Divaldo Pereira Franco

Dos seus oitenta e três anos, sessenta e três foram devotados à causa Espírita e às crianças excluídas, das periferias de sua Salvador. Nasceu em 5 de maio de 1927, na cidade de Feira de Santana, Bahia, e desde a infância se comunica com os espíritos. Cursou a Escola Normal Rural de Feira de Santana, recebendo o diploma de professor primário, em 1943. Trabalhou como escriturário no antigo IPASE, em Salvador, aposentando-se em 1980.

Seu currículo revela um exímio e devotado educador com mais de 600 filhos adotivos e mais de 200 netos e bisnetos, atendendo atualmente a cerca de 3.000 crianças, adolescentes e jovens de famílias de baixa renda, por dia, em regime de semi-internato e externato.

Orador com mais de 13.000 conferências, em mais de 2.000 cidades em todo o Brasil e em 64 países dos 5 continentes, tendo concedido 1.500 entrevistas para rádio e TV, no Brasil e no Exterior. Recebeu mais de 600 homenagens, de instituições culturais, sociais, religiosas, políticas e governamentais.

Como médium, publicou 250 livros, com mais de 8 milhões de exemplares, onde se apresentam 211 Autores Espirituais,muitos deles ocupando lugar de destaque na literatura, no pensamento e na religiosidade universais. Dessas obras, houve 92 versões para 16 idiomas (alemão, albanês, catalão, espanhol, esperanto, francês, holandês, húngaro, inglês, italiano, norueguês, polonês, tcheco, turco, russo, sueco e sistema Braille). Além de 17 escritos por outros autores, sobre sua vida e sua obra. A renda proveniente da venda dessas obras, bem como os direitos autorais foram doados, em Cartório, à Mansão do Caminho e outras entidades filantrópicas

Em 1964, Divaldo editou Messe de Amor, que se tornou o primeiro livro psicografado por Divaldo. Atualmente, o médium é recordista e conta com 250 títulos publicados, incluindo os biográficos que retratam sua vida e obra.


*.*.*.*

A nova era desponta em luzes, através das admiráveis conquistas da fraternidade, do amor e da paz entre as quais destaca-se, com brilhantismo, o abençoado trabalho de Divaldo Franco, divulgando com extraordinário amor a mensagem sublime do Espiritismo a quase todas as nações do mundo, confirmando, desta maneira, a missão do Brasil de Coração do mundo e Pátria do Evangelho.

Há sessenta e três anos, o médium e tribuno espírita Divaldo Pereira Franco, pleno de júbilo, de esperança e de fraternidade, vem se dedicando com abnegação ao ideal da divulgação do Espiritismo, esparzindo bênçãos, congregando os corações e unindo-os a Deus.

Feira de Santana, no interior do Estado da Bahia, considera o médium Divaldo Franco como um de seus filhos mais ilustres, nascido no dia 05 de maio de 1927.

No dia 7 de setembro de 1947, juntamente com seu amigo Nilson de Souza Pereira fundou o Centro Espírita Caminho da Redenção e no dia 15 de agosto de 1952 dá início à magnífica Obra social da Mansão do Caminho, atendendo a milhares de pessoas socialmente carentes da cidade do Salvador.

A sua persistência no labor mediúnico, na dedicação aos mais carentes, tanto de pão como de luz, acende uma nova chama de fé e de esperança no coração do mundo.

Divaldo é reconhecido por todos como um dos maiores médiuns e o maior orador espírita da atualidade.

Já psicografou mais de 200 obras e os livros vendidos já alcançaram a alta cifra de mais de sete milhões de exemplares, dos quais 104 títulos já foram traduzidos para 16 idiomas.

As suas obras vão surgindo como estrelas luminíferas apontando caminhos felizes.

Desde o ano de 1947 vem proferindo conferências no Brasil e no Exterior, onde já esteve em mais de sessenta países dos cinco continentes, realizando até agora mais de 12.000 palestras.

O peregrino da paz profere palestras, tanto nas grandes metrópoles como em cidades menores, com a mesma eloquência e dedicação.

Por ocasião do Movimento Você e a Paz, idealizado por Divaldo, o querido irmão tem visitado, há dez anos, os bairros populosos da cidade do Salvador, levando-lhes a mensagem preciosa da paz. Esse movimento está sendo propagado, com brilhantismo, em vários países da Europa, tais como: Portugal, França e Espanha, nos Estados Unidos e Paraguai, levando, desta maneira, a proposta urgente da paz a todas as nações.

Desta maneira, Divaldo prepara os tempos de paz e de amor que já se anunciam

Suas conferências e seminários despertam na alma humana os dons que lhe jazem latentes, propiciando o autodescobrimento, auxiliando a criatura a realizar a viagem interior, indispensável ao seu desenvolvimento intelecto-moral e, por conseguinte, para sua felicidade integral.

Por seu verbo inflamado de amor genuíno, irradiando as luzes da paz, tem realizado, também, centenas de entrevistas em emissoras de radiodifusão e televisão, no Brasil e no exterior.

Através de seu extraordinário labor em prol da paz, da concórdia e da fraternidade, como cidadão do mundo, vem recebendo centenas de homenagens, títulos de cidadania honorária, dentre outros, procedentes de instituições culturais, políticas, Universidades, núcleos espiritistas e de simpatizantes da Doutrina Espírita.

Destacamos os títulos de Doctor Honoris Causa em Humanidades, pela Universidade de Montreal, Canadá, e pela Universidade Federal da Bahia, além de inúmeras medalhas, diplomas e o título de Doutor em Parapsicologia pela Cyberam University, em Ilinois, EUA.

O mais importante, todavia, é que neste mundo conturbado o seu exemplo de perseverança, de fé e de amor, traz-nos alento, além de nos esclarecer, abrindo novos rumos em direção ao Infinito.

O amor que lhe vibra na alma é contagiante e convida-nos a prosseguir com alegria ao encontro de Jesus, na pessoa do nosso irmão.

Texto extraído dos livros O Jovem que escolheu o amor e Jardim Esperança, da editora Leal.

Confrade Honorário.






MANSÃO DO CAMINHO

Divaldo Pereira Franco é emérito educador. Fundou em 1952, na cidade de Salvador, Bahia, com Nilson de Souza Pereira, a Mansão do Caminho, instituição que acolheu e educou crianças sob o regime de Lares Substitutos.
Em 20 Casas Lares, educou mais de 600 filhos, hoje emancipados, a maioria com família constituída.
Na década de 60, iniciou a construção de escolas, oficinas profissionalizantes e atendimento médico.
Hoje, a Mansão do Caminho é um admirável complexo educacional com 83.000 m2 e 50 edificações que atende a 3.000 crianças e jovens de famílias de baixa renda, na Rua Jaime Vieira Lima, n° 1, Pau da Lima, um dos bairros periféricos mais carentes de Salvador. O complexo atende a diversas atividades sócio educacionais como: enxovais, Pré-Natal, Creche, escolas de ensino fundamental e médio, Informática, Cerâmica, Panificação, Bordado, Reciclagem de Papel, Centro Médico, Laboratório de Análises Clínicas, Atendimento Fraterno, Caravana Auta de Souza, Casa da Cordialidade e Bibliotecas.
Mais de 35.000 crianças passaram, até hoje, pelos vários cursos e oficinas da Mansão do Caminho. A obra é basicamente mantida com a venda dos livros mediúnicos e das fitas gravadas nas palestras, seminários, entrevistas e mensagens por Divaldo.


Clique nas imagens para ampliar.

   






HOMENAGENS

Divaldo Franco recebeu homenagens em diversos países e cidades da América do Norte, Central, do Sul, Europa e África:

• 20 Comendas
• 334 Placas de prata, douradas e bronze
• 54 Medalhas
• 49 Troféus
• 43 Moções de Congratulações
• 187 Diplomas e Certificados
• 12 Títulos Honoríficos significativos.

Dentre todas essas maravilhosas homenagens, destacam-se:
• 1991 - Título Honoris Causa em Humanidades, pelo Colégio Internacional
Ciências Espirituais e Psíquicas, em Montreal, Canadá em 23.05.1991.
• 1997 - Decreto de Ordem do Mérito Militar, 31.03.1997, pelo Presidente da República do Brasil.
• 2001 - Medalha Chico Xavier, do Governo do Estado de Minas Gerais.
• 2002 - Título de Doutor Honoris Causa em Humanidades, pela Universidade Federal da Bahia.
• 2002 - Homenagem da Universidade Estadual de Feira de Santana.
• 2005 - Título de Embaixador da Paz no Mundo, junto com o amigo Nilson de Souza Pereira. O título foi recebido em Genebra, na Suíça, em 30 de dezembro de 2005, pela Ambassade Universalle Pour la Paix.
Em junho de 2008, em Paigton, no Sudoeste da Inglaterra, recebeu do monge tibetano Kelsang Pawo, da Fundação Kelsang Pawo, que se dedica a proteção de crianças em perigo em todo o mundo, o título de Embaixador da Bondade no mundo.

Fonte de Pesquisa http://www.divaldofranco.com/biografia.php
Atualizada em 05.04.2010.






Símbolo nas Palavras

Em nos reportando à indulgência, recorde-se que o verbo pode ser definido em variadas comparações.
A palavra de bondade é uma semente de simpatia.
A frase de acusação é um golpe agravando a ferida que nos propomos curar.
O conceito otimista é luz no caminho.
O grito de cólera é curto-circuito na sistemática das forças em que venha a surgir.
O diálogo construtivo é terapêutica restauradora.
O comentário deprimente é pasto da obsessão.
A nota de esperança é porta de paz.
O conceito pessimista é nuvem enregelante.
A frase calmante é ingrediente de paz.
O verbo agressivo é indução à doença.
Conversando podemos criar saúde ou enfermidade, levantar ou abater, recuperar ou ferir.
A nossa palavra enfim pode ser uma pancada ou uma bênção.
E o uso dessa força que equilibra ou desequilibra, obscurece ou ilumina, ergue ou abate está em nós.

Do livro Busca e Acharás.
André Luiz e Divaldo P. Franco


*.*.*.*

Palavras de Divaldo Pereira Franco em entrevista

“– Fundamentando-me no sublime ensinamento de Jesus, quando se refere que não devemos fazer ao próximo aquilo que não gostaríamos que ele nos fizesse, convido as pessoas à reflexão, para que nunca devolvam o mal pelo mal e procurem sempre fazer todo o bem que esteja ao alcance.
Assim, se alguém não nos ama, desculpemos, porque esse não é um problema nosso. Quando, porém, não amamos, isso sim deve ser preocupante porque, então, não estamos bem. Se alguém nos odeia, perdoemos, porque ele está enfermo e o seu mal não nos faz mal. No entanto, quando somos aqueles que odeiam, isto é grave, porque nós estamos desequilibrados. Desse modo, a felicidade consiste em amar, em doar, em desculpar, em fazer todo o bem possível e avançar no rumo do grande bem. A bênção máxima da existência humana é conseguir uma consciência de paz, decorrente do bem pensar, do bem falar, do bem agir.”Divaldo Pereira Franco ( Jornal Mundo Espírita – março.2004)













Esta página é melhor visualizada pelo Internet Explorer
com resolução 1024x768.