CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz




Editorial/01-2010
Na Paz e no Bem da CAPPAZ!
Autoria: J. J. Oliveira Gonçalves




O Tempo não espera. Pois ele é Chronos. E Chronos é veloz. Não volta atrás. É irreversível. O Tempo galopa. Corcel selvagem. Não espera. Nem por nós. Nem por nossos Sonhos. Nem por nossos Devaneios. Nem por nossas Utopias. Menos, ainda, por nossos projetos. O Tempo não se adequa a nós. Nós nos adequamos a ele. Ele nos dá a medida exata de nosso passo. E exige que nos apressemos. Que nos agilizemos se quisermos, realmente, sua parceria - indispensável e diuturna. Ah, o Tempo, também, é o Senhor da Verdade. A mentira, por exemplo, o engodo e o faz-de-conta, não resistem ao Tempo! Eis que, mais tempo, menos tempo, o Tempo arranca as máscaras... E a verdadeira face aparece. E essa face não é bela, não. Não é feito a face da mulher Amada - em cujos e infinitos olhos, Estrelas brilham em intermitências d'Alma... E tanto Estrelas quanto Alma são pontos luminosos cuja Beleza reflete a Beleza inimitável do Artista-Maior: Deus! E, como eu, em momentos de "desencontros e apreensões" - em minha passagem de longos e escabrosos 30 anos no Magistério Público Estadual/RS, costumava dizer para meus alunos: Se Deus está comigo, quem estará contra mim? Ou seja: se eu (re)conheço o Poder e a Glória de um Ser Infinito que tudo pode, que poderão fazer seres finitos de Existência e pobres e fracos de Alma?

Pois bem, esta espécie de preâmbulo é simplesmente para dizer que, hoje, 09 de abril de 2010, a Confraria Artistas e Poetas pela Paz/CAPPAZ, completa dois aninhos. Menininha, ainda, são dois anos de profícua luta em prol da Paz e da preservação do Planeta- Azul chamado Terra. Casa temporária em que habitamos - meros inquilinos da Vontade e Generosidade do Criador. E, aqui, compartilhamos este imenso e rico Território com nossos irmãos-animais - parceiros inteligentes e belos que Deus, aqui, colocou para que, mutuamente, aprendêssemos e ensinássemos Lições de sobrevivência e fraternidade. E gozássemos de toda a maternal bondade e riqueza de Mãe-Natureza. Infelizmente, esse não é o quadro que Deus tão esperançosamente pintou, esperando que o bicho-homem soubesse ler nas cores, nos traços e nos tons, o seu Poema Concreto chamado Vida - e o declamasse aos 4 Cantos do Mundo! Ao invés desse Poema de Amor, Luz, Paz e Bem - onde o Mestre Francisco de Assis está inserido, o bicho-homem, (de si próprio perdido!), recita uma agenda macabra de violência, extermínio, ambição e sexo: demoníacas imagens dos adoradores do deus-dinheiro!

Por tudo o que, aqui, escrevo, e pelo que deixarei de escrever, afirmo que a CAPPAZ valeu, vale e valerá a pena ter sido idealizada pela valente e generosa amiga-irmã Joyce Lima Krischke. E muito me dignifica enquanto homem-comum, (cheio de defeitos!), e poeta, (com alguns versos a rimar no coração), ter assessorado, mui modestamente, a Joyce na criação da CAPPAZ. Um de seus fundadores, fui seu primeiro Presidente Nacional. E espero ter estado à altura das tarefas, dos embates e, mesmo, ter sido fiel companheiro nos combates que, embora adeptos e seguidores da Paz, tivemos que enfrentar e travar contra "forças abjetas, vis e deletérias". Com certeza, recordando belíssima metáfora bíblica de espetacular Beleza e Força: a CAPPAZ será, sempre, o Bom Combate!

Neste parágrafo de encerramento, devo confessar que, incorrigível romântico e sonhador que sou, quando a Joyce traçou, em rápidas pinceladas, o perfil da Confraria, fui buscar lá na distante e cavalheiresca Idade Média o sábio Rei Arthur, sua Camelot e seus corajosos Cavaleiros da Távola Redonda. E, lá, reencontrei meu Cavaleiro preferido: Lancelot. E, Idade Média, à fora, (por onde creio que meu Espírito passou e foi feliz!), busquei os Passos do Santo-Poeta Francisco de Assis. Coisas de poeta... Loucuras, quem sabe, delírios de um coração poeta... Amante de Símbolos e Oráculos, procurei e procuro Sinais que possam conduzir a CAPPAZ por melhores caminhos - não desprezando os atalhos e evitando as pedras pontiagudas que sangram os pés e fazem doer a Alma... Entretanto, sou um homem comum - com falhas e tropeços, com Anjos e Demônios: Dualidades com as quais Deus quer que eu aprenda. Resta-me, enfim, dizer do meu sincero contentamento em estar ao lado de nossa Presidente-Fundadora e de toda a cordial e aguerrida Família CAPPAZ! Uma Família rica e heterogênea, onde a homogeneidade se faz presente, diuturnamente, na crença de um Mundo melhor, de um Homem melhor! De uma melhor compreensão de PAZ, FRATERNIDADE, VIDA, AMOR, RESPEITO E JUSTIÇA - entre outros tantos Valores essenciais à extremamente complexa e bela Caminhada do Homem neste mui maltratado Planeta-Terra!


Um brinde à Vida!!!
Um brinde à CAPAZ!!!

Com meu abraço sempre franciscano,
J.J. Oliveira Gonçalves/JJotaPoet@!
Presidente de Honra/CAPPAZ
Porto Alegre, 08 de abril/2010. 15h33min


















Copyright® 2008/2015 - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Site melhor visualizado pelo Internet Explorer
com resolução 1600x900px.