Cristiano Ferreira de Sousa

Natural de Salvador – BA, escritor e compositor, autor de peças teatrais com algumas já publicadas, como: “brincando de ler 2”.
Tem como obras: romances, contos e peças teatrais, ainda não publicados.

Confrade Efetivo.






PEÇA TEATRAL QUE CRISTIANO AO SABER DAS ATIVIDADES DA CAPPAZ FEZ PARA A - CASA DA CRIANÇA- .
PODENDO SER ENCENADA EM OUTROS LUGARES.


Queremos paz
Cristiano Sousa


_ A paz, a paz, a paz!...(todos)

_ Queremos paz mas fazemos guerra, insistimos em fazer a guerra pra buscar a paz. (Paz).

_ É verdade. Porquê tantas guerras sem sentido? (Harmonia)

_ Sem sentido? E a nossa soberania nacional? E as armas? Temos que vender as nossas armas. As riquezas são o que importa! (Pessimismo)

_ Lá vem você com seu baixo astral. Gente não deem ouvidos a esse sujeitinho, ele só pensa nos lucros que uma guerra pode trazer. Até parece que ele é o “senhor da guerra” (Paz)

Música da Legião Urbana “o senhor da guerra”. (Pessimismo dança.)

É pessoal, vocês ouviram o que a letra da música diz: o senhor da guerra não gosta de crianças. Esta é uma das realidades das guerras, nós crianças somos as principais vítimas, somos indefesas e sofremos no meio das batalhas, isso quando não estamos envolvidas nelas.

_ Queremos paz! (todos)

_ Mas que isso não nos desanime meus irmãos . Agora quem vai a luta somos nós; somos crianças sim, mas temos as nossas armas também. Vamos usar a nossa boca para pedir paz aos governantes do mundo inteiro e que todas as desigualdades políticas e raciais não mais dominem o mundo e, principalmente, que a paz reine no coração de todos. (Paz)

_ Aha! Mesmo que todas as autoridades vos ouçam de que isso adiantará se as batalhas estão bem próximas de nós, nas nossas cidades, nos nossos bairros, nas nossas ruas? Vejam, as guerras civis estão aí, espalhadas pelo mundo inteiro! (Pessimismo)

_ Abriremos nossas bocas a respeito disso também. Não as guerras civis! (Paz)

_ E as drogas que consomem os jovens...(pessimismo)

_ Chega! Você é pessimista mesmo hein? Eu sou a paz e digo que se todos nos unirmos vamos acabar com as guerras, as diferenças sociais e raciais .(Paz)

_ A paz e a guerra estão dentro de cada um de nós. Vamos escolher a paz. (Paz)

_ Olá! Eu sou a harmonia e gosto de ver todas as coisas convivendo harmonicamente, tanto os homens quanto a natureza. Me digam, não é bonito ver os pássaros livres a cantar? Os peixes no mar, que lindos são! O casal de namorados a se beijar... Como é bom a harmonia no ar. (Harmonia)

_ Que negócio de harmonia! Não existe isso! O que a gente vê é desunião e destruição. Todos os dias assistimos casais se destruindo, motosserras pondo árvores milenares abaixo, pesca e caças desenfreadas. (Pessimismo)

_ Mas isso vai mudar! Abriremos as nossas bocas contra toda essa destruição. Eu acredito que toda essa desarmonia vai se harmonizar. E lembrem-se: A paz depende da harmonia. (Harmonia)

_ Eu sou a União. A união que existe entre povos e raças .Me oponho a tudo que vem para desfazer essa união (União)

_ Então você se oporá a mim porque eu sou contra a união. Pra quê união? Você não vê que as pessoas são falsas, na frente mostram ser uma coisa mas por trás outra. Como pode haver união se as pessoas são egoístas e pensam apenas em si próprios. Que união é essa? (Pessimismo)

_ Isso é você quem diz Pessimismo! Existem pessoas sinceras e que pensam no próximo. Você não conseguirá derrubar a nossa auto estima. E estamos na batalha para que toda desigualdade e falsidade sejam exterminados do planeta, então todos viverão unidos. A paz depende da união. (União)

_ Eu me chamo educação. Infelizmente o mundo, apesar de estar globalizado, ainda tem muitas desigualdades educacionais. Alguns países saíram na frente e tem a educação como primazia, já outros não conseguem o básico. O Brasil, por exemplo, ainda não chegou ao patamar que queremos no que diz respeito a esse assunto, mas estamos lutando pra que isso aconteça. (Educação)

_ Que educação que nada! Pra que esse negócio de escolas, cultura, poesia...Eu acho tudo isso uma chatice (Pessimismo)

_ Pois é! É por causa de pessoas como você que a nossa educação está ruim. Sabemos que vamos conseguir. A paz depende da educação. (Educação)

_ Eu me chamo lazer. Precisamos se lazer; sem ele a nossa vida fica monótona e sedentária. O lazer faz bem ao corpo e ao coração (Lazer)

_ Lazer? Pra que lazer? O que eu quero é ficar em minha casa, mofando em cima do meu sofá o dia todo. Odeio atividades físicas! (Pessimismo)

_ É por isso que você é assim: doente no corpo e na mente. Digamos não a vida sedentária. A paz depende do lazer. (Lazer)

_ Eu me chamo Saúde e estou intimamente ligada a tudo o que foi exposto aqui, com exceção do Pessimismo.

Precisamos melhorar a saúde em todo o mundo. Lutaremos pra que aja mais hospitais de qualidade, postos médicos que funcionem nos bairros, redes de esgoto que tenham manutenção correta e tudo aquilo que meus amigos já disseram aqui. (Saúde)

_ Olá, eu sou o perdão. O perdão limpa a alma, extingue a angustia, elimina a morte. A pessoa que não aprendeu a perdoar vive amargurada. (Perdão)

_ Perdoar? Que negócio é esse? Eu vejo tantas brigas, ciúmes, invejas. Há tristeza por todos os lados e você vem aqui me falar de perdão (Pessimismo)

_ Tudo isso acontece porque as pessoas não aprenderam a perdoar, mas, quando aprenderem, você verá um mundo mais feliz. A paz depende do perdão. (Perdão)

_ Aha! Finalmente. Agora não tem mais nenhum pirralho pra me incomodar com essas conversas tolas. Só faltava agora me falarem de amor! (Pessimismo)

_ Estou aqui! (Amor)

_ O quê? Não! (Pessimismo)

_ Sim! Sou eu! E estou aqui para falar desse sentimento que é o mais nobre de todos: o amor.

O amor é a base de tudo e de todos; todo e qualquer sentimento está fundamentado nele; através dele Deus dá vida a todo ser porque o próprio Deus é amor. Tantos e tantos profetas, escritores, poetas e músicos de todas as origens e nacionalidades cantaram, cantam e cantarão o amor.

Além de ser o início de tudo, ele também é o final. Se não tivermos amor não existiremos. A vida não tem sentido sem o amor. Não existem palavras para explicar o amor. (Amor)

Dito isso, o Pessimismo vai embora e as crianças ficam felizes a dançar cantando a música:

“queremos paz para buscar a paz”.

Fim













Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho