14 DE MARÇO- DIA NACIONAL DA POESIA
 
À GUISA DE INTRODUÇÃO
-Homenagem a Castro Alves e
ao Dia Internacional da Poesia!
 
Poesia...
J.J. Oliveira Gonçalves
 
Poesia é uma Linguagem Encantada
Para falar à Alma e ao coração!
É o lábio sensual da Bem-Amada
É o verso com a rima pela mão!
 
Poesia é a palavra colorida
Que nos conduz à outra Dimensão!
É a manhã orvalhada - amanhecida
É a Musa - do poeta sua razão!
 
Orpheu não perguntou se eu queria
A Lira para o verso dedilhar
Me ordenou, apenas: vai cantar!
 
Mas jamais me falou que ia doer
O misterioso ato de escrever
Que em meu próprio Sonho me crucia!
 
Porto Alegre, 14 de março/2011. 17h55min
 

    21 de Março - "Dia Mundial da Poesia"

-A 30ª sessão da Conferência Geral da UNESCO proclamou o dia 21 de Março como o Dia Mundial da Poesia e determinou a cada escritório regional que as comemorações sejam em escala nacional e internacional.

-Entre os objetivos da iniciativa da UNESCO está o incentivo e reconhecimento da poesia regional, nacional e internacional, e desencadear processos que devemservir para apoiar a diversidade lingüística e cultural, utilizando a expressão poética, e oferecer a línguas ameaçadas de extinção a oportunidade de serem ouvidas na comunidade internacional.

Evento - Roda Poética CAPPAZ

TEMA: POESIA... SEMPRE!

PERÍDO DE REALIZAÇÃO - 14/03 À 21/03

ENDEREÇO PARA REMESSA DAS PARTICIPAÇÕES

cappaz.joyce@terra.com.br

01.
Amiga Poesia
Eliene
Dantas de Miranda

Quando o sonho desfeito.

Instala-se no amargurado  peito

Ela sempre  presente está

Solícita a consolar

 

Fiel diuturna companheira

Sensação agradável e  calma

Quando a dor vem e  se instala

Versos alentam a frágil alma.

 

 

O que era sonho e fantasia...

Rabiscos  surgem no momento

Transformando-se na bela arte: a Poesia

 

Às vezes, consigo versos rimar,

Mas quase sempre e com pesar

Não ouso a métrica lhe  dar.

 

Publicado em Poesia do Brasil- Vol  12- pág.56

Antologia Congresso Brasileiro de Poesia

 

 

02.
Dia Nacional da Poesia
Dia 14 de Março,
Dia Nacional da Poesia,
Resgata pontos importantes,
Homenageia Castro Alves.
 
Diná Fernandes

O grande defensor,
Que tão grandemente lutou
Pelas causas sociais,
Se hoje vivo fosse
Muito triste estaria.

Essa baderna existente,
Com certeza não o agradaria
Seus protestos
Mais alto gritariam.

Entre o lirismo
E a rebeldia,
Era muito admirado
O “poeta dos escravos”
Também escravo da poesia.

Diná Fernandes
  

 

03.

Ser Poeta

Ser poeta é desvendar cada palavra com emoção,
Cada sentimento que invade com imensidão.
Ser poeta é conseguir traduzir a paixão,
Com volúpia, sem cair nas armadilhas do coração.
 
Poesia é a música que vem de dentro,
Escorre pelos dedos, pousa no papel.
Poesia é paixão, é sentimento.
É expressar o que nos emociona em cada momento.
 
Quem escreve sabe bem o que eu digo,
Pois não é fácil ser poeta,
Não é fácil expor-se em palavras.
Menos ainda sentir-se invadido, acuado.
 
Mas, também não é fácil ser humano,
Doar-se em emoções e sentimentos,
E ainda assim, fazemos isso a todo o momento.
Em nome do amor que buscamos
 
Esse amor que não compreendemos, não assimilamos,
Mas mesmo assim, intensamente ainda procuramos,
E que talvez seja apenas para compensar a sensação,
De que era o que faltava para completar o coração.


 Akasha De Lioncourt

 

04.

POESIA... SEMPRE 

Fazer poesia é o vício oriundo da vicissitude

Sem pé nem cabeça, sem aviso, sem indício

Nutrida da sede viva e urgente de expressão

Nasce e brota do ar, do mar, da inquietude

 

Córrego límpido onde flui amor ou nostalgia

Tudo é levado e lavado na correnteza do sentir

Desliza pelo peito, ora calmo, ora conturbado

Transpõe paisagens, margeando doce euforia

 

Ilumina-se a livre manifestação do sentimento

Imagens e mensagens chegadas como profecia

Convertem-se em cor, amor, tristeza e alegria

As dores de parto, sentidas no fazer da poesia

 

Relâmpago iluminando o epicentro do Vesúvio

É o belo corcel em fuga mágica planando no ar

Precipitando-se em cachoeira o sonoro dilúvio

 

Terminando em um suave remanso dos sentidos

No RECANTO encantado, a poesia vai ser capaz

De aflorar emoções, catarse de sonhos vividos

 

(Lourdes Ramos)

 

05.

POETA POR OPÇÃO
Leonardo André

 

Eu não nasci literato, mas poeta me criei:
meu primeiro ídolo foi Monteiro Lobato
e, daí pra frente me encantei
com todos os livros com que tinha contato.

Li "Meu pé de Laranja Lima",
"O Pequeno Príncipe" de Exupery
Mas, "Emília" era a minha estima,
o que melhor na infância eu li.

Já cursando o "ginásio"
aprendi a versejar
com Castro Alves e Machado;
adorei José de Alencar.

 Aos 13 compus meus primeiros versos
ainda tímidos, muito a aprender;
hoje, adulto, faço da poesia
razão principal do meu viver.
 
 
06.

POESIA  A OUTRA PARTE DE MIM

EstherRogessi

Nas minhas longas caminhadas, encontrei amores e  desamores...

Alegrias contadas... Lágrimas que se esgotaram - o prado  se fez  sertão;

dores incontáveis, momentos de solidão em meio a multidão.

Carícias que em mim... fizeram-se  torturas; gritos contidos, reprimidos

... Moinha de mim!

Estive tão só em meio a tantos... Fidelíssima, jamais me deixaste!

Na dor, na angústia... no pranto; no  sofrer manso - tive mais de ti.

Jamais te deixei, nem tu a mim... POESIA!

 

Seccional Recife/PE

14/03/11

 

 

07.
Poesia

Paulo Rodrigues

Poesia é

Prazer,

DOR,

Abandono.

Prazer que acariciiiiiiiiiiIIIIIIIIIiiiiiiiiiiiiIIIIIIIIIiiiiiiiiiiiiIIIIIIIIIIiiiiiiiiiiiiIIIIIIIIiiiiiiiiiiIIIIIIiiiiiiiiiia,

DOR quetransforma.

Abandono que convida por chá da tarde com bolinho de mel da vovó.

Poesia é a voooooooooz,

é a expressão,

a sublimação,

a condensação do inconsciente Profundo.

Poesia

é  VIAGEM e DIALÓGO com a  ausência.

Suplica                                              ao                                                        vazio.

Poesia

é um modo de falaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaar.

 

de diz

eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeer.

É a linguagem da Paz e do Amor,

Da justiça em favor dos menos favorecidos.

É a linguagem dos solitários,

dos amantes,

dos VIVOS, DOS ABANDONADOS....

dos POETAS CAPPAZ.

 - Sorocaba -  SP

08.

Poeta
Sidney Santos

Ser poeta é ter alma
Ser a chama que inflama
Ser nervos e calma
Ser vontades de alana.

Ser poeta é ser vento
Ser tempo de calmaria
Ser inspiração e alento
Ser descrença e romaria

Ser poeta é ser pranto
Ser a razão para um riso
Ser o lado e o canto
Ser desatino e o siso

Ser poeta é ser fantasia
Ser real e quimera
Ser tristeza e alegria
Ser poeta, quem me dera!

09.

POESIA... Sempre!

Marco A. Amado

 

Os tambores silenciaram

Anunciando o fim do carnaval

Este espetáculo popular

Que leva de forma tão especial

 

Ritmos alucinantes

E poesias delirantes

São sonhos que desfilam na avenida

Veja é poesia que pede passagem

Em todos os sentidos

Sons cadenciados

Doces palavras que bailam no ar

 

Veja como a poesia

É Universal

Ela é constante

Está presente a todo o momento

São doces sensações

Onde racismo e diferenças

Não fazem sentido

Pois as emoções

 

Que ela transmite

Faz-nos devanear

Olhar perdido

Coração aturdido

Poesia, milésimo de segundo

Um simples minuto

 

Ela não é o presente

Nos da presente sempre

Seja no dia, na noite

Na chuva, no vento

No frio, no calor

Da ritmo a vida,

É o antes,

O agora,

O depois,

A poesia é constante

Faz parte de nossas vidas.

 

Ocram 14/03/11

 

 

10.

 Quem dera ...

Ana Teresinha Drumond Machado

 

Hoje é DIA NACIONAL DA POESIA!

Quem dera, tivesse eu a alquimia

De olhar para a folha inerte...

pálida ... muda ... desnuda

e  esculpir com poesia

a arte de Camões.

 

como quem diverte

com pedra

com mármore...

com areia ...

 

Fazer da peça bruta 

a arte de sentir

a simetria na palavra muda.

E saber  imprimir ,ao sabor do vinho,

O dito ou não dito ...

ou até o já dito

com hábil encanto e apuro.

 

Hoje é dia nacional dos escultores

Da criação com a palavra.

Quem dera, tivesse eu a alquimia

De Michelangelo ao mestre Aleijadinho

Quem dera, tivesse eu a alquimia

De transformar a palavra mais real

em o  carrara de Davi , em

 Vênus de Milo ...em Pietá...

em os Profetas de Congonhas

ou mesmo fazer , sei lá,

o real  em surreal.

Quem dera...

 

Alvinópolis/MG

11.

POESIA... SEMPRE (II)

Marco A. Amado

 

Não tem como embrulhar

É tão leve

Que viaja no vento...

Norteia pensamento

 

Nem o papel

A retém

Pois olhares

Surrupiam-na

Levam-na a alma

Que a guarda

Mas não faz disto

Um mistério

E nem segredo,

 

Quando menos se espera

Lá está ela no pensamento

Surgida do vento

Riscada na pedra por um cinzel

Ou a pena trançando o papel

 

É o ritmo, o tom

Cor, sabor

São nuances

E às vezes desatinos

De corações ladinos

Poesia... Sempre!

Envolvente

Perturba a mente

Acaricia a alma

 

Rio- Ocram 14/03/11

 

12.

MEUS(MINHAS) QUERIDOS(AS) AMIGOS(AS) POETAS E POETISAS

SAUDAÇÕES FRATERNAS E FRANCISCANAS !

 

Eu saúdo vocês neste Dia Nacional da Poesia, em que

comemoramos mais um aniversário de Castro Alves.

Vocês reverberam a lira deste poeta imortal que viveu

tão pouco e que nos legou uma obra sublime e imortal,

que embala e enternece nossos corações. Parabéns por

nos brindarem com seus poemas, que também embalam

E enternecem nossos coprações, seguindo os passos do

Poeta da Natureza, da Liberdade e da Igualdade racial.

Salve á lira de Castro Alves, ecoando lá nos rincões da

Bahia! Salve as liras dos poetas e poetisas queluzianos

e lafaietenses, ecoando cá nos rincões das Minas Gerais !

Salve as liras do poeta gaúcho e da poetisa catarinense,

Ecoando lá nos pampas e nas praias catarinenses! Salve

as liras de todos os poetas e poetisas brasileiros, ecoando

do norte ao sul e do oeste ao leste deste grandioso país !

Homenagem, com emoção, do eterno amigo e admirador,

 

Carlos Reinaldo – Lafayette – Salve 14 março de 2011 !

13

 

Amores (Im)perfeitos

Tânia Maria de Souza

 

 

14.

 

      P O E S I A

  Silvia Benedetti
 
  ''Es tu poesia" o calor da minha vida
   És chama acesa de um fulgor capaz
   De iluminar o sendeiro onde a  lida
   Transcorra com harmonia e muita paz.
 
 "Ès tu poesia" o  despertar radioso
  Das manhãs primaveris plenas de sol,
  No entardecer que vem tingir airoso,
  No céu, lá no horizonte o arrebol.
 
"Ès tu poesia" a terna companheira,
Dos momentos    sombrios, da aflição,
Me consolando com sutil maneira,
De enriquecer bem mais a inspiração.
 
"Ès tu poeisa" a noite em que a esperança
Alimenta de anseios meu viver
Devolvendo n'alma sonhos de criança,
Ao dia que, festivo irá nascer.
 
"Ès tu poesia" a prece comovida,
Que a Deus contrita,  tento endereçar
Rogando forças, para rimar vida
E amor, risonha versejar!
 
           Aos amigos CAPPAZES, comum abraço fraterno.   Silvia Benedetti

 

15.

 

No valsar da Poesia

 Adriana Pontes Mendes

A poesia é como uma música
Que vem devagar,
Inspirando o nosso pensar.
Enchendo o coração
Por muito fantasiar!
No coração do poeta
Está a rima,
Sua prosa,
O seu conto a contar.
Cheios de versos e reversos,
Num universo a bailar.
O Criador presentiou
E o homem executou,
Dando as nações
Inspirações ocultas
Que só a poesia,
Pode revelar.
Ah! Poesia és e  sempre serás!
Agradecemos ao Criador,
Por nos presentiar.
Viva a poesia que está nos
Nossos corações a valsar.
 
Seccional: Recife- PE
Confreira: Adriana Pontes Mendes
Data:15/03/2011 

 
 

16.

 

Poesia
Gislaine Wachter
 
poesia sempre
porque escrever é tudo
porque inspiração vem e brota
porque tenho voce no coraçao
porque amo com devoçao
 
pra você faço poesia sempre...
com muito amor
com carinho, tesão
pedindo abrigo
beijos, atenção   
 
poesia sempre
com doces palavras
com alegria e prazer
com ódio com sofrimento
retratando o que é viver
 

17.

Dia da poesia

Que pena!

Um dia dedicado à poesia,
Que se perdeu entre a vaidade
De ser poeta.

Poesia não há que ter poetas.
Existe pela forma bela e simples
De tudo que é.
Poeta morre poesia não.

Dia permitido para se ver e escutar
Versos que acreditamos nossos,
Que se fizeram antes mesmo de existirem,
Pela simples razão de ter sido a primeira Criação.

Que pena!
Um dia que se esquece a poesia,

Para o poeta se exaltar a si mesmo,
Pelos versos que apenas colheu.

Ai de mim! Jaak Bosmans

 
18.
Poetando
Gislaine Wachter
 
Ah! inspiração é arte
palavras vão encaixando
e levam ao mundo
nossos sentimentos
angustias
dores
alegrias
prazeres
amores...
 
 
19.
 

Download Poético

(Deomídio Macêdo)

 

A poesia surge como luzes, volitando pelos vieses da inconsciência, ou trazidas pelos ventos longínquos da espiritualidade superior, que emerge subitamente, através de um download, quando o poeta ou poetisa se permite através do amor, da caridade e da fraternidade ser interprete de dados harmônicos através da regência Divina.

Jesus é o Divino poeta, suas parábolas são poemas que acalenta a alma. Poeta do amor.

Na estrada de Damasco ele pergunta ao seu perseguidor: "Saulo, Saulo, por que me persegues?” 

E ali nasce Paulo de Tarso o poeta da caridade que nos traz um texto poético maravilhoso:

Cartas aos Coríntios

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine".

"E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria."

" E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria".

"A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; não trata com leviandade; não se ensoberbece".

"Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade".

"Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta".

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade. Mas a maior destas é a caridade" (Paulo, I Coríntios, cap. XIII, vers. 1 ao 13).

 

E São Paulo acrescenta fechando sua poética de amor:

 

“Não sou eu que vivo, o Cristo que vive em mim”

 

20.
Sentir o que o poeta sente

Rosana Carneiro

Ler poemas e gostar
é sentir o que o poeta sente
é reviver a dor ou amor ausente
é vivenciar a alegria e ficar contente
enfim...poesia é sentimento presente
que está no coração e na mente
podendo ser virtual ou real
mas está dentro da gente...


 

21.

De Brahms e de Poesia...
 
J.J. Oliveira Gonçalves
 
 
 Entre a Beleza e a Dor meu verso oscila...
E a Lira de minh'Alma Amor dedilha!
Na Vida: escuridão! No peito, brilha
A Rima que sorri, chora, vacila!
 
De Brahms a Sinfonia me comove
E veste o verso meu de nostalgia!
Faz terno o Coração e a mão me move
E o meu Céu-Interior faz calmaria!
 
Ah... este feixe de rimas que traduz
O meu sentir poeta... a Emoção
À Luz do Imaginário me conduz!
 
E eu choro... Minha lágrima - caída
É o réquiem silencioso à Ilusão...
Quem sabe, o meu adeus à própria Vida!
 
* 1ª lugar - Poesia Clássica/Soneto - Concurso Literário "10º Pérola da Lagoa"
São Lourenço do Sul/RS - Outubro/2007.
 
 
Porto Alegre, 04 de julho/2007. 23h06min


 
22.
 

Poesia eterna

Marina Martinez

 

Morreu o escravo mil vezes por dia,

até que percebeu uma voz em pungente verso,
rimando humanidade, liberdade, irmandade.

O Poeta dos Escravos sua pena brandia.

 

Cada palavra era ferrete em brasa a marcar
      As costas dos senhores, as frontes dos feitores.
              Senhoras brancas tiranas, mucamas pretas, sofridas.
 Tão longe da alforria, menino branco no seio, 
                                Rezavam as negras em vão: os filhos morriam em chão imundo.
            O Condoreiro cantou na sua crença tudo isso e mais.

        

              Agora, estamos todos livres. Mas somos, de verdade?
               Libertos dos terreiros, dos grilhões, das velhas feridas,
                           Vemos novos cárceres, outras vidas, outro tipo de escravidão.
                 E esperamos, tolhidos por inércia, indiferença, covardia,
                            Surgir outro poeta que nos defenda da nossa própria servidão.

 

Sempre existirão sentimentos, poetas e poesias.

Não importam os tempos, se de paz ou de grita,

alguém escreverá, mesmo sem rima ou em prosa

a  ansiedade que em sua alma se agita.

 


 

23.

Poesia

Fátima Peixoto


Caminho que encontrei,
Para extravasar o que sinto na  alma e no coração,
Escrevo versos, prosas, poesias,
Com toda minha emoção.

A todos meus mestres do Recanto,
Minha grande admiração,
Aprendo com seus ensinamentos.
Suas belas lições.
 
São horas de devaneios,
Viajo no mundo dos versos,
Aqui encontro o meu avesso,
Paz e aconchego.
 
Minha paixão pela vida
Minha sensibilidade de perceber o outro,
Como humana imperfeita,
Buscando uma explicação.
 
Nos versos busco uma identidade,
Que na vida não é possível.
Agir só com o coração,
Sem nenhuma restrição.
 
 
O poeta tem no sangue,
Sonho, desengano e encanto,
Já que não pode mudar o mundo,
Deixa  escrito seus sonhos de liberdade e amor


24. 

 P O E S I  A , S E M P R E !    

                (Acróstico)
Silvia  Benedetti

 
 
     P oesia, sempre!
     O leve roçar da brisa
     E ntre as folhas das palmeiras,
     S uave  murmúrio de águas,
     I  nsinuando em noss'alma,
     A  doce bênção da PAZ.
 
     S eara de  amor
     E m  constante  crescimento,
     M ostrando  sua   nobre  missão
     P acificadora,
     R epleta  de solidariedade,
     E nvolvente...   CAPPAZ!
 
25.

C A S T R O   A L V E S
      *1847       †1871

Acróstico-biográfico Nº 026
Por Sílvia Araújo Motta
     
C-Cadeira-sete-ABL, Patrono,
A-Alta inspiração, poeta social.
S-Seu berço, no Muritiba baiano.

T-Tornou-se do Escravo, defensor especial,
R-Revolucionário, viveu vinte e quatro anos.
O-O verso é de guerra, de luta liberal.

A-Antônio Frederico de Castro Alves
L-Liberdade cantou, à nacionalidade.
V-Viu o pé amputado, morreu tuberculoso.
E-Eugênia Câmara-atriz, musa da realidade.
S-Seu poema é  imortal, lírico-amoroso.

26.
 

CHAMA DO AMOR INEBRIA

Acróstico-filosófico Nº 3607

Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

-

C-Criei coragem e decidi:

H-Hoje, vou declarar meu

A-Amor! Rascunhei, escrevi

M-Mensagem, entreguei...Se leu?

A-Abriu os olhos, que eu vi...

 -

D-Delírio interior resplandeceu:

O-Os nossos nomes, pronunciamos!

 -

A-Aquele olhar de pura ternura

M-Mostrou-nos, imenso universo;

O-Onipotência Divina... e futura

R-Resguardará este meu verso!

 -

I-Imediatamente, seguramos

N-Nossas mãos postas ao peito

E-E nada mais, pudemos falar,

B-Bocas unidas do par perfeito

R-Revelaram o desejo guardado,

I-Inebriante, da chama ardente...

A-A magia da energia não se explica.

-

Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil,

Segunda-feira, 2011, dia 21 de MARÇO:

DIA MUNDIAL da POESIA.

PARABÉNS À PRESIDÊNCIA CAPPAZ

E A TODOS OS POETAS DA CONFRARIA

ARTISTAS E POETAS PELA PAZ.

Nota: Sinto-me feliz na CAPPAZ!

27.
 
 " Itinerário de um Poeta"
                                 Ângela Torino Paletti
 
          Que fazes?
          Escrevo.
          Falo das estrelas, da lua, do sol...
          cometas, lunetas, de um universo sem fim....
          Falo da vida e da morte.
          E também de um amor que existe em mim....
 
          Que desejas?
          Ser grande ou pequena...
          Ser fraca ou ser forte?
          Nada importa!
          Caminho à espreita da minha sorte.
 
          Onde vais?
          Não sei.
          Não caminho mais com os passos meus...
          Talvez me encontre na vida...
          Ou quem sabe...no meu próprio adeus!
 
                                       - Itamonte - Minas Gerais 
 
28.

 

POESIA... SEMPRE !

Carlos Reinaldo de Souza

 

O poeta apaixonado

respondeu à sua amada:

- O que é a Poesia ?

- A Poesia é Você !

 

- Vejo o amor em seu olhar,

disse à amada, feliz.

Então beijou, loucamente,

aqueles lábios sensuais.

 

Mas o poeta enleva,

também seus olhos azuis,

seu grito atinge o infinito:

- Viva o Amor e a Poesia !

 

Assim termina a história

de dois amantes felizes,

que buscam na Poesia

a própria essência do Amor !

 

Conselheiro Lafayette- MG

 

29.
 
 

Assistir quem você ama,amando outro alguém.


Cleide Regina Scarmelotto

Você viveu sonhos,
Eu realidades,
Você traçou metas de vaidades,
Eu entendi seus desejos,

Eu estava lá, quando ia se atirar ao abismo,
E também estava lá quando criou asas e voou,
Eu recolho seus pedaços,mas nem você viu, meu mecanismo...
Mas parada na estrada da escuridão não estou.

Eu estava lá olhando você querendo apanhar.
As maçãs do topo, as uvas boas de saborear,
Vi teus cacos de amar quem te pisava,
E exigia que você fosse um ser que em você não estava...

Foi rudimentar o amor que recebeu,
Cheio de torturas e conflitos sem paz,
E clamou paz,mas não percebeu,
Que a vaidade nada faz...

Eu sou a terra quente fértil a germinar,
Eu sou quem te ama,
Você é o rio que corre a buscando sonhos a rolar...
E água e terra quando se juntam e não se desgrudam mais, formam lama...
 
30.
A POESIA DE TODOS
(José Antônio Gama de Souza-Balzac)

Penso que todos são poetas
quando na percepção e na expressão
da poesia existente na vida
(natureza e sentimentos).
Uns a escrevem de diversas formas,
alguns a pintam ou fotografam.
Outros a executam em instrumentos musicais
inserindo-a em belas composições.
Há aqueles que divinamente a esculpem,
e os que a exercem em atos pessoais,
familiares, humanitários, sociais,
nos esportes e em todas as artes,
manifestando-a sutilmente... reservados.
E há ainda os que simplesmente a percebem,
sentem, admiram, amam, defendem e veneram
passivamente, passionalmente... encantados!

Leopoldina, MG. 20/05/2008.

31.
EM QUALQUER TEMPO, A POESIA.
(José Antônio Gama de Souza-Balzac)

Escrevo como quem sangra
Sangro como quem ama
Amo como quem morre

Desejo conter em meus versos
A melancolia das tardes de outono
A suavidade das noites primaveris
O romantismo dos dias de inverno
Cujas noites são as mais belas

Nem sempre sou
Como as manhãs de verão
Claras e otimistas
Alegres e vitais
E nem conflituoso sempre
Como às vezes suas noites e tardes

Mas prefiro ser luz que sombra
Embora ame o mistério da noite

Valorizo o brilho do dia
E volúvel, mudo de gosto

Como muda a vida
Como muda o amor
Como muda até a dor
Que busco traduzir

E assim passionalmente
Em qualquer tempo ou momento

Sangro como quem escreve
Amo como quem sangra
Morro como quem ama!

Leopoldina, MG, 27/04/2008.
32.
 
CAMINHO...
Celso Corrêa de Freitas
.
No meu caminho, uma praça;
No meio da praça uma flor.
Paro o meu passo,
E passo a olhar a flor,
Que parece esperar alguém...
Tal, como eu também
Espero por seu amor!
Logo chega um beija-flor,
Que beija a flor e
Um perfume espalha-se pelo ar...
Me ponho a lembrar
Da sua pele, sua cor, seu sabor...
Que, bem posso imaginar,
"Se a saudade tem cor,
Deve ser a do Açai"
Agora, preciso voltar a caminhar...
Com esta saudade no peito,
Que preciso queimar,
Que preciso queimar!
Sei que a flor,
Vai ficar onde está.
E você, no seu lugar.
Poderia ser muito pior...
E eu ter que caminhar,
Sem ter você para lembrar,
E sem a flor para olhar.
Que assim seja...
Até que um dia,
Possamos nos encontrar,
E da mesma forma que o beija-flor,
Se curva para beijar...
Eu me curve diante de ti,
Para lhe dizer...
Aqui estou minha flor,
Aqui estou meu amor!
 
 
33.
 

Acróstico Poesias

José Roberto de Assumpção

 

P ente fino do sentimento colhido com emoção

O riginário do bálsamo que pulsa o liquido emotivo do coração

E mana sua essência por diversas províncias de leituras

S ensibilizando os atilados e mentores do artífice manuscrito

I dealizando segmentos preciosos das mais diversas formas

A ssim declinando sem exaustão os rudimentos das palavras do natural e o              belo

S eguindo como canção de instante dos mais nobres corações.


- Curitiba - PR.

 

34.

 

21 de Março – DIA MUNDIAL DA POESIA

Diná Fernandes

 

Sou a Poesia!

Não sou apenas figurinhas perdidas por ai

bordando uma branca folha de papel,

sou versos com asas de passarinho

voando no céu do poeta.

Sou a poesia, teço loas

ao seu ouvido, querendo

despertar versos adormecidos.

Sou o som que vibra na alma do poeta....

 

 

 

35. 

 

 

36.

Homenagem à Poesia

Sônia Rego

Poemas de amor
Poemas de todos os temas
São lindos poemas
Os poetas inspirados
Espalham poemas pra todos os lados
Não tem melhor nem pior
São todos do coração
A poesia é pura emoção

Coração de poeta
Não tem dimensão
Tudo que acontece
Parece uma prece
na mão de um poeta
Tudo que ele vê
Vira um tema infinito
E escreve com exatidão

O poeta diserta sem problemas
Versos, prosas, trovas
sonetos, poesias enfim.
Vamos louvar os poetas!
E a sua inspiração
Salve todos os poetas
Salve a poesia enfim
Salvem a poesia pra mim...

SP - 21/03/11

 

37.

 

Quem és tu?

Jonas Krischke Sebastiany

 

Voltando à poesia

Voltando à mordomia

De falar sem ser barrado

Mas muitas vezes auto-contestado

 

Um erro em papel

É um equívoco útil

É a besteira a granel

Que traz as viagens transcendentes

Pro pobre recurso gráfico

 

Que serve de prisma mágico

Pra se vislumbrar

O inconcebível

 

Há tempos eu não andava assim

Há tempos eu não me agitava assim

Há tempos eu não sentia

A tensão da Roda- viva

Se transmutar em poesia

E gerar anorexia intelectual

 

38.

  

Poesia... Sempre!

Joyce L. Krischke

 

Sim, menina! Chegas sem pedir licença,

Não me avisas... não marcas hora, nem dia.

Outras vezes partes, deixando-me tensa.

Ou, provocas-me: envias teu ritmo- Poesia!

 

Há momentos em que me fazes calada.

É quando fico a refletir meu dia-a-dia.

Quero-te menina mimosa, amada...

Venhas ao meu encontro, sempre- Poesia!

 

Ah, convidas-me à lira da Paz entoar,

Cantando luas, estrelas, sóis e fantasia...

Seguindo livres o nosso pazear,

Voando em nuvem de rosas- Poesia!

 

És fonte de Paz e perfume de rosa!

Poesia da vida: presença no dia-a-dia

Poesia... Sempre! Até quando silenciosa.

Hoje, festejada: Dia Internacional da Poesia.

 

Balneário Camboriú, 21 de março de 2011- 22 horas

 

 

 

39.

ENCERRAMENTO DA RODA POÉTICA-  POESIA...SEMPRE!

Poesia!
J.J. Oliveira Gonçalves
 
Neste 21 de março - Dia Mundial a Poesia - vou comprar uma flores do campo. Depois, vou procurar um filhotinho de gato pelas ruas da cidade. (Desses coitadinhos que a conhecida "raça humana" abandona, ou simplesmente "bota fora", como se o bichinho fosse qualquer coisa, menos um ser vivente da Natureza.)  Encontrado o bichano, vou colocar flores e gato no bolso direito do meu paletó cinza , risca-de-giz, e vou até a casa da Musa dos meus versos (e Sonhos) lhe ofertar esta poesia viva e concreta que levo no bolso direito do meu paletó cinza, risca-de-giz.
Quando ela abrir a porta - com seu jeitinho meigo e sorridente - lhe direi: Querida, eis minha Poesia... Ela é instantânea, original, espontânea, criativa... Tem cheiro, textura, vivacidade, colorido, musicalidade, tem olhos vivazes e vida própria... Será um poema, um soneto, uma ode, uma crônica poética, enfim... Poesia!
Vê, Querida: noite passada, chegou o Outono - esta Estação da qual sabes que sou feito. Então, o gato, as flores do campo, o Outono, eu - com este coração-índio de poeta e esta Alma-cigana de Liberdade, tomei a liberdade de trazer-te estas flores do campo e este filhotinho de gato... Eis que já é Outono - há uma luminosidade diferente, diáfana, uma aconchegante calmaria no ar, e um jeito, assim, de suspirosa e doce Nostalgia na Vida, inclusive, no gato e nas flores... Sabias? A Poesia desabrocha mais e se faz mais abundante no Outono... Diria, mesmo, que é a Estação dos poetas, dos pintores, dos artistas que trabalham a Beleza, os Sonhos, a Emoção, a Paz, as Transmutações da Vida...
Ah, sim... Achei Lírico e Romântico ofertar à minha Amada este mimo vivo que trago no bolso direito do meu paletó cinza, risca-de-giz. As flores, apesar de efêmeras, te darão cores e perfumes. Te enfeitarão um vasinho que, acredita, ficará contente com essa companhia fragrante, suave, delicada... E, por um tempo, deixarão tua casa mais alegre. O gato crescerá e te fará companhia. Fingirá que dorme, mas estará de olho em ti - tecendo rondas de Solidão, enquanto dormes... Quando afagares seu pêlo, suave e macio, ele ronronará... Nessa linguagem que Deus concedeu aos gatos, estará te dizendo que é feliz e que te Ama! Ah, quando o afagares, é como se estivesses a mim mesmo acarinhando. E a resposta sabes que é, exata e verdadeiramente, igual!
Querida: neste 21 de março - Dia Internacional da Poesia - eis a poesia deste poeta que te Ama e sabe que o Amas, também. Quem sabe, coisa lindamente maluca de um poeta sonhador e irreverente - como sou. Ou, idéia mais do que original, de um Aquariano audacioso - feito eu. Portanto, toma, Querida, estas flores do campo e este gato que trouxe, no bolso direito do meu paletó cinza, risca-de-giz. Eles são teus. Eles são eu. São tu, também. São o Outono e a Vida. São Poesia!
 
Porto Alegre, 21 de março - Dia Mundial da Poesia/2011. 09h11min
 

 

Nota- Os textos da Roda Poética-Poesia...Sempre!-

são de responsabilidade autoral dos participantes.

A CAPPAZ não faz revisão gramatical. 

 
 

 



 





|| Página Inicial | Voltar | Livro de Visitas ||


 

Arte e Formatação Joyce Lima Krischke
Exclusivo para CAPPAZ - Confraria Artistas e Poetas pela Paz
Todos os direitos reservados