CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz




Editorial/03-2012
Do Índio e de Tiradentes
Autoria: J.J. Oliveira Gonçalves




Anteontem, Dia do Índio!
Comemorar o quê?
Hoje, Dia de Tiradentes!
Comemorar o quê?
Ano passado - ainda
escrevi nestas e sobre estas Datas:
seu significado, sua História, sua importância, sua grandeza!
Sobre Heróis de carne-o-osso
Heróis de sangue bem Verde-e-Amarelo
e sobre os tantos "silvérios-dos-reis" e "lesas-pátria"
que continuam a trair os ideais de um País que nasceu para ser grandioso
e não apenas grande - continental - do Oiapoque ao Chuí.
No "Dia do Índio", o que vi no centro de Porto Alegre
foram pequenas índias-mães com seus filhotes,
suas quinquilharias nas calçadas - para vender por quase nada,
(principalmente, na Rua da Praia)
sua miséria de dar dó
sua condição (des)humana de explícita exclusão
numa aziaga exibição de sua triste (in)condição na "Tribo Brasil"!
"Dia do Índio"? Sim. Todo dia é dia do índio:
de o índio passar vexame a céu aberto na Terra que foi sua,
e, hoje, ser Raça-Verde-e-Amarela em extinção, mesma mesma Terra,
como em diuturna extinção são a Flora e a Fauna Brasileiras
num País onde a corrupção é cancro, é carcinoma,
pois o "Brio" e a "Vergonha na Cara" foram banidos
pela falta de Civismo, de Vergonha-na-Cara, de Brasilidade!!
Por isso, (e muito, muito mais), pergunto ao Herói mineiro
Joaquim José da Silva Xavier - o Tiradentes:
VALEU A PENA??
Essa pergunta - que está sempre acesa dentro de mim -
é a mesma que, diuturnamente, faço a Cristo:
VALEU A PENA??

Porto Alegre, 21 de Abril - Dia de Tiradentes/2012. 16h20min


















Copyright® 2008/2015 - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Site melhor visualizado pelo Internet Explorer
com resolução 1600x900px.