INTRODUÇÃO

Queridos confrades e queridas confreiras, sejam bem vindos (as) a 89º ciranda mensal CAPPAZ, que tem início no dia 13 com término em 31 de julho `s 18:00 hs, Vocês poderão fazer uma homenagem ao profissional Bombeiro, que com sua dedicação atua em diversas situações de desastres e catástrofes, além de servir a população, salvar vidas, profissional digno de nossa admiração e respeito.

Vocês também podem abordar outro tema , o mais importante é sua participação. A CAPPAZ espera a participação de todos!

Fátima Peixoto
Vice-Presidente Regional Paraíba
Cabedelo/PB


PARTICIPANTES

01- Aila Brito (13 e 14)
02- Andrade Jorge (01)
03- Ângela Torino (27)
04- Carlos Reinaldo de Souza(33)
05- Deomídio Macêdo (21)
06- Dilson Ferreira (16)
07- dinapoetisadapaz (02 e 15)
08- Eloísa Antunes Maciel (03)
09- Fernando Alberto Salinas Couto (06)
10- Glória Dávila Espinoza (26)
11- Haydée Hostin (19)
12- J. J. Oliveira Gnçalves (22)
13- Jacira Pereira (23)
14- José Otoniel (29 e 30)
15- José Pereira (25)
16- Josimar Cardoso (12)
17- Joyce Lima Krischke (09)
18- Judite Krischke Sebastiany (11)
19- Marcelo de Oliveira Souza (05)
20- Nena Sarti(32)
21- Neneca Barbosa (18 e 28)
22- Odilon Machado de Lourenço (07)
23- Palmira Heine (20)
24- Paulo Rodrigues (17)
25- Regina Kreft (31)
26- Roseleide S. Farias (24)
27- Saturnino de la Torre (10)
28- Sílvia Benedetti (08)
29- Vera Passos (04)


PARTICIPAÇÕES

01.
Chispa, Faísca
Andrade Jorge


E de repente feito chispa, chispando!
faísca que crepita na fogueira, pelando,
salta, alça voo ao redor.
sai da ardência vermelha,
cai no chão, fere a terra,
queima a mão e espelha
um cenário, uma visão, criando a ilusão,
que poderia aquecer meu dilacerado coração!
Não! você não pode não ....
É fogo de palha
que se alastra, espalha
mas logo apaga, vira fumaça,
e essa paixão depressa passa ....

Diadema/SP



02.
Positividade
dinapoetisadapaz


O tempo insiste em querer consumir
meu doce e feliz prazer de viver.
Se alma e coração estão a sorrir,
O tempo não pode me entristecer.

O meu saudável e bom humor
dele sempre vou usufruir
A alegria se achega para impor
se a tristeza tentar interferir.

Bebo o antídoto que expurga a tristeza
Reforço minha defesa
Mantenho viva a alegria
De viver sem perder a magia

Agradeço pela dádiva da vida,
Pela evidente positividade
que há em mim. Pessoa inusitada?
Não... Apenas uma qualidade.

Várzea/PB



03.
Bombeiros – Heróis Múltiplos... Socorristas e Apoiadores
Eloísa Antunes Maciel


Eles acorrem, socorrem e se desvelam em atividades de conforto e apoio moral às vítimas de incêndios, hecatombes e outros tipos de ocorrências ditas desastrosas – em que a vida, mormente a humana - corre riscos graves, tendo o óbito por expectativa indesejável mas bastante provável…

Nesse mister, algumas vezes os bombeiros tendem a improvisar até mesmo uma “saída” pouco convencional, como o uso de um atalho inusitado a fim de evitar que o paciente seja atingido por algum estilhaço, fragmento de prédio em chamas ou outro imprevisto para o qual tem-se revelado atentos e devidamente preparados…

Nessas, como em outras situações de imprevisibilidade, seu senso criativo e sua disposição para servir poderão determinar um desfecho favorável ao(s) socorrido(s) e definir os rumos da operação de salvamento... Façanha heroica, certamente favorável ao êxito da operação, visando, destarte, a superação do estado aflitivo do(s) socorrido(s), no intento de encorajá-lo(s) e, assim, criar um clima favorável à cooperação desejada ao êxito almejado.

Em sua atuação, pautada por princípios ético-humanitários, não discriminam socorridos em função de status social, gênero nem por seus méritos ou deméritos, uma vez que os “vêm” como semelhantes aos quais têm o dever de prestar assistência fundamentada nos princípios de fraternidade, valendo-se de sua capacitação funcional e formação humanitária requeridos à sua múltipla atuação frente aos deveres humana e socialmente assumidos.

E embora possam cometer eventuais faltas, em razão de sua condição humana, tendem a prevalecer seus méritos, evidenciados através do seu desempenho meritório.

Em que pesem suas decepções e/ou frustrações inevitáveis, tendem a superar tais contingências – estas sobejamente mencionadas em anedotários e algumas formas de “chistes”, como o que focaliza a decepção de um bombeiro ao retornar à sua residência após dominar um incêndio provocado por gás de cozinha... Desejava “recompensar-se” com um saboroso café… Porém a esposa anunciava que o gás havia se esgotado nesse exato momento… Ironia disfarçada? Quem sabe…

No entanto, a reação desse bombeiro teria sido uma “gostosa gargalhada” seguida de um abraço na esposa- até então um tanto desenxabida.

Ironia por parte do autor do ‘’chiste” ou figura ilustrativa da atuação dos bombeiros em suas dimensões múltiplas?… Suposição em aberto… Contudo, poderia ser uma alusão ilustrativa à capacidade de superação dos bombeiros enquanto elemento presente na sua ampla atuação funcional.

Aos valorosos bombeiros, portanto, nossa justa e merecida homenagem.


São Martinho/RS



04.
África
Vera Passos


Do ocidente lanço planos pra te conhecer
Surfo as ondas imensas do Oceano
Nosso passado tem raízes nesses cantos
Minha cantilena é quase oração
Sonho cantar teus encantos
Meus cabelos eriçados, minha cor, vieram de lá
Também vem de lá essa dor intensa e oca,
Vá entender as coisas do coração
Por isso, canto, canto, tanto!
Para minimizar meu pranto.
Quero beber nas fontes do saber
Renascer do berço.. . ver o Nilo correr...
Arrastar pelos desertos e chegar ao Oásis.
As espumas do mar beijam as tuas terras
Como bumerangues retornam pra cá
Balançam, balançam, descansam no meu habitat
Aninham-me como na tenra idade
Revejo as aldeias, as matas, a magia, tudo ficou lá
A alegria, cantoria, o entardecer, a liberdade...

Salvador/BA



05.
Herói
Marcelo de Oliveira Souza


Gritos de horror
No meio do casarão
O fogo tá comendo
A estrutura do panteão.

Todo mundo assustado
Um menino geme ao lado,
A vida vira fumaça
Onde assiste a população.

Revolta e desespero
No lugar inteiro,
O povo já sem dinheiro...
De vermelho vem um vulto
Com mangueiras na mão
O bombeiro valente
Abre o caldeirão.

Num gesto de heroísmo
Ela adentra o inferno
Traz o menino desmaiado
E a mãe solta um palavrão.

Uma simples vela
Queima a vida
Mas com o bombeiro,
Ela é revivida
E do inferno

Chegamos à porta do céu
Soldado dos enfermos
Que num amor à humanidade
Vira o Senhor da vida e da morte
Mas nem ele sabe a própria sorte
De viver um país
Em que herói não ganha o pão!

Salvador/BA



06.
E o Bombeiro?
Fernando Alberto Salinas Couto


Ah, o tal sensacionalismo,
em que todos querem ser
sabedores de tudo primeiro,
mormente no jornalismo,
onde querem de tudo saber.
Só esquecendo do bombeiro.

Quantos danos ou vítimas...
nome de pessoas envolvidas
ou gravidade do ocorrido.
Poucos pensam nos problemas
dos que arriscam suas vidas,
mas são personagem esquecido.

Quanto ao bombeiro devemos,
mas, quase sempre, esquecemos?

Rio Janeiro/RJ - 15/07/16



07.
Manguezal
Odilon Machado


Tipango tem a cor do mangue
A terra lodosa do mangue é barro em sua carne
Tipango é raiz maçarocada do mangue
Caranguejo azulado nas poeiras da água
Quando a maré sobe junto nos olhos saídos da lama
Tipango vira mar
Sua canoa desliza no espelho das águas do mangue
Com a força da lua Tipango vai remando
O mangue inundado sobe nas árvores
Um galho de mangue balança acima dos ombros
do canoeiro mergulhado de pássaro
Martim Pescador atravessa um peixe no bico e voa
Voa no espelho das águas do mangue onde escorre Tipango.

Porto Alegre/RS



08.
Idas e vindas
Silvia Benedetti


Ah, a vida!
A vida lembra oceano
Vai e vem. no leva e traz...
Poucas coisas duram muito
E o que chega vai voltar...
Vai o amor, vem a saudade,
Do sofrer nasce o perdão,
Aos poucos vai a família,
Vem chegando a solidão,
Só não vai mesmo a poesia
As rimas da inspiração,
Benção, fonte de alegria,
Relicário de emoção.

Porto Alegre/RS



09.
Muitos... Muitas Esperanças
Joyce Lima Krischke


Muitos feitos... desfeitos
Muitas desilusões... defeitos
Muitas promessas... esquecimentos
Muitas esperas... adventos
Muitas paixões... desilusões
Muitos erros... compaixões
Muitos brindes... tristezas
Muitas falas... proezas
Muitas fases... esperas
Muitos cantares... quimeras
Muitos enganos... encontros
Muitos objetivos... desencontros
Muitas horas... debates
Muitas reflexões... embates
Muitas discórdias... manifestações
Muitos silêncios... paixões
Muitos caminhos... andanças
Muitas falas... esperanças

Balneário Camboriú/SC



10.
Estás Em MÍ
Saturnino de la Torre


Estás en cada pensamiento,
en cada objeto que miro,
en cada libro que leo
y en cada letra que escribo;
estás en los sueños que tengo
y en el aire que respiro.

Estás tan dentro de mí
que hasta te sueño despierto
y te contemplo dormido,
te oigo en el silencio
y te siento en los latidos,
y por estar en todas partes
en la brisa te presiento
y en las estrellas de admiro,
te encuentro en el recuerdo
y te saco del olvido.

Recibe mi señal cifrada
como si fuera yo mismo
pues quiero vivir en tu ser
como tu vives en el mío
y hacer de las dos vidas
un sólo cauce de río,
una sola fuente de agua,
y un único camino,
la unión en un sólo cuerpo
con un corazón por testigo.
Estás en todos mis sueños
y en el aire que respiro.

Espanha



11.
Fazei de Mim um Instrumento de Vossa Paz
Judite Krischke Sebastiany


Essa é a vida/mensagem de São Francisco
ele estava disposto a ser, nas mãos de deus, sob sua inspiração, instrumento de paz.

Mas, isso não o isentou de tomar decisões surpreendentes.

Não o isentou de contestar “valores”:
- Francisco, reconstrói a minha Igreja!
Foi a ordem/ missão a ele confiada.
Ele veio reafirmar valores e atitudes.

Vida autêntica, simples, desapegada.
Na oração e na determinação,
Forças para combater as concupiscências,
as más tendências, as tentações.

para cada fraqueza, uma ação contrária correspondente.
Assim foi com nosso primeiro Francisco.
Assim é hoje com o Papa Francisco.

- Francisco, reconstrói a minha igreja!
- Recupera a pureza de origem, o amor, a paz, a verdade, a esperança!

Cristo clama, novamente,
a Francisco e a todos nós:
- Reconstrói a minha Igreja!

Não para adequá-la aos valores desse século,
Não para desfigurá-la, mas para aproximá-la,
ainda mais, do Amor do Pai;
do plano de Amor do Pai para todos.

Para construir, enfim, a PAZ.

Sobradinho/RS



12.
A Beleza do Viver por Viver
Josimar Cardoso


Tão ligeira a vida que conseguimos aqui vivenciar
Tão belos poderão ser os momentos de nosso sonhar
Tão puro e sublime quando praticamos o verbo amar.

A vida nasce do fruto de um possível sentimento
Que nos faz sentir quando a dois vivemos um momento
Que ao vermos depois um filho, nosso rebento,
Que por ele, amamos e sofremos tudo ao mesmo tempo.

Ter vida que também pode ser para aqui na terra cumprirmos uma missão
Ensinar e aprender respeitar nosso próximo sem qualquer descriminação,
Dividirmos nossas tristezas, alegrias e também o nosso pão.

Viver intensamente como não existisse um outro dia
Amar com as forças de nossa alma e com muita sabedoria
Chorar só de felicidade e no coração sentir só alegria,
Morrer de amor como que a vida seja uma eterna poesia.

Olhemos para nossas vidas como se admira um jardim
Enquanto as flores não murchem e permaneçam belas assim
Aproveitemos nossas vidas dando amor e carinho sem fim.

Deixemos que nossas almas ajam sem ressentimento
Entendermos nossas mãos para do irmão aplacarmos seu sofrimento
Sentemos à mesa e nos alimentemos somente dos bons momentos
Busquemos a felicidade sempre até chegar nosso último momento.

Cabedelo/PB



13.
Bombeiro
Aila Brito


Ele, que traz a força,
a esperança e o amor,
Quando já se imagina,
Não haver mais solução;
... Vem, com sua lealdade,
Estendendo a mão amiga,
E por noites mal dormidas,
Atender algum irmão;
Seja no combate a incêndios,
Emergência ou resgate,
Afogamentos, captura de animais;
Também outras Intervenções...
Chega para aliviar a alma,
E restituir a calma,
Em todos os corações,
Sem distinção de cor, religião ou raça.
Ó doce anjo mensageiro,
Nosso fiel companheiro,
Nossa imensa gratidão!
_ E que o nosso bom Deus,
Mande sempre os anjos seus,
Em teu ser fazer morada.

Bombeiro... Parabéns, camarada!

Cocal/PI



14.
Pavão de estimação
Aila Brito


Morre a beleza... A graça... A leveza!

Fez “do amor” Tão bela encenação;
“Pavo cristatus”,
Ornamental criatura;
De belos ritos e exuberância em cores,
Abria em leque, toda sua formosura;
Atraindo para si, as fêmeas e seus frescores,
Sob a sombra de teus encantos,
Hoje, em prantos, te aceno;
Com o meu olhar pequeno,
E a saudade do teu canto.
Morre pra vida... Renascerá lembrança,
Por tua graça, no riso das crianças...
Tua majestade e encanto multicor.
Tanta beleza e perfeição!
Ó Ave do “Paraíso¨” – Festeja o céu, com terno guizo,
Anima os anjos na amplidão.
Foi alegria, pureza e calma...
Nesta terra, ora descalça,
Da plumagem do teu ser; verde , azul, dourada...
Que no chão, ora espalma...

Agora, teu habitat tem ricos brolhos
"Animal de cem olhos",
- Símbolo da visão de Deus pela alma -

Cocal/PI



15.
Dia 02 de Julho- “Dia do Bombeiro”
dinapoetisadapaz


Aos homens do fogo e d’água
Que enfrentam qualquer perigo
Em prol da vida humana
E também da vida animal

Meu respeito e admiração.
A esses homens de bom coração
São heróis e destemidos,
Também habilidosos parteiros
Quantas vidas trouxeram ao mundo
Quantas vidas por eles, foram salvas
Merecem portanto, grandes homenagens!!

Todo dia e a qualquer hora
Estão sempre disponíveis
Para atuar em qualquer ação
Vão á luta e ignoram o perigo
Expondo suas próprias vidas.

Parabéns Bombeiros!!

Várzea/PB



16.
Quando Será?
Dilson Ferreira


"Só se deverá acreditar num Deus
que ordene aos homens a justiça
e a igualdade." (George Sand)


Para saíres desse mundo de pragas
E ganhes a terra que emana leite e mel
Saibas que lá na porta do reino do céu
Uma placa diz: "Ainda temos vagas".

Oh não; não fiques vagando no mundo ao léu
E se no mar dessa vida tu naufragas
Pois a certeza da fé no peito tragas
Pra que tu estejas livre desse escarcéu.

Homo sapiens, és o único culpado
Do planeta ter chegado neste estado
Num futuro que se aproxima de amargar...

Por tanto caos, crises que essa gente ajunta,
Ó Senhor Deus responda a minha pergunta:
- Quando será que o bicho humano vai mudar?

Natal/RN



17.
Poema para dizer Adeus
Paulo Rodrigues


Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que eu me lembre
dos momentos que passamos juntos.

Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que a noite caia e as estrelas brilhem
e eu me lembre de seus belos olhos morenos.

Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que belos pássaros cantem
e eu me lembre da doçura
e do encanto da sua tenra voz.

Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que meus lábios sintam
a falta de seus doces beijos.

Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que as rosas exalem um suave aroma
e eu me lembre do bálsamo, fragrante aroma,
dos seus sedosos cabelos.

Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que alguém passe sorrindo meigamente
e eu me lembre da alegria que compartilhamos
em muitos momentos.

Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que as frias lágrimas rolem
e eu sofra por já não poder
contemplar sua adorável companhia.

Quero fazer um poema para te dizer “Adeus”,
mas tenho medo de não conseguir terminar
antes que você parta de minha vida.

Sorocaba/SP.



18.
O Mendigo e o Cão
Neneca Barbosa


Na vida real, de perto me deparei
Com outra realidade da sociedade
Daqueles que vivem nas ruas, sem teto!
A tristeza bateu quando observei
Que mendigavam a fraternidade

Meu coração explodiu de emoção
Quando um deles ao receber o pão
Tinha ao seu lado um cão vira-lata
Falou com sentimento verdadeiro
“Meu melhor amigo”! Seu escudeiro!

Humanos excluídos da sociedade
Trazem todos consigo sua história
Esperam somente a sombra da noite
Com a solidão seguem sua trajetória
A mercê da nossa sensibilidade.

João Pessoa/PB



19.
A Sombra
Haydée Hostin


Para não falar de amor
vou incendiar palavras,
afogá-las nas águas do rio,
despejá-las em fendas abissais.

Para não escrever o amor
vou rasgar palavras
empurrá-las nos precipícios do tempo,
esganá-las com mãos de ferro.

Vou perdê-las em estradas escuras
e nas máquinas de prensar sucatas
vou esquecê-las nos sonhos,
que só se sonham uma vez.

Nunca mais vou dizer do amor
vou declinar sua presença
não terei palavras para saudá-lo,
não sentirei desejos de cantá-lo.

Só não vou esquecer o amor
pois terei ainda no peito
a sombra tênue e sereníssima,
da palavra coração.

Santa Maria/RS



20.
Sonhos
Palmira Heine


Dentro de mim tenho sonhos
Sonhos que crescem como flores no jardim
Sonhos que espalham sementes ao vento
Sonhos que não cabem aqui dentro em mim
Dentro de mim tenho sonhos
Sonhos que transbordam e espalham mil frutos
Sonhos que ainda irão florescer
Sonhos que parecem distantes de tudo
Sonhos que o tempo não fez esquecer
Dentro de mim tenho sonhos
Sonhos que guiam o meu caminhar
Sonhos que insistem em me estremecer
Sonhos que não me deixam parar
Sonhos que fazem meu verso nascer
Sonhos são estrelas que iluminam a noite
Nos dias sombrios, estão a pulsar
Sonhos são versos que nascem no asfalto
E os tempos difíceis vêm amaciar.

Salvador/BA



21.
Bombeiro, sinônimo de amor
Deomídio Macêdo


A sirene toca, e os carros na via pública da grande metrópole, abrem caminhos, em respeito a esses profissionais.

Mais um pedido de socorro chega pelo telefone.

E lá vão eles cortando asfaltos, driblando veículos para chegarem ao destino do incêndio, do resgate em acidentes, do socorro a animais, afogamentos, desaparecimentos em florestas e matas...

E por onde passam, nas escolas, nas empresas desenvolvem projetos sociais e educativos para as pessoas evitarem acidentes em: Represas, piscinas, praias, além de alertar sobre os cuidados que devemos ter com álcool e fogo, dentre muitos outros. E assim, eles fazem o trabalho de prevenção.

São homens e mulheres incansáveis que dedicam as suas vidas para salvarem outras vidas.

Dia 02 de julho é o seu dia caros profissionais. E nesta data queremos abraça-los com muito carinho e amor, demonstrando dessa forma a nossa gratidão aos seus trabalhos como anjos guardiães da população.

Bombeiros, Parabéns! Felicidades!
Precisamos de vocês hoje e sempre.


Salvador/BA



22.
Dançando na Lua...
J.J. Oliveira Gonçalves


Ora, dançar na Lua é possível? Ou impossível? Sonho? Devaneio? Utopia? Ora, dançar na Lua nada tem de sobrenatural. Loucura, talvez? Maluquice total? Bem, afinal, o que é loucura? Ou maluquice? O que é impossível para um coração enamorado? Pior: para um coração apaixonado? Pior, ainda: para dois corações quando se apaixonam? Principalmente, quando se é jovem? Pelas sensações que experimentei – naqueles abrasadores e ledos Verões da Vida – posso afirmar que a juventude toma conta do nosso corpo, invade ardentemente nossas veias, faz desabrochar nossos Sonhos e bagunça, (gostosamente), nossos Sentimentos... Com certeza, tudo isso e muito mais nos dá, ainda, a impressão de que somos o próprio Amor, a fonte da Vida e o centro do Mundo... De que toda a Existência gira em torno de nós... Por isso mesmo, ganhamos a enganosa e ingênua impressão de que gozamos da igual Imortalidade dos Deuses do Olimpo!

Ah, pegar a namoradinha pela mão – naquele Romantismo ingênuo e belo de antigamente – e ir dançar na Lua... Ah, eu mesmo já fiz isso... Paradoxalmente, sem sair da terra. Sem precisar de foguete. De nave nem ônibus espacial. Sem ser astronauta. Porque, quando o coração se apaixona, a Alma é sua cúmplice – fiel e gêmea! Eis que as Janelas da Alma se debruçam e se deliciam sobre aquilo que o coração, retumbantemente, sente. Pois que o coração tem razões que a própria razão desconhece. (Não é mesmo?) Pois que a Alma tem registros antigos das Digitais seculares, ou milenares, do que chamamos Paixão!

Sim: dançar na Lua não tem nenhum mistério. Nem é um bicho de sete cabeças – como diria minha avó. Basta – tão somente – se deixar levar pelos sabores inexplicáveis do Amor... E se permitir envolver pelas Sensações, (arrebatadoras e inexplicáveis!), dessa tal e incompreensível Paixão...

Ah, na verdade, para se dançar na Lua, basta tão somente ter-se a cabeça, lá... in loco. Ou seja: na Lua, é claro! Simples assim. Não são necessários tratados. Nem alfarrábios. Tampouco atestados psiquiátricos. Eis que, um louco ou maluco, apaixonado, deveria ser sempre aplaudido por sua bela e sadia loucura. Essa loucura loquaz e Amorosa que o faz – consciente e inexplicavelmente – ir dançar na Etérea e suave fluorescência da Lua!


Porto Alegre/RS



23.
O Bombeiro e o Fogo
Jacira Pereira


A beleza que tem, é o perigo que passa,
Num breve piscar, imensa desgraça,
O salvador, salva o que pode salvar,
E quando não pode lamenta a chorar
A dor da ferida que demora a sarar
E as cicatrizes que jamais acaba,
Só ferem a alma dos que tentam salvar...
Salva o que pode e salve-se quem puder
Das chamas ardentes não escapa quem quer,
Vem uma ajuda do céu e da terra no homem que salva
E se arrisca a morrer.

Cabedelo/PB



24.
Ao Dia do Escritor- 25/07
Roseleide S. de Farias


O que seria do nosso mundo
Se não houvesse uma alma poética,
Alegre ou triste, idealista, sensível, amante.
O espírito poético apaixonado transcreve ao papel
A sua mente livre e pensante.
Pleno de fervorosos sentimentos,
O poeta não teme em nenhum momento
As consequências dos seus pensamentos.

O escritor fala de amores Philos, Eros, Ágape.
Escreve sobre a Natureza e a nossa relação
Tão rica, pródiga, farta em beleza.
Sofre por ela estar morrendo pelas ações horrendas
Que os seres humanos malucos lhe faz.
Abraça ideais de saúde, cultura, educação, utopias.
Enxerga bem, provoca mudanças, vai mais além
Em seus sonhos, que nem sempre são fantasias.

O escritor é poeta, abraça as dores do próximo,
Se vítima das horríveis artimanhas
Que os poderes vis, tacanhos, nos traz.
Gestões ambiciosas, egoístas, ardilosas,
Ferindo os sentimentos de respeito,
Sufocando a Liberdade e Fraternidade,
A nos provocar dores tamanhas
Roubando assim a nossa Paz.

Cabedelo/PB



25.
"Os Escritores e a Liberdade de Pensamento".
25 de julho- Dia do Escritor
José Pereira


Pai me dê inspiração
Competência e sabedoria
Para em versos descrever
A importância desse dia.

Deus Pai, o Criador,
É dono da vida e do Ser,
Refúgio da Humanidade
A quem faz por merecer.

Sensibilidade e ternura,
Dedicação, fé e amor,
Para fazer parte da arte,
Ser poeta escritor.

Lembrei-me do poeta, meu pai,
E das histórias do meu avô,
Nesse dia especial,
Que lembra o Escritor.

Homem dotado de inteligência,
Abençoado pelo Senhor,
Inspirado pela Natureza,
Para ser na vida Escritor.

Quem trabalha tem na vida
Frutos do trabalho e louvor.
Desejo Paz, Saúde e Alegria
No Dia do Escritor!

Cabedelo/PB



26.
EN BUSCA DEL NIDO
© Gloria Dávila Espinoza


Dos avecillas surcarán el azul cielo
han de ir en busca del nido prometido
No habrá pichones en ella aun
Apenas dos corazones
en busca de compañía
el horizonte genuino se ha de abrir
y sus sueños serán amplios jirones.
Volarán las aves,
meneando el pico al sol
sus historias serán un mundo que contar
cantarán en la rama, o quizá en ningún lado
las ramas de los árboles de este lado
la extrañará, mientras la luna plateada
sea un ancho mar de escarlata.

Tingo María, 27 de julio del 2016.



27.
" As águas da chuva "
Angela Torino


A chuva lavou o capim
que escondeu o jasmim
que desabrochou...

A chuva lavou o luar
que escondeu um segredo
guardado em mim...

A chuva lavou a roseira
que espalhou suas pétalas
pela corredeira...

A chuva lavou a andorinha
que escorregou no fio
e acabou sozinha...

A chuva lavou o Canarinho
que chorou de frio
E voltou pro ninho...

A chuva lavou as estrelas
que pediu ao sol
para reacende-las.

A chuva lavou meus olhos
Que de tanto olhar-te
incendiou-me os poros...

A chuva lavou as letras
que desenhou seu nome
nas borboletas...

A chuva lavou os ventos
que levou prá longe
meus pensamentos...

Itamonte/MG



28.
Amor e Sonhos
Neneca Barbosa


O som calmo da chuva chega sussurrando
Palavras doces que suavizam meu coração
Incentiva-me para prosseguir sonhando
Por um mundo melhor, sem guerra, sem ilusão.

Quero caminhar acreditando no amor
Pegar uma estrela com a concha da mão
Sentir o seu brilho no meu interior
Deixar correr livre minha imaginação.

Quero saciar a sede com água cristalina
Que jorra da fonte como o néctar da flor
Sentir no meu corpo os pingos da neblina
Eximindo as mazelas oriundas da dor.

Nas notas do amor está a melodia do vento
Que oscula meu rosto em forma de poesia
Penetra no Ser como sutil alimento
Aconchegando minha alma com paz e alegria.

Ah, os sonhos! Estes dão sentido à vida
Levam-me também a recordar o passado
Dos momentos bons e da saudade sentida
Daqueles sonhos que não foram realizados.

João Pessoa/PB



29.
Fonte Inesgotável
José Otoniel


Beber a água desta fonte, vinda de ti
É uma água saborosa, mas não mata
A sede!...
Fico sempre sedento, e volto à fonte ir
Bebo dela todo dia, e não me satisfaço
Apesar de sentir o bom gosto a natureza
Me pede
Beber procurar sempre, pois, não
acho
A maneira de não mais ir, e a me
Saciar
Porque a água vinda desta tua fonte
Tem um outro nome, que chama-se
Amor!
Quanto mais bebo é o quanto te amo
É por isso que fico sempre a ter a mesma
Sede!...
Portanto, entendi, quanto mais beber, amar
Fico sempre, com vontade de sentir
Teu inesgotável e insaciável sabor!

Jandira/SP



30.
Veio do Céu
José Otoniel


Sob a luz bem clara do luar e o vento solto às pastagens
Ao longe vi uma linda imagem igual fosse uma miragem
Estava de mim se aproximando e revelando seu encanto
Ficando eu ja emocionado em estar a lhe admirar tanto
Pude ver aquele momento ser de grande revelação
Porque já observei do seu rosto um sorriso no semblante
Que mais transparecia a alegria de um palpitante coração
Ansioso por querer amar a partir daquele exato instante

Aos poucos fui me convencendo em demonstrar interesse
Em apresentar-me a ela com respeito a ordem recebesse
Dela me aproximar pretendendo lhe declarar fiel
Ser seu admirador e sentir o perfume igual ao de uma flor
Imaginando que fosse seu beijo tão doce, igual ao puro mel
Somente de bem próximo dela estar, vi quão o seu esplendor!
Era como o botão daquelas vermelhas rosas dos lábios a cor
Daí observei serem suas vestes brancas como as nuvens do céu!

Jandira/SP



31.
Bombeiros!
Regina Kreft


Por Deus escolhidos para salvar vidas
Fé, coragem, o amor ao próximo dedicar
Todo tipo de situações enfrentar!

Apenas para uma vida ou várias salvar,
sejam pessoas, animais, o verbo é doar!
Gritos de socorro, o sacerdote da vida lá está!

Salvando pessoas pobres, ricas, fortes ou indefesas!
Ser Bombeiro é manter a chama da vida acesa!

Joinvile/SC



32.
Bombeiros
Nena Sarti


Nasceram com o dom
Mandado por Deus
Ajudar, estar presente, salvar.
De dia e de noite
Sem escolher a hora,
Ele está disposto embora
A família fique só.
Ético, correto, corajoso,
Já trazem em seu bojo
A bondade para entregar.

Campo Grande/MS.

33.
O bombeiro e seus pais
Carlos Reinaldo


O Ricardo era bombeiro,
e muitas vidas salvou,
foi sempre muito ordeiro
e no trabalho brilhou.

Sua coragem grandiosa,
era maior que o perigo
e mesmo a morte ardilosa,
nele não tinha abrigo.

Porém, num dia fatal,
Ricardo então foi chamado,
para salvar um casal,
num velho rancho alagado.

Venceu as águas, com dores,
e os dois idosos salvou,
ao longe ouvia os clamores
e deles se aproximou.

Ao longe, ouviu os clamores
e deles se aproximou,
venceu as águas, com dores,
e os dois idosos salvou.

Cons. Lafaiety/MG



ENCERRAMENTO E AGRADECIMENTOS

Em detrimento de juntar palavras, para ser grato à participação de Confrades e Confreiras da CAPPAZ, junto-me nessas linhas. O encerramento dessa Ciranda de Julho versa em duas fontes inspiradoras, ambas de vasta amplitude. Tanto a temática livre, como o tema – Bombeiros – representam inumeráveis possibilidades de versar ou artesonar outras didáticas artísticas. Nesta Ciranda, que se encontra na octogésima nona edição, elenca-se muito apropriadamente a junção das asas voantes da poesia.
O pássaro voa através da arte, em seus contextos variados, representados em nossa Confraria. Nesse exercício, sublima-se o bater de asas na direção de horizontes diversos. Os artistas inapelavelmente seguem em voo, na agradável luta de expressar-se e ir renascendo a cada dia, a cada chama renovadora da Fênix. Os versos tomam voz, iluminam-se dançando nas tintas efêmeras da vida e desenham-se, como se cada gesto soprado das artes, pudesse ser um sino badalando o amor.

Odilon Machado de Lourenço
Confrade Efetivo
Seccional Porto Alegre/RS



SELO DE PARTICIPAÇÃO





MÚSICA DE FUNDO

Hino do Corpo de Bombeiros do Estado de Santa Catarina
Letra: Major PM Francisco de Assis Vitovski
Música: Capitão PM Músico Osmildo Delvan

I
Sempre alerta, no dia ou na noite,
Sem cansaço, sem medo ou temor,
Para lutar contra o fogo e a morte
Ou vidas salvar com vigor,
E do fogo uma chama colhemos,
Para nós a fazendo passar,
Pois assim é que sempre podemos
Nossa luz da razão avivar

Somos nós os bombeiros heróicos
Protetores de imenso valor,
Nossos braços levam a segurança
Nosso peito coragem e ardor

II
Prevenir é a nossa missão,
Se o incêndio, ou perigo irromper
Não tememos sua ira ou ação
Para o alheio poder defender,
Se servir nossa Pátria querida
E o seus filhos no afã proteger,
Foi o lema abraçado à lida,
Jamais vai nosso irmão perecer;

Somos nós os bombeiros heróicos
Protetores de imenso valor,
Nossos braços levam a segurança
Nosso peito coragem e ardor










|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||



Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Fotos de domínio público retiradas dos seguintes sites:
Bombeiro salvando cachorro: http://misteriosdomundo.org
Bombeiro salvando bebe: https://catracalivre.com.br
Incêndio na Floresta: http://diariodigital.sapo.pt
Resgate em escombros: Kimimasa Mayama (EPA) - http://www.jn.pt
Salvamento no mar: http://noticias.band.uol.com.br
Acidente de trânsito: http://www.correiodoestado.com.br
Todos os direitos reservados.