Eloiza Weydmann (Mirna)

Mirna é simples e sutil como seus escritos. Escrever é sua terapia emocional e já lhe rendeu vários infartos à menos. Se descobre quando escreve e se liberta dos velhos fantasmas abrindo espaços para os novos. Publicou poucos poemas dos muitos que seus 64 anos produziram. Agora vai reuni-los em prosa e verso.

Confreira Efetiva.





Paralelas
Eloiza Weydmann (Mirna)

Paralelas... seguem juntas...
lado a lado... dor a dor...
Não podem fugir a não ser... juntas
rumo ao infinito .....
Não se batem
Não se juntam
Não se encontram...
Mas precisam uma da outra... para existirem!
Paralelas...
São as vidas que buscam...
sem nada encontrar!
São palavras... sem vida...
sem sentido... sem amor
São um nada querer...
Um nada acolher...
Apenas uma reta enorme...
Que aponta prá lá...
Prá longe de mim...
Distante daqui do sossego... da quietude...
Da mesmice... que não quero deixar!

Ser paralela... contigo...
È ter a perfeita desculpa...
Prá não te encontrar...!












Esta página é melhor visualizada pelo Internet Explorer
com resolução 1024x768.