Paulo Rodrigues

Natural de Belo Horizonte – MG, mas sorocabano adotivo desde a infância. Formado Analista de Sistemas pela Universidade de Sorocaba. Música e Literatura o grande prazer da sua existência. Sua relação com a poesia começou ainda criança, quando em busca dos mistérios escondidos no reino das palavras. Participou de diversos concursos de poesias e editou em diversas Antologias sendo homenageado com Diploma e medalha no prêmio Personalidade 2011 da Academia de Artes de Cabo Frio.
“Fé em Deus e Amor no coração. O resto é consequência dos nossos Atos.”

HOMENAGENS RECEBIDAS:
* Homenageado pelos Correios com um selo personalizado - 2011 em comemoração ao 3º Aniversário da CAPPAZ - Confraria Artistas e Poeta pela Paz.

* Homenageado com Diploma e medalha no prêmio Personalidade 2011 da Academia de Artes de Cabo Frio.

PARTICIPAÇÃO NAS ANTOLOGIAS:

CAPPAZ - Confraria Artistas e Poeta pela Paz - 2010/2011/2012
• Interface de Amor e Paz 1ª, 2ª e 3ª Ed.

* Poema a Flor da Pele - 4ª Ed - 2011

IXX Congresso Brasileiro de Poesia - Proyecto Cultural Sur/Brasil
* Poeta Mostra a sua Cara - 8ª Ed – 2011
• * Poeta Mostra a sua Cara - 7ª Ed - 2010
* Poesia do Brasil - 11ª Ed - 2010

Clube Amigos das Letras - Barra Bonita - SP
* Filhos da Luz - 2007

Editora Valença - Valença - RJ
* Pérgula Literária VI - 2004

Confrade Efetivo.





Vida Simples
Paulo Rodrigues

Oh, minha formosa Rosa Fragrante!
A gente deveria viver qual uma árvore
Renascer toda primavera,
Florescer, ter folhas e frutos,

E depois viver em paz para si;
Amadurecer os frutos no outono,
Ficar cansada no verão
E morrer no inverno

Para despertar novamente na primavera seguinte.
A gente deveria levar uma vida simples,
Ser simples como os animais no campo

Ser simples como as flores na primavera
Ser como o sândalo que perfuma o machado que o fere.
Mas nascemos predestinados ao caminho da hipocrisia.