CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz




Editorial/03-16
ORDEM E PROGRESSO
Autoria: J.J. Oliveira Gonçalves




"Sem ordem é a anarquia - o caos.
Sem progresso é a miséria - a estagnação."
(JJotaPoeta)

13! Sexta-feira. Maio. 2016. Um novo começo. Recomeço da vida. Recomeço de vidas. Recomeço da Terra Brasilis. É o Gigante – ainda debilitado – que reacende seus sinais vitais e quer sair da UTI. É o Brasil que traído, sorrateiramente transacionado e covardemente lesionado, acorda – vendo que os filhos seus não fogem à luta! E o coração vermelho do Brasil – eis que é vermelho o sangue que palpita em nossas veias! – vestido de Verde-Amarelo-Azul-e-Branco, mostra que está bem vivo. E guapo para combater o Bom-Combate! Com certeza, não é um coração transplantado! É o velho e surrado coração brasileiro que bate no peito da Pátria – do Oiapoque ao Chuí! Com certeza, é o coração que cada compatriota traz dependurado no próprio peito. Agora, não só com a Esperança, mas com a certeza – alicerçada no lema altivo e positivo de nossa Bandeira – podemos declamar para ela estes versos de civismo e encantamento: “Salve lindo pendão da esperança!/Salve símbolo augusto da paz!/Tua nobre presença à lembrança/A grandeza da Pátria nos traz.”

Nosso País passa por tempos nebulosos, apreensivos, tristes, sombrios. Vítima de uma crise, (ou um caos?), política, social, econômica e, sob meu modesto ponto-de-vista, a maior das crises: a crise moral! Pois que, não fosse este último e contundente aspecto, não teríamos chegado a esta situação aniquiladora e vexatória. O assalto – oficial e diuturno – aos cofres públicos da Mãe-Gentil são escancarados desavergonhados, sórdidos. Tornaram-se práticas comuns e contumazes. E, na vitrina do vocabulário cotidiano, tornaram-se comuns as palavras propina, pixuleco, coxinhas e mortadelas. Tanta corrupção, tanta roubalheira, tanta maracutaia, tanta falta de vergonha na cara não nos deveria impressionar e revoltar a todos? Diante desse panoroma de terra arrasada – hostil e corrosivo – o cidadão brasileiro, decente e trabalhador, vê seus bolsos minguados e seus sonhos vazios – eis que o trabalho perece e a esperança, melancolicamente, desfalece!

Agora, é hora de o Brasil reagir. Se recompor. Se reerguer. Se aprumar. E retomar a caminhada em busca de seus Ideais Democráticos de Povo e de Pátria, ante as Nações! Uma caminhada penosa e corajosa, mas altiva e criativa: por melhores dias, por melhores tempos – onde ORDEM E PROGRESSO seja o Lema positivo, diuturno e pragmático, que há de recolocar nosso País na senda do Desenvolvimento e da Paz! O Brasil merece! Nossa gente – sofrida, usada e abusada! – merece! Afinal, não é mais possível que o crime de lesa-pátria prospere. Nem que os vendilhões da Pátria sejam tratados como gente de bem. Menos, ainda, que os vilões sejam comparados a heróis. Ou da Pátria impolutos salvadores! Quando, na verdade das ideologias totalitárias e dementes, não passam de mentes maquiavélicas e oportunistas! Que nunca mais sejamos reféns de um sistema mascarado de democrático. Nem de um partido que destila ódio, menospreza a Nação, e oferece mentirosos sonhos e ilusões em troca de ruidosas quinquilharias!

Que estes exacerbados momentos de angústia e aflição sejam, em breve, lembranças doídas e pretéritas, nas páginas da História do Brasil que – Povo e Governo – começamos a escrever agora, neste 13 de Maio: Dia da Liberdade da Raça Brasileira! Que as Lições doídas e lesivas não sejam esquecidas! Que a Verdade volte a ser Verdade. E que a mentira não volte mais a ocupar o lugar da Verdade. Que nossa Bandeira seja essa – colorida e bela – que vemos tremular, (garbosa e altiva!), acenando ao nosso Civismo e à nossa Emoção! Que as sombras deletérias do totalitarismo e da escravização sejam, para sempre, afastadas de nossa Pátria e do nosso Povo! Não nascemos para ser escravos. De ideologia nenhuma. Nem de ninguém. Que Deus nos ajude e inspire! E que nossa Mãe-de-Aparecida nos abençoe!


“Minhas palavras são como as Estrelas... Jamais empalidecem!”
(Grande-Chefe Seattle)


Porto Alegre, 13 de Maio – Dia dos Pretos Velhos/2016. 13h
jjotapoesia@gmail.com – www.cappaz.com.br


















Copyright® 2008/2016 - Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Site melhor visualizado pelo Internet Explorer
com resolução 1600x900px.