CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz




Editorial/02-2012
A Mulher é Vencedora!!!
Autoria: Retijane Popelier




Ao longo da história da humanidade a figura da mulher aparece das mais diversas formas.

A existência da humanidade é dependente da existência da mulher, pois é ela que garante o nascimento das gerações futuras, no entanto, sofreu todo tipo de violência e limitação imposta pela ignorância e pela força da figura masculina que exercia o papel de comando, do protetor, de provedor.

Felizmente e graças a coragem e o destemor de centenas de milhares de mulheres, essa realidade começou a mudar a partir da revolução industrial, ocorrida no século XVIII a partir da Inglaterra, influenciando as revoluções francesa e americana que trouxeram os ideais de LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE aos povos da terra.

Hoje a mulher é reverenciada das mais diversas formas, não obstante o grande índice de violência a que estão submetidas milhares de mulheres. As estatísticas revelam que a cada 15 segundos uma mulher sofre algum tipo de violência no Brasil.

A legislação brasileira, a partir da CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988, sofreu diversas adptações todas no sentido de assegurar o que determina o artigo 226 da CF:

Art. 226 - A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.

Parágrafo primeiro - O casamento é civil e gratuita a celebração.

Parágrafo segundo - O casamento religioso tem efeito civil, nos termos da lei.

Parágrafo terceiro - Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.

Parágrafo quarto - Entende-se, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.

Parágrafo quinto - Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher.

Parágrafo sexto - O casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio. (Parágrafo com redação dada pela Emenda Constitucional nº 66, de 13.07.2010 - DOU 14.07.2010)

Parágrafo sétimo - Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva por parte de instituições oficiais ou privadas.

Parágrafo oitavo - O Estado assegurará a assistência à família na pessoa de cada um dos que integram, criando mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações.

Do ponto de vista prático, nossa sociedade está caminhando a passos firmes em direção ao total e plena valorização e respeito à mulher, com a derrocada definitiva de todo e qualquer tipo de violência.

É nesse sentido que devemos somar esforços, lembrando diariamente aos mais jovens sobre a importância de princípios básicos, tais como respeito, solidariedade e amor, oferecendo, proporcionando e garantindo um destaque ilimitado a figura feminina e materna, que move o mundo nos traz à vida, que nos alimenta e protege para a continuação de nossa espécie.

Retijane Popelier
Confreira Honorária da CAPPAZ



















Copyright® 2008/2015 - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Site melhor visualizado pelo Internet Explorer
com resolução 1600x900px.