- 21 de setembro -

Dia Internacional da Paz e Dia da Árvore

3º ENCONTRO FILOSÓFICO CAPPAZ



PARTICIPANTES


01. Vanda Ferreira
02. Flávio Martinez Guebara
03. Haydée S. Hostin Lima
04. Sidney Santos
05. J.J.Oliveira Gonçalves
06. Marco A. Amado
07. Ana Teresinha Drumond Machado
08. Vera Passos
09. Leonardo André
10. Silvia Benedetti
11. Marina Martinez
12./13. Edecio Mergener
14. Deomídio Macêdo
15. Silvia Benedetti
16. Joyce Lima Krischke
17. Nena Sarti
18. Sílvia Araújo Motta
19. J.J. Oliveira Gonçalves
20. Varenka de Fátima Araújo
21. Akasha De Lioncourt
22. Maria Fernanda Reis Esteves
23. J Otoniel Poeta
24./25. Carlos Reinaldo de Souza
26. ao 31. Ana Teresinha Drumond Machado
32. Isabell Sanches
33. Pinho Sannasc
34. Paulo Rodrigues




PARTICIPAÇÕES

01.
Vanda Ferreira


Árvores são seres com as quais estabeleço contato íntimo. Converso e comungo de sabedoria. São verdadeiros e nobres exemplos de resistência, humildade, generosidade e gratidão.


(trecho da obra inédita "Gongo - Sintomatização e Estratégias para a paz", de Vanda Ferreira)



02.
Pensando Natureza e Paz
Flávio Martinez Guebara


A natureza é paz e a árvore é vida!
A paz se confirma havendo a natureza.
A natureza só terá paz, quando ela for respeitada.
Nunca haverá a paz, se não houver a natureza.
Um homem de paz mantém a natureza!



03.
Ipê
Haydée S. Hostin Lima


Explode em chamas.
Fica em flor junto ao asfalto.
Sorri ao sol – sem lábios,
flor amarela, faz o país – sem querer.
É uma bandeira – ou todas.
Abre a nação
e canta “entre outras mil”,
sem saber cantar,
a palavra – Brasil.



04.
Árvore
Sidney Santos


Há pessoas que seguem sozinhas; e o fazem bem. Outras só conseguem andar acompanhadas e também conseguem seus objetivos. Algumas das solitárias ficam pelos caminhos. Algumas das pessoas acompanhadas também não conseguem cumprir a caminhada. Entretanto, existe um tipo de pessoa que no seu caminhar pára em auxilio do próximo. São como árvores fornecendo sombra a quem está se refugiando do sol intenso. Árvores não perguntam sexo, raça ou ideologia e simplesmente fornecem abrigo. Quando a pessoa já está descansada ou quando se acha em condições de partir, simplesmente vai embora, pois a árvore nada exige. Injustiças às vezes são cometidas quando alguém se acosta à árvore, reclamando da pouca sombra se esquecendo que é tempo de inverno e a árvore agora está se preparando para nova vida e novos frutos. Antes de criticarmos alguém, olhemos primeiro para nossas limitações. Não queiramos um abraço da árvore, pois jamais ela conseguirá tal proeza, pois não é de sua natureza.

Pra você, meu abraço.




05.
*Pequena Irmã-Árvore...
J.J.Oliveira Gonçalves


Pequena irmã-árvore, tão bela
Que mal, sei, não fazias a ninguém:
Que quadro doloroso, ai... à janela:
Te mata um coração que Deus não tem!

Há quantos anos nós nos conhecemos
Em mútua e deliciosa Simpatia!
Linguagem silenciosa os dois tecemos
Em tua Beleza esguia eras Poesia!

Que fera mais cruel é o bicho-homem
Que não tem Emoção e nem Respeito:
Te mata a machadadas – desse jeito!

Teus ais ouço, daqui, que me consomem
Querida irmãzinha, ai, que tristeza:
Ver o assassínio vil da Natureza!

Quisera ver punida a mão bandida
Pra nunca mais, meu Deus, matar a Vida!

*A uma pequena árvore que, em sua época de floração, cobre-se toda de púrpura... Essa Púrpura Poesia foi abatida, ontem, à tarde, Domingo de meu Pai Oxalá com furiosas e impiedosas machadas!!!


Porto Alegre, 28 de dezembro/2009. 11h51min – HS



06.
Árvore da Paz...
Marco A. Amado


A paz é como uma árvore
Deve-se plantar a semente
Com muito amor e carinho
Regar com alegria e felicidade
Tratar com carinho e paciência
Para que possamos colher
Os frutos da árvore da paz.

Ocram 19/09/11



07.
Fábula:
O ganso Jericó e a Pombinha Ninica
Ana Teresinha Drumond Machado


Aos CAPPAZES mirins

O imponente Ganso Jericó convidou a Pombinha Ninica para passearem um pouco , depois de um farto almoço. Saíram os dois satisfeitos em uma animada prosa.

Depois de observar a natureza tão seca, pensativa, disse Ninica ao Jericó:

- Tenho ficado , realmente, muito desassossegada com a nossa mãe-terra.

Balançando as brancas penas, como um príncipe dos castelos medievais, Jericó dá uma boa gargalhada. Qual é Ninica?! Eu quero apenas viver. E viver bem! Sombra e água fresca me bastam!

- A mim também, retrucou Ninica. Só que você tem se esquecido das grandes queimadas, dos desmatamentos, da seca!

- E o que eu tenho com tudo isto? Já lhe disse mil vezes: sombra e água fresca me bastam! Repetiu Jericó com indiferença.

Então, nervosa, Ninica disse:

- Muito bem, rapazinho, o desmatamento e a queimada irão acabar com sua boa-vida. Adeus sombra!Adeus água fresca!

Com ar de superioridade, Jericó abana as penas como se fizesse parte de outro planeta.

Só que a conversa foi passando... foi passando... e quando perceberam se encontravam a léguas da Fazenda da Paz.

O cansaço desceu, a sede subiu e o sol pesou.

- Ninica, disse Jericó: não suporto mais o sol a me queimar, minhas penas esquentarem. Estão todas suadas! Não encontro sequer uma árvore para servir-me de abrigo. Nem um lago! Nem uma gotícula de água para refrescar meu corpo e matar minha sede, ai! Tudo está muito em mim, meu Deus! Ufa! Parece até que estou no deserto!

- Bem feito, disse o papagaio Dedeco, que se escondia debaixo de acanhadas folhas de uma mangueira. Eu não bebo água, porém nunca agredi a natureza, nem desrespeitei as árvores – fonte de vida para todos nós. Onde há vida, há alegria, há Paz.

Tome, infeliz, volte até a Fazenda da Paz. Lá encontrará muitos bons filhos da mãe-terra que cuidam das matas, dos rios... Lá encontrará a sombra e a fresca que tanto necessita.

Vá... Se souber preservar, poderá, Jericó, receber as quatro graças da natureza: sombra, água fresca, vida e paz. Crie força, bonitão. Aprenda, pois, respeitar quem lhe oferece tudo e pede tão pouco em troca: zelo.

Moral da História: “QUEM CUIDA TEM”.




08.
A velha árvore
Vera Passos


Lá vem o batalhão de inconscientes, incompetentes
Marchando pra guerra
E ainda em terra
A velha inocente, alheia a tudo, vive.
No dorso tantas eras.
Admira a primavera e gera sementes.
Extraordinaríamente linda! Exuberante...
Nos seus galhos tão fortes
Aninham os passarinhos
Machados e serras ferem seu corpo robusto
E com muito custo e enorme barulho
Tomba um galho.
Meu corpo estremece, meus olhos umedecem
O batalhão cumpre o trato
E apesar de resistentes, outros galhos desfalecem
E tombam depois, até a raiz
Desatam-se os elos.
E lá se foram as juras de amor
Gravadas nos troncos
As promessas a dois
Foi-se a hstória de uma vida de glórias



09.
Leonardo André


1 - VIVER EM PAZ
Viver em paz é ter na mente que: amanhã é um novo dia;
então, que se esvoacem as más lembranças,
que permaneçam as melhores recordações...
hoje sou o presente, amanhã sou todo esperanças.

2 - REFLEXÕES DE VERÃO
Ah, se eu não houvesse cortado aquela árvore na juventude...
agora, que meus passos são lentos, fazem falta todo dia
o frescor de sua sombra e o seu perfume primaveril.

Um grande e carinhoso abraço poético e musical.



10.
EU QUERO
Silvia Benedetti


Eu quero ver o mundo diferente,
Que seja todo isento de maldade,
Que seja bem fraterno e irmanado,
No reino da sublime caridade.

Eu quero ver o mundo esplendoroso,
Que seja radioso como a aurora,
Que seja todo luz que esclarece,
No reinado do consolo ao que padece.

Eu quero ver o mundo sem ter "feras",
Que seja só de PAZ a nossa Terra,
Que seja tudo risos,alegria,
No reinado da vida sem a guerra.

Eu quero ver os seres corrigidos,
Que sejam mais irmãos, pura verdade,
Que sejam mais cristãos e sigam sempre,
De Jesus Cristo o exemplo de bondade!



11.
De Paz e de Árvores
Marina Martinez


O que há em comum entre Paz e Árvore?
Necessitam de sementes para nascer e crescer.
Precisam do Homem para continuarem a viver.
Apenas podem sobreviver se esses Homens quiserem.
O ideal? Plantar árvores que ofereçam flores de Paz;
defender a Paz para que Árvores possam sobreviver.
Infelizmente, alguns desses Homens não querem.



12.
A PAZ QUE QUEREMOS
Edecio Mergener


A paz que queremos e precisamos
Que esperamos pelos outros sem se tocar
Que é no lar que tudo começa
Vamos de pressa... Precisamos acordar.

No meio há tanta violência... Na rua espelhada
É tiro... É pancada... E onde vamos parar
Temos que começar... Urgente... Com firmeza
E com certeza tudo vai mudar.

Vamos iniciar dentro de casa
Ascender á brasa da paz e do amor
E pedir ao Senhor que nos de proteção
Com carinho e união, seremos vencedor.

Em nossos filhos estão os frutos que plantamos
E neles esperamos a paz que queremos
E ensinaremos a ser paciente
Colocando na mente... A verdadeira paz.



13.
Árvore... Quero Te Abraçar
Edécio Mergener


A árvore é exemplo de vida
Com frutos, florida, e folhas belas
O que vemos... Nos causa, emoção
E nosso coração chora por elas.

Arvore... Você que produz o oxigênio
Que á milênios nos faz respirar
E se alimentar com teus frutos e folhas
Não temos escolha, á não ser te cuidar.

Arvore... Quero te abraçar e agradecer
Por me fazer viver alegre e sorridente
Da flor sai á semente para podermos plantar
E no chão germinar, pra vida não parar.

Regue nossas arvores... Não corte
É mesmo que a morte... Pois é uma vida
Arvore querida... Linda por natureza
Pois tenho certeza que nossa geração
De você vai precisar.



14.
Deomídio Macêdo


“Para que eu possa encontrar a Paz e o Amor, é preciso olhar no olhar do outro e perceber a minha imagem refletida naquele olhar que se transforma em um único ser.”



15.
ÁRVORE DA PAZ
Silvia Benedetti


Destaque ante o horizonte,
Velha árvore frondosa,
Erguidos galhos parece,
A todos pedindo PAZ!

Vencendo grandes tormentas,
Açoites de vendavais,
Erguidos galhos parece,
Verde símbolo da PAZ!

Floresce nas primaveras,
Doa sombra nos verões;
Erguidos galhos parece,
Um belo exemplo de PAZ!



16.
Árvore da Paz e o Abraço
Joyce Lima Krischke




Vejo na árvore copada e florida,
os momentos de paz da minha vida.
Momentos que fazem da minha Árvore da Paz
um constante reflorescer que me apraz.

Sinto os seus galhos como braços,
desejando envolver-me num fraterno abraço.
Embora seus galhos não me abracem por inteiro,
eu consigo abraçá-la com alguém, primeiro.

Sim, a vida me ensinou e repasso:
Nossa Árvore da Paz está carente de um abraço!

Não espere que a Árvore da Paz vá até você
Não me pergunte como e nem o “porquê”....

Ah! Você possui os meios para ir ao seu encontro!

Balneário Camboriú/SC, 21 de setembro de 2011.



17.
Nena Sarti


Estou diante de uma árvore,
Ela com reverências e humildade me comprimenta,
Eu orgulhosa e indiferente apenas olho sem entender.
Ah! O ser humano, tão humano é,
Não enxerga o gesto, não sente o sabor, não sobereia e perfume,
E fala de Paz.
Que vergonha!
Nesse instante queria ser árvore para redimir meus pecados
E encontrar a plenitude mesmo tendo raízes.



18.
FESTA ANUAL DAS ÁRVORES
Acróstico-informativo n º 3929
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil


F-Festa Anual das Árvores...
E-Em Decreto Federal tem
S-Seu nº: 55.795 de 1965.
T-Traduzem em vários países
A-A maior riqueza nacional.

A-As sementes, flores, frutos
N-Nascem, crescem em união!
U-Um morrer gera produtos...
A-Ao renascer dão eterna lição:
L-Libertam-se, retornam ao chão.


Belo Horizonte, 21 de Setembro de 2011.



19.
Filosopoesia...
J.J. Oliveira Gonçalves


O que é a Vida, afinal:
Luta do Bem contra o Mal?
E da Alma, no dia-a-dia:
Busca da Paz - Utopia?

Porto Alegre, 21 de setembro/2011. 16h33min



20.
Varenka de Fátima Araújo


Verde é Paz
Realmente,o nome do nosso planete deveria ser Paz,pela quantidade de plantas em degrade de verdes.
A cor fria que transmite tranquilidade e Paz no interior das almas dos homens.
Ame ás árvores e o verde e reinará a Paz!



21.
Salgueiro querido
Akasha De Lioncourt


Folhas verdes: fotossíntese,
Suprimento de ar renovado.
Assim é a Mãe Natureza,
Cuidando e mantendo seu reinado.

Copa gigante, sombra fresca.
Brisa que sopra, cheiro de vida.
São as árvores que nos rodeiam.
E nos garantem pequenas regalias.

Terra molhada, chuva de benção.
Água que forma lençol freático.
Molha as raízes desse meu salgueiro.
Mantenha a vida em seu corpo inteiro.

Todas as árvores merecem carinho,
São seres vivos e precisam de amor.
Amor que rega, poda, colhe e faz ninho.
E meu salgueiro deixa tudo muito acolhedor.

São Paulo/SP, 21 de setembro de 2011.



22.
A árvore dos meus sentidos
Maria Fernanda Reis Esteves


De porte grado e altivo
De uma imponência que assusta
eleva-se dos meus sentidos
um bravo e velho pinheiro

À sua sombra descanso.
Só com ele desabafo,
confio-lhe os meus segredos
(entre nós existe um pacto)
prometeu-me discrição

Eu creio que ele me ouve
pois entendo seus sinais
no silêncio em que falamos
ele e eu somos iguais
v Portugal



23.
Dia da Paz e da Árvore
J Otoniel Poeta


A Paz é o resultado do plantio da Árvore
Sendo ela um dos frutos das sementes bem
Plantadas
Em nome do amor, da fraternidade e dentre
Os homens a compreensão
Atitudes essas que vivamente contempladas:
Paz no lar, no ambiente de trabalho e outras
Mais circunstâncias
Devem residir e se espargir no mundo em toda
Sua extensão
Fatores esses sejam parte do homem e suas ânsias

A Árvore da Paz Internacional deve ser preservada
Por todos em qualquer nível integrantes da Civilização
Tendo o Mestre dos mestres recomendado: “ A árvore
má, aquela que não dá bons frutos deve ser cortada e
ao fogo jogada!”
Significando essa a discórdia, as tendências ao mal e intenções
Regada seja a árvore que produz bons frutos nascidos do
Bom coração
Ao nascer Jesus Cristo os anjos anuciaram em altos e bons
Sons:
Em meio a outras divinais palavras: “ ... E Paz na terra aos
Homens de Boa Vontade!”



24.
Paz e Vida
Carlos Reinaldo de Souza


Paz: eterna aspiração do Homem.
Homem: um ser ávido de Amor.
Amor: essência máxima da Vida.
Vida: aspira o manto da PAZ!



25.
À árvore
Carlos Reinaldo de Souza


É sentinela da vida
que se ergue, altaneira;
são folhas que dão guarida
e uma sombra prazenteira.

Flores que exalam perfume
dão frutos tão saborosos,
que todos temos costume
de amá-las, esperançosos.

Que o homem faça justiça
à estas bravas guerreiras,
deixem de lado a cobiça
e salvem estas parceiras!



26.
Pensamento
Ana Teresinha Drumond Machado


Saboreie os frutos,
Plante ar puro,
Dê vida à vida,
Semeie as sementes
Que diatribuirás a Paz.



27.

Quando sentires o frescor da brisa
lembre-se: antes
alguém plantou um bosque!

Ana Teresinha Drumond Machado



28.

Ao ver o Sol castigar o Jequitinhonha,
a secura inundar o sertão,
o pobre chorar gota d'água...
A dor dói uma dor seca, trincada
mas com esperança de lágrimas
fecundarem o chão.

Ana Teresinha Drumond Machado



29.

Ò meu Padim Ciço!
Que o humilde sertanejo
não pague com a vida
a securado homem civilizado!

Ana Teresinha Drumond Machado



30.

Sob o céu limpo de um azul anil,
mora só uma árvore,
no pasto estorricado.
A Paz fugiu de lá.

Ana Teresinha Drumond Machado



31.

João-de -barro luta com a árida terra.
Falta-lhe água. Falta-lhe teto.
Falta-lhe também Paz.

Ana Teresinha Drumond Machado



32.
Dia da Árvore
Isabell Sanches


A ma-la é nosso dever temos que
R espeita-la sempre em todo nosso
V iver
O desmatamento precisa ser banido
R eerguamos uma só bandeira
E m prol das árvores protegerem



33.
Árvore da paz
Pinho Sannasc


De uma pequena semente
Que gemina em um coração
Pode brotar simplesmente
O amor fraterno e a união

É melhor plantarmos juntos
Assim nós colheremos mais
Para repartirmos os frutos
Da apetecida arvore da paz

Paz e bem!



34.
Plantei uma árvore
Paulo Rodrigues


Quando eu era pequeno
e no campo vivia a brincar
plantei uma pequena semente
para uma bela árvore desabrochar
e eu sorri contente
quando seus doces sabores devorar.

Os dias eu fui contando,
os anos na folhinha marcando.
Enquanto a semente germinava
e em uma bela árvore se transformava.

Minha face a alegria ficou estampada,
toda manhã radiava felicidade
quando na sua sombra lia sem pressa e ansiedade
as belas histórias de Peter Pan e a terra encantada.

Mas para a minha infelicidade
o homem armado de pura maldade
e muita ganância
numa tarde morena
tornou pequena
minha doce infância
deixando apenas a saudade
da Paz contemplada
na minha árvore tão amada.

Sorocaba - SP



Direitos autorais reservados aos autores
A CAPPAZ não realiza revisão dos textos











|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||


Arte e Formatação Joyce Lima Krischke
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados

Esta página é melhor visualizada pelo Internet Explorer
com resolução 1024x768