ABERTURA

Bom dia, caros confrades e confreiras!

Setembro chegou.

É tempo de reiniciarmos nosso Encontro Mensal Virtual CAPPAZ.

Continuemos com o propósito de sempre promover a PAZ, o BEM, a Harmonia e a Preservação da Natureza, tão necessários aos homens e aos animais.

O povo brasileiro, também, está carente de afeto.

Através da palavra, poderemos manifestar nosso desejo de PAZ e de manutenção da vida na nossa amada Mãe Terra.

Desejamos a todos genuínas inspirações para ambos os temas.

A CAPPAZ agradece sua gentil colaboração.

Diná Fernandes
Coordenadora das cirandas



INTRODUÇÃO

Confrades, Confreiras CAPPAZES: Paz e BEM!

Estendo-lhes as mãos, num gesto de unificação onde todos nós, de mãos dadas, vamos circundar o mapa brasileiro, abrangendo todos os Estados Federativos e cidades, nessa corrente poética, fraternal, que iluminará o nosso país com diversas cores: verde, branco, azul, amarelo... formando, dessa forma, um arco íris de amor: A 91ª CIRANDA MENSAL CAPPAZ.

Sua participação é primordial, seja em verso ou prosa. Escolha o seu estilo poético, mas não deixe de nos dar as mãos, para que possamos abraçar o nosso Brasil brasileiro.
Vamos hastear as bandeiras Brasileira e CAPPAZ e, à proporção que hastearmos estes símbolos maravilhosos de Paz e Bem, eles se movimentarão ao bel prazer dos ventos suaves, que todos nós produziremos, com ternura e amor.

O convite está feito, nos dê a sua mão, mão que produz poesia, conto, história... e que, com certeza, nos brindará com muitas alegrias, neste mês de setembro de 2016. Sabem por quê?

Por que “SOU BRASIL - SOU PAZ E BEM!”

Deomídio Macêdo
Presidente Regional Bahia

PARTICIPANTES

CIRANDA TEMÁTICA


01- Aila Maria Brito (08)
02- dinapoetisadapaz (01)
03- Eda Bridi (09)
04- Fernando Alberto Salinas Couto (07)
05- Gilboé Mendes (06)
06- Joyce Lima Krischke (02)
07- Oneide Marques (04)
08- Varenka de Fátima Araújo (05)
09- Vera Passos (03)




TEMA LIVRE

01- Andrade Jorge (06)
02- Celeste Farias (12)
03- Celso Corrêa de Freitas (02)
04- Conceição Castro (15)
05- dinapoetisadapaz (18)
06- Eloísa Antunes Maciel (09 e 19)
07- Fernando A. Couto (16)
08- Gracita Fraga (22)
09- J. J. Oliveira Gonçalves (05)
10- Josimar Cardoso (08)
11- Joyce Lu@zul (21)
12- Leandro Flores (11)
13- Lua Andrade (13)
14- Marcelo de Oliveira Souza (03)
15- Nena Sarti (04)
16- Neneca Barbosa (14)
17- Odilon Machado (07 e 20)
18- Valter Bitencourt (01)
19- Vera Passos (10)
20- Wellington Costa (17)

CIRANDA TEMÁTICA

01.
Meu Brasil Verde e Amarelo
dinapoetisadapaz


Meu Brasil, meu País
País verde e amarelo
Sou brasileira e sou feliz
Mesmo com pesadelos

Essa Terra tão rica e bela
Pelo homem desamada
Quisera fosse balela
O caos que vive a Pátria amada

Sete de setembro dia da Independência
Nossa Pátria está ferida, falta civismo
Temos de sobra a violência
Morreu o patriotismo?

Brasileiro é um persistente
Dos bons tempos é saudoso
Clama a Deus constantemente
Por um Brasil harmonioso

Várzea/PB



02.
Sou Brasil... Sou Paz e Bem
Joyce Lima Krischke


Sou Brasil que diz ”Che”, “óh xente”,
Come feijão com cachorro quente.
Brasil... Brasília dia a dia...
Pátria, que canto com alegria.
Brasil da magra poupança,
Da inflação que avança.
Brasil das vaias e aplausos...
Daqueles que contam “causos”
Brasil dos irmãos Andradas,
Do futebol e pedaladas.
Brasil – seu povo clama e grita
E, não ouve o trem que apita.
Brasil - daquele que tem fome,
Outros mandam em seu nome.
Brasil muda sua imagem...
Tem gente tirando vantagem!

Ah, enfim, Sou Brasil, também,
Sentindo que Sou Paz e Bem.

Balneário Camboriu/SC- setembro-2016



03.
O BRASIL é lindo!
Vera Passos


Nosso País é lindo e rico, tem tudo que precisamos ter,
Carecemos de um olhar atento, um sentimento de querer ver.
As matas são tão verdes! As águas tão raras!
Uma imensidão de cores, tantos frutos! Diversos sabores!
Há lugar para todos nós, continental sua extensão,
Porque viver amontoado, como lata no engradado?
Porque tamanha intolerância? Não somos a guerra
Ainda que discorde, não há motivo, nem razão.
Somos cosmopolitas, gente tão bonita!
Cabelos coloridos, encaracolados, lisos...
Somos negros, brancos, amarelos...
De todo povo, uma fração.
Somos das mais variadas descendências
Resultando a miscigenação.
Gente pacífica, laboriosa, conscienciosa...
É a maioria da população.
Gente de luz, de fé, do bem, de ação...
Somos todos irmãos, somos uma Grande Nação,
Brasileiros fortes, da Caatinga ao prado
Do Litoral ao Planalto, seja Sul ou Norte
Somos livres, abaixo a segregação.

Salvador/BA



04.
7 de setembro - Somos Brasil
Oneide Marques




Balneário Camboriú/SC



05.
Sou Brasil
Varenka de Fátima Araújo


Brasil garboso dos meus amores
Canta a flora, fauna, nesta vasta imensidão
O céu cintila em constelação harmoniosa
Nas nuvens um branco em volta da paz
O amor da Pátria une um povo pacífico
Sim: aqui fiquemos, no Brasil simplório, riquíssimo
Com um solo fertilíssimo, predominando o verde
O nosso ouro vale muito pelo velho e novo mundo
E o sossego nesta vida quero em nossa terra
Chamas de puro amor por meus irmãos brasileiros.

Salvador/BA



06.
Gilboé Mendes




Balneário Camboriú/SC



07.
Á Minha Pátria
Fernando Alberto Salinas Couto


Mesmo quando falta inspiração
é impossível conter a emoção
diante da história desta nação.

Diante de um formoso pavilhão,
vendo tremular a nossa bandeira,
sentimento mais forte não há.
Não só vejo perfilado o batalhão,
como lembro que temos palmeiras,
onde canta o sabiá...

Nessa bandeira, o verde e o amarelo,
o branco e o azul no coração.
De outra cor até tentaram fazê-lo,
mas foi horrível a sensação,
como se revivêssemos a escravidão
e patriotas jamais irão deixa-lo.

País de solo fértil e povo varonil
que, para sempre, eu hei de amar...
Por tua dignidade, hei de lutar,
ó amado e inigualável Brasil.

Rio Janeiro/RJ - 06/09/16



08.
Fiel Brasileiro
Aila Maria Brito


Há dias em que o céu escurece,
Há outro, porém, tão brilhante;
Ressurge após uma prece,
Tal brilho feito um diamante;

E aquece um riso faceiro,
Mandando a tristeza pra lá;
Sou assim... Fiel brasileiro...
E canto o melhor do lugar.

Vou driblando a “dona tristeza”,
Insistindo votos de paz,
Alegria em total realeza;

Rimando amores também...
Seguindo essa luz sou CAP(P)AZ
Sou BRASIL... Eu sou PAZ e BEM!

Cocal/PI



09.
Sou Brasil, Sou Paz e Bem
Eda Bridi


Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste! / Criança! Não verás nenhum país como este!
Assistia ao desfile da Pátria que se realizava pela principal avenida, ornamentada nas cores verde, amarelo, azul e branco, na pequena cidade de Sobradinho, na região Centro Serra - coração do Rio Grande do Sul - quando manifestações de civismo, envolvendo um universo de crianças e jovens, trouxeram-me à mente, e com emoção, a poesia “A Pátria” de Olavo Bilac, tantas vezes declamada na minha infância.
Da quadra “Altos da Matriz”, as sirenes dos carros dos Bombeiros Voluntários soaram como um chamado de “Paz e Bem”, dando início ao desfile que, sob aplausos de um grande público, foi apoteótico por tudo o que comemorou o “7 de Setembro”.
Amor à Pátria foi o sentimento que uniu todos quantos se encontravam na avenida, não obstante a crise econômica e política do país. Somos Paz e Bem! Nos versos de Olavo Bilac, a esperança do povo brasileiro: Vê que grande extensão de matas, onde impera/ Fecunda e luminosa, a eterna primavera!
O “Verde e Amarelo”, “O azul e Branco” estão em minha vida, desde que eu cursava o 1°ano primário. No desfile da Semana da Pátria, pela mesma avenida que ainda não era calçada, eu portava uma cestinha de vime com verduras e legumes que minha mãe cultivava em sua horta, compondo o pelotão sobre a boa alimentação. E ao cantarmos o Hino Nacional, no hasteamento da Bandeira, colocávamos a mão no coração. Gesto de amor que pode ser interpretado: “Sou Brasil. Sou Paz e Bem”. Patrióticas lembranças!

Sobradinho/RS



TEMA LIVRE

01.
Paz
Valter Bitencourt


Paz em vez de violência
Neste mundo necessitado de amor.
Compaixão, misericórdia entre
Os irmãos, que sejamos recíprocos,
Assim como o dia com a natureza,
O sol com as plantas.
Que sejamos unidos como as formigas
A trabalharem juntas.
Que tenhamos paciência
Para com as cigarras,
Que cantam em plena manhã,
A nos despertar.
Paz em vez de guerra,
Neste mundo necessitado de solidariedade,
Onde precisamos estender a mão
Para o outro, e abraçá-lo,
Em vez de oprimi-lo, massacrá-lo,
Batê-lo, executá-lo...
- Obedecendo a ordem do estado.
Paz, paz para os países em guerra:
- Paz para a Síria, paz para a Palestina, paz para a Índia,
E muitos outros países
Necessitados de paz, amor,
Compaixão, misericórdia, solidariedade...
- Chega de massacre social,
O povo não merece viver
Como refugiados, da sua
Própria nação.
Paz, paz entre as famílias,
Entre os irmãos, entre os amigos,
Entre a comunidade,
Paz para o mundo, paz, tudo
Pede paz.

Salvador/BA



02.
Paraolimpíadas
Celso Corrêa de Freitas


Os jogos olímpicos passando
Novos atletas chegam agora
Com a força que neles vigora
Guerreiros aqui desembarcando.

Bravos atletas paraolímpicos
No melhor momento de suas vidas
Disputando provas aguerridas
Mostrando espíritos cívicos.

No peito do herói brasileiro
Uma medalha surge brilhante
Muito mais que no do estrangeiro.

Eis nossa bandeira tremulando
Aos olhos do mundo por inteiro
Eis o nosso Brasil se impondo.

Praia Grande/SP



03.
Sonho de Sete de Setembro
Marcelo de Oliveira Souza


Glorifiquemos a Independência
com orgulho e satisfação
Um País gigante, de influência
Formador de opinião.
Políticos de sapiência
Que ama o povo e a educação
Exaltando nossa bandeira
Símbolo da Nação!
A virtude da igualdade
Em cada segmento
A saúde com récorde de desenvolvimento
Curando a ferida aberta sem sofrimento.
Respeito mutuo e contentamento
Uma grande virada
no nível de vida
Bloqueando os ressentimentos.
O Brasil que é campeão
Não só no futebol
Que era homenageado e gritado
Por desempregados e desdentados.
Celeiro do mundo
Exportador de Tecnologia
O Brasil potente
Cheio de alegria.

Acorde ! é só hoje que podemos sonhar
Amanhã tudo permanece igual!

Hoje é uma data importante para refletirmos se realmente somos independentes, com essa miséria assolando, corrupção, roubo, injustiça social e subserviência às grandes potências.

Independência ou Morte!!!!!!!!!!!!!!!!!

Salvador/BA



04.
Fome
Nena Sarti


Pai,
Temos fome,
Tanta, tanta...
Fome do saber,
Da ventura,
Da comida,
Da fé!
Exterminam-se milhões
Pela fome do
Poder!
BRASIL,
Emaranhado de raízes,
Com fome
De justiça!

Campo Grande/MS.



05.
Verde-e-Amarela Liberdade!
J.J. Oliveira Gonçalves


Bandeira, és a Pátria elevada
No mastro deste Alma Brasileira!
Metáfora da Terra Abençoada
Da qual Aparecida é a Padroeira!

Do verso és a Rima Inusitada
Sonora feito o som da cachoeira!
Aos que te traem, Bandeira, não és nada
Que esses têm a alma sorrateira!

A cada 19 de Novembro
Guri eu aprendi – e bem me lembro:
É Dia da Bandeira – que Saudade!

Saudade que me faz cantar no verso:
Um dia, Soberana ante o Universo,
Serás Verde-e-Amarela Liberdade!

Porto Alegre/RS



06.
A PAZ
Andrade Jorge


___ Pai Celestial, Senhor do Universo, Criador do céu e da terra, por quê me criaste? Acaso criaste-me para ser desprezada e humilhada? Passei por muitos castigos na minha jornada, mas segui adiante, contudo fracassei na minha missão. O que sou afinal?
E prostrando-se ao chão, quedou silente. E assim ficou, até que no céu um estrondo fenomenal agita as nuvens, parece que o firmamento funde-se com a terra. Ecoa no ar o som de trombetas divinais, e um facho de luz com matizes jamais vistas a envolve. De repente tudo se aquieta, o silêncio divinal. E ela ouve o Criador:
___ "Filha amada não te criei para as agruras. Não te criei para o desprezo e humilhação, mas terá esse desígnio em teu caminho, porque dei o livre arbítrio ao seres da Terra. Tens a essência do bem que há de reinar sobre o mal. Não te foi imposta provações e castigos na tua viagem, na verdade os elementos foram teus benfeitores, segundo a própria natureza de cada um, assim os grãos de areia movidos pelo vento não te açoitaram, mas lapidaram a joia rara que és, e burilaram o brilho da tua luz; As águas dos Oceanos e Mares não se revoltaram contra ti, renovaram teu espírito; Os raios que te atingiram eram a energização que necessitavas e as águas da chuva lavaram tua alma translúcida. Os vulcões do Planeta não demonstraram ira, incandesceram tua luz para torná-la mais forte. A Fauna e Flora ofereceram descanso. Tudo fizeram para que pudesses bem cumprir tua missão. Tudo fizeram para que pudesses enfrentar o mais terrível dos animais: o Homem. E no meio do caos, guerras, conflitos, quando sucumbias milhares tombavam contigo, quando te elevavas centenas de milhares eram salvos. Conseguistes plantar no seio dos povos as sementes da Harmonia e Equilíbrio. O teu destino será perenemente este ir e vir, e por milênios continuaras, porque és a minha eterna e sagrada PAZ”

Diadema/SP



07.
Independência para quem?
Odilon Machado


Volta e meia eu falo com o Brasil
Sabe, aquela conversa com o íntimo do país da incompreensão
Por vezes falava no Sul sobre cousas do Sul e do Norte
Mas o Brasil com sua cabeça lá no Oiapoque não ouvia meus dizeres
Na verdade parece que esse extremo perdeu o status de extremo
Eu só caminhei algumas vezes no Chuí, pouco sei do Norte
Eu e o Brasil vamos nos conhecendo
Olhando-se nos olhos um do outro
Existe tanta gente por aí nessas estradas
Tantos sotaques, tantos brasileiros
Alguns caminham seus passos prudentes
Outros nem tanto, não é mesmo Brasil?
Quanta gente aí nem sabem dos direitos perdidos durante a olimpíada
Imagina se esse povo todo soubesse das coisas que você deve dar?
A Constituição além da palavra Constituição
O que você dá querido Brasil não tem chegado para o analfabeto que
acha que você o esqueceu
Lembras do Zé?
Ele não sabe que deve cobrar educação digna, saúde para seu sorriso e
demais partes do corpo
Brasil! Alguém está segurando uma peneira
Alguém que não ama o bom brasileiro que me olha nos olhos.

Maceió/AL



08.
O Predador da Natureza
Josimar Cardoso


Quando uma árvore é derrubada
Uma vida vegetal se acaba
Uma flor deixa de desabrochar
Um fruto não mais amadurecerá.

Quando se queima uma floresta
Diminui-se o oxigênio da humanidade
É a cinza apenas que resta
E pode destruir também uma comunidade.

Quando o fogo se alastra mata afora
O homem consciente outras vidas ignora
Animais diversos ficam em teto agora
Deixando para trás seu habitar natural de outrora.

E o desequilíbrio da biodiversidade
Torna-se um problema nacional
Porque a ambição do homem na verdade
Competem com florestas, seus habitantes de forma desigual.

Infelizmente o homem como do mundo é seu maior predador
Tão impiedoso que não há um outro igual
Destrói em ao menos sentir remorsos e dor
Porque age e destrói tudo que vê à sua frente de forma racional.

Como o mundo poderá celebrar a paz e o amor
Se o homem luta apenas para ter nas mãos o poder
De forma fria, calculista e sem sentimento de dor
Por acreditar que assim é que se deve ser.

Até que haja uma consciência de sentimentos
Para que se preservem nossas riquezas naturais
Os verdes das matas vão ficando cinzentos
E a humanidade indefesa ficando pobre cada vez mais.

Cabedelo/PB



09.
Setembro em canção…
Eloisa Antunes Maciel


Setembro promete
Sutil variação…
No ar “arremete”
Poema e canção…

Relembra da História
Um gesto bravio…
Um feito de glória
À margem de um rio…

E as dores da Vida
Vai amenizar…
A chance perdida
Vai recompensar…

No sul brasileiro
Revive a versão
um “grito guerreiro”
De plena emoção…

Contempla a esperança,
De mil primaveras…
Saúda a pujança
Que é feita de esperas…

São Martinho da Serra/RS



10.
Vem Primavera!
Vera Passos


Vem Primavera!
Que a gente te espera
Cheinha de flores, perfumes e amores.

Vem e traz a alegria.
Eu ando cansada das dores
Vem colorida, traz margaridas
Mostra que a vida é simples e linda
Vem Primavera!
Com flores e abelhas
Vem doce de mel
Enfeita a Terra e recria meu céu.
Vem Primavera!
Que a gente te espera
E tenho a certeza que tua beleza
Espanta a tristeza e nos livra do fel
Vem Primavera!

Salvador/BA



11.
*O cara que eu amei
Leandro Flores




Já chegou fazendo barulho.
Mudando tudo.
O que era só meu agora era nosso: meu e dele.
Na verdade, mais dele do que meu.
Mas mesmo assim eu o amei.

Obrigava-me a trabalhar feito louco.
Muitas vezes até deixando de comer para sustentá-lo,
Enquanto ele apenas ficava em casa dormindo.
Ou gozando da vida que eu não tinha.
Ainda assim eu o amei muito.

Dormia com a minha mulher todas as noites.
E pior: com o meu consentimento.
Dizia que a amava.
E que era só dele.
Até brigava quando eu tentava disputá-la consigo.
E assim mesmo eu o amei.

Amei-o desde o útero da sua mãe, até quando se foi.
E ainda o amo.
A cada dia o sinto por aqui ainda,
Correndo pelos cantos da casa, fazendo mil e uma “malinesa”.
Derrubando o abajur, quebrando os vasos de louças,
Bagunçando os meus cabelos já penteados...

E sempre com um sorriso criminoso de quem era inocente...
Não, aquele sujeitinho era folgado mesmo!
Era só dar bobeira e ele aprontava alguma.
Seu jeito ingênuo e alheio ao mundo nunca o denunciava.
E qualquer “crime”, por mais sórdido que fosse eu sempre o perdoava.
Porque o amava muito.

Tenho orgulho, meu filho, em dizer que você existiu.

Deus deve estar orgulhoso de você também,
Apesar das bagunças que você anda fazendo aí no céu.
Seja um bom menino, viu!
Papai te ama!

* Homenagem ao filho do autor.

Belo Horizonte/BH



12.
Sabarabuçu
Celeste Farias


No passado, lenda
Hoje realidade,
Realeza e escravatura,
Gritos e cânticos,
Sofrimentos e fé,
Manifesta-se em vale.

Subo as montanhas,
Desço as lembranças,
Fixada nos ouros
Das paredes e dos tetos,
Em meio à extravagância
Cultuo-te e choro.

Bebo as lágrimas
Dos negros, santos,
Olhos fecham,
Ouvidos sentem,
Beleza e pranto,
Fábula? Verdade?
Da empáfia humana,
Do Barroco ao Rococó,
Hoje uma lindeza
E guardada está,
Entre o Rio das Velhas
e o Rio Sabará.

Belo Horizonte/BH



13.
PAZ
Lua Andrade


O que é a paz, perguntei-me.
- “estar quieta, serena, em silêncio”.
A resposta veio pronta.
E onde é que encontro essa quietude? Essa serenidade e esse silêncio?
- “dentro de você” - novamente a resposta rápida
Dentro de mim?!
Dentro de mim!
Quietude é algo que deixei de ter ao sair do ventre materno e desconheço-a desde então.
Quase havia esquecido ela, a não ser por agora.
Serenidade, essa conheço!
Mas, dizer que trilha esta jornada comigo... Seria exagero! Posso recorrer ao fato de que me visita, com uma frequência regular, porém despede-se rapidamente, quando a tempestuosidade chega... Especulo que não se deem bem!
Silêncio. Esse é um velho conhecido! Não mora comigo, porque seria um paradoxo ultrajante, visto que sou em essência, um ser a um passo do infinito, brusco e intrinsecamente “adrenal tico", pois a irrequietude me envolve em seus braços, me embala e se apossa de meu corpo, num frenesi irresistível!
Onde habitas, ó paz, dentro de mim?
Onde se escondes dentro de minhas entranhas?
Talvez a esteja procurando onde não se acha talvez não a encontre nesta busca e, talvez, precise conectar meus pensamentos à reflexão, fatigar- me dia a dia na meditação.
Que minha alma suporte tal provação.

Jundiaí/SP



14.
Setembro Primaveril
Neneca Barbosa


Chega a nova estação com ar primaveril
Flores formam caramanchões sobre as sacadas
Momentos que exalam um aroma sutil
Espalhando a essência da nova florada.

Borboletas fazem festa por sobre as flores
Agradecem a Natureza por se doar
São seres alados tão belos em suas cores.
Beijam as pétalas e continuam a voar.

No calor da ternura reverencio a primavera
Numa busca constante, sou sonho, sou poesia
Entoo, com alegria, canções de uma bela era
Ouvindo os pássaros na alvorada de cada dia.

Nas asas da esperança sigo meu caminho
Os meus olhos vislumbram brancas margaridas
Que saúdam as manhãs de setembro com carinho
Bate em mim a saudade das lembranças vividas.

João Pessoa/PB



15.
Perguntas
Conceição Castro


E um amigo veio me perguntar
Se eu sabia
como por amor
não chorar...
Falei pra ele que sentimento é como tela
Faz-se a pintura que se quer
Com as tintas que se deseja
Não se ama quem é
Mas quem sequer
que seja
O amor é invenção
Que quando quente, apelida-se paixão
O amor é um fio de cabelo gaiato
Que não para no lugar
Sujeita-se a ventos atrevidos
Que lhe jogam pra lá e pra cá
Ele então me questionou se eu não acredito no amor
Assegurei-lhe que acredito
,tanto o quanto acredito em mim
Eu também como ele
ando sem saber
onde é o fim...
Encostando-me na parede fria
para ver se eu parava de em vão filosofar
ele queria uma resposta objetiva
sobre essa coisa do amar
Esse amigo então me perguntou
E o amor de mãe, também é invenção?
Parei séria e então lhe respondi:
Essa tela é tão perfeita e sagrada
Que só nos cabe agradecer
Que ela já venha pintada
Não por nós, débeis de coração,
Mas por ele, o REI da Criação

Salvador/BA



16.
Vai Solidão
Fernando A. Couto


Vai pra bem longe, solidão,
Pois não te quero perto...
Quero bem distante de mim
Te exonero sem dar perdão
E peço de coração aberto,
Não contamine meu jardim.

Jardim só de flores minhas
Que fascinam o meu viver
Impregnado de pura paixão.
Flores que não vivem sozinhas,
Como para meu enternecer
Desejo-te distante, ó solidão.

Vai e não se apresente jamais,
Pois tu és sinônimo de dor,
De insuportável vazio interno,
Pois se ainda ouve os meus ais
Sabes que só preciso de um amor
Que me seja presente e eterno.

Rio Janeiro/RJ



17.
Para amar tem que sofrer
Wellington Costa


Assim como uma nuvem que se esvai
Embriagada pela brisa da noite
Minha alegria vagarosamente partia;
Silenciosa, triste e solitária
Com força meu peito machucava
Feito uma estrela que não mais brilhava
Porque no infinito explodia.
Sentei diante de uma mesa
Pensando em regurgitar sobre o papel
A dor que maltratava e me envolvia
Feito metástase fria
Devorava-me o desgosto
Excluindo o sorriso do rosto
Entristecendo-me em demasia.
Para entender o desatino desta rima
Não é preciso ser poeta importante
Doutor em rimas, métricas e versos,
Basta saber o que é dor de morrer
E morrer assim, bem devagar,
Sofrendo só por amar
Porque para amar tem que sofrer.

Cabedelo/PB



18.
Fantasia
dinapoetisadapaz


A fantasia brinca com meus sentimentos,
incendeia meu pensamento,
joga-me nos ombros a capa de poeta
e crio histórias não vividas,
sofro sem causas,
amo sem ter amor,
perco de vista algumas coisas,
vislumbro novas paisagens,
canto canção para o vento,
tenho na tristeza uma mestra
que me convida à leitura,
a inspiração se achega e
meu cérebro fica meio aquarela.
Sem me dar conta entro para o mundo da ficção.
Gosto deste trabalho de invenção...!

Várzea/PB



19.
Prece do Velho Guasca
Eloisa Antunes Maciel


Manoelito Carreteiro
Cujo nome verdadeiro
Era Manoel da Silveira,
Carreteara vida afora,
Mas envelhecido ora,
Debruçado na porteira…

E nessa prece aragana,
Lembrava a lida pampeana,
Sua vida revivia…
O seu filho - muito amado -
Já havia se casado,
E um neto lhe daria…

E esse neto desejado
Foi alvo privilegiado
Da prece que proferia…
Manoelito – concentrado -
Caprichava o palavreado,
E a Deus se dirigia:

__Meu Senhor das invernadas,
Do Universo e suas moradas,
Protegei meu descendente…
Que ele seja um bom gaúcho,
E que aguente o tal repuxo
Da maldade persistente…

Que mantenha em sua vida,
Nos labores de sua lida,
A sua fibra de valente…
Que ele preze a honestidade,
E as virtudes da humildade,
E a vergonha na cara…

Pois, Senhor, eu reconheço
Que a vergonha não tem preço,
Que agora é coisa rara…
Finalmente eu te agradeço
Pelo grande bem sem preço:
Meu neto que vai nascer…

Aceita,Pai, esta prece
Do guasca que te agradece
Sem nada a Te oferecer…
E assim, agradecido,
Eu prometo, comovido,
Teu amparo merecer…

São Martinho da Serra/RS - setembro/2016.



20.
Árvore de flores (Para Saunauá)
Odilon Machado


Árvore pequenina seu nome é uma flor
Jovem menina que flor você é?
É flor de ipê-roxo ou flor de ameixeira?
Pequena menina que flor queres ser?
Talvez flor de tuna lá do sertão?
Flor de macieira, laranjeira ou jambolão?
Quem sabe flor de limeira, cajueiro ou formar-se limão
Possuir muito brilho, cores lindíssimas e ter lá no
fundo o pólen da flor
Flor das mais belas nos galhos da árvore
Galhos folhosos, espinhosos ou não, mas cheios de flores
Lindezas que afloram no inverno, primavera e verão
No outono também, mas as folhas se vão
Ficando só galhos brotando do chão.

Maceió/AL



21.
Primavera e Vida
Joyce-Lu@zul


Ah, primavera, chegou sua hora!
Primavera vem aos poetas inspirar
Poemas... Canções a embalar...
Sim, a poesia da vida flui agora.

Eterna melodia do coração!
Pássaros e animais a festejar...
Ela com suas flores a perfumar.
Quando vem, recebe nossa saudação.

Quando se vai, deixa-nos seu odor,
Pra lembrar que retornará um dia...
Ao voltar semeará vida e poesia
Momento dos poemas de amor!

Deixará saudades por onde passar...
Primavera: Volátil tempo de vida!
Vida pode, em breve, ser perdida.
Primavera e Vida: Tempo de amar...

Balneário Camboriú/SC



22.
Queremos paz
Gracita Fraga


"A paz começa com a disposição
para o AMOR sem PRECONCEITO"

Venho falar de amor o sentimento nobre que existe em cada coração
O sentimento que comunga a universalização entre as nações
Difícil é vivenciá-lo em toda a sua plenitude
Já que estamos acorrentados a preconceitos enraizados de orgulho e vaidade.

O mundo precisa de paz, disponha-se a perdoar e ser perdoado
Seja despojado dispa-se dos sentimentos impuros que causam dor e sofrimento
Encha seu coração de júbilo doando amor, carinho e solidariedade
Comungue apenas a verdade
Faça uma singela oração e ponha a paz em seu coração.

Queremos paz! Oferecemos amor!
Vamos construir um planeta cheio de cor livre de desamor
Onde não haja preconceito de nenhuma raça ou cor"

João Monlevade/MG

(Convidada especial da confreira Diná Fernandes Coordenadora Nacional das Cirandas)











|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||
Arte Joyce Lima Krischke
Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados