INTRODUÇÃO

Aos meus queridos Cappazes,
irmãos, irmãs de viagem,
neste caminho de azes,
envio terna mensagem.

Sejam bem-vindos amigos
e amigas do coração,
afastem todos perigos
e escrevam com emoção.

Esta Ciranda eu bendigo,
"Ciranda do Trovador",
nela encontro o abrigo,
a paz, o bem e o amor.

Estamos juntos, unidos,
numa peleja sem fim,
mas somos todos queridos,
a vida é boa assim.

Juntos porque isso é bom,
unidos somos maiores,
pois da Cappaz este é o tom,
ela nos torna melhores.

Façamos, pois, nossas trovas,
pensando em nossa união,
agindo assim como provas,
da nossa pura emoção.

Carlos Reinaldo de Souza
Presidente Nacional







PARTICIPANTES - CIRANDA TEMÁTICA (índice)

01- Aila Brito (04, 05, 06 e 07)
02- Carlos Reinaldo de Souza (13 e 14)
03- Dilson Poeta (03 e 12)
04- José Pereira da Silva (02)
05- Joyce Lima Krischke (08, 09 e 10)
06- Marina Martinez (15)
07- Neneca Barbosa (01)
08- Sílvia Benedetti (11)


PARTICIPANTES - TEMA LIVRE (índice)

01- David de Carvalho (10)
02- Deomídio Macêdo (11)
03- Eloísa Antunes Maciel (03)
04- Fátima Peixoto (17)
05- Fernando Alberto Salinas Couto (21)
06- Jacira Pereira da Silva (16)
07- Joyce Lima Krischke (07)
08- Lúcia Silva (22, 23 e 24)
09- Marcelo de Oliveira Souza (06 e 18)
10- Mariângela Repolês (05)
11- Marina Martinez (19)
12- Nádia Cerqueira (08)
13- Neneca Barbosa (02)
14- Odilon Machado de Lourenço (12 e 13)
15- Paulo Rodrigues (20)
16- Rosângela da Silveira Coelho (14)
17- Roseleide Santana de Farias (09)
18- Sônia Rêgo (15)
19- Vera Passos (01 e 04)






PARTICIPAÇÕES - CIRANDA TEMÁTICA

-01-
FAMÍLIA CAPPAZ
Neneca Barbosa


“Ciranda do Trovador”
contempla a bela CAPPAZ
trovas feitas com amor
para promover a paz.

Que sejamos solidários
aplacando o sofrimento
teremos novos cenários
levando aos irmãos alento.

Poetas vamos lutar
para que haja justiça
o desamor acabar
como também a cobiça.

Os frutos da semeadura
nascem de um bom coração
se são doados com doçura
cumpriremos a missão.

O nosso dever cumprido
ensinou o grande Mestre
o verdadeiro sentido
da nossa vida terrestre.

João Pessoa/PB



-02-
OS TROVADORES E SUAS TROVAS MARAVILHOSAS
José Pereira da Silva


Dos trovadores gaúchos
Á tradição nordestina
Das gaitas boas de som
Aos poetas bons de rimas
Dos festejos em Farroupilha
E o respeito ás meninas.

A Trova do meu nordeste
Conhecida cantoria
Tem belas canções gravadas
Poemas e poesias
Festivais de Cantadores
Que traz ao povo alegria.

A viola é o instrumento
Que dá beleza aos versos
O ouvinte dá o tema
O cantador faz o resto
A beleza da estrofe
Encanta quem está por perto.

Cabedelo/PB



-03-
C O P I O S A S !
Dilson Poeta


Natureza toda bela
Nos encantos da magia
Aí eu fico na janela
imaginando poesia.

Deus ouça minha oração
Água aqui é coisa rara
Que chova no meu sertão
Tomara meu Deus, tomara!

Inspiração sempre ativa;
Desde o homem da caverna
A trova vive bem viva
Por que a poesia é eterna.

A CAPPAZ é o meu lar
Pinto, bordo, faço verso,
Aqui eu posso voar
E com a lua converso.

Como é bom viver em paz
Tudo fica mais bonito
Trovando sou bem capaz
De alcançar todo infinito.

Natal/RN



-04-
Aos Trovadores
Aila Brito


Aos trovadores da paz
Versos e rimas fabrico
Com ternura e empenho assaz
E esta ciranda dedico

Para alegrar com louvor
Os trovadores cappaz
Que se destinam ao amor
E a tudo o que satisfaz

Desejos e sonhos bons
Alegrias e belezas
Cantorias e bons sons
Maravilhas e certezas

A florir nossos caminhos
Com ternura e emoção
Retirando os espinhos
Com o enlace da união

Confirmados pelo bem
Que a cada irmão dedicamos
Quando a luz de Deus nos vêm
E o espírito elevamos

Que seja sempre o intento
Dos trovadores felizes
Paz e amor no pensamento
Todo o bem... Sem cicatrizes.

Cocal/PI



-05-
Vida
Aila Brito


Com simplicidade a vida
Flui melhor e é verdadeira
Cada hora é bem vivida
Como u’a linda brincadeira

Mas se a complicamos mais
Muito mais do que se deve
Sofreremos muitos ais
E teremos vida breve

Cocal/PI



-06-
Visão
Aila Brito


Fixei o meu olhar
Na linha do horizonte
Vi o céu beijar o mar...
U'a visão estonteante

Olhando mais adiante
Divisei belo jardim
Com um moço elegante
Soprando beijos pra mim

Cocal/PI



-07-
Pseudo amor
Aila Brito


Tirei pedras do caminho
Segui em frente, aportei
Entre dengos e beijinho
Teu coração conquistei

Mas não foi o suficiente
Pra manter acesa a chama
Por teu jeito inconsequente
O amor perdeu sua flama

Assim dizia Maria
Ao seu amado José
Se amor real... Reinaria
Pseudo amor ninguém quer.



-08-
Céu e Terra
Joyce Lima Krischke


Céu azul: janela de paz!
Contrasta descer na Terra.
Ah! No alto: céu que refaz...
Oh, embaixo quanta guerra!

Balneário Camboriú/SC, 08/07/2017



-09-
Seis Netos*
Joyce Lima Krischke


Com seis netos sou feliz.
Vivo do amor dos meus netos:
Tiago, Cris, Ana Beatriz,
Jaque, Bel, Zezé... Afetos!

Balneário Camboriú, 08/07/2017

*(Comemoração dia 26/07/2017-Dia dos Avós)



-10-
Aos Meus Netinhos
Joyce Lima Krischke




Balneário Camboriú/SC



-11-
Sílvia Benedetti


Em trovas que tanto gosto
Homenageio a CAPPAZ
Pois nela eu sempre aposto
Competente no que faz.

Um grupo muito seleto
Dando às artes seu valor!
Agindo em modo direto
Com muito carinho e ardor .

CAPPAZ por si recomenda
Ela enaltece a CULTURA
Sempre além da "encomenda"
Dos bons princípios na altura.

Confraria de fulgores
Luzeiro em todo o Brasil
Templo de mil esplendores
Brilhando no azul anil

Deste solo brasileiro
Que se orgulha ao seu fazer
De verso e prosa celeiro,
Num Cultural proceder!

Porto Alegre/RS



-12-
COISAS DA FAZENDA!
Dilson Poeta


A mulher é um efeito deslumbrante
da natureza.(Arthur Schopenhauer)


Na roça da fazendinha
Do milho faço paçoca
O cuscuz e canjiquinha,
Da raspa da mandioca
A goma vira farinha
Pra gostosa tapioca.

No rio da fazendinha
Com a vara de pescar
Pego tilápia e tainha
De dois metros para lá,
Se isso for mentira minha
Deus venha me perdoar.

Ao luar da fazendinha
Mil histórias pra contar
Xote, forró e modinha,
Pro sanfoneiro tocar
Eu pego a Sinhá Rosinha
E com ela vou dançar.

Na casa da fazendinha
Fica o meu lar doce lar
Lá na mesa da cozinha
É tão farto o meu jantar
Depois eu armo a redinha
E com Rosa vou amar!

Natal/RN, 01/03/2009



-13-
O Trovador e suas Trovas
Carlos Reinaldo de Souza


O trovador é um poeta,
inspiração não lhe falta,
o trovador é um esteta,
merece, pois, a ribalta.

Seus versos, focos de luz,
que brilham na escuridão,
por isso a trova seduz,
gerando doce ilusão.

O trovador é um amante,
perdido em sua paixão,
seu sentimento brilhante,
vive em eterna ilusão.

Escreve versos de amor,
todos com muita emoção,
as rimas tem o calor,
que parte do coração.

O trovador ama o mundo,
portanto ele é um irmão,
sente um amor tão profundo,
que Deus é o seu Guardião.

Conselheiro Lafaiete/MG



-14-
Trovas à Paz
Carlos Reinaldo de Souza


A Terra, em busca atroz,
procura a paz tão distante,
o homem ergue sua voz
e grita com o peito arfante.

Deus no infinito escuta,
o voz que soa no espaço,
é do seu filho que luta,
já com sinais de cansaço.

- Por quê há guerra no mundo?
pergunta o Rei do Universo.
Pergunta mais, num segundo,
- Será o homem perverso?

Paira tristeza no olhar,
do homem, triste e confuso,
ao responder, com pesar,
- O amor está em desuso.

Então, ficou explicado
por que persiste a guerra:
o mundo assim é esmagado
e a paz não desce à Terra.

A solução é bem-vinda
e cabe ao homem somente:
tirando o amor da berlinda,
a paz será um presente!

Lafayette/MG



-15-
Trovas
Marina Martinez


Trovas não sei fazer.
Mas sei que posso tentar.
Nem que seja por lazer,
nem que seja prá brincar.

Deixo solto o pensamento.
Busco palavras no ar.
Letras soltas ao vento,
poesias quero formar.

Trovas não sei fazer.
Mas sei que posso tentar.
Deixo o tempo correr,
deixo a vida me ensinar.







PARTICIPAÇÕES - TEMA LIVRE

-01-
A VIDA E AS MÃES
Vera Passos


A vida é rio corrente, segue viagem, gera sementes
É feita de momentos, de lutas, abraços, olhares, certezas, imagens, passos...
Nossos PASSOS, traçados no nome, às vezes incertos, vazios, saudosos...
A vida é assim, guardamos lembranças no chip cardíaco, ou cerebral.
Na caminhada saboreamos belos dias, tardes sombrias, noites vazias,
Estaremos nas atitudes, gestos, virtudes, ações... é natural
Crescemos e desaguamos noutros caminhos
O leito vai se tornando deserto, voo é certo
Longe ou perto os laços se eternizam
Vidas desbravadas, vencendo as torpes estradas
A viagem do espírito é longa, somos aves de arribação.
Aprendendo e seguindo, caminhos abrindo
Nascendo e partindo, é a VIDA
Não permita que a saudade doa
A distância é coisa à toa
Feche os olhos e chegue lá
A matéria é roupa boa
Quando vale a pena caminhar

Salvador/BA



-02-
TEMPOS DE OUTRORA
Neneca Barbosa


Quão belos eram os tempos de outrora
Fazem-me reviver a calmaria
Do meu rincão sem os medos de agora
Onde transcrevo em forma de poesia.

Saudades da infância com seus sabores,
Da casa, da família, dos amigos,
Da rua tranquila e dos jardins em flores
É como não existissem os perigos.

Que o sino da igreja continue a tocar
Compondo, assim, uma nova história
Para que a paz e o amor possam reinar
São registros que guardo na memória.

Oh, minha alma não fique aprisionada
Deixo a porta aberta para que voe
Encontre a fraternidade almejada
E canções de esperanças você entoe.

João Pessoa/PB



-03-
BUSCA... (RE) ENCONTRO...
ELOISA ANTUNES MACIEL


Em minha juventude, eu perseguia
Uma esperança, permanentemente...
Uma esperança que eu presumia
Ser alvo de uma busca persistente...

Na luta pelos bens que eu almejava
(Trabalho, independência, formação),
Eu fui à busca do que idealizava,
Com persistência e obstinação...

Ao apoiar-me na perseverança,
Alhures procurava uma esperança
Que desse um novo impulso à minha vida...

No entanto, nessa busca eu descobria
Que essa esperança em mim subsistia,
Pois ela foi meu ponto de partida...

São Martinho da Serra/RS



-04-
À ROSA AZUL
Vera Passos


Pelas trilhas do coração, traços das minhas mãos
Vislumbro um arco íris, abduzido pelas águas do rio
Lá está o berço das emoções
O encantamento, o Éden, o Oásis
O jardim florido, o ápice do amor
Assim me transmuto no desvario, liberto-me da cruz
Vejo as sementes abrirem o solo em flor
Emergem ligeiras, coloridas pela força do Sol
Devotos dos versos desvelam-se, em amenizar a dor
Buscam amigos, irmãos das jornadas e da luz
Seres encantados, distantes no espaço, o ar os conduz
Sobrevoam céus, matas e mar, abraços de Norte a Sul
Flores belas e perfumadas pela Poesia
Jasmins, violetas, margaridas, rosas brancas, vermelhas...
Simples, amável, solidária, revela-se, a ROSA AZUL

Salvador/BA



-05-
E assim ele se foi
In memoriam de meu irmão Ênio Magno Rodrigues
Mariângela Repolês


Senti o tom de seu canto em nanquim
naquele hino francês tão triste e sem fim
mas ele com toda perseverança
não perdeu a fé e nem a confiança.

Dedilhou sílabas em dó maior
mas, seu canto se fez em sol menor
em afônico falsete cantando
voz pequena, aos poucos, foi minguando.

Mas, a alegria não nos fora negada
e a tristeza logo se viu frustrada
vendo nós dois unidos solfejando.

Alvinópolis/MG



-06-
Fé Renovada
Marcelo de Oliveira Souza


De uma forma atribulada
Viemos com a fé abençoada
Luta, desavença desvairada
Meu amigo Santo me guia
Durante a labuta agitada.
Agradeço e peço a paz desejada.
São Lázaro acompanha
Essa empreitada...
Nessa vida e na outra
Meu Santo querido
Guia-me e protege-me,
De forma abençoada.
Com sobriedade encaro a vida
Sem hora errada.
A minha vida segue
Diante das atribulações
O barco move-se firme
A cada remada.
Mares revoltos existem
Ondas a serem superadas
Sempre contente
Sigo em frente...
Agradecendo
Diante da imagem bem pintada
As mãos do artista é vida
E do altar o glorifico
Pois sozinho nunca fico
Ainda volto com a fé renovada!

Salvador/BA



-07-
Fim da Caminhada
Joyce Lima Krischke


Ah! Passados oitenta anos de vida
Chegamos à reta final...
Aguardando a conclusão da corrida,
Sem sabermos a decisão global.

O que acontecerá após a morte?
-Pois gostaria de saber...
Sim, é um desafio aguardar qual a sorte.
Sem contestação ou, também, sem querer?!

A morte encontra a todos, igualmente!
Escapar dela- hoje- impossível.
Visita surpresa, assiduamente...

Se ela chegar na paz e de mansinho
Estarei no pódio imprevisível...
Voarei em pó com peixe e passarinho!

Vôo supersônico, num branco rastro
No azul celeste dos céus, sem claustro!

Balneário Camboriu/SC, 10/07/2017.



-08-
Paz e poesia
Nádia Cerqueira


Desacelerando a vida
Para falar da paz
Pura e verdadeira
Num passeio cósmico e fugaz
Vamos fluir esse sentimento
Com fervor
Buscar no poeta essa
Essência de amor
Na profundeza da alma
Arrancar essa doçura e resplendor
E assim, usaremos a poesia
Como arma principal
Na esperança que um dia haja
A esperada, Paz mundial.

Salvador/BA



-09-
OS TROVADORES E SUAS TROVAS MARAVILHOSAS
Roseleide Santana de Farias Silva


Os trovadores e belas trovas do passado,
Sejam da época medieval ou do presente,
Trazem a beleza nas suas rimas e poesias
Retratando sonhos de amor em melodias
Removem com os seus versos a nostalgia,
Faz esperança aquecer numa alma crente.

Vagam os poetas em emoções fervorosas:
Angústia, paixão, lutas, riso, choro, anseio,
A dor incrustada nos sentimentos d´alma,
A oração é ferramenta da estrofe ardente,
Ao som da rabeca, alaúde, flauta, o pinho,
Expõem na música o que o coração sente.

Ah, trovadores e suas trovas maravilhosas,
Sem vocês onde estaria esta humanidade
Insensível ás tantas outras comunicações,
Que apelam ao Bem, à Paz e à Humildade!
Trovadores são anjos, á sensibilizar almas
Ao amor, á misericórdia, fé na Eternidade.

Cabedelo/PB



-10-
David de Carvalho


I

Há Cem dias e sem contos eu ando,
Buscando as palavras perfeitas,
Vasculhando no ar procurando,
Para nelas, entregar-me as núpcias.

II

A ti meu peito declama,
Chora reclamando abrigo,
Entregando as dores da alma,
Em solitário e triste monólogo.

III

Sem dias, sem momentos fico,
Sofrendo com o ar abafado
Louco está meu ser atontadiço,
Procurando a esmo algum sentido.

IV

Minha alma solitária grita,
Suplicando o que jaz esquecido.
Há cem dias e te escrevo esta carta,
Desditas de um coração desmedido.

V

À medida procuro os teus olhos,
Tua voz aos ouvidos não chega,
Pressinto no escuro os teus cheiros
E no peito se afunda uma adaga.

VI

Há cem dias eu morto e tristonho,
Aos poucos se esvai minha vida,
Devaneio de sonhador andarilho,
Navegador solitário de uma ilíada.

VII

Eu conto as luas, há cem dias!
Sem paz ou momentos de glórias,
Flutuando nos mares das Ninfas,
Solitário neste vale de ausências.

VIII

Venha logo, passe ao largo querida,
Vagarosamente sob minha janela,
Traz à mão linda flor margarida,
Qual minha’alma desfeita em pétalas.

IX

Assim é o meu amor tão sincero,
Que lhe entrega cem vezes suspiros,
Quando passas como um astro,
Bela moça, paixão erguida ao cosmos.

X

Há cem dias e sem dias ficamos,
Quando a vida fez-me perde-la,
Já não tenho os versos melódicos,
Não vejo-a luzir, apagou-se a estrela.

XI

Morre pobre coração desvairado,
Dissolve-se no chão que pisaste,
Lamentando o momento passado,
Nos cem dias, um dia, suspiro ardente.

Salvador/BA, 01 de julho de 2017



-11-
Deomídio Macêdo


Estou aqui mais uma vez
Para falar de amor
Se não for por este caminho, talvez
Encontrará a dor.

Cedo ou tarde crescerá
Isto não temos dúvidas
Pois a vida nos apresentará
As vitórias desejadas.

Andar de cabeça erguida
Levando mensagens amigas
Para uma pessoa perseguida
É ensinar perdão e não brigas.

Reconhecer o outro como irmão
Nós trás felicidade
Assim nosso coração
fica repleto de autenticidade.



-12-
Lugar de acampar
Odilon Machado de Lourenço


Na corredeira calma do rio
Limpas águas levam as folhas do início do verão
Rochas me movimentam para musgo e para sol
Paz se espalha na mata
No campo e no céu azul
Em cada peixe que salta
Em cada pingo de tinta dessas flores sem molduras
Desses quadros sem pintor
Como é bom o ar da brisa
O dia não quer ter fim
Se faz fogueiras de estrelas
Se cobre o céu de carmim
A lua toda se invoca nesse canto para mim.

Pântano Grande/RS, 23-11-2016



-13-
Sobre amizade
Para Isael.
Odilon Machado de Lourenço


Um lugar para ver estrelas
Uma casa para estar em paz
A amizade é um coração tremendo
Olhando para outros corações
É lugar de árvores, raízes e cabelos brancos
Lugar de luta
Crianças brincando nos vaivéns da vida
Lugar de fruta doce
Sombra com boa água
A amizade é pura, é singela
É bonita num sorriso de criança
Há muita ternura na amizade
Alguma paciência e a cor do zelo florescendo.

Pântano Grande/RS, 10-04-2016



-14-
Rosângela da Silveira Coelho


Vem poeta, vem cirandar
vamos todos com alegria
nessa brincadeira entrar
girando com muita energia!

Curitiba/PR



-15-
CAMINHANDO COM TROVAS
Sônia Rêgo


Nas caminhadas da nossa vida
esbarramos sempre em alguém
que muda a estrada a ser seguida,
para juntos caminharmos também.

A nossa dor é tão pequena
quando vemos a dor de alguém.
Ajudando a sarar feridas,
curamos a nossa também.

Uma tentativa só não basta.
A luta é de todos os dias.
Enfrentar as adversidades,
pra alcançar a felicidade.

Hoje fiz essa trovinha,
pra nosso amor enaltecer,
mas ela só tem sentido
se for juntinho de você.

Rio de Janeiro/RJ, 07/07/17



-16-
OS TROVADORES E SUAS TROVAS MARAVILHOSAS
Jacira Pereira da Silva


Em meio a trovadores eu cresci,
E como filha de um deles me encantei,
Do encanto que aprendi eu escrevi
Maravilhosas trovas que escutei.

Dos trovadores lembro bem meu velho pai
Pegando os motes e transformando em melodias,
Belas memorias de minha mente não saem
Maravilhosas eram suas poesias,

E em trovas, Versos e poesias,
Em vida de emoções de um passado,
Em morte as lembranças são vividas
Encantando os corações apaixonados,

Hoje só me restam as lembranças
De momentos bem felizes ao seu lado,
Tendo assim em meu canto exclamado
O legado que me deixou como herança,

Cabedelo/PB, 25/07/2017



-17-
Fátima Peixoto


Eu ando um pouco afastada,
Das coisas que gosto de fazer
Ando desmotivada
Não sei a quem recorrer.

Parece que o poço secou,
A inspiração foi embora,
Será que o verso me abandonou?
Grito preciso de você agora!

Foi um período bom,
A poesia alimenta a alma,
Recebia mensagem,
Ficava encantada.

Mas tudo tem um fim,
Não quero que seja agora,
Tenho muito que escrever,
Quero contar minha história.

Aos amigos trovadores
Minha admiração,
Todos escritores,
Vocês são meus irmãos.

Cabedelo/PB



-18-
A Força do Escritor
Marcelo de Oliveira Souza


Sem destino , perdido,
Pobre, desvalido.
Nunca olhado...
Muito menos, notado,
Preso em suas angústias
Em suas ideias...

Ele sonhava com tudo
Mas não possuía nada
Na força da palavra
Escrita,
Começou a se encontrar.

Escreveu, rimou
Cresceu, imaginou
Seu sonho sedimentou
Onde sua estrela começou brilhar.

Contou, uniu, se engajou
Casou com a rima
Rimou no casamento,
As palavras deram-lhe o pão.

Um sonho construído
Fez-se a emancipação
Agora , amado
Antes , armado
com a dor ...
Ganhou vida
Alegria e muito amor,
Tornando-se um verdadeiro
E s c r i t o r.

Salvador/BA



-19-
Se eu tivesse um coração
Marina Martinez


Se yo tuviera um corazon,
lo mismo que te di
Tango


Verdade.
Se eu tivesse um coração, aquele que te dei,
tudo seria diferente.
Não haveria vazio no peito,
nem desejo desperdiçado.
O tempo não teria cessado, nem eu, morrido.
E nem posso me queixar.
Foi dado por mim, sem maldade,
e tu o levaste, indiferente.
Um troféu a mais, posto de lado.
Se ainda existisse aquele coração,
aquele que foi meu,
sei não, talvez o entregasse de novo.
Deprimido, ele só saberia pulsar
em compasso com o teu.

Porto Alegre/RS



-20-
Rosas vermelhas
Paulo Rodrigues


Palavras vazias.
Lágrimas frias.
Corações em pedaços.
Adeus sem abraço.

Orgulho ferido.
Telefone emudecido.
Poemas rasgados.
Sonhos dilacerados.

Na lixeira
as rosas vermelhas
e a viagem de lua de mel
sonhada em suaves prestações.

Sorocaba/SP



-21-
QUERENDO TROVAR
Fernando Alberto Salinas Couto


Almejando uma quimera,
eu quisera ser um trovador
e criar versos de primavera,
enaltecendo seu esplendor.

Rio de Janeiro/RJ, 05/06/17



-22-
Os Trovadores e suas Trovas Maravilhosas
Lúcia Silva


Os excelentes trovadores
E suas trovas maravilhosas
Que emanam raios de amores
Em criações poéticas graciosas

Esses trovadores da CAPPAZ
Merecem honras a todo o momento
Pelas trovas que exprimem paz
E conduz o leitor ao deslumbramento.

A cada um deles nosso carinho
Vamos logo expressar
Pois suas almas são ninho
Para a poesia pousar.

Suas trovas alegram nossos corações
Porque falam de amor, união e felicidade
Pedimos que Deus dê-lhes muitas inspirações
Para continuarem semeando a fraternidade.



-23-
Aos trovadores da CAPPAZ
Lúcia Silva


Poetas que fazem da poesia
Um veículo transmissor de paz
E ao nascer de cada dia
Levam emoções à seara da CAPPAZ

São os nobres trovadores
Que desde os tempos passados
Vem sendo os cultivadores
Da poesia lírica e dos versos cantados.

Que continuam a encantar
Com seus cânticos de amor
Levando todos a cirandar
Ao ritmo do seu entoar encantador.



-24-
Futuro sem fome
Lúcia Silva


A alegria chegou
A terra se alegrou
A água da chuva corre no terreiro
É o inverno chegando

O agricultor antes sofrido
Agora sorri de felicidade
Diante do roçado florido
Pela chuva abençoada.

Vai cantarolando
A semente plantando
Certo de que vai colher
O futuro sem fome.







ENCERRAMENTO - AGRADECIMENTOS

Para finalizar a Ciranda 101 mensal
Atendendo ao convite da CAPPAZ,
Que cada mês tem assunto diferente,
E com dedicação a gente faz.

O tema foi relevante
E por demais encantador,
Os trovadores e suas Trovas,
Abençoados pelo senhor.

Quero parabenizar a todos
Que na CAPPAZ estão presente,
Participando das Cirandas,
Dando sentido pra gente.

Agradeço ao convite,
Não sei se fiz o esperado.
Não quero estar na frente,
Mas sempre estarei ao lado,
Participando das cirandas
E sendo por Deus inspirado.

José Pereira da Silva.
Confrade Efetivo de Cabedelo/PB







SELO DE PARTICIPAÇÃO









COMENTÁRIOS















|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||



Arte e Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados