Melize Zanoni

Nasceu em Balneário Camboriú em 1980. Apaixonada pelas Artes, é atriz de Teatro há 27 anos e graduou-se em Artes Cênicas na Udesc em 2002. Tornou-se mestre em Teatro- Artes Cênicas, pela mesma instituição, e hoje é Doutoranda do mesmo Programa de Pós-graduação. É gestora cultural, atua, dirige e escreve para teatro.

Confreira Efetiva.


 


O contador de histórias

Pendiam de seus lábios ligeiros
Palavras doces-cortantes como fio de navalha
Escorregavam por sua língua histórias, gracejos,
Palavras que se uniam qual colcha de retalhos
As faces vermelhas de calor reclamavam o ardor da fogueira
Fogueira de carmim das bochechas rosadas, das moças ruborizadas
Pelas palavras doces-cortantes qual adaga no peito
Histórias corriam pelos ouvidos atentos como o rio que
Serpenteia na mata
Seus gestos entravam macios e ardentes
pelos olhos brilhantes das senhoritas
As mãos pequenas de gestos leves esperavam
o momento de dar o bote qual lobo diante da caça
E o jovem contador de palavras-serpentes inebriava os presentes com suas palavras doces-cortantes que desferia ao pé da fogueira
Com golpes precisos acertava com seu olhar comprido
os mesmos olhos brilhantes das senhoritas
E com seus braços esguios e cautelosos, qual gatuno
que espreita o objeto que deseja, o ladrão de sonhos sai pela estrada afora
carregando entre os dedos levianos, qual lençol de cetim
o coração palpitante das moças de face carmim.

Melize Zanoni
25/06/2004