Edvaldo Nunes

FORMAÇÃO ACADÊMICA
- Engenheiro Mecânico e de Segurança do Trabalho – UFPB (CREA Nacional 1605171328)
- Mestre em Engenharia da Produção – UFPB
- Bacharel em Direito (OAB – PB nº 11.126)

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL
- Perito Judicial Trabalhista (com atuação em João Pessoa e Campina Grande);
- Presidente da Comissão Municipal de Insalubridade de João Pessoa – PB;
- Professor Universitário do UNIPÊ no Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho (João Pessoa – PB
- Professor Universitário na Faculdade Anglo Americana no Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho (Campina Grande – PB.

Confrade Efetivo.







O CANTO LIVRE DO PÁSSARO
Edvaldo Nunes


Adotei um pássaro cantador
E o criei sem horas e sem rédeas
Nos meus lugares de acesso à paz,
Solto, solto,
Preso tão somente, imagine,
Pela minha vontade de vê-lo solto.

Mas para quem cantam os pássaros?
Mas para quem canta este meu?

Esse seu canto aberto, livre, sem gaiola,
Comodamente adentra no meu coração,
Repetindo as notas de uma possível viola,
Regida fielmente por uma densa paixão.

Existem essas notas por um amor,
O de uma mulher,
Afinadas com o canto de Deus
E que vangloriam os meus ares,
Os meus ares que um dia vi espalhados
Assim, por folhas frágeis,
Que, quando balançadas ao vento,
Nada me mostravam.
Assim, nada sabia.

É um proceder sereno, livre e bonito,
Que em magia se envolve,
Onde não ouso entender,
Apenas deixo fluir.

De onde vem isto,
Que me faz voar tão nítido
Num canto suave de um pássaro livre?

De onde vem essa riqueza,
Que me faz ter e ver
O pássaro, o canto, a árvore, o vento,
Uma mulher, o prazer?








Esta página é melhor visualizada pelo Internet Explorer
com resolução 1024x768.