CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz




Editorial/01-2008
Autoria: J. J. Oliveira Gonçalves




Carl Yung é mestre no esoterismo e exoterismo dos Símbolos. E tem gosto em nos falar desse Mistério que liga o homem a seus símbolos - e vice-versa. Discorre, com procedência e elegância, desses Sinais que sempre acompanharam o homem em sua trajetória - ou Jornada - com todas as complexidades que envolvem o ato apaixonante, arriscado e dolorido de viver.
Confesso que, desde muito cedo, sinais e/ou símbolos sempre me atraíram, assim como um ímã chamando à minha curiosidade. A Cruz, a Espada, o Arco, a Flecha, o Sol, a Lua, as Estrelas, a Simbologia dos Signos, enfim... E em minhas escrituras - poéticas ou não - toda essa fascinante Constelação Simbológica, digamos assim, passou a incorporar meus versos, minhas rimas, minha prosa... Fizeram-se imagens em meu imaginário... Metáforas de meus Sentimentos....
A CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - nasce (ou renasce?) de uma morte simbólica. Afinal, não é a própria Morte um Símbolo indecifrável? Da Carne (morta?) de uma Confraria anterior - cruel e ditatorialmente "deletada"! - ficaram as Idéias intactas! Assim, daquilo que parecia cinzas... surgiu (ou ressurgiu?) em nova Carne... o que parecia morto! E é por isso que adotamos a Fênix como nosso Emblema e nossa Marca - numa Simbologia de Amor, Luz, Fé, Verdade e Luz!
Nossa Logomarca mostra duas mãos: uma (masculina) amparando carinhosamente outra(feminina): é o equilíbrio natural do "yang/Yin". Essa mão feminina segura suavemente um Cristal, que Simboliza nosso castigado Planeta-Azul - de cujo Ventre emerge uma Fênix - Bela e Gloriosa! - para continuar a Jornada da Confraria anterior e, em "tela-cheia", significar um grupo heterogêneo em idéias e homogêneo na consecução de uma Meta digna e grandiosa: Paz e preservação da Terra!
Certamente, vamos lutar muito, com denodo e, mui especialmente, sem faz-de-contices, sem demagogias, sem engodos, deixando de lado a vaidade-humana: deletéria e abjeta! Dizendo não a projetos egoísticos, egocêntricos, personalistas! Abominando, mesmo, o ciúme - que mata os Sonhos! E a inveja - que corrói a Alma!
Tenho consciência que não será nada fácil! Da mesma forma, sei que é possível realizar algo. Fazer-se algo através da Educação e da Cultura. Através da Poesia, da Música, das Artes Plásticas, enfim, das Artes em Geral... Construir-se algo através do Saber e da Coragem... Cirandar num Cântico Universal, Amoroso e Pleno de Paz, embalando a Utopia (possível!) de preservar a Terra, a Flora e a Fauna: Frutos que Deus nos presenteou - com tanto Amor e tanta Beleza!
Finalmente, escrevo e afirmo que, aqui, na CAPPAZ, não iremos apenas conjugar mas, efetivamente, iremos praticar o verbo PAZEAR!
Nestes 09 de abril, de 2008, nasce, em Porto Alegre, entre árvores exuberantes, com seus pássaros outonais, e às margens do Guaíba - sob os Céus Rio-Grandenses - a Confraria Artistas e Poetas pela Paz/CAPPAZ!
Horário do nascimento: 15h30min!
Que DEUS nos ajude, nos ilumine!
E que o Bom Francisco (de Assis) caminhe conosco - nessa Caminhada de Paz e de Beleza! - em que a Natureza é nossa Mãe e são nossos irmãos os animais!
Um Brinde à Vida!
PAZ e BEM!


Porto Alegre, 05 de abril/2008. 21h36min
jjotapoeta@yahoo.com.br



















Copyright® 2008/2015 - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Site melhor visualizado pelo Internet Explorer
com resolução 1600x900px.