INTRODUÇÃO

Ser um filiado CAPPAZ não é apenas apresentar uma Biografia, é ter a vontade de expor através da Arte, dos diversos estilos poéticos, o sentimento que vem d’alma ...

Junho é o mês das festas juninas, dos comes e bebes, das quadrilhas, dos pedidos e de alegria geral. Vamos dar vivas a São João através da nossa poesia.

Temos filiados que colaboram mensalmente, e a poesia clama por poetas, e poetas nós temos, então convidamos você que ainda não nos deu o prazer de mostrar o que está guardado em seu coração... traga a sua poesia, prosa, ou qualquer estilo, o importante é semear versos de alegria nesse mês de junho, mês em que o Nordeste realiza a grande festa folclórica em homenagem a São João.

Vamos então forrozar com São João, São Pedro e Santo Antônio, vamos todos cirandar, degustar as iguarias e tomar um bom quentão e escrever um poemão e da ciranda participar,

dinapoetisadapaz
Coordenadora geral da ciranda
Várzea/PB




PARTICIPANTES

01- Aila Brito (05)
02- Antonio Carlos de Paula (04)
03- Carlos Reinaldo de Souza (22)
04- Conceição Castro (13)
05- Deomídio Macêdo (21)
06- Dilson Ferreira (06)
07- dinapoetisadapaz (01)
08- Eloisa Antunes Maciel (02)
09- Fátima Peixoto (15)
10- Fernando Alberto Salinas Couto (09)
11- J. J. Oliveira Gonçalves (19 e 20)
12- Jacira Pereira (12)
13- José Pereira (23)
14- Josimar Cardoso (11)
15- Joyce Lima Krischke (16)
16- Marcelo Oliveira (03)
17- Marina Martinez (18)
18- Nena Sarti (17)
19- Neneca Barbosa (14)
20- Roseleide de Farias (24)
21- Sílvia Benedetti (10)
22- Soninha Poetisa (08)
23- Vera Passos (07)




PARTICIPAÇÕES

01.
Pedido a Santo Antonio
dinapoetisadapaz


Amarrei um cravo na rosa
Com fita cor de esperança
Nem um moço para uma prosa
Nessas noites de festança

Todo ano a mesma coisa
Fazendo prece pro santo
Já consultei profetisa
Pra ver se tira o quebranto

Santo Antonio casamenteiro
Eu preciso desencalhar
Vós que sois um milagreiro
Ajude-me, a um marido encontrar

Difícil é conseguir namorado
O amor está em desuso
Os casais se separando
Está tudo muito confuso

Vamos conclamar a paz
com o amor se conciliar
Essa moda ficante não apraz
Vale o prazer de muito amar.

Várzea/PB



02.
São João... A Alegria do Sertão...
Eloisa Antunes Maciel


No Sertão dos “Encantados”,
Mês de junho é festejado…
Os festejos são “sagrados”:
Têm seu significado…

A São João é dedicada
Uma noite “sem trincheira”
Nessa noite engalanada
Preconceito é uma besteira…

O filho do Chico Mência,
“Milionário respeitado”,
Revela sua preferência
Pela filha do agregado…

E gente de toda idade,
E qualquer classe social,
Esbanja fraternidade,
Nessa festa do arraial…

E o tal Chico afortunado,
Milionário do lugar,
Cortejou Dona Chiquinha
E com ela foi dançar…

E na hora do “braseiro”,
A fogueira era atração:
Desafiava o povo inteiro
A pular de “pé no chão”…

Se o caboclo destemido
Não vencesse a provação,
Era logo socorrido,
Sem motejo ou gozação…

E a festança que encerrada,
Em lembranças se refaz,
Com certeza foi lembrada
Como um evento de paz…

São Martinho da Serra/RS, junho de 2016.



03.
Chama da Esperança
Marcelo Oliveira


O Balão ia subindo
E descendo na lagoa
A festa tão linda,
Já é coisa de coroa.
São João está dormindo
Lá no Shopping da Madragoa
O menino não está sorrindo
Sem fogueira com chama boa,
A festividade está fugindo
Pra conectividade que atordoa.

O medo vai surgindo
Cada um se magoa
Barulhos de bomba
Que eram alegria,
Confundem-se com tiros
Que atordoa...

São João, São João
Acenda a chama
Acenda a chama...
Da esperança
No meu coração...

Salvador/BA



04.
Festas Juninas
Antonio Carlos de Paula


eu já pulei a fogueira
eu já soltei o balão
bolo de fubá, pipoca,
eu já tomei vinho quente,
já me esbaldei no quentão,
e até dancei quadrilha,
pra esquentar o coração!

sempre no mês de Junho,
Pedro, Antonio, e João,
são os santos cultuados
na estrofe da canção!

canjica e milho verde,
batata doce, pinhão,
sob as luzes da cidade,
ou luares do sertão,
se ouve: "cai cai estrela,
na palma da minha mão!
bandeirinhas coloridas,
papel de seda ou crepom,
e então "a ponte quebrou!",
porém alguém se enganou,
e ninguém volta pra trás,
e a festa continua,
beleza, alegria, e paz!

São Paulo/SP



05.
‘Anavan... Anarriê’!
Saudemos com espírito de paz...
Balancê...!
Aila Brito


Preparar as saudações,
Com alegria e amizade;
Aflorar as emoções,
Com toda intensidade;

No ritmo do coração,
Seja a paz alcançada;
Cumprimentar o irmão,
E dançar até a alvorada;

Viva Santo Antonio!
Viva São João!
Viva São Pedro!

Santo Casamenteiro,
Traga um noivo para mim;
Não quero morrer solteira
Ó, tenha pena de mim!

Já acesa a fogueira,
Com os fogos ribombando;
Sacode a saia faceira,
Pelo salão, ela vai girando;

Enfim a esperança,
Vai nosso povo alcançar;
Deus firma uma aliança,
E vêm seus Santos confirmar;

Viva, São João!
Viva, Santo Antonio!
Viva, São Pedro!

A festa está animada,
Dança João com Maria;
A noite é bela e enluarada,
Vamos cair na folia;

Balancê...!

Mas está chegando a hora,
De repor as energias
Um círculo se faça agora
Têm bebidas e iguarias

Tem broa de milho e cocada,
Maria-mole, pé-de-moleque,
Também quindim; pra moçada;

Tem cuscuz e quebra queixo,
Suspiro e vinho quente...
Quente abraço e gostoso beijo.

E nesse balanço de paz
Festas juninas celebram
Ser do amor mensageiro
Poetas e artistas CAPPAZ.

Balancê...!

Cocal/PI



06.
"Danei a faca no tronco da bananeira
Não gostei da brincadeira,
Santo Antonio me enganou."
(Antonio Barros e Cecéu)


Tempos Modernos!
Dilson Ferreira


Em junho, Santo Antonio o seu dia tem
E a mocinha pede ao santo pra casar
Ela quer o príncipe dos sonhos achar
Prum casamento que lhe faça muito bem.

No forró, alguém tira a moça pra dançar
- Seu caro príncipe será esse alguém?
Mas o moço diz que casar não lhe convém
E ela ao santo continua a cobrar.

Menina, esse seu santo casamenteiro
Não sabe o que fará para atender você
A não ser que mude seu pedido inteiro.

Às mocinhas, hoje, o santo não satisfaz.
São tempos modernos; isso tudo porque
Príncipes encantados não existem mais.

04/06/2016 - Natal/RN.



07.
Vale do Jiquiriçá
Vera Passos


No berço tranquilo do Jiquiriçá
Vivi a magia do meu habitat
Criança feliz corria à toa...
Prá lá e prá cá...
Ao calor da fogueira, curtia garoa
Na velha mangueira de braços erguidos
Armava a rede, sombra e fruta na boa
Jabuticaba, groselha, araçá...
No pier, falava besteira, deitada na esteira
A felicidade fez moradia no pé de juá
No leito do rio, espelho sorriu
Amigo constante de gente fiel
Corria cidades, deixando saudades...
“Canoa de mel...“
Gente bonita, roupa de chita...
Laço de fita, amor à granel.

Salvador/BA



08.
Festas Juninas em Conceito de Paz.
Soninha Poetisa


Nas festas de São João e Santo Antônio,
Vamos dançar quadrilha.
Comer pipoca e tomar vinho quente.
Experimentar um saboroso churrasquinho.
Depois tomaremos quentão,
Não se esquecendo de agradecer.
Que a paz prevaleça sempre em nome do amor.
O conceito das festas Juninas, e dançar e festejar,
Com a família animar, e os costumes respeitar.
Olhar para o céu iluminado pelos fogos,
Entrar na roda de amigos.
Quase que eu me esqueci da festa de São Pedro,
Comemorado no dia vinte e nove de junho,
Ele Protetor das viúvas e pescadores.
Viva São João, Santo Antônio e São Pedro.

Dourados/MS



09.
Festa Junina
Fernando Alberto Salinas Couto


Ah, que imensa saudade
daquelas festas juninas...
Barracas de lona e madeira,
vendendo amendoim e paçoca.
Crianças de qualquer idade...
Saias rodadas pras meninas,
camisa xadrez pros meninos.
Não faltava milho e pipoca.

Muitos fogos e bandeirolas...
Danças típicas e casamento
de caipira para se divertir,
ao som de velha sanfona,
tudo de mentira, padre cafona
e noivo com gira-sol no terno.
Noites repletas de estrelas
enfeitavam nosso sentimento.

Hoje, coisa assim já não se faz,
mas se houver festa há de ter paz.

Rio Janeiro/RJ



10.
Namorados -Santo Antonio o padroeiro abençoe a todos!
Silvia Benedetti


Corações enamorados
Palmilhar
Em compasso simétrico.
Ritmo de sintonia
Poética
Em arpejos de carinhos.
Irradiar de felicidade
No transcender de esperanças
Expectativas de venturas.
Enamorados
Corações unidos
Sonhos partilhados.
Vidas que se bastam
Conjugação de sentimentos
Tesouro de amor e... loucuras.

Porto Alegre/RS



11.
Festa Junina
Josimar Cardoso


Se tem uma coisa que eu gosto
É de dançar o forró de pé-de-serra
Comer canjica, pamonha quando à Paraíba eu volto
Lá quando há festa junina em minha terra

Quando é noite enluarada
E os balões coloridos enfeita o céu estrelado
E eu no dia dos namorados com a pessoa amada
Danço quadrilha e toda festa junina me deixa encantado.

No meu Nordeste sofrido pela seca
Apesar do sofrimento de nossa gente
Espero que esse povo nunca perca
A sua alegria de viver.

Onde as nossas tradições das festas juninas
É muito viva em todo meu querido Nordeste
Animam jovens, velhos e principalmente as meninas,
E todos os nordestinos, cabra da peste.

No Parque do Povo de Campina Grande,
Por 30 dias de festa que tem um significado profundo,
Tudo é muito belo e animado,
Na maior festa junina do mundo.

Porto Velho/RO 13 de junho de 2016



12.
Santo Antonio
Jacira Pereira


Meu santo Antônio casamenteiro
Um pedido vou lhe fazer,
Me arrume um namorado
Do jeito que eu quero ter,
Bonito, rico e gentil,
Mas fácil de esquecer.

Pra ele não se lembrar
Das coisas que acontecer,
Do que fiz nem do que faço,
Nem do eis de fazer,
E tudo que ver não se lembre,
É assim que tem que ser.

Não pode ser ciumento
Nem de mim desconfiar,
Quero que seja sincero
E me leve pro altar,
Me dê tudo que eu pedir
Sem de nada reclamar.

Quero que cuide de mim
De um jeitinho especial,
Me sirva café na cama
Levantando meu astral,
E mesmo que eu lhe maltrate
Ele não me faça mal.

Atenda esse meu pedido
Que outro eu nunca te fiz,
Mim arrume esse marido
Do jeito que te pedi,
Nunca mais te peço nada
Porque estarei feliz.

Cabedelo/PB



13.
Caipira Poeta
Conceição Castro


Ouço o estampido dos fogos
Alguém me oferece um licor de chocolate
O frio me faz bater o queixo
Queijo e amendoim
Canjica e forró
dentro de mim
A fogueira me chama
E eu chamo o meu amor
Ele chega devagarzinho
Funga no meu cangote e me dá um beijinho
Alguém pede que eu declame uma poesia
E eu me pergunto , sem poesia, O que de mim seria?
Não me faço de rogada,
Porque na verdade era o que eu mais queria
Canjica , amendoim e bolo
Era só pretexto
pra fazer poesia
Falo do frio e do calor
Peço que continuem a dançar
Façam-me esse favor...
A noite está só começando...
Vamos dançar esse forró
e com ele ir nos esquentando
Fui dançando, dançando,
Até parar de repente...
É que descobri
Que os olhos do meu amor
Era o lugar mais quente...
Coisas de caipira poeta!

Salvador/BA



14.
Festas Juninas
Neneca Barbosa


As festas juninas no sertão
São de uma tamanha animação
Alegrando nosso sertanejo
Deslumbrado com vários festejos.

A fogueira no céu crepitando
No salão toda gente dançando
Esquecendo da vida sofrida
Onde a seca faz a sua investida.

Tem quadrilha e muito arrasta-pé
Ao som da sanfona e da boa fé
O xaxado, forró, xote e baião
Todos rodopiando no salão.

Culinária de boa qualidade
Toda feita com habilidade
Pé-de-moleque, canjica, milho
Pamonha, mungunzá e sequilho.

Tem chuvinha, fogos e balão
Varando os céus num grande clarão
Divertimento para meninada
Que feliz dá suas gargalhadas.

Que saudades do São João de outrora
Da magia do nascer da aurora
O sol brilhante, quanta beleza!
Bafejando toda a Natureza.

João Pessoa/PB



15.
Vem pra cá
Fátima Peixoto


Animação é o que não falta,
Pé de serra até o Sol raiar,
Vamos ralar o bucho,
arrastar pé.

Vem pra cá
Comer canjica,
Comer pamonha, milho assado,
Tapioca,
E mungunzá.

Vem pra cá,
Quadrilha, vamos dançar,
Você vai adorar,
Depois de uma boa pinga tomar.

Vem pra cá
Vamos andar no trem do forró
Vamos assistir o Pôr do Sol,
Conhecer as maravilhas,
Que a Paraíba tem para mostrar.

Cabedelo/PB



16.
São Pedro: A Paz e o Amor dominarão a Terra?
Joyce Lima Krischke


Sim, São Pedro é o meu padroeiro
Rezo a ele, peço graças o ano inteiro
Sou devota do Santo do meu dia
Vinte e nove de junho – Alegria?!

Ah! Quando criança acendiam fogueira
E, eu pulava- menina faceira
Comia muito doce. Milho e pinhão
Feliz, também, pulava o coração!

Hoje, minhas rimas adormeceram
Sem palavras... silente minha poesia.
Versos pensantes... talvez utopia.

O tempo passou... fatos aconteceram
São Pedro: o rancor cairá por terra?
A Paz e o Amor dominarão a Terra?

Balneário Camboriú/SC junho - 2016



17.
Origens
Nena Sarti


No período colonial
Portugueses nos trouxeram
Joanina.
A França a ensinou dançar.
Nós céus as cores explodindo,
Em fogos da China a pipocar.
Passaram-se os anos
E o povo brasileiro
Dançou em ritmo indígena,
Afro-brasileiros e imigrantes europeus.
Com fogueiras, quadrinhas e balões,
São João o Santo Festeiro,
(mas muito, muito ordeiro),
Atingiu no Brasil seu apogeu!

Campo Grande/MS



18.
Valei-nos, Santos Juninos
Marina Martinez


Queridos santos juninos,
quero um pedido fazer:
renovem esperanças roubadas
deste meu povo sofrido.
Santo Antônio, São João, São Pedro,
queridos santos juninos,
acolham orações e hinos,
flores, velas, oferendas,
aceitem simples gestos
de muitas mãos maltratadas,
de um país triste e ferido.
Queridos santos juninos,
já nos cansamos de restos,
de falas dissimuladas,
ameaças e mentiras.
Queridos santos juninos,
queremos muito carinho.
Por favor, nos acolham em seus braços,
num poético e manso ninho.

Porto Alegre/RS



19.
Meu Bom São João!
J.J. Oliveira Gonçalves


Então, era São João... que alegria
Na rua pobre e quieta – onde cresci!
No céu azul-marinho... que Magia
Aos meus olhos contentes – de guri!

O fogo da fogueira era Poesia
Um Poema a crepitar, ali, eu vi...
São João era o Clarão que me Ungia
A Alma – e o Estro com o qual nasci!

E ia a noite alta... E a Lua-Cheia
Musa e Fada-Madrinha era a Candeia
Que de Prenda vestida me sorria!

Hoje, meu Bom São João, quanta Saudade
Das antigas canções... Daquela idade
Da Vida que era, então, leda Guria!

Na memória do olhar... olho o Passado
E o coração resmunga... acabrunhado!

Porto Alegre/RS



20.
São Pedro das Fogueiras!
J.J. Oliveira Gonçalves


Padroeiro deste Pago que Amo tanto,
São Pedro que as Chaves tens do Céu:
Protege, dia e noite, este Recanto
Que crê, em Ti, eu sei, mesmo o incréu!

São Pedro das fogueiras... do pinhão
Do busca-pé moleque... da estrelinha
Que, alegre, segurava em minha mão
Saudade Alma me aquece e acarinha!

Clarões pela cidade... Noite fria
Os tempos eram outros... Quem diria
Os Santos sem a antiga Tradição!

Mas eu, remanescente de outra Era
Carrego em meu triste olhar de espera
As brasas da fogueira ao coração!

Sente Saudade a Alma – dos folguedos
Juninos – coloridos, belos, ledos!

Porto Alegre/RS



21.
São, São João, Festa Típica
Deomídio Macêdo


São... São João
Santo festeiro
que lembra,Fogueira, balões
céu estrelados, capelinha, canjica,
palha e manjericão.
Sem falar das comidas típicas,
como: rapaduras, amendoim,
bolo de milho, cocada, curau,
bolo de macaxeira, mandioca,
paçoca e pé de moleque.
Festa popular que apreciamos na quadrilha a dançar.
Casamento na roça, eita! Este é muito baum.
Vinte e quatro de junho nasce São João, primo de Jesus.
O Santo mais próximo do Mestre que o batizou no Rio Jordão.
Vamos saldar com afinco São João, o emissário de Deus
que anunciou e apresentou Jesus para a humanidade.

Salvador/BA



22.
Junho chegou
Carlos Reinaldo de Souza


O mês de junho chegou,
com muitas festas trigueiras,
o povo todo adorou,
pois tem quentao e fogueiras.

Ninguém resiste a quadrilha,
vamos dançar minha gente,
é só chamar a família,
pois o quentao já está quente.

Tem milho verde e pipoca,
e tem cangica também,
às vezes, tem tapioca
e casamento, amém!

Conselheiro Lafaiete/MG



23.
São João
José Pereira


No nordeste do Brasil
São Joao é mais animado
Tem quadrilha e foguetão
É festa pra todo lado.

É tempo de casamento
Na igreja e na quadrilha
O primeiro é verdade
O segundo é fantasia.

Campina já é grande
O São João também é
Tem festival de quadrilha
De todo Estado vem mulher
No pavilhão do forró
Só não dança quem não quer

São João da fogueira
Do forró e do baião
Da festas religiosas
Saltar fogueira, soltar balão

São João do carneirinho
Sanfona, zabumba e quentão
Milho, pamonha e canjica
Trazem alegria e animação

Cabedelo/PB



24.
Festa de São João
Roseleide Farias


É noite de luar, estrelas cintilam no céu
E a brisa do mar vem refrescar a mente,
Eles fazem apelos à alma e doce alegria
Nos agita, incendeia e sacode a gente.

Este ritmo quente balança me corpo
Esvoaça os cabelos e alegra o coração.
Música, a clave de sol que nos aquece,
Arco-íris que surge em imenso clarão.

Meu amor querido, vem comigo dançar,
Aqui em nossa praia ou em outro lugar.
Ao redor da fogueira quero te abraçar.
Juntinhos iremos acender esta paixão
É noite de luar em festa de São João!

Cabedelo/PB





ENCERRAMENTO E AGRADECIMENTOS

Estamos encerrando mais uma Ciranda Poética CAPPAZ, deixando os nossos agradecimentos as confrades e confreiras participantes, também a agradável consciência de nosso dever cumprido nos afazeres e compromissos fraternos para com esta querida confraria, dentro de sua filosofia em dar oportunidades, estímulos, reconhecimentos, integração aos poetas, num clima de paz, harmonia, elucidações educativas, expressões os nossos melhores e primorosos sentimentos.
Nossos fraternais abraços, votos de Felicidade, Bem, Paz e Luz.

Roseleide Santana de Farias
Presidente Regional Paraíba






SELO DE PARTICIPAÇÃO













|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

Arte Paola Rhoden
Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados