CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
 

 

01.

Sou louquinha por RONDÔNIA, mesmo antes de conhece-la,
RONDÔNIA, meu amor.
Algo me chama pra lá.
Mas vou falar baixinho para ninguém ouvir, antes que 6 bilhões de pessoas também gostem e aí, babau natureza...
Vocês ficam com a AMAZÔNIA, que eu fico com RONDÔNIA.
Olha só este poste.
bjs
bb
BRita BRasil
sosamazonia@gmail.com

02.

O POSTE COM VIDA!!
Joyce L. Krischke

Fiz versos pra Árvore dos Pedidos, em Gramado
Quando vivia num mundo encantado...
Depois, cantei à Árvore do Tamanco Holandês
Ah! Relembro saudosa aquela vez...
Também, fiz versos à Árvore da Primavera
E agora ao Ipê Amarelo- Não é quimera...
Dedico minha lira à árvore esguia, bela e florida
Que resistiu às agressões do homem -O Poste com Vida!

16/01/2010- 04:50
cappaz.joyce@terra.com.br

03.

ÁRVORE
Humberto Rodrigues Neto

Árvore sou; Deus criou-me
como um dom da natureza,
pra dar-te sombra e ar puro,
e à vida maior beleza.

Eu sou a mesa onde comes
um regalo ou simples pão;
o leito, mesmo, onde, à noite,
recitas a tua oração.

Sustento o teto em que assentam
as telhas da tua morada;
meu destino é dar-te tudo
e em troca não pedir nada.

Eu sou, nas grandes cidades,
pelo fumo enegrecidas,
o beijo da natureza
no asfalto das avenidas!

Sou discreta testemunha
dos sonhos dos namorados,
que gravam sobre o meu tronco
seus nomes entrelaçados.

No entanto, o destino deu-me
dos fados o mais rasteiro:
fazer que o Cristo morresse
cravado no meu madeiro!

04.

E O POSTE “FALAVA”...
Eloisa Antunes Maciel

“Remoendo” sua sina,
Tinoco vagava...
Ao poste da esquina
Suas mágoas “contava”...

Com pinga na cuca,
Ele alimentava
A idéia maluca
Que o poste falava...

Um dia, à noitinha
Tinoco sumiu...
E até a manhãzinha,
Ninguém mais o viu...

Mas logo, em seguida,

Ele agonizava...
Já quase sem vida,
Ao poste “falava”...

Santa Maria, 16 de janeiro de 2010

05.

A NATUREZA...
Cida Micossi

O que houve com o poste?
De repente floresceu
Mostrando a todos que o vêem:
A Natureza venceu

Santos/SP

06.

FLORES DE OXUM!
J.J.Oliveira Gonçalves

Ipê de flores belas, amarelas...
Mostrando de Oxum sua Doçura!
No poste floresceram, tão singelas
Da Natureza: Parto de Ternura!

No poste, a Luz da Vida... Luz do Amor
Vencendo d'Alma a humana Escuridão!
Que a árvore cortada - em sua Dor
Triunfa... E em suas flores: Paz, Perdão!

O homem - cuja mão é má, bandida,
Que à Morte vive a condenar a Vida
E sua Terrena Casa a depredar

Devia sua arrogância ajoelhar
Ante seu Criador... Penitenciar-se...
E em sua pequenez, sim, emendar-se!

Quem sabe, florescesse - qual o ipê
O coração desse homem... que não vê!

Porto Alegre, 17 de janeiro/2010. 10h17min - HS
jjotapoeta@yahoo.com.br - http://transmutacoes.zip.net

07.

IPÊ AMARELO
Marco A. Amado

Mesmo agredida a natureza
Encontra maneiras ímpares...
De se fazer presente
Veja como de forma tão singela,
Num ipê amarelo transformado em poste,
Ele, como uma magia,
Renasceu e resplandeceu
Suas folhas e flores!
Brotarão mesmo após a agressão!
E hoje mesmo havendo fios elétricos
Em seu tronco...
Nos mostra como sua força é bela
Procurando nos trazer a razão...
E nos dando ainda como brinde
Uma réstia de sua beleza!!

( OCRAM)
Rio 17/01/2010

08.

ÁRVORE
Sidney Santos

Há pessoas que seguem sozinhas; e o fazem bem. Outras só conseguem andar acompanhadas e também conseguem seus objetivos. Algumas das solitárias, ficam pelos caminhos. Uma parte das acompanhadas também não conseguem cumprir a caminhada. Entretanto, existe um tipo de pessoa que no seu caminhar pára em auxilio ao próximo. São como árvores fornecendo sombra a quem está se refugiando do sol intenso. Árvores não perguntam sexo, raça ou ideologia e simplesmente fornecem abrigo. Quando a pessoa já está descansada ou quando se acha em condições de partir, simplesmente vai embora, pois a árvore nada exige. Injustiças às vezes são cometidas quando alguém se acosta à árvore, reclamando da pouca sombra se esquecendo que é quase tempo de inverno e a árvore agora está pronta para os frutos. Antes de criticarmos alguém, olhemos primeiro para nossas limitações. Não queiramos um abraço da árvore, pois jamais ela conseguirá tal proeza, pois não é de sua natureza.
Pra você, meu abraço.

09.

POSTE EXEMPLO
Kedma O’liver

Olho essas flores
Onde não poderia mais
Nada existir
E vejo o exemplo
De perseverança
Que posso tirar daí
Maltratado pelo homem
Tirado de sua raiz
Ele volta a florescer
Refaz a vida, por um triz
Está entre perigo
De inteiro se queimar
Mas lança suas flores
Para a vida alegrar...
Para nós, o que tiramos
Dessa situação?
Esquecer os problemas
Aquecer o coração
Das cinzas nascem as flores
Da dor, a solidariedade
Vamos erguer os braços
E ser feliz de verdade.

10.

PENSEI...
Meimei Corrêa

Pensei ser um poste, mas
Ao olhar lá para cima
Soube o por que da CAPPAZ
Decantá-lo em verso e rima.

11.

POSTE DE LUZ NO TRONCO
DO IPÊ FLORIDO COM VIDA.
Acróstico-filosófico nº 2763
Por Sílvia Araújo Motta

P-“Poste de Luz” que encena
O-O ipê amarelo florido;
S-Simboliza “VIDA plena”;
T-Transmite no fio dividido,
E-Energia, que leva luz à cena.

D-Do poste com eletricidade
E-Efetivamente, luz conduz.

L-Liberdade à solidariedade é
U-Um passo que nada custa...
Z-Zelo e atenção, de verdade.

N-Natureza tem sabedoria:
O-O importante é ter alegria.

T-Tragédias poderão ocorrer...
R-Reconstrução com bens materiais
O-Os homens poderão fazer, mas
N-Não poderão jamais recuperar
C-Com vida o que a morte destruiu,
O-O vazio inexplicável da decepção.

D-Do Ser Humano incompreensível,
O-O que se espera? Tudo é possível!

I-Impossível é ter paz onde não há
P-Perdão, onde não há alegria das flores
Ê-E nem abraços com laços multicores.

F-Falar de PAZ é fácil...fácil demais...
L-Levar palavras de conforto é muito fácil...
O-O difícil é ser capaz de dar mão ao incapaz,
R-Revelar que a ação é que traz vida,
I-I-Indicar possibilidades do coração,
D-Dificuldades que nos fazem cumprir
O-O verdadeiro papel nesta TERRA.

C-Convite ? O ipê faz à reflexão:
O-“O importante é VIVER em PAZ”
M-Mãe-natureza mostra a lição;

V-VIDA tem tristes histórias
I-Incrustadas nas RAÍZES...
D-Diante do perdão há vitórias:
A-As pessoas ficam mais felizes.

Belo Horizonte, 19 de janeiro de 2010.

12.

LIÇÃO DA NATUREZA
Carlos Reinaldo

Fazer de poste um ipê,
que triste imaginação...
Coisa sem quê, nem prá quê...
de gente sem coração !

A árvore não revidou,
pelo contrário, floriu...
Assim, ela nos mostrou
amor a quem a feriu !

Lindas flores amarelas
à natureza, enfeitaram...
Nestas belas aquarelas,
as flores nos perdoaram !

Aceite o homem a lição
da natureza gentil...
Em vez de indignação,
o ipê nos deu flores mil !

Lafayette - MG

NOTA-Imagem enviada por Brita BRazil

 





|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||

 

Arte Joyce Lima Krischke
Formatação Rosângela Coelho
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados