INTRODUÇÃO

“O Dia Mundial da Saudação é comemorado no dia 21 de Novembro em aproximadamente 180 países.”

“Este dia tem como objetivo celebrar a importância de uma saudação na preservação da paz.”

“O ato de saudar ou cumprimentar outra pessoa tem um forte significado e é capaz de apaziguar conflitos e criar ambientes saudáveis.”

“O Dia Mundial da Saudação (World Hello Day, em ingles) foi criado em 1973, por Brian McCormack e Michael McCormack, como uma resposta ao conflito entre o Egito e Israel.”

Convidamos todos os membros da CAPPAZ, inclusive os de outras categorias, além dos escritores, para marcar presença nesta Ciranda, com suas saudações (curtas), dirigidas para até cinco pessoas, cada um. Inclusive, poderão enviar mensagens para líderes mundiais, sugerindo-os a tomar decisões e medidas pacíficas para a solução de conflitos. Cada membro da CAPPAZ, nesta Ciranda, que tem características especiais, poderá utilizar até 20 linhas, no máximo, para o total de suas mensagens em prosa e/ou em verso.

Sigamos escrevendo Paz e Bem, relembrando o ícone da CAPPAZ- Cacique Seattle:” Minhas palavras são como as estrelas, elas não empalidecem... “

Finalizando caríssimos Cappazes, por favor, sugerimos que apontem caminhos e soluções e não problemas. Pois, problemas já os conhecemos... E, quanto doem na nossa alma. Agradecemos suas atenções e participações. Penha, 05 de novembro de 2016.

Joyce Lima Krischke
Presidente Fundadora CAPPAZ


PARTICIPANTES

CIRANDA TEMÁTICA


01- By Sys (05)
02- Deomídio Macêdo (17)
03- dinapoetisadapaz (02, 06 e 07)
04- Eda Bridi (15)
05- Fernando Alberto Salinas Couto(14)
06- Haydée Hostin (12)
07- Jacira Pereira (11)
08- Joyce Lima (01, 04 e 09)
09- Lucia Silva (18)
10- Marcelo de Oliveira Souza (13)
11- Maria Helena Sarti (10)
12- Odilon Machado de Lourenço (03)
13- Poeta Otoniel (16)
14- Vera Passos (08)


CIRANDA TEMA LIVRE

01- Dilson Ferreira (01)
02- dinapoetisadapaz (03)
03- Edvaldo Nunes (05)
04- Fátima Peixoto (07)
05- Joyce Lima Krischke (02)
06- Lucia Silva (06)
07- Odilon Machado de Lourenço(04)



PARTICIPAÇÕES

CIRANDA TEMÁTICA


01.
Saudação
Joyce Lima




Balneário Camboriú/SC



02.
Cumprimento
dinapoetisadapaz


Um cumprimento faz bem
E pode virar uma boa ação
Quem dele se abstém
Denota pouca educação.

Para um olhar indiferente
Lhe ofereço meu sorriso
Nao posso viver algente
Comunicação não causa prejuízo.

Várzea/PB



03.
Aceno
Odilon Machado de Lourenço


Num certo trem viajaria Facundo
Um pouco adiantado na hora chegara o homem na estação
Duas malas
Um óculo que limpava um pouco a turbidez das vistas
E seu irmão mais novo fazendo companhia
Havia meia hora para o trem muito pontual encostar na estação
Usaram a meia hora para o silêncio
Há muito sabiam daquela separação
Facundo sentou-se a janela quando o trem chegou
O irmão olhava do lado de fora
O sorriso saiu com um aceno
A mais bela lembrança de paz levada naquele vagão lento
Em que sorria Facundo.

Maceió/AL



04.
Paz
Joyce Lima




Balneário Camboriú/SC



05.
Sonhamos paz
By Sys


Caminhamos como quem sonha
Sonha em estradas reais
Reais sao nossas dores
Dores que a guerra trouxe,

Trouxe feridas que sangram
Sangram na alva nuvem
Nuvem que evaporam
Evaporam deixando a cicatriz,

Cicatriz da vitória
Vitória em dias de guerra
Guerra nós não fazemos
Fazemos é lutar,

Lutar pela paz
Paz que sonhamos
Sonhamos de olhos abertos
Abertos para a vida,

Vida não termina aqui
Aqui pedimos respeito
Respeito e amor
Amor para quem sonha.

Cel. Fabriciano/MG



06.
Abraço
dinapoetisadapaz


Venha, abra seus braços
Receba meu fraterno carinho
Para fortalecer os nossos laços
Selamos a Paz neste abraço

Várzea/PB



07.
Professando a Paz
dinapoetisadapaz


É preciso cumprir
A Paz professada
Alguém há de convir
Que eu não estou errada...

Se professo a Paz
E gero confronto,
A palavra é fugaz...
Um discurso sem efeito...!

Várzea/PB



08.
Saudação
Vera Passos


Saúdo o Sol que nos enrobustece com energia
A Lua que nos abduz noite e dia
Saúdo a Mãe Natureza, corpo Divino
Saúdo ser humano que ama como menino
Saúdo os mananciais e suas correntezas
Os mares, os seres estranhos de rara beleza
Saúdo os segredos, mistérios do desconhecido
Os adormecidos no peito da Terra
Abomino a guerra que estiola
O patrão que leva o servo a esmola.
Saúdo a PAZ que há em todos
Como tesouro guardado no cofre do espírito
Saúdo as portas abertas a luz do amor
Aos homens livres da angústia e da dor
Saúdo os pássaros libertos da gaiola
O voo infinito do “Condor”

Salvador/BA



09.



Balneário Camború/SC



10.
O que me Apraz
Maria Helena Sarti


Saúdo -lhe nobre senhora,
Em defesa e proteçao,
Guardo o fardo atemporal das horas,
Refazendo mesuras em preservação.

Sou terra, sou mato, sou rio,
Esperando em si eterna defesa,
Que virá talvez em ampliatório,
Gerando aos homens surpresa.

Minha elucidação apraz,
Quero glória, aclamação, respeito,
Sem descarrilar, nada fugaz,
Saudar a PAZ com muito jeito.

Campo Grande/MS



11.
Convite a Paz
Jacira Pereira


Vem comigo a um abraço sem espaço pela Paz,
Como aquele de amigos que defendem os próprios ideais,
Traz consigo fraternidade, esperança e calor.
Mas não um calor qualquer,
Aquele que tem afeto, sinceridade no gesto e Paz no interior.

Vem comigo realizar seu desejo, que é incomum ao meu,
De distribuir sorrisos, acabar com os gemidos dos que só conhecem fel,
Vamos juntos apaziguar os que vivem guerrilhando,
E assim podermos ver os rivais se abraçando.

Vem comigo cantar louvores,
Para mostrar aos senhores quão bonito é o amor fraternal,
Que sem provocar nem um mal a paz acontecera.
Nos lugares mais impróprios façamos nós de propósito doação de corações,
Mas não qualquer coração, aqueles que sãao mais puros, justos e de compreensão,

Eu quero ver outro mundo onde fome e escravidão não aconteçam jamais,
E todos se juntem a nós no grande abraço da paz.

Cabedelo/PB



12.
Na Paz
Haydée Hostin


Quando estou encantada,
faço poemas em paz.
A pequena casa
torna-se doce e estrelada.
Lápis e canetas céleres
veem ao meu encontro.

O silêncio cristalino
toca música de musa.
olham-se os retratos na paz,
conspiram cortinas e vidraças.

O poema chega em asas garças,
tomada da graça
de pontos lilases,
de seda e poesia: abertos a Paz.

Santa Maria/RS



13.
Saudação
Marcelo de Oliveira Souza


Muitas vezes questionamos porque a violência existe ou até pensamos que existe mais pessoas ruins do que boas, esquecendo que nossas ações também influenciam o peso da balança entre o bem e o mal.
Verificamos que as pessoas não se cumprimentam mais, os estranhos estão cada vez mais estranhos, os amigos cada vez mais virtuais.
Percebemos também que vivemos anos perto de um vizinho e nunca houve sequer uma saudação, um sorriso de “bom dia”.
Estamos ficando isolados no meio do grupo, solitário na multidão, a humanidade está tão dependente da tecnologia, que muitas vezes conversamos com um estranho, nas redes sociais, damos infinitos “bom dia”! Mas ao nosso vizinho ou a uma outra pessoa que mora próximo a nós, não existe sequer uma saudação.
A saudação abre caminho, derruba fronteiras, transmite um sentimento de paz as pessoas, ela é tao benéfica que ajuda até diminuir a violência, por isso experimentemos a partir de hoje saudar mais as pessoas reais, não deixando também das virtuais e veremos que iremos reverter muita coisa nesse mundo necessitado de tanta humanidade.


Salvador/BA



14.
Preservação da Paz
Fernando Alberto Salinas couto


Quando Francisco de Assis
veio nos ensinar a pedir
pra sermos instrumentos da paz,
o seu nobre espírito só quis
ensinar que ser útil e servir
é o melhor que todo ser faz.
Quem ama nunca será omisso.

Hoje, o progresso tecnológico
incute nas almas a ganância
e a materialidade compraz
quem julga tolo o romântico,
deixando-nos ver a distância
a possível preservação da paz.
Mas a poesia é CAPPAZ disso.

Destarte a paz não será ilusão
e viver por ela é a nossa razão.

Rio Janeiro/RJ



15.
Saudação ao Criador pela Paz
Eda Bridi


Ao Criador,
A nossa saudação pelo dom da vida,
Pela família e os amigos que os temos no coração,
Pelo amor e a paz que nos unem como irmãos,
Pelo sol que ilumina o nosso dia,
Pela lua que o nosso sono vigia,
Pelo canto dos pássaros que anunciam o amanhecer
De um novo dia de trabalho e convivência harmoniosa.
A nossa saudação pela paz no universo,
Pela dádiva da mãe natureza
E por tudo o que nela existe de grandeza
Para uma ecologia de vida cotidiana
Que fomente o bem comum, o amor e a paz.
Paz constante e radiosa!

Sobradinho/RS



16.
Saudação de Paz em Versos
Poeta Otoniel.


Que a Paz aconteça e permaneça entre nós
Que todas as nações pronunciem e a pratiquem numa só voz
Nao há felicidade plena sem Paz!
Este é o motivo e a razão da existência da Confraria CAPPAZ; unidos como bons irmãos (ãs) e juntos seremos nesse sentido, todos iguais!

Jandira-SP, 05/DEZ/2016.



17.
Encontros
Deomídio Macedo


Estivemos juntos, juntinhos.
Em cada foto que tiramos;
Nos poemas que dividimos;
Nas mudas plantadas no caminho;
Nos sorrisos iluminados das fotos estampadas no mural,
que traduz a nossa felicidade, neste novembro azul de Paz!

Salvador/BA



18.
O que me trazes?
Lucia Silva


Oi, pomba da paz
Ou devo chamar de amor?
O que voce me traz
Nesse bico cantador?

Trago uma saudação
De Paz e felicidade
Para voce ofertar ao irmão
Um punhado de fraternidade.

Currais Novos/RN


PARTICIPANTES

CIRANDA TEMA LIVRE


01.
Diz a Poesia:
Dilson Ferreira


O diamante é sonho de consumo
Se lapidado, torna-se valioso
Peça de caros colares
Brilha nos olhares vaidosos
Só os diamantes são eternos
Diz o poeta!

Alguns chamados de astros
Querem ser como os diamantes
Brilhando nos palcos da vida
Aos preciosos aplausos da massa
Famosos que viram eternos
Diz a mídia!

Gente diamante: morre... um dia
Diamante pedra: vive... sempre;
Arrogância, orgulho, vaidade,
Diamantes podem ser eternos
Pessoas não são
Diz a vida!

Natal/RN.



02.
A Voz do Silêncio
Joyce Lima Krischke


Ah, o silêncio... diz além do som!
Silêncio de alguém pode ser dom.
Palavras que somem na emoção.
Palavras guardadas no coração.

Palavras ditas, lidas, ouvidas
podem levar ao silêncio das vidas.
Oh! A Voz do Silêncio muito diz
Até pra quem some e nada diz...

A Voz do Silêncio do mosteiro
transmite paz ao mundo inteiro.
Sim! Ouço quem semeia palavras ao léu...

Cautela na comunicação - Paz.
Veículo do bem que ela refaz
Ah! Verdade não se oculta por véu...

Porto Alegre, 22/10/16. 19h20min



03.
Alma Nômade
dinapoetisadapaz


Minh’ alma é nômade,
por isso, mutável viajora.
Nem sei por que não me batizaram
de quatro estações.
Meu coração vive em festa.
Não há espaço para cultuar
desventuras.
Jamais perco a fé
no Altíssimo, o alicerce
que segura minha estrutura

Seja noite seja dia,
estou pronta para desbravar
as estradas da vida,
suas curvas e retas.
Há um foco de Luz
margeando minha estrada,
indicando o perigo a ser evitado.
Nômade vagueia mas não perde o rumo.

Várzea/PB



04.
A mão que toca teu ombro
Odilon Machado de Lourenço


Numa antiga foto de família
Branca, preta e amarelada
Entre tantas seriedades um sorriso clareava
Os dentes e a boca bela eram dela, Eleanor
Detrás uma mão sem corpo
Somente um braço cortado e o sorriso de Eleanor.

Maceió/AL



05.
Por causa de uma Rosa
Edvaldo Nunes


Inclina-se a colina, mediante meus passos,
tamanho são os céus que vejo, que faço
e como único, sem dimensões definidas,
ou ainda lúcido como um pássaro
que em galhos soltos
rodeia o néctar por imagens floridas,
sento a observar as passagens ocorridas aos montes,
as paisagens em cores que meus olhos confirmam,
elas não são miragens, e desfruto do conforto
tão peculiar aos poucos vivos que vêem Deus.

João Pessoa/PB



06.
Árvore
Lúcia Silva


É um dos elementos
Mais belos da natureza
Umas produzindo alimentos
Para nossa fome saciar
Outras gerando beleza
Para os olhos admirar.

Quando estou perto
De uma árvore bela
Sinto-me no caminho certo
Para a paz encontrar
Pois a harmonia dela
Vem minha vida pacificar.

Currais Novos/RN



07.
Um mundo melhor
Fátima Peixoto


Um mundo melhor,
Cada um pensando no outro;
Doando um pouco de si,
Ofertando o seu amor,
Dividindo o que tem de melhor.

Um mundo melhor,
Sem egoísmo
Sem interesse individual,
Cada um pronto a ajudar,
Quem lhe procurar.

Um mundo melhor,
Que haja valorização,
Que a vida seja respeitada,
Que a paz prevaleça,
Entre os irmãos.

Um mundo melhor
Que não nos faltem fraternidade, justiça, amor, paz...
Cada um fazendo sua parte,
Respeitando todos,
Vai construindo um mundo melhor.

Cabedelo/PB


ENCERRAMENTO

A gratidão que me acompanha no encerramento dessa Ciranda, é semelhante de quando somos agraciados com um aceno de paz. Por vezes o aceno vem acompanhado por um sorriso cordial ou algumas palavras sinceras, ditas como parte do gesto. Em alguns casos um abraço antecede o aceno. Para quem parte e quem fica, pouco importa a despedida, fica a lembrança do aceno, o aconchego que esvai. Todavia, a paz tem morada no aceno. No carinho de um braço em movimento que faz sorrir a verdade, uma que vai e outra que fica. Para alguns foi apenas um dia dessa distância de adeus, para outros, talvez alguns meses ou quiçá a eternidade. Aceno nem sempre é alegre, mas o gesto é poesia. Rima com amor sem rimar. É também a garantia que algo está tudo bem ou se encaminha para estar. Pois nessa Ciranda livre, de amor, de luz, gratidão, acenamos com verdade, com flor, com paz, com paixão. Nossas poesias se encontram como olhares que se tocam, como gentes que chegando acenam antes de estar. Um aceno de quem chega por bem de querer amar.

Odilon Machado de Lourenço
Confrade Efetivo
Maceió - AL



SELO DE PARTICIPAÇÃO





MÚSICA DE FUNDO

Alô, Bom Dia!
Músicas Bandeirantes


Alô, bom dia
Oh como vai você
Um olhar bem amigo
Um claro sorriso
E um aperto de mão
E a gente sem saber como e porque
Se sente feliz e sai a cantar a
alegre canção

Bom dia nada custa ao nosso coração
E é bom fazer feliz o nosso irmão
Por Deus se deve amar,
Amar sem distinção,
Alô, bom dia, irmão.

Saber dar um bom dia cheio de bondade,
Dizer bom dia com sinceridade
É dar sempre o melhor do nosso coração,
Alô bom dia irmão









|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||
Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados