (23)
24- Roseleide Santana de Farias (10 e 11)
25- Vera Passos (05)
26- Vera Trindade (26)


PARTICIPAÇÕES

01.
A Origem da
Paola Rhoden




Brasília/DF



02.
Derrame de Paz
Ana Terezinha D. Machado


Quero ser o todo
daquele que não
quer ser nada.

Quero ter a veia
da vida,
o canal interior
condutor da liberdade
que com movimentos
líricos da alma
embala
a bala capaz
de contemplar
as ondulações
dos devaneios

Quero ver o mundo
acionar
a veia do amor
a um laborioso
derrame de paz
incapaz
de mal amar.

Alvinópolis/MG



03.
Um Sigiloso “Não à Violência”
DinaPoetisadaPaz






04.
Cidade das Torres
Joyce Lima Krischke


“A natureza pode suprir todas as necessidades do homem,
menos a sua ganância.”
Mahatma Gandhi


Caminho pela beira mar...
No mar pretendo me inspirar
Subitamente, desvio meu pensar...
Sim, o céu estou a admirar
Até onde alcança meu olhar?
O céu diminuiu ao meu passar!
Imensas Torres encobrem o luar...
Torres de ferro e cimento, o céu irão alcançar?!
Nelas visualizo poucos pontos a brilhar...
Torres gigantescas e vazias junto ao mar!
Apartamentos sem gente pra morar?
O “porquê” fico a cismar...
As janelas vazias, sem luzes ao passar...
Postes da rua cansados de tanto brilhar!
Minha visão... sem ver se no céu há luar
Dizem: é o progresso que veio para ficar...
Oh, Cidade das Torres, que escolhi pra “Pazear”...
“Os fracos nunca podem perdoar.”
( Mahatma Gandhi)


Balneário Camboriu/SC, 13/01/2016



05.
Eu quero PAZ
Vera Passos


Eu quero a paz que é insípida, inodora, incolor
Eu quero a paz dos sem nome, raiz do amor
Eu quero a paz do cotidiano longe do insano,
Nas praças do labor

A PAZ que sonho é de Tereza a ação
É sinal na jornada da Natureza
Na caridade e na evolução

Passos ímpares em tons de aquarela
No coro de Chico, no sonho de Luther King
Na guerra de Gandhi, no caminho de Mandela

Nos rastros modernos de luz,
O homem aos poucos se refaz
E ouve brado do Mestre
Que nos conduz à paz

Neste caminho tropeço
Lapidando minha cruz
Caço Éden no Universo
Nos versos busco a luz.

Salvador/BA



06.
Perdão
Marcelo de Oliveira Souza,IWA


Um aperto no coração
Mágoa, inveja, raiva...
Sentimentos que aprisionam
Todos na imperfeição.

A mão apontada
Para seu irmão
Susto, intriga, desprezo.
A vida numa confusão.

Seres humanos em relação
Todos juntos e separados
Não sabem viver irmanados
E odeiam a solidão.

Todo mundo certo
Nenhum querendo ceder
O orgulho na sua personificação
E sofrimento de montão.

Um sopro de Deus
E aparece um clarão
A paz se estabelece
Simplesmente com o perdão...

Salvador/BA



07.
A Paz é o Caminho
Carlos Reinaldo de Souza


Ó Paz, porque almejo tanto tua presença?
Talvez por que preciso do teu acalanto,
pra enternecer minh'alma e confirmar a crença,
de que serei feliz sob teu terno manto.

Ficas distante, com total indiferença,
assim agindo tu me causas desencanto;
antes, porém, de alguma trama ou desavença,
chegas a mim e impedes iminente pranto.

Com voz pausada, falas firme e mansamente:
" O grande mestre, Gandhi, me recomendou,
correr o mundo e penetrar em cada mente."

O Guardião da Paz por certo triunfaria,
basta que cada homem cumpra o que ensinou
e assim o mundo bem melhor se tornaria!

Lafayette/MG



08.
O Que Vem a Ser Gratidão e Paz?
Nena Sarti


A chuva caindo e você sorrindo.
O sol abrasante e você contente.
Guarda-chuva colorido.
Mãos dadas, abraço caloroso.
Filhotes de bicho, qualquer espécie, qualquer raça.
Mãe amamentando.
Um copo d'água para matar a sede.
Banho quente, cama fofa, lençóis limpos.
Dormir e saber que haverá amanhã.
Pia repleta de louças e ter vontade de lavar.
Roupas estendidas no varal.
Filhos chegando para visita.
Beleza de netos. Como eles são lindos!
Mãos postas em oração.
Canto de pássaros no amanhecer.
Abraço de mãe.
Presença do esposo(a) ao seu lado.
Agradecimentos ao entender a Palavra de Deus.
Mesmo sentindo dor continuar com o coração sereno.
Tudo isso e muito, muito mais chama-se,
Gratidão e Paz!

Campo Grande/MS



09.
Perdão, Paz e Gratidão, Como Fonte de Amor
Deomídio Macêdo


As criaturas humanas estão envoltas em um fluido vital cósmico.
Nele despejamos nossos sentimentos, nossas vontades, desejos.
Se emitirmos bons pensamentos, alegrias, paz, perdão, gratidão, ficaremos oxigenados em ondas benéficas de amor.
A nossa Paz e a Paz do mundo depende das energias das quais estamos vibrando.
Se perdoarmos, claro que seremos perdoados, este ensinamento já conhecemos, apenas devemos cumprí-lo.
Reconhecer um benefício, um auxílio, um favor que alguém fez para conosco, é ser grato e a gratidão está de mãos dadas com o amor.

Nesse contexto lembramos e parafraseamos Gandhi: “O amor é a força mais abstrata e, também, a mais potente que há no mundo”.

A partir dessa força – amor-, emitiremos energias positivas no Fluido Cósmico, no qual estamos mergulhados. Dessa forma, colaboramos com a modificação do mundo em busca da PAZ.

Salvador – Ba



10.
Perdão, Paz, Gratidão, como Fonte de Amor
Roseleide Santana de Farias


Os sentimentos que tomam conta do coração,
Sejam das fontes do amor irradiando gratidão.
Com tranquilidade, paz, resultados do perdão,
Sintamos por nosso Deus profunda conexão!

De que vale a minha vida e o existir humano,
Se por acaso perdermos esta singularidade!
Harmonia persiste, Lei Cósmica no Universo.
Desequilíbrio: sofre toda Terra, humanidade!

Sigamos os ensinamentos do irmão redentor!
Ele amando á Deus nosso Pai, sofreu a Cruz.
Cristo trouxe a vida plena, o Caminho da Luz,
Vencer a morte e ter reencontros, alegria, paz.

Cabedelo/PB, 30/01/2016



11.
Perdão, Paz, Gratidão, como Fonte de Amor .(Acróstico)
Roseleide Santana de Farias


Para todos os lugares nos acompanhe um coração
Em paz, ternura, paciência, ânimo, fé, boa vontade.
Resplandeça em nós a energia pura, fonte do amor
Diluindo formas sombrias a assolar a humanidade.
A mágoa do ontem, aflições e maldades, esqueça!
Onde semeia o Bem, haverá paz, saúde, felicidade.

Pensa no irmão que sofre; a arte do ouvir faz Bem.
Além de ti escute o bramido do abandono e a fome;
Zelo, orações, ajuda ao que vive na dor, escuridão.

Gratidão nós tenhamos pela vida e as suas graças
Recebidas de Deus e a proteção da mãe natureza.
Ar, terra, água, fauna, flora, procuremos preservar;
Terror, dor, morte, semearemos ao deixar de amar.
Irmanados neste mundo, á outros estamos ligados.
Darmos ás mãos é preciso ao velejarmos pela vida
Aos ventos do destino, ás ações sob a luz do amor.
Olhai em volta, não esqueças o Tempo e a Aliança
       (que temos com Deus, amado Pai e Senhor!

Cabedelo/PB



12.
Perdão, Paz, Gratidão, como Fonte de Amor.
José Pereira da Silva


Para obter o perdão
É preciso perdoar,
Viver na paz e no amor,
Ter gratidão para dar.

O coração de quem ama,
Maldade nele não tem,
Do ser humano é irmão,
Para os animais só faz bem.

O amor é fonte de inspiração,
É felicidade plena,
Paz, fé e gratidão,
É saúde para o corpo,
Lenitivo para o coração.

Cabedelo/PB



13.
Fonte de Amor, Perdão e Paz
Gerusa Guedes


Bebo dessa fonte e me satisfaz,
Tenho um puro coração cheio
De perdão e paz.
Um dia vivi a desilusão de odiar,
Achava que dessa forma ia
Me vingar.

Somente a tristeza quis me acompanhar,
A doença e a solidão faziam-me chorar.
Mas o amor de Cristo, meu Senhor,
Veio ao meu encontro e me libertou.
Hoje eu tenho um coração cheio de amor.

Fonte de amor é Jesus Cristo
Aquele que me resgatou,
Sou livre para amar e perdoar
E a paz que excede a todo entendimento,
Posso agora gozar.

Agradeço a Deus e a seu filho,
Minha vida tem um novo brilho,
Perdoei um grande inimigo.
Sou feliz depois disso.
Cabedelo/PB



14.
Perdão, Paz e Gratidão
Jacira Pereira da Silva


“A não violência e a covardia não combinam
Posso imaginar um Homem armado até os dentes,
que no fundo é um covarde.
A posse de armas insinua um elemento de medo,
se não mesmo de covardia.
Mas a verdadeira não violência é uma impossibilidade
sem a posse de um destemor inflexível." (Mahatma Gandhi)


Não há quem possa viver
Sem a paz interior,
Sem dar e sem receber,
O perdão sem ser favor,
Sem a gratidão pela vida,
Que por mais que seja sofrida,
Tem alegria e amor.

Quando se dá se recebe,
Esse é o lema da vida.
Com o perdão não há ferida
Que não se possa curar,
A paz veio para ficar
No coração sem maldade.
É uma joia tão cara,
Não tem dinheiro que pague.

E quem tem no coração
O amor, por natureza,
Consegue ver a beleza,
Que existe em cada ser.
Até nos mais excluídos,
Que faz coisas sem sentido,
E não consegue se arrepender!

A vida sem gratidão
No coração do ingrato,
Que não sabe dar o perdão,
A desunião é um fato
Que faz a vida vazia,
Seja de noite ou de dia,
Não tem Paz, só ilusão!

Cabedelo/PB



15.
Acredito na Paz
Fernando Alberto Salinas Couto


Existem duas Coreias,
mas uma única verdade.
Surgem muitas ideias
e uma única necessidade,
da qual seremos capaz
de suprir, gerando a paz.

No mundo, hoje, é enorme
o sofrer de pobres crianças.
Poderosos ignoram a dor,
dos que morrem da fome,
sem alimento e esperança,
poucos conhecem o amor.

Paz no mundo não é quimera.
Míssil pode menos que caridade,
petróleo menos que fraternidade.
Por isso eu acredito, ainda,
na força dessa nobre amizade,
que tornará a terra mais linda.

Rio Janeiro/RJ



16.
O silêncio doma a Violência
dinapoetisadapaz


Trabalhar o ato de perdoar
É uma construção edificante.
É como colocar remendos
De fina seda em um prato quebrado...
Onde terá que haver uma
Homogênea adequação...
Da resistência com a delicadeza...

O coração é um solo que
facilmente tende a se encharcar;
pode ser inundado pelo amor,
ou contaminado pelo ódio.

Somos passíveis de amar loucamente,
E de mortalmente odiar.
E, se temos a condição
de definir a diferença entre
o sentimento que nos eleva,
e o ódio causador da violência,
temos também a possibilidade
de sermos pacíficos.

E ser pacífico, implica
Em expressar a humildade,
Em quedar a ira...
Como um poeta que derrama inspiração
Sobre seus versos
Ao sermos ofendidos, termos a lucidez
De usar a nossa poderosa arma

O SILÊNCIO doma a Violência

Cabedelo/PB



17.
Perdão, Paz, Amor
Marina Martinez


Gandhi, Lennon, Luther King. O que apresentam em comum? Foram pacifistas. Morreram assassinados por fanáticos. Os três pregaram igualdade de direitos. Calma, amor, união, respeito.

Quando se aborda o tema, esse três nomes surgem de imediato. O elo entre estes, homens de paz que foram, é suas mortes – segundo a História, traiçoeiras. Foram abatidos, sem direito a defesa, eliminados. Não houve afeição, perdão, serenidade nesses gestos de extermínio. Creio que apenas medo. Os assassinos tiveram medo, sim, de esses ideais se espalharem, de que esses sonhos se tornassem reais e todas as pessoas se tornassem iguais em seus direitos de cidadania.

“Nada no mundo é mais perigoso do que a ignorância sincera e a estupidez conscienciosa.” Luther King

Esta frase contém duas preciosas verdades: “ignorância sincera e estupidez conscienciosa” – e acredito que os assassinos de Luther King e Lennon possuíam essa ignorância e estupidez. Gandhi conseguiu realizar seu objetivo de liberdade, após batalhas, e sua morte possui um cunho mais político. O que quero dizer com tudo isso? O óbvio, claro! Qualquer gesto, palavra, ação que possa desestruturar o estado ‘atual’ (em qualquer época histórica) significa perigo! E o instrumento desse perigo precisa ser eliminado.

Para Gandhi, ‘não existe caminho para a Paz. A Paz é o caminho’. A prática, no entanto, ensina: si vis pacem para bellum ou seja, se queremos Paz, pára a guerra. E cada um dos três lutou com as armas que possuíam – retórica, notas musicais e atitudes.

Imagine. Lennon
“Acredito em tudo aquilo que Jesus disse - amor, bondade, caridade - mas não acredito naquilo que os homens dizem que ele disse.” Lennon
I have a dream... Luther King.
Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer algo, não existirão resultados. Gandhi


Porto Alegre/RS



18.
Perdão, Paz e Gratidão como Fonte de Amor
Letícia da Rocha Silva


    Pazear é promover a essência da vida em forma de perdão e gratidão como fonte eterna do amor. Amar e transcender, é iluminar-se, é olhar nos olhos e dizer ao outro, eu te amo. “Quando Jesus pronunciou a palavra divina Amor, os povos sobressaltaram e os mártires ébrios de esperanças desceram ao circo”. Ame! Quem ama não adoece.
    Diz Mahatma Gandhi (A grande alma) “Se um único homem alcançar a mais elevada qualidade de amor, isto será suficiente para neutralizar o ódio de milhões.” Ele próprio alcançou essa qualidade de amor libertando milhões de indianos e paquistaneses da servidão ao império britânico, sacrificando a própria vida. O amor é a presença de Deus em nosso coração. Albert Einstein em uma carta que fez pra sua filha, disse que a quinta força do Universo é o Amor. Quando nós amamos, encontramos a força para vitória da vida. Quando amamos encontramos de forma intrínseca a gratidão pelas benesses recebidas, pela vida, pela beleza do Universo, pelo olhar solidário de uns para com os outros. Amar é ir ao encontro do outro que chora e dizer: perdoe-me, eu errei. É ser grato a tudo. Amar é promover de forma íntima a paz no mundo, levando de si para os outros o melhor. Vamos ajudar, vamos consolar, “Quando um homem se levanta o mundo cresce, quando um homem cai, o mundo tomba”. Ame e sejas feliz.


Salvador/BA



19.
Viver é para os...
Fátima Peixoto


Viver é para os...
Que se arriscam,
Que erram,
Que acertam,
Que lutam,
Que ensinam,
Que aprendem,
Que não guardam raiva,
Que pregam a bondade,
Que perdoam,
Que buscam a Paz,
Que são dignos de serem seres pensantes,
Que escolhem o caminho do bem,
Que sabem que estão de passagem.
Que sabem que a vida é curta,
Que devemos agradecer a oportunidade de viver,
A oportunidade de cada dia poder melhorar,
A oportunidade de pensar, refletir e mudar,

Cabedelo/PB



20.
Perdão, Paz e Gratidão como Fonte de Amor...
Eloisa Antunes Maciel


Se o perdão é a Paz testemunhada
Por nobre gesto pleno de grandeza,
A gratidão se faz sua nobre aliada,
E a paz revela a sua natureza…

E essa paz por, Gandhi idealizada
É pedra basilar na construção…
De uma esperança materializada
Que KING defendeu até a exaustão …

Se King na sua luta “foi a fundo”
No sonho de prover a paz ao mundo,
O seu exemplo foi revelador:

E foi consolidado na Esperança
Que alenta um doce sonho de criança,
Que se define na palavra AMOR…

São Martinho da Serra/RS, 19/01/2016.



21.
Perdão, Paz e Gratidão como Fonte de Amor
Edvaldo Nunes da S. Filho


Eita que a mágoa pesa na alma,
Remói pensamentos em pobres coitados,
Que entrava cegamente o dia,
Deixando-os assim, curvados,
E, ainda, mantem-se atenta
Numa vil e eterna agonia.

Quando em bando, apresentam lástimas
De pesados desencantos.
São odiosos percalços,
São rios, são caminhos de mágoas.

Mas, cria o teu caminho
E dize: Vai, sai de mim, oh mágoa,
Permite-me o perdão,
Deixa-me, deixa-me à vida,
Vou, fico com a vida,
Chega, oh Paz, e que brote o amor.

Quando em casa, apresenta Deus
Em suaves encantos,
Em amorosas lições,
E que demonstra gratidão.

João Pessoa/PB, 28.01.2016



22.
Peço Perdão
Paulo Rodrigues


Peço perdão pelas palavras
Que feriram corações
Quando deveriam afagar almas.

Peço perdão pelas boas ações
Que não foram praticadas.

Peço perdão pela ganância desenfreada
Que fez do rio Doce um mar de lama
E a Mãe Natureza chorar pela sua fauna e flora.

Peço perdão pela corrupção
Que usurpou das crianças
O direito de brincar e estudar
E fez doentes e moribundos
Implorar sem encontrar
Por atendimentos nos postos de saúde
E lotar os corredores dos hospitais
Sem estruturas e medicamentos.

Peço perdão pela falta de amor
Que fez das diferenças
Motivos para guerrear
E tirar a vida de pessoas inocentes.

Peço perdão pelo ódio
Que torna o ser humano
Cada vez mais desumano
E o desvia do caminho da paz.

Peço perdão por todas às vezes
Que fui omisso às mazelas do mundo
Ou deixei de acolher e amparar
Os corações aflitos e necessitados de esperança.

E por fim, peço perdão por não contemplar
Em sua plenitude as belezas do Criador
E por não ter sido grato pelo sopro da vida
Que flui a fonte do Amor em minhas veias.

Sorocaba/SP



23.
Perdão, Paz e Gratidão como fonte de amor!
Regina Kreft


A ingratidão sempre marcando presença!
O desprezo faz morada descontraída no coração!
Muitos sentimentos mutilados pela desesperança!
Emoções ceifadas pelo ódio, espírito em aflição!

Que mundo é este em que vivemos? Cadê a Paz?
O que é o homem? Onde está o verdadeiro perdão?
Muitas perguntas ficam sem resposta. Mundo incapaz
O homem este ser tão frágil e pequenino diante da oração!

O perdão está em nossas almas bondosas e generosas.
A gratidão é o eterno agradecimento, em atos e palavras.
Exerçamos o verdadeiro "Amor" misericordioso em nossa vida!

Só assim seremos luz por onde passarmos, deixando a porta aberta,
Para que o ar do Perdão, da Paz e da Gratidão criem uma eterna dimensão!
Todos juntos façamos a nossa oração diária do amor em ascensão

Joinville/SC
(Inédito)



24.
Não à violência
Daniel Brasil


Neste mundo conturbado
devemos ter consciência
deveremos ter prudência
que assim aja a humanidade
vamos ter mais serenidade
dizendo não a violência!

Se a humanidade for mais humana
desculpe a redundância,
mas, com mais elegância
teremos mais resistência
disto temos até benevolência
com amor e integridade
almejo que a humanidade
diga não a violência

Acredito na juventude
o futuro da humanidade
esta juventude, mesmo na liberdade
não faça dela libertinagem
juventude preserva esta imagem
com amor e paciência
acredito em vossa competência
com carinho e cautela
jovens, a vida é bela
viva sem violência!!!

Porto Alegre/RS



25.
Árvore da Vida
Eliene Dantas de Miranda


Na árvore da vida não deve faltar:
Amor ao Criador e às Criaturas
Gentileza, gratidão em palavras e atitudes,
Fidelidade, companheirismo,
Confiança, paz, compreensão,
Fé, esperança e muito perdão.

São Paulo/SP



26.
A Paz
Vera Trindade


Eu quis escrever sobre a paz.
Não consegui.
A PAZ é maior que tudo.
Faltou-me o tato
Perdi-me na visão
Confundi-me pelo olfato
Fugiu-me a audição
E eu só pude degustar um sentido:
O SENTIDO DA PAZ
Nos sonhos de Gandhi.

Salvador/BA



27.
Perdão
Neneca Barbosa


A prática do perdão
Nos leva ao crescimento
Afasta do pensamento
Ofensas ao nosso irmão.

Ensina a não julgar
Os erros do semelhante
E seguirmos adiante
Com vontade de acertar.

É preciso o esquecimento
Dos ultrajes recebidos
Ressentimentos esquecidos
Levando ao renascimento.

A perseverança no bem
Enche nossa alma de paz
Nosso coração se refaz
Com a felicidade de alguém.

João Pessoa/PB



28.
Pax! (I)
J.J. Oliveira Gonçalves


A Paz é, (sim!), um Ente Natural
E gêmea do Amor, da Liberdade
Preço não tem (e tem!): eis a Verdade
E embora assassinada é Imortal!

A Paz é um Direito Adquirido
Por toda a Criação do Amado Deus!
E é dessa Paz que nutro os versos meus
Que dou às minhas rimas um Sentido!

No ano em que adentra o bicho-homem
Reflita nas Maldades que o consomem:
Na Guerra... Na Miséria exacerbada!

Que cáustico, cruel e deletério
Não faça do Planeta um cemitério
Onde a Paz (dia e noite!) é sepultada!

Porto Alegre/RS



29.
Pax! (II)
J.J. Oliveira Gonçalves


Há décadas a espero - a Idolatrada:
A Paz que é Idealismo e é Utopia!
Na boca-de-ocasião soa vazia
Nos gestos-faz-de-conta é uma piada!

Nesta Babel confusa - em Extinção
Onde Línguas em Caos cospem Veneno
O mundo, embora imenso, é tão pequeno
Nas garras do Egoísmo, da Ambição!

Poetas, que travais o Bom Combate
Fazei da Lira a Espada para o Embate
Em prol da Paz - sinônimo de Amor!

Covarde não façais vossa Poesia
Que a noite (negro Luto!) faz-se em dia
E da justa Alegria faz-se a Dor!

Porto Alegre/RS



30.
Gratidão
Fernando Alberto Salinas Couto


Não virá de quem esperas,
de quem achas parte de ti,
a quem destes dias e horas,
sacrificastes teus momentos,
pois é tudo difícil demais
e quando for por teus ais,
o afeto é levado por ventos.

Gratidão tu sempre sentirás
até em algum sorriso dado,
mas na tua dor, perceberás,
como, na vida, fostes usado.
Mas Jesus que é Nosso Irmão,
sempre estenderá Sua mão,
em qualquer dia ou mesmo lugar,
pois gratifica todo ato de amor.

Rio Janeiro/RJ, 28/01/16



31.
30 DE janeiro. Dia da “NÃO VIOLÊNCIA”!
José Otoniel


Segundo meus modestos conhecimentos, consta-me ter sido GANDHI, O PACÍFICO LIBERTADOR do seu povo na ÍNDIA, do jugo do HOMEM BRANCO, então explorador e consequentemente opressor do mencionado POVO, conscientizando e liderando a sua LIBERTAÇÃO.
Seu lema foi "PERDÃO, PAZ E GRATIDÃO como FONTE DE AMOR"
Tendo-se nos atuais dias como DESTAQUE: Sua filosofia como ÍCONE da CAPPAZ.

Que seus princípios sejam postos em prática e venham sempre servir de EXEMPLO aos demais! ...


Jandira/SP, 27 de janeiro de 2016.


ENCERRAMENTO E AGRADECIMENTOS

    Encerrar como sinônimo de culminar, é fechar com chave de ouro uma tarefa à qual muito nos tornou felizes. Estamos encerrando a 83ª Ciranda que tem como tema: Perdão, Paz e Gratidão como Fonte de Amor.
Parabéns a todos nós que compunham lindos versos literários. A cada poeta, poetisa, os nossos agradecimentos. Com a CAPPAZ, vimos que cada um é capaz de produzir um texto em prosa, um verso, deixando registrar um sentimento, enriquecendo assim, um trabalho que muito nos enche de luz. CAPPAZ somos todos.
Muita paz, muito amor e gratidão aos organizadores.
Estendo o meu abraço a todos.


Letícia da Rocha Silva
Salvador/BA
Janeiro/2016


SELO DE PARTICIPAÇÃO









|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||
Arte Joyce Lima Krischke
Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados