CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz




Editorial/01-2014
O Risco da Avareza
Autoria: Narciso Nilo Sebastiany (Médico)




O dinheiro que está servindo a vida de umas pessoa e ,também, aos seus descendentes e a alguém que dependa dessa pessoa é uma coisa boa. , e daí deve resultar a sua finalidade. Possuir riquezas, desejá-las, trabalhar para adquiri-las é, pois, algo legitimo e digno. Trabalhar para ganhar dinheiro e economizá-lo é honesto... Porém o apego demasiado ao dinheiro ou às riquezas, beira ao risco da avareza, considerando, portanto, que o mal não está no patrimônio, mas em nós mesmos, que queremos cada vez mais dinheiro, venha de onde venha mesmo em prejuízo de outra ou outras pessoas que possuem muito menos que a gente, ou que necessitem pedir um empréstimo para poder pagar a divida, assim já feita por necessidade. O pensamento justo (e teórico ) seria dizer o seguinte ,(quando o trabalho fosse despendido de forma a se poder formular o seu preço justo) “nunca a gente trabalhar somente para ganhar dinheiro, mas ganhar dinheiro porque a gente trabalhou”. Podemos também afirmar, que “rico será aquele que sabe dominar o dinheiro levando-o para o bem da sua vida e para a prática da caridade e da justiça”. “Pobre será o individuo dominado pelo dinheiro e que considere o dinheiro como o bem supremo e o que seja de mais importante para sua vida”. Com o coração desprendido dos bens materiais as demais paixões diminuem quando não desaparecem de todo. O avarento, porém, agarra-se a seus bens pensando poder comprar a vida e até a eternidade... Sejamos pobres de riquezas e bens supérfluos; sejamos ricos de espírito. O NATAL nos dá motivos para pensarmos e agirmos assim.



















Copyright® 2008/2015 - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Site melhor visualizado pelo Internet Explorer
com resolução 1600x900px.