CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz




Editorial/04-2013
O Tempo é Breve
Autoria: Vera Lúcia Passos




Se eu pudesse, eu sairia por aí a conhecer as maravilhas que a natureza nos oferece; não haveria final de linha, em minha caminhada, o vento seria meu transporte; um dia no Polo Norte, outro na Índia, na Europa, nas ilhas solitárias dos Oceanos... tanto, tanto para conhecer, conquistar trazer na memória, tal um chip interminável de emoções.Viajar nos rios , mergulhar nas profundezas oceânicas , voejar no espaço sideral, além das estrelas, das milhões de galáxias, circular na Lua, levitar... a vida é breve, não daria tempo de experimentar todas essas emoções; enquanto isso, viajo meu caminho limitado pelo transporte que me irrita,me humilha, abarrotado de gente perdida pela ambição exarcebada, pela violência constante das ruas, pelo desamor, pelo orgulho , pela falta de sonhos. Pobre gente! que nem percebe o arco íris se formar no horizonte, não vê o olhar de uma criança órfã de pais vivos, desconectados pelo vício e falta de caráter. O mundo de tantas maravilhas está num estado de escuridão, que o cego talvez veja melhor, que os que enxergam. Os dois olhos não são suficientes para viver e perceber as vias que se formam na nossa estrada. Há quanto tempo você deixou de admirar a fresta do sol invadindo a sua janela? O galo canta lá longe e ninguém nunca sabe ao certo onde ele vive. A semente cair ao solo, trazida por um minúsculo inseto, de repente busca a luz e lá vem ela invadindo o espaço, antes deserto, você nem percebeu. Na árvore, a única que restou no seu jardim, um pássaro todo dia traz no bico algo e em seguida surge um ninho; a criançada em alvoroço, quer escalar a árvore, o pássaro não permite. Tempos depois, ouve-se o barulho sonoro dos filhotes, você continua ocupado. Eu gostaria de conhecer a vida daquelas formigas que insistem em devorar minhas flores; seguir as borboletas que beijam minhas margaridas amarelas e depois seguem o seu voo, visitando outros lugares; os caminhos se abrem na minha frente, minha fronteira se alarga, a leitura me faz descobrir outras belezas, algumas nem teria coragem de buscá-las, tenho meus limites, é claro. Sonhar eu posso, então invado campos jamais imaginados. A vida é muito breve na matéria, tenho certeza que ninguém viverá essa aventura, numa só existência, na carne. Podem até pensar que é utópico se viver nessa intensidade, é preciso coragem para se desapegar da residência fixa e se embrenhar no desconhecido. Muitos que o fazem, nós o chamamos de loucos, esquecemos que é seu jeito de ver a vida. A vida é breve... é linda! Maravilhosamente bela!



















Copyright® 2008/2015 - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Site melhor visualizado pelo Internet Explorer
com resolução 1600x900px.